Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

  

 

Planeta Criança



Poesia & Contos Infantis

 

 

 


Alcântara Machado
Alcântara Machado

Alcântara Machado

 

 

Alcântara Machado (1901-1935) foi um escritor brasileiro. Um dos mais importantes escritores do primeiro tempo modernista. O mundo do imigrante italiano e seus esforços de integração a São Paulo deram a Alcântara Machado, modernista de primeira hora, a temática e o estilo no qual ele escreveu seus contos.

Alcântara Machado nasceu em São Paulo, no dia 25 de maio de 1901. Formou-se em direito em 1924. Começou ainda estudante a trabalhar como jornalista. Após uma temporada na Europa, impregnou-se das ideias de vanguarda e assumiu ostensiva posição de combate pela renovação literária, ao lado de Oswald de Andrade.

Uma viagem à Europa, em 1925, inspirou-lhe o livro de estreia literária, "Pathé Baby", publicado em 1926, com prefácio de Oswald de Andrade. Um ano depois, junto com Paulo Prado, fundou a revista "Terra Roxa e Outras Terras". Em 1928, com a publicação do conto "Brás, Bexiga e Barra Funda", se tornaria lembrado como expoente do gênero. O segundo livro de contos, "Laranja da China", foi publicado em 1929.

Em 1929, uniu-se a Oswald de Andrade, para fundar a Revista de Antropofagia. Em 1931, com Mário de Andrade, dirigiu a Revista Hora. Pesquisador de História escreveu alguns estudos, entre eles um sobre seu avó, Basílio Machado.

São Paulo sempre esteve no centro de seus interesses, daí o nome de sua mais importante obra, "Brás, Bexiga e Barra Funda", nome de bairros onde se radicaram os imigrantes italianos. Em sua obra ele tece uma imagem crítica, e por vezes apaixonada desses europeus que aportaram em São Paulo. Alcântara Machado não conheceu grande sucesso em vida, mas foi valorizado por gerações posteriores.

Antônio Castilho de Alcântara Machado d'Oliveira morreu em São Paulo, no dia 14 de abril de 1935.

 

 

APÓLOGO BRASILEIRO SEM VÉU DE ALEGORIA

AS CINCO PANELAS DE OURO

GUERRA CIVIL

LARANJA-DA-CHINA 

MANA MARIA 

MISS CORISCO

 

 

Carlos Cunha      Arte & Produção Visual