Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

  

 

Planeta Criança



Poesia & Contos Infantis

 

 

 


Lembrança Mortal / Nora Roberts
Lembrança Mortal / Nora Roberts

 

 

Biblioteca Virtual do Poeta Sem Limites

 

 

Lembrança Mortal

 

            Um arroto heróico de trovão seguido o estranho pequeno homem na loja. Ele olhou de relance ao redor apologeticamente, como se o barulho rude era sua responsabilidade em lugar de da natureza, e apalpou um pacote debaixo de seu braço assim ele podia fechar um guarda-chuva preto-e-branco-listado.

      Ambos os guarda-chuva e homem gotejados, um pouco mournfully, sobre a praça limpa de tapete só dentro da porta enquanto a chuva de fonte de frio bateu as ruas e calçadas no outro lado. Ele permaneceu onde ele estava, como se não completamente certo de seu bem-vindo.

      Laine girou sua cabeça e mandou a ele um sorriso que segurou só calor e convite fácil. Era um olhar que seus amigos teriam chamado sorriso do seu lojista cortês.

      Bem, droga, ela era um lojista cortês—e no momento que etiqueta estava estando penosamente testada.

      Se ela conhecesse a chuva traria clientes na loja em vez de manter afastada eles, ela não emitiria a Jenny o dia. Não que ela se importou negócios. Uma mulher não abriu uma loja se ela não quisesse clientes, qualquer que seja o tempo. E uma mulher não abriu uma em Cidade Pequena, E.U.A., a menos que ela entenda que ela gastaria tanto tempo conversando, escutando e refereeing debates como ela telefonaria vendas.

      E isso era bom, Laine pensou, isso era bom. Mas se Jenny tivesse estado no trabalho em vez de gastar o dia pintando seus unhas de dedo do pé e assistindo sabões, Jenny teria sido o preso com os Gêmeos.

      Darla Avalia Davis e Carla Avaliarem Sido tido seu cabelo tinted a sombra cinzenta mesma de loira. Eles vestiram impermeáveis azuis lisos idênticos e levaram bolsas de vagabundo de comparação. Eles terminaram um ao outro é orações e comunicou em uma espécie de código que incluiu muitas sobrancelhas de espasmo, pursed lábios, ombros e cabeça erguida vai para cima e para baixo.

      O que poderia ter sido atraente em oito anos-olds era planície justa misteriosa em mulheres de quarenta e oito anos de idade.

      Ainda, Laine lembrou a se, eles nunca entraram em Lembrar Quando sem soltar um pacote. Poderia levar eles horas para soltar isto, mas eventualmente as vendas tocariam. Existia pequeno que ergueu coração do Laine tão alto quanto o anel da caixa registradora.

      Hoje eles estavam na caça para um presente de compromisso para sua sobrinha, e a chuva de direção e trovão intensivos não pararam eles. Nem teve isto intimidado o par jovem encharcado que—eles disseram—tido detoured em Buraco do Anjo em um capricho a caminho de D.C.

      Ou o molhado pequeno homem com o guarda-chuva listado que olhou, para olho do Laine, um pouco frenético e perdeu.

      Então ela adicionou um pouco mais de calor para seu sorriso. "Eu serei com você em só alguns minutos," ela gritou, e voltou sua atenção para os Gêmeos.

      "Por que você não procura um pouco mais," Laine sugeriu. "Considere cuidadosamente isto. Assim que eu—"

      Mão clamped da Darla em seu pulso, e Laine soube que ela não iria escapar.

      "Nós precisamos decidir. Carrie é quase sua idade, doçura. O que você quereria para seu presente de compromisso?"

      Laine não precisou transcrever o código para entender que era uma escavação não-tão-sutil. Ela era, afinal, vinte e oito, e não casados. Não comprometidos. Não, no momento, até particularmente datando. Este, de acordo com os gêmeos de Preço, era um crime contra natureza.

      "Sabe," Carla piped em cima, "Carrie encontrou seu Paul na ceia de espaguete última queda do Kawanian. Você realmente devia socializar mais, Laine."

      "Eu realmente devia," ela concordou com um sorriso premiado. Se eu quiser enganchar em cima com um calvo, CPA DIVORCIADO com uma condição de sinus. "Eu sei que Carrie vai amar qualquer que você escolhe. Mas talvez um presente de compromisso de suas tias devia ser algo mais pessoal que os castiçais. Eles são adoráveis, mas o tão feminino do conjunto de cômoda." Ela levantou a prata-que voltada escova do deixar eles estavam considerando. "Eu imagino outra noiva usou esta em sua noite do casamento."

      "Mais pessoal," Darla começou. "Mais—"

      "Girlie. Sim! Nós podíamos conseguir os castiçais —"

      "Um presente do casamento. Mas talvez nós devíamos olhar para o jóias antes de nós comprar a cômoda fixar. Algo com pérolas? Algo—"

      "Velha ela podia passar lentamente seu dia do casamento. Ponha os castiçais e a cômoda economizar, mel. Nós tomaremos um olhar para o jóias antes de nós decidir qualquer coisa."

      A conversação saltou como uma bola de tênis serviu e volleyed fora de dois coral idêntico-alisadas bocas. Laine se felicitou por sua habilidade e enfoque que ela podia acompanhar que disse o que.

      "Boa idéia." Laine ergueu os castiçais de Dresde velha magnífica. Ninguém podia dizer que os Gêmeos não tiveram gosto, ou era tímido de aquecer seu plástico.

      Ela começou a levar eles para o contador quando o pequeno homem cruzou seu caminho.

      Ela era olho para olho com ele, e seu era um pálido, desbotada azul avermelhada por falta de sono ou álcool ou alergias. Laine decidiu-se por perdido sono como eles também eram obstinados por bolsas pesadas de fadiga. Seu cabelo era um esfregão grisalho enlouquecido com a chuva. Ele vestiu um sobretudo de Burberry caro e levou um guarda-chuva de três dólares. Ela assumiu que ele barbeou às pressas aquela manhã como ele faltou um remendo de barbada cinza junto sua mandíbula.

      "Laine."

      Ele disse seu nome com uma espécie de urgência e intimidade que teve seu sorriso girando para confusão cortesa.

      "Sim? Eu sinto muito, eu sei você?"

      "Você não me lembra." Seu corpo pareceu inclinar. "Faz muito tempo, mas eu pensei . . ."

      "Sinta falta!" A mulher a caminho de D.C. gritou. "Você transporta?"

      "Sim, nós fazemos." Ela podia ouvir os Gêmeos que vão por um de seus debates de taquigrafia acima de brincos e broches, e sentiram uma compra de impulso do D.C. acoplar. E o pequeno homem olhou fixamente para ela com uma intimidade esperançada que teve sua pele gelando.

      "Eu sinto muito, eu estou um pouco inundei esta manhã." Ela evitou para o contador para anotar os castiçais. Intimidade, ela lembrou a se, era parte do ritmo de cidades pequenas. O homem provavelmente tinha estado em antes, e ela não acabava de não poder o colocar. "Existe algo específico que eu posso ajudar você com, ou você gostaria de folhear por algum tempo?"

      "Eu preciso de sua ajuda. Não existe muito tempo." Ele tirou um cartão, apertou isto em sua mão. "Chame-me naquele número, assim que você pode."

      "Sr. . . ." Ela olhou de relance abaixo no cartão, leia seu nome. "Peterson, eu não entendo. Você está olhando vender algo?"

      "Não. Não." Seu risada saltado em direção a histérico e teve Laine agradecido para os clientes lotados na loja. "Não mais. Eu explicarei tudo, mas não agora." Ele procurou a loja. "Não aqui. Eu não devia ter vindo aqui. Chame o número,"

      Ele clamped um dar sua de um modo que teve Laine lutando um instinto para empurrar livre. "Prometa."

      Ele cheirou de chuva e sabão e . . . Brut, ela percebeu. E a pós-barba teve alguns chamejarem de memória tentando iluminar em seu cérebro. Então seus dedos apertados em suas. "Prometa," ele repetiu em um sussurro severo, e ela viu só um homem estranho em um casaco molhado.

      "Claro."

      Ela assistiu ele ir para a porta, abra o guarda-chuva barato. E alargue um suspiro de alívio quando ele correu fora na chuva. Misteriosa era seu só pensado, mas ela estudou o cartão para um momento.

      Seu nome estava impresso, Jasper R. Peterson, mas o número de telefone era manuscrito em baixo de e sublinhava duas vezes, ela notou.

      Empurrando o cartão em seu bolso, ela começou acima de dar o par ambulante um amigável cutucar, quando o som de freios de grito em pavimento molhado e gritos chocados tiveram sua tecedura ao redor. Existia um barulho horroroso, uma pancada oca ela nunca esqueceria. Da mesma maneira que ela nunca esqueceria a visão do estranho pequeno homem em seu casaco elegante slamming contra sua janela de exibição.

      Ela arremessou fora a porta, no fluir chova. Passos batidos no pavimento, e em algum lugar fim estava o mastigar som de metal de metal notável, vidro quebrando.

      "Sr. Peterson." Laine agarrou sua mão, curvado seu corpo acima de sua em uma tentativa patética para proteger seu rosto sangrado da chuva. "Não mova. Chame uma ambulância!" Ela gritou e arrancou fora de sua jaqueta para o cobrir como melhor ela podia.

      "Viu ele. Viu ele. Não devia ter vindo. Laine."

      "Ajuda está vindo."

      "Deixou isto para você. Ele quis que eu pegasse isto para você."

      "Está tudo bem." Ela escavou ela gotejando cabelo fora de seus olhos e tomou o guarda-chuva alguém oferecido. Ela angulada ele acima dele, debruçado abaixo mais íntimo como ele arrastou fraco em sua mão.

      "Seja cuidadoso. Eu sinto muito. Ser cuidadoso."

      "Eu irei. Claro que eu irei. Só tente ficar quieto agora, tente esperar, Sr. Peterson. A ajuda está vindo."

      "Você não lembra." O sangue gotejado fora de sua boca à medida que ele sorriu. "Pequeno Lainie." Ele tomou respiração de um estremecer, tossido em cima sangue. Ela ouviu as sirenas como ele começou a cantar em um magro, ofegando voz.

      "Pare de trabalhar todo meu cuidado e aflição," ele sussurrou, então ofegou. "Adeus, adeus, melro."

      Ela olhou fixamente para seu rosto danificado como sua pele já gelada começou a espinho. Memórias, tão longas bloqueadas longe, abriram. "Tio Willy? Oh meu Deus."

      "Usado assim um. Atarraxado em cima," ele disse breathlessly. "Desculpe. Pensou que seria seguro. Não devia ter vindo."

      "Eu não entendo." Lágrimas queimadas sua garganta, fluídas abaixo suas bochechas. Ele esteve morrendo. Ele esteve morrendo porque ela não o soube, e ela mandou a ele fora na chuva. "Eu sinto muito. Eu sinto tanto."

      "Ele sabe onde você está agora." Seus olhos forçados o recuo de. "Esconda o pooch."

      "O que?" Ela se debruçou mais íntimo ainda até que seus lábios quase escovou seu. "O que?" Mas a mão ela embreou em sua foi mancar.

      Os paramédicos a escovado de lado. Ela ouviu seus códigos de diálogo pequeno, expressiva—médica ela cresceu acostumado a audição na televisão, podia quase se recitar. Mas isto era real. O sangue lavando longe na chuva era real.

      Ela ouviu uma mulher soluçando e dizendo repetidas vezes em uma voz estridente, "Ele correu bem em frente de mim. Eu não podia parar a tempo. Ele acabou de correr na frente do carro. Ele está certo? Ele está certo? Ele está certo?"

      Não, Laine quis dizer. Ele não é.

      "Venha do lado de dentro, mel." Darla põe ombros do braço ao redor Laine, desenhou ela de volta. "Você é soaked. Você não pode fazer qualquer coisa mais fora aqui."

      "Eu devia fazer algo." Ela olhou fixamente abaixo no guarda-chuva quebrado, suas faixas alegres marcadas com porcaria agora, e gotas de sangue.

      Ela devia ter o povoado abaixo na frente do fogo. Dado ele um bebida quente e o deixa morno e seca ele mesmo na frente do pequeno forno. Então ele seria vivo. Dizendo suas histórias e piadas tolas.

      Mas ela não o reconheceu, e então ele esteve morrendo.

      Ela não podia entrar, fora da chuva, e o deixe só com estranhos. Mas não existia nada para ser feito mas relógio, sem ajuda, enquanto os paramédicos lutaram e falharam em salvar o homem que uma vez riria de suas piadas de golpe de golpe e cantadas canções tolas. Ele morreu na frente da loja que ela trabalhou tão duro de construir, e deitou em sua porta que todas as memórias ela pensou que ela escapou.

 

      Ela era uma mulher de negócios, um membro sólido da comunidade, e uma fraude. Atrás quarto de sua loja, ela despejou duas xícaras de café e conheceu que ela estava para mentir para um homem que ela considerou um amigo. E negue todo conhecimento de um que ela amou.

      Ela fez seu melhor para se afiançar, correu suas mãos pela massa úmida de cabelo vermelho claro normalmente vestido em um varrido de ombro vai para cima e para baixo. Ela era pálido, e a chuva lavou longe a maquilagem, sempre cuidadosamente se aplicou, então sardas distinguidas-se em seu nariz estreito e através de suas maçãs do rosto. Seus olhos, um viquingue brilhante azul, eram vítreos com choque e pesar. Sua boca, só um cabelo muito largo para seu rosto angular, quis tremer.

      No pequeno giltwood espelho na parede de seu escritório, ela estudou sua reflexão. E se viu para que ela era. Bem, ela faria o que ela precisou fazer para sobreviver. Willy certamente entenderia isto. Faça o que veio para primeiro, ela disse a se, então pense sobre o resto.

      Ela chupou em uma respiração, alargue um tremor, então ergueu o café. Suas mãos eram quase afiançavam como ela entrou na loja principal e se preparou para dar testemunho falso para Buraco do chefe do Anjo de polícia.

      "Desculpe ele levou tão longo," ela se desculpou como ela levou o assaltar para onde o Hambúrguer de Vince aguardou a pequena lareira de escória de carvão.

      Ele era construído como um tolerar um grande choque de cabelo loiro branco que estado quase diretamente para cima, como se surpreendido por achar propriamente em cima do rosto largo, confortável. Seus olhos, um enfraquecido azul e abanaram com as linhas de piscadela, estavam cheios de compaixão.

      Ele era marido do Jenny, e se tornou uma espécie de irmão para Laine. Mas no momento ela lembrou a se que ele era um policial, e tudo que ela trabalhou por estava na linha.

      "Por que você não se senta, Laine? Você teve um choque ruim."

      "Eu sinto tipo de entorpeço." Isso era verdade suficiente, ela não teve que estar sobre tudo. Mas ela subjugou para gole seu café e desviou a vista de na chuva assim ela não teria que encontrar aqueles olhos simpatizantes. "Eu aprecio seu entrando tomar minha declaração você mesmo, Vince. Eu sei que você esteja ocupado."

      "Figurou que você seria mais confortável."

      Melhor mentir para um amigo que um estranho, ela amargamente pensou. "Eu não sei o que eu posso dizer a você. Eu não vi o acidente real. Eu ouvi que . . . eu ouvi freios, gritos, uma pancada terrível, então eu vi . . ." Ela não fechou seus olhos. Se ela fechar eles, ela veria isto novamente. "Eu vi ele bater a janela, como ele foi lançado contra isto. Eu corri fora, ficou com ele até os paramédicos vieram. Eles eram rápidos. Pareceu como horas, mas era só minutos."

      "Ele estava aqui antes do acidente."

      Agora ela fechou seus olhos, e se prepararam para fazer o que ela teve que fazer para se proteger. "Sim. Eu tive várias clientes esta manhã, que prova que eu nunca devia emitir a Jenny um dia. Os Gêmeos estavam em, e um par que dirige pela caminho de D.C. eu estava ocupado quando ele entrou. Ele folheou ao redor durante algum tempo."

      "A mulher de em viagem disse que ela pensou que você soube um ao outro."

      "Realmente?" Girando agora, Laine pintou uma expressão perplexa em seu rosto, como um artista inteligente poderia em um retrato. Ela cruzou de volta, se sentou em uma das duas cadeiras de cotovelo que ela organizou na frente do fogo. "Eu não sei por que."

      "Uma impressão," Vince disse com um encolher os ombros. Sempre atento de seu tamanho, ele se sentou, lento e cuidadoso, na cadeira de comparação. "Disse que ele tomou sua mão."

      "Bem, nós apertamos as mãos, e ele deu a mim seu cartão." Laine puxou isto fora de seu bolso, forçou se a manter sua atenção em rosto do Vince. O fogo estava crepitando com calor, e entretanto ela sentiu seu calor em sua pele, ela estava fria. Muito fria. "Ele disse que ele gostaria de falar comigo quando eu não estava tão ocupado. Que ele poderia ter algo para vender. As pessoas freqüentemente fazem," ela adicionou, oferecendo Vince o cartão. "Que é como eu fico em negócios."

      "Certo." Ele dobrou o cartão em seu bolso de peito. "Qualquer coisa greve você sobre ele?"

      "Só que ele teve um sobretudo bonito, e um guarda-chuva tolo—e que ele não pareceu como o tipo para vagar cidades ao redor pequenas. Tido cidade nele."

      "Então fez você alguns anos atrás. De fato . . ." Ele estreitou seu olhar, alcançado e esfregou um dedo polegar acima de sua bochecha. "Ainda conseguido algum preso para você."

      Ela riu, porque é o que ele procurado. "Eu desejo que eu pudesse ser mais ajuda, Vince. É uma coisa tão terrível para acontecer."

      "Eu posso dizer a você, nós conseguimos quatro declarações de testemunha diferente. Todos eles têm o sujeito correndo diretamente fora na rua, morto na frente daquele carro. Como ele era spooked ou algo. Ele parece spooked para você, Laine?"

      "Eu não estava pagando suficiente atenção. O fato é, Vince, eu rejeitei o basicamente sumariamente quando eu percebi que ele não estava aqui fazer compras. Eu tive clientes." Ela agitou sua cabeça quando sua voz sem dinheiro. "Parece tão caloso agora."

      A mão Vince parou sua em conforto fez ela parecer suja. "Você não soube o que estava vindo. Você foi o primeiro a chegar o a."

      "Ele era direito." Ela teve que tomar um trago fundo de café para lavar o pesar de sua garganta. "Quase no doorstep."

      "Ele falou com você."

      "Sim." Ela agarrou seu café novamente. "Nada que fez muita sensação. Ele disse que ele sentia muito, uns tempos. Eu não penso que ele soube quem eu era ou o que aconteceu. Eu penso que ele era delirante. Os paramédicos vieram e . . . e ele morreu. O que você fará agora? Eu quero dizer, ele não é de ao redor aqui. O número de telefone é Nova York. Eu pergunto-me, eu acho que eu pergunte-me se ele estivesse só dirigindo por, onde ele estava indo, onde ele era de."

      "Nós estaremos examinando tudo aquele assim nós podemos notificar seu próxima de família." Subindo, Vince deitou uma mão em seu ombro. "Eu não vou dizer que você apague isto, Laine. Você não poderá , não durante algum tempo. Eu vou dizer a você que você fez tudo que você podia. Não pode fazer mais que tudo que você podia."

      "Obrigado. Eu vou fechar pelo dia. Eu quero ir para casa."

      "Boa idéia. Queira um passeio?"

      "Não. Obrigado." Era culpabilidade tanto como afeto que teve ela subindo em seus dedões do pé para apertar um beijo para sua bochecha. "Diga a Jenny que eu a verei amanhã."

 

      Seu nome, pelo menos o nome ela soube, era Willy Young. Provavelmente William, Laine pensou como ela dirigiu em cima o pitted pedregulho pista. Ele não tinha sido seu tio real—até onde ela soube—mas um honorário. Um que sempre teria vermelho licorice em seu bolso para um pouco menina.

      Ela não o viu em quase vinte anos, e seu cabelo tinha sido marrom então, seu rosto um pouco mais redondo. Sempre existiu uma fonte em seu passo.

      A maravilha pequena ela não o reconheceu no curvado e nervoso pequeno homem que entrou em sua loja.

      Como ele a achou? Por que teve ele?

      Desde que ele tem sido, para seu conhecimento, amigo mais íntimo do seu pai, ela assumiu que ele era—como era seu pai—um ladrão, um artista de fraude, um de pouca importância grifter. Não o tipo de conexões uma mulher de negócios respeitáveis quis reconhecer.

      E por que o inferno que devia fazer ela parecer pequena e culpada?

      Ela bateu nos freios e se sentou, chocando pelo fixo whoosh de seus trapos na bonita casa na bonita subida.

      Ela amou este lugar. Sua. Casa. A casa de armação de duas histórias era, no sentido exato, muito grande para uma mulher sozinha. Mas ela amou poder vaguear ao redor nisto. Ela amou todo minuto que ela meticulosamente gastou decorando cada quarto para se adaptar. E só se.

      Sabendo, como ela fez, ela iria nunca, já tenha que parar de trabalhar todos os seus pertences em anúncio do momento para a melodia de "Adeus Adeus Melro" e corra.

      Ela amou poder putter em torno da jarda, jardins de canteiro, podando arbustos, ceifando a grama, arrancando as ervas daninhas. Coisas ordinárias. Coisas simples, normal para uma mulher que gastou a primeira metade de sua vida fazendo pequeno que era normal.

      Ela era intitulada para este, não é? Para Laine Tavish sendo e tudo tão querido dizer? Os negócios, a cidade, a casa, os amigos, a vida. Ela era intitulada para a mulher que ela se fez em.

      Não teria ajudado Willy para ela ter Vince dito a verdade. Nada teria mudado para ele, e tudo poderia ter mudado para ela. Vince descobriria, logo o bastante, que o homem no município morgue não era Jasper R. Peterson mas William Young, e porém muitos do aka que foi com isto.

      Existiria um antecedente penal. Ela conheceu que Willy fez pelo menos se restringe ao lado de seu pai. "Irmãos em braços," seu pai chamou eles, e ela podia ainda ouvir seu risada grande, intensiva.

      Porque ele a enfureceu, ela bateu fora do carro. Ela fez a casa em uma colisão, apalpadas fora suas chaves.

      Ela acalmou, quase imediatamente, quando a porta foi fechada a suas costas e a casa a cercou. Apenas do quieto disto, os odores de óleo de limão esfregado em madeira por sua própria mão, a doçura sutil de flores de fonte trazido para dentro de sua próprios jarda acariciou seus nervos desfiados.

      Ela deixa suas chaves no raku prato na mesa de entrada, puxada sua telefone celular fora de sua bolsa e tampou isto no recharger. Escapados de seus sapatos, fora de sua jaqueta, que ela drapejou acima do newel posta, e deixe sua bolsa no passo de parte inferior.

      Rotina seguinte, ela caminhou de volta para a cozinha. Normalmente, ela colocaria a chaleira para chá e examinou o correio que ela levantou da caixa no pé da pista enquanto a água aquecida.

      Mas hoje, ela despejou uma grande taça de vinho.

      E bebeu isto de pé na pia, examinando a janela em seu quintal.

      Ela teve uma jarda—uns tempos—como uma criança. Ela lembrou de uma em . . . Nebraska? Iowa? O que fez isto assunto, ela pensou e tomou um trago saudável de vinho. Ela gostou da jarda porque teve um direito de árvore velha grande no meio, e ele pendurou um pneu velho dele em uma corda espessa grande.

      Ele empurrou seu tão alto que ela pensou que ela estava voando.

      Ela não estava certa quanto tempo eles ficaram e não lembraram da casa mesmo. A maior parte de sua infância era um obscurecer de lugares e rostos, de passeios de carro, uma agitação de parar de trabalhar. E ele, seu pai, com seu grande risada e mãos largos, com seu sorriso irresistível e promessas descuidados.

      Ela gastou a primeira década de sua vida desesperadamente apaixonado pelo homem, e o resto de fazendo tudo que ela podia esquecer ele existiu.

      Se ele estivesse em apuros, novamente, era nenhuma de sua preocupação.

      Ela não era Jack O 'pequeno da Hara Lainie mais. Ela era Laine Tavish, cidadão sólido.

      Ela de olhos a garrafa de vinho e com um encolher os ombros despejaram um segundo vidro. Uma mulher crescida podia ser brindada em sua própria cozinha, por Deus, especialmente quando ela assistiu um fantasma do passado morre em seus pés.

      Levando o vidro, ela caminhou para o mudroom porta, responder o esperançado choramingando no outro lado.

      Ele entrou gostou de um canhão atirou—um tiro de canhão cabeludo, mole-espigado. Suas patas plantaram eles mesmos em sua barriga, e o focinho longo bateu seu rosto antes da língua sorvida fora para cobrir suas bochechas com afeto molhado e desesperado.

      "Certo, certo! Feliz ver você, também." Não importa o quão baixo seu humor, uma bem-vinda casa por Henry, o cão de caça surpreendente, nunca falhou em erguer isto.

      Ela o pulou da articulação, ou então ela gostou de pensar. Quando ela foi para a libra dois anos antes, tinha sido com um filhote de cachorro em mente. Ela sempre quereria um atraente, cabriolando pequeno pacote que ela treinaria do chão em cima.

      Entretanto ela o viu—grande, desajeitado, stunningly rústico com sua pele de lama colorida. Uma cruz, ela pensou, entre um urso e um tamanduá. E ela foi perdida o minuto que ele examinou as portas de gaiola e em seus olhos.

      Todo mundo merece uma chance, ela pensou, e então ela Henry pulada da articulação. Ele nunca daria a ela uma razão para lamentar isto. Seu amor era absoluto, tanto de forma que ele continuou a olhar adoringly em seu até quando ela encheu sua tigela com kibble.

      "Tempo de comida, camarada."

      No sinal, Henry imergiu sua cabeça em sua tigela e ficou sério.

      Ela devia comer, também. Algo para ensopar em cima algum do vinho, mas ela não sentiu como isto. Suficiente vinho nadando ao redor em sua circulação sangüínea e ela não poderia pensar, perguntar-se, se preocupar.

      Ela deixou a porta interna aberta, mas andado no mudroom para verificar as fora de fechaduras. Um homem podia dançar pela porta de cachorro, se ele fosse determinado para entrar, mas Henry instalar o alarme.

      Ele uivou toda vez um carro surgiu para a pista, e entretanto ele castigaria o intruso com babaria e encantar—depois que ele terminou trêmulo em terror—que ela ficava nunca surpreendida por uma visita. E nunca, em seus quatro anos em Buraco do Anjo, tiveram que ela teve qualquer dificuldade em casa, ou na loja.

      Até hoje, ela lembrou a se.

      Ela decidiu fechar o mudroom porta afinal, e deixe Henry fora a frente para sua noite corre.

      Ela pensou sobre chamar sua mãe, mas qual era o ponto? Sua mãe teve um bem, vida sólida agora, com um bem, homem sólido. Ela ganhou isto. Que ponto estava lá em quebrar naquela vida boa e dizendo, "Eh, eu choquei-me com Tio Willy hoje, e então fez um Jipe Cherokee."

      Ela tomou seu vinho com seu upstair. Ela se consertaria um pouco jantar, tome um banho quente, tenha uma noite cedo.

      Ela fecharia o livro em que aconteceu aquele dia.

      Deixou isto para você, ele disse, ela lembrou. Provavelmente delirante. Mas se ele a deixasse qualquer coisa, ela não quis isto.

      Ela já teve tudo ela procurada.

 

      Max Gannon deslizou o assistente um vinte para um olhar para o corpo. Em experiência do Max um retrato de Andrew Jackson corta por fita vermelha mais rápida que explicações e papelada e mais níveis de burocracia.

      Ele conseguiu as notícias ruins em Willy do balconista de motel na Pousada de Telhado Vermelho onde ele localizou o escorregadio pequeno bastardo. O Polis já tinha estado lá, mas Max investiu o primeiro vinte do dia para o número de quarto e chave.

      O Polis não tomou suas roupas ainda, nem dos olhares dele feito muito de uma procura. Por que eles iria em um acidente de tráfico? Mas uma vez que eles ID iria Willy, eles voltariam e parecem muito mais íntimos.

      Willy não desempacotou, Max notou como ele fez o inventário do quarto. As meias e roupa íntima e duas camisas de vestido estavam ainda nitidamente misturadas com cuidados o Louis Vuitton único ensaca. Willy tinha sido um limpo, e ele amou suas marcas de nome.

      Ele pendurou um terno no armário. Banqueiro cinza, único-breasted, Hugo Manda. Um par de vadios de Ferragamo preto, complete com árvores de sapato, se sentou nitidamente no chão.

      Max foi pelos bolsos, sentido cuidadosamente ao longo do forro. Ele tirou as árvores de madeira dos sapatos, cutucados seus dedos longos nos dedões do pé.

      No juntar banho, ele procurou Willy kit de artigos de toalete de Dior. Ele ergueu a tampa de tanque no banheiro, abaixada até procura atrás disto, debaixo da pia.

      Ele foi pelas gavetas, pela mala e seu conteúdo, sacudido acima do colchão no dobro de padrão.

      O levou menos que uma hora para procurar o quarto e verifica Willy não deixou nada importante para trás. Quando ele partiu, o espaço pareceu tão limpo e intato quanto teve quando ele entrou.

      Ele considerou dar ao balconista outro vinte não mencionar a visita para o Polis, então decidiu poderia pôr idéias em sua cabeça.

      Ele subiu em seu Porsche, Springsteen Ligado e encabeçado para o município morgue para verificar que seu mais forte principal estava em gelo.

      "Estúpido. Goddamn, Willy, eu figurei você para mais esperto que isto."

      Max estourou uma respiração como ele olhou para rosto arruinado do Willy. Por que o inferno você correu? E o que em um pouco de podunk cidade está em Maryland que era tão importante?

      O que, Max pensou, ou quem?

      Desde que Willy não era mais na posição para dizer a ele, Max caminhou de volta fora para dirigir em Buraco do Anjo para levantar uma multi-milhão de trilha.

 

      Se você quisesse arrancar uvas da vinha de cidade pequena, você foi para um lugar onde os locais juntados. Durante o dia, isso significou café e comida, de noite, álcool.

      Uma vez que ele decidiu que ele estaria ficando em Buraco do Anjo para pelo menos um dia ou dois, Max verificou em que era faturado A Pousada e chovida do Viandante Histórico fora das primeiras doze horas do dia. Estava atrasado suficiente para escolher número de porta duas.

      Ele comeu um hambúrguer de serviço de quarto muito decente em seu laptop, surfando a Home Page forneceu pelo Buraco do Anjo Câmara de Comércio. A seção de Nightlife deu a ele várias escolhas de bares, clubes e cafés. Ele quis uma taverna de bairro, o tipo de lugar onde o towners bateu de volta uma cerveja no fim do dia e conversado sobre um ao outro.

      Ele selecionou fora três que poderia ajustar a conta, ligou os endereços para direções, então terminado fora de seu hambúrguer enquanto estudando o mapa de impressão de Buraco do Anjo.

      Bom suficiente lugar, ele meditou, dobradas nas montanhas o modo que era. O assassino visualiza, escolhas bastante recreativas para a entusiasta de esporte ou acampando monstruosidade. Lento suficiente passo para aqueles que quis agitar o urbano fora de seu docksiders, mas com de primeira pequenos bolsos de cultura—e um passeio razoável de várias áreas de metro importante deviam se ser propensos para gastar o fim de semana nas montanhas de Maryland.

      A Câmara de Comércio gabou-se das oportunidades para caça, pescando, caminhando e outra maneira de recreação ao ar livre—nenhum dos quais apelou para o urbanite em Max.

      Se ele quisesse ver urso e cervo em seu hábitat natural, ele ligaria O Canal de Descoberta.

      Ainda, o lugar teve charme com suas ruas íngremes e sólido de edifícios velho em seu tijolo vermelho escuro. Existia uma extensão boa, largo do Rio de Potomac bifurcando a cidade, e o interesse do arquear pontes de comando que isto. Muitos campanários de igreja, algum com cobre toca ido suave verde com idade e tempo. E como ele se sentou, ele ouviu o longo, ecoando apito de um trem sinalizando seu transcurso.

      Ele não teve nenhuma dúvida que era um eyeful em queda quando as árvores estouradas com cor, e bonita como um cartão postal quando a neve socked em. Mas isso não explicou por que uma mão velha como Willy Young conseguiu que ele mesmo ceifou abaixo por um SUV em Rua de Mercado.

      Para achar aquele pedaço do quebra-cabeça, Max fecha seu computador, agarrada sua jaqueta de bombardeiro amado e encabeçado fora para ir barhopping.

     

      Ele ultrapassou a primeira escolha sem aborrecer parar. A floresta de Porcos e Harleys fora dianteiro etiquetado ele como um biker bar, e não o tipo de lugar onde os clientes conversaram negócios de cidade acima de sua bebida fermentada.

      O segundo o levou menos que dois minutos para identificar como uma guarida de academia com música alternativa estranho piped em, e um sério tipos tocando xadrez em um canto enquanto a maior parte dos outros apresentaram padrão acasalando cerimônias.

 

      Mas ele bate isto no terceiro.

      Artie é era o tipo de colocar um sujeito poderia tomar sua esposa, mas não seu pedaço lateral. Era onde você foi socializar, dar com amigos ou agarrar uma rápida a caminho casa.

      Max teria feito livro que noventa por cento do cliente funda conheceu um ao outro por nome, e um bons pedaço deles seria relacionado.

      Ele se moveu para o lado até o bar, Beck Ordenado está em torneira e scoped fora seu ambiente. ESPN no tubo de bar, soe muted, lanche se mistura em cestas de cortesia de plástico. Um sujeito muito grande preto trabalhando a vara, e duas manipulação de garçonetes as barracas e de quatro topos.

      A primeira garçonete lembrou a ele de seu bibliotecário do segundo grau, que fez ele pensa que ela viu isso tudo e não estava muito contente com a visão. Ela era pequena, pesado no quadril e no lado alto de quarenta. Existia um olhar em seu olho que o advertiu que ela não toleraria lábio.

      O segundo era primeiros anos vinte e o flirty tipo. Ela exibiu-se um corpo bem empacotado com um suéter preto aquecido e pintou-em calça jeans. Ela gastou tanto tempo lançando seu cabelo loiro ondulado como ela amarrou scooping esvazia.

      Do modo que ela demorou em suas estações, atirando a brisa, Max aposta que ela era uma fonte de informações, e o tipo que gostado de compartilhar.

      Ele ofertou seu tempo, então mandada ela um sorriso premiado quando ela parou pelo bar para chamar em uma ordem. "Ocupado hoje à noite."

      Ela atirou um direito de sorriso premiado de volta nele. "Oh, não muito ruim." Ela trocou seu peso, rodado seu torso em direção a ele em um corpo-idioma convite para conversar. "Onde você de?"

      "Eu movo ao redor muito. Negócios."

      "Você ficou menino meridional em sua voz."

      "Pegou-me. Savannah, mas eu não estou em casa em um instante." Ele resistiu uma mão. "Max."

      "Oi, Max. Angie. Que tipo de negócios traz você para o Buraco?"

      "Seguro."

      Seu tio vendeu seguro e ele certo como inferno não decorou um tamborete de bar como este aqui. Seis e dois, perna a maior parte, e uma bem afinado uma e noventa, se ela fosse qualquer juiz. E Angie se considerou uma maldição bom juiz de seu doce de olho.

      Existia muito cabelo marrom listrado a umidade arreliou em acenou ao redor um rosto afiado, estreito. Os olhos eram fulvos marrons e amigáveis, mas existia uma extremidade para eles. Então existia aquela sugestão de sonhadora demora, e o ligeiramente dente canino entortado que afastou seu sorriso de ser perfeito.

      Ela gostou de um homem com uma extremidade, e algumas imperfeições.

      "Seguro? Podia ter me enganado."

      "Só está jogando, não é?" Ele estalou um pretzel em sua boca, relampejou o sorriso novamente. "A maioria das pessoas, eles gostam de jogar. Só como eles gostam de acreditar em que eles vão viver para sempre." Ele tomou um gole de sua cerveja, notou ela olhou de relance em sua mão esquerda. Verificando para um anel de casamento, ele assumiu. "Eles não fazem. Eu ouvi algum pobre bastardo conseguido creamed direito em Rua Principal esta manhã."

      "Mercado," ela corrigiu, e ele fez que ele mesmo parece perplexo. "Acontecida esta manhã em diante Rua de Mercado. Correu direito fora na frente de Missy Leager pobre Cherokee. Ela é um gastar o tempo inutilmente isto, também."

      "Isto é áspero. Não soa como era sua culpa."

      "Não era. Muita pessoas viram acontecer, e não existia uma coisa que ela podia ter feito. Ele acabou de correr direito fora na frente dela."

      "Isto é duro. Eu acho que ela o soube, também. Cidade pequena como isto."

      "Não, ninguém fez. Ele não era daqui. Eu ouvi que ele estava em Lembrava Quando—eu trabalhar direito lá de meio período antes. Nós vendemos antiguidades e collectibles e material. Eu acho talvez que ele estava folheando em por. Terrível. Só terrível."

      "Certamente está. Você existiam quando aconteceu?"

      "Uh-uh. Eu não estava trabalhando esta manhã." Ela pausou, como se conduzindo um debate rápido em se ela estava contente ou arrependida para ter faltado isto. "Não saiba por que alguém correu fora na rua que modo. Estava chovendo bonito ruim. Eu acho que ele não viu o carro."

      "Má sorte."

      "Eu direi."

      "Angie, você esperando por aqueles bebidas servir para eles mesmos?"

      Era do bibliotecário e tinha Angie rolando seus olhos. "Eu estou conseguindo eles." Ela piscou em Max, então hefted sua bandeja. "Veja você ao redor?"

      "Você aposta."

      Quando Max caminhou de volta em seu quarto de hotel, ele teve um bem lidar em movimentos do Willy. Ele verificou em seu motel em ao redor de dez o dinheiro da noite antes, paga para uma permanência de três noites. Ele não estaria conseguindo um reembolso. Ele teve um café da manhã de solo na loja de café a próxima manhã, então dirigiu em sua Rua de mercado de carro de aluguel e estacionou dois norte de quarteirões de Lembrou Quando.

      Desde, neste momento, Max não podia o pôr em quaisquer das outras lojas ou negócios naquela seção, a razão mais lógico para estacionamento que distância de seu destino assumido, na chuva, era precaução. Ou paranóia.

      Desde que ele estava morto, precaução era a aposta mais segura.

      Então só que Willy quis com uma loja antiga em Buraco do Anjo que teve ele fazendo caminhos de Nova York—e tudo que ele fazendo podia cobrir aqueles caminhos?

      Um ponto de gota? Um contato?

      Uma vez mais, Max inicializou em cima seu computador e educou a cidade é Home Page. Em um par de clique, ele ligou lembrar Quando. Antiguidades, propriedade jóias, collectibles. Comprado e vendido.

      Ele rabiscou o nome da loja em um bloco e adicionou Cerca?, Circulando a pergunta duas vezes.

      Ele lê as horas operacionais, telefone e números de fac-símile, e-mail endereço, e o fato que eles reivindicaram transportar mundial.

      Então ele leu o nome do proprietário.

      Laine Tavish.

      Não era uma em sua lista, mas ele verificou de qualquer maneira. Nenhum Laine, ele verificou, nenhum Tavish. Mas existia Elaine O 'Hara. Só filha do grande Jack.

      Lábios enrrugaram, Max se debruçou de volta na cadeira de escrivaninha. Ela teria vinte e oito anos, vinte e nove agora. Não estaria interessando se Grande Jack O 'pequena menina da Hara teve seguido em larcenous passos do seu papai, mudou seu nome e se se aconchegou longe em uma bonita cidade de montanha?

      Era, Max pensou, uma mendicância de pedaço de quebra-cabeça para ajustar.

 

      Quatro anos de viver em Buraco do Anjo significou Laine soube só o que esperar quando ela abriu Lembra Quando de manhã.

      Jenny chegaria, só um cabelo tarde, com rosquinhas frescas. Às seis meses grávidas, Jenny raramente foi vinte minutos sem um almejar para algo que gritou açúcar e gordura. Como resultado, Laine estava visualizando sua própria balança de banheiro com um fim de olho.

      Jenny complementaria as rosquinhas com um thermos do chá herbário que ela ficou viciado em desde concepção e exigiu saber todos os detalhes de ontem evento. Sendo casado com o chefe de polícia não a pararia de versão do Laine ausente para adicionar já para acumular dados.

      Às dez afiado, o curioso começaria a vagar em. Algum, Laine pensou como ela encheu a caixa registradora com mudança, fingiria estar folheando, e outros não aborreceriam disfarçar a caça para fofoca.

      Ela teria que ir por isso tudo novamente. Tenha que mentir novamente, ou pelo menos evada com a pretensão que ela iria nunca antes de visto o homem que chamar ele mesmo Jasper Peterson.

      Tinha sido muito tempo desde que ela teve que colocar uma máscara só para conseguir pelo dia. E ele a deprimiu o quão um ajustar fácil era.

      Ela estava pronta quando Jenny apressou em cinco minutos tarde.

      Jenny teve o rosto de um anjo danoso. Era redondo e suave, rosa e branco, e teve olhos castanhos inteligentes que balançado em cima só um Tad nos fora de cantos. Seu cabelo estava massa de um enrolar preto, freqüentemente, como era hoje, empacotado qualquer que modo em cima de sua cabeça. Ela vestiu um suéter vermelho enorme que estirada acima de sua barriga grávida, calça jeans folgada e Doc Martens antigo.

      Ela era tudo Laine não era—disordered, impulsivo, indisciplinado, um vendaval sentimental. E exatamente o tipo de amigo Laine alfinetou para ao longo de infância.

      Laine considerou isto um daqueles presentes dourados de destino que Jenny estava em sua vida.

      "Eu estou sofrendo fome. Você está sofrendo fome?" Jenny esvaziou a caixa de padaria no contador, rasgado abre a tampa. "Eu dificilmente podia permanecer o cheiro destas coisas no passeio de dois minutos de do Krosen. Eu penso que eu comecei a choramingar." Ela encheu a melhor parte de uma geléia-abastecimento em sua boca e conversou ao redor isto. "Eu me preocupei sobre você. Eu sei que você disse que você era certo quando eu chamei ontem à noite, só um pouco enxaqueca, não queira conversar sobre isto, blah, blah, blah, mas Mamãe preocupada, doçura."

      "Eu sou certo. Era terrível, mas eu sou certo."

      Jenny resistiu a caixa. "Coma açúcar."

      "Deus. Você sabe quanto tempo eu terei que descobrir para chip este fora de meu traseiro?"

      Jenny só sorriu quando Laine escavou e tomou uma nata-abastecimento. "Você tem um traseiro tão bonito, também." Ela esfregou sua barriga em círculos lentos como ela assistiu Laine mordiscar. "Você não parece com que você conseguiu muito sono."

      "Não. Não podia povoar." Apesar de todo esforço não , ela examinou a janela de exibição. "Eu devo ter sido a última pessoa que ele falou com, e eu rejeitei o sumariamente porque eu estava ocupado."

      "Você pode imaginar como Missy está sentindo esta manhã? E não é não mais sua culpa que seu." Ela foi para o quarto de parte de trás, movendo no waddle/march ela desenvolveu no sexto mês de sua gravidez e voltou com dois assalta. "Você terá algum chá para ir com seu golpe de açúcar. Você vai precisar de ambos para fortalecer você para o onslaught quando nós abertos. Todo mundo vai querer vir por."

      "Eu sei."

      "Vince vai manter isto quieto até que ele pegou mais compreendido, mas ele vai sair, e eu figuro que você tem um direito de conhecer."

      Aqui ele vem, Laine pensou. "Saiba o que?"

      "O nome do sujeito? Não era o nome no cartão que ele deu a você."

      "Eu sinto muito?"

      "Não era o nome que ele esteve usando licença ou cartões de crédito do seu motorista qualquer um," Jenny continuou excitadamente. "Era um pseudônimo. Seu nome era William Young. Consiga isto. Ele era um ex-condenado."

      Ela odiou ouvir o homem ela lembrou muito ternamente chamou um ex-trapaceiro, como se ele fosse a soma dele. E se odiou para não fazendo nada para o defender. "Você está brincando? Aquele pequeno homem?"

      "Furto, fraude, possessão de bens roubados, e isto é condenações justa. De que eu wormed fora de Vince, ele era suspeitado de muito mais. Como uma carreira criminoso, Laine. E ele estava aqui, provavelmente cobertura a articulação."

      "Você está assistindo muitos filmes velhos, Jenny."

      "Vamos! E se você tem estado só aqui? E se ele teve uma arma de fogo?"

      Laine espanou açúcar fora de seus dedos. "Ele teve uma arma de fogo?"

      "Bem, não, mas ele podia ter. Ele podia ter roubado você."

      "Uma carreira criminoso vem a distância toda para Buraco de Anjo é para roubar minha loja? Homem, aqueles site da web realmente trabalhos."

      Jenny lutou parecer aborrecido, então latido fora um risada. "Certo, então ele provavelmente não estava contando com atropelar a articulação."

      "Eu vou tomar exceção se você continuar chamando minha loja uma articulação."

      "Mas ele teve que ser até algo. Ele deu a você seu cartão, certo?"

      "Sim, mas—"

      "Então talvez ele estava pulando vender você mercadoria roubada. Quem olharia em um lugar como isto para bens quentes? Como eu disse a Vince, ele provavelmente fez um trabalho recentemente, e talvez sua cerca habitual secou completamente ou algo, então ele teve que achar um caminho para girar os bens, e rápidos."

      "E de todas as lojas de antiguidades em todo o mundo, ele caminha em meu?" Ela riu isto, mas existia uma torção em seu intestino como ela perguntou-se se isso era realmente a razão que Willy veio para sua porta.

      "Bem, ele caminhar teve em um, por que não seu?"

      "Ah . . . porque isto um filme de TV não é da semana?"

      "Você tem que admitir é estranho."

      "Sim, é estranho, e é triste. E também é dez horas, Jen. Deixe esteja aberto e veja o que o dia traz."

      Trouxe, tão esperado, os cães de caça de fofoca e gawkers, mas Jenny podia trocar teorias com alguns clientes enquanto ela telefonou vendas genuínas. Covardemente Era, mas Laine decidiu tomar a pena e fuga amarela atrás com a desculpa de papelada enquanto Jenny lidou com a loja.

      Ela roubou apenas vinte minutos de solidão quando Jenny cutucou sua cabeça. "Mel, você precisa ver isto."

      "A menos que ele seja um cachorro que pode prestidigitar enquanto montando um unicycle, eu preciso atualizar esta planilha eletrônica."

      "É melhor." Jenny empurrou sua cabeça em direção à loja, andando de volta com a porta aberta.

      Desde seu curiosity era irritado, Laine escapou depois dela. Ela o viu, segurando um vidro da água de vidro de Depressão verde até a luz. Pareceu completamente muito delicado, muito feminino, para um homem vestindo uma jaqueta de bombardeiro danificado e vestido caminhando botas. Mas ele não apalpou isto como ele anotar isto e levantou seu parceiro para um estudo semelhante.

      "Mmmm." Jenny fez o mesmo som que ela fez quando contemplando rosquinhas de geléia. "Isto é o tipo de bebida longo de rega uma mulher quer abaixar em um grande sorva."

      "Mulheres casadas grávidas não deviam sorver em homens estranhos."

      "Não significa que nós não podemos apreciar a paisagem."

      "Misturando metáforas." Ela acotovelou seu amigo. "E olhando fixamente. Enxugue o babar fora de seu queixo e vá fazer uma venda."

      "Você o leva. Eu preciso urinar. Mulher grávida, sabe."

      Antes de Laine poder objeto, Jenny beliscou atrás. Mais divertido que irritado, Laine começou através do quarto. "Oi."

      Ela teve seu sorriso mercantil amigável em lugar quando ele girou, e seus olhos bloqueados em suas.

      Ela sentiu o centro de soco morto da barriga, com o aftershocks de radiando até suas rótulas. Ela podia quase parecer dreno pensado aderente fora de seu cérebro, substituídas por algo ao longo das linhas de: Oh. Bem. Uau.

      "Oi atrás." Ele manteve o vidro em sua mão e acabou de olhar para ela.

      Ele teve olhos de tigre, ela vagamente pensou. Olhos de gato grande, perigoso. E o metade sorriso em seu rosto como ele olhou fixamente para seu tido o que podia só ser luxúria pooling atrás de sua garganta. "Um . . ." Fascinada por sua própria reação, ela alarga um metade risada, agitou sua cabeça. "Desculpe, se importe de estava vagando. Você coleciona?"

      "Não até agora. Minha mamãe faz."

      "Oh." Ele teve uma mamãe. Isso não era doce? "Ela pega para algum padrão particular?"

      Ele sorriu abertamente agora, e Laine alegremente permitiu o topo de sua cabeça para soprar fora de. "Ela não faz—em qualquer área qualquer. Ela gosta . . . da variedade da inesperada. Eu também." Ele anotar o vidro. "Como este lugar."

      "Com licença?"

      "Um pouco caixa de tesouro guardada nas montanhas."

      "Obrigado."

      E então era ela, inesperada, ele pensou. Brilhante—o cabelo, os olhos, o sorriso. Bonito como um morango parfait e um inferno de muito mais sensual. Não no cheio-fora, modo calorosamente obsceno a morena teve o atingiu, mas em um segredo, eu lego-surpresa-você modo que fez ele querer saber mais.

      "Geórgia?" Ela perguntou, e sua sobrancelha deixada ergueu uma fração.

      "Etiquetado."

      "Eu sou bom com acentos. Sua mãe tem um aniversário surgindo?"

      "Ela parou de ter eles mais ou menos dez anos atrás. Nós só chamamos isto Dia da Marlene."

      "Mulher esperto. Aquelas acrobatas são o padrão de Quarto de Chá, e em provisão bastante pequena. Você não freqüentemente vê um conjunto de seis como isto, e em condição perfeita. Eu posso dar a você um preço bom no conjunto completo."

      Ele escolheu um em cima novamente mas continuado a olhar para ela. "Eu chego a pechincha?"

      "É exigido." Ela andou mais íntimo para erguer outro vidro e o mostrar ao preço na parte inferior. "Como você pode ver, eles são cinqüenta cada, mas se você quiser o conjunto, eu darei a eles para você para dois setenta e cinco."

      "Eu espero que você não tome este o modo errado, mas você cheira realmente bom." Era alguma fragrância esfumaçada que você não notou até que teve você pela garganta. "Realmente boa. Dois e um quarto."

      Ela nunca paquerou, nunca paquerados com os clientes, mas acharam se girando em direção a ele, estando só um pouco mais íntimo que era estritamente negócios e sorridentes naqueles olhos perigosos. "Obrigado, eu estou contente que você gosta disto. Dois e sessenta, e isto seja um roubar."

      "Associe-se o transporte para Savannah e jante comigo e nós temos um negócio."

      Tinha sido muito tempo, completamente muito tempo, desde que ela sentiu aquela pouca excitação nadar pelo sangue. "Transporte—e um bebida, com a opção para jantar mais tarde e lugar. É um bem oferece."

      "Sim, é. Sete horas? Eles têm um bar agradável no Viandante."

      "Sim, eles fazem. Sete é bom. Como você gostaria de pagar por este?"

      Ele tirou um cartão de crédito, deu isto para ela.

      "Max Gannon," ela lê. "Max justo? Não Maxwell, Maximillian, Maxfield." Ela pegou o estremecimento leve e riu. "Maxfield, como em Parrish."

      "Max Justo," ele disse, muito firmemente.

      "Certo então, Max Justo, mas eu tenho um par de cartazes de Parrish emoldurados muito bons no próximo quarto."

      "Eu manterei aquela em mente."

      Ela foi embora e atrás do contador, então deitou uma forma de transporte nisto. "Por que você não escreve as informações de transporte. Nós teremos esta fora esta tarde."

      "Eficiente, também." Ele se debruçou contra o contador como ele preencheu a forma. "Você tem meu nome. Eu consigo seu?"

      "É Tavish. Laine Tavish."

      Ele manteve seu sorriso fácil como ele olhou em cima. "Laine justo? Não Elaine?"

      Ela não sacudiu um cílio. "Laine justo." Ela telefonou a venda e o deu um bonito ouro-anulado cartão de presente. "Nós incluiremos isto, e presente embrulha, se você gostaria de escrever uma mensagem para sua mãe."

      Ela olhou de relance acima de como os sinos tocaram, e os Gêmeos entraram.

      "Laine." Carla fez um beeline para o contador. "Como você está levantando?"

      "Eu sou bom. Multa justa. Eu serei direito com você."

      "Nós estávamos preocupados, nós não éramos, Darla?"

      "Nós certamente éramos."

      "Nenhuma necessidade." Com algo como pânico, ela legou Jenny voltar em. O interlúdio com Max dirigiu o pesar e a preocupação acima de Willy doida. Agora, estava inundando de volta. "Eu conseguirei aquelas coisas que eu estou usando alça para você assim que eu estou acabado aqui."

      "Você não apressa." Carla já estava angulando sua cabeça assim ela podia ler o destino na forma de transporte. "Nosso Laine se se orgula em bom atendimento ao consumidor," ela disse a Max.

      "E certamente entregas. Senhoras, você é um de duas conchas tratam para os olhos."

      Eles blushed, em uníssono.

      "Seu cartão, Sr. Gannon, e seu recibo."

      "Obrigado, Sra. Tavish."

      "Eu espero que sua mãe aprecia seu presente."

      "Eu estou certo que ela irá." Seus olhos ridos em suas antes dele girar para os Gêmeos. "Senhoras."

      As três mulheres assistiram ele sair. Existia uma batida prolongada de silêncio, então Carla alarga uma respiração longa, longa e disse simplesmente, "Minha, oh minha."

      O enfraquecido de sorriso do Max o minuto ele estava fora na rua. Ele não teve nada para parecer culpado, ele disse a ele mesmo. Tendo um bebida com uma mulher atraente no fim do dia era um normal, atividade agradável, e seu direito inalienável como um homem saudável, único.

      Além disso, ele não acreditou em sentir culpado. Deitando, mentindo, pretensão e malícia eram toda parte do trabalho. E o fato era que ele não mentiu para ela—ainda.

      Ele caminhou para metade de um quarteirão abaixo onde ele podia permanecer e olhar de volta no lugar onde o Willy morreu.

      Ele só mentiria para ela se ela girasse fora para estar parte deste. E se ela fosse, ela iria conseguir muito pior que algumas mentiras lisas.

      O que se preocupou ele estava o não conhecer, o não intuir. Ele teve uma sensação sobre estas coisas, que era por que ele era bom em seu trabalho. Mas Laine Tavish teve blindsided ele, e a únicos coisa ele sentiu era tão lento, deslizamento açucarado de atração.

      Mas olhos azuis grandes e sorriso sensuais de lado, as chances eram que ela estavam nele até seu bonito pescoço. Ele sempre foi com as chances. Willy pagou a ela uma visita e acabou espirrado na rua fora de sua loja. Uma vez que ele soube por que, ele era um passo mais íntimo para o glittery termina da trilha.

      Se ele tivesse que a usar para chegar lá, aquelas eram as fraturas.

      Ele voltou para seu quarto de hotel e tomou o recibo de seu bolso, cuidadosamente espanou isto para impressões. Ele teve bom de seu dedo polegar e dedo indicador. Ele tomou retratos digitais e mandou a eles para um amigo que correu eles sem perguntar perguntas irritantes.

      Então ele se sentou, dobrados seus dedos e foi trabalhar na estrada de informações.

      Ele plowed por uma panela de café, um sanduíche de galinha e realmente boa torta de maçã enquanto ele trabalhou. Ele teve casa endereço do Laine e, entre o telefone e o computador, as informações que ela comprou sua casa e estabeleceu seus negócios em Mercado quatro anos antes. Previamente, ela listou uma Filadélfia tratar. Um pouco mais pesquisa localizou isto como um edifício de apartamentos.

      Com métodos não estritamente éticos, ele gastou mais tempo descascando longe as camadas de Laine Tavish e começou a conseguir um retrato. Ela se formou do Estado de Penn, com seus pais listados como Marilyn e Robert Tavish.

      Engraçado, não era? Max pensou, vazamento seus dedos na escrivaninha. Jack O 'esposa da Hara era, ou tinha sido, Marilyn. E isso não era só um pouco muito coincidente?

      "Até seu bonito pescoço," ele murmurou e decidiu estava na hora de para mais sério cortando.

      Existiam modos e existiam caminhos para ampliar petiscos de informações que levados a mais petiscos. Sua licença de negócios tinha sido, de acordo com a lei, claramente exibida em sua loja. E aquele número de licença deu a ele um trampolim.

      Algum criativo trapaceando netted ele a aplicação para a licença, e seu número de seguro social.

