Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese

  

 

Planeta Criança



Poesia & Contos Infantis

 

 

 


O COMEÇO DE UMA SAGA / Bruno Gomes
O COMEÇO DE UMA SAGA / Bruno Gomes

                                                                                                                                                   

                                                                                                                                                  

 

 

Biblio "SEBO"

 

 

 

  

        Angels seria uma história qualquer de Anjos e demônios se não fossem um pequeno e único detalhe.

        O segredo de um Ex-Arcanjo chamado Izacael, faz com que Deus, O Eterno desapareça deixando Céu, Terra e Inferno a mercê de uma guerra catastrófica.

        Como se não bastasse isso os Objetos que Deus usou para Sua Manifestação Divina entre as Dimensões voltaram com os seus poderes normais, e “Quatro” desses Objetos são “Pedaços do Poder de Deus” que são os Objetos que Ele usou para Manifestar Seu Poder ao Homem: A Vara de Moisés, A Arca da Aliança, A Lança de Jesus e o Anel Papal.

        Isso faz com que desperte a cobiça de Abdon, braço Direito de Lúcifer e Chefe da Encruzilhada, que anseia juntar os Quatro Objetos que são Pedaços de Deus, e assim governar no Trono das Dimensões como Deus Absoluto Acima de Tudo, e junto com o Chefe da Sedução do Inferno, Lilith e o Arcanjo Traidor do Céu Uriel, vão começar uma caçada incansável em busca de poder e em busca de reinar no lugar de Deus que havia desaparecido.

        Começa então uma saga que une aventura, mistérios, segredos, revelações e traições, uma história cheia de ação e aventura, começa uma saga, começa Angels.

 

 

 

 

                          O COMEÇO DE TUDO

        No princípio criou Aquele que tem vários nomes: Deus, O Eterno, Força Maior, Yahweh, Javé, Jeová, Pai, sendo assim para “Aquele” que tem vários nomes chamarei de “O Eterno”.

       Então no princípio criou O Eterno, todas as Dimensões e os Céus; criou todos os Anjos para serem seus filhos celestiais; criou eles por hierarquia: Arcanjos, Serafins, Querubins, e os demais Anjos. Os Serafins seriam responsáveis por queimar incenso na presença gloriosa do Eterno, os Querubins seriam responsáveis por guardar toda a entrada e saída de Sua Presença e também guardariam todas as Dimensões criadas pelo Eterno, mas existiam os mais poderosos de todas as classes já criadas, que eram os Arcanjos ou Querubins Ungidos, da qual criou Nove cujo seus nomes eram:

       Lúcifer, Izacael, Miguel, Gabriel, Raphael, Uriel, Ezequiel, Joquiel, Jadson.

       Eles foram criados para render louvor e adoração ao Eterno, eram aqueles que assistiam a presença Dele em todo tempo e tinham passe livre para transitar entre todas as Dimensões e eram muito temidos por onde quer que andassem, seus poderes não se igualavam a nenhuma outra Classe Hierárquica de Anjos e também por nenhuma criatura criada pelo Eterno.

       Então assim criou o Eterno todas às coisas que existiam no Céu, deu liberdade para os seus Anjos a visitarem e transitarem por todas as Dimensões criadas por Ele. Entre todas as dimensões, Ele escolheu a Terra para mostrar toda a sua magnitude, glória e graça, a Terra, porém era sem forma e vazia e o Espírito do Eterno se movia sobre a face das águas, então disse o Eterno:

       - Haja Luz – E houve luz naquela mesma hora. Então chamou o Eterno chamou aquela luz de dia e a escuridão de noite e foi tarde e manhã no primeiro dia da Terra, separou o Eterno o Céu do Mar, e disse: Produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus, e o Eterno criou as grandes baleias, e todo o réptil de alma vivente que as águas abundantemente produziram conforme as suas espécies; e toda a ave de asas conforme a sua espécie; e viu o Eterno que era bom, e o Ele os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, enchei as águas nos mares; e as aves se multipliquem na terra.

       Escolheu, pois o Eterno a criar o Homem, para que pudesse agir com o seu poder e mostrar a sua manifestação do poder divino, creio que tenha sido uma das coisas mais “malucas” que o Eterno fez e como Ele é Onisciente então assim o fez, criando o Homem a Sua própria Imagem e Semelhança obrigou para que todos os Anjos criados pudessem contemplar a maior beleza já criada por Ele, “o Homem”.

       Foi ai que começou a grande e terrível ofensa. Lúcifer o primeiro já criado e o mais formoso entre todos se recusa a ajoelhar e contemplar a maior beleza que o Eterno havia criado; O Homem, pois Lúcifer achava o Homem inferior a tudo que o Eterno havia criado entre as Dimensões, e então desobedece a essa ordem juntando mais alguns Anjos junto dele, Lúcifer e os demais não ajoelham perante a Imagem e Semelhança do Eterno, e Ele então se ira e acaba rebaixando Lúcifer e os outros Anjos, revertendo a situação.

