Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

  

 

Planeta Criança



Poesia & Contos Infantis

 

 

 


Rimance da Menina da Roça / Viriato da Cruz
Rimance da Menina da Roça / Viriato da Cruz

 

 

Biblioteca Virtual do Poeta Sem Limites

 

 

Rimance da Menina da Roça

 

A menina da roça está no terreiro cosendo a toalhinha pró seu enxoval... - “ Que céu tão lindo!, e o encanto da mata!... Ai, tanta beleza no cafezal...”

A menina da roça terá poesia terá poesia nos olhos de mel?

A menina da roça chega à janela e na estrada branca a vista alonga... - “É o carro a vir?” Não... é o bater compassado do aço de enxadas dos negros na tonga...

A menina da roça tem é um namoro tem um namoro com um motorista

A menina da roça veio à varanda e os olhos erra no verde à toa - “Está ele a chegar?!” Ah... são negros pilando dendém para azeite na grande canoa

(Prucutum, lá do telheiro, vai chamar o meu amor)

A menina da roça acorda à noite ouviu um barulho na escuridão - “O carro chegou!...” Oh... é o pulsar apressado do seu coração

(Por que bates tão depressa, coração alucinado? Coração alucinado, espera que o dia amanheça)

- “Já viu a minina?...” “Hem... tem cor marela do mburututu...” - “E não come nem nada...” - “E os olhos de mel tão-se afundar num lago azul que faz sonhar...” Conversam as negras à boca apertada

(minha dor, ninguém a saiba – não há peito em que ela caiba)

A menina da roça escuta dorida a triste canção que vem do rio

Que vem do rio? – Que vem do peito: baixinho, lá dentro, chora de amor o coração.

Menina da roça – águas do rio saudades da fonte... desejos de amar.

 

                                                                                            Viriato da Cruz

 

 

Carlos Cunha        Arte & Produção Visual

 

 

Planeta Criança                                                             Literatura Licenciosa