      Ele preso com isto, usando os números, intuição e seu próprio insaciável curiosity para perseguir a ação para sua casa pelo palácio de justiça de município, e agora ele teve o nome de seu emprestador devia ele querer quebrar várias leis e cortar seu caminho para sua aplicação de empréstimo.

      Seria divertido porque Deus soube que ele amou tecnologia, mas serviria mais propósito para descobrir onde ela veio de em lugar de onde ela estava agora.

      Ele voltou para os pais, começou uma procura que exigiu uma segunda panela de café de serviço de quarto. Quando ele finalmente definiu Robert e Marilyn Tavish em Taos, Novo México, ele agitou sua cabeça.

      Laine não o atingiu como uma flor do Oeste. Não, ela era Leste, ele pensou, e largamente urbano. Mas Bob e Marilyn, como ele estava pensando deles, teve um vínculo algo para chamar Roundup, que girou fora para estar uma articulação de churrasco ocidental, e eles tiveram umas página da Web. Todo mundo fez, Max pensou.

      Existia até um retrato dos proprietários felizes ao lado de um vaqueiro de caricatura enorme com lariat. Ele aumentou e impresso fora o retrato antes de sacudir pelo local. O menu preso não soou metade ruim, e você podia ordenar Pontapé-Traseiro Churrasco Molho do Rob pelo local.

      Rob, Max notou. Não Bob.

      Eles pareceram felizes, ele pensou como ele estudou a fotografia. Ordinária, classe operária, contente como esmurre possuir seus próprios negócios. Marilyn Tavish não pareceu com a antiga esposa—e suspeitou cúmplice—de um ladrão de carreira e vigarista que só não conseguiria ilusões de grandeza, mas de alguma maneira tirou isto.

      Ela olhou mais como o tipo que consertaria você um sanduíche antes dela sair para suspender a lavagem.

      Ele notou Roundup tinha estado em negócios oito anos, que significaram que eles começaram o lugar enquanto Laine tinha estado em academia. Tocando uma corcunda, ele anotado sobre o jornal de Taos local, examinou superficialmente nos arquivos e procurou por uma história no Tavishes.

      Ele achou seis, que o surpreenderam, e voltaram para o primeiro, em que o jornal teve coberta a abertura de restaurante. Ele lê isso tudo, pagando atenção íntima para detalhes pessoais. Como o Tavishes tinha sido casado por seis anos naquele ponto, e encontrou, de acordo com o relatório, em Chicago, onde Marilyn tinha estado uma garçonete e Roubava trabalhado para um Chrysler dealership. Existia uma menção breve de uma filha que era uns negócios importantes em academia atrás Leste.

      Rob sempre quis possuir seu próprio lugar, blah blah, e finalmente começou a estudar sua esposa é ousar fazer algo com seus talentos culinários além de alimentar seus amigos e vizinhos em piqueniques.

      Outro interesse do histórias Rob seguido em associação da política local e Marilyn com um conselho de artes de Taos. Existia outra característica quando Roundup celebrou seu quinto aniversário com uma festa ao ar livre, inclusive passeios de pônei para crianças.

      Aquela história levou um retrato do par radiante, flanqueando um rir Laine.

      Jesus, ela era um knockout. Sua cabeça era lançada de volta com o risada, seus braços atirada afetuosamente ao redor ombros da sua mãe e padrasto. Ela estava vestindo alguma ocidental-cortada camisa com pequenos pedaços de franja nos bolsos, que—por razões ele não podia braça—o fez louca.

      Ele podia ver uma semelhança para sua mãe agora que eles estavam lado a lado. Em torno dos olhos, a boca.

      Mas ela conseguiu aquele cabelo, aquele cabelo vermelho claro, de Grande Jack. Ele estava certo disto agora.

      A contagem de tempo trabalhada, muito bem. Marilyn O 'Hara arquivou para divórcio enquanto Jack estava servindo uma extensão pequena, cortesia do estado de Indiana. Ela tomou a criança e movida para Jacksonville, Flórida. Os citações mantiveram seu olho nela por alguns meses, mas ela tem sido limpa e trabalhou como uma garçonete.

      Ela bateu ao redor um pouco. Texas, Filadélfia, Kansas. Então ela saiu de visão, fora do radar, um pouco menos que dois anos antes dela e Rob amarraram o laço.

      Talvez ela quis começar fresco para ela mesma, para a criança. Ou talvez era só um trapaceiro longo. Max estava fazendo isto sua missão para descobrir.

     

      "O que eu estou fazendo? Isto não é algo que eu faço."

      Jenny perscrutou acima de ombro do Laine em suas reflexões duais no espelho de banheiro. "Você vai ter um bebida com um grande-olhando homem. Por que isto não é algo que você é melhor discutido com um terapeuta."

      "Eu até não sei quem ele é." Laine anotar o batom que ela segurou antes de se aplicar isto. "Eu bato nele, Jen. Pelo amor de Deus, eu bato nele em minha própria loja."

      "Uma mulher não pode bater em um sujeito sensual em sua própria loja, onde pode ela? Use o batom." Ela olhou de relance até onde o Henry estava thumping seu rabo. "Veja, Henry concorda comigo."

      "Eu devia acabava de chamar a pousada, deixe uma mensagem para ele, diga a ele algo surgiu."

      "Laine, você é quebrar meu coração." Ela levantou o batom. "Pinte," ela ordenou.

      "Eu não posso acreditar em que eu deixar você me conversar em fechar uma metade hora cedo. Eu não posso acreditar o quão fácil era para você me conversar nisto. Voltando para casa mudar—parece óbvio, não faça isto?"

      "O que está errado com óbvio?"

      "Eu não sei." Laine usou o batom, estudou o tubo. "Eu não estou diretamente pensando. Era aquele momento, aquele ka-estrondo momento. Eu acabei de querer arrancar fora de sua camisa e morder seu pescoço."

      "Bem, vá para isto, mel."

      Com um risada, Laine girou ao redor. "Eu não sou completar. Um bebida, certo. Seria rude não aparecer, não iria isto? Sim, seria rude. Mas isto é isto. Depois disto, bom senso mais uma vez decidirá o dia, e eu voltarei para casa e fecharei a porta neste interlúdio muito estranho."

      Ela segurou seus braços. "Como eu pareço? Certo?"

      "Melhor."

      "Melhor que certo é bom. Eu devia ir."

      "Vá em frente. Eu apagarei Henry no mudroom. Você não quer cheirar como cachorro. Eu fecharei para você."

      "Obrigado. Aprecie isto. E o suporte moral. Eu sinto como um idiota."

      "Se você decidir estender a noite, só dê a mim um telefonema. Eu posso voltar e conseguir Henry. Nós teremos um sleepover."

      "Obrigado novamente, mas eu não vou estender a noite. Um bebida. Eu figuro uns topos de hora." Ela deu a Jenny um beijo leve na bochecha, então, arriscando eau de Henry, curvado até beijar o focinho do cachorro. "Veja você amanhã," ela chamou como ela salpicada para os degraus.

      Tinha sido tolo para dirigir a distância toda casa só para repelir cidade, mas ela estava contente que ela tem sido tola. Entretanto até Jenny não podia a conversar em deslizar em conversa de vestido um pouco preta sobre óbvia—ela se sentiu mais polida fora dela trabalha roupas. O suéter suave em floresta verde era uma boa cor, e só casual suficiente não enviar o sinal errado.

      Ela não teve nenhuma idéia que tipo de notável ela quis enviar. Ainda.

      Existia um pouco bolha de pânico quando ela caminhou no hotel. Eles não realmente confirmaram que eles estavam encontrando para bebidas. Isso tudo tinha sido muito fora do punho de manga, e então fora de caráter para ela. E se ele não mostrou ou, pior, aconteceu no bar enquanto ela estava esperando e pareceu surpreendida—chagrined—aborrecido?

      E se ela fosse isto nervosa sobre algo tão simples quanto um bebida em um bar de primeira, público, ela definitivamente deixaria ela datar ferrugem de ferramentas.

      Ela entrou por portas de vidro cauterizado e sorrido na mulher que trabalha atrás do bar de carvalho preto.

      "Oi, Jackie."

      "Eh, Laine. O que eu posso conseguir você?"

      "Nada ainda." Ela esquadrinhou o quarto vagamente iluminado, os sofás e cadeiras vermelhas de pelúcias. Alguns homens de negócios, dois pares, um trio de mulheres começando noite das meninas fora com um bebida de fantasia. Mas nenhum Max Gannon.

      Ela escolheu uma mesa onde ela não realmente enfrentaria a porta mas podia observar isto. Ela começou a levantar o menu de bar só para fazer algo com suas mãos, então decidiram poderia fazer ela parecer chateada. Ou faminto. Deus.

      Ao invés, ela tirou sua cela e usou ele para cheque para mensagens em sua secretária eletrônica de casa. Não existiam algum, claro, desde que ela só sairia para a porta vinte minutos mais cedo. Mas existiam dois hangups, uns minutos do par separadamente.

      Ela era frowning acima daquele quando ela ouviu ele falar.

      "Notícias ruins?"

      "Não." Ambos agitados e contentes, ela desconectou, então soltou o telefone em sua bolsa. "Nada importante."

      "Eu estou atrasado?"

      "Não. Eu sou irritatingly lembrete." Surpreendeu sua que ele se sentou ao lado dela no pequeno sofá em lugar de através da mesa na cadeira. "Hábito."

      "Eu mencionei que você cheire grande?"

      "Sim, você fez. Eu nunca perguntei o que você estava fazendo no Buraco."

      "Alguns negócios, que eu consegui estender alguns mais dias. Devido a atrações locais."

      "Realmente." Ela não estava nervosa mais, e perguntou-se por que ela tinha sido. "Nós temos vários eles. Existem algumas trilhas maravilhosas pelas montanhas se você gostar caminhar."

      "Não é?" Ele escovou seus dedos acima da parte de trás de sua mão. "Goste de caminhar."

      "Eu não faço muito tempo para isto. A loja me mantém ocupado. E seus negócios?"

      "Encha o dia," ele disse, e olhou de relance em cima quando a garçonete parada por sua mesa.

      "O que eu posso conseguir você?"

      Ela era nova, e não alguém Laine reconheceu. "Martini de Bombay, diretamente para cima, duas azeitonas. Gelou."

      "Aqueles sons perfeitos. Faça isto dois. Você cresceu aqui?" Ele pediu a Laine.

      "Não, mas eu imagino seria bom para crescer aqui. A cidade pequena suficiente sem estar Mayberry, fim suficiente para a cidade sem estar lotado. E eu gosto das montanhas."

      Ela lembrou desta parte da cerimônia de primeiro encontro. Não tinha sido tão longo. "Você ainda vive em Savannah?"

      "Nova York principalmente, mas eu viajo muito."

      "Para?"

      "Negócios, prazer. Seguro, mas não se preocupe, eu não sou vender."

      A garçonete trouxe os óculos e batedeiras em uma bandeja e despejou os bebidas à mesa. Ela anotar uma tigela de prata de sugared nozes, então deslizado discretamente longe.

      Laine ergueu sua, sorrida acima da beira. "Para sua mãe."

      "Ela assim." Ele bateu seu vidro para sua. "Como você viria para correr uma loja de antiguidades?"

      "Eu quis um lugar de meu próprio. Eu sempre gostei de coisas velhas, a continuidade deles. Eu não me importo papelada, mas eu não quis trabalhar em um escritório o dia todo." Confortável agora, ela povoou de volta com seu bebida, trocando seu corpo assim eles podiam continuar o olho coquete contactar junto com a conversa fútil. "Eu gosto de comprar e vender, e vendo o que as pessoas compram e vendem. Então eu ponho tudo aquele junto e abri Lembra Quando. Que tipo de seguro?"

      "Corporativa, principalmente. Chata. Família na área?"

      Certa, ela pensou, não quer conversar sobre seu trabalho, particularmente. "Meus pais vivem em Novo México. Eles moveram lá vários anos atrás."

      "Irmãos, irmãs?"

      "Só criança. Você?"

      "Eu tenho um de cada. Dois sobrinhos e uma sobrinha fora deles."

      "Isto é bom," ela disse e significou isto. "Eu sempre invejo famílias, todo o barulho e traumas e companhia. Competição."

      "Nós temos bastante isto. Então, se você não crescesse aqui, onde fez você?"

      "Nós movemos ao redor muito. Trabalho do meu pai."

      "Eu ouço isto." Ele provou uma noz, manteve isto casual. "O que ele faz?"

      "Ele . . . ele estava em vendas." Como outro para descrever isto na companhia cortesa. "Ele podia vender qualquer coisa para ninguém."

      Ele pegou isto, a sugestão de orgulho em sua voz, o contraste da sombra em seus olhos. "Mas não mais?"

      Ela não falou para um momento, usando um gole de seu bebida como cobertura até que ela descobriu seus pensamentos. Simples era melhor, ela lembrou a se. "Meus pais abriram um pouco restaurante em Taos. Uma espécie de aposentadoria de trabalho. Com o trabalho a característica principal. E eles são vertiginoso como brinca sobre isto."

      "Você falta eles."

      "Eu faço, mas eu não quis o que eles procurados. Então aqui eu sou. Eu amo o Buraco. É meu lugar. Você tem um?"

      "Talvez. Mas eu não achei isto ainda."

      A garçonete parada por. "Outro redondo?"

      Laine agitou sua cabeça. "Eu estou dirigindo."

      Ele pediu o cheque, então tomou mão do Laine. "Eu fiz reservas no jantar aqui, no caso de você mudar de idéia. Mude de idéia, Laine, e jante comigo."

      Ele teve tais olhos maravilhosos, e aquele uísque morno-nas-pedras voz que ela amou escutar . Onde estava o dano?

      "Certo. Eu adoraria para."

 

      Ele disse a ele mesmo que era negócios e prazer e existia nunca qualquer coisa errado com combinar os dois desde que você lembrasse de suas prioridades. Ele soube como guiar conversações, produza informações. E se ele estivesse interessado nela em um nível pessoal, não interferiu com o trabalho.

      Não interferiria com o trabalho.

      Ele não era mais certo que ela era pescoço-fundo. E sua mudança de se importa de não teve nada, absolutamente nada a ver com o fato que ele era atraído para ela. Não acabou de não tocar o modo que devia ter. Sua mãe dobrada em cima com marido numera dois em Novo México, Laine dobrou em cima em Maryland. E Grande Jack ninguém soube só onde.

      Ele não podia ver como eles triangularam neste momento. E ele leu para pessoas bem, bem suficiente para saber que ela não estava marcando tempo com sua loja. Ela amou isto, e forjou conexões genuínas com a comunidade.

      Mas ele não explicou visita do Willy, ou sua morte. Não explicou por que ela não fez nenhuma menção de o conhecer para a polícia. Não aquelas festas inocentes eram sempre diretamente com o Polis.

      Pesando abaixo o outro lado da balança, ela foi cuidadosa para editar seu fundo, e teve um modo liso de misturar seu pai e padrasto muito o ouvinte casual assumiria que eles eram o mesmo homem.

      Nenhuma menção de divórcio quando eles falaram de família. E isso disse a ele que ela soube como esconder o que ela quis esconder.

      Entretanto ele lamentou isto, ele empurrou fantasma do Willy na conversação. "Eu ouvi sobre o direito de acidente fora de seu lugar." Suas juntas, ele notou, embranquecido para um momento em sua colher, mas ele era o único sinal de angústia interna antes dela continuar a a mexer depois de-café de jantar.

      "Sim, era terrível. Ele deve não ter visto o carro—com a chuva."

      "Ele em sua loja era?"

      "Sim, direito antes. Só folheando. Eu apenas falei com ele como eu tive vários outros clientes, e Jenny, meu balconista de tempo integral, teve o dia. Não era culpa de ninguém. Só um acidente terrível."

      "Ele não era um local?"

      Ela olhou diretamente em seus olhos. "Ele nunca estava em minha loja antes. Eu suponho que ele poderia ter entrado só para sair da chuva por alguns minutos. Era um dia sórdido."

      "Diga a mim sobre isto. Eu estava dirigindo nisto. Pareça que eu entrei em cidade só umas horas do par depois que aconteceu. Ouviu versões diferentes de que ele em todo lugar eu parei o resto do dia. Em um deles, eu penso que estava na bomba de gasolina, ele era um ladrão de jóia internacional no lam."

      Seus olhos suavizados com que ele podia só julgar como afeto. "Ladrão de jóia internacional," ela murmurou. "Não, ele certamente não era isto. As pessoas dizem as coisas mais estranhas, não é?"

      "Eu acho que eles façam." Pela primeira vez que desde que ele fez o trabalho, ele acreditou que Laine Tavish aka Elaine O 'Hara teve absolutamente nenhuma pista o que seu pai, William Young e um até agora não identificado de terceiros tirou seis semanas antes.

      Ele a caminhou fora para seu carro e tentou pensar como ele podia, e poderia ter que, use ela como uma alavanca. O que ele podia dizer a ela, e o que ele não iria se e quando o tempo veio.

      Não era o que ele quis pensar sobre com o frio do cedo pular noite que sopra em seu cabelo, enviando seu odor ao redor ele.

      "Frio ainda," ele comentou.

      "Pode ficar esfria de noite certo em cima em junho, ou ligue uma moeda de dez centavos e asse você antes de maio estar fora." Ele se seria antes das noites crescerem morno. Seria esperto para lembrar disto. Seria sensato.

      Ela era muito condenava cansado de ser sensata.

      "Eu tive um tempo bom. Obrigado." Ela girou, deslizou ela mãos ao alto seu tórax, ligou eles ao redor seu pescoço e demoliu sua boca para sua.

      É disso que ela procurada, e parafuso sendo sensato. Ela quis que esmurra, aquela pressa, aquele flash imediato no sangue que vem de um ato perigoso único. Ela viveu seguro. A segunda metade de sua vida não tinha sido nada se não seguro.

      Isto era melhor. Isto estrondo quente e chocante de lábios, de língua, de dentes era melhor que seguro. Ele bombeou vida nela, e fez ela lembrar o que era só tomar.

      Como ela podia ter esquecido que um excitar que era para saltar e parecer mais tarde?

      Ele soube que ela o surpreenderia. O minuto ele tem clamped olhos nela, ele soube. Mas ele não esperou que ela o cambalear. Não era beijo de um aparecer, ou um seda flerte, mas um cheio-em, explosão sexual que o balançou de volta e atirou o libido em extenuou.

      Um minuto ela teve aquele compacto e curvy corpo emplastrado para seu como eles eram um naufrágio sobreviventes, então existia um pouco gato-em-nata ronronar em sua garganta e ela estava puxando lentamente longe—um movimento elástico e infinito que ele era muito ofuscado para parar.

      Ela esfregou seus lábios junto. Lábios sensual, molhado. E sorriu.

      "Boa noite, Max."

      "Segure isto, segura isto, segura isto." Ele bateu uma mão em sua porta de carro antes dela poder abrir isto. Então acabou de deixar isto lá como ele não era confiante de seu equilíbrio.

      Ela estava lábios ainda sorridente—suave, olhos sonolentos. Ela teve o poder agora, todo, e eles dois souberam isto. Como o inferno que aconteceu?

      "Você vai mandar a mim lá em cima." Ele movimentou a cabeça em direção ao hotel, a direção geral de seu quarto. "Só? Isto é só quer dizer."

      "Eu sei." Sua cabeça angulada um pouco ao lado como ela o estudou. "Eu não quero, mas eu tenho que. Que só vá ter que nos segurar ambos."

      "Vamos ter café da manhã. Não, um lanche de meia-noite. Atarraxe isto, vamos ir ter um conhaque agora."

      Ela riu. "Você não quer um conhaque."

      "Não. Era um finamente disfarçado euphemism para sexo selvagem e louco. Venha do lado de dentro, Laine." Ele correu um dar seu cabelo. "Onde está morno."

      "Eu realmente, realmente não posso, e ele é uma vergonha de maldição." Ela abriu a porta de carro, olhar de relance acima de seu ombro, deliberadamente provocativo, como ela deslizou do lado de dentro. "Henry está esperando por mim."

      Sua cabeça estalou de volta como se ela iria ventosa o esmurrou. "Whoa."

      Suprimindo uma bolha de riso, ela bateu a porta, esperou só uma batida, então abriu a janela. "Henry é meu cachorro. Obrigado por jantar, Max. Boa noite."

      Ela estava rindo como ela foi embora, e não podia lembrar da última vez que ela se sentiu tão viva. Eles estariam vendo um ao outro novamente, ela estava absolutamente certa disto. Então eles veriam . . . bem, o que eles veriam.

      Ela aumentou o rádio para explosão e cantou junto com Sheryl Grita de alegria como ela dirigiu, só um pouco muito rápida. O descuido pareceu bom, um ajuste sensual. Vigorosos poucos frios dançados acima de sua pele como ela bateu em cima sua pista e estacionada na retirada escura fora de sua casa. Existia um bom kicky brisa whisking junto pelas árvores apenas brotadas e uma bonita metade-lua que adicionou sua luz para a lanterna de vidro de âmbar velho que ela partiu ardendo na varanda.

      Para um momento, ela se sentou no carro, na música e luar, e jogou de novo todo movimento e tocou e gosto daquele cérebro-drenando beijo.

      Oh sim, ela definitivamente iria conseguir outro gosto de Max Gannon, menino de Geórgia Transplantado com os olhos de tigre.

      Ela estava ainda cantando como ela passeou em cima seu caminho. Ela destrancou sua porta da frente, lançadas suas chaves em sua tigela, deslizou sua telefone celular no recharger, então tudo menos saltada na sala de estar.

      O zumbido sexual arrojado sacudido em choque. Seu sofá era virado, suas almofadas cortadas em tiras. A madeira de cereja armoire ela usou como um centro de entretenimento esteve escancarado, e vazio. O trio de africano violets ela tem arraigado de folhas e babied em plantas luxuriantes tinha sido esvaziada fora de suas panelas, e a terra dispersa. As mesas tinham sido destruídas, gavetas esvaziadas, e emolduraram impressões que ela organizou nas paredes eram lançadas no chão.

      Para um momento ela permaneceu, congelada na inércia de negação. Não possível. Não sua casa, não suas coisas, não seu mundo. Ela atravessou isto com um pensamento único.

      "Henry!"

      Apavorou, ela arremessou para a cozinha, ignorando os escombros de suas possessões que littered o corredor, a bagunça de artigos de vidro e grampos que coberto o chão da cozinha.

      As lágrimas de alívio seus olhos como ela ouviu o frenético respondendo latidos como ela carregou em direção ao mudroom porta. O momento ela Lançou abre a porta que ela era coberta por cachorro trêmulo, assustado. Ela afundou com ele, seus sapatos que desliza em açúcar derramado, embrear ele contra ela como ele lutou rastejar em seu colo.

      Eles estavam certo, ela disse a se acima do frenético batendo de seu coração. É disso que mais importou. Eles eram certos.

      "Eles não machucaram você. Eles não machucaram você," ela sussurrou para ele enquanto lágrimas perseguir suas bochechas, enquanto ela correu ela dá seu para cheque de pele para danos. "Agradeça Deus que eles não machucaram você."

      Ele choramingou, então tomado banho seu rosto como eles tentaram tranqüilo um ao outro.

      "Nós temos que chamar a polícia." Shivering se, ela apertou seu rosto em sua pele. "Nós vamos chamar a polícia, então veja o quão ruim é."

 

      Era ruim. Nas poucas horas ela foi ido, alguém entrou em sua casa, roubada sua propriedade e deixou um pedregulho maníaco em seu desperta. Tesouros pequenos quebrados, valuables ido, suas coisas pessoais tocadas e examinou então tomado ou descartado. Contundiu seu coração, quebrada sua sensação de segurança.

      Então ele acabou a de irritar.

      Ela ficou exaltada seu caminho para raiva na frente de Vince chegar. Ela preferiu raiva. Existia algo poderosa sobre a ira que estava construindo dentro dela, algo mais útil que seu choque e medo iniciais.

      "Você é certo?" Era primeira pergunta do Vince como ele tomou seus braços, deu a eles uns rápidos, amparando esfreguem.

      "Eu não sou machucado, se é disso que você quer dizer. Eles se foram antes de eu chegar em casa. Henry estava no mudroom. Ele não podia sair, então eles o deixaram só. Jenny. Eu deixei Jenny aqui, Vince. Se ela ainda estaria aqui quando—"

      "Ela não era. Ela é boa. Vamos lidar com que é."

      "Você é certo. Certo, você é certo." Ela desenhou uma respiração funda. "Eu cheguei em casa mais ou menos dez e trinta. Destrancada a porta da frente, entrou, viu a sala de estar." Ela gesticulou.

      "Porta era bloqueada?"

      "Sim."

      "Janela quebrada aqui." Ele movimentou a cabeça para a janela de revestimento dianteiro. "Olhe assim seja como eles entraram. Conseguido seu estéreo e componentes, entendo."

      "A televisão no quarto de mídia de cima, o pequeno portátil eu usei na cozinha. Jóias. Eu acabei de tomar uma avaliação, mas ele parece que eles tomaram eletrônica e pequeno valuables. Eu tenho um par de bons bronzes de Deco, vários outros pedaços bons, mas eles deixaram aqueles. Algum do jóias eles tomaram é o negócio real, algum de joga fora." Ela encolheu os ombros.

      "Dinheiro?"

      "Um par cem que eu mantive em minha gaveta de escrivaninha. Oh, e o computador eu usei aqui em casa."

      "Fez um goddamn bagunça fora disto, também. Quem soube que você estaria fora hoje à noite?"

      "Jenny, o homem eu me encontrei para bebidas—que nós acabamos jantando, também. Ele está no Viandante. Max Gannon."

      "Jenny disse que você acabou o de encontrar, na loja."

      O calor formigou seu modo em cima seu pescoço. "Era só um bebida e uma refeição, Vince."

      "Só dizendo. Nós vamos ir por tudo. Grupo de Polis tromping ao redor aqui, você poderia querer ir para nosso lugar, fique a noite."

      "Não, mas obrigado. Eu pegarei."

      "Sim. Jenny disse que você iria." Ele deu seu um bater levemente de ombro com sua grande mão e caminhada para a porta como ele ouviu o carro de rádio pára. "Nós faremos o que nós fazemos. Você poderia querer começar de trabalho uma lista do que está faltando."

      Ela gastou o tempo no sentar quarto de cima com Henry enrolou apertado em seus pés. Ela escreveu o que ela já veria estava faltando, perguntas respondidas como Vince ou um do outro Polis parado em. Ela quis café, mas desde que ela proveu estava em seu chão da cozinha, ela conformou-se chá. E bebeu um potful.

      Ela a soube da violação, medo, raiva era todas as reações clássicas, da mesma maneira que o brilho de disbelief que continuado colocando em camadas acima deles. Não era aquele crime era inexistente no Buraco. Mas este tipo de rombo, a destruição maliciosa disto, certamente não era típica.

      E para Laine, pareceu muito, muito pessoal.

      Era depois de uma de manhã antes dela estar só novamente. Vince ofereceu deixar um oficial, mas ela recusou. Entretanto ela iria gratefully aceitou sua oferta para embarcar em cima a janela quebrada.

      Ela verificou, então confirmou as fechaduras, com Henry mantendo perto de seus saltos de sapatos como ela moveu em torno da casa. A raiva estava gotejando de volta, enxugando longe a fadiga que começou a arrastar nela enquanto a polícia trabalhada. Ela usou isto, e a energia resultante, deixar sua cozinha para direitos.

      Ela encheu um desperdício pode com quebrado crockery e artigos de vidro, e tentaram para não lamentar os pedaços perdidos de Fiestaware colorido que ela colecionou muito cuidadosamente. Ela varreu açúcar, café, farinha, sal, chá solto, então esfregou os azulejos de biscoito colorido.

      A energia estava vazando de seu sistema quando ela marchou de cima. Olhe se para sua cama—o colchão desnudou-se e arrastou sobre o chão, as giradas-fora gavetas de sua agência de caoba adorável, os buracos boquiabertos no tórax de farmacêutico velho ela usou como um jóias caso, devolveu o pesar.

      Mas ela não seria expulsar de sua próprio quarto, fora de sua própria casa. Friccionando seus dentes, ela arrastou o colchão de volta em lugar. Então saídas folhas frescas, fizeram a cama. Ela rehung roupas que tinha sido retiradas-se de seu armário, dobrado mais e dobrou eles nitidamente em gavetas.

      Era depois de três antes dela rastejar na cama, e quebrar sua própria regra, ela bateu levemente o colchão e telefonou Henry dormir ao lado dela.

      Ela agarrou a luz mas hesitou, então desenhou sua mão longe. Se ele fosse covardia e um cobertor de segurança tola para dormir com uma luz em, ela podia viver com isto.

      Ela era assegurada, ela lembrou a se. Nada tinha sido tomado, ou quebrado, isso não podia ser substituído. Eles coisas justa—e ela era feita ela vivendo, não é, comprando e venda coisas?

      Ela escavou debaixo dos cobertores com o cachorro olhando fixamente soulfully em seus olhos. "Coisas justa, Henry. As coisas não importam todo tanto."

      Ela fechou seus olhos, alargue um suspiro longo. Ela estava só movendo fora de quando rosto flutuado do Willy em sua mente.

      Ele sabe onde você está agora.

      Ela se sentou diretamente para cima na cama, sua respiração vindo em resumo calças. O que ele quis dizer? Quem ele quis dizer?

      Willy aparece a um dia, inesperadamente, depois de quase vinte anos, e acabar morto no doorstep de sua loja. Então sua casa é roubada e feita vandalismo em.

      Teve que ser conectado. Como ele não podia ser? Ela perguntou a se. Mas quem estava procurando pelo que? Ela não teve nada.

     

      Meio vestido, seu cabelo ainda gotejando de seu chuveiro matutino, Max respondeu o golpe em sua porta de quarto de hotel com um e só um pensamento em sua mente: Café.

      A decepção era uma coisa. Um homem aprendido a viver com decepções. Ele não dormiu só? Achando um policial em sua porta era outro. Quis dizer nimbling em cima o cérebro sem o Deus-dado e direito inalienável de cafeína.

      Ele de tamanho em cima o calor local—grande, ajuste, suspeito—e experimentou um cooperativo se sorriso perplexo. "Manhã. Isso não parece com um uniforme de serviço de quarto, então eu estou achando que você não esteja aqui entregar meu café e ovos."

 

      "Eu sou Hambúrguer Principal, Sr. Gannon. Eu posso ter um minuto de seu tempo?"

      "Certo." Ele andou de volta, olhou de relance no quarto. A cama era desfeita, e vapor do chuveiro estava ainda movendo no quarto pela porta de banheiro aberto.

      A escrivaninha pareceu com a escrivaninha de quarto de hotel de um laptop de homem de negócios ocupado, arquive pastas de papéis e discos, seu PDA, sua telefone celular—e isso era bom. Ele tomou a precaução, como ele sempre fez, de fechando todos os arquivos e escondendo qualquer papelada questionável.

      "Ah . . ." Max gesticulou vagamente para a cadeira. "Sente-se," ele convidou e caminhou para o armário para retirar-se uma camisa. "Existe um pouco de problema?"

      Vince não se sentou; Ele não sorriu. "Você conhece Laine Tavish."

      "Sim." Muitos pequenos sinos de advertência saíram e ecoaram com perguntas, mas Max acabou de puxar na camisa. "Lembre Quando. Eu comprei um presente para minha mãe em seu lugar ontem." Ele põe uma sombra de preocupação em sua voz. "Algo errado com meu cartão de crédito?"

      "Não que eu estou ciente. A residência do senhorita Tavish estava arrombar ontem à noite."

      "Ela está certo? Ela era machucada?" Ele não teve que fingir preocupação agora como aqueles tiro de sinos de alarme por ele. As mãos que tinha sido busily abotoando sua camisa solta para seu lado. "Onde está ela?"

      "Ela não estava nas premissas na hora do rombo. Sua declaração indica que ela era com você."

      "Nós jantamos. Condene isto." Como café não era mais supremo em sua lista, Max amaldiçoou no golpe. "Espere um minuto." Ele abriu a porta para o atraente pequeno blonde que aguardou o carro de serviço de quarto.

      "Manhã, Sr. Gannon. Pronto para o café da manhã?"

      "Sim, obrigado. Só . . . ponha isto em qualquer lugar."

      Ela viu por um momento Vince como ela chegou o carro. "Oh, oi, Chefe."

      "Xerez. Como você fazendo       ."

      "Oh . . . você sabe." Ela angulada o carro e tentou para não parecer demais curioso como ela atirou olhares em ambos os homens. "Eu posso afundar, consiga outra xícara se você quiser café, Chefe."

      "Você não se preocupa sobre isto, Xerez. Eu tive dois antes de eu deixar a casa."

      "Só repreenda severamente se você mudar de idéia." Ela puxou a cobertura aconchegante fora de um prato, revelando um omelette e um lado de toucinho. "Um . . ." Ela resistiu o pasta de papéis de couro para Max, esperado enquanto ele assinou a conta. "A esperança você aprecia seu café da manhã, Sr. Gannon."

      Ela saiu, lançando examina se pela última vez seu ombro antes dela fechar a porta.

      "Vá em frente," Vince convidou. "Nenhum ponto deixando aqueles ovos ficam frios. Eles fazem um bom omelette aqui."

      "Que tipo de rombo era isto? Roubo?"

      "Olhado aquele modo. Por que era Senhorita Tavish com você ontem à noite?"

      Max se sentou, decidiu despejar o café. "Socializando. Eu a pedi para ter um bebida comigo. Ela concordou. Eu esperei poder estender aquele para jantar, e desde que ela era agradável para aquele depois que nós tivemos um beber de um só gole no vadiar aqui—nós entramos no jantar."

      "Você sempre faz datas com mulheres quando você compra presentes para sua mãe?"

      "Se ele trabalhasse tão bem, eu estaria comprando minha mamãe muito mais presentes." Max ergueu sua xícara, bebeu e encontrou olhos do Vince acima da beira. "Laine é um muito atraente, mulher muito interessante. Eu quis a ver, socialmente. Eu perguntei. Eu sinto muito ela pegou dificuldade."

      "Alguém entrou e fora de seu lugar durante o tempo ela era na cidade aqui, socializando com você."

      "Sim, eu consigo isto." Max decidiu que ele poderia também comer, e bifurcado em cima um pouco de omelette. "Então você está perguntando-se se eu for ao redor batendo em bonitas mulheres nas lojas, então instalar eles para um roubo enquanto eu encanto eles acima de jantar. Isto é uma extensão, Chefe, desde que eu nunca fixo olhos em Laine antes de ontem, não faça—ainda—saiba sua residência ou se ela for pega algo no valor de roubando nisto. Ser mais esperto, não iria isto, bater a loja? Ela pegou muita mercadoria boa nisto."

      Vince simplesmente assistiu Max comer, não disse nada. "Par de óculos espessos bons ali," Max disse depois de um momento, "se você quiser algum deste café afinal."

      "Eu passarei. O que é seus negócios em Buraco do Anjo, Sr. Gannon?"

      "Eu sou com Seguro de Confiança, e eu estou aqui fazendo um pouco de fieldwork."

      "Que tipo de fieldwork?"

      "Hambúrguer Principal, você pode contactar Aaron Slaker, CEO de Confiança, e verifique minha associação com a companhia. Ele é baseado em Nova York. Mas eu não estou em liberdade para discutir os detalhes de meu trabalho sem permissão do meu cliente."

      "Isso não soa como seguro trabalhar para mim."

      "Existe todos os tipos de seguro." Max abriu um pouco jarro de morango emperra e espalha algum em um triângulo de brinde.

      "Você conseguiu identificação?"

      "Certo." Max subiu, subjugada para a cômoda e tomou licença do seu motorista fora de sua carteira. Ele passou por isto para Vince, então tomou sua cadeira novamente.

      "Você não soa como Cidade de Nova York."

      "Só não pode tambor a Geórgia fora do menino." Ele era só irritado suficiente para exagerar seu demorar e faça isto um desafio. "Eu não roubo, Chefe. Eu acabei de querer jantar com uma bonita mulher. Você vai em frente e chama Slaker."

      Vince soltou a licença ao lado de prato do Max. "Eu farei isto." Ele começou para a porta, girada com sua mão no botão. "Quanto tempo você planeja ser na cidade, Sr. Gannon?"

      "Até o feito do trabalho." Ele escavou em cima mais ovo. "Chefe? Você era certo. Eles fazem um realmente bom omelette aqui."

      Até quando a porta fechar atrás de Vince, Max se sentou e comeu. E considerado. Um policial sendo um policial, Hambúrguer o correria, e a corrida aumentaria seus quatro anos na força. E licença do seu investigador. As cidades pequenas sendo cidades pequenas, aquele pequeno petisco voltaria para Laine na frente de muito tempo.

      Ele decidiria como tocar aquele quando teve que ser tocado. Enquanto isso existia o assunto do rombo. A contagem de tempo era só um pouco muito boa para ser serendipismo. E ele disse a ele que ele não era o único que pensou que a Senhorita muito atraente que Tavish teve algo para esconder.

      Era todo um assunto que iria achar isto primeiro.

 

      "Não se preocupe sobre qualquer coisa," Jenny Laine seguro. "Angie e eu podemos lidar com coisas aqui. Você está certo que você não quer só para fechar a loja pelo dia? Vince disse que seu lugar é um naufrágio. Eu podia vir depois de e ajudar você."

 

      Laine trocou o telefone para sua outra orelha, esquadrinhando seu escritório de casa e pensando sobre o Jenny muito grávida arrastando cadeiras e mesas em lugar. "Não, mas obrigado. Eu me sentiria melhor conhecer você e Angie terem a loja. Existe uma remessa entrando esta manhã, um bonito grande do leilão em Baltimore."

      E, condene isto, ela quis estar lá, conseguindo suas mãos em todas aquelas coisas adoráveis. Admirando eles, catalogando eles, organizando eles. Bastante o prazer veio de instalar nova linhagem em seu lugar, e o resto veio de assistir sair para a porta novamente.

      "Eu preciso de você para tronco na nova linhagem, Jen. Eu já fiz o avaliar, isto está no arquivo. Existe um jarro de loto de Precipício de Clarice, com um projeto de tulipa. Você quer chamar Sra. Gunt e deixar ela saber que nós termos isto. O preço nós concordamos em é setecentos, mas ela quererá negociar. Seis setenta e cinco é firma. Certo?"

      "Gotcha."

      "Oh, e—"

      "Laine, relaxe. Não é meu primeiro dia no trabalho. Eu cuidarei de coisas aqui, e se qualquer coisa surgir para que eu não posso lidar, eu chamarei você."

      "Eu sei." Distraidamente, Laine passou acariciar o cachorro, que era tudo menos colado para seu lado. "Demais em minha mente."

      "Maravilha pequena. Eu odeio o pensamento de você manipulação que bagunça por conta própria. Você certo você não quer que eu venha? Eu podia bop acima de no almoço-tempo. Angie pode lidar com a loja por uma hora. Eu trarei você algo para comer. Algo carregadas com calorias gordas e perdidas."

      Angie podia lidar com a loja, Laine considerou. Ela era boa e melhorando. Mas Laine se conheceu. Ela conseguiria mais feita se ela trabalhasse só sem conversação ou distração.

      "Isto é certo. Eu estarei certo uma vez que eu inicio. Eu provavelmente estarei nesta tarde."

      "Tome um cochilo ao invés."

      "Talvez. Eu conversarei com seu mais tarde." Quando ela suspendeu, Laine pegou o pequeno portátil telefonar atrás bolso de sua calça jeans folgada. Ela se soube bem suficiente para estar certo ela acharia meias dúzia razões para chamar a loja durante o dia. Poderia também manter um telefone à mão.

      Mas no momento, ela precisou enfocar no assunto à mão.

      "'Esconda o pooch,'" que ela murmurou. Desde o único pooch ela teve era Henry, ela teve que assumir Willy tinha sido delirante. Qualquer que ele veio para dizer a ela, perguntar a sua, dar a ela, não tinha sido feito. Ele pensou alguém era depois dele, e a menos que ele mude seus modos, que era altamente improvável, ele provavelmente seria certo.

      Um policial, salte investigador, um parceiro em crime quem não gostou do corte? Qualquer ou todo o o acima de era uma possibilidade. Mas o estado de sua casa disse a ela a última opção era o mais provável.

      Agora, quem procuraram o por, estava olhando para ela.

      Ela podia dizer a Vince . . . o que? Absolutamente nada. Tudo que ela construiu aqui era cavada na fundação que ela era Laine Tavish, uma mulher boa, ordinária com uma vida boa, ordinários com pais bons, ordinários que correram um lugar de churrasco em Novo México.

      Elaine O 'Hara, filha de Grande Jack dos modos encantadores e manhosos—e jarda-longa folha amarela—não ajustou no bonito, paisagem pastoral de Buraco do Anjo. Ninguém ir entrar em Elaine O 'lugar da Hara comprar um bule ou uma piecrust mesa.

      Jack O 'filha da Hara não podia ser confiada.

      Inferno, ela não confiou Jack O 'filha da Hara se. A filha do grande Jack era o tipo que teve bebidas em um bar com um homem estranho e acabou batendo disse homem em seu traseiro excelente com um vaporoso, alma-fundo beijo. A filha do Jack tomou chances grandes, ruins que tiveram conseqüências grandes, ruins.

      Laine Tavish viveu coisas normais, pensadas por e não fizeram ondas.

      Ela deixou ao 'Hara fora para uma noite breve, e olhe o que a conseguiu. Um interlúdio excitante, sensual, certo, e um inferno de uma bagunça no fim disto.

      "Só vai mostrar," ela murmurou para Henry, que demonstrou seu acordo por thumping seu rabo.

      Tempo para pôr coisas de volta em ordem. Ela não estava desistindo quem ela era, o que ela realizou, o que ela planejou realizar, porque algum segundo-ladrão de taxa acreditou em que ela teve parte de sua toma pela última vez.

      Tido que ser segunda-taxa, ela pensou como ela juntou o recheio solto da uma vez bonita seda lança travesseiros que ela escolheu para o George II daybed. O tio Willy nunca viajou nas grandes ligas. E nenhum, apesar de toda sua conversa, todos os seus sonhos, tido Grande Jack.

      Então, eles têm destruido seu lugar, surja para vazio e tomou artigos facilmente cercados em lugar.

      Isto, Laine pensou, seria isto.

      Claro, eles provavelmente partiriam imprime por toda parte o lugar de maldição. Ela rolou seus olhos, sentados no chão e começaram a empilhar papelada dispersa. Os bolbos escuros eram uma especialidade quando Tio Willy era envolvido em um trabalho. Era provável quem quebraram em, procurou, roubado, teria um registro. Vince localizaria isto, identifique eles, e estava bem dentro do reino de possibilidade que eles seriam levantados.

      Também Estava naquele reino que eles seriam estúpidos suficiente para dizer o Polis por que eles quebraram em. Se isso desceu, ela reivindicaria identidade confundida.

      Ela estaria chocada, outraged, confundiu. Agindo a parte—qualquer parte era necessária—foi segunda natureza. Existia suficiente de Grande Jack em suas veias que correndo um trapaceiro não seria uma extensão de suas habilidades.

      O que ela estava fazendo agora, Laine Tavish de Buraco do Anjo, mas correndo toda vida trapaceiro?

      Porque a pensada deprimida ela, ela empurrou isto de lado e se submergiu em refiling sua papelada. Submersa suficiente que ela quase saltou imediatamente o chão quando ela ouviu o golpe na porta da frente.

      Henry arremessou fora de sua meio-matutina soneca e enviou fora uma inundação furiosa de gutural, ameaçando latidos—até como ele slunk atrás de Laine e tentou esconder seu tamanho no trapaceiro de seu braço.

      "Meu herói grande, valente." Ela o aninhou. "É provavelmente o sujeito de janela. Não comendo o sujeito de janela, certo?"

      Como um testamento para seu grande amor e devoção, Henry foi com ela. Ele fez rosnando barulhos e ficou um passo seguro para trás.

      Ela era cauteloso suficiente se depois do rombo para espiar fora a janela antes de destrancar a porta. Seu cérebro, e seu sangue, fez um pouco estalo e chiou quando ela viu Max.

      Instintivamente ela olhou abaixo, em desgosto, em sua calça jeans mais velha, seus pés nus, a camisa de moletom cinza antiga. Ela arrancou seu cabelo atrás em um rabo pequeno que manhã e não aborreceu com maquilagem.

      "Não exatamente o olhar eu quis que presente para o homem que eu considerei ficar desnudo com na primeira oportunidade razoável," ela disse para Henry. "Mas o que você é ir fazer?"

      Ela abriu a porta e ordenou se para ser casual. "Max. Isto é uma surpresa. Como você me acharia?"

      "Eu perguntei. Você certo? Eu ouvi sobre . . ." Ele diminuiu, seu olhe acompanhamento até seus joelhos. "Henry? Bem, isto é sobre o cachorro mais rústico que eu já vi." Um grande sorriso divide seu rosto quando ele disse isto, e era duro de tomar ofensa como ele abaixou até nível de cachorro e apontou o sorriso no cachorro.

      "Eh, grande sujeito, como ele está indo?"

      Mais, em experiência do Laine, era pelo menos inicialmente intimidada pelo cachorro. Ele era grande, ele era feio, e quando ele estava rosnando em sua garganta, ele soou perigoso. Mas Max já estava segurando uma mão, oferecendo isto para um cheirar. "Isto é algum rosto ruim que você tem lá, Henry."

      Obviamente rasgado entre terror e encantar, Henry inched seu focinho adiante, tomou um pouco de brisas de prova. Seu rabo whapped a parte de trás de joelhos do Laine antes dele desmoronar, rolado e exposto sua barriga para um esfregar.

      "Ele não tem nenhum orgulho," Laine declarou.

      "Não precisa de algum." Max se tornou o mais novo amor de vida do Henry dando a barriga suave uma vigorosa esfrega. "Nada como um cachorro, existe?"

      Primeiro existe luxúria, ela pensou, naturalmente suficiente. Então interesse e várias camadas de atração. Ela foi preparada—ou tinha tentado se preparar—embaralhar todos aqueles impulsos de lado e é sensata.

      Agora, vendo ele com seu cachorro, ela sentiu o aquecimento em torno do coração que sinalizou—uh-oh—afeto pessoal. Adicione aquela para luxúria e atração e uma mulher, até uma mulher sensata, era afundado. "Não, realmente não existe."

      "Sempre teve um cachorro em casa. Não pode manter uma em Nova York, não o modo que eu viajo ao redor. Não parece certo." Sua mão deslizou até esfregar garganta do Henry e enviar o cachorro em êxtase.

      Laine muito quase gemeu.

      "Isto é o lado ruim da cidade que vive para mim," Max adicionou. "Como eles chegariam ao redor ele?"

      "Eu sinto muito?"

      Ele deu a Henry um último thumping bater levemente, então endireitou. "Eu ouvi sobre o rombo. Grande cachorro como isto devia ter dado eles alguma dificuldade."

      Abaixo, menina, Laine se ordenou. "Medo de não. Um, ele era fechado no mudroom. Isto é seu lugar quando eu estiver fora. E segundo, bem . . ." Ela olhou abaixo em Henry, que era slavishly lambendo mão do Max. "Ele não exatamente tem coração do guerreiro."

      "Você certo?"

      "Tão bom quanto consegue, eu suponho, a manhã depois de você voltar para casa e achar destruiu de alguém sua casa e roubada sua propriedade."

      "Você é bonito retirado de volta aqui. Eu não acho ninguém serra qualquer coisa."

      "Eu duvido isto. Vince, o chefe de polícia, perguntará, mas eu sou a única casa de volta nesta pista."

      "Sim, eu encontrei o chefe. Outra razão eu vim por era para ter certeza que você não pensou que eu perguntei a você para jantar conseguir você fora da casa muito que este podia acontecer."

      "Bem, claro que não. Por que iria . . ." Ela seguida os pontos. "Vince. Eu espero que ele não fez você desconfortável."

      "É seu trabalho. E agora eu vejo que eu pus a mesma suspeita em sua cabeça."

      "Não, não . . ." Mas ela estava experimentando isto. "Para falar a verdade não. Está só sido uma semana muito estranha, eu penso que eu lidei com Vince duas vezes em um nível profissional desde que eu movi aqui. Agora ele tem estado duas vezes em um assunto de dias. Ele deve ter vindo por seu quarto de hotel esta manhã. Eu sinto muito."

      "Rotina justa. Mas voltando para casa e achando sua casa foi roubada não é." Ele alcançou, tocada sua bochecha. "Eu estava preocupado sobre você."

      O calor bombeou em cima alguns graus. Ela disse a se que não era um bem ajusta—Willy Young e Max Gannon em liga. E que se Max fosse do ilk, ela saberia.

      Goste, ela acreditou, reconhecido como.

      "Eu sou certo. Jenny e Angie trabalharão a loja hoje enquanto eu ponho a casa de volta em formo." Ela gesticulou em direção à sala de estar. "Eu apenas fiz um entalhe. Boa coisa eu gosto de fazer compras, porque isso será fase duas."

      Ele andou ao redor ela, examinando o quarto ele mesmo.

      Podia ser tomado para uma inundação de vandalismo acompanhando um roubo. Mas para olhos do Max pareceu que o que era: Uma procura rápida, sórdida. E se eles conseguissem o que eles eram depois, ele não pensou que Laine calmamente estaria clarearia os escombros e conversando sobre compras.

      Ninguém era tão fresco.

      No rabo dtão pensado, ele imaginou ela voltando para casa só, na escuridão, e abrindo sua casa para este. A maravilha pequena ela teve sombras debaixo de seus olhos e o olhar de pálido de uma mulher que gastou uma noite acordada.

      "Eles fizeram um número em você," ele murmurou.

      "Não a coisa habitual no Buraco. Quando eu vivi em Filadélfia, eu trabalhei com uma mulher que foi para casa uma noite, achou seu apartamento arrombado. Eles a limparam fora e spray-pintadas obscenidades nas paredes."

      Ele olhou de volta nela. "Então ele podia ser pior?"

      "Pode sempre ser pior. Escute, eu pus a cozinha de volta junta e fiz uma manhã rápida correr para a loja muito existe café. Você quer?"

      "Eu sempre quero." Ele caminhou para ela. Ela pareceu tão fresca. Tudo aquele cabelo brilhante puxou de volta daquele bonito rosto, seus olhos só mais azul com as sombras assombrando eles. Ela cheirou como sabão, sabão justo. O charme inocente de sardas era borrifado acima de seu nariz.

      "Laine, eu não estou olhando entrar seu modo, mas . . . deixe-me ajudar você."

      "Ajude-me o que?"

      Ele não estava certo, mas ele soube que ele quis dizer isto, que a oferta estava inábil. Ele olhou para ela, e ele quis ajudar. "Para começar, eu posso ajudar você pôr sua casa atrás junta."

      "Você não tem que fazer isto. Você deve ter trabalhar—"

      "Deixe-me ajuda." Ele corta ela protestar simplesmente tomando sua mão. "Eu tenho tempo, e o fato é, se eu continuasse meu modo, eu me preocuparia sobre você e eu nunca conseguiríamos qualquer coisa feitos de qualquer maneira."

      "Isto é muito doce." E ela soube que ela era um goner. "Isto é realmente muito doce."

      "E existe esta aqui outra coisa." Ele tomou um avançar, nela, que ponha suas costas contra a parede. Ainda, quando sua boca desceu, o beijo era lento e liso, quase sonhador. Ela sentiu seus joelhos destrancarem e irem a meio caminho para dissolver antes dele erguer sua cabeça. "Se eu não fizesse isto, eu estaria pensando sobre fazer isto. Figurou que nós conseguiríamos mais feitos se eu conseguisse isto fora do modo primeiro."

      "Boa." Ela correu sua língua acima de seu lábio de parte inferior. "Terminou?"

      "Não dificilmente."

      "Isto é bom, também. Café," ela decidiu antes deles começar rodante ao redor no chão do disordered quarto em vez de deixarem isto para direitos. "Eu só conseguirei aquele café."

      Ela caminhou de volta em direção à cozinha, com o cachorro cabriolando felizmente ao lado dela. Ajudou, para o momento, manter ocupado. Moendo feijões, medindo café na imprensa de franceses. Ele conseguiu seus nervos em cima novamente, ela percebeu. Ele estava só inclinado contra o contador, assistindo ela. Aquele corpo longo relaxado, mas aqueles olhos enfocados. Algo sobre ele fez ela querer encontrar ele gostar de uma mendicância de gato para ser acariciou.

      "Eu tenho que dizer algo."

      "Certo."

      Ela desceu dois do assaltar que sobreviveu à cozinha fazer alvoroço. "Eu normalmente . . . Não espero, deixe-me compreender como dizer que este sem soar incrivelmente estúpido e ordinário."

      "Eu não penso que você podia soar qualquer um. Sempre."

      "Menino, você realmente empurra os botões certos. Certo." Ela girou para ele enquanto o café steeped. "Não é meu hábito para fazer datas, até casuais, com um homem eu acabei de encontrar. Com um cliente. De fato, você é o primeiro."

      "Eu sempre gostei de ser primeiro."

      "Quem não faça E enquanto eu aprecio a companhia de homens, e o benefícios thereof, eu também não faço, como uma regra, embrulha eu mesmo ao redor de um depois de jantar como sumac ao redor um carvalho."

      Ele estava certo que ele lembraria do momento que ela teve por muito tempo. Provavelmente voltaria para ele em seu leito de morte como um importante destaca de sua vida e os tempos. "Eu seria o primeiro lá, também?"

      "A aquele nível."

      "Melhor e melhor."

      "Você quer nata? Açúcar?"

      "Só preto seja bom."

      "Certo então, continuar. Eu também não faço—e isto tem sido uma regra bonita dura-e-rápida de dedo polegar—contempla dormente com um homem eu só conhecido por vinte e quatro horas, dê ou tome."

      Ele estava arranhando Henry entre as orelhas, mas ele nunca tomou seus olhos fora de seu rosto. "Você sabe o que eles dizem sobre regras."

      "Sim, e entretanto eu concordo com que eles dizem, eu não quebro eles ligeiramente. Eu sou um firme partidário da necessidade para estrutura, Max, em regras e linhas. Então o fato que eu estou considerando quebrar uma regra, cruzando uma linha, faço-me nervoso. Seria mais esperto, mais seguro, mais sensato se nós voltássemos longe um pouco, pelo menos até que nós cheguemos a saber um ao outro melhor. Até que nós demos coisas uma chance de desenvolver em um passo mais razoável e racional."

      "Mais esperto," ele concordou. "Mais seguro. Sensato."

      "Você não tem nenhuma idéia o quão duro eu trabalhei viver por aqueles três atributos." Ela riu um pouco, então despejou o café. "E o problema aqui é que eu nunca tenho sido como atraído para ninguém como eu estou para você."

      "Talvez eu estou um pouco mais solto quando vier para regras e linhas, e não que preocupadas sobre ser sensata em certas áreas." Ele tomou o assaltar que ela ofereceu, então deixa isto no contador. "Mas eu conheço que eu nunca olhei para outra mulher e quis que seu o modo que eu quero você."

      "Isso não vai ajudar que eu seja esperto." Ela levantou seu café, andou de volta. "Mas eu preciso de um pouco de ordem. Deixe-me pôr minha casa atrás junta, como melhor eu posso, e nós veremos onde as coisas vão."

      "Duro de discutir com isto. Nós compartilhamos algumas destas tarefas domésticas, nós devíamos chegar a conhecer um ao outro."

      "Bem, é uma maneira." Ele seria uma distração, ela concluiu. Muito mais de uma distração que Jenny e uma hora do almoço Grande Mac.

      Mas que diabo.

      "Desde que eu tenho um pouco de músculo disponível, vamos começar com a sala de estar. O bonito pesado do sofá."

 

      Em Lembre Quando, negócios eram vivos. Ou pelo menos folhear era. Não levou ansiar palavra sair sobre dificuldade mais recente do Laine, ou destacar o curioso para bomba para mais detalhes. Por um, com as novas remessas anotadas, etiquetado e exibido, vendas telefonados e fofocar permutado em abundância, Jenny apertou uma mão para a dor em sua mais baixa atrás.

      "Eu vou tomar o almoço em casa onde eu posso pôr meus pés em cima por uma hora. Você estará certo por conta própria?"

      "Certo." Angie levantou um bar de proteína e uma engarrafada, baixo-gordo Frappucino. "Conseguido meu almoço aqui mesmo."

      "Você não sabe o quão triste me faz, Ange, ouvir que você chamar aquele almoço."

      "Pesada em à uma e dezenove esta manhã."

      "Cadela."

      Enquanto Angie riu, Jenny conseguiu sua bolsa por detrás o contador e seu suéter do gancho. "Eu estou indo para nuke leftover macarrão primavera e terminar isto fora com um bolo de chocolate."

      "Agora quem é a cadela?" Ela deu um bater levemente de barriga do Jenny, pulando como sempre pegar o bebê chutando. "Como ele está entrando lá?"

      "Coruja da noite." Ela pegou um policial solto alfinetar de volta em seu topete sujo. "Eu juro a criança acordar e começar torneira dançando toda noite mais ou menos onze, e mantém isto em cima por horas."

