Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

  

 

Planeta Criança



Poesia & Contos Infantis

 

 

 


Janet Dailey
Janet Dailey

Janet Dailey

 

 

Janet Dailey ocupa uma posição invejável no mundo dos best sellers: seus romances atingiram a faixa dos noventa milhões de exemplares, traduzidos em dezessete idiomas e noventa países. É a quinta escritora mais lida do mundo. À sua frente, estão Harold Robbins, Barbara Cartland, Irving Wallace e Louis L'Amour.

Nascida em 21 de maio de 1944, na pequena cidade de Storm Lake, em Iowa, Janet sonhava em escrever desde a adolescência. Formou-se em secretariado e começou a trabalhar para Bill Dailey, um bem-sucedido empresário do ramo imobiliário e de construção. Em 1964, casaram-se. Ao mesmo tempo, Bill ampliava seus negócios para a exploração de petróleo. Em 1974, Bill resolveu aposentar-se e vendeu tudo o que tinha.

O casal começou a viajar através dos Estados Unidos, num trailer. Janet lia muito, e afirmava que poderia escrever romances tão belos como os que comprava. Desafiada por Bill, lançou-se ao trabalho, e, em pouco tempo, concluía “No quarter asked” (1976). O resultado foi um sucesso imediato. Nesse mesmo ano, escreveu doze livros. Essa produção espantosa deve-se a uma rigorosa disciplina de trabalho: Janet começa a escrever às quatro da manhã e encerra seu expediente às cinco da tarde.

Seu marido trabalha, com entusiasmo, como seu agente editorial, e realiza também o trabalho de levantamento do ambiente onde a história vai transcorrer: desde a localização de ruas e prédios até decoração de hotéis e restaurantes. Os dois traçaram um plano divertido: entrar para o “Guines Book of World Records”. Para isso, Janet terá que escrever um romance passado em cada Estado norte-americano.

Em cinco anos e meio, Janet Dailey publicou sessenta e dois títulos. Seus livros estão impregnados de uma atmosfera sentimental, à qual ela acrescenta situações perigosas e um toque de erotismo. Os protagonistas são, em geral, uma jovem bela e inocente e um homem forte e experiente. Uma fórmula que tem dado certo, como prova a quantia de um milhão de dólares que a autora recebe por ano de sua editora.

 

 

A CARÍCIA DO VENTO

 

 

Carlos Cunha        Arte & Produção Visual

 

 

Planeta Criança                                                             Literatura Licenciosa