      "Você ama isto."

      "Eu faço." Sorridente agora, Jenny arrastou no suéter. "Todo minuto disto. Melhor tempo de minha vida. Voltar em uma hora."

      "Conseguiu isto coberto. Eh, eu devia chamar Laine? Só cheque nela?"

      "Eu farei isto de casa," Jenny chamou de volta como ela caminhou para a porta. Antes dela alcançar isto, abriu. Ela reconheceu o par, procurados ao redor em seus arquivos mentais para o nome. "Bom ver você. Vale e Melissa, certo?"

      "Boa memória." A mulher, thirtyish, ginásio-ajustado e elegante, sorrida nela.

      "E como eu recordo, você estava interessado no rosewood armoire."

      "Direito novamente. Eu vejo é ainda aqui." Até como ela falou, ela caminhou para isto, correu ela dar a escultura na porta. "Continua chamando meu nome."

      "É um pedaço tão bonito." Angie passeou em torno do contador. "Um de meus favoritos." A verdade era que ela preferiu o moderno e aerodinâmico, mas ela soube como lançar. "Nós acabamos de conseguir outro rosewood pedaço hoje. É uma magnífica pequena escrivaninha. Vitoriana. Eu penso que eles são favorecidos um ao outro."

      "Uh-oh." Rindo, Melissa apertou braço do seu marido. "Eu acho que eu tenha que tomar um olhar para menos."

      "Eu mostrarei a você."

      "Eu estava só a caminho fora, se você não me precisar . . ."

      "Nós somos bons." Angie acenou Jenny longe. "Não é bonito?" Ela disse, apontando ela lança em Melissa como ela correu uma ponta do dedo abaixo a brilhante escrevendo declive. "Está em condição maravilhosa. Laine tem um olho tão bom. Ela achou esta em Baltimore algumas semanas atrás. que Chegou só esta manhã."

      "É maravilhoso." Inclinado abaixo, Melissa começou a abrir e fechar as gavetas laterais pequenas. "Realmente maravilhosas. Eu pensei que uma escrivaninha era uma espécie de sofá."

      "Sim, mas este tipo de pequena escrivaninha é chamado isto, também. Não pergunte a mim por que; Isto seja Território do Laine."

      "Eu realmente amo isto, qualquer sou chamado. Vale?"

      Ele era digitação a etiqueta de preço e mandava a ela um olhar. "Eu preciso pensar sobre conseguir ambos, Melissa. É um bonito grande pedaço."

      "Talvez nós podemos chip ele abaixo um pouco."

      "Nós podemos trabalhar nisto," Angie disse a ela.

      "Deixe-me tomar outro olhar para o armoire." Ela caminhou de volta acima de, abriu as portas.

      Sabendo como compassar uma venda, Angie hesitou enquanto Vale juntou-se sua esposa e eles começaram uma consulta sussurrada.

      As portas foram fechadas novamente, abriu novamente, gavetas eram retiradas-ses.

      "Nós conseguimos o que estou do lado de dentro, também?" Vale gritado.

      "Eu sinto muito?"

      "Encaixote aqui." Ele tirou o pacote, agitou isto. "É como o prêmio na caixa de cereal?"

      "Não este tempo." Com um risada fácil, Angie cruzou acima de tomar a caixa. "Nós tivemos uma grande remessa entrar esta manhã," ela começou. "E nós éramos bonitos ocupados em cima disto. Jenny deve ter ficado distraído e aparecer isto lá."

      Ou teve ela? As coisas tinham pulado por uma hora ou duas. De qualquer modo, Angie considerou isto uma fratura sortuda a gaveta tinha sido aberta antes do pedaço estar faltado.

      "Nós só vamos discutir este por alguns minutos," Melissa disse a ela.

      "Não se apresse." Deixando eles para isto, Angie voltou para o contador. Ela desembrulhou o pacote e estudou o cachorro cerâmico tolo. Atraente, ela pensou, mas ela não entendeu por que alguém pagou bom dinheiro para pedaços animais.

      Ela achou animais suaves, penugenta cheio mais sociável.

      Isto era provavelmente Doulton ou Corrida ou uma daquelas coisas Laine estava ainda tentando a ensinar.

      Desde, de pequenos agarramentos de conversação, Melissa pareceu estar vestindo Vale abaixo todo sozinha, Angie deu a eles um pouco mais de espaço subjugando a estátua para uma de algumas exibições de estatuetas e bric-brac A tentar identificar o tipo e era.

      Era como um jogo para ela. Ela acharia isto no arquivo, claro, mas isso estaria enganando. Identificando pedaços na loja era muito gostava de identificar caráter digita no bar. Se você gastasse suficiente tempo nisto, conseguiu assim você soube que era que e qual era o que.

      "Sinta falta?"

      "Angie." Ela girou, sorriu abertamente.

      "Se nós tomássemos ambos, que tipo de um preço você podia dar a nós?"

      "Bem . . ." Encantado com o prospecto de saudação Jenny com notícias de um dobro, ela anotar o cachorro cerâmico e examinou cuidadosamente pechinchar com os clientes.

      Na excitação de fechar o negócio, organizando para entrega, telefonando a venda, ela não deu o pequeno cachorro outro pensado.

     

      Max aprendeu bastante sobre Laine durante as próximas horas. Ela era organizada, prática e precisa. Mais linear-importado que o que ele esperou de alguém de seu fundo. Ela olhou para uma tarefa, viu isto do princípio ao fim, então seguido ele pelos passos para conclusão. Nenhum desvio, nenhuma distração.

      E ela era um nester. Sua mãe a mesma curvou, só amado feathering que ninho com bonito pequeno—o que seu pai chamou eles?—Gimcracks. E como sua mãe, Laine soube exatamente onde ela preferiu todos deles.

      Mas diferentemente de sua mãe, Laine não pareceu ter um anexo sentimental, quase íntimas para suas coisas. Ele uma vez veria sua mãe lamentar baldes acima de um vaso quebrado, e ele próprio sentiu o calor poderoso de sua ira quando ele quebrou uma tigela decorativa velha.

      Laine varreu em cima fragmentos deste, pedaços disto, pedaços quebrados esvaziados em um lixo pode com apenas um estremecimento. Seu enfoque estava em retornar ordem para seu espaço. Ele teve que respeitar isto.

      Entretanto ele era um puzzlement para ele como a filha de um drifter e um grifter executaram um para se se tornar uma cidade pequenos homebody, o fato que quebra-cabeças eram seus negócios fizeram isto, e seu, só mais interessantes.

      Ele gostou de estar em seu ninho, estando em sua companhia. Era um dado que o chiar entre eles iriam complicar coisas no caminho, mas era duro não apreciar isto.

      Ele gostou dela verbalizar, o fato que conseguiu ser ambos gutural e liso. Ele gostou que ela pareceu sensual em uma camisa de moletom. Ele gostou de suas sardas.

      Ele admirou seu poder de recuperação em face ao que teria devastado a maioria das pessoas. E ele admirou e apreciou sua a toda honestidade sobre sua reação para ele e qual estava preparando entre eles.

      O fato era, debaixo de outras circunstâncias, ele podia ver ele mesmo mergulhando de ponta-cabeça em uma relação com ela, queimando suas pontes de comando, lançando precaução para o vento ou qualquer número de clichês. Até dadas as circunstâncias, ele era equilibrado para fazer que mergulha. Ele não podia compreender bastante se isso era um mais ou um menos.

      Mas benefício ou obstáculo laterais para a meta, estava na hora de voltar no jogo.

      "Você perdeu muito material," ele comentou.

      "Eu posso sempre conseguir mais material." Mas ela sentiu um pouco puxão de duelo no largo fazer uma vaquinha o jarro de Corrida que ela continuou o servidor de jantar. "Eu entrei nos negócios porque eu gosto de colecionar toda maneira de coisas. Então eu percebi que eu não precisei possuir eles tantos como estou ao redor eles, veja eles, toque."

      Ela correu seu dedo abaixo o jarro danificado. "E é da mesma maneira que recompensador, mais em alguns modos, comprar e vender, e vejam pedaços interessantes irem para as pessoas interessantes."

      "Pessoas enfadonhas já não compram pedaços interessantes?"

      Ela riu disto. "Sim, eles fazem. Que é por que é importante não se tornar muito preso ao que você planeja vender. E eu amo vender. Kaching."

      "Como você sabe o que comprar no primeiro lugar?"

      "Instinto de alguns, alguns está experiência. Alguns está só um jogar."

      "Você gosta de jogar?"

      Ela deslizou um olhar acima de e em cima. "De fato."

      Oh sim, ele pensou, ele era equilibrado e fechar seus dedões do pé na extremidade do precipício. "Queira soprar esta articulação e voar para Vegas?"

      Ela arqueou suas sobrancelhas. "E se eu dissesse certo, por que não?"

      "Eu registraria o vôo."

      "Sabe," ela disse depois de estudo do momento, "eu acredito em que você iria. Eu acho eu assim." Ao 'Hara nela já estava a caminho do aeroporto. "Mas infelizmente, eu não posso começar a estudar você nisto." E isso era o Tavish. "Que tal um cheque de chuva?"

      "Você conseguiu isto. Em aberto." Ele assistiu seu lugar alguns pedaços que sobreviveram ao rombo. Castiçais, uma tigela de cerâmica enorme, um prato plano longo. Ele teve um sentimento que ela pôs eles justamente onde eles têm estado antes. Existiria conforto nisto. E desafio.

      "Sabe, procurando em tudo isso, não parece como um rombo simples. Se isso pode ser simples quando for seu lugar. Certamente não me atinge como um padrão agarra-e-corrido. Parece mais pessoal."

      "Bem, isso vai um caminho longo a aliviar minha mente."

      "Desculpe. Não estava pensando. Realmente, você não parece particularmente spooked."

      "Eu dormi com a luz em ontem à noite," ela admitiu. "Assim faria uma diferença. Não faz qualquer bom para ser spooked. Não muda nada ou conserta qualquer coisa."

      "Um sistema de alarme não machucaria. Algo um pouco mais de alta tecnologia que a variedade canina," ele adicionou, olhando abaixo em onde o Henry roncou debaixo da mesa de jantar.

      "Não. Eu pensei sobre aqueles para mais ou menos cinco minutos. Um sistema de alarme não faria-me sentir seguro. Só faria-me sentir como eu tive algo para me preocupar sobre. Eu não vou ter medo em minha própria casa."

      "Deixe-me só empurro este botão um pouco mais antes de nós deixar ir. Você pensa que este podia ter sido alguém que você sabe? Você tem alguns inimigos?"

      "Não, e não," ela respondeu com um descuidado encolhe os ombros como ela fugiu a escada-de volta preside de volta para a mesa. Mas ela ouviu palavras do Willy em sua cabeça: Ele sabe onde você está.

      Quem soube?

      Papai?

      "Agora eu tenho você preocupado." Ele tipped seu rosto em cima com um dedo debaixo de seu queixo. "Eu posso ver isto."

      "Não, não preocupado. Desconcertou, talvez, na idéia que eu podia ter inimigos. Os lojistas ordinários em cidades de Maryland pequenas não deviam ter inimigos."

      Ele esfregou seu dedo polegar junto sua mandíbula. "Você não é ordinário."

      Ela deixa sua curva de lábios como seu veio até encontrar eles. Ele não teve nenhuma idéia, ela pensou, o quão dura ela trabalhou por quase metade sua vida ser ordinária.

      Suas mãos eram corrediças acima de seus quadris quando seu telefone tocou. "Você ouve sinos?" Ele perguntou.

      Ela recuou com um pouco risada e puxou o telefone fora de seu bolso. "Oi? Oi, Angie." Como ela escutou, ela trocou o chipped jarro uma metade polegada no servidor. "Ambos os pedaços? Isto é maravilhoso. O que fez . . . Uh-huh. Não, você fez exatamente direito. É chamado uma escrivaninha porque uma escrivaninha pequena era projetada para uma Escrivaninha de Capitão atrás nos anos 1800 e ele preso, eu acho. Sim, eu sou bom. Realmente, e sim, esta certamente vantagens mim em cima. Obrigado, Angie. Eu conversarei com seu mais tarde."

      "Eu pensei que uma escrivaninha era um sofá," Max disse quando ela pegou o telefone de volta em seu bolso.

      "É, ou um sofá pequeno que freqüentemente converte em uma cama. Também é uma escrivaninha pequena com um boxlike forma com uma seção superior que desliza ou gira fornecer espaço de joelho."

      "Huh. As coisas você aprende."

      "Eu podia ensinar vocês todos os tipos de coisas." Apreciando se, ela caminhou para seus dedos em cima seu tórax. "Queira que eu mostrar a você a diferença entre um canterbury e um commode?"

      "Não pode esperar."

      Ela tomou sua mão, desenhou ele em direção a sua pequena biblioteca, onde ela podia dar uma lição pequena em antiguidades enquanto eles põem o quarto de volta em ordem.

 

      Quando o cavalheiro alto, distinto com o elegante pewter bigode caminhado em Lembra Quando, Jenny estava contemplando o que ela poderia consertar para jantar. Desde que pareceu que ela estava com fome o tempo todo, pensando sobre comida era quase como satisfazendo como comendo isto.

      Depois de grande venda do Angie, o passo diminuiu a velocidade. Ela teve alguns browsers, e Sra. Gunt apareceu a corrida para ver o jarro de loto e arrebatar isto. Mas pela próxima hora, ela e Angie tinham sido puttering, e o dia empreendeu um tom preguiçoso que teve ela acabando Angie um cedo.

      Ela examinou no som da porta, contente que um cliente temporariamente levaria sua mente fora de corta e purê de batatas.

      "Boa tarde. Eu posso ajudar você?"

      "Eu acho que eu só procurarei, se isso está certo. Que lugar interessante. Seu?"

      "Não. O dono não está em hoje. Folheie tudo que você gosta. Se você tiver quaisquer perguntas ou necessidade qualquer ajuda, só deixe-me conhecer."

      "Eu farei isto."

      Ele estava vestindo um terno quase a mesma cor que seu bigode e a cabeça espessa, bem cortado de cabelo. O terno, e faixa sutis da gravata, feita ela pensa dinheiro. Sua voz estava só cortada suficiente para ter seu Norte pretensioso.

      O instinto da sua vendedora disse a ela que ele não se importaria um pouco conversação à medida que ele vagou. "Você está visitando Buraco do Anjo?"

      "Eu tenho negócios na área." Ele sorriu, e ele afundou os buracos de suas bochechas, tornados seus olhos em uns mornos azuis e fez distinto só um pouco sensual. "Uma cidade tão amigável."

      "Sim, é."

      "E tão cênicos. Bons para negócios, eu pensaria. Eu tenho uma loja de minha própria." Ele se debruçou acima de estudar a exibição de heirloom jóias. "Propriedade jóias," ele disse, vazamento o vidro. "O comprar e venda. Pedaços muito bons aqui. Inesperados, realmente, fora de uma área metropolitana."

      "Obrigado. Muito particular do Laine sobre que nós vendemos aqui."

      "Laine?"

      "Laine Tavish, o dono."

      "Eu pergunto-me se eu não ouvisse aquele nome. Possivelmente até a encontrado à um dos leilões. É um charco relativamente pequeno que nós nadamos em."

      "Você poderia ter. Se você estiver ficando na cidade durante algum tempo, você podia voltar em. Ela é normalmente aqui."

      "Eu não deixe de fazer isto. Diga a mim, você vende pedras soltas também?"

      "Pedras?"

      Em olhar em branco do Jenny ele angulado sua cabeça. "Eu freqüentemente compro pedras—gemstones para—substituir uns perdidos de uma colocação antiga, ou duplicar um pedaço de propriedade para um cliente."

      "Oh. Não, nós não fazemos. Claro, o jóias é só uma parte pequena de nossa linhagem."

      "Então eu vejo." Ele girou, e aqueles olhos esquadrinhados toda polegada da sala de exposição principal. "Uma mistura adepta, estilos, períodos. Sra. Tavish faz todo o comprar?"

      "Sim, ela faz. Nós somos sortudos para ter alguém gostar de Laine no Buraco. A desenvolvida de loja uma boa reputação, e nós somos listados em vários guias para a área, e revistas antigas e colecionáveis."

      Ele vagou fora de, entrando a direção de uma mesa fixa com estatuetas de porcelana e bronzes pequenos. "Então, ela não é uma local então."

      "Você não é um local no Buraco a menos que seu avô nasceu aqui. Mas não, Laine moveu aqui alguns anos atrás."

      "Tavish, Tavish . . ." Ele angulado atrás ao redor, estreitando seus olhos, stroking seu bigode. "Ela é uma mulher alta, bastante desengonçado com cabelo muito pequeno loiro? Vista pequenos óculos pretos?"

      "Não, Laine é um ruiva."

      "Ah bem, dificilmente importa. Isto é um pedaço adorável." Ele levantou um gato de porcelana de elegante. "Você transporta?"

      "Nós certamente fazemos. Eu teria muito prazer em para . . . Oh, oi, mel," ela disse quando Vince entrou. "Meu marido," ela disse para o cliente com uma piscada. "Eu não chamo todo o Polis mel."

      "Eu estava encabeçando por, pensou que eu pararia em ver se Laine estivesse aqui. Verifique nela."

      "Não, eu não penso que ela está entrando hoje afinal. Conseguido seu total das mãos. A casa do Laine estava arrombar ontem à noite," ela disse.

      "Deus, que terrível." O homem ergueu uma mão para o laço de sua gravata, e a pedra azul escuras em seu pinkie anel piscado. "Alguém era machucado?"

      "Não, ela não estava em casa. Desculpe, Vince, isto é Sr. que . . . eu nunca consegui seu nome."

      "É Alexander, Milhas Alexander." Ele ofereceu uma mão para Vince.

      "Hambúrguer de Vince. Você sabe Laine?"

      "Realmente, nós estávamos só tentando determinar, isto. Eu vendo propriedade jóias e pergunto-me se eu encontrasse Sra. Tavish ao longo do circuito. Eu sinto muito ouvir sobre sua dificuldade. Eu estou muito interessado no gato," ele disse para Jenny, "mas eu vou estar atrasado para meu compromisso da tarde. Eu voltarei, e espero que encontre Sra. Tavish. Obrigado por seu tempo, Sra. Hambúrguer."

      "Jenny. Volte a qualquer hora," ela adicionou como ele caminhou para a porta.

      Quando eles estavam só na loja, Jenny cutucou Vince na barriga. "Você olhou para ele como ele era um suspeito."

      "Não, eu não fiz." Ele deu seu um retorno, e muito gentil, cutuque em sua barriga. "Eu sou só curioso, isto é todo, quando eu vir um sujeito em um liso-olhando terno rondar a loja o dia depois da casa do Laine está arrombar."

      "Sim, ele pareceu com assaltante de um fazer alvoroço certo."

      "Certo, que um estar fazendo alvoroço assaltante parece com?"

      "Assim."

 

      Seu nome era Alex Crew, entretanto ele teve identificação adequada no nome de Milhas Alexander—e vários outros nomes alternativos. Agora ele caminhou vivamente ao longo do espirrar calçada. Ele teve que ir embora para sua raiva, sua ira quietamente borbulhante que Laine Tavish não tinha sido onde ele quis a achar.

      Ele menosprezou sendo anulado, em qualquer nível.

      Ainda, o passeio era negócios de parte. Ele precisou conseguir a canção do cair sobre pé, entretanto ele teve um mapa detalhado de Buraco do Anjo em sua cabeça. Ele não apreciou cidades pequenas, ou o germinar visão verde das montanhas circundantes. Ele era um homem para a cidade, seu passo, suas oportunidades.

      Sua abundância de marcas.

      Para resto e relaxamento, ele apreciou a região trópica, com suas brisas balsâmicas, lua-lavadas noites e turistas ricos.

      Este lugar estava cheio de hicks, como o balconista grávida—provavelmente em sua quarta criança até agora—e seu ex-herói do futebol do segundo grau girou marido de policial de cidade. O sujeito pareceu com o tipo que se sentou ao redor nas noites do sábado com seus amigos e conversados sobre os dias de glória acima de um pacote de seis. Ou sentado no bosque que espera por um cervo vir por assim ele podia atirar isto e sente como um herói novamente.

      A tripulação lamentou tais homens e as mulheres que mantiveram seu jantar morno de noite.

      Seu pai tinha sido tal homem.

      Nenhuma imaginação, nenhuma vista, nenhum paladar para o gosto de furto. Seu homem velho não teria tomado o tempo de dia se não fosse marcado em sua folha de tempo. E o que teve isto o conseguido exceto um estropiado e reclamando esposa, uma caixa quente de uma casa de fila em Camden e um primeiro sepulcro.

      Para mente da Tripulação, seu pai tinha sido um desperdício patético de vida.

      Ele sempre quereria mais, e começou a tomar isto quando ele rastejou por sua primeira segunda-história janela às doze. Ele impulsionou seu primeiro carro às quatorze, mas suas ambições sempre correram para maior, jogos mais brilhantes.

      Ele gostou de roubar do rico, mas não existia nada do Capuz de Robin nele. Ele gostou disto simplesmente porque as ricas tido coisas melhores, e tendo eles, levando eles, fizeram ele sentir como ele era parte da nata.

      Ele matou seu primeiro homem às vinte e dois, e entretanto tinha sido moluscos ruins não planejados enviaram a marca casa cedo do balé—que ele não teve nenhuma aversão a roubar uma vida. Particularmente se existia um bom lucro nisto.

      Ele tinha quarenta e oito anos de idade, tiveram um gosto para vinho francês e ternos italianos. Ele teve uma casa em Westchester de que sua esposa fugiu—tomada seu filho jovem—só antes de seu divórcio. Ele também manteve um apartamento luxuoso fora de Parque Central onde ele entreteve lavishly quando o humor atingiu, um fim de semana casa no Hamptons e uma litoral casa em Caimão Principal. Todas as ações estavam em nomes diferentes.

      Ele fez muito bem por ele mesmo tomando o que pertenceu a outros e, se ele dissesse assim ele mesmo, se tornou uma espécie de conhecedor. Ele era seletivo em que ele roubou agora, e tinha sido para mais que uma década. A arte e pedras preciosos eram suas especialidades, com uma correria ocasional em selos raros.

      Ele teve algumas prisões no caminho, mas só uma condenação—uma mancha ele culpou completamente em seu incompetente e overpriced advogado.

      O homem pagou por isto, como Tripulação o bateu morte para sangrento com um tubo principal três meses depois de seus lançar. Mas para mente da Tripulação aquela balança era dificilmente equilibrada. Ele gastou vinte e seis meses do lado de dentro, destituída de sua liberdade, humilhada e humilhada.

      A morte do advogado de idiota era dificilmente compensação.

      Mas isso tinha sido mais de vinte anos atrás. Entretanto ele levantou para questionar um tempo ou dois desde, não existe nenhuma outras prisões. O benefício único daqueles meses na prisão tinham sido o tempo infinito para pensar, avaliar, considerar.

      Não era suficiente roubar. Era essencial para roubar bem, e viver bem. Então ele estudou, desenvolvido seu cérebro e seu personas. Para roubar com sucesso do rico, era melhor para se tornar um deles. Para adquirir conhecimento e gosto, diferentemente dos sedimentos que apodreceram atrás de bares.

      Para ganhar entrada em sociedade, talvez para tomar um bem-heeled esposa em um certo ponto. Sucesso, para sua mente, não estava subindo em segunda-história janelas, mas em dirigir outros para fazer isso. Outros que podia ser manipulado, então dar fim a tão necessário. Porque, qualquer que eles tomaram, em sua direção, por todo direitos pertenceu exclusivamente para ele.

      Ele era esperto, ele era paciente, e ele era inumano.

      Se ele cometesse um engano no caminho, não era nada que não podia e não seria retificado. Ele sempre retificou seus enganos. O advogado de idiota, a mulher tola que tem objected para seu bilking ela de alguns cem mil dólares, qualquer número de lentos-importados subalternos ele empregou ou associou com no curso de sua carreira.

      Grande Jack O 'Hara e seu rudículo sócio Willy tinha sido enganos.

      Um misjudgment, Tripulação corrigiu como ele girou o canto e começou de volta para o hotel. Eles não tinham sido bastante tão estúpido quanto ele assumiu quando ele usou eles para planejar fora e executar o trabalho de sua vida. Seu gral, sua indagação. Seu.

      Como eles deslizaram pela armadilha que ele deitou e caído fora com seu cortado antes de pular era um quebra-cabeça para ele. Para mais que um mês eles conseguiram o iludir. E nem tentou tornar o tomar em dinheiro—que era outra surpresa.

      Mas ele manteve seu nariz para o chão e eventualmente levantou O 'odor da Hara. Ainda ele não tinha sido Jack que ele conseguiu localizar de Nova York até as montanhas de Maryland, mas a doninha tola Willy.

      Ele não devia ter deixado o pequeno bastardo o vê, Pensamento de tripulação agora. Mas goddamn cidades pequenas. Ele não esperou tudo menos choca-se com o homem na rua. Mais que ele esperou que Willy arremessar e correr, um coelho assustado pulando direito fora e debaixo das rodas de um oncoming carro.

      Ele foi tentado marchar pela chuva, até a bagunça de hemorragia e chutar isto. Milhões de dólares em jogo, e o idiota não lembra de olhar ambos os modos antes de apressar na rua.

      Então ela veio para ficando sem aquela loja. O bonito ruiva com o rosto chocado. Ele viu aquele rosto antes. Oh, ele nunca a encontraria, mas ele viu aquele rosto. Grande Jack teve fotografias, e ele amou tirar eles e mostrar a eles fora de uma vez que ele teve umas cervejas debaixo de seu cinto.

      Minha filha. Ela não é uma beleza? Esperto como um chicote, também. Academia-educada, meu Lainie.

      Esperto suficiente, Pensamento de tripulação, dobrar se na vida direta em uma cidade pequena assim ela podia cercar bens, transporte eles, vire eles. Era uma maldição bom trapaceiro.

      Se Jack pensou que ele podia passar o que pertenceu a Alex Crew para sua filha, e se aposente rico para Rio como ele freqüentemente gostou de conversar de fazer, ele ir ficar surpreendido.

      Ele ir voltar o que pertenceu a ele. Tudo que pertenceu a ele. E pai e filha iriam pagar um preço pesado.

      Ele andou no salão de entrada do Viandante e teve que forçar ele mesmo para suprimir um tremor. Ele considerou as acomodações apenas toleráveis. Ele tomou os degraus para seu apartamento, apague o não perturbar sinal como ele quis se sentar no quieto enquanto ele planejou seu próximo movimento.

      Ele precisou fazer contato com Laine Tavish, e devia provavelmente fazer para Milhas Alexander, propriedade jóias corretor. Ele estudou ele mesmo no espelho e movimentado a cabeça. Alexander era um fresco pseudônimo, como era o cabelo de prata e bigode. O 'Hara o conheceu como Martin Lyle ou Gerald Benson, e teriam o descrito como limpo-shaven, com sal de fim-e-cabelo de pimenta semeado.

      Um flerte poderia ser uma entrada, e ele apreciou companhia. O interesse mútuo em propriedade jóias tinha sido um bem tocar. Melhor tomar alguns dias, consiga um sentir pena dela antes dele fazer outro movimento.

      Ela não escondeu o esconderijo em sua casa, nem existiu qualquer depósito seguro ou locker chave para ser achada. Caso contrário ele e os dois assassinos ele contratou para o trabalho teria achado eles.

      Poderia ter sido erupção cutânea para roubar seu lugar em uma moda tão suja, mas ele tem estado bravo e tão certo ela teve o que pertenceu a ele. Ele ainda acreditou em que ela fez, ou soube onde achar isto. A melhor abordagem era para manter isto amigável, talvez romântica.

      Ela estava aqui, Willy estava aqui—ainda que ele estivesse morto. Jack O 'Hara podia estar muito para trás?

      Satisfeita com a simplicidade do plano, Tripulação sentada na frente de seu laptop. Ele educou vários locais em propriedade jóias e começou a estudar.

 

      Laine despertou em lamplight e olhou fixamente inexpressivamente ao redor seu quarto. Que hora era isto? Que dia era isto? Ela escavou seu cabelo atrás como ela se empurrou até perscrutar no relógio. Oito e quinze. Não podia ser DA MANHÃ porque era escuro, então o que ela estava fazendo na cama às oito de noite?

      Na cama, ela corrigiu, com seu arremesso de froco dobrou ao redor ela. E Henry roncando no chão ao lado da cama.

      Ela bocejou, estirou, então estalou de volta.

      Max!

      Oh meu Deus. Ele tem ajudado que ela limpe o pior do quarto de convidado, e eles conversaram sobre sair para jantar. Ou ordenando em.

      O que aconteceu então? Ela procurou seu cérebro turvo. Ele tomou o lixo no andar de baixo—fora de—e ela entrou em seu quarto para refrescar em cima e mudança.

      Ela só se sentaria na cama por um minuto.

      Certo, ela esticou na cama por um minuto. Feche seus olhos. Só tentando reagrupar.

      E agora ela estava acordando quase três horas mais tarde. Só.

      Ele tem coberto ela, ela pensou com um sappy sorriso como ela escovou um dar o arremesso. E ligou a luz assim ela não despertaria na escuridão.

      Ela começou a lançar o arremesso de lado e levante, e viu a nota que está no travesseiro ao lado dela.

     

      Você pareceu muito bonito e muito cansado para mim tocar Príncipe Encantado para sua Beleza Dormente. Eu bloqueado em cima, e seu cão de caça feroz está guardando você. Consiga um boa noite seja sono. Eu chamarei você amanhã. Melhor, eu virei por e verei você.

      Max

     

      "Ele podia ser mais perfeito?" Ela pediu o ainda roncando Henry. Deitando de volta, ela apertou a nota para seu peito. "Você imediatamente devia suspeitar perfeição, mas oh menino, eu estou apreciando isto. Eu estou tão cansado de ser suspeito e cauteloso, e só."

      Ela deita lá outro momento, sorrindo para ela mesma. A beleza dormente não era sonolenta mais. De fato, ela não podia ter sido mais acordada ou alertar.

      "Você sabe quanto tempo que tem sido desde que eu fiz algo realmente despreocupado?" Ela desenhou uma respiração funda, deixa isto. "Nem faça eu, isto seja quanto tempo que tem sido. É hora de jogar."

      Ela surgiu, salpicada no banheiro para começar o chuveiro. Em segundo pensamento, ela decidiu, um banho de bolha estava mais vestido da ocasião que ela teve em mente. Existia tempo para um, e enquanto correu que ela examinaria suas escolhas e escolheria algo para vestir mais vestido de seduzir Max Gannon.

      Ela usou um morno freesia odor na tina, então gastou uns cheia vinte minutos em diante sua maquilagem. Levou seu quase aquele longo para decidir se deixar seu cabelo abaixo ou põe isto. Ela optou para em cima porque ele não viu isto aquele modo ainda, e adaptou um solto updo que cairia na provocação mais leve.

      Este tempo, ela foi para a óbvia e o pequeno vestido preto. Ela era agradecida para os meses de divertimento de compras na frente de com o Jenny não-ainda-grávida que teve netted eles ambos algum lingerie incrível.

      Então, lembrando que Jenny creditou sua condição atual para aquele lingerie, Laine adicionou mais preservativos para aqueles que ela já dobraria em sua bolsa. Trouxe o total até meia dúzia, um número ela giddily decidiu era ambos cauteloso e otimista.

      Ela deslizou um tecido-casimira jaqueta preta magra, um rudículo indulgência ela não chegou a vestir quase freqüentemente suficiente, acima do vestido.

      Levando um último estudo no espelho, ela girou todo para angular. "Se ele diminuir você," ela declarou, "não existe nenhuma esperança para a humanidade."

      Ela assobiou para o cachorro seguir ela no andar de baixo. Depois de um entrar precipitadamente na cozinha para agarrar uma garrafa de vinho, ela tomou Henry é atar do gancho pela porta de parte de trás.

      "Queira dar um passeio?" Ela perguntou, uma pergunta que sempre enviou Henry em pulos e colisões de selvagem júbilo e estremecendo excitação. "Você está indo para do Jenny. Você vai ter um sleepover, e por favor, Deus, então é eu. Se eu não achar uma saída para tudo isso calor, eu estou indo para espontaneamente combust."

      Ele fez correr para o carro e atrás três vezes quando ela alcançou isto e abriu a porta para ele. Ele saltou em e se sentou grinning no passageiro acomoda enquanto ela amarrou com correia o cinto de segurança acima dele.

      "Eu não sou nem nervoso. Eu não posso acreditar em que eu não estou nervoso quando eu não fiz este em . . . bem, nenhum ponto que pensa sobre isto," ela adicionou como ela chegou atrás da roda. "Se eu pensar disto, eu estarei nervoso. Eu realmente gosto dele. É louco porque eu dificilmente o conheço, mas eu realmente gosto dele, Henry."

      Henry latiu, ou em compreensão ou em alegria como ela começou pista abaixo.

      "Provavelmente não pode vir para qualquer coisa," ela continuou. "Eu quero dizer, ele vive em Nova York e eu vivemos aqui. Mas ele não tem que vir para qualquer coisa, certo? Não tem que significar amor ou compromisso de vida eterna. Pode só ser luxúria e respeito e afeto e . . . luxúria. Existe um lote inteiro de luxúria continuando aqui, e não existe nada errado com isto.

      "E eu vou fechar antes de eu achar um caminho para conversar eu mesmo fora deste."

      Era quase dez quando ela parou em calçada do Jenny. Tarde, ela pensou. O tipo ultimamente para ir batendo em porta de quarto de hotel do sujeito.

      Mas só qual era o tempo adequado para ir batendo em porta de quarto de hotel do sujeito?

      Jenny já estava terminando da porta da frente e passeio abaixo. Laine lançou cinto de segurança e esperado do Henry por seu amigo abrir a porta de passageiro.

      "Oi, Henry! Existe meu melhor sujeito, ele está aí. Vince está esperando por você."

      "Eu devo você," Laine disse como Henry fez correr loucamente para a casa.

      "Não faça. Final de data, huh?"

      "Não pergunte, não diga."

      Jenny se debruçou em até onde sua barriga permitiria. "Você está me brincando?"

      "Sim. Eu direi a você tudo amanhã. Só mim mais um favor?"

      "Certo, o que?"

      "Reze, realmente duro, isso existe algo para dizer."

      "Você conseguiu isto, mas o modo que fabuloso você parece, aquelas orações já estão respondidas."

      "Certo. Aqui vá."

      "Vá conseguir eles, mel." Jenny fechou a porta e andou de volta, roçadura sua barriga como Laine foi embora. "O brinde do sujeito," ela murmurou, e foi dentro de tocar com Henry.

     

      Aconteceu para Laine que ela pareceu com uma mulher a caminho de uma designação. O pequeno vestido preto, os sapatos sensuais, a garrafa de vinho dobrado no trapaceiro de seu braço.

      Mas isso era certo. Ela era uma mulher a caminho, ela esperou, para uma designação. O homem envolvido não acabou de não saber isto ainda. E se ela chocasse-se com alguém que ela soube, então o que? Ela era um adulto, ela era única e não onerada. Ela era intitulada para uma noite de saudável, nenhum-sexo de cordas.

      Mas ela era aliviada quando ela cruzou o salão de entrada do Viandante sem ver um rosto familiar. Ela apertou o Em cima botão no elevador e pegou se fazendo um relaxamento respirando técnica que ela aprendeu em uma classe de ioga.

      Ela parou.

      Ela não quis relaxar. Ela podia relaxar amanhã. Hoje à noite ela quis aquele arame ao vivo chiar no sangue, os músculos de estômago de formigamento, a dança de frios e calor ao longo da pele.

      Ela andou no carro quando as portas abriram e apertaram o botão para chão do Max. Como seu fim de portas de elevador, as portas no ao lado de sua aberto.

      Alex Crew saída.

 

      Em sua escrivaninha, com a TV muttering no fundo para a companhia, Max revisou suas notas e escreveu em cima seu diariamente relatório. Ele omitiu para algumas coisas, era verdade. Não havia razão para documentar que ele tocou com o cachorro, Laine Beijado, ou que ele dobrou um cobertor acima dela então permanecido assistindo ela dorme.

      Nenhum de que era informações salientes.

      Ele detalhou a extensão do dano para sua propriedade, suas ações e reações e suas opiniões em que ele observou ser seu estilo de vida atual.

      Cidade simples, pequena, bem sucedida. Com conhecimento sobre sua profissão, cozily cavado em sua ladeira casa e a comunidade.

      Mas onde ela conseguiu os capitais para comprar aquela casa, recomeçar atividades seus negócios? O empréstimo de negócios e a hipoteca ele não acessou— em uma maneira estritamente legal—não adicionou quase em cima. Ela derrubou depósitos consideráveis—mais que logicamente pareceu possível para uma mulher jovem que ganhou um fixo mas salário comum desde academia.

      E ainda não uma quantia de exorbitante, ele refletiu. Nada vistoso. Nada que insinuou existia uma grande grande árvore de dinheiro em algum lugar gotejando com milhões.

      Ela dirigiu um bem, carro meio termo. Americanos feitos e três anos de idade. Ela teve algumas obras de arte e mobília boas em sua casa, mas ela estava nos negócios, então não era notável.

      Seu guarda-roupa, o que ele viu, mostrou a gosto clássico bom. Mas isto, também, não era exorbitante, e ajuste muito nitidamente na imagem do comerciante único, bem sucedido antigo.

      Tudo sobre sua ajustada aquela imagem, exatamente.

      Ela não viveu rico. Ela não pareceu com um operador, e ele podia normalmente localizar um. Qual era o ponto de comprar uma casa no bosque, conseguindo um cachorro feio, abrindo uma Rua Principal, E.U.A., negócios se não fosse o que você procurado?

      Uma mulher com seus atributos podia estar em qualquer lugar, fazendo qualquer coisa. Então, ele seguido que ela estava fazendo exatamente o que ela quis fazer.

      E que não acabou de não adicionar em cima qualquer um.

      Ele era messed em cima sobre ela, isso era o problema. Ele tipped atrás em sua cadeira, olhado fixamente no teto. Toda vez ele olhou para ela, seu cérebro foi suave nele. Existia algo sobre aquele rosto, a voz, Jesus, o cheiro sua, isso estava fazendo uma seiva fora dele.

      Talvez ele não podia a ver como um operador porque ele não quis ver seu aquele modo. Ele não tinha sido isto trançado em cima em uma mulher desde . . . Realmente, ele nunca seria isto trançado em cima em uma mulher.

      Praticamente então, profissionalmente então, ele devia de volta fora de um pouco no contato pessoal. Se ou não ela pareceu ser seu melhor canal para içar O 'Hara, ele não podia a usar se ele não pudesse recuperar-se ela.

      Ele podia dar uma desculpa, deixe cidade por alguns dias. Ele podia estabelecer um básico perto onde ele podia observar e registrar. E use seus contatos e conexões, como também suas próprias habilidades de hacker, cavar mais fundo na vida e os tempos de Elaine O 'Hara aka Laine Tavish.

      Quando ele soube mais, ele decidiria como a lidar e volta. Mas enquanto isso, ele teria que manter um pouco de distância de objetivo. Não mais jantar para dois, não mais gastando o dia com ela em casa, contato não mais físico que não podia levar a qualquer coisa exceto complicações.

      Ele verificaria de manhã, dê seu um telefonema rápido para dizer a ela que ele chamou de volta para Nova York e estaria em toque. Mantenha as linhas abertas, mas aliviem de volta na frente pessoal.

      Um homem não podia fazer seu eficazmente de trabalho se ele estivesse vagando ao redor em uma névoa sexual.

      Satisfeito com o plano, Max levantou. Ele lotaria a maior parte de suas coisas hoje à noite, talvez afunde posteriormente para um nightcap, então tente dormir fora do para ela que estava construindo muito muito depressa e muito muito inadequadamente dentro dele.

      O golpe na porta distraída ele. Eles já fariam o turndown, pequenas hortelãs de chocolate nos travesseiros incluídos. Ele metade esperado ver um envelope corrediço debaixo da porta. Entretanto ele preferiu todas as comunicações via e-mail, seus clientes freqüentemente insistido em um fac-símile de cópia dura para instruções.

      Quando nada apareceu, ele subjugou, olhou de relance pelo espiar. E veio dentro de uma respiração de deglutição sua própria língua.

      Que diabo ela estava fazendo em sua porta? E o que ela estava vestindo?

      Jesus Cristo.

      Ele voltou em cima, esfregou um dar seu rosto, seu coração. O instinto profissional contribuído suficiente para ter ele apressando de volta para a escrivaninha, fechando seus arquivos, enterrando qualquer papelada dura, então fazendo um rápido visual varra para qualquer coisa que poderia soprar sua cobertura.

      Ele conseguiria seu no andar de baixo para o vadiar, é disso que ele faria. Consiga ela, em um lugar público, diga a ela que ele chamou de volta, tenha um bebida rápido com ela.

      E saia. Mova junto. Mude-se.

      Ele arrastou uma mão por seu cabelo uns tempos, escapou dos nervos. Ele trabalhou o que ele considerou um fácil, ligeiramente surpresa, ligeiramente expressão contente e abriu a porta.

      O choque cheio dela não foi bem sucedida para o buraco de fechadura. Agora a língua ele quase tragaria desenrolou novamente e tudo menos estatelados em seus pés.

      Ele não podia bastante enfoque em que ela estava vestindo diferente de notar era preto, era pequeno, e ele exibiu mais curvas que uma Fórmula Uma corrida. Suas pernas eram mais longas que ele imaginou, e terminou em muito alto, saltos de sapatos muito magros pretos.

      Tudo aquele cabelo ígneo era escavou em cima de alguma maneira ou outro, e seus olhos parecidos mais azuis, mais brilhantes que sempre. Ela alisou algo escuro e brilhante e tantalizingly molhado acima de seus lábios.

      Deus o ajuda.

      "Eu acordei."

      "Você fez. Você certamente fez."

      "Eu posso entrar?"

      "Ah. Um." Era tão coerente quanto ele podia administrar, então ele acabou de andar de volta. E quando ela caminhou por ele, o odor de suas embrulhadas ao redor suas glândulas, e apertadas.

      "Eu não consegui uma chance de obrigado, então eu pensei que eu iria."

      "Obrigado. Agradeça-me," ele corrigiu, e sentiu como um imbecil.

      Ela sorriu e, levantando a garrafa de vinho, sacudiu isto para lado lentamente lateral. "Como você sente sobre Merlot?"

      "Eu me sinto satisfatório sobre isto."

      Levou toda sua força de vontade para não rir. Existia qualquer coisa que fez uma mulher sentir mais de uma mulher que um homem tendo olhar fixo nela como se ele fosse encantado? Ela tomou um passo em direção a ele e estava maravilhosamente lisonjeada quando ele levou uma em retirada. "Boa o suficiente para compartilhar?" Ela perguntou a ele.

      "Parte?"

      "O vinho."

      "Oh." Ele teve uns choques em seu dia. Eles freqüentemente deram à vítima a mesma penugenta, fora-de-sensação de corpo ele estava experimentando agora. "Certo." Ele tomou a garrafa que ela resistiu. "Certo. Certo."

      "Bem então."

      "Bem?" Lá pareceu ser um pouco de tipo de atraso de tempo entre seu cérebro e sua boca. "Oh, certa. Ah, saca-rolhas." Ele olhou de relance em direção ao mini-bar, mas ela alcançou em sua bolsa.

      "Tente isto." Ela ofereceu a ele uns saca-rolhas. Uma metade da manivela era uma mulher desnuda, encabece para torso. O outro era toda perna.

      "Atraente," ele administrou.

      "Kitschy," ela corrigiu. "Eu tenho uma coleção pequena. Quarto bom," ela adicionou. "Muita cama." Ela vagou para a janela, aliviou as cortinas separadamente algumas polegadas. "Eu aposto o maravilhoso da visão."

      "Oh sim."

      Perfeitamente ciente seu olha estava nela, ela continuou a olhar a janela e lentamente descascou o suéter magro. Ela ouviu o abrupto clunk da garrafa de vinho contra madeira e era satisfeito o vestido fez seu trabalho. De seu ponto de vista, não existia muito disto, só muito seu desnudo atrás emoldurado por um pouco de negro aquecido.

      Ela vagou longe, em direção à cama, e arrancou uma das hortelãs do travesseiro. "Mmm, chocolate. Você se importa?"

      O melhor ele podia ser uma sacudida lenta de sua cabeça. A cortiça terminou da garrafa com uma surpreendida estalar e as palavras "Oh meu Deus" apressada em sua mente como ela desembrulhou a pouca hortelã, mordeu lentamente nisto.

      Ela deu um sensual pequeno gemido, lambido seus lábios. "Eu ouvi em algum lugar aquelas conversas de dinheiro mas chocolate canta. Eu assim." Ela caminhou para ele, segurou a segunda metade da hortelã para seus lábios. "Eu compartilharei, também."

      "Você é matança me."

      "Vamos ter algum vinho então, então você pode morrer feliz." Ela se sentou na extremidade da cama, cruzadas suas pernas. "Eu interrompi seu trabalho?"

      "Relatórios. Eu voltarei para isto." Quando eu achar minha sanidade, ele decidiu. Ele despejou vinho, dada ela um vidro. E assistiu ela assistir ele como ela tomou o primeiro, gole lento.

      "Tem sido um enquanto desde que dobrado de alguém me em. Eu não quis dizer adormecer em você, Max."

      "Você teve uma noite áspera, um dia duro."

      "Não tão duro um dia quanto eu esperei, graças a você."

      "Laine—"

      "Deixe-me obrigado. Era mais fácil fazendo o que precisou ser feito com você lá. Eu gosto de gastar tempo com você." Ela tomou outro, gole mais longo. "Eu gosto de querer você, e especulando que você me quer."

      "Querendo que você esteja apertando a respiração fora de minha garganta, cortando o oxigênio para meu cérebro. Isso não era o plano."

      "Já queira dizer que atarraxe o plano e vá com impulso?"

      "O tempo todo."

      Ela riu agora, abaixou o vinho e rosa para despejar outro vidro. Atrás de outro gole, ela caminhou para a porta. "Eu não faço. Ou raramente faça. Mas você tem que respeitar as exceções que fazem a regra."

      Ela abriu a porta, pendurou o não perturbar sinal no lado de fora botão. Ela fechou a porta, bloqueada isto, debruçado atrás contra isto. "Se você não gostar de onde isto está indo, melhor falar mais alto."

      Ele tomou um trago fundo de vinho ele mesmo. "Eu tenho absolutamente nada para dizer."

      "Isto é bom porque eu era preparado para ficar áspero."

      Ele imaginou o sorriso que divide seu rosto era grande, e estúpido. Ele não deu uma maldição. "Realmente?"

      Ela começou de volta em direção a ele. "Eu não estava certo que eu poderia lutar feira."

      "Aquele vestido não está lutar contra feira."

      "Oh?" Ela tomou um último gole de vinho, então economizar o vidro. "Então eu devia levar de tomar isto."

      "Deixe-me. Por favor." Ele arrastou uma ponta do dedo ao longo da pele branca láctea afiada com preta. "Deixe-me."

      "Ajude você mesmo."

      Ele esqueceu sobre practicality, professionalism. Ele esqueceu sobre a distância sentimental e físico ele decidiu iria melhores terno suas necessidades. Ele esqueceu sobre tudo exceto a realidade sua, a textura da água suave de sua pele, o odor arrojado, o gosto quente, madura de sua boca quando ele agarrou seus quadris, puxada ela fecha e a beijou.

      Ela o envolveu—aquelas texturas, aquele odor, aquele gosto até que eles eram que—ela eram tudo que ele podia querer ou precisar ou imaginava.

      Era um engano. Levando ela agora, como isto, era um engano e afiado muito perto do proibido. Sabendo que só adicionou um elemento irresistível de perigo para o todo.

      Ele arrastou o vestido longe de seu ombro, deixe seus dentes em carne. E quando sua cabeça retirada-se, ele trabalhou seu modo atrás em direção ao pequeno ronrona em sua garganta.

      "Algo para ser dito sobre planeja entretanto," ele murmurou, e trancou seu outro ombro. "Eu tenho todos os tipos de planos para você."

      "Eu estava pulando." Ela apalpou sua mão atrás para onde ela soltou sua bolsa na cama. "Você vai precisar deste," ela disse, e retirou-se um preservativo.

      "Em um certo ponto, nós também vamos precisar de um desfibrilador e um extintor de incêndio."

      "Promessas, promessas."

      Ele sorriu abertamente. "Eu podia ir seriamente louco acima de você." Ele deitou seus lábios em sua novamente, esfregou. "Isto é uma daquela casca-fora-dele negócios? O vestido, eu quero dizer."

      "Quase."

      "Maldição quente, um favorito pessoal." Ele trabalhou devagar, tirando o processo com sua boca em sua até que eles estavam ambos pronto para tremor. Então ele recuou, tomou sua mão assim ela podia sair do vestido que pooled em seus pés. E acabou de olhar para ela.

      Ela vestiu um pouco de tipo de fascinar construção de seda e de renda que paquerou acima de seus peitos assim eles tiveram pequena escolha mas rebelar-se, ameace derramar fora. A seda preta lida rapidamente abaixo seu torso, beliscando em sua cintura, moldando acima de seus quadris para terminar em flirty pequenas ligas que levantaram meia-calças pretas empinadas.

      "Eu estou tentando pensar sobre algo memorável para dizer, mas é realmente duro quando todo o drenado do sangue fora de minha cabeça."

      "Dê isto um tiro."

      "Uau."

      "É disso que eu estava atirando." Ela alcançou e começou a desabotoar sua camisa. "Eu gosto do modo que você olha para mim. Eu fiz direito da primeira vez. Eu gosto especialmente do modo que você está olhando para mim agora."

      "Eu vejo você até quando eu não estiver olhando. Isto é um primeiro para mim, e um pouco enervando."

      "Talvez algumas pessoas deveriam ver um ao outro. Talvez é por isso que isto está acontecendo tão rápido. Eu não me importo por que." Ela desenhou sua camisa longe, correu ela mãos ao alto seu tórax, então bloqueado eles ao redor seu pescoço. "Eu não me importo," ela repetiu e esmagou seus lábios para seu.

      Ela só soube que ela quis continuar a sentimento deste modo, ter estes sacode de excitação chocando seu sistema, tremer com o chiar inundação de antecipação. Para conhecer o poder de ter do homem, este do homem, atenção e desejo completo.

      Ela quis ser despreocupada, tomar exatamente o que ela quis em tragos avaros por uma vez em sua vida, e pensar só do momento, do prazer, da paixão.

      Quando ele a girado ao redor, ela arqueou de volta contra ele, erguendo seus braços para enganchar eles ao redor seu pescoço, e deu suas mãos a liberdade para a atropelar. Acima de renda, seda, carne. Ele alimentou em seu pescoço, na curva de seu ombro enquanto ele a tocou, despertada ela. Sua respiração pega, lançado em um gemido quando sua mão deslizou entre suas coxas. Ela apertou sua contra seu, balançados seus quadris e rebelou-se naquela onda quente de prazer.

      Ele imaginou ele mesmo a balançando em cima, deitando ela na cama para tomar a próxima fase com algo abordando romance e astúcia. Mas de alguma maneira eles eram tangled junto nas folhas nitidamente diminuída em uma luta desesperada para tocar, gosto.

      Seu cabelo derramou abaixo, fogo brilhante contra o branco. O odor disto, de sua pele, ofuscados seus sentidos até que ele perguntou-se se ele já tomaria outra respiração sem a desenhar em.

      "Faça coisas para mim." Sua boca era fome selvagem em sua. "Faça tudo para mim."

      Ele era perdido em uma tempestade de necessidades e cobiça, afogando no calor deles até como ele feasted nela, e ela nele. Como ela moveu debaixo dele, acima dele, cercou ele, ele era mais áspero que ele quis dizer estar em uma procura desesperada por mais.

      Seus pulmões estavam gritando, seu coração galopante para o ponto de dor. Sua pele era tão quente pareceu poderia derreter fora de seus ossos. E Deus, era glorioso.

      Suas mãos eram tão fortes, sua boca tão voraz. Ela podia se divertir na sensação de ser assumida o comando de, corpo e mente. Ele arrastou e puxou em estalos, impossivelmente ganchos minúsculos, feito seu risada breathlessly quando ele apalpou e amaldiçoou. Feita sua boqueada em choque quando ele dirigiu nela e a atirou na extremidade.

      Era ela que exigiu isso tudo, agora, agora, agora! E curvado e aberto, que clamou quando ele mergulhou dentro dela. Sua vista borrada, seu coração galopante parou. Então tudo, tudo era claro como cristal, sua batida do coração furiosa, sua corrida de corpo como eles tomaram um ao outro.

      Ela podia ver seu rosto, as linhas e buracos, a sombra da barba não barbeada desde a manhã, e seus olhos, olhos de tigre enfocados em sua. Então indo mais escuro, indo opaco um momento antes dele enterrar seu rosto em seu cabelo e esvaziada nela.

 

      Seu corpo era encharcado, saturado com prazer, e sua mente tranqüila como um lago do verão. Ela era presa debaixo de seu corpo, e encantados com ela mesma e ele. Ela podia ouvir o som roto de sua respiração. Existia tal satisfação em saber que ela causou isto. Toying com seu cabelo, ela fechou seus olhos e se deixou vento.

      "Você certo abaixo lá?" Ele murmurou.

      "Eu sou maravilhoso abaixo aqui, obrigado. Você certo lá em cima?"

      "Eu posso ser paralisado, mas eu estou me parecendo satisfatório sobre isto." Ele girou sua cabeça muito seus lábios escovou o lado de seu pescoço. "Laine."

      Fim de olhos quietos, ela sorriu. "Max."

      "Eu tenho que dizer que . . . eu ter que dizer," ele repetiu tanto por ele mesmo como seu, "isto é algo que eu nunca esperei quando eu . . . tomei esta tarefa."

      "Eu gosto de surpresas. Eu parei de gostar deles no caminho, mas eu estou lembrando de por que eu sempre gostei de surpresas. É porque eles só acontecem."

      "Se surpresas lidam com achado você em minha porta vestindo um vestido preto sensual, eu freaking ama eles."

      "Se eu fiz isto novamente, não seria uma surpresa, seria um repetir."

      "Eu posso viver com isto. Onde está Henry?"

      "Henry?"

      Ele empurrou sobre seus cotovelos para olhar abaixo nela. "Você não o deixou em casa, não é? Depois que quais aconteceram ontem à noite."

      Não era calor relampejando agora, mas um calor lento e adorável corrediço. Ele estava preocupado sobre um cachorro. Seu cachorro. Qualquer homem que se preocuparia sobre um cachorro quando ele era desnudo na cama com um tiro de mulher diretamente para o topo de sua lista de todos os-heróis de tempo. Ela arrastou seu rosto até sua assim ela podia chover beijos acima disto.

      "Não, eu não o deixei só. Eu o levei para do Jenny. Como você pode ser tão perfeito? Eu estou sempre procurando pelas falhas em tudo, mas você somente é . . ." Ela apertou seus lábios para seu em um beijo longo, ruidoso. "Absolutamente perfeito."

      "Eu não sou." Ele não gostou da punção de culpabilidade. Era uma sensação que ele superou ou evitou. Pior, existia preocupação tangled com isto. O que ela pensaria, como iria ela reagir quando ela descobriu só o que suas falhas eram?

      "Eu sou egoísta e único-importado," ele disse a ela. "Eu—"

      "Homens egoístas não vagam em lojas de antiguidades procurando por um presente para sua mãe, só porque."

      A punção se tornou um pang. "Isso era impulso."

      "Veja, uma surpresa. Eu não acabei de não dizer que eu amo surpresas? Não tente me convencer que você não seja perfeito. Eu sou muito feliz com você agora mesmo de pensar qualquer outra coisa. Uh-oh, agora eu tenho você pensando." Ela correu ela passar para baixo suas costas, deu seu alvo um amigável bater levemente. "Ela está tentando se transformar nisto mais que diversão e jogos?"

      "Não é disso que eu estava pensando. E já é mais que diversão e jogos."

      "Oh." Seu coração tropeçado, mas ela manteve seus olhos afiançarem em seu. "É?"

      "É disso que eu não estava esperando, Laine." Ele abaixou sua cabeça, tocado seus lábios para sua. "Faça coisas um pouco mais complicadas."

      "Eu não me importo complicações, Max." Ela emoldurou seu rosto com suas mãos. "Nós podemos nos preocupar sobre que isto é, ou não é, o que ele vai ser, amanhã, ou nós podemos apreciar isto. E um ao outro. A aquela coisa eu sei é quando eu acordei em casa hoje à noite, eu tinha muito prazer em porque eu soube que eu quis ser com você. Eu não senti aquela entrada muito tempo."

      "Feliz?"

      "Satisfeito, conteúdo, produtivo e feliz suficiente. Mas não dança-em torno-da-casa feliz. Então sobre a única coisa você podia dizer a mim que faria isto muito complicado para mim é que você tem uma esposa e umas crianças em Brooklyn."

      "Eu não faço. Eles estão em Rainhas."

      Ela comprimida ele, duro, então o lutou acima de sobre suas costas. "Ha ha. Muito engraçado."

      "É minha ex-esposa que vive em Brooklyn."

      Ela o escarranchou, lançado seu cabelo atrás. "Você tem estado ocupado."

      "Bem, você coleciona sacas-rolhas. Alguns sujeitos colecionam mulheres. Minha amante atual está em Atlanta, mas eu estou pensando sobre ampliar-se. Você podia ser minha Maryland tootsie."

      "Tootsie? Está sempre sido de minhas ambições de direção para ser tootsie de alguém. Onde eu assino em cima?"

      Ele se sentou em cima, embrulhando seus braços ao redor ela e só esperando. Complicações, ele pensou. Ele não podia começar a listar eles. Então ele só teria que lidar com eles. Então iria ela. Mas não hoje à noite. Hoje à noite ele iria a levar em sua palavra e só apreciaria.

      "Você vai ficar por algum tempo? Fique por algum tempo, Laine."

      "Eu achei que você nunca perguntaria."

 

      "Não vá." O momento as palavras estavam fora de boca do Max, ele percebeu que ele nunca diria eles para uma mulher antes. Talvez ele era dormia privação, esgotamento sexual. Talvez era só ela.

      "É depois de três de manhã."

      "Exatamente. Então apareça de volta para a cama. Nós legamos colher justa em cima aqui e soneca para umas horas do par, então ordene café da manhã."

      "Aqueles sons maravilhosos, mas eu precisarei de um outro daqueles cheques de chuva." Ela meneou no vestido, renunciando roupa íntima. E apagou todos os pensamentos de cochilar de sua mente.

      "Então só volte para a cama."

      "Eu tenho que ir." Ela riu, dançando fora de alcançar quando ele fez um agarrar para ela. "Eu preciso ir para casa, pegue sono de horas do par, mudança, corra de volta em cidade e levante Henry, leve para casa ele, então volte em cidade para a loja."

      "Se você ficar aqui, você podia levantar Henry a caminho casa e salvava você mesmo uma viagem."

      "E forneça o moinho de fofoca com suficiente moenda para correr isto até próximo Natal." Ela era cidade pequena suficiente, na mulher ela tem criado, estar preocupada sobre tais coisas. "Uma mulher passeia fora de um hotel de manhã vestindo este tipo de vestido, sobrancelhas criam. Especialmente no Buraco."

      "Eu emprestarei a você uma camisa."

      "Eu estou indo." Ela encheu seu lingerie em sua bolsa. "Mas se você gostaria de jantar comigo hoje à noite . . ."

      "Nomeie o tempo e lugar."

      "Oito, meu lugar. Eu cozinharei."

      "Cozinhe?" Seus olhos piscados lentamente, duas vezes, então pareceram cobertura. "Comida?"

      "Não, eu pensei que eu forjaria um enredo insidioso contra o governo. Claro que comida." Ela girou para o espelho, puxou uma escova minúscula fora de que ela inchando bolsa e abateu isto por seu cabelo. "O que você gosta?"

      Ele acabou de olhar fixamente para ela. "Comida?"

      "Eu pensarei sobre algo." Satisfez que ela era tão bom quanto ela iria conseguir, ela soltou a escova de volta na bolsa e cruzado para ele. Ela se debruçou acima da cama, deu a ele um beijo leve. "Até mais."

      Ele ficou onde ele estava depois que ela fechou a porta atrás dela. Ficou, olhando fixamente para a porta com o gosto de seu prolongado em seus lábios.

      Nenhum de fez qualquer sensação. Não o que aconteceram entre eles, não o que ele sentiu a pena de, não quem ela era. Porque seu lendo dela não era fora de. Ele nunca era este ao longe, e ele não teve nada a ver com glândulas.

      Se Laine Tavish era misturado em um multimillion-dólar heist, ele comeria licença do seu própria investigador.

      Não explicou por que William Young veio para a ver. Não explicou por que ele estava morto. Não explicou por que sua casa tinha sido saqueada.

      Mas existiam explicações, e ele pesquisaria eles. Ele era bom nisto. Uma vez que ele teve, uma vez que ele passou a sem tocar, satisfeito seu cliente, feito o trabalho, ele diria a ela tudo.

      Ela provavelmente estaria um pouco chateada.

      Fique real, Gannon, ele pensou, ela estaria completamente urinada. Mas ele a traria ao redor.

      Ele era bom em trazer pessoas, também.

      O melhor caminho para trabalhar pela bagunça que ele entrou em era para prosseguir com lógica. Logicamente, Jack O 'filha da Hara Elaine dividiu gravatas com ele, mudado seu nome, ajustado seu fundo e começou uma vida para ela mesma. Tudo apontada naquela direção, inclusive seus próprios instintos.

      Isso não significou Grande Jack, Willy ou alguns de seus associados eram desavisados dela e seu local. Não significou não existia contato ocasional, ou a tentativa para contactar.

      E certas, suas finanças ainda o atingiram como dicey, mas ele trabalharia nisto. Alguns mil aqui ou lá para pôr um sinal em uma casa ou recomeça atividades uns negócios não era nada. Não comparada a uma parte de $28 milhões e mudança.

      Willy pode ter rasto ela até perguntar a ela por ajuda, um lugar para esconder fora, entregar uma mensagem de seu pai. Qualquer que seja o propósito, ele estava morto como Moisés agora e não podia ser perguntado. E iria nunca tirar bom proveito de sua parte, qualquer um, Max meditou.

      Isso não ergueu as estacas consideravelmente?

      Laine não teve nada na casa no valor de preocupando sobre. Existia nehuma dúvida que disto. Ainda que quem quebraram em faltaram algo, ela não teria deixado a casa desacompanhada pela noite tocar aquece as folhas se ela algo escondesse lá.

      Logicamente, ela não teve nada. Ela tem estado em Buraco do Anjo quando as jóias eram roubadas. Para causa do Cristo, ela apenas terminaria sua primeira década quando ela era embaralhada fora de égide e influência do Grande Jack.

      Indiferentemente, passar sem tocar ela, riscar seu nome todas as listas, ele teve que cobrir todo o fundar. Ele teve que tomar um bem procurar sua loja.

      O mais cedo ele fez isto, os mais cedo eles podiam partir. Ele verificou o tempo, julgou que ele teve umas boas três horas na frente de luz do dia.

      Poderia também iniciar.

     

      O espantou que qualquer um que DNA compartilhado com um ladrão asseguraria seus próprios negócios com fechaduras normais e um rinky-dink alarme sistema qualquer de doze anos de idade com uma faca do Exército suíço e um pouco imaginação podiam evitar.

      Realmente, se esta . . . coisa de suas transformada em uma relação real, ele iria ter um sério se sentar com Laine sobre casa e segurança de negócios. Talvez uma loja em uma cidade deste tipo e tamanho não exigiram bares de revolta, Portão ou máquinas fotográficas de vigilância, mas ela até não aborreceu com luzes de segurança, dentro ou fora. Como para a porta, era patético. Se ele tiver sido um ladrão que não se preocupou sobre astúcia, um par de bons pontapés teriam feito o trabalho.

      Sua desculpa atual para um sistema fez a noite B&E embaraçosamente fácil. Ele ultrapassou o alarme e escolheu as fechaduras atrás porta no caso de que algum insone decidiu tomar um predawn passeio abaixo Rua de Mercado. E ele caminhou do hotel, tomando seu tempo, circulando o quarteirão a pé. Só porque algo era fácil não significou que você podia ter condições de ser descuidado sobre procedimento.

      A cidade estava quieta suficiente assim ele podia ouvir o estrondo de um forno quando chutou em dentro de um edifício. E o apito longo, triste de um trem de frete que rosa eerily fora do silêncio. Não existia nenhum winos, não joga fora, nenhum sem casa, nenhum hookers ou as pessoas de rua povoando a noite em que seria Buraco do Anjo do centro da cidade considerados.

      Você teve que perguntar-se se você estivesse realmente na América ou se você de alguma maneira tropeçaria em um cartão postal impresso em cima pela Câmara de Comércio local.

      Era, Max decidiu, ligeiramente arrepiado.

      As iluminações de rua ao longo da calçada íngreme eram estilo de lanterna antiquada, e todos deles arderam. Todas as janelas de exibição no storefronts eram vidro empinado. Como com Lembre Quando, não existia nenhum Portão, nenhum bares de segurança.

 

      Qualquer um já não lançou um tijolo por um e ajudou eles mesmos na frente de hotfooting ele longe? Ou contribuiu uma porta para uma festa de saqueamento rápido?

      Não acabou de não parecer certo.

      Ele pensou sobre Nova York às três vinte e sete DA MANHÃ existiria ação, ou dificuldade, se você fosse propenso para qualquer um. Existiria ambos tráfico pedestre e veicular e as lojas todos seriam encadeados abaixo pela noite.

      Então existia mais crime lá em um por capita base só porque era esperado?

      Era uma teoria interessante, e ele teria que dar a um pouco de pensamento para ele quando ele teve um pouco tempo de manutenção.

      Mas no momento, alarme e fecha despachado, ele aliviou abre a porta traseira de Lembra Quando.

      Dentro e fora em uma hora, topos, ele prometeu ele mesmo. Então atrás para o hotel para pegar um pouco sono. Quando Nova York abriu, ele contactaria seu cliente e relatório que toda evidência apontada para o fato que Laine Tavish não era, conscientemente, envolvido.

      Isso passaria o sem tocar, de seu ponto de vista, explicar coisas para ela. Uma vez que ele fez isto, e a conversou fora de ser urinado, ele escolheria seu cérebro. Ele teve um sentimento que ela seria uma fonte excelente em acompanhamento Grande Jack e os diamantes.

      E em colecionar taxa do seu descobridor.

      Max fecha a porta quietamente atrás dele. Passado ligar seu penlight.

      Mas em vez da viga estreita aparecendo, luzes explodidas dentro de sua cabeça.

 

      Ele despertou em morta escura com sua cabeça que bate com todo o gusto e violência de seu sobrinho jovens slamming panela tampas juntas. Ele conseguiu rolar acima do que ele pensou era suas costas. O modo sua cabeça estava batendo e tecedura, ele não podia estar certo.

      Ele ergueu uma mão para verificar se aquela cabeça estava ainda enfrentar frente e sentiu a morna molhada correndo.

      E isso empurrou temperamento pela dor. Era ruim o suficiente para ser emboscado e nocauteado, mas ele era um inferno de outra coisa se ele tivesse que ir para a maldição ER e consegue pontos.

      Ele não podia bastante claro seu cérebro, mas ele empurrou ele mesmo para posição de um sentar. Desde a cabeça ele era agora razoavelmente certo estava ainda no modo correto pareceu em perigo de cair de seus ombros, ele abaixou isto para suas mãos até que ele sentiu mais assegurou.

      Ele precisou levantar, ligue uma luz. Faça o inventário dele mesmo e que diabo aconteceu. Ele enxugou no sangue, abertos seus olhos doloridos e carranqueou na porta traseira aberta.

      Quem o bateram por detrás eram longos idos. Ele começou a chegar a seus pés com a idéia de tomar um rápido procurar o lugar antes de seguir o exemplo.

      E a entrada traseira de repente estava cheia com policial.

      Max tomou um longo olhar para Hambúrguer de Vince, e na polícia-emite apontando em sua direção e disse, "Bem, cague."

 

      "Olhe, você pode me estalar para o B e E. Lega picadura. Eu chegarei ao redor isto, mas ele lega picadura. Mas—"

      "Eu estalei você para o B e E." Vince deu em sua cadeira de escrivaninha e sorriu humorlessly em Max, que se sentou cuffed para cadeira da visita no escritório da casa da estação.

      Não olhou tão grande cidade e convencida agora, Vince pensou, com a bandagem em seu templo e o considerável amontoou em sua fronte.

      "Então existe roubo tentado—"

      "Eu não estava roubando qualquer coisa, condena isto, e você sabe isto."

      "Oh, então você só arromba lojas no meio da noite para folhear ao redor. Como compras de janela mas no lado de dentro." Ele ergueu uma bolsa de evidência, deu isto uma sacudida aquelas ferramentas de assaltante e assistente de dados pessoal do rattled Max. "E você carrega estes ao redor no caso de você fazer alguma pequena casa ter consertos?"

      "Olhe—"

      "Eu posso estalar você em possessão de ferramentas de roubo."

      "Isto é um goddamn PDA. Todo mundo pegou um PDA."

      "Eu não faço."

      "Surpresa, surpresa," Max disse sourly. "Eu tive razões por ser dentro da loja do Laine."

      "Você arromba todas as lojas e casas de mulheres você data?"

      "Eu nunca arrombei sua casa, e é bonito maldição elementar, Watson, que quem estavam na loja à frente de mim, quem coldcocked mim era a pessoa que fez. Você é protetor sua, eu consigo isto, mas—"

      "Condene direito." Os olhos do menino velho bom foram duros como escória de carvão. "Ela é um amigo minha. Ela é um bom amigo minha, e eu não gosto de um pouco de Nova York otário messing com meus amigos."

      "Eu sou uma Geórgia otário, realmente. Eu só vivo em Nova York. Eu estou conduzindo uma investigação para um cliente. Uma investigação privada."

      "Então você diz, mas eu não achei qualquer licença em você."

      "Você não achou qualquer carteira qualquer um," Max estalou de volta, "porque quem me bateram fora ajudaram ele mesmo a isto. Goddamn isto, Hambúrguer—"

      "Não afugente meu escritório."

      Em fim da genialidade, Max se debruçou seu voltar, fechados seus olhos. "Eu não pedi um advogado, mas eu vou implorar você, eu posso até trabalhar algumas lágrimas junto com isto, para um pouco de fricking aspirina."

      Vince abriu uma gaveta de escrivaninha, tirou uma garrafa. Talvez ele bateu a gaveta só para a satisfação de ver Max estremecer, mas ele levantou ele mesmo em cima e despejou uma xícara da água.

      "Você sabe que eu seja o que eu digo que eu sou." Max tomou as pílulas, abaixou eles com a água e rezados para eles quebrar natação de registros Olímpica em sua circulação sangüínea. "Você me correu. Você conhece que eu estou um investigador licenciado. Você conhece que eu costumava ser um policial. E enquanto você está desperdiçando tempo e conseguindo seu jollies busting minhas bolas, quem estavam em seu lugar voltou para moer. Você precisa—"

      "Você não quer dizer a mim o que eu preciso fazer." A voz era aprazível suficiente para ter Max com respeito à fúria fria debaixo de —particularmente desde que ele era cuffed para uma cadeira. "Você disse a Laine tudo aquilo? Sobre o costumava ser um policial, indo privado, trabalhando em um caso aqui no Buraco?"

      Só sua sorte, Max decidiu, correr infração da versão de Norman Rockwell de um duro-traseiro cidade policial. "Isto é sobre minha relação com Laine ou sobre mim sendo dentro da loja?"

      "Seis de um para mim. No que o caso você é estar trabalhando?"

      "Eu não estou dando a você quaisquer detalhes naquele até que eu converse com meu cliente." E seu cliente era improvável para estar contente ele tem sido busted que escorrega em torno dos pontos bons da lei. Não que ele escorregou, mas que ele foi pego. Mas isso era outro problema.

      "Olhe, alguém estava naquela loja quando eu entrei, e aquela mesmos pessoa despedaçou casa do Laine. Laine é o que nós precisamos estar preocupados quase certos agora. Você precisa enviar um deputado fora para seu lugar e ter certeza—"

      "Dizendo a mim como fazer meu trabalho não vai fazer-me sentir mais amavelmente em direção a você."

      "Eu não me importo se você quiser perguntar a mim fora para o prom. Laine precisa de proteção."

      "Você tem feito um bom trabalho disto." Vince povoou seu peso na extremidade da escrivaninha, goste, Max pensou com um coração de afundamento, um homem adaptar-se para uma conversa boa, longa. "Engraçado como você aparece de Nova York logo depois de eu acabar com um sujeito de Nova York no morgue."

      "Sim, eu estou ainda rindo sobre aquele. Oito milhões das pessoas em Nova York, dêem ou tomem," Max disse friamente. "Pareça razoáveis alguns deles passariam por aqui de vez em quando."

      "Ache que eu não esteja me parecendo real razoável. Aqui é o que eu vejo. Um pouco de sujeito sai da loja do Laine, consegue spooked e choca-se com a rua, acaba morto. Você aparece, conversa Laine em jantar com você, e enquanto você é a partir, sua casa é roubada e feita vandalismo em. Próxima coisa você sabe, você é dentro de sua loja às três e trinta de manhã levando ferramentas de assaltante. O que você está procurando por, Gannon?"

      "Paz interna."

      "Boa sorte com isto," Vince disse como eles ouviram a marcha rápida de corredor abaixo de passos.

      Laine balançou no quarto. Ela vestiu suores, e seu cabelo era puxado de volta em um rabo que deixou seu rosto unframed. Existiam manchas de falta de dormir debaixo de seus olhos, e aqueles olhos estavam cheios de preocupação confundidas.

      "O que estar continuando? Jerry veio pela casa, disse a mim existia dificuldade na loja e que eu tive que vir para direito em e conversa para você. Que tipo de dificuldade? O que é—" Ela manchada as algemas e pararam pequeno como ela olhou fixamente para eles, então lentamente erguida ela olha para rosto do Max. "O que é isto?"

      "Laine—"

      "Você vai querer se sentar quieto um minuto," Vince advertiu Max. "Você teve um rombo na loja," Vince disse a ela. "Longe como eu podia ver não existia qualquer dano. Você terá que dar uma olhada você mesmo para ver se qualquer coisa fosse tomado."

      "Entendo." Ela quis se sentar, mas só braceou uma mão atrás de uma cadeira. "Não, eu não faço. Por que você tem Max cuffed?"

      "Eu consegui um telefonema anônimo que existia um roubo em desenvolvimento no local de sua loja. Quando eu cheguei lá, eu o achei. Do lado de dentro. Ele teve um conjunto bom de fechadura escolhe em sua possessão."

      Ela tomou um ar de respiração em, ar fora—e trocou ela olhar para rosto do Max. "Você arrombou minha loja?"

      "Não. Bem, sim, tecnicamente. Mas depois que outra pessoa fez. Alguém que me bateu na cabeça, então chamada na ponta assim eu conseguiria rousted para este."

      Ela estudou a bandagem em seu templo, mas a preocupação já gelou fora de seus olhos. "Isso não explica o que você estava fazendo lá no meio da noite." Depois que eu deixei sua cama, ela pensou. Depois que eu gastei a noite em sua cama.

      "Eu posso explicar. Eu preciso conversar com você reservadamente. Dez minutos. Dê-me dez minutos."

      "Eu gostaria de ouvir isto. Eu posso conversar com ele só, Vince?"

      "Eu não recomendaria isto."

      "Eu estou um investigador licenciado. Ele sabe isto." Max empurrou um dedo polegar em Vince. "Eu tenho um caso e um cliente, e eu estou procurando levo. Eu não estou livre para dizer mais."

      "Então você estaria desperdiçando todo nosso tempo," Vince assinalou.

      "Dez minutos, Laine."

      Um investigador. Um caso. No tempo a levou para absorver o sopro, ela adicionou seu pai na mistura. Machuque, raiva e resignação rolada por ela em um trio sujo, mas nenhum de mostrou. "Eu apreciaria o tempo, Vince. É pessoal."

      "Figurado tanto." Vince empurrou para seus pés. "Como um favor para você, então. Eu serei direito fora da porta. Assista você mesmo," ele adicionou a Max, "ou você vai ter algumas novas contusões para ir com o velho."

      Max esperou até a porta clicou fechado. "Você tem amigos muito protetores."

      "Quanto dos dez minutos você quer desperdiçar em observações irrelevantes?"

      "Você podia se sentar?"

      "Eu podia, mas eu não irei." Ela subjugou para Vince Sr. Café máquina. Ela precisou de algo para fazer com suas mãos antes dela render para impulso e bateu eles em rosto do Max. "Que jogo você está correndo, Max?"

      "Eu estou trabalhando para Seguro de Confiança, e eu estou rodeando uma linha dizendo a você aquele antes de eu passar sem tocar isto com meu cliente."

      "Realmente? Mas quebrar em minha loja depois de gastos que várias horas que faz sexo comigo não é uma linha que você está preocupado, aparentemente."

      "Eu não soube. Eu não esperei . . ." Fuck isto, ele pensou. "Eu posso me desculpar, mas não faria qualquer diferença para você, e não desculparia o modo que este aconteceu."

      "Bem, nós estamos aí." Ela bebeu café, amargo e preto. "Nós estamos na mesma página em algo, afinal."

      "Você pode ser urinado fora em mim se você quiser—"

      "Por que, obrigado. Eu acredito em que eu irei."

      "Mas você precisa ficar passado isto. Laine, você está em apuros."

      Ela ergueu suas sobrancelhas, olhadas fixamente deliberadamente nas algemas. "Eu em dificuldade sou?"

      "Quantas pessoas sabem que você que Elaine é O 'Hara?"

      Ela não morcego um cílio. Ele não esperou que ela ser bastante tão bom.

      "Você teria um ano, aparentemente. Eu não escolho usar aquele nome. Eu mudei para nome do meu padrasto muito tempo atrás. E eu falho em ver como isto é alguns de seus negócios." Ela sorveu no café. "Por que nós não voltamos para a parte onde, sobre uma hora depois que nós éramos corrediços ao redor desnudos em um ao outro, você foi preso para quebrar em meu lugar de negócios."

      A culpabilidade varrida acima de seu rosto mas deu sua pouca satisfação. "Não se tem nada para fazer com o outro."

      Com um aceno com a cabeça, ela anotar o café. "Com respostas assim nós não precisamos de nossos distribuídos dez minutos."

      "William Young morto fora de sua loja," Max disse como ela tomou um passo em direção à porta. "Morreu, concordando testemunhar relatórios, tudo menos em seus braços. Você deve ter o reconhecido."

      Sua fachada rachada minuciosamente, e o pesar adicionado por. Então ela ele em cima novamente. "Este sons mais como uma interrogação que uma explicação. Eu não estou interessado em responder as perguntas de um homem que mentiu para mim, que me usei. Então você pode começar a dizer a mim o que você está fazendo aqui e o que você quer, ou eu devolverei Vince em e nós iniciaremos em cargas urgentes."

      Ele tomou um momento. Era tudo que ele precisou confirmar em seu se importe que ela faria exatamente isto. Empurre ele de lado, feche a porta, vá embora. Era tudo que ele precisou entender que—ele lançaria o trabalho de lado antes dele deixar que acontece.

      "Eu arrombei sua loja hoje à noite assim eu podia passar sem tocar você, então eu podia reportar para meu cliente esta manhã que você não era envolvido, e então eu podia dizer a você a verdade."

      "Envolvido em que? A verdade sobre que?"

      "Se sente para um minuto de maldição. Eu estou cansado de guindar meu pescoço."

      Ela se sentou "Lá. Comfy?"

      "Seis semanas atrás, diamantes avaliados em e assegurados por Confiança para vinte e oito ponto quatro milhões de dólares eram roubados dos escritórios do Jóias Internacional Permuta na Cidade de Nova York. Dois dias mais tarde, o corpo de Jerome Myers, um comerciante de pedra precioso com escritórios naquele local, era achado em um local de construção de Nova Jersey. Pela investigação tem sido determinado este comerciante era o dentro de homem. Também está sido determinado que ele teve uma conexão e uma associação com William Young e Jack O 'Hara."

      "Espere um minuto, espere um minuto. Você está dizendo que você acredita em que meu pai era envolvido em um heist com um tomar de mais de vinte e oito milhões? Milhão? Que ele teve algo para fazer com um assassinato? O primeiro é rudículo, o segundo impossível. Jack O 'Hara sonhou grande, mas ele é de pouca importância. E ele nunca machuca ninguém, não aquele modo."

      "Mudança de coisas."

      "Não tanto."

      "O Polis não tem suficiente para carregar Jack ou Willy, entretanto eles iria certamente gostar de conversar com eles. Desde que Willy não vai estar conversando com qualquer um, isso sai Grande Jack. As companhias de seguro conseguem realmente irritadas quando eles tiverem que pagar grandes-traseiro reivindicações."

      "E isto é onde você entra."

      "Eu tenho mais de uma mão livre que o Polis. E uma maior conta de despesa."

      "E um maior payoff," ela adicionou. "O que seu é tomar?"

      "Cinco por cento do recuperar quantia."

      "Então neste caso, você devolve os vinte e oito-, você guardar . . ." Seus olhos estreitados como ela fez o math. "Um limpo milhão, quatrocentos e vinte mil em seu piggy banco. Não ruim."

      "Eu ganho isto. Eu pus muitas horas em este. Eu conheço Jack e Willy estavam nisto, só como eu sabe que existiu um de terceiros."

      "Me?" Ela teria rido se ela não tivesse estado tão brava. "Então eu, o que, apareci inesperadamente meu preto catsuit e assisti boné, bopped até Nova York, roubou milhões em jóias, corte minha parte, então voltou para casa para alimentar meu cachorro?"

      "Não. Não que você não pareceria quente em um catsuit. Alex Crew. O anel de nome alguns sinos?"

      "Não."

      "Ambos o comerciante e seu pai eram vistos com ele antes do heist. Ele não é de pouca importância, entretanto isto seria seu maior esforço. No interesse de tempo, deixa é só diz que ele não é um sujeito agradável, e se ele estiver olhando para você, você está em apuros."

      "Por que ele olharia para mim?"

      "Porque você é filha do Jack e Willy morreu minutos depois de conversar com você. O que ele disse a você, Laine?"

      "Ele não disse a mim qualquer coisa. Pelo amor de Deus, eu era uma criança a última vez que eu o vi. Eu não o reconheci até que . . . eu não soube quem ele era quando ele entrou. Você está perseguindo o rabo errado, Max. Jack O 'Hara não começaria a saber como organizar ou executar um trabalho como isto—e se por um pouco de milagre ele teve uma parte nisto, ele seria longo ido com sua parte. Isto é mais dinheiro que ele saberia o que fazer."

      "Então por que era Willy aqui? Que spooked ele? Por que sua casa e negócios estavam arrombar? Quem entraram sua casa estavam procurando por algo. Eles estavam provavelmente fazendo o mesmo, ou perto de , quando eu interrompi eles na loja. Você é muito esperto não seguir os pontos."

      "Se alguém estiver olhando para mim, é provavelmente porque você levou eles aqui. Eu não tenho nada. Eu não falei com meu pai em por cinco anos, e eu não o vi em mais longo que isto. Eu fiz uma vida boa aqui, e eu vou manter direito em viver isto. Eu não vou deixar você, meu pai ou algum parafuso de terceiros mítico que em cima."

      Ela chegou a seus pés. "Eu conseguirei você fora dos punhos de manga, e fora deste aperto com Vince. Em retorno você me deixa o inferno só."

      "Laine—"

      "Só feche." Ela esfregou um dar seu rosto, seu primeiro sinal de fadiga. "Eu quebrei minha própria regra e impulso seguido com você. Sirva para mim direito."

      Ela foi para a porta, deu a Vince um sorriso cansado. "Eu sinto muito sobre tudo isso dificuldade. Eu gostaria de você para deixar Max ir."

      "Porque?"

      "Tem sido um engano estúpido, Vince, e largamente minha próprios culpa. Max tentou me convencer que eu precisei de um sistema de segurança melhor na loja, e eu discuti que eu não fiz. Nós tivemos um pouco tiff sobre isto, e ele quebrou em me provar errado."

      "Mel." Vince ergueu uma de suas grandes mãos e bateu levemente sua bochecha. "Isto é justo bullshit."

      "Eu gostaria de você para escrever isto em cima aquele modo, se você tiver que escrever isto em todo. E deixe ele ir. Não há razão para o carregar quando ele usará licença do seu investigador, seu cliente rico e seus advogados de fantasia para pegar lançou de qualquer maneira."

      "Eu preciso saber o que isto é sobre, Laine."

      "Eu sei que você faça." A fundação robusta de sua nova vida agitou um pouco. "Dê-me um pouco de tempo, lega você, classificar isso tudo. Eu sou muito condeno cansado agora mesmo, eu posso apenas diretamente pensar."

      "Certo. Qualquer é, eu estou a seu lado."

      "Eu espero."

      Ela saiu sem outro olhar, sem outra palavra para Max.

 

      Ela não iria quebrar. Ela trabalhou muito duro, ela veio muito longe para quebrar acima de um homem bonito com um acento meridional sonhador. Um encantador, Laine pensou como ela compassou ao redor sua casa.

      Ela conheceu melhor que apaixonar-se por um encantador. Qual era seu pai mas um encantador, liso-conversando fraude?

      Típica, ela pensou em desgosto. Típico, típica e então embaraçosamente previsível para ela apaixonar-se pelo mesmo tipo. Max Gannon poderia fazer sua mentira e enganando no lado legal, mas estava ainda deitando e enganando.

      Agora tudo que ela trabalhou por estava em risco. Se ela não viesse para limpar com Vince, ele nunca realmente a confiaria novamente. Uma vez que ela veio para limpou . . . como ele podia a confiar novamente?

      Atarraxou de qualquer modo, ela pensou.

      Ela podia parar de trabalhar, parta, comece acima de. É disso que Grande Jack fez quando coisas ficadas ásperas. Então ela era maldita se ela faria o mesmo. Isto era sua casa, seu lugar, sua vida. Ela não desistiria porque algum PI curioso da grande cidade tramped acima dele e deixou seu manchado.

      E de coração partido, ela admitiu. Debaixo da raiva e ansiedade, seu coração estava quebrado. Ela deixou se se ser com ele. Ela tomou o grande risco, e o confiou com ela mesma.

      Ele a deixou abaixo. Os homens que importaram a maioria de seu sempre fizeram.

      Ela deixou cair no sofá, que causou Henry bater seu nariz contra seu braço em esperanças de um bem acariciando.

      "Não agora, Henry. Não agora."

      Algo em seu tom teve ele choramingando em que soou como condolência antes dele girar uns círculos e acomodada-se no chão ao lado dela.

      Lição aprendida, ela disse a se. De agora em diante o único homem em sua vida era Henry. E estava na hora de fechar a festa de piedade e pensa.

      Ela olhou fixamente no teto.

      Vinte e oito milhões em pedras preciosos? Rudículo, impossível, até cômico. Grande, ventando Jack e doce, Willy Inocente tirando a grande pontuação? Milhões? E fora de um marco de Nova York? Nenhum modo possível. Pelo menos não se você fosse por história e habilidade e fundo.

      Mas se você lançasse o acreditável fora a janela, você era remanescente com o fantástico.

      E se Max era certo? E se o fantástico aconteceu, e ele era certo? Apesar de todos os anos entre, ela sentiu uma excitação de mercúrio na possibilidade.

      Diamantes. As mais sensuais de tome. Milhões. O número perfeito. Teria sido o trabalho de toda vida. A mãe de todos os trabalhos. Se Jack teve . . .

      Não, ainda não tocou.

      O afeto dentro de sua que não morreria para seu pai poderia deixar ela fantasiar que ele iria finalmente, finalmente, bate isto grande. Mas nada e ninguém convenceria que seu Jack O 'que Hara teve qualquer parte em uma matança. Um mentiroso, uma fraude, um ladrão com uma consciência muito flexível—certa, aqueles atributos ajustam ele gostar de uma luva. Mas causar qualquer um dano físico? Não possível.

      Ele nunca portaria uma arma. O fato era, ele era phobic sobre armas de fogo. Ela ainda lembrou da história de como ele fez sua primeira extensão, antes dela nascer. Ele bateu um gato enquanto indo embora de um B&E e não só parou de verificar, mas tomou o gato ferido para um veterinário. O local Polis manchado o carro—roubado, claro que—no lote.

      O gato recuperou e viveu uma vida longa, feliz. Grande Jack fez dois a cinco.

      Não, ele não teria tido qualquer parte no assassinato de Jerome Myers.

      Mas o trapaceiro podia ser conned, não é? Ele conseguiu roped em algo que era maior e mais ruim que ele acreditou? Alguém oscilou uma cenoura brilhante e ele tiveram pulando junto depois disto?

      Que ela podia acreditar.

      Então ele enviou que Willy dissesse a ela algo, ou dê seu algo, mas ele morreu antes dele poder fazer qualquer um.

      Mas ele tentou a advertir. Ele sabe onde você está agora.

      Ele quis dizer Max? Ele viu Max e apavorou, chocou-se com a rua?

      Esconda o pooch? Que diabo ele quis dizer? Willy podia ter colocado algum tipo de estatueta de cachorro na loja? Laine tentou visualizar a loja depois de visita do Willy. Ela pessoalmente organizou todas as exibições, e ela não podia pensar sobre uma coisa única fora de lugar. E nenhum Jenny nem Angie mencionou quaisquer artigos estranhos.

      Talvez ele quis dizer "bolsa." Talvez ela iria misunderstood. Você podia pôr pedras preciosos em uma bolsa. Mas ele não deu a ela uma bolsa, e se ele tivesse uma bolsa de pedras preciosos escondidos nele, ou em suas coisas, os citações teriam achado isto.

      E isto era toda conjetura só estúpida, baseada na palavra de um homem que mentiu para ela.

      Ela alarga uma respiração enorme. Como ela podia fingir segurar honestidade em tais mãos pomposas quando ela estava vivendo se uma mentira?

      Ela teve que dizer a Vince e Jenny tudo. Ela supôs foi contrário a sua primeira infância treinando para informações voluntárias para um policial, mas ela podia superar isto. Tudo que ela teve que fazer era compreendia como dizer a eles.

      "Vamos tomar um passeio, Henry."

      As palavras agiram gostam de um encantamento e estalaram o cochilar cachorro em cima como se suas pernas eram pular. Ele saltou a distância toda para a porta da frente. Um passeio passaria sem tocar as teias de aranha, ela decidiu, dê seu tempo para separar o melhor caminho para dizer seus amigos.

      Ela abriu a porta da frente assim Henry podia voar fora gostar de uma bala de canhão. E viu carro estacionado do Max no fim de sua pista. Ele era atrás da roda, olhos protegidos com óculos escuros. Mas eles devem ter estados abertos e treinados na casa, como ele saiu do carro até antes dela fechar a porta da frente.

      "Que diabo você está fazendo aqui?"

      "Eu disse que você está em apuros. Talvez eu trouxe alguma daquela dificuldade junto comigo, talvez ele já era aqui. Mas de qualquer modo, eu estou vigiando você, se você como ele ou não."

      "Eu aprendi como cuidar de eu mesmo sobre o mesmo tempo que eu aprendi como correr uma fraude de Monte de três cartões. Então o único cão de guarda eu preciso ser Henry."

      Como Henry atualmente estava tentando subir uma árvore em perseguição de um esquilo, Max meramente deu o cachorro um baleful olhar fixo. "Eu estou pegando."

      "Se você pensar que você vai colecionar seu cinco por cento demarcando minha casa, você vai estar desapontado."

      "Eu não penso que você teve qualquer coisa para fazer com isto. Eu fiz," ele adicionou quando ela zombou e se virou caminhar. "Quando eu primeiro fiz você, eu figurei que você teve que ter um pouco de pedaço disto. Eu fiz um pouco de verificação em você, e coisas não adicionaram em cima direito em um ou outro lado, mas eu parei de olhar para você para o trabalho."

      "Obrigado muito muito. Se isto é isso, por que você era quebrar em minha loja?"

      "Meu cliente quer fatos, não , entretanto eles dão a mim um retentor agradável largamente baseado em meu registro de caminho de instinto. Eu tenho sido por sua casa com você," ele disse quando sua cabeça girada nitidamente. "Uma mulher é qualquer porção de maldição próxima trinta milhões em diamantes nas premissas, ela não deixa um pouco de sujeito ajudar que ela varra seus chãos e tiram o lixo. Próximo passo foi para tomar um procurar a loja, verifique não existia nada lá que ligou você."

      "Faltou um passo, Max. Eu acredito em que isto tem que fazer com muito desnudo saltando em sua cama de quarto de hotel."

      "Certo, deixe seja corrido este. Você vê um halo?" Ele apontou um dedo no topo de sua cabeça.

      Ela sentiu um pouco bolha que poderia ter sido humor em sua garganta e cruelmente tragou isto. "Não," ela disse depois de um olhar fixo de olhos estreito. "Mas espere . . . aqueles são pequenos chifres?"

      "Certo, dê-me um apartamento sim ou não. Um sujeito abre sua porta de quarto de hotel para um incrível-olhando mulher, uma mulher ele pegou todos os tipos de para messing ao redor em sua cabeça—e outras partes do corpo. A mulher indica—não, vamos pegar isto direito—a mulher declara sem qualificação que ela apreciaria uma noite de contato físico íntimo. Diga que sujeito fechar a porta em seu rosto?"

      Ela parou por um fluxo fraco correndo vivamente da fonte chove. "Não. Agora você dá a mim um. Faça uma mulher, em saber que o sujeito ela teve isto contato físico íntimo com a deixou em cima, e estava sobre seu propósito e seu interesse, então tenha o direito de chutar seu traseiro de mentira preta e azul?"

      "Sim, ela faz." Ele tomou fora dos óculos de sol, braço enganchado deles no bolso dianteiro de sua calça jeans. Eles dois reconheceram o gesto para que era.

      Olhe para mim. Você tem que ver o que eu estou dizendo tanto como ouve isto. Porque ele importa.

      "Ela faz, Laine, até quando aquele interesse trançado ao redor, mudado em algo ele nunca lidaria com na frente de e o mordeu naquele traseiro. Eu penso que eu apaixonei-me por você ontem à noite."

      "Isto é um inferno de uma coisa para dizer para mim."

      "É um inferno de uma coisa para ouvir que eu mesmo dizer para você. Mas eu estou dizendo isto. Realmente, eu penso que eu tropecei em algum lugar entre arrastar fora seu lixo e vacuuming seu sentando quarto, então eu balancei meus braços ao redor, trabalhando em meu equilíbrio, e caiu apartamento entre círculos de contato físico íntimo."

      "E eu devia acreditar naquele porque?"

      "Você não devia. Você devia chutar meu traseiro, espane seu tire as mãos e vá embora. Eu estou pulando que você não irá."

      "Você tem um knack para dizer a coisa certa no tempo certo. Isto é uma habilidade de maldição—e suspeito à mão para mim." Ela se virou um momento, esfregados seus braços mornos.

      "Quando ele vier para o trabalho que eu direi qualquer que eu preciso dizer pegar isto feito. Isto não é sobre o trabalho. Eu machuco você, e eu sinto muito, mas isso era o trabalho. Eu não vejo como eu podia ter tocado ele qualquer diferente."

      Ela alarga um metade risada. "Não, eu não suponho."

      "Eu sou apaixonado por você. Bata-me gostar de uma lado de cima de tijolo de maldição a cabeça, e eu ainda não posso diretamente ver. Eu não sei como eu podia ter tocado que qualquer diferente qualquer um, mas ele dá a vocês todos os cartões, Laine. Você pode terminar a mão, ou lança isto em e vai embora."

      Até ela, ela pensou. Aquilo não é o que ela procurada? Para fazer suas próprias escolhas, tome suas próprias chances. Mas o que ele não disse, e eles eram ambos espertos suficiente para saber isto, era que segurando todos os cartões não significaram que você não perderia sua camisa.

      Tavish cortaria suas perdas e dobra. Mas O 'Hara, ela quereria a chance de concha em cima tão grande, panela suculenta.

      "Eu gastei a primeira parte de minha vida adorando um homem que não podia cuspir fora a verdade se estivesse dançando o tango em sua língua. Jack O 'Hara."

      Ela estourou uma respiração. "Ele é só nenhum bem de maldição, mas, Jesus, ele faz que você acredita que existe uma panela de ouro no fim dos arco-íris. Ele faz que você acredita nisto porque ele acredita nisto."

      Ela soltou suas mãos, giradas enfrentar Max. "Eu gastei o próximo desfazer-se de uma mulher que estava tentando recuperar-se ele. Tentando mais para mim que se, que ele me levou um enquanto compreender. Ela finalmente teve sucesso. A próxima parte eu gasta com um homem muito decente eu amo muito de pé em como meu pai. Um bem, amando homem que nunca dará o mesmo brilho para meu coração como aquele mentiroso nascido pode. Eu não sei o que isso me faz. Mas eu gastei a última parte de minha vida tentar ser responsável e ordinária e confortável. Eu fiz um bom trabalho disto. Você tem messed que em cima para mim, Max."

      "Eu sei isto."

      "Se você mentir para mim novamente, eu não aborrecerei chutar seu traseiro. Eu só espanarei minhas mãos e irei embora."

      "Feira suficiente."

      "Eu não tenho os diamantes que você é depois, e eu não sei nada sobre eles. Eu não sei onde meu pai está, como contactar ele ou por que Willy veio para me ver."

      "Certo."

      "Mas se eu figurar isto, se o que eu figuro levo você para aquele cinco por cento, eu consigo metade."

      Ele olhou fixamente para seu um minuto, então seu sorriso movido lentamente acima de seu rosto. "Sim, bonita maldição certa eu apaixonei-me por você."

      "Nós trataremos disto. Você pode entrar. Eu preciso chamar Vince e Jenny, peça a eles para terminar assim eu posso confessar meus pecados. Então nós veremos se eu ainda tiver amigos, e um lugar nesta cidade."

     

      Ela se preocupou acima disto. Não só o que dizer, como dizer isto, mas onde dizer isto. Laine começou a instalar na cozinha com café e o bolo de café ela teve no congelador. Mas isso era muito informal, ela decidiu, e muito amigável quando amizade estava em jogo.

      Vince era um policial, ela lembrou a se. E esposa de Jenny do policial. Porém apertados eles se tornaram durante os passados anos, os títulos daquela relação podia desvendar quando ela disse a eles sobre seus passados. Quando ela disse a eles que ela mentiu para eles direito desde o começo.

      A sala de estar era melhor—e segurava o bolo de café.

      Enquanto ela agonizou se isso era a colocação adequada, ela saiu seu pequeno vac da mão e começou no sofá.

      "Laine, que diabo você está fazendo?"

      "Árvores de maçã de canteiro. O que ele parece que eu estou fazendo? Eu estou conseguindo o cabelo de cachorro fora da mobília."

      "Certo."

      Ele pegou seu entrega seus bolsos, puxou eles, arrastou eles por seu cabelo como ela vacuumed, plumped travesseiros ela tem restuffed, exagerado com o ângulo do froco lança.

      "Você está me fazendo nervoso."

      "Bem, com licença." Ela andou de volta, inspecionou os resultados. Entretanto ela empurrou a maior parte do recheio atrás nas almofadas, organizou eles danificaram lado, o sofá ainda pareceu triste e lamentável. "Eu tenho o chefe de polícia e meu amigo mais íntimo vindo por assim eu posso dizer a eles basicamente tudo que eles pensam que eles sabem sobre mim é uma mentira grande, suculenta; Eu tive dois rombos no mesmo número de dias; Suspeitado do meu pai de tomar parte em um vinte e oito-milhões de roubo, com assassinato no lado e meu sofá parece com era atacado por furões radicais. Mas eu realmente sinto muito que eu estou fazendo você nervoso."

      "Você esqueceu a parte onde você teve uma maratona sexual com o investigador atribuiu para o caso."

      Ela bateu o vazio contra sua palma. "Isto deveria ser engraçado? Isto deveria ser alguma tentativa entortada para me divertir?"

      "Quase. Não bata-me com aquela coisa, Laine. Eu já tenho um choque aprazível. Provavelmente. E relaxe. Mudando seu nome e edição seu fundo não é uma ofensa criminoso."

      "Isto não é o ponto. Eu menti para eles todo dia. Você sabe por que tantas fraudes trabalham? Porque depois das marcas perceber eles foram tomados, eles estão muito envergonhados para fazer qualquer coisa sobre isto. Alguém é feito um bobo fora deles, e isto é da mesma maneira que duro um golpe como dinheiro perdedor. Mais, muito o tempo."

      Ele tomou o vac da mão e deixou isto na mesa, então ele podia a tocar. Então ele podia xícara suas mãos em seus ombros, deslize eles até seus dedos polegares escovados suas bochechas.

      "Você não estava olhando fazer bobos fora deles, e eles não são seus amigos por causa de seu todo-fundo de menina Americana."

      "Eu podia correr uma isca e interruptor quando eu tinha sete anos. Alguma toda-menina Americana. Eu devia mudar." Ela olhou abaixo nos suores que ela puxou em quando o deputado veio pela casa para a despertar. "Eu devia mudar?"

      "Não." Agora ele deitou suas mãos em seus ombros, roçadura até que ela ergueu sua cabeça e encontrou seus olhos. "Você devia ficar apenas do modo que você é."

      "O que você pensa que você está apaixonando-se por, Max? O lojista de cidade pequena, o reformado grifter, a donzela em angústia? Qual daqueles apanha um sujeito como você?"

      "Eu penso que é o afiado ruiva quem sabe como se lidar, e cede o impulso ocasional." Ele abaixou sua cabeça para apertar seus lábios para sua fronte. Ele sentiu seu puxão de respiração, um soluço que ameaçou e era controlado. "Existem muitos lados para ela. Ela ama seu cachorro, preocupações sobre seus amigos, ela está um pouco anal na frente de organização, e eu ouvi que ela cozinhe. Ela é prática, eficiente e duro-importado—e ela está espantando na cama."

      "Aquelas são muitas opiniões em conhecido pequeno."

      "Eu sou um estudo rápido. Minha mamãe sempre disse, 'Max, quando você encontrar a mulher, você afundará como você tem sido poleaxed.'"

      Um sorriso estremeceu em seus lábios. "Que diabo que queira dizer?"

      "Inferno se eu souber, mas nunca errada da Marlene. Eu encontrei a mulher."

      Ele a desenhou em, e ela deixa se tomar o calor e conforto dele, a força de ser seguro contra um homem forte. Então ela fez se puxar longe.

      Ela não soube se o amor significou apoiar-se em outra pessoa, mas em sua experiência, aquele tipo de indulgência freqüentemente enviou o mais magro e o leanee até o tapete.

      "Eu não posso pensar sobre isto. Eu não posso pensar sobre isto, ou o que eu sinto sobre isto. Eu só preciso tomar o próximo passo e ver onde eu aterrisso."

      "Isto é certo."

      Ela ouviu louco do Henry latindo, e um momento mais tarde o som de pneus esmagando pedregulho. Existia um mergulho rápido em sua barriga, mas ela manteve seus ombros diretamente. "Eles estão aqui." Ela agitou sua cabeça na frente de Max poder falar. "Não, eu tenho que engrenar em cima. Eu tenho que lidar com isto."

      Ela caminhou para a porta, abriu isto e assistiu Jenny tocar com Henry.

      Jenny examinou. "Deve ser amor de verdade," ela gritou, então começou em direção à casa. "Conseguindo-me fora da cama e aqui antes de oito de manhã deve ser um sinal de amizade verdadeira."

      "Eu sinto muito é tão cedo."

      "Só diga a mim que você tem comida."

      "Eu . . . eu tenho um bolo de café, mas—"

      "Sons grandes. O que você está tendo?" Ela deu seu grande, latindo risada, então fecha isto quando ela viu Max. "Eu não sei o que eu penso sobre você estando aqui. Se você alguns estiver grande-detetive da cidade, por que você não disse isso?"

      "Jenny." Laine deitou uma mão em braço do seu amigo. "É complicado. Por que você e Vince não entram a sala de estar e se sentam?"

      "Por que nós só não nos sentamos na cozinha? É mais íntimo para a comida." E círculos de roçadura em sua barriga, Jenny começou de volta.

      "Certo então." Laine respirou fundo, fechou a porta atrás de Vince. "Certo."

      Ela seguida eles atrás. "Isto poderia estar um pouco confundindo," ela começou, conversando como ela partir a panela de chá herbário que ela favoreceu Jenny. "Eu quero me desculpar primeiro. Só digo que eu sinto muito, imediatamente o morcego."

      Ela despejou café, fatias de corte de bolo. "Eu não tenho sido honrado com você, com ninguém."

      "Doçura." Jenny andou acima de onde o Laine meticulosamente esteve organizando o bolo em um garnet prato da sobremesa de vidro. "Você está em apuros?"

      "Eu acho que eu seja."

      "Então nós consertaremos isto. Certo, Vince?"

      Vince estava assistindo Laine. "Por que você não se senta, Jen. Deixe ela dizer o que ela precisa para."

      "Nós consertaremos isto," Jenny disse novamente, mas ela se sentou, chateado por Max com um olhar fixo de aço. "É esta sua culpa?"

      "Não é," Laine disse depressa. "Realmente não é. Meu nome não é Laine Tavish. É que . . . eu mudei isto, legalmente, e eu usei isto desde que eu tinha dezoito anos, mas ele não é o nome que com que eu nasci. Isto é Elaine O 'Hara. O nome do meu pai é Jack O 'Hara, e se Vince estivesse fazer um cheque de fundo nele, ele acharia meu pai tem um longo e variou folha. É principalmente roubo, e trapaceiros. Fraudes."

      Os olhos do Jenny foram redondos e largos. "Ele não corre um lugar de churrasco em Novo México?"

      "Roube Tavish, meu padrasto, faça. Meu pai foi estalado—" Laine se corta fora de, suspirou. Como depressa volta. "Jack foi preso e mandado para prisão para uma fraude de bens imóveis quando eu tinha onze anos. Não era a primeira vez que ele foi pego, mas este tempo minha mãe teve suficiente. Ela era, eu percebi mais tarde, preocupado para mim. Eu acabei de adorar meu pai, e eu estava fazendo consideravelmente bem, considerando minha idade, em seguintes em seus passos."

      "Você correu jogos de trapaceiro?"

      Existia tanta fascinação como choque em tom do Jenny, e ele fez Laine sorrir um pouco. "Principalmente eu era apenas da barba, mas sim, eu fiz. Escolhendo bolsos estavam transformando em minha especialidade. Eu tive boas mãos, e as pessoas não olham para um pouco menina quando eles perceberem sua carteira tem sido erguida."

      "Vaca santa," era todo Jenny podia dizer.

      "Eu gostei disto. Estava excitando, e era fácil. Meu pai . . . bem, ele fez isto tal jogo. Nunca aconteceu para mim aquele quando eu tomei um pouco de carteira do homem, ele não poderia ser capaz de pagar o alugado aquele mês. Ou quando nós bilked um pouco de par fora de alguns mil em um negócio de bens imóveis falsos, isso poderia ter sido sua poupança vitalícia, ou um capital de academia. Era divertido, e eles eram marcas."

      "E você tinha dez anos," Max adicionou. "Dê à criança uma fratura."

      "Você podia dizer que é disso que aconteceu. Eu consegui uma fratura. A direção eu estava encabeçando em segura minha mãe para mudar sua vida, e meu. Ela divorciadas meu pai e mudado-se, mudados seu nome, conseguiu um trabalho direto esperando mesas. Nós movemos ao redor muito os primeiros anos. Não agitar meu pai soltar que—ela não teria feito aquele para ele. Ela deixa ele saber onde nós estávamos, desde que ele mantivesse sua palavra e não tentou me puxar de volta no jogo. Ele manteve sua palavra. Eu não sei que qual do três de nós ficávamos mais surpreendidos por isto, mas ele manteve sua palavra. Nós movemos ao redor para manter o Polis de rousting nós toda vez . . ."

      Ela diminuiu, administrou um sorriso doentio em direção do Vince. "Desculpe, mas quando você tem um rep para fraudes e roubo, até por associação, os locais tendem a examinar você. Ela quis um começo fresco, isto é todo. E uma lousa limpa para mim. Não era fácil para ela. Ela amou Jack, também. E eu não ajudei. Eu gostei do jogo e não apreciei tendo isto chamado, ou sendo separado de meu pai."

      Ela topped fora de xícaras de café, entretanto ela iria ainda para tocar em sua próprio. "Mas ela trabalhou tão duro, e eu comecei a ver algo nela, o orgulho e a satisfação ela conseguiu de ganho seu modo. O modo direto. E depois de um enquanto, nós não estávamos movendo toda vez que nós giramos ao redor mais. Nós não éramos parar de trabalhar no meio da noite e escapando de apartamentos ou quartos de hotel. E ela manteve ela promete. Grande Jack era longo nas promessas mas surgiram para pequenas em manter eles. Quando minha mãe disse que ela iria fazer algo, ela fez isto."

      Ninguém falou quando ela foi para a geladeira e tirou um lançador da água com fatias de limão. Ela despejou um vidro, bebeu molhada sua garganta seca.

      "De qualquer maneira, coisas mudadas. Ela encontrou Rob Tavish, e coisas mudadas novamente, para as melhores. Ele é um homem maravilhoso, louco por ela, e ele era bom para mim. Doce e tipo e diversão. Eu tomei seu nome. Eu fiz eu mesmo Laine Tavish porque Laine Tavish era normal e responsável. Ela podia ter um lugar de sua próprio, e uns negócios de suas próprios, e uma vida de sua própria. Talvez não teria todos aqueles ups selvagem que ela montou em durante a primeira parte de sua vida, mas não teria todos aqueles assustadores abaixa, qualquer um. Isso pareceu multa justa. Então a qualquer hora você perguntou a mim sobre meu fundo, ou crescer, eu fabriquei qualquer pareceu ajustar Laine Tavish. Eu sinto muito. Isto é todo. Eu sinto muito."

      Existia um momento longo de silêncio. "Certo, uau." Jenny arregalou em Laine. "Eu vou ter muitos comentários de manutenção de contato e perguntas depois de minha cabeça parar tecedura, mas a primeira coisa eu tenho que perguntar é como tudo isso—e existe muito este—me aplica a você estando em apuros."

      "Existe provavelmente uma citação em algum lugar sobre não poder escapar o passado, ou cobre isto. William Young." Ela viu Vince movimentar a cabeça devagar e soube que ele estava pondo algum dele junto.

      "O homem que foi morto quando ele correu fora na rua," Jenny iniciou.

      "Sim. Ele costumava correr com meu pai. Eles foram fecharam como irmãos, e inferno, ele viveu conosco metade do tempo. Eu o chamei Tio Willy. Eu não o reconheci quando ele entrou. Eu juro isto, Vince. Faz anos desde que eu o vi, e ele não acabou de não clicar. Não era até depois do acidente e ele . . . Deus, ele esteve morrendo."

      Ela bebeu mais água, mas esta tempo sua mão tremida ligeiramente. "Ele pareceu tão triste quando eu não o reconheci, quando eu rejeitei o basicamente sumariamente. Então ele estava deitando lá, sangrando. Morrendo. Ele cantou parte desta canção estúpida ele e meu pai costumava fazer como um dueto. 'Adeus Adeus Melro.' Algo que eles começariam a cantarem quando nós estávamos carregando até fugir de um hotel. Eu percebi quem ele era, e era muito tarde. Eu não disse a você, e isto é provavelmente um pouco de tipo de ofensa, mas eu não disse a você que eu o soube."

      "Por que ele veio para ver você?"

      "Ele não teve muita de uma chance de dizer a mim. Eu não dei a ele muita de uma chance," ela corrigiu.

      "É um desperdício de tempo para atacar você mesmo acima disto." Max disse isto vivamente, e teve suas lágrimas de deglutição.

      "Talvez. Olhando de volta, eu sei que ele estava nervoso, irritado, cansado. Ele deu a mim seu cartão—da mesma maneira que eu disse a você—com um número de telefone escrito nisto. Eu realmente pensei que ele estava no mercado para vender algo. Depois, eu percebi que ele quis conversar comigo sobre algo."

      Ela olhou fixamente em seu vidro vazio, economiza isto. "Eu penso que meu pai deve ter mandado ele. Uma de melhores habilidades do Willy estava misturando. Ele era um pequeno, indefinível tipo de homem. Grande e redheaded do Jack e distingue-se, então eu penso que Jack mandou que ele dissesse a eu algo ou dar a mim algo. Mas ele não teve uma chance de fazer qualquer um. Ele só disse que . . . ele disse, 'Ele sabe onde você está agora,' e para mim esconder a bolsa. Eu penso que ele disse 'bolsa,' ele é a única coisa que faz sentido. Exceto soou como 'pooch,' mas isto é só tolo."

      "O que?" Max estalou a palavra gostar de um chicote. "Você só está chegando ao redor a dizer a mim?"

      Em contraste, Voz do Laine era aprazível como leite. "Está certo, e eu realmente não acredito em que você esteja em qualquer posição para criticar contagem de tempo. Seguro, meu traseiro."

      "É seguro, goddamnit. Onde está a bolsa? O que você fez com isto?"

      Calor incendiado em suas bochechas, não de embaraço mas temperamento. "Ele não deu a mim uma bolsa, ou qualquer outra coisa. Eu não tenho seus diamantes estúpidos. Ele era delirante, ele esteve morrendo" Apesar de toda sua determinação, seu abastecimento de olhos e sua voz sem dinheiro. "Ele esteve morrendo bem em frente de mim, e era muito tarde."

      "Deixe ela só." Uma mamãe agüenta protegendo seu filhote, Jenny atacou Max antes dela trocar embrulhar seus braços ao redor Laine. "Você só a deixa só."

      Enquanto Vince bateu levemente ombro do Laine em um show de suporte, seu olha gostava de rosto do Max. "Que diamantes?"

      "O vinte e oito ponto quatro milhões em diamantes roubados do Jóias Internacional Permutam em Nova York seis semanas atrás. Os diamantes meu cliente, Confiança, assegurada e iria muito gostar de recuperar. Os diamantes minha investigação me levou a acreditar era roubada por Jack O 'Hara, William Young e uma de terceiras eu acreditamos é uma Alex Crew."

      "Santo cague," Jenny sussurrou.

      "Eu não sei nada sobre eles," Laine disse wearily. "Eu não tenho eles, eu nunca vi eles, eu não sei onde eles estão. Eu tomarei um polígrafo."

      "Mas alguém pensa que você tem eles, ou acesso a eles."

      Agradecido para o suporte, Laine descansou sua cabeça em ombro e movimentado a cabeça do Jenny em Vince. "Aparentemente. Você pode procurar a casa, Vince. Você e Max. Você pode procurar a loja. Eu autorizarei você acesso cheio a meus registros de telefone, registros de banco, qualquer coisa que você quer. Eu estou só perguntando a você para manter isto quieto assim eu posso só viver minha vida."

      "Você sabe onde seu pai está?"

      "Eu não tenho uma pista."

      "O que você sabe sobre esta Alex Crew?"

      "Eu nunca ouvi falar dele. Eu estou ainda tendo um tempo duro acreditando que Jack O 'Hara era parte de qualquer coisa com este âmbito. Ele foi mudança solta comparada a este."

      "Se você para conseguir ahold teve de seu pai, o que você faria?"

      "Nunca está surto." Porque eles e queimados, ela esfregou seus olhos. "Eu não honestamente conheço. Ele é contactado mim alguns tempos ao longo dos anos. Logo depois de eu me formei de academia, eu consegui uma carta de FedEx. Dentro de era um ingresso de primeira classe para o Barbados, e vales por permanência de semana em um apartamento em um hotel de luxo. Eu soube que era dele, e quase não foi. Mas eh, Barbados. Ele me encontrou lá. Nós tivemos um grande tempo. É impossível para não ter um grande tempo com Jack. Ele orgulhava-se de mim—a academia inteira-se formar coisa. Ele nunca segurou qualquer dura em direção a minha mãe ou mim para sair de sua vida. Ele apareceu um par mais tempos. O era pela última vez antes de eu mover aqui, quando eu estava vivendo em Filadélfia."

      "Os negócios de Nova York não é meu," Vince disse. "Mas seus rombos são—e William Young é."

      "Ele nunca machucaria Willy, se é disso que você está pensando. Não mais de dez vezes tanto dinheiro. E ele nunca entraria em minha casa e despedaçaria isto deste modo. Ele não faria aquele para mim. Para ninguém, no que diz respeito a esse assunto. Ele me ama, em seu modo, ele me ama. E só não é seu estilo."

      "O que você sabe sobre esta Tripulação?" Vince pediu a Max.

      "Suficiente para dizer Jack e Willy associaram-se a companheiros ruins. O dentro de homem no trabalho de Nova York eram um comerciante de pedra precioso. Ele era atirado, estilo de execução. Seu corpo era achado em seu carro queimado em Nova Jersey."

      Seu olhe sacudido para Laine. "Nós podemos ligar O 'Hara para Myers, o comerciante de pedra precioso. Mas nem O 'da Hara nem Jovem é história corre para crimes violentos, ou qualquer tipo de ofensa armada. Não pode dizer que o mesmo para Tripulação—entretanto que ele nunca sido condenado de assassinato, ele é suspeitado de alguns. Ele é liso, e esperto. Esperto suficiente para saber que estas pedras são quentes, quentes suficiente para esperar até que eles acalmaram-se alguns antes de tentar liquidar eles ou transportar eles fora do país. Podia ser alguém ficou avaro ou impaciente."

      "Se isto é Alex Crew, e ele está tentando chegar às pedras ou meu pai por mim, ele é condenado para decepção."

      "Isso não significa que ele vai parar de tentar," Max assinalou. "Nesse caso, ele tem estado na área, e pode ainda estar na área. Ele copped minha carteira, então ele sabe quem eu sou e por que eu estou aqui." Distraidamente, Max fingered a bandagem em seu templo. "Ele terá que pensar sobre que durante algum tempo. Eu tenho cópias de fotografias. Ele gosta de tocar com rostos, mude seus olhares, mas se ele tiver estado ao redor cidade, talvez um de você o reconhecerá."

      "Eu quererei cópias para meus homens," Vince põe em. "Cooperando com os citações de Nova York em um suspeito acreditou estar na redondeza. Eu manterei Laine fora dele desde que eu posso."

      "Bom o suficiente."

      "Obrigado, Vince. Obrigado." Laine ergueu suas mãos, deixe eles cair.

      "Você pensou que nós iríamos estar loucos em você?" Jenny perguntou a ela. "Você pensou que este iria afetar nossa amizade?"

      "Sim, eu fiz."

      "Isto é um pouco insultante, mas eu estou cortando você uma fratura porque você parece realmente cansado. Que tal ele?" Ela empurrou seu queixo em cima em direção a Max. "Você está o perdoando?"

      "Eu acho que eu tenha que, considerando as circunstâncias."

      "Certo, eu o perdoarei, também. Deus, eu acabei de perceber, eu tenho estado muito preocupado com tudo isso comer. Só deixe-me compor isto." Ela tomou uma fatia de bolo, mordeu em, então falou ao redor isto. "Eu penso que você devia vir para ficar com Vince e mim até que isto seja todo clareado."

      "Eu amo você, Jenny." Porque ela sentiu as lágrimas ameaçarem novamente, ela levantou-se assim ela podia girar suas costas e consegue eles sob controle debaixo do disfarce de conseguir mais café. "E eu aprecio a oferta, mas eu preciso estar aqui, e eu serei bom. Max estará ficando comigo."

      Ela voltou na hora certa para ver a asa de surpresa acima de seu rosto. Ela só sorriu como ela trouxe a panela acima de topo fora de xícaras. "Aquilo não é direito, Max?"

      "Sim. Certo. Eu tomarei a cuidado com," ele disse a Jenny.

      "Desde que você é o com o choque aprazível, por que nós não só deixamos isto que você estará ficando aqui. Eu preciso subir e mudança para trabalhar. Eu tenho que abrir a loja."

      "O que você precisa fazer," Jenny discordou, "é ir de cima e rastejar na cama por algumas horas. Você pode manter a loja fechou um dia."

      "Eu penso que o Polis—público e privado—ambos digo que eu preciso manter isto negócios como sempre."

      "Você faz isto. Nós estaremos mantendo um olho de fim na loja e sua casa até que nós paremos este todo. Eu quero aqueles retratos," Vince disse para Max.

      "Eu trarei eles."

      Laine caminhou para eles para a porta.

      "Eu vou ter toneladas de perguntas. Nós precisamos ter noite das meninas," Jenny decidiu, "então eu posso bomba você. Você já fez aquela coisa de concha? Sabe, o switcheroo?"

      "Jenny." Vince lança seus olhos no céu.

      "Bem, eu quero conhecer, pelo amor de Deus. Diga a mim mais tarde. Que tal os com os três cartões?" Ela gritou como Vince a puxou em direção ao carro. "Mais tarde, mas eu quero detalhes específicos."

      "Ela é algo." Max assistiu Vince carregar sua esposa no carro.

      "Sim, ela é qualquer outra coisa novamente. Ela é a coisa mais sortuda que já aconteceu para mim." Ela esperou até o carro estava longe da vista antes dela fechar a porta. "Bem, isso foi melhor que eu mereci."

      "Você está fazendo melhor em me perdoar que você está em perdoar você mesmo."

      "Você estava fazendo um trabalho. Eu respeito o moral do trabalho." Ela deu um pouco encolhe os ombros, girados em direção aos degraus. "Eu preciso puxar eu mesmo junto e entrar em cidade."

      "Laine? Eu figurei que nós iria iríamos alguns círculos quando eu disse a você que eu iria ficar fora aqui. Ao invés, você diz a mim que eu estou ficando fora aqui. Por que é isto?"

      Ela se debruçou contra a grade. "Existem algumas razões. Primeiras, eu não sou um sniveling covarde, mas eu não sou desmiolado e valente. Eu não tenho nenhuma intenção de ficar fora aqui só, até agora de cidade, quando alguém que me desejar inútil pudesse voltar. Eu não estou arriscando eu mesmo ou meu cachorro acima de pedras de outra pessoa."

      "Sensato."

      "Então, eu me consigo um grande-PI da cidade que eu assumo, apesar de evidência atual, pode lidar com ele mesmo."

      Ele carranqueou naquele e trocou seus pés. "Eu posso lidar com mesmo multa justa."

      "Bom para saber. Próximo, desde que eu tenho uma estaca em ver estes pedras preciosos são recuperar, eu prefiro você à mão assim eu sei exatamente o que você está fazendo sobre isto. Eu posso usar setecentos mil dólares, só goste do próximo sujeito."

      "Prático."

      "Último, eu gostei do sexo e não vi por que eu devia privar eu mesmo de mais disto. Mais fácil conseguir você na cama se você estiver ficando aqui."

      Desde que ele não pareceu poder apresentar um termo para aquele, ela sorriu. "Eu estou subindo chover."

      "Certo," ele administrou depois que ela passeou de cima. "Isso explica isto."

 

      Trinta minutos mais tarde, ela voltou abaixo parecer fresca como a manhã de fonte em uma jaqueta e calças verdes pequenas. Seu cabelo era escavou de volta nos templos com pentes de prata e partia cair diretamente em direção a seus ombros naquela inundação brilhante.

      Ela subiu para Max e o deu um chaveiro de metal. "Frente e atrás portas," ela disse a ele. "Se e quando você chegar em casa antes de mim, eu apreciaria você deixando Henry, dando a ele algum recreio."

      "Nenhum problema."

      "Se e quando eu cozinhar, você lava louça."

      "Negócio."

      "Eu gosto de uma casa limpa e não tenho nenhuma intenção de levantar depois de você."

      "Eu era direito levantado. Agradeça Marlene."

      "Isso devia fazer isto no momento. Eu preciso ir."

      "Segure isto, aqueles são suas regras. Agora aqui são meus: Tome este número." Ele apertou um cartão em sua mão. "Isto é minha cela. Você me chama quando você partir para casa. Se você não estiver vindo direto casa por qualquer razão, você deixa-me saber isto, também."

      "Certo." Ela deslizou o cartão em seu bolso.

      "Você chama aquele número se qualquer coisa acontecer, qualquer coisa que aborrece você. Eu não me importo o quão secundário parece, eu quero ouvir sobre isto."

      "Então, se eu conseguir um daqueles telefonemas de um telemarketer, eu informo."

      "Eu sou sério, Laine."

      "Certo, certo. Qualquer outra coisa? Eu estou correndo muito tarde."

      "Se você ouvir de seu pai, você diz a mim. Você diz a mim, Laine," ele repetiu quando ele viu seu rosto. "As lealdades divididas não o vão fazer qualquer bom."

      "Eu não ajudarei que você o põe na prisão. Eu não farei isto, Max."

      "Eu não sou um policial. Eu não ponho pessoas na prisão. Tudo que eu quero ser para recuperar os pedras preciosos, colecione minha taxa. E nos mantenha todos saudável enquanto eu estou nisto."

      "Você me promete que você não entregará ele, não importa o que, e eu prometerei dizer a você se eu ouvir dele."

      "Feito." Ele resistiu uma mão, agitou sua. Então deu isto um puxão assim ela cairia em seus braços. "Agora beijo mim adeus."

      "Certo."

      Ela tomou um bom aperto em seus quadris, rosa em seus dedões do pé e encontrou sua boca com sua. Ela tomou isto lento, balançando nele, mudando o ângulo para arreliar, usando seus dentes para desafiar. Ela sentiu seu túnel das mãos por seu cabelo, dedos tangling. Quando a rosa de calor dentro dela, quando ela sentiu isto pumping fora dele, ela deslizou suas mãos ao redor, deu seu um apertar de alvo.

      Sua própria pulsação estava tropeçando, mas ela apreciou a sensação de estar em controle e girou sua cabeça muito seus lábios foi perto de sua orelha.

      "Aquele oughta me segura," ela sussurrou, então desenhou longe.

      "Agora eu beijarei você adeus."

      Ela riu e bateu uma mão em seu tórax. "Eu não acho. Marque seu lugar, então você pode me beijar oi. Eu devia estar em casa por sete."

      "Eu estarei aqui."

      Ele saiu com ela, seguido ela em cidade e descascou ir para seu hotel.

      Ele parou pela escrivaninha para pedir ao balconista para compor sua conta para saída.

      Ela esquadrinhou seu rosto. "Oh, Sr. Gannon, você está certo? Você estava em um acidente?"

      "Era quase de propósito, mas eu sou bom, obrigado. Eu voltarei abaixo em alguns minutos."

      Ele entrou o elevador. Ele já decidiria trabalhar em suas notas e relatórios uma vez que ele instalar do Laine. Poderia também fazer ele mesmo confortável. Um homem que viajou tão freqüentemente quanto ele soube como lotar depressa e com a menos quantia de rebuliço. Ele balançou a correia de sua bolsa de artigo de vestuário mais de um ombro, a correia de seu caso portátil acima do outro, e estava saindo do quarto quinze minutos depois que ele entrou.

      Atrás na escrivaninha, ele olhou de relance acima de sua conta, assinou o crédito deslizar.

      "Eu espero que você apreciou sua permanência."

      "Eu fiz." Ele fez uma nota de sua etiqueta de nome. "Uma coisa antes de eu encabeçar fora, Marti." Curvando, ele puxou um sair da fila de seu caso portátil, sacudidas por para as fotografias de Jack O 'Hara, William Young e Alex Crew. Ele deitou eles faceup na escrivaninha. "Você viu alguns destes homens?"

      "Oh." Ela piscou nele. "Por que?"

      "Porque eu estou procurando por eles." Para este ele adicionou um sorriso de mil watt. "Que tal isto?"

      "Oh," ela repetiu, mas este tempo ela olhou abaixo nas fotografias. "Eu não acho. Desculpe."

      "Isto é certo. Qualquer um atrás? Talvez eles podiam dar apoio a um minuto, dê uma olhada?"

      "Certo, eu acho. Mike está aqui. Se você só esperará um minuto."

      Ele correu a mesma rotina com o segundo balconista, menos o sorriso coquete, e armazenou os mesmos resultados.

      Depois de alojar suas bolsas no tronco de seu carro, ele fez os círculos. Primeiros pare, ele tomou as fotografias para Vince, esperado enquanto cópias eram feitas. Então ele bate os outros hotéis, motéis, B e B é dentro de um raio de dez milhas.

      Três horas mais tarde, a coisa mais tangível ele teve que mostrar para seus esforços era uma enxaqueca furiosa. Ele estalou quatro força extra ibuprofen como doce, então conseguiu sanduíche de um tirar em um sub faz compras.

      Atrás em Laine é que ele generosamente divide o frio cortar sub com um Henry agradecido e esperou que seria seu pequeno segredo. Com a enxaqueca até uma feia pulsa que ele decidiu gastar o resto do dia desempacotando, instalando um pouco de tipo do espaço do trabalho e revisando suas notas.

      Ele gastou mais ou menos dez segundos debatendo onde pôr suas roupas. A senhora disse que ela o quis na cama, então era só feira suas roupas ser à mão.

      Ele abriu seu armário, cutucadas pelas roupas. Imaginada ela em alguma delas, imaginada ela fora de todas elas. Ele notou que ela aparentemente compartilhada devoção estranha da sua mãe para sapatos.

      Atrás de outro debate pequeno, ele concluiu que ele era intitulado para o espaço de gaveta razoável. Porque reorganizando sua roupa íntima fez ele sentir como um pervertido, ele fez uma pilha de sua própria em uma gaveta com um exército colorido de suéteres nitidamente dobrados e camisas.

      Com recorte de Henry depois dele, ele inspecionou casa escritório do Laine, então seu sentando quarto, então o quarto de convidado. A fantasia pequena escrivaninha de escrita no quarto de convidado não teria sido sua primeira escolha, mas ele era o melhor espaço disponível.

      Ele instalar. Ele digitou em cima suas notas, um relatório de progresso, leia do início ao fim eles ambos e fez um pouco de edição. Ele verificou seu e-mail, seu correio de voz, e respondeu o que precisou ser respondido.

      Então ele se sentou na bonita pequena escrivaninha, olhado fixamente no teto e deixou correria de teorias por sua mente.

      Ele sabe onde você está agora.

      Então, quem ele era? Seu pai. Se Willy soube onde o Laine estava, chances estavam muito faziam Grande Jack. Mas de que Laine disse, Jack manteve abas nela de vez em quando desde o princípio. Então a frase não trabalhou. Ele sabe onde você está agora. A seta em mente apontada do Max para Alex Crew.

      Não existia nenhuma violência no 'história da Hara, mas existia em da Tripulação. O 'Hara não pareceu boa para as duas torneiras para a parte de trás da cabeça do comerciante de diamante. E nenhuma razão, indo por aquela história, para Willy correr assustado de seu camarada velho Jack O 'Hara.

      Mais provável, muito mais provável, ele correu do terceiro homem, o homem Max era seguro era Alex Crew. E após isto, Tripulação estava no Buraco.

      Mas isso não disse a Max onde o Willy pôs as pedras.

      Ele quis conseguir eles para Laine. Por que no inferno iria Willy, ou seu pai, queira pôr Laine na frente de um homem como Tripulação?

      Ele rebateu isto ao redor em sua cabeça, não chegando nenhum lugar. Desconfortável na cadeira de escrivaninha, ele moveu para esticar na cama. Ele fechou seus olhos, disse a ele mesmo um cochilo refrescaria seu cérebro.

      E solto em sono como uma pedra.

     

      Era sua virada para despertar com um cobertor dobrou ao redor ele. Como era seu hábito, ele terminou de dormiu o mesmo modo que ele entrou nisto. Rápido e completo.

      Ele verificou seu relógio e estremeceu quando ele viu que ele tem estado debaixo de umas sólidas duas horas. Mas era ainda tímido de sete, e ele esperou estar em cima e ao redor antes de Laine voltar.

      Ele desenrolou da cama, estalou um par mais pílulas para a enxaqueca prolongada, então encabeçada até a achar.

      Ele era vários passos da cozinha quando o odor alcançado, dedos sedutores enganchados em seus sentidos e o desenharam o resto do modo.

      E não era ela a mais bonita coisa de maldição, ele pensou, de pé lá em sua camisa e calças limpas com um gancho de rodilha no cós enquanto ela mexeu algo que chiada em uma panela no fogão. Ela esteve usando uma longa-lidada colher de madeira, mantendo ritmo com isto, e seus quadris, para a melodia que saltado fora de um mini CD jogador no contador.

      Ele reconheceu Marshall Tucker e figurou que eles iria malha bem suficiente na área de música.

      O cachorro era espreguiçado no chão, roendo em uma meada de corda que viu ação considerável já do olhar disto. Existiam narcisos amarelos alegres em um vaso azul salpicado na mesa. Uma ordem de legumes frescos era agrupadas ao lado de um açougueiro-bloqueia tábua cortante no contador.

      Ele nunca seria muito em homey cenas—ou então ele acreditou. Mas este aqui o bate direito no centro. Um homem, ele decidiu, podia caminhar neste pelo próximo quarenta ou cinqüenta anos e parece multa justa sobre isto.

      Henry deu dois baques de seu rabo então rosa para cabriolar acima de e bater a corda mutilada contra coxa do Max.

      Vazamento a colher no lado da panela, Laine girou e olhou para ele. "Tenha um cochilo bom?"

      "Eu fiz, mas acordar sou muito melhor." Para aplacar Henry, ele passou dar a corda um puxão, e achou ele mesmo tomar parte em um vivo puxão-de-guerra.

      "Agora você fez isto. Ele pode manter aqueles em cima por dias."

      Max torceu a corda livre, deu isto um corredor abaixo de lance longo, baixo. Subindo acima de azulejo então taco, Henry partir em perseguição louca. "Você está em casa mais cedo que eu esperei."

      Ela assistiu ele caminhar para ela, suas sobrancelhas levantando como ele manobrou seu ao redor até que suas costas era contra o contador. Ele deitou uma mão em um ou outro lado, engaiolando ela, então debruçada em e foi trabalhar em sua boca.

      Ela começou a ancorar suas mãos em seus quadris, mas eles foram mancaram nela. Ao invés ela entrou em lento dissolver, seu corpo que vislumbra debaixo do preguiçoso assalta. Sua pulsação foi espessa; Seu cérebro estalou. Quando ela conseguiu abrir seus olhos, ele estava debruçando de volta e grinning nela.

      "Oi, Laine."

      "Oi, Max."

      Ainda assistindo ela, ele passou dar a corda que Henry alegremente retornou para outro puxão. "Algo cheira realmente bom." Ele se debruçou até cheirar em seu pescoço. "Além de você."

      "Eu pensei que nós teríamos um pouco de galinha com fettuccine em um molho de nata leve."

      Ele olhou de relance em direção à panela, e a cremosa chiando molho. "Você não é toying comigo, não é?"

      "Por que, sim, eu sou, mas não sobre isto. Existe uma garrafa de pinot noir que gela no refrigerador. Por que você não abre isto, despeje nós um vidro."

      "Eu posso fazer isto." Ele voltou em cima, foi outro redondo com Henry, ganhou a corda e lançou isto novamente. "Você realmente está cozinhando," ele disse como ele recuperou o vinho.

      "Eu gosto de cozinhar de vez em quando. Desde que é só mim a maior parte do tempo, eu não aborreço exagerar muito. Isto é uma mudança boa."

      "Contente eu podia ajudar." Ele tomou os saca-rolhas que ela ofereceu, estudou o pequeno monte de porco de prata no topo. "Você coleciona eles."

      "Só uma daquelas coisas." Ela fixa dois âmbar-afinado taça de vinho no contador. Agradou ela para ver o modo que ele trocou entre sommelier encargos aduaneiros e tocando com o cachorro. Para dar a ele uma fratura, ela se agachou até conseguir uma lata de um gabinete básico.

      "Henry! Queira que um tratar!"

      O cachorro abandonado a corda para entrar imediatamente em uma exibição louca de saltar, tremendo, latindo. Max podia ter jurado ele viu lágrimas de desespero nos olhos do cachorro como Laine levantou um biscoito de Osso de Leite.

      "Só bons cachorros conseguem tratar," ela disse primly, e Henry se estatelou seu alvo no chão e estremecido com o esforço de controle. Quando ela deu o biscoito um lance, Henry beliscou isto fora do ar o modo que um arremessador certo veterano impede um aparecer. Ele fez correr longe com gosta de um ladrão.

      "O que, você de renda eles com coca-Cola?"

      "Seu nome é Henry, e ele é um viciado de Osso de Leite. Isso o manterá ocupado por cinco minutos." Ela retirou-se uma caçarola. "Eu preciso para sauté a galinha."

      "Sauté a galinha." Ele gemeu isto. "Oh menino."

      "Você realmente é fácil."

      "Isso não me insulta." Ele esperou enquanto ela conseguiu um pacote de peitos de galinha da geladeira e começou a fatiar eles em tiras. "Você conversa e pode fazer isto?"

      "Eu posso. Eu sou muito qualificado."

      "Fresco. Então, como era negócios?"

      Ela levantou o vinho que ele fixou ao lado dela, sorveu. "Você quer saber como coisas foram hoje no mundo de varejo, ou se eu visse qualquer coisa suspeito?"

      "Ambos."

      "Nós fizemos muito bem hoje, como ele acontece. Eu vendi um Sheraton muito aparador bom, entre outras coisas. Não apareceu que qualquer coisa na loja, ou meu escritório, ou a despensa era transtornada—com exceção de um pouco sangue no chão atrás quarto, que eu assumo é seu." Ela chuviscou óleo na caçarola, então olhou de relance nele. "Como da sua cabeça?"

      "Melhor."

      "Bom. E eu não vi nenhum personagem suspeito diferente de Sra. Franquist, que entra algumas vezes um mês para caranguejo sobre meus preços. Então como era seu dia?"

      "Ocupado, até naptime." Ele a encheu em enquanto ela deita as tiras de galinha no óleo aquecido, então começado prepping a salada.

      "Eu acho que existimos muitos dias assim, onde você vai ao redor perguntando a muitas perguntas e não realmente conseguindo quaisquer respostas."

      "Um não está ainda uma resposta."

      "Eu suponho é. Por que um menino agradável de Savannah vai para Nova York ser um detetive privado?"

      "Primeiro ele decide ser um policial porque ele gosta de figurar coisas fora e fazendo eles direito. Pelo menos tão direito quanto eles podem ser feitos. Mas ele não é um ajuste de bem. Ele não toca bem com outros."

      Ela sorriu um pouco como ela voltou para a salada. "Não é?"

      "Não tantas. E todas aquelas regras, eles começam a coçarem. Como um colarinho que é muito apertado. Ele compreende o que ele realmente gosta de fazer está olhar debaixo de pedras, mas ele gosta de escolher as pedras. Para fazer isto, você precisa ir privado. Para fazer aquele e vive bem que . . . eu gosto de viver bem, a propósito."

      "Naturalmente." Ela despejou algum vinho em com a galinha, abaixou o calor, coberta a panela.

      "Então viver bem, você precisa ser bom em escolher aquelas pedras, e achando pessoas que vivem muito melhor que você para pagar a você para cutucar em todos os negócios sórdidos continuando debaixo deles." Ele snitched um pedaço de cenoura para lanche em. "O menino meridional move norte, Puxões muita figura de tempo ele move lento, pensa lento, atos lentos."

      Ela olhou de relance em cima de whisking molho de salada ingredientes juntos em uma tigela de aço inoxidável pequeno. "Seus enganos."

      "Sim, e minha vantagem. De qualquer maneira, eu fiquei interessado em segurança de computador—cyber trabalha. Quase entrou aquela direção, mas você não sai suficiente. Então eu só lanço aquele pouco talento na mistura. A confiança gostou de meu trabalho, ponha-me em retentor. Nós fazemos bonito bem sozinho ao todo."

      "Seus talentos estendem para colocação de mesa?"

      "Uma habilidade eu aprendi em joelho da minha mamãe."

      "Pratos lá, flatware lá, guardanapos naquela gaveta."

      "Cheque."

      Ela põe água para o macarrão enquanto ele foi trabalhar. Depois de verificar a galinha, ajustando o calor, ela levantou seu vinho novamente. "Max, eu pensei sobre este muito hoje."

      "Figurou que você iria."

      "Eu acredito em que você fará direito por meu pai para umas razões. Você se importa me com, e ele não é sua meta. Recuperando as pedras é."

      "Isto é um par deles."

      "E existe outro. Você é um bom homem. Não brilhante e brilhante," ela disse, quando ele pausou olhar para ela. "Que só seria irritante alguém para gostar de eu, porque eu continuaria vendo minha própria reflexão saltada fora de alguém assim, e eu sempre surgiria para pequeno. Mas um bom homem, que poderia curvar a verdade quando ele ternos, mas mantém sua palavra quando ele der isto. Ele fixares residência minha mente em muitos níveis sabendo isto."

      "Eu não farei uma promessa para você que eu não posso manter."

      "Você vê, isto é apenas da coisa certa para dizer."

 

      Enquanto Laine e Max comeram macarrão na cozinha, Alex Crew jantou em bife raro acompanhou por um decente cabernet na cabana rústica que ele alugou no parque do estado.

      Ele não gostou de rústico, mas ele apreciou o isolamento. Seus quartos no Viandante em Buraco do Anjo abruptamente se tornaram muito mornos para o adaptar.

      Maxfield Gannon, ele meditou, estudando investigador do licença do Max enquanto ele comeu. Qualquer um um agente livre fora para uma generosidade, ou um soldado que trabalha para a companhia de seguro. De qualquer modo, o homem era um irritante.

      Matando ele teria sido um engano—entretanto que ele gastou um tentador e satisfazendo momento considerando isto como ele permaneceu acima do detetive inconsciente, fumegando acima da interrupção.

      Mas até um Yahoo policia força como aquela desajeitada ao redor aquela lamentável pequena cidade seria aborrecida para ação por assassinato. Melhores para seus propósitos se eles continuassem vacilar sobre dar ingressos de estacionamento e rousting a mocidade local.

      Melhor, ele meditou como ele sorveu seu vinho, e mais fácil sem dúvida ter tomado a identificação do irritante, ter colocado um telefonema anônimo. Agradou ele para pensar sobre este Maxfield Gannon tentando explicar para a lei local só o que ele tem feito dentro de uma loja fechada às três e trinta de manhã. Devia ter coisas nodosas em cima bem para um espaço de tempo. E nenhuma dúvida enviou uma mensagem muito clara para içar O 'Hara por sua filha.

      Mas ele estava incomodando apenas do mesmo. Ele não podia tomar o tempo para procurar as premissas, e ele teve que mudar suas acomodações. Isso era muito inconveniente.

      Ele tirou um couro pequeno-saltado caderno e fez uma lista destes débitos adicionais. Quando ele alcançou O 'Hara—e claro que ele iria—ele querer poder detalhar todas estas ofensas claramente enquanto ele torturou o local dos diamantes restantes fora dele.

      O modo que a lista estava montando em cima, ele iria ter que machucar O 'Hara bastante. Era algo para esperar ansiosamente.

      Ele podia adicionar O 'filha da Hara e o PI para seu pagamento-devido lista também. Era uma gratificação, no esquema principal, para um homem que comparou infligindo dor com o poder.

      Ele tem sido rápido e misericordioso com Myers, o comprador de pedra precioso avaro e idiota ele empregou como um dentro de homem. Entretanto Myers não fez nada mais que ser estúpido suficiente para acreditar em que ele era intitulado para um quarto do tomar. E avaro suficiente para o encontrar só, em um local de construção fechada, no meio da noite quando prometeu um maior corte.

      Realmente, o homem não mereceu viver se você pensasse sobre isto.

      Em todo caso, ele tem sido um fim solto que exigido snipping. A trilha teria levado a ele eventualmente. Ele teria alardeado para alguém, ou teria lançado dinheiro ao redor, desperdiçando isto em carros ou mulheres ou Deus insípido conheceram o que aquela classe das pessoas consideradas desejáveis.

      Ele tem blubbered e implorou e soluçou como um bebê quando Tripulação segurou a arma de fogo para sua cabeça. Exibição desagradável, realmente, mas o que podia se esperar?

      Ele também daria a chave para o caixa postal locker onde ele escondeu o Raggedy Andy embonecar com uma bolsa de pedras preciosos em sua barriga.

      Gênio, realmente, ele teve que dar O 'Hara credita para aquele pequeno toque. Dobrando milhões de dólares ' no valor de pedras preciosos em objetos inócuos, objetos ninguém olharia para duas vezes. Então quando os alarmes saíram, o edifício bloqueado abaixo, o Polis fervilhou, ninguém consideraria todas aquelas bonitas pedras estavam ainda do lado de dentro, dobradas em algo tão inocente como boneca da criança. Então era só um assunto de recuperar o extraordinário dentro do ordinário enquanto a procura continuou em outro lugar.

      Sim, ele podia dar a Jack creditar para aquele detalhe divertido, mas isso não negou todos os débitos.

      Eles dificilmente podiam ser confiados para segurar milhões de dólares ' no valor de pedras preciosos pelo ano que eles concordaram. Como ele podia possivelmente ladrões de confiança para manter sua palavra?

      Afinal, ele não teve nenhuma intenção de manter seu.

      Além disso, ele quis isso tudo. Sempre com intenção de tomar isso tudo. Os outros tinha meramente sido ferramentas. Quando uma ferramenta serviu seu propósito, você descartou isto. Melhor, você destruiu isto.

      Mas eles o enganaram, deslizados por seus dedos e levado metade do prêmio com eles. E o custe semanas de tempo e esforço. Ele teve que se preocupar que eles seriam pegos puxando um dos lamentáveis fraudes Grandes Jack era tão aficionado por, e acabar confessando para o heist e perdendo metade sua propriedade.

      Eles deviam estar mortos agora. O fato aquele deles continuados a viver, respirar, caminhar, esconder, era um insulto pessoal. Ele nunca tolerou insultos.

      Seu plano tinha sido simples e limpo. Myers primeiros, estilo de execução para fazer parecer como se um de seu jogando dívidas o alcançaram. Então O 'Hara e Jovem, vacilando idiotas. Eles deviam ter sido onde ele disse que eles fosse, mas eles eram muito estúpidos para seguir instruções.

      Se eles tivessem, ele teria contactado eles à medida que ele planejou, colocações plantadas de preocupação acima de falecimento e organizado do Myers para um encontrar em um local quieto, retirado não diferentemente do que ele estava jantando em agora.

      Lá, ele podia ter lidado com eles ambos com pequeno esforço como nem tinha o estômago para tanto como porta uma arma. Ele teria saído suficiente evidência para ligar eles para o trabalho de Nova York, e fixe a cena para olhar, até para o mais moronic policial, como um assunto de ladrões brigando.

      Mas eles desapareceram nele. Scuttled seu planejamento cuidadoso tentando ir subterrâneo. Durante um mês agora, assumiu o comando de um mês finalmente para levantar a trilha e caminho Willy atrás para Nova York, só para o faltar por polegadas e ser forçado a gastar mais tempo, mais esforço, mais dinheiro para o perseguir para Maryland.

      Então o perca para um acidente de tráfico.

      Agitando sua cabeça, Tripulação corta outra mordida de bife sangrento. Ele nunca poderia colecionar diretamente de Willy agora, de forma que conta seria transferida para Grande Jack—e o resto.

      Como fazer era a pergunta, e as possibilidades o entretiveram pelo resto de sua comida.

      Ele seguiu a menina diretamente neste momento, sue local do seu pai e o paradeiro dos pedras preciosos fora sua? Mas se Willy morreu antes de dar suas quaisquer informações salientes, isso seria um esforço perdido.

      Então existia este Maxfield Gannon fatorar em. Poderia ser sábio para fazer um pouco de pesquisa lá, descubra só que tipo de homem ele era. Um ameno para um suborno, talvez? Obviamente, ele conheceu algo sobre a menina ou ele não entrar sorrateiramente em sua loja.

      Ou, e o pensamento atingiu ele gostar de uma seta no coração, ela já cortou um lidar com Gannon. E isso seria muito ruim, ele pensou batendo seu punho na mesa novamente. Isso seria muito ruim para todo envolvido.

      Ele não ir conformar-se metade. Não era aceitável. Então, ele acharia um caminho para voltar o resto de sua propriedade.

      A menina era a chave. O que ela soube ou não soube era indeterminada. Mas existia um fato simples: Ela era filha do Jack, e a maçã de seu larcenous olho.

      Ela era isca.

      Considerando isto, ele se debruçou de volta, tidily tocou de leve sua boca com seu guardanapo. Realmente, a comida era melhor aqui que poderia se pensar, e o quieto estava acalmando.

      Quieto. Privado. Um bom pequeno bosque getaway. Ele começou a sorrir como ele favoreceu ele mesmo em outra taça de vinho. Quieta e privada, sem vizinhos perto para perturbar se se era para ter uma discussão com . . . associados. Uma discussão que poderia se tornar um pouco aquecida.

      Ele procurou a cabana, na escuridão rural apertando contra as janelas.

      Poderia fazer muito bem, ele pensou. Poderia fazer muito bem realmente.

 

      Era muito estranho acordando com um homem em sua cama. Um homem começou a estudar quarto considerável, para uma coisa, e ela não estava acostumada a se preocupar sobre como ela olhou o minuto que ela abriu seus olhos de manhã.

      Ela supôs que ela recuperaria- a última parte, se ela continuasse acordar com este homem em sua cama para qualquer comprimento de tempo. E ela podia sempre conseguir uma maior cama para compensar pela primeira parte.

      A pergunta era como fez ela sentir sobre compartilhar sua cama—e isso não era só uma metáfora para sua vida?—Com este homem para algum comprimento de tempo? Ela não teve tempo para achar isto, não levou tempo, ela corrigiu.

      Fechando seus olhos, ela tentou imaginar era um mês mais tarde. Seu jardim estaria explodindo, e ela estaria pensando por volta de roupas do verão, sobre conseguir sua mobília ao ar livre do abrigo. Henry seria esperado para seu compromisso de veterinário anual.

      Ela estaria planejando bebê do Jenny chove.

      Laine abriu um olho, squinted em Max.

      Ele estava ainda lá. Seu rosto era espremido no travesseiro, seu cabelo todo atraente e amarrotado.

      Então, ela se sentiu satisfatória sobre o ter lá um mês de agora.

      Tente seis meses. Ela fechou seus olhos novamente e projetados.

      Surgindo em Ação de graças. Em seu habitual organizou moda—que ela não se importou o que Jenny disse, não era obsessivo ou asqueroso—ela teria suas compras do Natal terminado. Ela estaria planejando festas de feriado, e como ela decoraria a loja e a casa.

      Ela ordenaria uma corda de madeira e apreciaria iluminar um fogo toda noite. Ela proveria algumas garrafas de bom champanha assim ela e Max podiam . . .

      Uh-oh, ele estava aí.

      Ela abriu ambos os olhos agora e o estudaram. Sim, ele estava aí. Estalando direito em cima em suas pequenas projeções, deitando aí mesmo ao lado de seu dormente enquanto Henry, seu relógio pré-alarme, estava começando a mexer.

      Ela teve um sentimento se ela adicionasse seis meses para aquela projeção e fez isto um ano, ele ainda iria estar lá.

      Ele abriu seus olhos, um flash rápido daquele fulvo marrom, e teve ela ganindo em surpresa.

      "Eu podia ouvir que você olhando fixamente."

      "Eu não era. Eu estava pensando."

      "Eu podia ouvir isto, também."

      Seu braço disparado, enganchada ao redor ela. Ela teve uma tola pouca excitação tremer em sua barriga na força fácil dele quando ele a puxou acima de e debaixo dele.

      "Eu preciso deixar Henry."

      "Ele pode esperar um minuto." Sua boca tomou sua de forma que excitação trançada em um pulsar.

      "Nós somos criaturas de hábito." Sua respiração pega. "Henry e me."

      "Criaturas de hábito deviam sempre estar no mercado para desenvolver outro hábito." Ele aninhou seu pescoço onde sua pulsação batida. "Você é todos morno e suave de manhã."

      "Ficando mais morno e mais suave pelo minuto."

      Seus lábios curvada contra sua pele, então ele ergueu sua cabeça para examinar seus olhos. "Vamos tratar disto."

      Ele escavou suas mãos debaixo de seus quadris, ergueram eles. E deslizou dentro dela. Aqueles olhos azuis claro borrados.

      "Oh sim." Ele assistiu ela, assistida ela na luz solar matutina pálida como ele acariciou. "Você é absolutamente direito."

 

      Henry lamentou e se estatelou suas patas dianteiras no lado da cama. Ele armou sua cabeça como se tentando compreender por que os dois humanos estavam ainda lá com seu fim de olhos quando era último tempo para o deixar fora.

      Ele latiu uma vez. Um ponto de interrogação definido.

      "Certo, Henry, só um minuto."

      Max arrastou suas pontas do dedo acima de braço do Laine. "Queira que eu fazer isto?"

      "Você já fez isto. E obrigado."

      "Ha ha. Você quer que eu deixe o cachorro fora?"

      "Não, nós temos nossa pequena rotina."

      Ela saiu da cama, que teve Henry fazendo correr para a entrada do quarto, fazendo correr de volta, dançando em lugar enquanto ela conseguiu sua bata fora do armário.

      "A rotina inclui café?" Max perguntou a ela.

      "Não existe nenhuma rotina sem café."

      "Louve Deus. Eu vou agarrar um chuveiro, então eu descerei."

      "Não se apresse. Você está certo que você quer sair, Henry? Você absolutamente é, positivamente certo?"

      Do tom, e a reação maníaca do cachorro, Max imaginou o byplay era parte da cerimônia matutina. Ele gostou de ouvir o cachorro galopar de cima abaixo os passos, enquanto risada rolado do Laine.

      Ele sorriu abertamente a distância toda no chuveiro.

      No andar de baixo, com Henry que salta em todas as quatro pernas, Laine destrancado o mudroom porta. Por rotina, ela destrancou a fora de porta assim Henry podia voar por em lugar de menear por seu doggie porta, e então ela podia respirar fundo de ar matutino.

      Ela admirou ela pular bolbos, curvados até cheirar os jacintos que ela plantou em púrpuras e pinks. Braços cruzados, ela permaneceu e assistiu Henry fazer seu circuito matutino, erguendo sua perna em toda árvore no próximo a quintal. Eventualmente, ele tomaria um chocar-se com o bosque, ela soube, ver se ele pudesse assustar em cima alguns esquilos, rubor um pouco de cervo. Mas aquela pequena aventura esperaria até que ele escrupulosamente marcaria seu perímetro.

      Ela escutou os pássaros gorjeiam, e a bolha de seu ocupado pequeno fluxo. Ela estava ainda morna de Max, ainda morno para ele, e perguntou-se como alguém podia ter uma preocupação única em uma manhã tão perfeita e pacífica.

      Ela andou de volta em, fechou a fora de porta. E estava começando a zumbir quando ela caminhou de volta na cozinha.

      Ele andou por detrás a porta e atirou em seu coração em sua garganta. Ela estava abrindo sua boca para gritar quando ele deitou um dedo de advertência para seus lábios e teve o som corrediço longe.

     

      Bateu a respiração fora de sua assim ela tropeçou de volta um passo, bata a parede enquanto sua mão procurada no escuro em sua garganta como se decidir se empurrar o grito fora ou bloqueia isto.

      Enquanto ele permaneceu grinning nela, seu vazamento de dedo quieto em seus lábios, ela chupou em um ofegar de respiração e deixou isto fora com um sussurro explosivo único.

      "Papai!"

      "Surpresa, Lainie." Ele chicoteou sua mão por detrás suas costas e resistiu embreagem de um inclinar de fonte violets. "Como meu é menina de bebê doce?"

      "Poleaxed" era uma palavra que Max usou. Ela agora entendeu isto perfeitamente. "O que você está fazendo aqui? Como fez você—" Ela se parou antes de perguntar a ele como ele entrou. Rudículo questiona vendo como fechaduras de levantamento era um de seus passatempos favoritos. "Oh, Papai, o que tem você feito?"

      "Agora, isto é algum caminho para saudar seu papai velho querido afinal este tempo?" Ele abriu seus braços largos. "Eu não consigo um abraço?"

      Existia um centelhar em seus olhos, olhos tão azuis quanto suas próprios. Seu cabelo—seu orgulho e alegria—eram stoplight vermelho e penteados em uma juba luxuosa ao redor seu rosto largo, alegre. Sardas borrifadas acima de seu nariz e bochechas como gengibre agitado em nata.

      Ele vestiu um búfalo verificar camisa de flanela em preta e vermelha, e calça jeans, ambas de qual ela imaginou que ele selecionou como um aceno com a cabeça para a área, e ambos de qual pareceram ter sido dormidos. As botas ele formou par com eles pareceram dolorosamente novos.

      Ele armou sua cabeça e deu seu um sonhador, sorriso de cachorro de filhote de cachorro.

      Seu coração não teve nenhuma defesa contra isto. Ela saltou em seus braços, fechando se ao redor ele como ele apertou apertado e girado em alguns círculos de vertiginoso.

      "Isto é minha menina. Isto é meu bebê. Minha Princesa Lainie de Haraland."

      Com seus pés quietos um pé fora do chão, ela descansou sua cabeça em seu ombro. "Eu não sou seis mais, Papai. Ou oito, ou dez."

      "Ainda minha menina, não é?"

      Ele cheirou como varas de canela e teve a construção de um Yukon cinzento. "Sim, eu acho que eu ainda esteja." Ela aliviou de volta, dando seus ombros um pouco cutucam assim ele a deixou abaixo. "Como você chegou aqui?"

      "Trens, aviões e automóveis. Com os últimos dele sozinho dois pés. É um lugar que você tem aqui, torta de doçura. Cênica. Mas você notou, está no bosque?"

      Fez seu sorriso. "Nenhuma brincadeira? Boa coisa eu gosto do bosque."

      "Deve conseguir aquela de sua mãe. Como é ela?"

      "Ela é grande." Laine não soube por que sempre fez ela parecer culpada quando ele perguntou, sem rancor, com interesse sincero. "Quanto tempo você tem estado aqui?"

      "Acabou de entrar ontem à noite. Desde que eu cheguei em seu paraíso de bosque tarde, figurou você para estar em dreamland, eu admito eu mesmo. Bunked em seu sofá, que eu devia dizer a você está em forma arrependida." Ele apertou uma mão para sua mais baixa atrás. "Ser um cordeiro, doçura, e faça seu papai algum café."

      "Eu era quase . . ." Ela diminuiu como a lembrança de café passou sem tocar sua cabeça. Max! "Eu não estou só." O pânico gotejou sua garganta. "Existe alguém de cima no chuveiro."

      "Eu juntei aquele do carro em seu passeio, o pedaço de fantasia com Nova York chapeia." Ele a atirou debaixo do queixo. "Você vai dizer a mim, eu espero, que você teve uma festa de soneca com uma em viagem namorada."

      "Eu tenho vinte e oito anos. Eu me formei de festas de soneca com namoradas a fazer sexo com homens."

      "Por favor." Jack apertou uma mão para seu coração. "Deixe seja só diga que você teve um amigo gastar a noite. Isto é o tipo de coisa um pai precisa assistir fases. Café, bem? Isto é uma boa menina."

      "Certo, certo, mas existem coisas que você precisa saber sobre . . . meu durante a noite convidado." Ela saiu sua bolsa de feijões, despejado algum em seu moedor.

      "Eu já sei a coisa mais importante. Ele não é bom o suficiente para meu bebê. Ninguém podia ser."

      "Isto é tão complicado. Ele está trabalhando para Seguro de Confiança."

      "Então, ele pegou um trabalho direto, um nove-para-fiver." Jack encolheu os ombros seus ombros largos. "Eu posso perdoar aquele."

      "Papai—"

      "E nós conversaremos sobre este homem jovem em só um pouco." Ele cheirou o ar como ela mediu os chãos de café no filtro. "Melhor odor no mundo. Enquanto isto está fazendo o que está fazendo, você podia ir buscar me buscar o pacote que Willy partiu com você? Eu vigiarei a panela."

      Ela olhou fixamente para ele enquanto todos os pensamentos, todas as palavras, circulada ao redor em sua cabeça e fundida em uma certeza horrível única. Ele não soube.

      "Papai, eu Ele não não fez . . ." Ela agitou sua cabeça. "Seria melhor nós nos sentarmos."

      "Não diga a mim que ele não tem sido por ainda." O faintest chameja de irritação cruzou seu rosto. "O homem se perderia em seu próprio banheiro sem um mapa, mas ele é tido mais que suficiente tempo para chegar aqui. Se ele giraria sua telefone celular de maldição em que eu entraria tocaria, disse a ele existiu uma mudança em planos. Eu odeio dizer a você, Lainie, mas seu tio Willy está ficando velho e distraído."

      Nenhum modo fácil, ela pensou como o café derramado na panela. Nenhum modo fácil. "Papai, ele está morto."

      "Eu não iria tão longe. Só esquecido."

      "Papai." Ela agarrou seus braços, apertando enquanto ela assistiu o sorriso indulgente enfraquecer de seu rosto. "Existia um acidente. Ele era batido por um carro. E ele . . . ele morreu. Eu sinto muito. Eu sinto tanto."

      "Isso não pode ser. Isto é um engano."

      "Ele entrou em minha loja alguns dias atrás. que eu não o reconheci." Ela correu suas mãos junto seus braços agora porque eles começaram a tremer. "Tem sido tão longo, eu não o reconheci. Ele deu a mim um número, pediu a eu para o chamar. Eu pensei que ele teve algo para vender, e eu estava ocupado assim eu não paguei a muita atenção. Então ele partiu, e logo após, segundos justo depois, pareceu, existiam estes sons horríveis."

      Os olhos do Jack estavam enchendo, e sua fizeram o mesmo. "Oh, Papai. Estava chovendo, e ele chocou-se com a rua. Eu não sei por que, mas ele correu fora, e o carro não podia parar. Eu corri fora, e eu . . . eu percebi quem ele era mas era muito tarde."

      "Oh Deus. Deus. Deus." Ele se sentou agora, abaixando em uma cadeira, soltando sua cabeça em suas mãos. "Ele não pode ser ido. Não Willy."

      Ele balançou ele mesmo para conforto enquanto Laine embrulhou seus braços ao redor ele, apertada sua bochecha para seu. "Eu mandei a ele aqui. Eu disse que ele viesse porque eu pensei que era . . . Corria fora na rua?"

      Sua cabeça surgiu agora. As lágrimas perseguir suas bochechas, e ela soube que ele nunca teria vergonha deles, ou qualquer grandes emoção. "Ele não era uma criança que vai chocando-se com a rua."

      "Mas ele fez. Existiam testemunhas. A mulher que bate ele era devastado. Não existia nada que ela podia fazer."

      "Ele correu. Se ele corresse, existia uma razão." Ele foi pálido debaixo das lágrimas. "Você precisa conseguir o que ele deu a você. Pegue isto e dê isto para mim. Não diga ninguém. Você nunca o viu na frente de em sua vida, é disso que você diz."

      "Ele não deu a mim qualquer coisa. Papai, eu sei sobre as pedras. Eu sei sobre o trabalho de Nova York."

      Suas mãos estavam em seus ombros agora com um aperto forte suficiente que ela soube que existiria contusões. "Como você sabe se ele não desse a você qualquer coisa?"

      "O homem que é de cima. Ele trabalha para Confiança. Eles asseguraram os pedras preciosos. Ele é um investigador."

      "Um policial de seguro." Ele veio diretamente fora da cadeira. "Você tem um policial em seu chuveiro, por causa de Jesus!"

      "Ele localizou Willy aqui, e ele o conectou a mim. Para você e eu. Ele só quer recuperar as pedras. Ele não está interessado em entregar você. Só dê a mim o que você tem, e eu cuidarei disto."

      "Você está dormindo com um policial? Minha própria filha?"

      "Eu não penso que isto é o tempo para entrar nisto. Papai, alguém arrombou minha casa, em minha loja porque eles estão procurando pelas pedras. Eu não tenho eles."

      "É aquela Tripulação bastarda. Isso assassinando bastardo." Seus olhos estavam ainda molhados e natação, mas existia fogo atrás deles. "Você não sabe nada, você me ouve? Você não sabe nada, você não me viu. Você não falou comigo. Eu cuidarei disto, Laine."

      "Você não pode cuidar disto. Papai, você está em dificuldade terrível. As pedras não valem a pena isto."

      "Metade de vinte e oito milhões valha a pena bastante, e é disso que eu terei que pechinchar com uma vez que eu descubro o que Willy fez com seu. Ele não deu a você qualquer coisa? Diga qualquer coisa?"

      "Ele disse que eu escondesse a bolsa, mas ele não deu a mim um."

      "Bolsa? Ele tirou eles?"

      "Eu acabei de dizer que ele não deu a mim uma bolsa. Ele era . . . desvanecimento, e era duro de o entender. A princípio eu pensei que ele disse 'pooch.'"

      "Isto é isto." Alguma da animação voltou em seu rosto. "Sua parte está no cachorro."

      "O cachorro?" O choque genuíno teve ela verbalizar gritando. "Você alimentou diamantes para um cachorro?"

      "Nem um cachorro real. Todo-poderoso de deus, Lainie, o que você nos leva?"

      Ela simplesmente coberta seu rosto com suas mãos. "Eu não sei mais. Eu só não conheço."

      "Está em uma estátua de um cachorro, cachorro branco e preto pequeno. Polis provavelmente tem suas coisas. Polis provavelmente tem isto e não sabe o que eles têm. Eu posso trabalhar com isto."

      "Papai—"

      "Eu não quero que você se preocupe. Ninguém vai aborrecer você novamente. Ninguém vai tocar em minha pequena menina. Só fique quieto sobre isto, e eu lidarei com o resto." Ele deu seu um abraço, um beijo. "Eu só conseguirei minha bolsa e sou ido."

      "Você não pode só ir," ela protestou como ela se apressou depois dele. "Max diz que Tripulação é perigosa."

      "Max é o seguro narc?"

      "Sim." Ela olhou de relance nervosamente em direção aos passos. "Não, ele não é um narc."

      "Qualquer, ele não está errado sobre Tripulação. O homem não pensa que eu sei quem ele é," Jack murmurou. "O que ele fez. Figurou que eu tragaria seus nomes de fraude e todo de conto de fadas. No jogo sido desde que eu podia conversar, não é?" Jack atirou um duffel acima de seu ombro. "Eu nunca devia conseguir tangled com ele, mas bem, vinte e oito milhões, dê ou tome, favorece companheiros de cama estranhos. Agora eu consegui Willy matou acima disto."

      "Você não fez. Não é sua culpa."

      "Eu fiz o trabalho sabendo que Tripulação era entretanto que ele chamou ele mesmo Martin Lyle. Sabendo que ele era perigoso e planejando uma cruz dupla desde o princípio, eu fiz o trabalho. Willy veio comigo. Mas eu consertarei isto. Eu não deixarei nada acontecer para você." Ele deu seu um beijo rápido no topo de sua cabeça, então movida para a porta da frente.

      "Espere. Espera e conversa justa para Max."

      "Eu não acho." Ele alarga um bufar na idéia. "E nos faça ambos um favor, princesa." Agora ele bateu um dedo para seus lábios. "Eu nunca era aqui."

      Ela podia ouvir ele assobiando "Adeus Adeus Melro" como ele partir em uma corrida. Ele sempre moveria bem para um grande homem. Antes dela saber isto, ele arredondou a curva de sua pista e era ido.

      Como se ele nunca estaria lá.

      Ela fechou a porta, descansada sua fronte contra isto. Tudo doído: Sua cabeça, seu corpo, seu coração. Existe lágrimas em seus olhos quietos quando ele trotou longe. Lágrimas para Willy. Ele lamentaria, ela soube. Ele culparia ele mesmo. E naquele estado, ele poderia fazer algo estúpido.

      Não, não estúpida, ela corrigiu e vagou na cozinha para compassar sem objetivo. Despreocupado, tolo, mas não estúpido.

      Ela não podia ter o parado. Ainda que ela implorasse, pleiteou, ainda que ela ligasse as lágrimas se. Ele teria levado o peso deles quando ele foi embora, mas ele teria caminhado.

      Sim, ele sempre moveria bem para um grande homem.

      Ela ouviu Max que vem em direção à cozinha e às pressas alcançado no armário para assaltar.

      "Direito na hora certa," ela disse brilhantemente. "O café está só em cima."

      "Café matutino é precisa ser um de vitalício é melhor cheiros."

      Ela girou então, olhado fixamente para ele como suas palavras ecoadas seu pai está em sua mente. Seu cabelo estava ainda umedecer do chuveiro. Seu chuveiro. Ele cheiraria como seu sabão. Ele dormiu em sua cama. Ele tem sido dentro dela.

      Ela deu a ele tudo aquilo. Mas depois de uma visita de dez minutos de seu pai, ela estava contendo-se confiança, e verdade.

      "Meu pai estava aqui." Ela soltou isto antes dela poder se questionar.

      Ele anotar o assaltar ele só levantaria. "O que?"

      "Ele acabou de partir. Minutos atrás. E eu percebi que eu não iria dizer a você, não iria dizer nada. Eu iria cobrir para ele. É condicionamento, eu acho. Ou em parte. Eu o amo. Eu sinto muito."

      "Jack O 'Hara estava aqui? Ele tem estado na casa, e você não disse a mim?"

      "Eu estou dizendo a você. Eu não espero que você entender o que um passo isto é para mim, mas eu estou dizendo a você." Ela tentou despejar café, mas suas mãos estavam agitando. "Não machuque ele, Max. Eu não podia permanecer isto se você o machucar."

      "Deixe seja só atrás em cima uma praça aqui. Seu pai estava aqui, nesta casa, e você me cozinhou jantar, foi para a cama comigo. Eu sou de cima fazendo amor para você e ele é fora—"

      "Não! Não! Eu não soube que ele estava aqui até que esta manhã. Eu não sei quando ele chegou aqui, admite ele mesmo. Ele dormiu no sofá. Eu deixo Henry, e quando eu caminhei na cozinha novamente, ele estava aí."

      "Então que diabo você está desculpando comigo ?"

      "Eu não iria dizer a você."

      "Para que, três minutos? Jesus Cristo, Laine. Você põe aquele tipo de bar de honestidade em cima para nós, eu vou manter rapping minha cabeça nisto. Dê-me uma fratura."

      "Eu sou muito confuso."

      "Ele tem sido seu pai por vinte e oito anos. Eu tenho sido o sujeito apaixonado por você para mais ou menos dois dias. Eu penso que eu posso cortar você alguns relaxar. Certo?"

      Ela alarga respiração de um estremecer. "Certo."

      "Isto é o fim do frouxo. O que ele disse, o que ele quis, onde ele foi?"

      "Ele não soube sobre Willy." Seus lábios tremeu antes dela conseguir apertar eles juntos. "Ele chorou."

      "Sente-se, Laine, eu conseguirei o café. Se sente e tome um minuto."

      Ela fez o que ele perguntou como tudo que tinha sido doer estava agora agitando. Ela se sentou, olhadas fixamente para suas mãos enquanto ela escutou líquido batendo stoneware. "Eu penso que eu poderia ser apaixonado por você, também. Seja provavelmente um tempo desajeitado para mencionar isto."

      "Eu gosto de ouvir isto." Ele fixa o assaltar na frente dela, então se sentou "Qualquer que seja o tempo."

      "Eu não estou tocando você, Max. Eu preciso de você para saber isto."

      "Bebê, eu aposto que você é bom nisto. Considerando. Mas você não é tão bom."

      O tom convencido era só qual era precisado secar completamente lágrimas ameaçadoras. Ela olhou para ele então com um flash definido de arrogância divertida. "Oh sim, eu sou. Eu podia fraude você fora de sua poupança vitalícia, seu coração, seu orgulho, e faz que você acredita em que era sua idéia para dar eles acima de com um arco em cima. Mas desde que parece que a única coisa que eu estou interessado em é seu coração, eu o prefiro realmente sou sua idéia. Jack podia nunca tocar isto diretamente com minha mãe. Ele a amou. Ainda faz, no que diz respeito a esse assunto. Mas ele podia nunca tocar isto diretamente, até com ela. Então eles não fizeram isto. Se você e eu entrarmos nisto, eu quero as chances em nosso favor."

      "Então vamos começar compreendendo como lidar com seu pai."

      Ela movimentou a cabeça e levantou o café que ele a trouxe. Ela seria fixa, e ela diretamente seria. "Ele enviou Willy aqui para dar a mim uma parte do tomar. Para custódia, de que eu posso juntar. Você devia saber aquele se isso foi aprovado, eu teria tomado as pedras, então passaram por eles de volta para ele. Eu teria dado a ele pesar considerável sobre isto, mas eu teria feito isto."

      "Espesso do sangue," Max reconheceu.

      "De que eu posso juntar, ele esteve preocupado porque Willy não o chamou—e seu, do Willy, telefone celular tem sido. Então ele mudou o plano, veio aqui para levantar o cachorro."

      "Que cachorro?"

      "Veja, era um pooch, não uma bolsa. Ou, a bolsa está no pooch. Deus, soa como uma rotina de comédia ruim. Mas eu não consegui o pooch com a bolsa, então meu pai figura o Polis escavou ele em cima com efeitos do Willy. E ele acredita que Tripulação—que ele verificou Tripulação, Willy A propósito—localizado aqui, só como você fez, e é disso que spooked Willy e teve ele chocando-se com a rua."

      "Não existe suficiente café no mundo," Max murmurou. "Volte para o cachorro."

      "Oh, não é um cachorro real. É uma estatueta de um cachorro. É um de gambitos velhos do Jack. Esconda o assistir algo ordinário assim pode ser passado—e ignorado por quem está olhando pegar isto atrás—até o calor seja fora de. Uma vez que ele escondeu um esconderijo de moedas raras dentro de meu ursinho. Nós passeamos diretamente do edifício de apartamentos, conversado com o porteiro e ido embora com cem e vinte e cinco grande dentro de Paddington."

      "Ele competiu com você um trabalho?"

      Seu choque muito real teve ela abaixando ela olha para seu café assalta. "Eu não tive o que você chamaria uma infância normal."

      Max fechou seus olhos. "Onde ele está indo, Laine?"

      "Eu não sei." Ela alcançou, coberta sua mão com sua até que seus olhos encontrados. "Eu juro que eu não sei. Ele disse a mim não se preocupar, que ele cuidaria de tudo."

      "Hambúrguer de Vince tem efeitos do Willy?"

      "Não diga a ele, Max, por favor não faça. Ele não terá nenhuma escolha mas prender Jack se ele aparecer. Eu não posso ter qualquer parte nisto. Você e eu, nós não temos uma chance se eu tiver uma parte nisto."

      Pensando, ele drummed seus dedos na mesa. "Eu procurei quarto de motel do Willy. Não viu qualquer figura de cachorro." Ele devolveu o quarto em sua cabeça, tentada ver isto seção por seção. "Não lembre de nada assim, mas é possível que eu ignorei isto, pensando que era parte justa da decoração de quarto. 'A decoração ' ser usada na sensação possível mais solta."

      "É por isso que isto trabalhos."

      "Certo. Você pode conversar Vince em deixar você ver efeitos do Willy?"

      "Sim," ela disse sem vacilação. "Eu posso."

      "Vamos começar lá. Então nós iremos planejar B."

      "O que é Plano B?"

      "Qualquer vem para próximo."

 

      Estava um pouco infeliz o quão fácil isso tudo voltou. Talvez era mais fácil, Laine pensou, desde que ela não teve que conversar com Vince. Mas ela era, essencialmente, ainda enganando um amigo e mentindo para um policial.

      Ela conheceu Sargento McCoy casualmente, e quando ela percebeu que ela estaria lidando com ele, depressa alinhou-se todos os fatos que ela soube sobre ele em sua cabeça. Casou, nativo de buraco, duas crianças. Ela estava quase certo ele tinha dois anos, e que eles eram ambos crescidos. Ela pensou que existia um neto no retrato.

      Ela adicionou a aquela com observação e instinto.

      Levando umas extras vinte libras, então ele gostou de comer. Desde existia um dinamarquês de padaria em um guardanapo em sua escrivaninha, sua esposa estava provavelmente tentando o conseguir para dieta, e ele teve que se mover furtivamente suas dificuldades com loja-comprada.

      Ele vestiu um anel de casamento, seu só jóias, e suas unhas eram cortadas pequenas. Sua mão era áspera com calos quando agitou sua. Ele chegou a seus pés para a saudar e fez o que ele podia chupar em seu intestino. Ela mandou a ele um sorriso morno e notou a cor que rastejadas em suas bochechas.

      Ele seria um pushover.

      "Sargento McCoy, é bom para ver você novamente."

      "Miz Tavish."

      "Laine, por favor. Como é sua esposa?"

      "Ela é boa. Multa justa."

      "E aquele grandbaby seu?"

      Seus dentes mostraram em sorriso de um pontilhar. "Não tal bebê mais. Dois do menino agora e correndo minha filha rota."

      "Uma idade tão divertida, não é? Levando ele pescando já?"

      "Teve ele fora para o rio semana passada. Não pode se sentar ainda longo suficiente ainda, mas ele aprenderá."

      "Isso será grande diversão. Meu granddaddy me levou pesca uns tempos, mas nós tivemos uma diferença séria de opinião quando veio para lombrigas."

      McCoy alarga uma gargalhada apreciativa. "Tad, ele ama as lombrigas."

      "Isto é um menino para você. Oh, eu sinto muito. Sargento, isto é meu amigo Max Gannon."

      "Sim." McCoy estudou o templo contundido. "Teve você um pouco corrida-na outra noite."

      "Era todo um engano," Laine disse depressa. "Max entrou comigo esta manhã para suporte um pouco moral."

      "Uh-huh." McCoy apertou as mãos, porque Max estendeu um, então olhou de relance atrás em Laine. "Suporte moral?"

      "Eu nunca fiz este tipo de coisa antes." Ela ergueu suas mãos, olhadas frágeis e frustradas. "Vince poderia ter mencionado que eu percebi que eu soube William Young. O homem que foi morto naquele acidente terrível fora de minha loja?"

      "Ele não mencionou isto."

      "Eu acabei de dizer a ele, e eu acho que isto não faz qualquer diferença no—no procedimento. Não era até depois de . . . até depois de que eu lembrei. Ele conheceu meu pai, quando eu era uma criança. Eu não o vi—William—desde que eu era, oh, dez, eu acho. Eu estava tão ocupado quando ele entrou na loja."

      Seus olhos foram brilhantes com angústia. "Eu não o reconheci, e eu não acabei de não pagar a tanto atenção. Ele me deixou seu cartão e me pediu para o chamar quando eu tive a chance. Então quase assim que ele saiu para que . . . eu me sinto terrível que eu não lembrei, que eu rejeitei o sumariamente."

      "Isso está certo agora." McCoy cavou uma caixa de tecidos fora de uma gaveta e ofereceu isto.

      "Obrigado. Obrigado. Eu quero fazer o que eu posso para ele agora. Eu quero poder dizer meu pai que eu fiz o que eu podia." Aquelas coisas eram verdade. Ajudou a trabalhar em verdade. "Ele não teve qualquer família que eu sei de, então eu gostaria de fazer qualquer acordos precisarem ser enterro favorecido."

      "O chefe tem seu arquivo, mas eu posso verificar sobre aquele para você."

      "Eu apreciaria isto muito. Eu pergunto-me se, enquanto eu estou aqui, eu podia ver suas coisas. Isto é possível?"

      "Eu não vejo por que não. Por que você não senta-se?" Ele tomou seu braço, suavemente, e a levou a uma cadeira. "Só se sente, e eu irei conseguir eles para você. Não pode deixar você tomar qualquer coisa."

      "Não, não, eu entendo."

      Como McCoy deixou o quarto, Max se sentou ao lado dela. "Lisa como manteiga. O quão bem você conhece este policial?"

      "McCoy. Eu o encontrei uns tempos."

      "Pesca?"

      "Oh, isto. Ele tem uma revista de pesca dobrada debaixo de seus arquivos de caso na escrivaninha, então ele era uma suposição razoável. Eu vou organizar para enterro do Tio Willy," ela adicionou. "Aqui, eu penso, em Buraco do Anjo, a menos que eu possa descobrir se existe em outro lugar que ele prefere . . ."

      "Eu aposto aqui o adaptaria multa."

      Ele ergueu-se, como fez ela, quando McCoy retornou para um caixa de papelão grande. "Ele não teve muito. Pareça com que ele era luz ambulante. Roupas, carteira, relógio, cinco chaves, chaveiro—"

      "Oh, eu penso que eu dei a ele aquele chaveiro pelo Natal um ano." Ela alcançou, cheirando, então fechou isto em seu punho. "Você pode imaginar? Ele usou isso tudo estes anos. Oh, e eu até não o reconheci."

      Embreando as chaves, ela se sentou, lamentou.

      "Não chore, Laine."

      Max enviou McCoy um olhar de helplessness pura e bateu levemente Laine na cabeça.

      "Às vezes eles têm." McCoy voltou para os tecidos. Quando ele andou de volta em cima, Laine alcançou, levou três, esfregado em seu rosto.

      "Eu sinto muito. Isto é só tolo. É só que eu estou lembrando o quão doce ele estava para mim. Então nós perdemos contato, você sabe como é Minha família mudada-se, e isso era isto."

      Compondo se, ela chegou a seus pés novamente. "Eu sou bom. Eu sinto muito, eu serei bom." Ela tomou o manila envelope, soltou as chaves de volta nele e deslizou isto atrás no caixa de papelão se. "Você só pode dizer a mim o resto? Eu prometo, isso não acontecerá novamente."

      "Você não se preocupa sobre isto. Você certo você quer lidar com este agora?"

      "Eu faço. Sim, obrigado."

      "Existe uma navalha de kit de artigos de toalete, escova de dente, o habitual. Ele estava levando quatrocentos vinte e seis dólares e doze centavos. Teve um carro de aluguel—um Touro de Avis fora de Nova York, mapas de estrada."

      Ela estava examinando os artigos como McCoy detalhado eles de sua lista.

      "Telefone celular—nada programado no livro de telefone para nós contactar. Pareça com existir um par de mensagens de voz. Nós veremos se nós podemos localizar aqueles."

      Eles seriam de seu pai, ela imaginou, mas só movimentado a cabeça.

      "Relógio é gravado," ele adicionou quando Laine virou isto em sua mão. "'Um para todo minuto.' Eu não pego isto."

      Ela deu a McCoy um sorriso confundido. "Nem faça eu. Talvez que era algo romântico, de uma mulher ele amou uma vez. Isso seria bom. Eu gostaria de pensar que isto. Isto todo era?"

      "Bem, ele estava viajando." Ele tomou o relógio dela. "O homem não toma muitos artigos pessoais com ele quando ele estiver viajando. Vince será acompanhamento abaixo seu endereço de casa. Não se preocupe sobre isto. Nós não achamos qualquer próxima de família até agora, e se nós não fizermos, parece como eles o lançarão para você. É agradável de você querer enterrar um amigo velho de do seu pai."

      "É o menos que eu posso fazer. Muito obrigado, Sargento. Você tem sido muito amável e paciente. Se você ou Vince deixariam-me saber se e quando eu puder fazer os acordos fúnebres, eu apreciaria isto."

      "Nós estaremos em toque."

      Ela tomou mão do Max à medida que eles saíram, e ele sentiu a chave apertar sua palma. "Isso era liso," ele comentou. "Eu apenas peguei isto."

      "Se eu não fosse um pouco mofoso, você não teria pego isto. Parece que um locker chave. Um daqueles aluguel lockers. Você não pode alugar lockers em aeroportos ou estações de trem, rodoviárias, aquele tipo de coisa mais, não é?"

      "Não. Muito pequeno para um daqueles garagem-tipo armazenamento lockers, e a maior parte daquelas são fechaduras de combinação ou cartões chave de qualquer maneira. Poderia ser de um daqueles lugares de caixa postal."

      "Nós devíamos ser capazes de perseguir isto. Nenhum cachorro entretanto."

      "Não, nenhum cachorro. Nós verificaremos o quarto de motel, mas eu não penso que está lá, qualquer um."

      Ela andou do lado de fora com ele, tomou um aficionado olhar para a cidade que ela fez sua próprio. Deste ponto de desempate, alta na rua espirrada, ela podia ver uma fatia do rio, e as casas esculpidas na colina nascente no outro banco. As montanhas subidas para trás, tocando seu modo em torno do espreguiçar de ruas e edifícios, os parques e pontes de comando. Eles formaram uma parede cênica coberta com a névoa verde de árvores que começam a folha, e o flash branco de florescente selvagem dogwoods.

      O everydayers, como seu pai dublou pessoas normais com vidas normais, era sobre seus negócios. Venda carros, comprando mantimentos, vacuuming o tapete, história de ensino.

      Os jardins eram plantados, ou sendo preparados para canteiro. Ela podia ver umas casas onde as decorações de páscoa tido ainda para ser despachadas, entretanto era quase três semanas passadas. Ovos de plástico coloridos dançadas em membros de árvore baixa, e inchável rabbits agachado na grama de fonte verde.

      Ela teve tapetes para vazio e mantimentos para comprar, um jardim para tender. Apesar da chave em sua mão, ela supôs que fez seu um mais todo dia, também.

      "Eu não vou fingir algum de que não mexeu os sucos. Mas quando isto estiver terminado, eu terei muito prazer em me aposentar novamente. Willy nunca podia, meu pai nunca vontade."

      Ela sorriu como eles caminharam para carro do Max. "Meu pai deu a ele que assiste. O chaveiro era só um ploy, mas meu papai deu a Willy que assiste para seu aniversário um ano. Eu penso que ele poderia ter realmente comprado isto, mas eu não posso estar certo. Mas eu era com ele quando ele teve isto gravado. 'Um para todo minuto.'"

      "Querendo dizer?"

      "Existe uma ventosa nascida todo minuto," ela disse, e deslizado no carro.

     

      Era o mesmo balconista na escrivaninha do Telhado Vermelho, mas Max podia ver a falta de reconhecimento em seus olhos. O modo mais simples, mais rápido em último quarto do Willy era para pagar o frete normal.

      "Nós queremos um e quinze," Max disse a ele.

      O balconista estudou a exibição de seu computador, disponibilidade verificada e encolhida os ombros. "Nenhum problema."

      "Nós somos sentimentais." Laine adicionou um sappy sorriso e se aconchegou próximo a Max.

      Max deu dinheiro. "Eu preciso de um recibo. Nós não somos tão sentimentais."

      Com a chave na mão, eles dirigiram ao redor para seção do Willy.

      "Ele deve ter sabido onde eu vivo. Meu pai fez, então Willy fez. Eu desejo que ele só viesse para me ver lá. Eu posso só pensar que ele conheceu alguém estava logo atrás ele—ou tinha medo alguém era—e figurava a loja era mais segura."

      "Ele era só aqui uma noite. Não desempacotou." Max foi à frente para a porta. "Parecidas com suficiente roupas para mais ou menos uma semana. A mala estava aberta, mas ele não tomou nada fora mas seu kit de banheiro. Podia ser ele quis estar pronto mover novamente, rápido."

      "Nós estávamos sempre prontos para mover novamente, rápidos. Minha mãe podia parar de trabalhar nossas vidas em apartamento de vinte minutos, e atinge isto novamente em um novo lugar da mesma maneira que rápido."

      "Ela deve ser uma mulher interessante. Tome meu mais longo que isso para decidir o que calçar vestir de manhã."

      "Sapatos não são uma decisão para ser ligeiramente feitos." Entendendo, ela deitou uma mão em seu braço. "Você não tem que dar a mim tempo para preparar eu mesmo, Max. Eu sou certo."

      Ele abriu a porta. Ela andou em um dobro de motel normal. Ela conheceu tais quartos feitos algumas pessoas tristes, mas ela sempre acharia eles um de vitalícios é aventuras pequenas para seu muito anonimato.

      Em tais quartos você podia fingir que você estava em qualquer lugar. Indo em qualquer lugar. Que você era ninguém.

      "Como uma criança nós pararíamos pelo caminho em lugares como isto, indo de um ponto até outro. Eu amei isto. Eu fingiria que eu era um espião que persegue abaixo alguma abominável Dr. Destruição, ou uma princesa viajando incógnito. Meu pai sempre fez isto um jogo tão maravilhoso.

      "Ele sempre me conseguiria doce e refrigerantes das máquinas de venda automáticas, e minha mãe fingiria desaprovar. Eu acho, depois de um enquanto, ela não estava fingindo mais."

      Ela fingered a colcha barata. "Bem, isto é um longo suficiente caminha abaixo Pista de Memória. Eu não vejo qualquer cachorro aqui."

      Entretanto ele já faria uma procura, e conheceu que a polícia tinha sido pelo quarto, seguida por administração interna, Max foi pelo procedimento novamente.

      "Não falte muito, não é?" Ela disse quando ele terminou.

      "Tente não . Aquela chave poderia ser o melhor principal nós temos. Eu verificarei as instalações de armazenamento local."

      "E o que você não está dizer é que ele podia ter escondido ele em um milhão daqueles tipo de lugares daqui para Nova York."

      "Eu localizarei isto atrás. Eu acharei isto."

      "Sim, eu acredito em que você irá. Enquanto você está fazendo isto, eu voltarei para trabalhar. Eu não gosto de deixar Jenny lá só muito longo, dadas as circunstâncias."

      Ele lançou a chave de quarto na cama. "Eu soltarei você."

      Uma vez que eles voltavam no carro, ela alisou um dar suas calças. "Você teria desaprovado, também. Dos quartos de motel, o jogo. A vida."

      "Eu posso ver por que apelou para você quando você tinha dez anos. E eu posso ver por que sua mãe conseguiu você fora disto. Ela fez o que era direito para você. Uma coisa sobre seu pai . . ."

      Ela se braceou para a crítica e se prometeu para não tomar ofensa. "Sim?"

      "Muitos homens em . . . vamos dizer, sua linha, eles escapam de esposas e crianças ou qualquer coisa que se assemelha a responsabilidade. Ele não fez."

      Seus ombros soltos, seu estômago desatado, e ela girou enviar Max um sorriso luminoso. "Não, ele não fez."

      "E não só porque você era um realmente atraente pequeno redheaded barba com dedos de luz."

      "Isso não machucou, mas não, não só porque disto. Ele nos amou, em seu Jack sem igual O 'modo de Hara. Obrigado."

      "Nenhum problema. Quando nós tivermos crianças, eu comprarei eles doce fora da máquina de venda automática, mas nós manteremos isto para ocasiões especiais."

      Sua garganta fechou de forma que ela teve que passar sem tocar isto a fim de falar. "Você salta adiante," ela declarou.

      "Nenhum ponto em arrastar seus pés uma vez que você tem sua direção."

      "Pareça mim existe muita estrada entre aqui e lá. E muitas curvas e ângulos nisto."

      "Então, nós apreciaremos o passeio. Deixe seja redondo daquelas curvas agora. Eu não preciso viver em Nova York se isto é algo que você está mastigando em. Eu penso que esta multa justa da área para levantar aquelas três crianças."

      Ela não sufocou, mas ele foi fechou. "Três?"

      "Número sortudo."

      Ela girou sua cabeça para desviar a vista da janela lateral. "Bem, você velejou direito ao redor aquela curva. Você considerou diminuir a velocidade até que nós soubemos um ao outro, oh, eu não sei, uma semana cheia?"

      "Pessoas chegam a saber um ao outro mais rápido em certas situações. Isto seria um deles."

      "Memória de infância favorita antes da idade de dez."

      "Duro." Ele considerou um momento. "Aprendendo a montar uns de dois carpinteiros de rodas. Meu pai que corre ao lado de—com este grande sorriso, e muito medo em seus olhos eu não reconheci como tal no momento. Como ele sentiu, isto ventoso, estômago-soltando pressa quando eu percebi que eu estava pedalando sozinho. Seu?"

      "Sentando nesta grande cama no Ritz-Carlton em Seattle. Era um apartamento porque nós éramos realmente rubor. O papai ordenou esta rudículo comida do serviço de quarto de coquetel de camarão e galinha frita porque eu gostei deles ambos, e caviar, que eu ainda não adquiri um gosto. Existia pizza e chocolate quente sundaes. Um de oito anos de idade seja comida de fantasia. Eu estava metade doente disto, e sentando na cama com provavelmente cem em uns ele deu a mim para tocar."

      Ela esperou uma batida. "Não exatamente do mesmo mundo, Max."

      "Nós estamos no mesmo agora."

      Ela olhou de volta nele. Ele pareceu confiante e duro, suas mãos inteligentes na roda do carro poderoso, seu sol-cabelo listrado incontrolável da brisa, aqueles olhos escondidos do gato perigosos atrás de tinted lentes.

      Bonito, em controle, certo dele mesmo. E a bandagem de borboleta em seu templo era uma lembrança que ele sempre não terminou em cima, mas ele não ficou abaixo.

      Homem de meus sonhos, ela pensou, o que eu vou fazer com você?

      "Duro de apanhar você."

      "Eu já tomei o grande tropeção, amado, quando eu apaixonei-me por você."

      Rindo, ela deixa sua cabeça retirar-se. "Isto é sappy, mas de alguma maneira ele trabalhos. Eu devo ainda ter uma debilidade para um sujeito com uma linha rápida."

      Ele parou na frente de sua loja. "Eu escolherei você em conclusão." Inclinada acima de, ele deu seu um beijo leve. "Não trabalhe muito duro."

      "Isto é todo muito estranhamente normal. Um pouco bolso de ordinário em um grande grupo de estranho." Ela alcançou, emplumadas suas pontas do dedo acima de sua bandagem. "Ser cuidadoso, certo? A Alex Crew sabe quem você é."

      "Eu espero que nós choquemos-nos com um ao outro logo. Eu o devo um."

 

      O normal continuado pela maior parte do dia. Laine serviu à mesa clientes, mercadoria empacotada para transportar, desempacotou remessas de artigos que ela ordenou. Era o tipo de dia que ela normalmente amou, com bastante para fazer mas nenhum de apressou. Ela estava enviando coisas fora com as pessoas que apreciaram ou admiraram eles suficiente para pagar por eles, e achando coisas nas caixas de transporte ela apreciou ou admirou suficiente para querer em sua loja.

      Apesar disto, o dia arrastado.

      Ela se preocupou sobre seu pai e que coisa despreocupada ele poderia fazer enquanto o pesar estava nele. Ela se preocupou sobre Max e o que podia acontecer se Tripulação veio depois dele.

      Ela se preocupou sobre sua relação com Max. Mentalmente examinou, avaliado e dissecou isto até que ela estava doente dela mesma.

      "Pareça com é só você e eu," Jenny disse quando um cliente deixou a loja.

      "Por que você não toma uma fratura? Ponha seus pés em cima por alguns minutos."

      "Feliz para. Você faz o mesmo."

      "Eu não sou grávida. E eu tenho papelada."

      "Eu sou grávida, e eu não me sentarei até que você se sente. Então se você não se sentar que você está forçando uma mulher grávida para insistir em seus pés e eles são inchados."

      "Seus pés são inchados? Oh, Jenny—"

      "Certos, não ainda. Mas eles podiam ser. Eles provavelmente serão, e será sua culpa. Então vamos sentar."

      Ela cutucou Laine em direção a um divã pequeno, apoiado pelo coração. "Eu amo este pedaço. Eu pensei sobre comprar isto tempos de uma dúzia de, então lembram de que eu tenho absolutamente nenhum lugar para pôr isto."

      "Quando você amar um pedaço, você acha um lugar."

      "Então você sempre diz, mas sua casa não parece com um armazém antigo." Ela correu seus dedos acima da rosa acetinada-em-faixas de rosa das almofadas. "Ainda, se ele não vendesse em outra semana, eu vou escavar."

      "Pareceria grande na pequena alcova fora de sua sala de estar."

      "Iria, entretanto eu teria que mudar as cortinas, e consigam um pouco mesa."

      "Naturalmente. E um bom pequeno tapete."

      "Vince vai me matar." Ela suspirou, estatelada ela juntou-se mãos na estante de sua barriga. "Certa, tempo para você descarregar."

      "Eu já desempacotei a última remessa."

      "Emocionalmente descarrega. E você soube o que eu quis dizer."

      "Eu não saberia onde começar."

      "Comece com que estala para a superfície primeira. Você tem muito indo para cima e para baixo ao redor debaixo de lá, Laine. Eu sei você bem suficiente para ver isto."

      "Você ainda pensa que você me sabe atrás de tudo que você descobriu no último par de dias?"

      "Sim, eu faço. Então desarrolhe isto. O que vem para primeiro?"

      "Max pensa que ele é apaixonado por mim."

      "Realmente?" Não era como fácil para ela vir para alertar como uma vez tinha sido, mas Jenny cavou seus cotovelos nas almofadas e empurrou seu corpo pesado mais direto. "Você intuiu isto, ou ele disse isto? O direito fora diz isto?"

      "Direito fora disse isto. Você não acredita apaixonada a princípio visão, não é?"

      "Certo eu faço. É todas as substâncias químicas e material. Existia este programa inteiro nele em PBS. Eu penso que era PBS. Talvez era O Canal de Saber. De qualquer maneira." Ela não acenou aquela parte. "Eles fizeram todos estes estudos em atração e sexo e relações. Principalmente, resume para substâncias químicas, instintos, pheromones, então fundamentando isto. Além disso, você sabe Vince e eu me encontramos quando eu estive no primeiro avalia. Eu fui certo casa da escola e disse minha mãe que eu iria casar Hambúrguer de Vince. Levou nós uns enquanto chegar lá. Bonita firma da lei do estado mais ou menos seis anos-olds sendo engatada. Mas ele certamente estava a mistura certo de substâncias químicas desde o início."

      Ela nunca cansado de picturing ele—Jenny gregário e lento-conversando Vince. E ela sempre viu eles com seu adulto encabeça em robustos pequenos corpos das crianças. "Você soube um ao outro todas as suas vidas."

      "Isto não é o ponto. Minutos, dias, anos, às vezes é só um clicar, clique." Jenny estalou seus dedos para enfatizar. "Além disso, por que ele não devia ser apaixonado por você? Você é bonito e esperto e sensual. Se eu fosse um homem que eu estaria por toda parte você."

      "Isto é . . . realmente doce."

      "E você tem isto interessante e misterioso passado em cima disto. Como você sente sobre ele?"

      "Todo tipo de solta e sarnento e feebleminded."

      "Sabe, eu gostei dele imediatamente."

      "Jenny, você gostou de seu traseiro imediatamente."

      "E seu ponto seria?" Ela riu silenciosamente, contente quando Laine riu. "Certo, além do traseiro, ele é considerado. Ele comprou sua mãe um presente. Ele pegou aquele acento que vai para ele, tem um trabalho sensual. Henry gosta dele, e Henry é um juiz muito bom de caráter."

      "Isto é verdade. Isto é muito verdade."

      "E ele não é suspenso com fobia de compromisso ou ele não teria usado a l palavra. Adicionada a tudo aquilo," ela suavemente disse, "ele está a seu lado. Isso topou com alto e claro. Ele está a seu lado, e isso o ganhou pontos superiores do melhor-camarada acomoda."

      "Então eu devia parar preocupante."

      "Dependa. Como ele está na cama? Gladiador ou poeta?"

      "Hmm." Pensando de volta, Laine correu sua língua acima de seu lábio de parte inferior. "Um gladiador poético."

      "Oh Deus!" Com um pouco tremor, Jenny afundou de volta. "Isto é o melhor. Arrebate ele, menina."

      "Eu poderia. Eu só poderia. Se nós conseguirmos conseguir por tudo isso sem atarraxar isto."

      Ela olhou de relance atrás como sua porta abriu e o sinos jingled. "Eu conseguirei isto. Se sente."

      O par era fortyish, e Laine categorizou eles como turistas abundantes. A jaqueta da mulher era uma manteiga magra-camurça colorida, e os sapatos e bolsa eram Prada. Bom jóias. Um bom, praça-cortado diamante formada par com um canal-fixada faixa do casamento.

      O homem vestiu uma jaqueta de couro que olhou Italiano em corte acima de bem enfraquecido Levis. Quando ele girou fechar a porta atrás dele, Laine manchado o Rolex em seu pulso.

      Eles estavam ambos bronzeados e ajuste. Clube rural, ela pensou. Golfe ou tênis todo domingo.

      "Boa tarde. Eu posso ajudar você com qualquer coisa?"

      "Nós estamos só cutucando ao redor," a mulher respondida com um sorriso, e um olhar em seu olho que disse a Laine que ela não quis ser guiada ou pressionada.

      "Ajude você mesmo. Só deixe-me saber se você precisar de qualquer coisa." Para dar a eles espaço, ela caminhou para o contador, abertos um de seus catálogos de leilão.

      Ela deixa sua conversação lavar acima dela. Tipos de clube definitivamente rural, Laine pensou. E fez um de seu pequeno apostou com ela mesma que eles soltariam quinhentos mínimo na frente de cabeçalho fora novamente.

      Se ela estivesse errada, ela teve que pôr um dólar no jarro de gengibre em seu escritório. Como ela estava raramente errada, o jarro não viu muita ação.

      "Sinta falta?"

      Laine olhou de relance acima de, então Jenny acenado atrás antes de seu amigo poder heft se fora do divã. Ela deu o sorriso da cliente e vagada do seu comerciante acima de.

      "O que você pode dizer a mim sobre este pedaço?"

      "Oh, isto é um pedaço divertido, não é? Mesa de xadrez, aproximadamente 1850. Britânico. É penwork e ébano de marfim marchetado. Condição excelente."

      "Poderia trabalhar em nosso quarto de jogo." Ela olhou para seu marido. "O que você pensa?"

      "Um pouco íngreme para um pedaço de novidade."

      Certo, Laine pensou. Ela deveria pechinchar com o marido enquanto a esposa procurada. Nenhum problema.

      "Você notará o pedestal de dobro espiral. Condição perfeita. É realmente único. Veio de uma propriedade em Ilha Longa."

      "Que tal este?"

      Laine subjugou juntar-se sua esposa. "Tarde décimo nono século. Caoba," ela disse como ela correu uma ponta do dedo acima da extremidade da mesa de exibição. "O dobrado de topo, o vidro chanfrado." Ela ergueu isto suavemente. "Você só não ama o coração formar?"

      "Eu realmente faço."

      Laine notou o sinal a esposa enviou seu marido. Eu quero ambos, disse. Faça isto trabalho.

      Ela vagou fora de, e Laine deu a Jenny o aceno com a cabeça para responder quaisquer perguntas que ela poderia ter acima da coleção de taça de vinho que ela era eyeing.

      Ela gastou os próximos quinze minutos deixando o marido pensa que ele estava cortando seu preço para o osso. Ela fez a venda, ele se sentiu realizado e a esposa conseguiu os pedaços ela procurada.

      Todo mundo ganha, Laine pensou como ela escreveu em cima a venda.

      "Espere! Michael, olhe o que eu achei." A mulher apressada para o contador, esvaziado e rindo. "Minha irmã ama este tipo de coisa. Quanto mais tolo melhor." Ela levantou um cachorro branco e preto cerâmico. "Não existe nenhum preço."

      Laine olhou fixamente para isto, o sorriso praticado quieto curving seus lábios enquanto sua pulsação batida em suas orelhas. Casualmente, muito casualmente, ela alcançou e tomou a estátua. Um dedo glacial apertado na básica de sua espinha.

      "Tolo seja a palavra. Eu sinto tanto." Ela voz soado perfeitamente natural, com só uma sugestão de riso nisto. "Isto não está à venda. Não é parte da linhagem."

      "Mas estava na estante, direito atrás lá."

      "Pertence a um amigo meu. Ele deve ter anotado ele sem pensar. Eu não tive nenhuma idéia que estava lá." Antes da mulher poder objeto, Laine deixa isto na estante debaixo do contador, longe da vista. "Eu estou certo que nós podemos achar algo ao longo das mesmas linhas que adaptarão sua irmã. E se nós fizermos, é metade fora para o fator de decepção."

      O metades fora de stilled quaisquer protestos. "Bem, existia uma figura de gato. Gato de Siamese. Mais elegante que o cachorro, mas quieto kitschy suficiente para Susan. Eu irei tomar outro olhar para isto."

      "Vá em frente. Agora, Sr. Wainwright, onde você gostaria de seus pedaços transportados?"

      Ela terminou a transação, conversou facilmente, até caminhados seus clientes para a porta.

      "Venda boa, chefe. Eu amo quando eles mantiverem achado qualquer outra coisa, adicionando isto."

      "Ela era o com o olho, ele era a com a carteira." Sentiu um pouco como flutuante, mas Laine voltou para o contador, ergueu o cachorro. "Jenny, você arquivou este pedaço?"

      "Isto? Não." Lábios enrrugaram, Jenny subjugou estudar isto. "Tipo de atraente, em um rudículo modo. Um pouco mercado de pulga para nós, não é? Ele Doulton ou do Minton ou alguns daqueles tipos, é?"

      "Não, não é. Eu imagino veio em uma das remessas de leilão por engano. Eu separar isto. Olhe, é quase cinco. Por que você não decola cedo? Você coberto para mim para mais que uma hora esta manhã."

      "Não se importe se eu fizer. Eu tenho um almejar para um Quarto Pounder. Eu balançarei pela estação e verei se Vince fosse até jantar em do Chez McDonald. Eu sou como fecho como o telefone, sabe, se qualquer outra coisa estalar para a superfície e você quer desabafar."

      "Eu sei."

      Laine embaralhou documentos até Jenny juntou suas coisas e encabeçadas fora a porta. Ela esperou outros cinco minutos cheios, fazendo busywork no caso de seu amigo dobrado atrás por qualquer razão.

      Então ela caminhou para a frente, ponha em cima o sinal FECHADO, bloqueada a porta.

      Recuperando a estátua, ela tomou isto atrás quarto, verificadas aquelas fechaduras. Satisfeito ninguém podia entrar nela inesperadamente, ela fixa a estátua em sua escrivaninha, estudou isto.

      Ela podia ver a cola enfileirar agora que ela estava procurando por isto, só uma sugestão dele em torno da pouca cortiça empurrada na básica. Era bom trabalho, entretanto Grande Jack nunca era malfeito. Ao lado da cortiça era um selo de enfraquecido. FEITA NA Taiwan.

      Sim, ele teria pensado sobre pequenos detalhes assim. Ela agitou isto. Nada rattled.

      Clicando sua língua, ela saiu uma folha de jornal, espalha isto na escrivaninha. Ela centrou o cachorro nisto, então caminhado para o gabinete onde ela manteve suas ferramentas. Ela selecionou uma pequeno bola-peen martelo, armada sua cabeça, balançado atrás seu braço.

      Então parou.

      E porque ela parou, ela percebeu, sem uma dúvida única, ela era apaixonada por Max.

      Em uma respiração, ela se sentou, olhando fixamente para o cachorro como ela economizar o martelo.

      Ela não podia fazer isto sozinha porque ela era apaixonada por Max. Isso significou que eles fariam isto junto. E então qualquer veio próximo junto.

      E isto, ela pensou, é o que sua mãe achou com Robert Tavish. O que ela nunca realmente teria com Jack, para toda a excitação e aventura. Sua mãe tinha sido parte do time, e possivelmente o amor de vida do Jack. Mas no caroço, eles não tinham sido um par.

      Sua mãe e Rob eram um par. E é disso que ela quis para ela mesma. Se ela iria ser apaixonada por alguém, ela condena bem quis ser metade de um par.

      "Certo então."

      Ela levantou-se, manta de bolha conseguida de seu material de transporte. Ela embrulhou o cachorro cerâmico barato como cuidadosamente, tão meticulosamente quanto ela teria embrulhado cristal antigo. Acima de camadas de manta de bolha, ela assegurou jornal de transporte marrom, então se aconchegou o pacote em um tecido-compras bolsa forrada, junto com um segundo artigo ela tirou de sua linhagem e embrulhada.

      Quando o trabalho era completo, ela organizou para o transporte para sua venda final do dia, então papelada arquivada. Em justamente seis horas, ela estava na porta da frente que espera por Max.

      Ele estava quinze minutos atrasados, mas que só deram seu tempo para tranqüilo completamente.

      Ele apenas puxaria para o meio-fio quando ela estava saindo, fechando a porta.

      "Você está sempre na hora certa, certo?" Ele perguntou a ela quando ela entrou no carro. "Provavelmente mais como sempre cinco minutos cedo."

      "Está certo."

      "Eu quase nunca sou, exatamente na hora certa, isto é. Isto vai ser um lidar conosco estrada abaixo?"

      "Oh sim. Você consegue este período de lua de mel inicial onde eu só tremulo minhas pestanas quando você aparecer e não diz que uma palavra sobre sua estando tarde. Depois disto, nós lutaremos sobre isto."

      "Acabou de querer verificar nisto. O que em seja a bolsa?"

      "Umas coisas. Você teve alguma sorte com a chave?"

      "Isso depende de seu ponto de vista. Eu não achei o fechar que monta, mas eu eliminei vários que não fez."

      Ele dirigiu em cima sua pista, estacionado atrás de seu carro. "Como venha para Henry fechar com fecho fora não faz sua porta de cachorro quando ele ouve um carro dirigir em cima?"

      "Como ele sabe quem que é? Podia ser alguém que ele não quer conversar com."

      Ela saiu, esperado por ele estalar o tronco. E irradiada na balde de galinha frita.

      "Você me comprou galinha."

      "Não só, mas as fabricações para chocolate quente sundaes." Ele ergueu as duas bolsas. "Eu pensei sobre coquetel de camarão e pizza, mas figurou nós dois estaríamos doentes. Então apenas do Coronel e sorvete para você hoje à noite."

      Ela anotar a bolsa de compras, lançou seus braços ao redor seu pescoço e esmagou sua boca para seu.

      "Eu posso bater em cima o Coronel toda noite," ele disse quando ele podia administrar isto.

      "É aquelas ervas e especiarias secretas. Eles me conseguem toda vez. Eu decidi que eu amo você."

      Ela assistiu o redemoinho de emoção em seus olhos. "Sim?"

      "Sim. Vamos ir dizer a Henry."

      Henry pareceu mais interessado na galinha, mas conformou-se um rápido lutar e um biscoito de Osso de Leite gigante enquanto Laine fixa a mesa.

      "Você pode comer aquele tipo de coisa em toalhas de jornal," Max disse a ela.

      "Não nesta casa."

      Ela imaginou isto em cima de um modo ele achou doce e fêmea. Seus pratos coloridos tornaram a galinha de comida rápida e tinas de coleslaw em uma celebração limpa.

      Eles tiveram vinho e velas e extras-quebradiças.

      "Você gostaria de saber por que eu decidi que eu amo você?" Ela esperou, apreciando a comida, assistindo ele aprecia isto.

      "Porque eu sou tão bonito e encantador?"

      "É por isso que eu decidi dormir com você." Ela passou sem tocar os pratos. "Eu decidi que eu poderia amar você porque você me fez risada, e você era amável e inteligente e porque quando eu toquei o no próximo mês jogo, você estava ainda lá."

      "O no próximo mês jogo?"

      "Eu explicarei tão mais tarde. Mas eu decidi que eu devo amar você quando eu comecei a fazer algo por mim mesmo, e parou. Não quis fazer isto por mim mesmo. Eu quis fazer isto com você, porque quando duas pessoas fizerem um par, eles fazem coisas importantes, e pequenas coisas, juntas. Mas antes de eu explicar tudo aquilo, eu tenho um presente para você."

      "Nenhuma brincadeira?"

      "Não, eu tomo presentes muito seriamente." Ela tomou o primeiro embrulhou artigo fora de sua bolsa. "É um favorito meu, então eu espero que você goste disto."

      Curioso, ele arrancou o papel de embrulho protetor, então arrombou um sorriso enorme. "Você não vai acreditar nisto."

      "Você ele tem já?"

      "Nope. Minha mãe faz. Aconteça é um de seus favoritos, também."

      Agradou ela para ouvir isto. "Eu imagino que ela gostava do trabalho do Maxfield Parrish ou ela não teria chamado seu filho depois do artista."

      "Ela tem algumas de suas impressões. Este aqui está nela sentando quarto. O que é chamado novamente?"

      "Senhora Violetta Sobre fazer Tortas" Laine disse a ele como eles dois estudaram a impressão emoldurado de uma bonita mulher estando na frente de um tórax e segurando um lançador de prata pequena.

      "Ela é bastante quente. Olhe um pouco como você."

      "Ela não faz."

      "Ela pegou cabelo vermelho."

      "Isto não está vermelho." Laine bateu um dedo contra o cabelo de ouro avermelhado do modelo, então arrastou uma fechadura de sua própria. "Isto está vermelho."

      "De qualquer modo, eu vou pensar que de você toda vez que eu olho para ela. Obrigado."

      "Você é bem-vindo." Ela tomou o retrato dele e deitou isto no contador da cozinha. "Certo, agora para a explicação porque eu decidi que eu era apaixonado por você e decidia dar a você um presente para comemorar isto. Este par em minha loja hoje," ela continuou como ela fixa a bolsa de compras na mesa. "Classe alta, segunda- ou terceiro-dinheiro de geração. Não rica mas rica. Eles trabalharam como um time, e eu admiro isto. Os sinais, o ritmo. Eu assim. Eu quero isto."

      "Eu darei a você isto."

      "Eu penso que você irá." Ela ergueu o pacote fora da bolsa, tesoura recuperadas e pacientemente foi para trabalhar na manta.

      "Enquanto eles estavam na loja, comprando alguns artigos de vidro bons, uma mesa de exibição magnífica e uma mesa de xadrez muito sem igual, a parte de esposa do time manchado este outro pedaço. Completamente não seu estilo, deixe-me dizer a você. Mas aparentemente da sua irmã. Ela conseguiu todos excitados, trazido ele para o contador enquanto eu estava telefonando. Ela quis isto, mas não era avaliado. Eu não avaliei isto porque eu nunca veria isto antes."

      Ela viu o sacudir de compreensivo atropela seu rosto. "Cristo, Laine, você achou o pooch."

      Ela fixa a estátua desembrulhada na mesa. "Certo parece com isto."

     

      Ele levantou ele para examinar isto, da mesma maneira que ela teve. Agitou isto, da mesma maneira que ela teve.

      "Parece que um ordinário, um pouco cafona, cachorro cerâmico barato." Laine deu isto uma torneira rápida com seus dedos. "E só grite Grande Jack O 'Hara para mim."

      "Sabe." Ele hefted isto, como se peso de verificação enquanto ele olhou para ela. "Você não fez busto justo que abre e vê por você mesmo."

      "Não."

      "Grandes pontos para você."

      "Importantes, mas se nós estivermos aqui discutindo isto muito mais longo que eu vou rachar, grito como um maníaco e quebra isto em muitos doggie pedaços."

      "Então vamos tentar isto." Até como ela abriu sua boca para protestar, ele smacked a estátua smartly na mesa. Sua cabeça encantadora rolada fora de forma que a grande pintou olhos olhados fixamente em cima em acusação de mudo.

      "Bem." Todo Laine podia ser xingar fora uma respiração. "Eu pensei que nós poderíamos fazer aquela com uma pouco mais de formalidade."

      "Rápido é mais humanitário." Ele imergiu seus dedos na abertura dentada e arrastada. "Enchimento," ele disse e teve ela estremecendo como ele quebrou o corpo na mesa.

      "Eu tenho um martelo no mudroom."

      "Uh-huh." Ele desembrulhou as camadas de algodão, retirou-se a bolsa pequena. "Eu só aposto isto é muito mais upscale que qualquer coisa eu já saí de uma caixa de cereal. Aqui." Ele a deu o jóias bolsa. "Você faz esta parte."

      "E direito de pontos importante atrás em você."

      O zumbido estava lá, isso zumbe no sangue que ela soube que veio para tanto de segurar algo que pertenceu a outra pessoa como fez de descoberta. Uma vez que um ladrão, ela pensou. Você podia parar de roubar, mas você nunca esqueceu a excitação.

      Ela desatou a corda, abriu o topo juntado e despejou chuva de um reluzir de diamantes em sua palma aberta.

      Ela fez um som. Não diferentemente de, Max notou, a que ela fez quando ele a trouxe para orgasmo. E seus olhos, quando eles ergueram para seus, eram só um pouco blurry. "Olhe o quão grande e brilhante," ela murmurou. "Eles não fazem que você só quer correr fora e dança desnuda debaixo da lua?" Quando ele ergueu uma sobrancelha, ela encolheu os ombros. "Certo, só mim então. Seria melhor você levar eles."

      "Eu iria, mas você tem eles embreados em seu punho, e eu prefiro não ter que quebrar seus dedos."

      "Oh, desculpe. Obviamente, eu ainda tenho que trabalhar em minha recuperação. Ha ha. A mão não quer aberto." Ela inquiriu seus dedos em um cacho solto e deixou a goteira de diamantes fora na palma aberta do Max. Quando ele continuou a olhar fixamente para ela com que ergueu sobrancelha, ela riu e deixou a última gota de pedra.

      "Só vendo se você estivesse prestando atenção."

      "Isto é um novo aspecto de você, Laine. Algo deve estar um pouco trançado em mim porque eu gosto disto. Talvez você podia limpar esta bagunça. Eu preciso ir consigo umas coisas do par."

      "Você está levando eles com você?"

      Ele olhou de relance atrás na entrada. "Mais seguro para nós dois aquele modo."

      "Só assim você sabe," ela chamou depois dele, "eu contei eles, também."

      Ela o ouviu risada e sentiu outro clicar dentro dela. De alguma maneira destino lançou seu o homem que era perfeito para ela. Honrada, mas flexível suficiente não estar chocado ou intimidado por certos impulsos que quieto snuck em cima nela. Confiável, com um chamejar do perigoso sobre ele temperar isto.

      Ela podia fazer este trabalho, ela meditou como ela varreu os fragmentos quebrados no centro do jornal. Eles podiam fazer este trabalho.

      Ele voltou em, viu que ela pôs a cabeça do cachorro em um de renda-afiado guardanapo, como uma peça central. Depois de um dobro tomar, ele riu silenciosamente.

      "Você é uma mulher estranha e impossível de predizer, Laine. Aqueles ternos certos me."

      "Engraçado, eu estava pensando que o mesmo sobre você, com exceção da mulher separa. O que você tem lá?"

      "Arquivos, ferramentas." Ele anotar o pasta de papéis de arquivo, abriu isto para uma descrição detalhada dos diamantes perdidos. Sentando, ele tirou loupe do joalheiro e uma balança de pedra precioso.

      "Você sabe o que você está fazendo com aqueles?"

      "Tome um caso, faça sua lição. Então, sim, eu sei o que eu estou fazendo com eles. Vamos dar uma olhada."

      Ele espalha os diamantes na bolsa, selecionada uma. "É olho-limpo." Ele segurou isto. "Nenhuma inclusão ou marcas visíveis para meu olho nu. Que tal seu?"

      "Olhares perfeitos."

      "Este aqui está um cheio-corte, pesando . . ." Ele deitou isto na balança, calculando. "Whew, uns gritantes dezesseis cem miligramas."

      "Oito quilates magníficos." Ela suspirou. "Eu sei um pouco sobre diamantes eu mesmo, e sobre math."

      "Olhar certo, mais íntimo." Usando um par pequeno de pinça, ele ergueu a pedra e estudou isto com o loupe. "Nenhuma marca, nenhuma nuvem ou inclusões. Brilho e fogo maravilhosos. Topo do quadro de clarão."

      Ele deixa isto ao lado, em um fragmento pequeno de aveludado ele diminuiu com ele. "Eu posso cruz a de oito quilates, cheio-corte, russa branca fora de minha lista."

      "Certamente faria um anel de compromisso maravilhoso. Um pouco inaceitável, e já, quem se importa?" Sua expressão, um de horror aprazível misturada com diversão esperançada, feito seu risada. "Só brincando. Tipo de. Eu vou nos despejar algum vinho."

      "Grande."

      Ele escolheu outro diamante, repetiu a rotina. "Então, esta conversa sobre anéis de compromisso significa que você vai-se casar comigo?"

      Ela fixa uma taça de vinho por seu cotovelo. "Isto é minha intenção."

      "E você me atinge como uma mulher que completa em suas intenções."

      "Você é um homem perceptivo, Max." Sorvendo sua próprio vinho, ela correu um dar seu cabelo. "Só PARA SUA INFORMAÇÃO, eu prefiro a praça-corte." Inclinado abaixo, ela escovou seus lábios acima de seu. "Um bom limpo, olhar organizado, colocação de platina."

      "Então notou. Devia ser capazes de dispor se considerando a taxa do descobridor nestes pequenos bebês."

      "Metade da taxa do descobridor," ela lembrou a ele.

      Ele deu seu cabelo um puxão para devolver sua boca para seu. "Eu amo você, Laine. Eu amo toda coisa de maldição sobre você."

      "Existem muitas coisas de maldição sobre mim, também." Ela se sentou ao lado dele enquanto ele trabalhou. "Eu devia ser morto de medo. Eu devia ser racked com nervos acima de que está acontecendo entre você e eu. Eu devia ser apavorado sabendo o que quer dizer ter aquelas pedras brilhantes bonito em minha mesa da cozinha, ciente que alguém já está sido dentro de minha casa procurando por eles. E podia voltar. Eu devia estar preocupado doente sobre meu pai—o que ele fará, que Tripulação fará para ele se ele o achar."

      Ela tomou um gole pensativo de vinho. "E eu sou. Debaixo daqui," ela disse, com uma mão em seu coração. "Todas aquelas coisas estão continuando debaixo daqui, mas acima disto, e por isto, eu sou tão feliz. Eu sou mais feliz que eu já tenho estado em minha vida, ou esperou ser. A preocupação, os nervos, até o medo não pode exceder em valor bastante isto."

      "Bebê, eu sou um inferno de uma captura. Nada para você estar nervoso sobre por esse motivo."

      "Realmente? Por que alguém não pegou você antes?"

      "Nenhum deles era você. Próximo, quem—e nós assumiremos eram Tripulação—quebrou em, despedaçou o lugar procurando por estes não acharam eles aqui. Não muita sensação em voltar para examinar cuidadosamente o mesmo chão. Último, conseguido do seu pai para cair sobre seus pés toda sua vida. Eu aposto ele ainda conseguiu seu equilíbrio e agilidade."

      "Eu aprecio a lógica e bom senso."

      Ela não pareceu com que ela estava comprando algum. Ele considerou a mostrar aos de nariz arrebitado .38 amarrado com correia para seu tornozelo, mas não estava certo se a reasseguraria ou a assustaria.

      "Você sabe o que nós temos aqui, Sra. Tavish?"

      "O que nós temos aqui?"

      "Só mais de sete milhões—ou um quarto de vinte e oito ponto quatro milhões em diamantes—quase para o quilate."

      "Sete ponto um milhão." Ela disse isto em um sussurro reverente. "Em minha mesa da cozinha. Eu estou sentando aqui, olhando para eles, e ainda eu não posso realmente acreditar em que ele tirou isto. Ele sempre disse que ele iria. 'Lainie, um dia, um dia bom, eu vou fazer a grande pontuação.' Eu juro, Max, a maior parte de tempos ele disse que isto que ele era justo conning ele mesmo. E agora olhe para isto."

      Ela levantou uma pedra, deixa isto clarão em sua mão. "Toda sua vida, ele quis aquele, grande, glittery toma. Ele e Willy devem ter tido o melhor tempo." Ela alarga uma respiração, custe a pedra com os outros. "Certos, cheque de realidade. Os mais cedo aquela estão fora de minha casa e atrás onde eles pertencem, os melhores."

      "Eu vou contactar meu cliente, faça acordos."

      "Você terá que voltar para Nova York?"

      "Não." Ele agarrou sua mão. "Eu não estou partindo. Nós terminamos este. De três quartos da torta está ainda lá fora. Onde seu pai iria, Laine?"

      "Eu não sei. Eu juro para você que eu não tenho uma pista. Eu não sei seus hábitos e assombro mais. Eu corto eu mesmo fora dele porque eu quis tanto ser respeitável. E ainda . . . Deus eu sou tal hipócrita."

      Ela esfregou ela dá seu rosto, arrastou eles de volta em seu cabelo. "Eu tomei dinheiro dele. Por academia, um pouco aqui, um pouco lá. Existiria um envelope cheio com dinheiro em meu caixa postal, ou de vez em quando cheque fingido da caixa para mim. E depois que eu me formei, também. Um pouco sorte inesperada inesperadamente, que eu com submissão proibi ou investi. Então eu podia comprar esta casa, comece meus negócios. Eu tomei isto. Eu soube que não era do goddamn dente fada. Eu conheci que ele roubou isto ou bilked alguém fora disto, mas eu tomei isto."

      "Você quer que eu culpe você isto?"

      "Eu quis ser respeitável," ela repetiu. "Mas eu tomei o dinheiro para construir aquela respeitabilidade. Max, eu não usaria seu nome, mas eu usei o dinheiro."

      "E você racionalizou isto e justificado isto. Eu podia fazer o mesmo. Mas deixe esteja só cortado por tudo aquele e concorde que é uma área muito trêmula. Vamos concordar você não tomar isto mais, e faz isto claro para ele o da próxima vez que você o vê."

      "Se eu tivesse um dólar por toda vez que eu tentei fazer isto claro para ele. Oh, está certo. Eu faço. Mas eu farei isto vara este tempo. Eu prometo. Mim um favor?"

      "Só pergunte."

      "Coloque no lugar aqueles em algum lugar e não dizem a mim onde. Eu não quero que ele voltando e me conversando em dar a eles para ele. Não está fora do reino."

      Max deslizou as pedras de volta na bolsa, dobrou isto em seu bolso. "Eu cuidarei disto."

      "Eu quero ajudar você conseguir o resto deles. Eu quero aquelas por algumas razões. Uma, eu acho que isto irá uns modos em direção a aliviar minha consciência. Duas, e mais importante, é apenas da coisa certa para fazer. Mais importante que isto, eu espero que recuperando eles, conseguindo eles de volta onde eles pertencem protegerão meu pai. Eu não podia suportar ele ser machucado. E em algum lugar entre a consciência e a coisa certa mente os dois-e-uma-metade-taxa do por cento descobridor."

      Ele tomou sua mão e beijou isto. "Sabe, você pode ter comprado aquela respeitabilidade, mas você deve ter nascido com aquele estilo. Eu tenho algumas coisas para ver para. Talvez você pode tratar de aquecimento em cima aquele chocolate."

      "Se eu espere um momento, nós dois conseguimos nossas tarefas da noite feitas, nós podíamos ter aqueles sundaes na cama com nata chicoteada extra."

      "Eu acredito em que eu poderia só ser o homem mais sortudo vivo neste momento." Sua telefone celular buzinada, fazendo Laine rir quando ela ouviu a abertura digitalizado riff  "Satisfação."

      "Segure tão pensado," ele disse, e respondido. "Gannon." Seu rosto arrombou um sorriso largo. "Eh, Mamãe."

      Desde que ele se debruçou contra o fogão em vez de encabeçar fora do quarto para isolamento, Laine começou a aliviar fora. Mas ele agarrou sua mão, puxada ela atrás.

      "Então, você gostou dos óculos. Isso me faz o bom filho, certo? Seu favorito." Ele carranqueou, dobrando o telefone entre sua orelha e ombro assim ele podia manter uma mão em Laine e agarrava seu vinho. "Eu não penso que é justo para pôr seus netos na mistura. Não é como Luke saiu especialmente e escolheu eles adaptar você. Fique," ele disse em um silenciado de lado para Laine, então transferiu o telefone para sua outra mão quando ele a lançou.

      "Sim, eu estou ainda em Maryland. Em um trabalho, Mamãe." Ele pausou, escutando, enquanto Laine puttered em torno da cozinha procurando por algo para fazer. "Não, eu não fico cansado de hotéis e comendo em restaurantes. Não, eu não estou sentando aqui encadeado para meu computador sórdido e trabalhando muito duro. O que eu estou fazendo? Realmente, eu sou de duas contagens de tempo você com um sensual ruiva que eu levantei noutro dia. Existe conversa de nata chicoteada mais tarde."

      A boqueada chocada do Laine só teve ele cruzando seus pés nos tornozelos.

      "Eu não estou compondo isto. Por que devia eu? Ela está aqui mesmo. Queira conversar com ela?" Ele tipped o telefone ligeiramente longe de sua orelha. "Ela diz que eu estou envergonhando você. Não eu?"

      "Sim."

      "Suposição você é direito sobre isto, Mamãe. Seu nome é Laine, e ela é a mais bonita coisa que eu vi em minha vida. Como você sente sobre redheaded netos?"

      Ele estremeceu, segurou o telefone fora umas boas seis polegadas. Através do quarto, Laine podia ouvir as exclamações mas não podiam dizer o tom deles.

      "Nenhum problema. Eu tenho outro tímpano. Sim, eu sou louco apaixonado por ela. Eu irei. Claro que eu irei. Ela não irá. Assim que . . . Nós iremos. Mamãe, tome uma respiração, não é? Sim, ela me faz muito feliz. Realmente? Eu quero que você suspenda e chamar Luke agora mesmo. Diga a ele que ele tem sido embaralhado em segundo lugar, e eu sou seu filho favorito. Uh-huh, uh-huh. Certo. Eu amo você, também. Adeus."

      Ele clicou fora de, pegou o telefone de volta em seu bolso. "Eu sou seu filho favorito. Isso queimará traseiro do Luke. De qualquer maneira, eu deveria dizer você que ela não pode esperar encontrar você, e nós temos que vir até Savannah O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL assim ela pode encontrar você, e pode ter um pouco festa de compromisso para nós. Que em Marlene-fala significa um par cem de seus amigos e família mais íntima. Você não tem permissão para mudar de idéia sobre mim. E ela gostaria disto muito se você chamaria seu amanhã quando ela for acalmada-se assim você pode ter uma conversa boa."

      "Oh meu Deus."

      "Ela é preparada para amar você porque eu faço. Mais ela é emocionada que eu vou acomodar-me e me casar. Então existe você tendo a boa sensação para ver o que um prêmio eu sou. Você tem uma grande perna em cima com Marlene."

      "Eu me sinto um pouco doente."

      "Aqui." Ele puxou seu telefonar fora novamente. "Chame sua mamãe, então você pode dizer a ela e me coloca. Nós seremos até."

      Ela olhou fixamente para o telefone, olhado fixamente para ele. "Isto é real."

      "Condene direito."

      "Você realmente quer casar comigo."

      "Nós somos passados o querer. Eu vou casar você. Você não completa neste, Marlene caçará você abaixo e faz sua vida um inferno vivo."

      Ela riu, levou dois passos largos correntes, então saltados em seus braços. Enganchada suas pernas ao redor sua cintura e coberta sua boca com suas. "Eu sempre quis visitar Savannah." Ela tomou o telefone fora de sua mão, deitou isto no contador atrás dele.

      "Que tal sua mãe?"

      "Eu chamarei seu mais tarde. Existe uma diferença de tempo de duas horas, sabe. Então se eu a chamar em duas horas, é realmente a mesma coisa que a chamando agora. Aquele modo que nós podemos fazer qualquer outra coisa por duas horas."

      Desde que ela estava mastigando no lóbulo de sua orelha, ele teve uma idéia satisfatória o que a qualquer outra coisa seria. Engatando ela para uma posição mais fixa, ele começou do quarto. "Que tal aquelas tarefas da noite?"

      "Vamos ser irresponsável."

      "Eu gosto de seu pensando."

      Ela correu sua língua abaixo sua garganta, em cima novamente. "Você pode fazer isso tudo o modo de cima?"

      "Mel, o modo que eu estou sentindo, eu podia fazer isso tudo o caminho para Nova Jersey."

      Ela saltou ligeiramente como ele recomeçou atividades os degraus. "Nós esquecemos a nata chicoteada."

      "Salve isto para mais tarde."

      Ela passou arrastar sua camisa fora de seu cós. "Grande conversa." Suas mãos snuck debaixo da camisa, hasteou o avião duro de seu tórax. "Mmm, eu amo seu corpo. Eu notei isto imediatamente."

      "Maio eu dizer, identicamente."

      "Mas ele não era o kicker."

      "Qual era Ele perguntou e se transformou no quarto.

      "Seus olhos. Eles examinaram meu, e minha língua foi espessa, meu cérebro foi estúpido. Eu pensei . . . oh, yum, yum, yum." Ela manteve pernas e gancho de braços apertado ao redor ele quando ele caiu eles na cama. "Então quando você perguntou a mim para jantar, eu pensei—no longe alcança de minha mente que eu não reconheci quase—que eu teria esta erupção cutânea, afazeres selvagens, impulsivo com você."

      "Eu penso que você fez." Ele ficou abolição ocupada sua blusa.

      "Agora eu vou casar você." Encantou, ela puxou sua camisa acima de sua cabeça e lançou isto de lado. "Max, eu devia dizer a você, eu teria dormido com você se Henry não gostou de você, mas eu não estaria casando você se ele objected."

      Ele abaixou sua boca para seu peito, mordeu suavemente. "Justa da feira."

      Ela arqueou, absorvida, então montando na excitação rolada acima de inverter posições. "Eu só me moveria furtivamente ao redor atrás de suas costas e faria sexo com você. Eu me sentiria ruim sobre isto, mas eu faria isto de qualquer maneira."

      "Você é tal mulher relaxada."

      Ela lançou de volta sua cabeça e piada com riso. "Oh Deus! Eu me sinto maravilhoso."

      Suas mãos hastearam seus lados, então em e acima de curvas. "Você está dizendo a mim."

      "Max." A doçura vazada nela, tido ela escovando suas mãos por seu cabelo, então cupping seu rosto. "Eu amo você, Max. Eu serei uma esposa tão boa."

      Ela era tudo que ele quis e não soube que ele estava procurando por. O inteiro sua, todas aquelas camadas estranhas e adoráveis que formaram seu ajustado o todo dele como ninguém já tiveram, ou já iria.

      Ele a desenhou até ele, stroking seu cabelo, ela atrás, como ame fervilhado dentro dele. E quando ela suspirou, a longa, contented som de era como música.

      Suave, tão suave, sua pele, seus lábios, de forma que o momento empreendeu um matiz sonhador que fez isto fácil ser tenro. Ele podia a apreciar aqui, e perguntou-se se ninguém já tivesse.

      Em vez de a ver como competente ou inteligente, como prático e esperto, qualquer um já a mostrou a que ela era preciosa?

      Ele murmurou para ela, coisas tolas, coisas românticas como ele a aliviou acima de a despir. Suas mãos lidas rapidamente acima dela como se ela fosse mais frágil que vidro, mais esplêndido que diamantes.

      Sua respiração pega, outro quieto pequeno suspiro como ela deixa ele a levar, como ela velejou acima de ondas lisas, gentil de prazer. Debaixo de suas mãos ela era flexível, disposta a canção se abra para qualquer que ele deu, ou tomou.

      Beijos longos, luxuriantes que vislumbrado pelo sangue e enviou pulsar saltando. Carícias lentas, indolentes que enviaram excitações mornas acima da pele. Ela flutuou no rio preguiçoso de sensação.

      Como aquela levantou-se de rio, ela sentiu a paixão sonolenta despertar rolar por ela em uma inchação infinita. Ela arqueou para ele, uma vez mais se embrulhando ao redor ele assim eles se sentaram, bloqueado junto no meio da cama.

      Bocas encontradas mais urgentemente, com respiração acelerando como o ar foi nublado, como coração chutado contra coração. Necessidade welled dentro dela, pulsando como um ferimento, espalhando como uma febre.

      Ela murmurou seu nome, repetidas vezes, como ela o empurrou de volta, como ela o escarranchou e emas forma de xícara suas mãos para seus peitos.

      Ela o levou dentro dela, capturou ele em tudo aquele calor aveludado. Assistindo ele pelas sombras, seu cabelo que cintila por eles, seus olhos impossivelmente azuis.

      Angulando de volta, ela ofereceu a ele a linha branca adorável sua. Ele podia sentir o hipócrita de seu coração, os calafrios junto sua pele, a cinta de insulto dele como ela fixa o montar.

      Então ela se debruçou adiante, seu cabelo que chove até cortina seu rosto, e seu. Ela ancorou suas mãos em seus ombros, cavados seus dedos em. E o dirigiu louco.

      Seus quadris carregados como raio, atirando faíscas de choque por seu sangue. O prazer stormed por ele agora, chicoteada por sua energia. Ela lançou ela voltar, clamando quando ela clamped ao redor ele, convulsionado ao redor ele.

      Adesivo para a extremidade, ele empinou-se, proibida ela em seus braços e, com seus lábios quente em sua garganta, deixe ela o arrastar acima de com ela.

 

      Ele teve que trabalhar. Não era a transição mais fácil com seu corpo com sexo e seu se importava de mudar de direção constantemente atrás para Laine. Mas o trabalho era vital. Não só para seu cliente, ou por ele mesmo, mas para Laine.

      A mais cedo esta porção dos diamantes voltava onde pertenceu, o melhor para todo preocupado.

      Mas isso era dificilmente o fim disto, ou de seus problemas.

      Ele não esperou que Tripulação voltaria para procurando por eles na casa, mas nem fez ele esperar o homem só para cortar suas perdas e ir embora. Ele matou para aquelas pedras, e ele quis todos eles.

      Ele planejou ter todos eles desde o início, Max concluiu enquanto ele embaralhou suas notas em outro padrão para esperar por algum novo pedaço cair em lugar.

      Nenhuma razão que feita sentido ter Myers atraído fora para um soldado encontrando a menos que ele planeje o eliminar e aumento seu toma. Ele abateria seus outros companheiros e escorregou longe com os cheios vinte e oito milhões.

      Eles sentiram isto? Alguém que não teria vivido uma vida no grift pega o cheiro de uma fraude? Isso era seu apostado, em todo caso. Ou Jack ou Willy sentiram uma cruz dupla, ou sido spooked por desaparecimento do Myers.

      Então eles entraram no vento.

      E ambos acabaram aqui, assumindo Laine seria o lugar perfeito para esconder as pedras até que eles podiam liquidar eles e desaparecia para sempre.

      Ele chutaria Jack O 'Hara sente muito traseiro para tão mais tarde.

      Eles levaram direito de Tripulação de doorstep do Laine. As pedras eram seguras, mas não no modo que eles planejaram. E Willy estava morto, Laine um objetivo.

      E mais uma vez, ele pensou em desgosto, Grande Jack estava debaixo do radar e em movimento.

      Ele não iria longe, Max meditou. Não com parte de quarto do Willy em jogo.

      Ele seria furado em cima em algum lugar, trabalhando nos ângulos. Isso era bom. Daria a Max o tempo e a oportunidade para o correr para moer e colecionar outra parte de quarto.

      Ele manteria sua palavra para Laine. Ele não estava interessado em virar Grande Jack para o Polis. Mas ele estava interessado, de fato ele estava profundamente investido, em rasgar uma tira fora do homem para pôr Laine em perigo.

      Que o devolveu para Tripulação.

      Ele não iria longe qualquer um. Agora que ele soube que a investigação era centrada aqui mesmo em Buraco do Anjo—e Max podia só deitar que sozinho cabeça—ele seria mais cuidadoso. Mas ele não quereria distância demais entre ele mesmo e o prêmio.

      Ele matou para outro quarto do tomar. Ele certo como inferno não hesitaria em matança para outro metade.

      Em lugar da Tripulação, Max deixaria suas visões no 'Hara. Existia só uma coisa de pé entre O 'Hara e vinte e oito milhões. Isso era Laine.

      Ele daria os diamantes em sua possessão acima de seu cliente, espane suas mãos e diga isto é o melhor que eu posso fazer e concha Laine em cima, dobre seu longe em Savannah. Claro, ele teria que tranqüilo ela, porco-a amarra e a mantém em um quarto bloqueado, mas ele faria isto se ele acreditasse em que a levaria fora da mistura e manteria seu seguro.

      Mas desde que ele não pensou qualquer um deles seria muito feliz com seu drogado, preso e bloqueado longe pelos próximos vários anos, não pareceu como o caminho para ir.

      A tripulação só esperaria, espere seu tempo e venha atrás dela quando ele escolheu.

      Melhor se Tripulação fez o movimento enquanto ele estava em seu chão, com eles ambos em alerta cheio.

      Porque ela teve que conhecer. Duas coisas Laine não era, era lento e estúpido. Então ela conheceu que um homem não roubou milhões, mate para isto, então conte suas perdas alegremente e vai embora de metade aquela torta.

      Não era só um caso com a diversão e desafio da investigação, e uma taxa gorda no fim disto, mais. Eram suas vidas agora. Para assegurar seu futuro, ele faria qualquer que levou.

      Ele esquadrinhou suas notas novamente, paradas e quase dadas na cadeira delicada antes dele lembrar de não estava vestido do movimento. Ele curvou adiante ao invés, vazamento seus dedos junto sua própria impressão.

      Alex Crew Judith PÁG. Multas casada em 20 de maio de 1994. Licença de casamento Nova York Cidade registrada. Uma criança, macho, Westley Multa Tripulação, monte Nascido Hospital de Sinai, 13 de setembro de 1996.

      Assunto arquivado para divórcio; O divórcio concedido por Nova York corteja, 28 de janeiro de 1999.

      Judith Multa Tripulação mudada, com filho, para Connecticut em novembro de 1998. Subseqüentemente deixado aquele local. Desconhecido de paradeiro atual.

      "Bem, nós podemos consertar isto," Max murmurou.

      Ele não procurou aquela avenida muito longe. Sua inicial investigue de vizinhos do Judith, associados, família teve netted ele pequeno, e nada para indicar ela continuou contato com Tripulação.

      Ele sacudiu por mais notas, achadas suas escreve-em cima em Tripulação de Judith nee Multas. Ela era vinte e sete quando eles casaram. Empregado como gerente de uma galeria de arte de Soho. Nenhum antecedente penal. Educação de classe média superior, educação sólida e muito atraente, Max notou como ele examinou a fotografia de jornal que ele copiou durante seu corrido sua.

      Ela teve uma irmã, dois anos mais jovens, e nem ela nem os pais tinha sido muito a chegar, nem muito interessado em legar por informações. Judith se cortou fora de sua família, seus amigos. E desaparecido algum dia no verão de 2000 com seu filho jovem.

      A tripulação Não manteria abas neles? Max perguntou-se. Um homem não iria quem tomar tal orgulho, tido tal ego, queira ver alguma reflexão de auto, um pouco de sugestão de sua própria imortalidade em um filho? Talvez ele não estava particularmente interessado em manter uma relação com a ex, ou com um menino pequeno que faria demandas. Mas ele manteria abas, você aposta seu traseiro. Porque um dia que menino cresceria, e um homem quis legar por seu legado para seu sangue.

      "Certo, Judy e pequeno Wes." Max meneou seus dedos gostarem de um pianista perto de arpeggiate. "Vamos ver onde você chegou a." Ele tocou aqueles dedos acima do teclado e começou a procura.

 

      A caminhada voluntariamente em uma delegacia de polícia foi contrário ao grão. Jack não teve nada contra Polis. Eles estavam só fazendo o que eles eram pagos para fazer, mas desde que eles eram pagos para reunir pessoas só gostam dele e põem eles em quartos pequenos, trancados, eles eram uma espécie que ele preferiu evitar.

      Ainda, existiam tempos até os criminosos precisaram de um policial.

      Além disso, se ele não pudesse burlar os locais e lisonjeava o que ele precisou saber fora de um pouco de hayseed distintivo em um pouco cidade de poça, ele poderia também desistir e conseguir um trabalho direto.

      Ele esperou até o turno da noite. Logicamente, alguém partiu em carga depois que sete estava destinado a ser mais íntima para a parte inferior da polícia alimentando cadeia.

      Ele roubou em loja seu guarda-roupa do centro comercial fora de cidade em atenção à personalidade que ele quis carregar. Jack era um firme partidário das roupas fazendo o homem qualquer que seja o homem poderia eleger ser.

      O terno de alfinete listado era fora da prateleira, e ele teve que hastear a bainha das calças ele mesmo, mas ele não era um ajuste ruim. A gravata de arco de palhaço vermelho adicionou apenas do direito tocar, insinuando em inocente.

      Ele ergueu o rimless óculos de um Mercado de Wal, e não estava bastante pronto para admitir eles realmente afiaram sua vista. Em sua opinião, ele era óculos de necessidade completamente muito jovem e viril.

      Mas o olhar deles terminou fora do intelectual-cabeçalho-em direção a-nerd imagem que ele quis projeto.

      Ele teve uma pasta de couro marrom, que ele tomou o tempo para bater em cima assim não pareceria novo, e ele encheu isto tão meticulosamente quanto um homem poderia quando viajando para um em viagem encontrando.

      Um jogador esperto se tornou a parte.

      Ele folheou por Escritório Depot, ajudando ele mesmo às canetas, notepads, notas pegajosas e outra parafernália o assistente administrativo de um homem importante poderia levar. Como sempre, tais brinquedos de escritório ambos fascinados e bemused ele.

      Ele realmente gastaria uma hora de divertido que toca com um assistente de dados pessoais. Ele amou tecnologia.

      Como ele caminhou para calçada abaixo em direção à casa da estação, seu andadura ficou cortado, e seus grandes ombros curvaram em uma baixa que pareceu habitual. Ele bateu os óculos de volta em cima seu nariz em um gesto ausente que ele praticou no espelho.

      Seu cabelo estava brutalmente alisado atrás, e—cortesia da tintura ele tem purloined de uma farmácia de CURRÍCULOS que tarde—era uma graxa para sapatos brilhante e obviamente falsa preta.

      Ele pensou PÁG. de Peter Pinkerton, seu temporário altere ego, seria vão suficiente para tingir seu cabelo, e inconsciente suficiente para acreditar em que isto pareceu natural.

      Entretanto existia ninguém ao redor para notar, ele já estava em caráter. Ele retirou-se seu pocketwatch, apenas do tipo de afetação Peter apreciaria, e verificou o tempo com uma preocupada pequena carranca.

      Peter sempre estaria preocupado sobre algo.

      Ele subiu o vôo pequeno de degraus e caminhados na loja de policial de cidade pequena. Como ele esperou, ostentou um smallish, área de espera aberta, com um uniformed deputado manning o contador em direção ao traseiro.

      Existiam cadeiras de plástico preto, um par de mesas baratas e alguns Campo de revistas e Fluxo, Esportes Ilustrados, Pessoas—todos os meses obsoletos.

      O ar cheirou como café e Lysol.

      Jack, agora Peter, batidos seus dedos nervosamente em sua gravata e cutucada em cima seus óculos como ele abordou o contador.

      "Eu posso ajudar você?"

      Jack piscou myopically no deputado, passada sem tocar sua garganta. "Eu não estou completamente certo, Oficial . . . ah, Russ. Você vê, eu deveria encontrar um associado esta tarde. Uma DA TARDE, no jantar de Hotel de Viandante. Um almoço encontrando, você vê. Mas meu compromisso nunca chegou e eu tenho sido incapaz de o alcançar. Quando eu inquiri na escrivaninha de hotel, eu era informado que ele nunca fez o registro de entrada. Eu estou bastante preocupado, realmente. Ele era muito específico sobre o tempo e lugar, e eu vim aqui a distância toda de Boston para este compromisso."

      "Você olhando arquivar umas pessoas desaparecidas reportarem em um sujeito que está só sido ido, o que, oito horas?"

      "Sim, mas você vê, eu tenho sido incapaz de o alcançar, e isto era um compromisso importante. Eu estou preocupado algo pode ter acontecido para ele em sua viagem de Nova York."

      "Nome?"

      "Pinkerton. PÁG. de Peter" Jack alcançou dentro de sua jaqueta de terno como se produzir um cartão.

      "O nome do homem você está procurando por."

      "Oh sim, claro. Peterson, Jasper R. Peterson. Ele é um raro-livro negociante, e era para adquirir um volume particular que meu empregador está mais interessado em."

      "Jasper Peterson?" Pela primeira vez, os olhos afiados do deputado.

      "Sim, está certo. Ele estava viajando de Nova York, em Baltimore, eu acredito, e por D.C. antes de tomar alguns compromissos nesta área. Eu percebo que eu posso parecer ser overreacting, mas em todos os meus procedimentos com Sr. Peterson, ele sempre sido lembrete e confiável."

      "Indo perguntar você esperar um minuto, Sr. Pinkerton."

      Russ empurrou de volta do contador e desaparecido na coutada de quartos atrás.

      Até agora, tudo bem, Jack pensou. Agora ele expressaria choque e chateado nas notícias que o homem ele buscou recentemente encontrou com um acidente. Willy o perdoaria por isto. De fato, ele pensou que seu longtime que amigo apreciaria as camadas do ardil.

      Ele sondaria e escolheria no deputado e trabalharia seu modo ao redor a aprender exatamente que efeitos a polícia encerrou.

      Uma vez que ele soube com certeza que eles tiveram o pooch, ele tomaria o próximo passo e beliscaria isto do quarto de propriedade.

      Ele teria os diamantes, e ele levaria eles—e ele mesmo—que longe de Laine tão possível. Deixando uma trilha para Tripulação que um homem cego em um cavalo galopante podia seguir.

      Depois dtão . . . bem, um homem não podia sempre planejar até agora adiante.

      Ele voltou em direção ao contador, um distraído assista seu rosto. E sentiu um rápido balançar na barriga quando em vez do deputado chateado, um policial grande, loira saída da porta lateral.

      Ele não pareceu quase lento suficiente para adaptar Jack.

      "Sr. Pinkerton?" Vince deu a Jack um estudo longo, quieto. "Eu sou Hambúrguer Principal. Por que você não anda de volta em meu escritório?"

     

      Uma lombriga magra de suor pingado abaixo espinha do Jack como ele andou no escritório de chefe do Buraco de Anjo de polícia. Em assuntos de lei e ordem, ele muito preferiu trabalhar com subalternos.

      Ainda, ele se sentou, fussily engatando sua calça comprida, então deixando sua pasta tidily ao lado de sua cadeira, da mesma maneira que Peter teria feito. O cheiro de café era mais forte aqui, e a novidade assalta jactância uma vaca de caricatura com lábios de Mick Jagger vermelho claro disse a Jack o chefe estava tendo um pouco de Java com sua depois de-papelada de horas.

      "Você é de Boston, Sr. Pinkerton?"

      "Está certo." A Boston acentua era um de favoritos do Jack para seu sutil snoot fator. Ele aperfeiçoou assistindo reprises de TRITURAR e emular o caráter de Winchester de Charles. "Eu sou só aqui durante a noite. Eu sou marcado para sair de manhã, mas como eu tenho ainda para completar meu propósito que eu posso precisar replanejar. Eu me desculpo por aborrecer você com meus problemas, Hambúrguer Principal, mas eu sou realmente bastante preocupado sobre Sr. Peterson."

      "Você o sabe bem?"

      "Sim. Isto é, bastante bem. Eu fiz negócios com ele pelos últimos três anos—para meu empregador. Sr. Peterson é um raro-livro negociante, e meu empregador, Cyrus Mantz, o Terceiro—talvez você ouviu falar dele?"

      "Não pode dizer."

      "Ah, bem, Sr. Mantz é um homem de negócios de um pouco de nota nas áreas de Boston e Cambridge. E um coletor ávido de livros raros. Ele tem uma das bibliotecas mais extenso na Costa do Leste." Jack fiddled com sua gravata. "Em todo caso, eu especificamente desci, em pedido do Sr. Peterson, ver, e espero que compra, uma primeira-cópia de edição de William Faulkner é O Som e a Fúria—com sobrecapa. Eu estava para encontrar Sr. Peterson para almoço—"

      "Você já o encontrou antes?"

      Jack piscou atrás de suas lentes roubadas, como se perplexa por ambas a pergunta e a interrupção. "Claro. Em ocasiões numerosas."

      "Você podia o descrever?"

      "Sim, certamente. Ele é bastante um homem pequeno. Talvez cinco pés seis polegadas altas, ah . . . eu estimaria mais ou menos cem e quarenta libras. Ele está no bairro de sessenta anos de idade, com cabelo cinza. Eu acredito em que seus olhos são marrons." Ele scrunched em cima seu próprio. "Eu acredito. Isto é útil?"

      "Isto seria seu Sr. Peterson?" Vince ofereceu a ele uma cópia da fotografia que ele puxou da polícia arquiva.

      Jack enrrugou seus lábios. "Sim. Ele é consideravelmente mais jovem aqui, claro, mas sim, isto é Jasper Peterson. Eu tenho medo que eu não entenda."

      "O homem você identificou como Jasper Peterson era envolvido em um acidente alguns dias atrás."

      "Oh querido. Oh querido, eu tinha medo que isto era algo do tipo." Em um gesto nervoso, Jack removeu os óculos, polidas as lentes vivamente em um lenço branco duro. "Ele foi ferido então? Ele está no hospital?"

      Vince esperou até que ele tenha perched os óculos de volta em seu nariz. "Ele está morto."

      "Morto? Morto?" Era um punho bateu na barriga, ouvindo isto novamente, só aquele modo. E o genuíno sacuda teve sua voz gritando. "Oh, isto é terrível. Eu não enlato que . . . eu nunca imaginei. Como ele aconteceu?"

      "Ele era batido por um carro. Ele morreu quase imediatamente."

      "Isto é tal choque."

      Willy. Deus, Willy. Ele soube que ele foi pálido. Ele podia sentir o frio debaixo de sua pele onde o sangue drenou. Suas mãos tremidas. Ele quis lamentar, até para lamentar, mas ele conteve-se. Peter Pinkerton nunca cometeria uma exibição tão pública de emoção.

      "Eu não sei justamente o que fazer próximo. O tempo todo que eu estava esperando por ele me encontrar, crescendo impaciente, até aborrecido, ele era . . . Terrível. Eu terei que chamar meu empregador, diga a ele . . . Oh querido, isto é só terrível."

      "Você conheceu algum do Sr. Peterson é outros associados? Família?"

      "Não." Ele fiddled com sua gravata, fussily, entretanto ele quis arrancar nele como sua garganta inchada. Eu sou tudo que ele teve, Jack pensou. Eu sou a única família que ele teve. E eu o consegui morto. Mas Peter Pinkerton continuou em seu Harvard esnobe demora. "Nós raramente conversamos de qualquer coisa diferente de livros. Você possivelmente podia dizer a mim que acordos foram feitos? Eu estou Sr. Mantz certo quereria enviar flores, ou façam uma doação para uma caridade em lugar."

      "Fixado de nada, ainda."

      "Oh. Bem." Jack chegou a seus pés, então se sentaram novamente. "Podia você dizer a mim, possivelmente, se Sr. Peterson era em posse do livro quando ele . . . eu me desculpar por soar ghoulish, mas Sr. Mantz perguntará. O Faulkner?"

      Vince tipped atrás em sua cadeira, rodado suavemente lado para apoiar olhos treinados do seu policial em rosto do Jack. "Ele teve uns romances de livro de capa mole do par."

      "Você está certo? Eu sinto muito para a dificuldade, mas existe algum caminho para verificar, uma lista de um pouco de tipo? Sr. Mantz tem suas visões fixam naquela edição. Você vê, é um raro acha com a sobrecapa. Uma primeira edição em, nós éramos seguros, condição de hortelã—e ele irá, Sr. Mantz, ele será muito . . . oh querido, insistente sobre meu completando."

      Obligingly Vince abriu uma gaveta, tirou um arquivo. "Nada assim aqui. Roupas, artigos de toalete, chaves, um relógio, telefone celular e recharger, carteira e conteúdo. Isto é isto. O sujeito era luz ambulante."

      "Entendo. Talvez ele põe isto em uma caixa de depósito seguro para custódia até que nós nos encontramos. Claro, ele não poderia recuperar isto antes de . . . eu tomar suficiente de seu tempo."

      "Onde você está ficando, Sr. Pinkerton?"

      "Ficando?"

      "Hoje à noite. Onde estão você ficando, no caso de eu ter algo mais adiante aqueles acordos."

      "Ah. Eu estou no Viandante hoje à noite. Eu suponho que eu voarei fora como marcado amanhã. Oh querido, oh querido, eu não sei o que eu vou dizer para Sr. Mantz."

      "E se eu precisar alcançar você, em Boston?"

      Jack produziu um cartão. "Qualquer um daqueles números farão. Por favor contacte-me, Hambúrguer Principal, se você tiver qualquer palavra." Ele ofereceu a sua mão.

      "Eu estarei em toque."

      Vince o caminhou fora, permanecido assistindo como ele foi embora.

      Não levaria longo para verificar os detalhes da história, e correr os nomes Pinkerton e Mantz. Mas desde que ele examinou aquelas lentes baratas em olhos azuis do Laine, ele figurou que ele acharia que eles eram falsos.

      "Russ, chame acima do Viandante, veja se eles conseguissem este Pinkerton registrou."

      Ele confirmaria aquele pequeno detalhe, arraste um de seus homens fora da cama para manter abas no homem pela noite.

      Ele teria outro olhar para os efeitos, veja o que O 'Hara—se isso era O 'Hara—tinha estado interessada em achar. Desde que ele era condenava certo que ele não teve alguns milhões em diamantes sentando de volta no quarto de propriedade, ele só teria que ver se ele tivesse algo que apontado para eles.

 

      Onde o inferno era isto? Jack caminhou vivamente para dois quarteirões antes dele começar a respirar facilmente novamente. O policial aloja, policial cheira, olhos de policial tendidos a constringir seus pulmões. Não existia nenhum cachorro cerâmico na lista de efeitos. Seguramente até um policial suspeito—e isso eram uma frase redundante—teria listado algo assim. Então lá foi seu limpo pequeno plano para arrombar o quarto de propriedade e tomar isto. Não podia roubar o que não era para existir roubado.

      O cachorro tinha estado em possessão do Willy quando eles separaram, nas esperanças aquela Tripulação localizaria Jack ele mesmo para dar tempo de Willy para escapar, chegue a Laine e dê sua a estatueta para custódia.

      Mas o maligno, enganando Tripulação localizou Willy ao invés. Willy nervoso velho, que quis nada além de se aposentar para alguma bonita praia em algum lugar e vive fora o resto de suas aquarelas de pintura de dias ruins e assistindo pássaros.

      Nunca devia o deixar, nunca devia mandar a ele fora sozinho. E agora seu amigo mais velho no mundo estava morto. Existia ninguém que ele podia conversar com sobre os dias velhos agora, ninguém que entendeu o que ele estava pensando antes das palavras estarem fora de sua boca. Ninguém que conseguiu as piadas.

      Ele perdeu sua esposa e sua filha. Isso era o modo que a bola saltou e o biscoito desintegrado. Ele não podia culpar Marilyn para puxar estacas e tomando pequeno Lainie com ela. Ela perguntou a ele, Deus soube, mil vezes para dar a vida direta uma decente tentar. E ele a prometeu que muitas vezes em retorno ele iria. Quebradas todas daquelas mil promessas.

      Você só não pode lutar natureza, era opinião do Jack. Era sua natureza para tocar o jogo. Desde que lá marcas eram, bem, que diabo ele podia fazer? Se Deus não pretendeu para ele tocar aquelas marcas, Ele não teria feito muito condenaria muitos deles.

      Ele soube que era fraco, mas isso era o modo como Deus o fez, então como podia ele discutir o ponto? As pessoas que discutiram com Deus era ventosas principais. E Kate O 'menino da Hara, Jack, não era nenhuma ventosa.

      Ele amou três pessoas em sua vida: Marilyn, seu Lainie e Willy Jovens. Ele deixou dois deles vão porque você não pode manter o que não quis ser seu. Mas Willy pegou.

      Desde que ele tivesse Willy, ele teve família.

      Não existiu não o devolvendo. Mas um dia, quando todos estava bem novamente, ele insistiria em alguma bonita praia e ergueria um vidro para o melhor amigo um homem sempre tido.

      Mas enquanto isso, existia trabalho para ser feito, pensamentos ser pensados e um backstabbing assassino para burlar.

      Willy chegou a Laine, e seguramente ele teve o cachorro em sua possessão quando ele teve ou por que faz contato? Ele podia ter escondido isto, claro. Um homem sensato teria bloqueado que longe até que ele estava certo de seu chão.

      Mas isso não era estilo do Willy. Se Jack conheceu Willy—e quem melhor?—Ele faria livro que ele teve aquela estátua com os diamantes em sua barriga quando ele caminhou em pequena loja do Laine.

      E ele não teve isto quando ele saiu novamente.

      Aquelas remanescer duas possibilidades: Willy escondeu isto na loja sem Laine conhecer. Pequena menina do ou Papai estava dizendo lorotas.

      De qualquer modo, ele teve que descobrir.

      Sua primeira parada estaria uma quieta pequena procura de empreendimento comercial da seu bem filha.

 

      Max achou Laine em seu escritório de casa trabalhando um pouco de tipo de projeto sobre jornal de gráfico. Ela teve vários minúsculo cutouts alinhar-se em sua escrivaninha. Depois de estudo de minuto ele reconheceu eles como mobília de jornal.

      "Isto é como uma versão de adulto de uma casa de boneca?"

      "De um modo. É minha casa, quarto por quarto." Ela bateu uma pilha de jornal de gráfico. "Eu vou ter que substituir um pouco de meus pedaços, então eu fiz modelos de balança de algumas das coisas que eu tenho em linhagem que poderia trabalhar. Agora eu estou vendo se eles fizerem, e como eu poderia organizar eles se eu trouxer eles casa."

      Ele olhou fixamente outro momento. "Eu estou perguntando-se como ninguém aquele cuidadoso sobre escolher um sofá acabou comprometido comigo."

      "Quem digo que eu não fiz um modelo de balança de você, então experimenta isto em argumentos diferentes?"

      "Huh."

      "Além disso, eu não amo um sofá. Eu gosto e admiro isto, e está sempre disposto a desfazer-se disto para o preço certo. Eu estou mantendo você."

      "Tomou você um minuto para refletir aquele, mas eu gosto disto." Ele apoiou-se no canto da escrivaninha. "Pareça com que eu localizei Tripulação é ex-esposa e criança. Conseguiu uma linha neles em Ohio, um subúrbio de Columbus."

      "Você pensa que ela sabe algo?"

      "Eu tenho que especular Tripulação teria algum interesse em seu filho. Um homem assim ver uma descendência, particularmente uma descendência, como uma espécie de possessão? A diferente da esposa, ela é só uma mulher, e facilmente substituída."

      "Realmente?"

      "De ponto de vista da Tripulação. De meu, quando você é sortudo suficiente para achar a mulher certa, ela é insubstituível."

      "Tomou você um minuto, mas eu gosto disto."

      "A outra coisa é, em minha linha quando você escolher solta qualquer linha, você continua arrastando até que leve a algo ou briga do todo. Eu preciso verificar este. Então, mudança de planos. Eu estarei encabeçando para Nova York primeira coisa de manhã, com os diamantes nós temos. Eu entregarei eles pessoalmente, então salto acima de Ohio e vê se eu posso trapacear qualquer coisa da antiga Sra. Tripulação ou Júnior."

      "O quão velho é Júnior?"

      "Mais ou menos sete."

      "Oh, Max, ele é só uma criança."

      "Você conhece a coisa inteiro sobre pequenos lançadores, grandes orelhas? Jesus, Laine," ele adicionou quando ele viu seu rosto. "Eu não o vou afinar em cima. Eu só vou conversar com eles."

      "Se eles forem divorciados, podia ser ela não quer qualquer parte de Tripulação, e não quer seu filho para conhecer o que seu pai é."

      "Não significa a criança não conhece ou aquele Papai não solta em de vez em quando. Precisa ser verificado, Laine. Eu estarei partindo primeira coisa. Se você quiser vir comigo, eu farei os acordos para nós dois."

      Ela voltou para seu jornal de gráfico, usou a borracha terminar de uns lápis para cutucar o sofá de corte para um ângulo diferente. "Você moveria mais rápido sem mim."

      "Provavelmente, mas não que alegremente."

      Ela olhou de relance em cima. "Uma viagem rápida para Nova York, um sacudir acima de Ohio. Pareça como os tempos velhos, e ele está apelando. Mas eu não posso. Existe trabalho, existe Henry, existe pondo esta casa atrás junta. E eu tenho que praticar chamando sua mãe." Ela girou os lápis ao redor para o cutucar quando ele riu. "Nenhum comentário no último, amigo, é como eu faço coisas."

      Ele não quis a deixar, nem mesmo por um dia. Parte disto, ele soube, era a loucura obsessiva de novo amor, mas parte era preocupação. "Se você viesse comigo, você podia a chamar de onde quer que, você podia deixar Henry com os Hambúrgueres, feche a loja pelo dia e lide com a casa quando nós voltarmos. Você pode tomar seu jornal de gráfico."

      "Você está preocupado sobre me deixar enquanto você vai fazer seu trabalho. Você não devia. De fato, você não pode. Eu cuido de eu mesmo por um tempo muito grande, Max. Eu vou continuar cuidar de eu mesmo depois de nós ser casados."

      "Você não terá um ladrão de jóia homicida olhando em sua direção depois de nós ser casados."

      "Você pode garantir isto? Vá," ela disse sem esperar para sua resposta. "Faça o que você faz. Eu farei o que eu faço. E quando você voltar . . ." Ela correu sua mão junto sua coxa. "Nós faremos algo junto."

      "Você está tentando me distrair. Não, espere, você me distraiu." Ele se debruçou abaixo, beijada ela. "Que tal esta? Eu vou fazer o que eu faço, você fica e faz o que você faz. Eu voltarei amanhã à noite, mais cedo se eu posso administrar isto. Até que eu volte, você examinará cuidadosamente e declive com o policial e sua esposa. Você e Henry. Você não está ficando aqui só até que isto seja embrulhado. Agora, nós podemos lutar sobre aquele ou nós podemos tomar o compromisso."

      Ela continuou a caminhar para seus dedos junto sua coxa. "Eu gosto de lutar."

      "Certo." Ele empurrou para seus pés como se preparando para o redondo.

      "Mas não quando eu concordar com o outro ponto de vista da pessoa. É um risco desnecessário para mim ficar fora aqui só. Então eu imporei em Jenny e Vince."

      "Bom. Bem bem. Queira lutar sobre qualquer outra coisa?"

      "Talvez mais tarde?"

      "Certo. Eu vou ir unha abaixo meus vôos. Oh, alguma chance que sofá pode ser longo suficiente para um sujeito tomar um domingo à tarde cochilo em?"

      "Isto é uma possibilidade distinta."

      "Eu vou gostar de ser casado com você."

      "Sim, você é."

 

      Era depois de um quando Jack terminou loja do Laine buscador. Rasgadas em duas direções, ele bloqueado em cima depois dele mesmo. Ele estava amargamente desapontado não ter achado os diamantes. A vida seria tanta mais simples se ele tivesse o pequeno cachorro dobrado debaixo de seu braço. Ele podia estar a caminho em viagem, saindo suficiente miolos de pão para Tripulação seguir que o levaria e qualquer aborreceria longe de Laine.

      Então ele desapareceria buraco de coelho abaixo. Quatorze milhões em diamantes—até esperando metade daquele devido a um movimento rápido—forneceria um buraco de coelho muito de pelúcia.

      Ao mesmo tempo ele era atingia com uma espécie de orgulho estupefazido. Só olhe o que sua pequena menina fez, e no mundo direto. Como o inferno ela aprendeu a comprar todas aquelas coisas? A mobília, os pedaços de fantasia, os baby-sitteres de mesa nervosa pequena. Era um bonito lugar. Sua pequena menina se teve uns muito bonitos negócios. E desde que ele tem sido curioso suficiente para tomar o tempo para cortar em seu computador e cheque, pareceu que ela se teve um razoavelmente lucrativo.

      Ela fez uma boa vida. Não o que ele quis para ela, certamente, mas se fosse o que ela procurada, ele aceitaria isto. Ele não entendeu isto, e nunca iria, mas ele aceitaria.

      Ela nunca ir voltar com ele na estrada. Aquela fantasia finalmente tinha sido posta para descansar depois de um bem olhar para sua casa, sua loja, sua vida.

      Um desperdício de talento considerável, para seu modo de pensar, mas ele entendeu que um pai não podia empurrar uma descendência em um molde. Ele não teve rebelled contra seu próprio? Era natural suficiente para Laine para rebelde e buscar sua próprio caminho.

      Mas não era natural para ela tentar fraude sua próprio sangue. Ela teve os diamantes. Tido que ter eles. Se ela tivesse um pouco de tipo de idéia trançada que ela precisou ocultar fatos sobre ele o proteger, ele teria que diretamente para a deixar.

      Tempo para um pai-filha conversa, Jack decidiu.

      Quis dizer que ele teria que impulsionar um carro. Ele realmente odiou roubar carros, era tão comum, mas um homem precisou de transporte quando sua filha decidiu viver no boondocks.

      Ele expulsaria a ver, tenha aquela conversa, consiga os diamantes e é ido pela manhã.

 

      Ele concordou com um Cavaleiro de Chevy—um passeio bom, fixo—e tomou a precaução de comutação seus pratos com uma Ford Touro algumas milhas longe. Todas as coisas sendo iguais, o Chevy devia o conseguir por Virgínia e em Carolina do Norte, onde ele teve um associado que podia girar ele para ele. Com o dinheiro, ele podia pular para um novo passeio.

      Ele sairia suficiente pegadas para Tripulação seguir, só suficiente de um odor para desenhar o homem longe de Maryland e Laine.

      Então Jack teve um compromisso em Califórnia meridional, onde ele tornaria aquelas sparkly pedras em dinheiro verde duro.

      Depois disto, o mundo era seu fricking ostra.

      Ele estava zumbindo para frente para a estação de pedra clássica ele achou, seu humor erguido por reivindicação alegre dos The Beatles de conseguirem por com um pouco ajuda de amigos.

      Jack soube tudo sobre conseguir por.

      Como uma precaução, ele parou o carro a meio caminho em cima a pista. O cachorro era o amigável tipo quando não estava molhando propriamente em medo, ele recordou, mas cachorros latidos. Nenhum ponto em deixar isto fora de até que ele scoped coisas fora.

      Com seu penlight, ele começou a caminhada. A escuridão era lançar, fazendo ele pergunta-se novamente quais possuíram Laine escolher tal lugar. O único som ele ouviu diferente de seus próprios pés que mastiga em pedregulho era uma coruja, e o sussurro ocasional na escova.

      Por que alguém quereria que escova que qualquer coisa podia sussurrar em estava além dele.

      Então ele pegou o odor de lilás e sorriu. Isso era um bom tipo de coisa, ele pensou. Para caminhar para frente no quieto escuro e cheira flores. Boas, ele adicionou, para a mudança ocasional de passo. Talvez ele escolheria alguns do o florescer, leve eles com ele para a porta. Uma espécie de oferecimento de paz.

      Ele começou a seguir seu nariz quando sua luz bater cromo.

      E esquadrinhando a viga acima do carro, Jack sentiu seu humor submergir.

      O carro do policial de seguro era no fim do passeio com do Laine.

      Olhos estreitados, ele estudou a casa. Nenhuma luz ardida nas janelas. Era próximos dois de manhã. O carro do homem era estacionado na frente da casa da sua filha.

      Sua pequena menina era que . . . ele procurou por uma mente de palavra do seu pai podia lidar sem implodir. Brincando. Sua pequena menina estava brincando com um policial. Para içar seja mente um investigador privado era só um policial com uma renda anual mais alta que distintivos das pessoas que levados.

      Sua própria carne e sangue, com um policial. Onde ele deu errado?

      Com um suspiro enorme, ele olhou fixamente abaixo em seus pés. Ele não podia arriscar quebrar em uma segunda vez com o PI lá. Ele precisou de isolamento, droga, conversar um pouco de sensação em seu Lainie.

      O policial teve que sair algum dia, Jack lembrou ele mesmo. Ele acharia um lugar para esconder o carro, e espere.

 

      Era um testamento para seu amor, Laine concluiu, isso a cutucou em alterar sua rotina matutina a fim de despedir-se de Max às cinco quarenta e cinco DA MANHÃ que Ela gostou de achar que isto também demonstrou que ela era flexível, mas ela soube melhor.

      Sua rotina estalaria direito de volta em lugar uma vez que ela e Max se tornaram mais acostumados a um ao outro. Poderia empreender uma ligeiramente forma diferente, mas no fim, seria rotineiro.

      Ela estava esperando ansiosamente isto e, pensando só isto, deu a ele um beijo muito entusiástico na porta.

      "Se que o adeus eu sou conseguir quando eu só fui ser um dia, o que eu tenho que esperar ansiosamente se eu tiver que estar em viagem durante a noite?"

      "Eu estava só percebendo o quão bom vai ser para se acostumar a você, tomar você para o concedido, ter seus pequenos hábitos e truques me irritam."

      "Deus, você é uma mulher estranha." Ele tomou seu rosto em suas mãos. "Eu deveria esperar ansiosamente irritante você?"

      "E a briga. As pessoas casadas tendem a brigar. Eu vou chamar você Maxfield quando nós brigarmos."

      "Oh, inferno."

      "Eu penso que isso será divertido. Eu realmente não posso esperar até que nós lutemos sobre despesas domésticas ou a cor das toalhas de banheiro." E como isso era verdade perfeita, ela Lançou seus braços ao redor seu pescoço e o beijou entusiasticamente novamente. "Viaje seguro."

      "Eu estarei em casa por oito, mais cedo se eu posso administrar isto. Eu chamarei." Ele apertou seu rosto na curva de seu ombro. "Eu pensarei sobre algo para brigar sobre."

      "Isto é tão doce."

      Ele aliviou longe, debruçado até acariciar Henry, que estava tentando nariz entre eles. "Cuide de minha menina." Ele hefted sua pasta, deu a Laine uma piscada rápida, então caminhado para seu carro.

      Ela o acenou fora de, então, tão prometido, feche a porta e bloqueado isto.

      Ela não se importou o cedo começa. Ela entraria em cidade, tome um mais íntimo olhar para sua linhagem para ver o que ela poderia querer transferir para sua casa. Ela tomaria Henry para um foliar no parque, então faça alguns telefonemas para tratar de consertar um pouco de sua mobília danificada, e faça acordos ter o que ela considerou uma causa perdida removida.

      Ela podia se favorecer por surf alguns dos locais nupciais on-lines, babando acima de vestidos e flores e favores. Laine Tavish estava casando! O encanto teve ela fazendo uma dança rápida que Henry inspirado para fazer correr em círculos loucos. Ela quis comprar algumas revistas nupciais, mas precisadas ir para o centro comercial isto, onde ela podia comprar eles sem causar fofoca na cidade. Até que ela estava pronta para fofoca de cidade.

      Ela quis um grande, splashy casamento, e ele a surpreendeu por perceber isto. Ela quis um vestido magnífico e ridiculamente caro. Um uma vez na vida vestido. Ela quis gastar horas que agonizam acima de flores e música e menus.

      Rindo dela mesma, ela começou vestido de cima pelo dia. Estalando de volta em lugar, ela pensou. Sua vida normal tomou uma extensão dura, inesperada, mas ele estava estalando direito de volta no normal. Existia qualquer coisa mais normal que uma mulher que sonha com seu dia do casamento?

      "Precise fazer listas, Henry. Muitos e muita listas. Você sabe como eu amo isto."

      Ela abotoou em cima uma camisa sob medida branca, deslizada em apara calças de marinha. "Claro, nós temos que fixar uma data. Eu estou pensando outubro. Todas aquelas cores de queda bonita. Ferrugens e umbers e ouros queimados. Cores ricas. Será uma cadela para conseguir coisas organizadas a tempo, mas eu posso fazer isto."

      Idéia, ela torceu seu cabelo em uma trança francesa única, lançada em uma jaqueta com cheques minúsculos azuis-e-brancos.

      Um foliar no parque primeiro, ela decidiu, e deslizado em apartamentos de tela confortáveis.

      Ela era a meio caminho no andar de baixo quando Henry deu uma série de latidos alarmados e feitos correr atrás em cima novamente.

      Laine congelou onde ela estava, então rolados para seus dedões do pé como seu coração bateu contra suas costelas. Antes dela poder seguir principal do Henry, Jack passeou fora da sala de estar para a parte inferior dos passos.

      "Aquele cachorro vai conseguir sua arma de fogo?"

      "Papai." Ela fecha seus olhos, pega sua respiração. "Por que você faz isto? Você só não pode bater na porta de maldição?"

      "Este salva tempo. Você sempre conversa com o cachorro?"

      "Sim, eu faço."

      "Ele já responder?"

      "Em seu modo. Henry! Está tudo bem, Henry. Ele não machucará você." Ela continuou abaixo, deixando ela olhar ignora o cabelo tinto, o terno amarrotado. "Trabalhando, entendo."

      "Em meu modo."

      "Pareça com que você dormiu naquele terno."

      "Eu condeno bem fez."

      A mordida em seu tom teve seu levantamento suas sobrancelhas. "Bem, não estale em mim, Jack. Não é minha culpa."

      "É sua culpa. Nós precisamos ter uma conversa. Elaine."

      "Nós certamente fazemos." Voz encaracolado, ela movimentou a cabeça, então ligado seu salto de sapato e marchado na cozinha. "Existe café, e um pouco de maçã muffins se você estiver com fome. Eu não estou cozinhando."

      "O que você está fazendo com sua vida?"

      Sua explosão teve Henry, que tenha bellied em testar as águas, suba de volta para a entrada.

      "O que eu estou fazendo com minha vida? O que eu estou fazendo?" Ela o atacou, cafeteira na mão. Sua resposta aquecida rasgou por medo do Henry achar sua coragem. Ele barreled em, colou ele mesmo para o lado do Laine e experimentou um grunhido em direção do Jack.

      "Está tudo bem, Henry." Contente, e consideravelmente surpreendida por sua defesa, Laine passou acalmar o cachorro. "Ele não é perigoso."

      "Eu podia ser," Jack murmurou, mas um pouco de seu enfraquecido de temperamento em alívio que o cachorro teve um pouco de espírito.

      "Eu direi a você o que eu estou fazendo com minha vida, Papai. Eu estou vivendo minha vida. Eu tenho uma casa, um cachorro, uns negócios, um carro—e pagamentos. Eu tenho um encanador." Ela gesticulou com a panela, e quase andou na lama café acima da beira. "Eu tenho amigos que não realmente fizeram tempo, e eu posso obter emprestado um livro da biblioteca e sei que eu realmente ainda estarei aqui quando for esperado de volta. O que você está fazendo com sua vida, Papai? O que você já fez com sua vida?"

      Seus lábios realmente tremeu antes dele firmar eles e conseguiu falar. "Isto é um inferno de um modo para você conversar comigo."

      "Bem, é um inferno de um modo para você conversar comigo. Eu nunca critiquei suas escolhas, porque eles eram seu e você era intitulado para fazer eles. Então você não critica meu."

      Seus ombros curvados; Suas mãos retrocedidas para seus bolsos. E Henry, imensamente aliviado que seu valor não seria testado, permanecido abaixo. "Você está gastando noites com um policial. Um policial."

      "Ele é um investigador privado, e isto é fora de propósito."

      "Ao lado do—"

      "O que eu estou fazer está gastando noites com o homem eu amo e vou casar."

      "MA—" Ele fez vários incoerente soa como o sangue drenado fora de seu rosto. Ele agarrou a de volta de uma cadeira, lentamente afundou nisto. "As pernas saíram. Lainie, você não pode se casar. Você é só um bebê."

      "Eu não sou." Ela economizar a panela, foi para ele e pôs suas mãos suavemente em suas bochechas. "Eu não sou."

      "Você era cinco minutos atrás."

      Suspirando, ela deslizou sobre seu colo, descansada sua cabeça em seu ombro. Henry andou nas pontas dos pés acima de empurrar sua cabeça pelo enredo de pernas e deitar isto simpaticamente em joelho do Jack.

      "Eu o amo, Papai. Tenha muito prazer em para mim."

      Ele balançou com ela. "Ele não é bom o suficiente para você. Eu espero que ele saiba isto."

      "Eu estou certo que ele faz. Ele sabe quem eu sou. Quem nós somos," ela disse, e recuou assistir rosto do Jack. "E não importa porque ele me ama. Ele quer casar comigo, faça uma vida comigo. Nós daremos a você netos."

      A cor que entrou em seu enfraquecido de bochechas longe novamente. "Oh agora, deixe não é pressa que muito à frente. Deixe-me fixar residência na idéia que você não é seis mais. O que é seu nome?"

      "Max. Maxfield Gannon."

      "Fantasia."

      "Ele é de Savannah, e ele é maravilhoso."

      "Ele faz um bem vivendo?"

      "Apareça para—entretanto, então faça eu." Ela escovou em seu cabelo tinto. "Você vai perguntar a todo o clichéd pai-da-noiva questiona agora?"

      "Eu estou tentando pensar deles."

      "Não se preocupe sobre isto. Só sabe que ele me faça feliz." Ela beijou sua bochecha, então rosa para lidar com o café.

      Distraidamente, Jack arranhou Henry atrás das orelhas, e fizeram um amigo por toda vida. "Ele saiu bonita cedo esta manhã."

      Ela olhou de relance acima de seu ombro. "Eu não gosto de você assistindo a casa, Papai. Mas sim, ele saiu cedo."

      "Quanto tempo nós temos antes dele voltar?"

      "Ele não voltará até hoje à noite."

      "Certo. Laine, eu preciso dos diamantes."

      Ela tirou um assaltar, despejado seu café. Ela trouxe isto para a mesa, aparece isto dele, então sentado Dobrou suas mãos. "Eu sinto muito, você não pode ter eles."

      "Agora você escuta mim." Ele se debruçou adiante, agarrou as mãos que ela dobrou na mesa. "Isto não é um jogo."

      "Não é? Não é sempre?"

      "Alex Crew, pode ele apodrecer em perpétuo, inferno ígneo, está procurando por aquelas pedras. Ele é morto um homem, e ele é responsável pela morte do Willy. Tem que ser. Ele machucará você, Laine. Ele lega pior que machuca você para conseguir eles. Porque ele não é um jogo para ele. Para ele está negócios frios, brutal."

      "Por que você ficou misturado com ele?"

      "Eu fui cegado pelo clarão." Deixando seus dentes, ele aliviou de volta, levantado seu café. Então só olhado fixamente no negro. "Eu figurei que eu podia o lidar. Ele pensou que ele me teve conned. Filho de uma cadela. Pensou que eu comprei o alto-afinado jogo que ele estava tocando com seu nome de fraude de fantasia e tamborilar. Eu soube quem ele era, o que ele tem sido em. Mas existia tudo que brilha, Lainie."

      "Eu sei." E porque ela soube, porque ela podia lembrar como sentiu ser cegado pelo brilho, ela esfregou ela dar seu.

      "Tido que figurar ele poderia tentar uma cruz dupla no caminho, mas eu pensei que eu podia o lidar. Ele matou Myers, o dentro de homem. Só um avaro schmuck que quis agarrar o prêmio. Isso mudou a melodia, Lainie. Você sabe que eu não trabalhe aquele modo. Eu nunca machuco qualquer um, não em todos os anos no jogo. Ponha um buraco em suas carteiras, certo, uma picadura em seu orgulho, mas eu nunca machuco qualquer um."

      "E você não entende que pessoas que fazem, não fundas abaixo, Papai."

      "Você acha você       "So give me the diamantes. eu can lead him away from here, and he'll know você don't have them. He'll leave você alone. Você're not important to him, but there's nothing in this world more important to me than você."

      "Melhor que você, sim. Para você é a pressa. Não é nem a pontuação propriamente, mas a pressa da pontuação. O brilho," ela disse com um pouco de afeto. "Para alguém gostar de Tripulação, é a pontuação, é sobre tomar isso tudo, e se ele chegar a machucar alguém no caminho, todo o melhor porque ele só ups as estacas. Ele nunca vai parar até que ele consiga isso tudo."

      "Então dê a mim os diamantes. Eu posso o levar longe daqui, e ele saberá que você não tenha eles. Ele deixará você só. Você não é importante ele, mas não existe nada neste mundo mais importante mim que você."

      Era verdade. De um homem qualificado como um três-malabarista armado com mentiras, era verdade perfeita. Ele a amou, sempre teve, sempre iria. E ela estava no exato mesmo barco.

      "Eu não tenho eles. E porque eu amo você, eu não daria a eles para você se eu fiz."

      "Willy teve que ter eles quando ele caminhou em sua loja. Não há razão para ele entrando, conversando com você, se ele não planejasse dar a eles para você. Ele saiu de mãos vazias."

      "Ele teve eles quando ele entrou. Eu achei eles ontem. Achou o pequeno cachorro. Você quer aquele muffin?"

      "Elaine."

      Ela levantou-se para pegar isto, deixa isto em um prato. "Max tem eles. Ele está aceitando em devolução eles para Nova York agora mesmo."

      Ele literalmente perdeu sua respiração. "Você—você deu a eles para o policial?"

      "PI, e sim, eu fiz."

      "Ele segurou você sob a mira de arma? Você teve um ataque apopléctico? Ou você acabou de perder sua mente?"

      "As pedras estão voltando onde eles pertencem. Existirá uma divulgação da imprensa anunciando a recuperação parcial, que conseguirá Tripulação fora de minhas costas."

      Ele lunged em cima, puxando em seu cabelo como ele circulou o quarto. Pensando que isto era um jogo agora que eles eram amigos, Henry escavou em cima sua corda e cabriolada atrás de Jack. "Para tudo que você sabe que ele esteja encabeçando para a Martinica. Para a Belize. Para Rio ou Timbukfuckingtu. Bebê doce Jesus, como meu podia possuir filha apaixonar-se por uma fraude tão velha que tem moldar nisto?"

      "Ele está indo exatamente onde ele disse que ele estava indo, fazer exatamente o que ele disse que ele estava fazendo. E quando ele voltar, você e eu vamos dar a ele sua parte, então ele pode fazer exatamente a mesma coisa com eles."

      "Em olho pequeno do porco."

      Para povoar o cachorro, Laine levantou e despejou kibble em uma tigela. "Henry, tempo para comer. Você vai dar a eles para mim, Jack, porque eu não vou ter meu pai conseguido encontrar e morto acima de um saco de pedras brilhantes." Ela bateu suas mãos na mesa entre eles. "Eu não vou mentir para minhas próprio crianças um dia quando eles perguntarem o que aconteceu para seu granddaddy."

      "Você não puxa que caga em mim."

      "Você vai dar a eles para mim porque é a única coisa em minha vida que eu já perguntei de você."

      "Condene isto, Laine. Condene isto para inferno e atrás novamente."

      "E você vai dar a eles para mim porque quando Max virar eles e colecionar a taxa, eu vou dar a você minha parte. Bem, metade minha parte. Isto é um e um quarto por cento do vinte e oito, Papai. Não é a pontuação de toda vida, mas ele não é sneezable. E todos nós viveremos feliz desde então."

      "Eu somente não posso—"

      "Considere isto um presente do casamento." Ela angulada sua cabeça. "Eu quero que você dance em meu casamento, Papai. Você não pode fazer aquele se você for para a prisão, ou se Tripulação está respirando abaixo seu pescoço."

      Em um suspiro explosivo, ele se sentou novamente. "Lainie."

      "Eles são má sorte para você, Papai. Aqueles diamantes são amaldiçoados para você. Eles levaram Willy você, e você está na corrida, não do Polis mas de alguém que quer você morto. Dê a eles para mim, consiga o macaco fora de suas costas. Max achará um caminho para o quadrar com Nova York. A companhia de seguro só quer eles de volta. Eles não se importam com você."

      Ela veio para ele, tocada sua bochecha. "Mas eu faço."

      Ele olhou fixamente nela, no único rosto ele amou mais que seu próprio. "Que diabo eu iria fazer com tudo aquele dinheiro de qualquer maneira?"

     

      Laine drummed seus dedos no volante como ela se sentou estacionada sozinha pista, estudando o Chevy escuro verde.

      "Sabe, preciosa, sua mãe costumava conseguir que assiste seu rosto quando . . ." Jack diminuiu quando ela girou sua cabeça, lentamente, e olhados fixamente para ele. "Aquele, também."

      "Você roubou um carro."

      "Eu considero isto mais de um lend/lease situação."

      "Você impulsionou um carro e dirigiu isto para minha casa?"

      "O que eu deveria fazer? Peça carona? Ser razoável, Lainie."

      "Eu sinto muito. Eu posso ver o quão desarrazoado é para mim para objeto para meu pai cometendo auto de roubo principal em meu próprio quintal. Envergonhe em mim."

      "Não consiga pissy sobre isto," ele murmurou.

      "Desarrazoado e pissy. Bem, bofetão mim tolo. Você vai aceitar em devolução aquele direito de carro onde você achou isto."

      "Mas—"

      "Não, não." Ela abaixou sua cabeça em suas mãos, apertados seus templos. "É muito tarde isto. Você será pego, vá para prisão, e eu terei que explicar por que meu pai pensa que é perfeitamente certo para roubar um carro. Nós deixaremos isto no lado da estrada em algum lugar. Não aqui. Em algum lugar. Deus."

      Preocupada pelo tom dela voz, Henry pegou sua cabeça acima da cadeira dianteira para colo em sua orelha.

      "Certo. Estará certo. Nós deixaremos o carro fora de cidade." Ela chupou em uma respiração, endireitou. "Nenhum dano, nenhuma infração."

      "Se eu não tiver o carro, como o inferno é que eu supus chegar a Nova Jersey? Deixe seja só considera, Lainie. Eu tenho que chegar à Cidade de Atlântico, para o locker, consiga os diamantes e devolvo eles para você. É disso que você quer, não é?"

      "Sim, é disso que eu quero."

      "Eu estou fazendo este para você, amado, contra meu julgamento melhor, porque é o que você quer. O que minha menina de bebê quer que vir para primeiro comigo. Mas eu não posso caminhar para a Cidade de Atlântico e atrás, agora pode eu?"

      Ela soube aquele tom. Usando isto, Jack O 'Hara podia trair água de pântano engarrafada de uma barraca lançada ao lado de um fluxo de montanha cintilante. "Existem aviões, trens, existem goddamn ônibus."

      "Não injurie seu pai," ele ligeiramente disse. "E você realmente não espera que eu montar um ônibus."

      "Claro que não. Claro que não. Lá eu vou ser pissy e desarrazoado novamente. Você pode tomar meu carro. Empréstimo," ela rapidamente emendou. "Você pode obter emprestado meu carro pelo dia. Eu não precisarei disto de qualquer maneira. Eu estarei ocupado no trabalho, batendo minha cabeça contra a parede para tentar achar meu cérebro."

      "Se isto é o modo que você quer isto, mel."

      Ela lança seus olhos para céu. "Eu ainda não posso acreditar em que você deixou milhões de dólares ' no valor de diamantes em um aluguel locker, então Willy enviado aqui com vários mais milhões."

      "Nós tivemos que mover rápido. Jesus, Laine, nós só descobriríamos que Tripulação matou Myers. Nós seríamos próximos. Guardadas minha parte, decolou. A tripulação bastarda deveria vir depois de mim. Eu tudo menos o desenhei um mapa de maldição. Esconda era seguro. Willy consegue outro pedaço disto aqui, então ele dobraria de volta para o resto enquanto mil acompanhamento de milhas longe da Tripulação me. Isso iria ser nosso dinheiro ambulante, nossa almofada."

      Para viver de como reis, Jack pensou, naquela bonita praia.

      "Tripulação Nunca figurada perseguir você. Eu nunca causaria que você, bebê. A tripulação deveria ser fora de mim perseguir."

      "E se ele alcançasse você?"

      Jack só sorriu. "Eu não o iria deixar captura. Eu ainda consegui os movimentos, Lainie."

      "Sim, você ainda conseguiu os movimentos."

      "Só comprando tempo de Willy. Ele chegaria ao México, liquide o primeiro trimestre do tomar. Nós nos encontraríamos em cima, decole, e com tanto apoio, nós esconderíamos fora em conforto até o calor eram fora de."

      "Então deslize de volta e levante o resto de mim."

      "Duas, estrada abaixo de três anos talvez. Nós éramos resolver isto à medida que nós fomos."

      "Você e Willy ambas as chaves tido que o locker em AC?"

      "Ninguém no planeta eu confiei gosto de Willy. Exceto você, Lainie," ele adicionou, batendo levemente seu joelho. "Polis conseguiu isto agora." Ele enrrugou seus lábios em pensado. "Leve eles uns enquanto localizar isto, se eles já fizerem."

      "Max tem isto agora. Eu tomei isto fora de chaveiro do Willy. Eu dei isto para ele."

      "Como iria você conseguir . . . ?" A irritação em seu enfraquecido de tom para afeto. "Você roubou isto."

      "Até certo ponto de falar. Mas se você vai comparar aquele com impulsionar um carro, até não comece. É completamente diferente."

      "Fez direito debaixo de seus narizes, não é?"

      Seus lábios estremeceu. "Talvez."

      Ele deu seu um pouco cotovelo cutuca. "Você ainda conseguiu os movimentos, também."

      "Aparentemente. Mas eu não quero eles."

      "Você não quer saber como nós tiramos isto?"

      "Eu compreendi a maior parte. Seu dentro de homem toma os cegos—o cachorro, a boneca, et cetera—em seu escritório. Coisas inócuas, quem presta atenção? Eles se sentam ao redor em visão clara. A remessa ou remessas entram, ele substitui eles—ou algumas delas—com fraudes. Dobras uma parte de quarto da pontuação em cada um das quatro cortinas. E lá eles se sentam."

      "Myers suou aquela parte. Ele era avaro, mas ele não teve bons nervos."

      "Hmm. Não podia esperar por muito tempo, ou ele racharia. Além disso, você não o confiaria mais longo. Uns dias no máximo. Ele apaga o alarme nas fraudes ele mesmo, cobertura de ajudas seu traseiro. Polis abate em, investigação começa. As cortinas saem debaixo de seu nariz."

      "Nós cada levamos um. O fato é, eu posei como um dos ternos de seguro, caminhado em escritório do Myers enquanto todo mundo está fervilhando ao redor, saída com minha parte em minha pasta. Era bonito."

      Ele a atirou um sorriso. "Mim e Willy almoçou uns quarteirões do par longe em T.G.eu. A sexta-feira é depois da concha, com quatorze milhões de aquecimento nossos bolsos. Eu tive o nachos. Não ruim."

      Ela trocou em sua cadeira assim eles eram cara a cara. "Eu não vou dizer que não era uma grande pontuação. Eu não vou fingir que eu não entenda a pressa qualquer um. Mas eu estou confiando você, Papai. Eu estou confiando você para manter sua promessa. Eu preciso desta vida. Eu o preciso até mais que você precisa que pressa. Por favor não amarre bagunça ele para mim."

      "Eu vou consertar tudo." Ele se debruçou acima de, beijada sua bochecha. "Só você espera e vê."

      Ela assistiu ele passear para o carro roubado. Um para todo minuto, ela pensou. "Não faça-me um deles, Papai," ela murmurou.

 

      Ela teve Jack a solta fora no parque com Henry, e contou com isto ainda estando cedo suficiente que ninguém quem conheceu que ela estaria ao redor comentar no homem estranho indo embora em seu carro.

      Ela deu a Henry uma metade hora para foliar, pãozinho e perseguir os esquilos de cidade.

      Então ela tirou sua telefone celular e chamou Max.

      "Gannon."

      "Tavish."

      "Oi, bebê. O que está em cima?"

      "Eu . . . você está no aeroporto?"

      "Sim. Só anote em Nova York."

      "Eu pensei que eu devia dizer a você, meu pai veio por me ver esta manhã."

      "Aquele muito?"

      Ela ouviu o frio em seu tom, e estremeceu. Nenhum ponto em mencionar modo da manhã do seu pai de transporte. "Nós povoamos algumas coisas, Max, endireitadas algumas coisas fora. Ele está a caminho de conseguir sua parte dos diamantes. Ele vai dar a eles para mim assim eu posso dar a eles para você, e seu . . . bem, et cetera."

      "Onde estão eles, Laine?"

      "Antes de eu chegar a isto, eu quero que você saiba ele entende que ele atarraxou em cima."

      "Oh, qual screwup ele entende?"

      "Max." Ela curvou tomar a filial que Henry esvaziou em seus pés. Ela teve que asa que gosta de um dardo, mas ele teve a corrida de cachorro fora em encanto. "Eles apavorou. Quando eles ouviram sobre a morte do Myers, eles acabaram de apavorou. Era um plano ruim, nehuma dúvida que, mas ele era impulso. Meu pai não percebeu Tripulação soube sobre mim, muito menos que ele veio aqui. Ele acabou de pensar que Willy podia me conseguir a estatueta, e eu guardar isto por alguns anos enquanto eles . . ." Ela deixa ir como ela percebeu como o resto soaria.

      "Enquanto eles cercaram a parte restante dos pedras preciosos roubados e viveram fora da gordura."

      "Mais ou menos. Mas o ponto é que ele é concordado em desistir a eles. Ele está conseguindo eles."

      "Onde?"

      "Um locker na Cidade de Atlântico. Remeta Caixas, Etc. Ele está dirigindo em cima agora. O levará a maior parte do dia para a viagem de ida-e-volta, mas—"

      "Dirigindo o que?"

      Ela passou sem tocar sua garganta. "Eu o emprestei meu carro. Eu tive que. Eu sei que você não o confie, Max, mas ele é meu pai. Eu preciso o confiar."

      "Certo."

      "Que é?"

      "Seu pai é seu pai, Laine. Você fez o que você precisou fazer. Mas não, eu não tenho que o confiar, e eu não vou bobinar em choque se nós descobrirmos que ele esteja vivendo em um bonito casa em Barcelona."

      "Ele não confia você qualquer um. Ele pensa que você está a caminho da Martinica."

      "Do São Bart, talvez. Eu gosto de melhor do São Bart." Existia pausa do momento. "Você realmente é beijoca certa pega no meio, não é?"

      "Só minha sorte para amar você dois." Ela ouviu a mudança em barulho de fundo e percebeu que ele caminhou do lado de fora do término. "A suposição você vai pegar um táxi."

      "Sim."

      "Seria melhor eu deixar você ir. Eu verei você quando você voltar."

      "Contando com isto. Eu amo você, Laine."

      "É bom para ouvir isto. Eu amo você, também. Adeus."

      Em seu fim, Max deslizou o telefone de volta em seu bolso e verificou seu relógio como ele andou a passos largos acima do táxi permanece. Dependendo de tráfico, ele podia ter a perna de Nova York do dia batido em umas horas do par. Por seu cálculo ele podia fazer o desvio para a Cidade de Atlântico sem dificuldade demais.

      Se Laine iria ser preso no meio, ele iria fazer maldição certa que ela não foi apertada.

 

      Laine caminhou da Rua de mercado de parque com Henry fazendo seu melhor para rodar sua cabeça cem e oitenta graus para mastigar fora do odiado atar.

      "Regras são regras, Henry. Acredite nisto ou não, eu tudo menos teve aquele tatuado em meu alvo até umas semanas atrás." Quando sua resposta para aquele era para desmoronar em sua barriga e choradeira, ela abaixou até que eles eram nariz para focinhar. "Escute em cima, camarada. Existe lei de um atar nesta cidade. Se você não pode lidar com isto, e comport você mesmo com alguma dignidade, não existirá não mais tocando no parque."

      "Um pouco dificuldade tendo lá?"

      Ela sacudiu, bajuladas nas ondas de culpabilidade que lavou quente acima dela como ela olhou em cima em largo do Vince, rosto amigável. "Ele objetos para o atar."

      "Ele terá que começar a estudar aquele com o conselho de cidade. Vamos, Henry, eu consegui parte de um cruller aqui com seu nome nisto. Eu caminharei com você," ele disse para Laine. "Precise conversar com você de qualquer maneira."

      "Certo."

      "Conseguindo um cedo começar hoje."

      "Sim. Eu tive muito coisas piling. Obrigado," ela adicionou quando ele tomou o atar e arrastou Henry junto.

      "Sido um espaço interessante de tempo recentemente."

      "Eu estou esperando ansiosamente isto corrediço atrás para enfadonho."

      "Suposição você provavelmente é."

      Ele esperou enquanto ela saiu suas chaves, destrancada a porta da frente da loja. Enquanto ela desativou o alarme, ele se agachou até unclip o atar e deu o um esfregar de Henry agradecido.

      "Ouviu que você estava na estação uns dias do par atrás."

      "Sim." Para manter ocupado, ela subjugou destrancar a caixa registradora. "Eu disse a você que eu soube Willy, e eu pensei que . . . eu quis tratar de fazer acordos."

      "Sim, você fez. Você pode fazer isto. Faça os acordos. Isso tem sido passado sem tocar."

      "Bom. Isto é bom."

      "Coisa engraçada. Outra pessoa entrou, ontem à noite, interessado no mesmo sujeito. Só coisa, ele disse que ele o soube pelo outro nome. O nome que estava no cartão que ele deu a você."

      "Realmente? Eu vou pôr Henry atrás."

      "Eu farei isto. Vamos, Henry." Subornado com metade de um cruller, Henry subiu atrás quarto. "Este sujeito que entrou, ele disse Willy—ou Jasper—era um raro-livro negociante."

      "É possível que ele era. Ou que ele estava posando como um. Eu disse a você, Vince, eu não vi Willy desde que eu era uma criança. Isto é a verdade."

      "Eu acredito nisto. Só uma coisa engraçada." Ele subjugou apoiar-se no contador. "Como ele é uma coisa engraçada existiam cinco chaves em seus efeitos, e quando eu examinei eles ontem à noite, existiam só quatro." Ele esperou uma batida. "Não indo sugerir eles eram contado mals?"

      "Não. Eu não vou mentir para você."

      "Aprecie isto. O homem que entrou ontem à noite, ele teve seus olhos."

      "É mais preciso para dizer que eu ter seu. Se você o reconhecesse, por que você não o prendeu?"

      "Isto é complicado, também. Melhor dizer que você não prender um homem porque você vê algo em seus olhos. Eu vou perguntar a você por aquela chave, Laine."

      "Eu não tenho isto."

      "Condene isto, Laine." Ele endireitou.

      "Eu dei isto para Max," ela disse depressa. "Eu estou tentando fazer o que sou certo, o que devia ser feito—e não ser responsável por pôr meu pai na prisão. Ou o conseguindo morto."

      "Uma daquelas coisas que deviam ser feitas está me mantendo informada. O roubo de diamante poderia ser negócios de Nova York, Laine, mas um dos homens suspeitados de roubarem eles mortos em minha cidade. Um ou mais de seus amigos está em minha cidade, ou tem sido. Isso põe minha cidadania em risco."

      "Você é certo. Eu estou tendo um tempo duro mantendo meu equilíbrio nesta linha muito magra. E eu sei que você esteja tentando me ajudar. Eu achei parte do Willy dos diamantes. Eu não soube que eles estavam aqui, Vince, eu juro isto."

      "Se você não soubesse, como iria você achar eles?"

      "Eles estavam em alguma estátua estúpida. Cachorro—pooch. Eu tenho tentado pedaço junto e posso só concluir que ele pegou isto em uma estante quando ele estava aqui, ou põe isto em algum lugar—em um gabinete ou gaveta—e ou Jenny ou Angie arquivaram isto. Angie, mais provável. Jenny teria perguntado a mim sobre isto, e quando eu perguntei a ela, ela não lembrou de ver isto antes. Eu dei a eles para Max, e ele está em Nova York agora mesmo, virando eles. Você pode verificar. Você pode chamar Confiança e cheque."

      Ele não disse nada para um momento. "Nós não corremos aquele longes fora de saltos, não é, Laine, que eu tenho que verificar?"

      "Eu não quero perder sua amizade, ou do Jenny." Ela teve que tomar respiração de um afiançar. "Eu não quero perder meu lugar nesta cidade. Eu não seria insultado se você verificasse, Vince."

      "É por isso que eu não tenho que."

      Ela precisou de um tecido afinal, e arrancou uma fora da caixa atrás do contador. "Certo. Certo. Eu sei onde outra parte está. Eu descobri esta manhã. Por favor não pergunte a mim como eu descobri."

      "Certo."

      "A chave eu tirei de coisas do Willy está para um locker. Eu chamei Max assim que eu podia dizer a ele. De fato, eu estava conversando com ele sobre ele quando eu estava no parque com Henry. Eles vão ser girados, também. Isto é metade deles. Eu não posso fazer qualquer coisa sobre o outro metade. Max tem levar, e ele fará o que ele faz. Mas uma vez que os metades dos diamantes volta onde pertence, eu fiz tudo que eu posso.

      "Eu vou ter que mudar-me?"

      "Coração do fratura Jenny se você fez. Eu não quero seu pai no Buraco, Laine."

      "Eu entendo. Este devia todos ser cuidar de por hoje à noite, amanhã no mais tardar. Ele será ido."

      "Até que ele seja cuidar de, eu quero que você fique fecha."

      "Que eu posso prometer."

 

      Quando Jack cruzou acima de em Nova Jersey, ele apresentou razões de uma dúzia de por que aceitar em devolução os diamantes era um engano. Obviamente, este caráter de Gannon estava enganando sua pequena menina assim ele podia policial sua taxa gorda. Não era melhor para ela achar aquele fora mais cedo em lugar de mais tarde?

      E voltando para Maryland poderia levar Tripulação de volta para Maryland, e Laine.

      Então existia o fato que virando todas aquelas bonitas pedras o ajustam como também uma prisão jumpsuit.

      Além disso, Willy teria querido que ele mantivesse eles. Um homem não podia negar desejo do amigo morto, não é?

      Ele estava se sentindo consideravelmente melhor como ele manobrou por tráfico da Cidade de Atlântico. Suficiente para assobiar cheerily entre goles de seu na estrada Grande Trago. Ele estacionou no lote do centro comercial de tira e considerou a melhor saída era para pular um vôo no aeroporto e encabeçar diretamente para o México.

      Ele enviaria Laine um cartão postal. Ela entenderia. A criança soube como o jogo era tocado.

      Ele passeou o walkway primeiro, esquadrinhando rostos, procurando por marcas, procurando por Polis. Os lugares como isto sempre deu a ele dedos sarnentos. Malls, shopping centeres, pequenos pacotes de lojas onde as pessoas breezed dentro e fora com seu dinheiro e cartões de crédito tão à mão.

      Dia após dia. O straights comprando sua comida de filhote de cachorro e cartões de saudação, vendeu para eles por outro straights.

      Qual era o ponto?

      Os lugares como isto fez ele querer atacar seus joelhos e dar obrigado pela vida que ele levou—direito antes dele ajudar ele mesmo a algum daquele dinheiro, alguns daqueles cartões de crédito e fez caminhos para qualquer lugar outro.

      Ele vagou em um Metrô, comprou um presunto e queijo com molho de pimenta quente para dar ele mesmo mais tempo para âmbito fora a área. Ele lavou isto abaixo com outra grande atirada de cafeína fria, usou as instalações.

      Satisfeito, ele cruzou para as Caixas de Correio, Etc., passeado para o lockers, deslizou em sua chave.

      Venha para Papai, ele pensou, e abriu a porta.

      Ele fez um som, algo semelhante a um pato sendo esmurrado na barriga, e impediu o único conteúdo do locker. Um pedaço de papel de carta com uma mensagem de uma linha.

      Oi, Jack. Olhe atrás de você.

      Ele girado ao redor, um punho carnoso já balled.

      "Tome um balanço, eu enfeitarei você," Max disse a ele conversationally. "Pense sobre correr, considere que eu sou mais jovem e mais rápido. Você só envergonhará você mesmo."

      "Você filho de uma cadela." Ele teve que ofegar isto, mas até que teve umas cabeças girando em sua direção. "Enganando filho de uma cadela."

      "Panelas chamando chaleiras só prova imaginação de falta de panelas. Chaves." Ele resistiu uma mão. "Chaves de carro do Laine."

      Em desgosto, Jack bateu eles na mão do Max. "Você conseguiu o que você veio por."

      "Até agora. Por que nós não conversamos no carro? Não faça-me arrastar você," ele quietamente disse. "Nós só não causaríamos uma cena que poderia trazer para dentro o Polis neste, mas Laine não gostaria disto."

      "Você não dá duas maldições sobre ela."

      "Você é certo, eu não faço. Eu dou um inferno de muito mais que isto, que é por que eu não estou virando seu traseiro arrependido para o Polis. Você tem uma chance, O 'Hara, e você tem isto por causa de seu. No carro."

      Correndo acontecido para ele. Mas ele soube suas limitações. E se ele corresse, não existia nenhuma chance para recuperar os diamantes. Ele caminhou de volta fora com Max, então povoou ele mesmo no passageiro acomoda. Max tomou a cadeira do motorista, deixe sua pasta em seu colo.

      "Aqui seja o modo que vai ser. Você está pegando para mim gosto de gengiva na parte inferior de meu sapato. Nós estamos pegando um vôo para Columbus."

      "O que o—"

      "Feche, Jack. Eu tenho um levar para verificar, e até que eu seja feito, você e eu, nós somos gêmeos de Siamese."

      "Ela disse a você. Minha própria carne e sangue. Ela disse a você onde eu tive o esconder."

      "Sim, ela fez. Ela disse a mim porque ela me ama, e ela acredita—seguro se para acreditar em que—você manteria seu fim e traz para dentro eles. Porque ela ama você. Me, eu não amo você, Jack, e eu figuro que você teve outros planos para este."

      Abrindo sua pasta, Max tirou um cerâmico piggy banco. "Eu preciso dar a você aponta para a sensação do rudículo. Me, você e o porco, nós estamos indo para Columbus, então voltar para Maryland. E eu vou dar a você aquela chance. Que uma chance de merecer Laine. Você vai dar seu este." Ele bateu o porco, então coloca no lugar isto. "Da mesma maneira que se você planejasse para desde o princípio."

      "Quem digo que eu não fiz       "Briefcase is locked, Jack." Max pulled back, then set the briefcase out of reach in the back.

      "Eu faço. Você teve fucking dólar registrar seus olhos quando você abriu aquele locker. Vamos mostrar um pouco respeito por um ao outro aqui. Meu cliente quer as pedras retornadas. Eu quero minha taxa. Laine quer você seguro. Nós vamos fazer tudo que acontece." Ele começou o carro. "Você termina este, eu verei que enxuta da sua lousa limpa neste. Você fosso me, você machuca Laine, e eu caçarei você abaixo como eu iria um cachorro radical. Você será trabalho da meu goddamn vida. Isto é uma promessa, Jack."

      "Você não é bullshitting. Eu sei quando bullshitting do homem. Filho de uma arma de fogo." O sorriso do Jack espalha largo e brilhante que ele se debruçou acima de abraçar Max. "Bem-vinda a família."

      "Pasta é bloqueada, Jack." Max puxou de volta, então preparar a pasta de alcançar atrás.

      "Não pode culpar um sujeito para tentar," Jack disse alegremente, e povoado atrás para o passeio.

 

      Em sua cabana, Tripulação selecionou uma camisa a cor de berinjela. Ele tem descartado o bigode, substituindo isto com uma alma remenda que ele pensou vestido do macio e lustroso, castanheiro-hued rabo-de-cavalo. Ele quis que um que imita arte procurar por esta viagem. Ele selecionou um par de redondos-lensed óculos de sol de sua provisão e estudou o efeito.

      Era provavelmente desnecessário para ir para tal dificuldade, mas ele apreciou uma boa fantasia.

      Tudo estava pronto para a companhia. Ele sorriu como ele procurou a cabana. Rústico, certamente, mas ele duvidou que Sra. Tavish reclamaria sobre as acomodações. Ele não contou com ela ficando para longo.

      Ele enganchado o pequeno .22 atrás de seu cinto, coberto ele com um quadril-comprimento jaqueta preta. Qualquer outra coisa que ele poderia precisar estava na bolsa ele atirou em seu ombro antes dele andar a passos largos fora da cabana.

      Ele pensou que ele poderia ter uma mordida para comer antes dele ter sua data com o Sra. Tavish atraente. Ele poderia estar muito ocupado para jantar aquela noite.

 

      "Eu fiz o legwork," Jack disse como ele e Max tiveram uma cerveja no bar de aeroporto. "Myers cortejado por meses. Agora, eu admitirei, eu nunca sonhei com uma pontuação tão grande. Estava pensando pequeno, tomando uns sumários, passando sem tocar um par cem mil cada. Então Tripulação entrou nisto."

      Jack agitou sua cabeça, sorveu pela espuma. "Para todas as suas culpas, isto é um homem que pensa grande."

      "Culpas sendo que ele está um assassino de sangue frio."

      Frowning, Jack cavou sua grande mão em uma tigela de nozes. "Maior engano de minha vida, e eu não tenho vergonha de admitir eu fiz alguns, estava enganchando em cima com um homem como Tripulação. Ele suckered mim em, nehuma dúvida que. Eu fui deslumbrado pela idéia de todas aquelas pedras. Todas aquelas pedras bonitas, brilhantes. Ele teve o saber-isso tudo para algo assim, a vista. Eu tive as conexões. Myers pobre. Eu sou a pessoa que trouxe o para dentro, tocou ele. Ele teve problema de um jogar, sabe."

      "Sim."

      "Longe como eu posso ver, qualquer jogar é um problema. Aloje sempre vai ganhar, então é melhor para ser a casa. Os jogadores são qualquer uma pessoas ricas que não dão um cagar se eles perderem, ou ventosas que realmente pensam que eles podem ganhar. Myers era uma ventosa, palavra vai. Teve ele mesmo em fundo, e com alguns cutucando de mim ele estava em mais fundo. Ele viu isto como sua saída."

      Jack bebeu mais cerveja. "Ache que era. De qualquer maneira, o negócio afundou liso suficiente. Rápido, limpo. Tido que figurar eles iria policial para Myers, mas ele deveria ir diretamente debaixo de. Ninguém era para saber onde qualquer outra pessoa estava encabeçando. Willy e mim dirigimos diretamente da cidade, eu esvaziei o porco em AC, e nós esvaziamos Willy está em um locker em Delaware. Conseguiu nós mesmos um quarto de hotel bom em Virgínia, teve uma comida boa, umas garrafas do par de champanha. Bom tempo," ele disse, e brindado com seu vidro.

      "Ouvido sobre Myers em CNN. Willy amou CNN. Tentado dizer a nós mesmos que era por causa do jogar, mas nós soubemos. Carros trocados, dirigiram para Carolina do Norte. Willy era spooked. Inferno, nós éramos ambos os spooked, mas ele estava nervoso como uma prostituta em igreja. Quis iluminar fora, só esquece isso tudo e dirige-se às colinas. Eu o calei disto. Goddamn isto."

      Ele estudou sua cerveja, então ergueu isto e bebeu fundo. "Eu começar Tripulação, e ele dobraria de volta, consiga sua parte, toma isto para Laine. Ela podia o pôr em cima para um pouco enquanto. Eu pensei que ele seria seguro. Achou que eles dois iria."

      "Mas ele soube sobre ela. Tripulação."

      "Eu consegui retratos dela em minha carteira."

      Ele tirou isto e sacudiu isto aberto.

      Max viu fotografias de um recém-nascido com um sapé brilhante de cabelo e pele vermelha tão branca quanto nata, e uma expressão em seu pequeno rosto que pareceu dizer, "Que diabo eu estou fazendo aqui?"

      Existiam vários de Laine como uma criança, todo cabelo e olhos brilhantes, que do sorriso compreendeu obviamente o que ela estava fazendo aqui. Então do nubile adolescente, bonito e digno em seu tiro de graduação. De prazos de Laine cansativo e um topo fraco, rindo como ela permaneceu na rebentação azul do que Max deduziu era o Barbados.

      "Sempre sido um looker, não é?"

      "Mais bonito bebê você sempre serra, e ela acabou de ficar mais bonito todo dia. Eu fico sentimental, especialmente depois de uma cerveja ou duas." Jack encolheu os ombros. Era só outro Deus-dado debilidade, afinal. Fechando a carteira, ele guardou isto novamente.

      "Eu devo ter a mostrado fora para Tripulação algum dia. Ou ele acabou de cavar abaixo e procurou por algo que ele podia usar contra mim, caso necessário. Não existe nenhuma honra no meio de ladrões, Max, e qualquer um que pensa diferente é uma ventosa. Mas matar acima de dinheiro? Isto é uma náusea. Eu soube que ele teve isto nele, mas eu pensei que eu podia o bater no jogo."

      "Eu o acharei. E eu o derrubarei, de uma forma ou de outra. Isto seja nosso vôo."

 

      Laine lutou não compassar, só para parecer ocupado. Ela verificou o tempo novamente. Seu pai devia estar a caminho atrás até agora. Ela devia ter dito ele para chamar quando ele estava a caminho atrás. Ela devia ter insistido.

      Ela podia chamar Max novamente, mas qual era o ponto? Ele estaria a caminho de Columbus. Talvez ele já estava lá.

      Ela acabou de ter que conseguir pelo dia, isso era todo. Só este aqui dia. Amanhã, as notícias bateriam que uma porção grande dos diamantes roubados tinham sido recuperaram. Ela estaria na clara, seu pai estaria no claro, e vida voltaria um pouco de semelhança de normality.

      Talvez Max levantaria trilha da Tripulação desta conexão de Ohio. Eles o perseguir, coloque no lugar ele. Ela nunca teria que se preocupar sobre ele novamente.

      "Você continua indo embora." Jenny deu seu um pouco cutuca como ela levou um prato de queijo de George Jones para o contador para um cliente.

      "Desculpe. Eu sinto muito. Mente errante. Eu tomarei o próximo que entra."

      "Você podia tomar Henry para outro passeio."

      "Não, ele é tido suficiente caminha hoje. Ele é originado-se do de volta quarto em outra hora de qualquer maneira."

      Ela ouviu o anel de sinos. "Eu tomarei este aqui."

      "Todo seu." Jenny ergueu suas sobrancelhas como ela olhou de relance no novo cliente. "Pequeno velho para que olhe," ela disse debaixo de sua respiração, e partida.

      Laine fixo em seu rosto bem-vindo e cruzado acima de saudar Tripulação. "Boa tarde. Eu posso ajudar você?"

      "Eu estou certo que você pode." De suas visitas prévias até sua loja, ele soube os acordos e exatamente onde ele a quis. "Eu estou interessado em equipamento da cozinha. Manteiga crocks, especificamente. Minha irmã coleciona."

      "Então ela está em sorte. Nós temos algum muito agradável agora mesmo. Por que eu não mostro a você?"

      "Por favor."

      Ele seguido ela pelo quarto principal, na área ela instalar para equipamento da cozinha, mobília e novidades. Como eles passaram pela porta para o quarto de parte de trás, Henry começou a rosnar.

      "Você um cachorro tem aqui?"

      "Sim." Perplexo, Laine olhou em direção à porta. Ela nunca conheceria Henry rosnar em sons de loja e verbalizar. "Ele é inocente e ele é assegurado atrás quarto. Eu precisei trazer para dentro comigo hoje." Porque ela sentiu aborrecimento do seu cliente, ela tomou seu braço e o levou ao crocks.

      "O especialmente bom do Caledonian, eu penso, para um coletor."

      "Mmm." Existiam dois clientes e o balconista grávida. Como os clientes estavam no contador, ele assumiu que eles estavam pagando por compras. "Eu não sei nada sobre isto, realmente. O que no mundo é isto?"

      "É uma caixa de carvão vitoriano, metal. Se ela apreciar artigos da cozinha antiga e sem igual, isto é um vencedor."

      "Podia ser." Ele deslizou o .22 fora de seu cinto e emperrou o barril em seu lado. "Ser muito, muito quieto. Se você gritar, se você fizer qualquer movimento mesmo, eu matarei todo mundo nesta loja, começando com você. Entenda?"

      O calor de pânico lavado acima dela, então gelada para gelar como ela ouviu Jenny rir. "Sim."

      "Você sabe quem eu sou, Sra. Tavish?"

      "Sim."

      "Bom, isso nos sobra introduções. Você vai dar uma desculpa sair comigo." Ele planejou a levar fora a parte de trás, mas o cachorro maldito fez tão impossível. "Para dê-me direções, nós diremos, caminhar para mim para o canto. Se você alertar ou alarmar ninguém, eu matarei você."

      "Se você me matar, você não conseguirá os diamantes de volta."

      "O quão aficionado você de seu muito são empregado grávida?"

      A basca fechou sua garganta. "Muito aficionada. Eu irei com você. Eu não darei a você qualquer dificuldade."

      "Sensato." Ele deslizou a arma de fogo em seu bolso, mantida sua mão nisto. "Eu preciso chegar ao correio," ele disse, erguendo sua voz para um tom normal. "Você pode dizer a mim onde está?"

      "Claro. Realmente, eu preciso de alguns selos. Por que eu não assumo o comando de você?"

      "Eu apreciaria isto."

      Ela girou, ordenadas suas pernas para mover. Ela não podia sentir eles, mas ela viu Jenny, viu seu olhar, sorriso.

      "Eu só vou correr para o correio. Só é um minuto."

      "Certo. Eh, por que você não toma Henry?" Jenny motioned em direção à parte de trás onde os grunhidos cresceram mais alto e eram pontuados por latidos desesperados.

      "Não." Ela alcançou cegamente para a maçaneta, pega sua mão atrás quando bateu da Tripulação. "Ele só lutará o atar."

      "Sim, mas . . ." Ela carranca como Laine saiu sem outra palavra. "Engraçada, ela . . . oh, ela esqueceu sua bolsa. Com licença só um minuto."

      Jenny agarrou isto de debaixo do contador e estava a meio caminho para a porta quando ela parou, olhou de relance atrás em seus clientes. "Ela disse que ela iria comprar selos? O correio fechado às quatro."

      "Então, ela esqueceu. Sinta falta?" A mulher gesticulada em direção a suas compras.

      "Ela nunca esquece." De prender a atençã a bolsa, Jenny arremessou para a porta, apertando uma mão para sua barriga como ela salpicada sobre a calçada. Ela viu braço agarrado do Laine na mão do homem como eles giraram o canto longe do correio.

      "Oh Deus, oh meu Deus." Ela apressou de volta em, tudo menos batendo seus clientes de lado como ela pegou em cima a linha direta do telefone e velocidade-discada Vince.

     

      Estava um bairro suburbano quieto, olho do touro de classe-média com gramados e árvores bem tratadas copadas grandes tão velhas suas raízes levantaram em cima por porções das calçadas. A maioria de calçadas SUVs ostentado, o transporte do suburbanites de escolha. Muitos tiveram cadeiras de carro, e existiam suficiente bicicletas e clunky secondhanders para dizer a Max a idade de crianças no bairro de bebês até adolescência.

      A casa era um Tudor atraente de duas histórias inglesa com um bonito cobertor de gramado decorado com os canteiros tranqüilos e nitidamente aparava arbustos. E um sinal VENDIDO.

      Max não precisou do sinal do agente imobiliário para dizer a ele o lugar estava vazio. Não existia nenhuma cortina nas janelas, nenhum carro no passeio, nenhum escombros um menino jovem poderia partir em seu desperta.

      "Saltou," Jack disse.

      "Nossa, Jack, obrigado pelo boletim."

      "Ache que isto é irksome para vir para tudo isso modo e bater um beco sem saída."

      "Não existe nenhum beco sem saída, desvios justo."

      "Filosofia boa, filho."

      Max pegou seu entrega seus bolsos, balançados em seus saltos de sapatos. "Irksome?" Ele repetiu, e Jack justo sorriu abertamente. "O bairro como isto tem que ter pelo menos um vizinho curioso. Vamos bater em portas, Jack."

      "O que é a linha?"

      "Eu não preciso de uma linha. Eu tenho licença do investigador."

      Jack movimentou a cabeça como eles começaram em direção à casa na esquerda. "As pessoas neste tipo de lugar gostam de conversar com PIs. Adicione excitação para o dia. Mas eu não penso que você vai dizer a Alice Curiosa que você está procurando por um influenciar vinte e oito moinho em diamantes roubados."

      "Eu estou tentando localizar Laura Gregory—que é o nome que ela está usando aqui—e verifico se ela for a Laura Gregory que é um beneficiário em uma vontade. Os detalhes são confidenciais."

      "Boas. Simples e limpas. As pessoas gostam de vontades, também. Dinheiro livre." Jack exagerou com o laço de sua gravata. "Como eu pareço?"

      "Você é uma multa-olhando homem, Jack, mas eu ainda não quero datar você."

      "Ha!" Ele deu a Max um bofetão atrás. "Eu como você, Max, maldito se eu não fizer."

      "Obrigado. Agora só mantenha quieto e deixe-me lidar com isto."

      Eles estavam ainda vários passos da porta de um nível de divisão modificada quando abriu. A mulher que saiu estava em seus anos trinta medianos e vestindo uma camisa de moletom de enfraquecido acima de calça jeans de enfraquecido. O anthemlike tema música de Guerras de Estrela despejadas fora a porta atrás dela.

      "Eu posso ajudar você com algo?"

      "Sim, Madame." Max agarrou seu ID. "Eu sou Max Gannon, um investigador privado. Eu estou procurando por Laura Gregory."

      Ela pareceu dura na identificação, com um vislumbre de excitação em seus olhos. "Oh?"

      "Não é nada desfavorável, Sra. . . ."

      "Portão. Hayley Portão."

      "Sra. Portão. Eu fui contratado localizar Sra. Gregory e verificar que ela é a Laura Gregory chamado como um beneficiário em uma vontade."

      "Oh," ela repetiu como o vislumbre estende para um clarão.

      "Meu associado e eu . . . eu sou Bill Sullivan, a propósito." Para aborrecimento do Max, Jack avançou, tomou mão e bombeou do Sra. Portão isto cordialmente. "Nós estávamos pulando falar com Sra. Gregory pessoalmente para verificar que ela é realmente a sobrinha-neta do recente Spiro Hanroe. Existia um pouco de um cisma de família na geração prévia, e várias dos membros de família, inclusive pais do Sra. Gregory, quebrou contactam." Ele ergueu seu entrega um encolher os ombros. "Famílias. O que você pode fazer?"

      "Eu sei só o que você quer dizer. Com licença só um minuto." Ela pegou ela voltar na porta. "Matthew? Eu sou direito. Meu mais velho está em casa doente," ela explicou como ela aliviou a porta fechou mas para uma rachadura. "Eu perguntaria a você, mas ele é um madhouse lá. Você pode ver Laura vendeu a casa." Ela gesticulou em direção à casa da casa ao lado. "Ponha isto no mercado sobre um preço de mês atrás—mínimo, também. Minha irmã é o agente imobiliário que listou isto. Laura quis vender isto rápido, e o fato é, ela moveu até antes dele vendido. Ela era canteiro seus anuários do verão um dia e pratos de embalagem a próximos."

      "Isto é estranho, não é?" Max comentou. "Ela menciona por que?"

      "Bem, ela disse que sua mãe em Flórida estava doente, seriamente mal, e ela estava movendo abaixo lá para a cuidar de. Ela viveu ao lado por três anos, e eu não lembro de seu já mencionando sua mãe. Seu filho e meu mais velho tocado junto. Ele é um menino doce, seu Nate. Quieto. Eles estavam ambos quietos. Era agradável para meu Matt ter um amigo da casa ao lado, e Laura era fácil entender-se com. Eu sempre pensei que ela veio de dinheiro entretanto."

      "Não é?"

      "Só um sentimento. E ela trabalhou de meio período em um upscale presente loja no centro comercial. Ela não podia ter disposto a casa, o carro, o estilo de vida, se você souber o que eu quero dizer, em seu salário. Ela disse a mim que ela entrou em uma herança. É engraçado que ela entrou em dois, não é?"

      "Ela disse a você onde em Flórida?"

      "Não. Flórida justa, e ela estava em um rasgar corre para conseguir ida. Vendida ou doou a muitas suas coisas, e do Nate, também. Parou de trabalhar seu carro e fechado com fecho. Ela deixou que . . . eu acho que é três semanas atrás. Pequenas melhores que isto. Ela disse que ela chamaria quando ela era povoada, mas ela não tem. Era quase como ela estava indo embora."

      "De?"

      "Eu sempre—" Ela se corta fora de, de olhos eles ambos um pouco mais cautelosamente. "Você está certo que ela não está em apuros?"

      "Não conosco." Max enviou fora um brilhante sorriso na frente de Jack poder falar. "Nós somos só pagos a propriedade de Hanroe achar os beneficiários e confirmar identificação. Você pensa que ela está em apuros?"

      "Eu não posso imaginar como, realmente. Mas eu sempre figurei um homem—ex-marido—em algum lugar no fundo, sabe? Ela nunca datada. Não uma vez desde que ela tem estado aqui. E Laura nunca conversou sobre pai do Nate. Nem fez Nate. Mas, a noite antes dela listar a casa, eu vi um sujeito vir por. Dirigiu em cima em um Lexus, e ele estava levando uma caixa. Todo embrulhado com um arco, como um presente do aniversário, mas ele não era aniversário do Nate, ou Laura é qualquer um, no que diz respeito a esse assunto. Ele só ficou mais ou menos vinte minutos. Próxima manhã, ela chamou minha irmã e pôs a casa no mercado, deixe seu trabalho, e agora que eu penso sobre isto, ela manteve Nate casa da escola pela semana que vem."

      "Ela disse a você que sua visita era?" Jack fez a pergunta sociável, como se eles estivessem todo fora aqui apreciando o tempo de fonte e atirando a brisa. "Você deve ter perguntado. Alguém seria curioso."

      "Para falar a verdade não. Eu quero dizer, sim, eu mencionei que eu vi o carro. Ela acabou de dizer que era alguém que ela costumava saber e clammed em cima. Mas eu penso que era o ex, e ela totalmente freaked. Você só não vende sua casa e sua mobília e vai embora aquele modo porque doente da sua mãe. Eh, talvez ele ouviu sobre esta herança e estava tentando lisonjear seu modo atrás assim ele podia dinheiro. As pessoas podem ser tão baixas, sabe?"

      "Eles certamente podem. Obrigado, Sra. Portão." Max ofereceu uma mão. "Você tem sido muito útil."

      "Se você a achar, diga a ela que eu realmente gostaria ela de chamar. Matt falta Nate algo feroz."

      "Nós faremos isto."

      "Ele chegou a ela," Jack disse como eles começaram de volta para o carro de aluguel.

      "Oh sim, e eu não penso que existia um presente do aniversário na bonita caixa. Ela está correndo." Ele olhou de relance atrás na casa vazia. "Correndo dele, correndo com os diamantes, ou ambos?"

      "Mulher corre assim é assustada," era opinião do Jack. "As chances são ainda que ele esvaziasse os diamantes nela para custódia, ela até não sabe que ela pegou eles. A tripulação não é um homem para confiar qualquer um, especialmente uma ex-esposa. Isto é meu empreende isto. Então . . . nós estamos indo para Flórida trabalhar em nossos bronzeados?"

      "Ela não está em Flórida, e nós estamos voltando para Maryland. Eu levantarei sua trilha, mas eu tenho um encontro com um bonito ruiva."

 

      "Você dirigirá." A tripulação trocou a arma de fogo de rim do Laine para a básica de sua espinha. "Eu tenho medo que você terá que subir sobre. Faça isto depressa, Sra. Tavish."

      Ela podia gritar, ela podia correr. Ela podia morrer. Morreria, ela corrigiu como ela se abaixou no passageiro acomoda, manobrado acima do centro consola. Desde que ela não estava disposta a morrer, ela teria que esperar por uma chance razoável de fuga.

      "Cinto de segurança," Tripulação lembrou a ela.

      Como ela desenhou isto ao redor para assegurar, ela sentiu o amontoar de sua telefone celular em seu bolso deixado. "Eu precisarei das chaves."

      "Claro. Agora, eu vou advertir você uma vez, só uma vez. Você dirigirá normalmente e cuidadosamente, você obedecerá as leis de tráfico. Se você fizer qualquer tentativa para desenhar atenção, eu atirarei em você." Ele a deu as chaves. "Confiança mim nisto."

      "Eu faço."

      "Então vamos iniciar. Encabece em viagem e leve Sessenta e oito, leste." Ele trocou seu corpo assim ela podia ver a arma de fogo. "Eu não gosto de ser dirigido, mas nós faremos uma exceção. Você devia ser agradecido para seu cachorro. Se ele não tivesse estado atrás, nós sairíamos aquele modo e você estaria tomando este passeio no tronco."

      Deus abençoa você, Henry. "Eu prefiro esta posição." Como ela dirigiu que ela considerou, e rejeitado, a idéia de solo o gás ou tentando chicotear a roda. Talvez, só talvez, aquele tipo de ação heróica trabalhada no cinema, mas balas de filme eram branquear.

      O que ela precisou fazer estava de alguma maneira deixava uma trilha. E fique vivo longo suficiente para alguém seguir isto. "Você era o que Willy assustado em chocar-se com a rua?"

      "Uma daquelas torções de destino ou contagem de tempo ou má sorte justa. Onde estão os diamantes?"

      "Esta conversação, e minha existência, ambos seriam acima de muito depressa se eu dissesse a você."

      "Pelo menos você é brilhante suficiente não fingir que você não saber o que eu estou conversando sobre."

      "O que seria o ponto?" Ela sacudiu um olhar no rearview espelho, deixe seus olhos alargarem, então deslizaram seus olhos em direção a isto novamente. Era suficiente ter ele girando sua cabeça, olhando para trás. E quando ele fez, ela imergiu suas mãos em seu bolso, tocados seus dedos acima dos botões, rezando que ela estava corretamente contando, e bata o que ela esperou era Redial.

      "Olhos na estrada," ele estalou.

      Ela agarrou a roda com ambas as mãos, apertadas uma vez e pensadas, Atendam o telefone, Max, atenda o telefone e escute. "Onde nós estamos indo, Sr. Tripulação?"

      "Só dirija."

      "Sessenta e oito Leste é uma estrada longa. Você está adicionando rapto interestadual para sua lista?"

      "Dificilmente faria o topo disto."

      "Eu acho que você seja certo. Eu dirigiria melhor se você não estivesse apontando aquela arma de fogo em mim."

      "O melhor você dirigir, a menos chance existir isto sairá e porá um buraco feio em sua muito bonita pele. Verdadeiro redheads—como eu assumo que você é, dado seu pai—tem tal pele delicada."

      Ela não quis que ele pensando sobre sua pele ou pondo buracos nisto. "Jenny vai enviar fora um alarme quando eu não voltar."

      "Será muito tarde para fazer qualquer diferença. Fique no limite de velocidade."

      Ela acelerou que ela bate sessenta e cinco. "Pickup bom. Eu nunca dirigi um Mercedes. É pesado." Ela correu um dar sua garganta como se nervosa e murmúrio. "Liso entretanto. Pareça com carro do diplomata ou algo. Sabe, sedan de Mercedes Preto."

      "Você não me distrairá com conversa fútil."

      "Eu estou tentando distrair eu mesmo, se você não se importar. É a primeira vez que eu fui seqüestrado sob a mira de arma. Você arrombou minha casa."

      "E se eu achasse minha propriedade, nós não estaríamos tomando esta pequena viagem junta."

      "Você fez um inferno de uma bagunça."

      "Eu não tive o luxo de tempo."

      "Eu não suponho faria algum bom para assinalar que você já tem metade do tomar quando o negócio era um quarto? E dizer aquele uma vez que você fica passado, oh, diga, dez milhões, o resto é supérfluo."

      "Não, não iria. Você tomará a próxima saída."

      "Três vinte e seis?"

      "Sul, para Um quarenta e quatro Leste."

      "Certo. Certo. Três vinte e seis Sul para Um quarenta e quatro Leste." Ela olhou de relance acima de. "Você não parece com o tipo de homem para gastar muito tempo em florestas do estado. Nós não estamos indo acampamento, não é?"

      "Você e seu pai consideravelmente me incomodaram, e adicionado a minhas despesas. Ele pagará por isto."

      Ela seguida suas direções, cuidadosamente repetindo eles. Ela teve que acreditar que o telefonema para Max foi aprovado. Que baterias do seu telefone estavam ainda em cima, que ela não saiu de alcance.

      "Parque de Recreação de Alleghany," ela disse como ela desligou o macadam e sobre pedregulho em instruções da Tripulação. "Realmente não ajusta o Mercedes."

      "Tome o garfo deixado."

      "Cabanas. Rústico, privado."

      "Agüente direito."

      "Muitas árvores. Pista de Deerwalk. Atraente. Eu estou sendo seqüestrado para uma cabana em Pista de Deerwalk. Só não soa ameaçando suficiente."

      "A última, na esquerda."

      "Boa escolha. Completamente abrigadas pelas árvores, apenas dentro de visão da próxima cabana."

      Ela teve que desligar o telefone. Ele acharia isto, ela pensou. Ele estava destinado a achar isto, e se estivesse em quando ele fez, ela perderia até aquela vantagem esbelta.

      "Desligue o carro." Ele bateu ele em Estaciona ele mesmo. "Dê-me as chaves."

      Ela obedeceu, girando sua cabeça, encontrando seus olhos, segurando eles. "Eu não pretendo fazer qualquer coisa que me consegue atirado. Eu não vou ser valente ou estúpido." Como ela falou, ela deslizou sua mão em seu bolso, correu seu dedo polegar acima dos botões e empurrou Fim.

      "Você pode começar subindo fora deste modo." Ele abriu a porta em suas costas, deslizou fora. A arma de fogo permaneceu apontado em seu coração como ela hefted seus quadris acima do consolar.

      "Agora, vamos ir do lado de dentro." Ele a cutucou adiante. "E conversa."

 

      Ele compensou tempo, Max pensou como ele andou a passos largos através do término em direção à saída. Ele poderia levantar Laine de do Jenny depois que ele guardou Jack. Ele não achou isto a melhor idéia para tomar seu sogro futuro para a casa do policial.

      O problema estava o confiando.

      Ele olhou de relance atrás, Jack Notado estava ainda vestindo uma cor doentia de verde. Eles pegaram um avião de suporte fora de Columbus para o local municipal, e Jack tinha variado sombras de verde desde partida.

      "Odeie aquela lata pode—lata pode com asas, isto é tudo que eles são." Sua pele estava ainda cintilando com suor como ele se debruçou contra o capuz de carro do Max. "Precise conseguir minhas pernas debaixo de mim."

      "Consiga eles debaixo de você no carro." Porque ele sentiu alguma condolência, ele abriu a porta, Jack Ajudado povoar seu tamanho do lado de dentro. "Você vomita em meu passeio, eu vou chutar seu traseiro. Só PARA SUA INFORMAÇÃO."

      Ele arredondou o capuz, chegou atrás da roda. Ele figurou Grande Jack podia falsificar toda maneira de enfermidades, mas ele levou mais talento que ele podia possuir mudar cor. "Aqui é o que mais vai acontecer. Eu estou tomando você para do Laine, e você está ficando lá até que eu volte com ela. Você decola, eu acharei você, arrasta você de volta e bato você insensato com uma vara. Claro nisto?"

      "Eu quero uma cama. Tudo que eu quero ser uma cama."

      Divertiu, Max voltou fora de seu estacionamento encaixa. Lembrando de seu telefone, ele cavou isto fora de seu bolso. Ele teve que desligar isto durante o vôo. Comutação ele atrás em, ele ignorou o buzinar que disse a ele que ele teve verbalizou correio e chamou Laine, cela para cela. Ele ouviu sua voz registrada dizer que ele deixe uma mensagem.

      "Eh, bebê, eu volto, encabeçando fora do aeroporto. Precise fazer uma parada, então eu serei por levantar você. Preencha você quando eu vir você. Oh, conseguidas algumas coisas para você. Mais tarde."

      Jack falou com seu voltar, seu fim de olhos. "É perigoso para dirigir conversando em uma daquelas coisas."

      "Feche, Jack." Mas porque ele concordou, Max começou a pôr de lado isto, quando ele buzinou para um entrante. Certo ele era Laine, ele respondeu. "Você é rápido. Eu era Vince justo?"

      Quando medo saltou como uma bola de gelo em sua barriga, ele chicoteou o carro ao lado da estrada. "Quando? Para causa do Cristo, isto é mais que uma hora atrás. eu estou a caminho."

      Ele lançou o telefone no consolar, esmurrou o gás. "Ele a pegou."

      "Não, não, isto não é verdade." Até a doentia verde diminuiu, deixando branco de osso de rosto do Jack. "Ele não pode a ter, não minha menina de bebê."

      "Ele a conseguiu fora da loja logo após cinco horas. Vince pensa que eles estão em um sedan escuro. Umas pessoas viu ela entrar em um carro com um homem, mas ele não tem uma boa descrição do veículo." Ele teve o Porsche até noventa. "Jenny pegou uma boa descrição do sujeito. Cabelo marrom longo, rabo-de-cavalo, remendo de alma, óculos de sol. Macho branco, quarenta e cinco a cinqüenta, de seis