       Lúcifer então de amigo passa a inimigo, e faz com que ele e os demais caia do alto Céu, até o abismo chamando de Inferno, ali Lúcifer é preso por Miguel, o Arcanjo de guerra do Céu, e é acorrentado por ele até a segunda ordem do Eterno, Lúcifer permanece ali preso e acorrentado digamos talvez por toda a eternidade os demais Anjos caíram junto com Lúcifer para o Inferno, a maldade do ex-Arcanjo ou do ex-Querubim Ungido era tanta que pela sua maldade dá a criação a todos os outros “demônios” que são agora os filhos de Lúcifer, os Anjos Caídos foram chamados de “principados”, pois foram os primeiros Anjos a caírem junto com Lúcifer e foram nomeados por Ele como Chefes dos demônios no Inferno. Lúcifer destinou regras, pois a sua vingança era sempre acabar com todos os humanos já que são a Imagem e Semelhança do Eterno. Lúcifer destinou hierarquias no Inferno já que havia se tornado o deus daquele lugar, Abdon foi escolhido entre todos os Anjos Caídos para ser o braço direito de Lúcifer já que o ex-Arcanjo não podia sair daquele lugar, pois as correntes que o prendiam foram seladas com o poder do Eterno. Cada um dos Anjos Caídos chamados por Chefes de demônios comandariam um pequeno grupo de demônios.

       Como no Inferno, o Céu também passou por mudanças repentinas quando Lúcifer caiu, o Eterno criou alguns pontos de equilíbrio das Dimensões e convocou os Oito Arcanjos restantes para as novas mudanças, mas antes disso Izacael conversa com Ele a sós, Izacael desde que Lúcifer havia caído mudou completamente parecia que não se importava mais com o Céu, o Eterno já havia notado isso e depois da convocação que fez com os Arcanjos, Izacael mais do que depressa foi até a presença do Eterno, Izacael chega até a presença do Eterno na Sala do Trono das Dimensões e se ajoelha então Ele vendo Izacael diz:

       - No que posso ser útil Izacael?

       - Posso lhe pedir algo Pai? – disse Izacael se levantando e olhando para o Eterno –

       - Pedir algo? Sabe que tem o poder para fazer tudo o que quiser meu filho, então porque pedir?

       - Isso eu não posso fazer, meu Pai, isso cabe o Senhor me conceder, pois só Tú tem esse poder – disse Izacael em tom firme –

       O Eterno fica feliz com a resposta de Izacael, sorri e diz:

       - Diga o que quiser filho, o que você pedir eu vou lhe conceder se estiver dentre dos meus limites e dentro dos limites das Dimensões – disse o Eterno sentado no Trono das Dimensões –

       Izacael se sentiu motivado, feliz e confiante tinha uma resposta, tinha um desejo desde que Lúcifer caira tinha agora não só o desejo mais tinha uma oportunidade então Izacael disse:

       - Quero me tornar um humano Pai.

       - Como disse filho?

       - Quero me tornar um humano, para sempre – tornou a repetir Izacael olhando para o Eterno – 

       O Eterno olhou para Izacael muito surpreso, olhou firmemente nos fundos dos olhos de Izacael, parecia que já não era mais um Anjo ou um Arcanjo parecia que já não era como os outros do Céu, então o Eterno encarando Izacael pelo olhar disse:

       - Porque quer se transformar em humano filho, não está satisfeito aqui no Céu?

       - Não, não é isso Pai eu estou muito satisfeito, mais simplesmente quero sentir como um humano, isso brotou em meu coração desde que eu vi o homem pela primeira vez, ele é diferente, ele é especial, ele é diferenciado entre as Dimensões, esse é o meu desejo – disse Izacael com grande certeza –

       O Eterno se levanta do seu Trono caminha até a sacada, era uma sacada alta que dava para ver todas as Dimensões criadas por ele, a Sala do Trono das Dimensões ficava bem no meio de tudo que o Eterno havia criado, Izacael vê Ele caminhando para fora em direção a sacada e fica calado esperando uma resposta, então o Eterno fica observando em baixo e diz a Izacael:

       - Venha aqui filho.

       Izacael se aproxima até a sacada e olha para baixo onde o Eterno estava olhando, era para a Terra os humanos que tanto Izacael queria ser, sem deixar Izacael dizer uma palavra diz:

       - Eles são especiais não é? Eu os amo.

       - São muito especiais Pai, eu nunca vi tanta beleza, não sei, mas eles são diferenciados – disse Izacael –

       - Você tem razão, mais se tornar um deles porque Izacael? Qual a intenção? – disse o Eterno escorado na sacada –

       - Não sei lhe dizer exatamente Pai, mas posso lhe afirmar que uma vontade brotou dentro de mim, se for possível quero me tornar como um deles.

       - Sabe que não pode fugir de ser um Anjo não é filho, o que criei; criei. Você nunca poderá deixar de ser o que literalmente é.

       - Mas pode me tornar um humano? – perguntou Izacael.

       - Posso – disse o Eterno em tom autoritário e continuando - posso permitir isso, mas a sua natureza celestial sempre estará com você filho isso não poderá fugir – disse o Eterno –

       - Eu quero Pai, irei ser humano, não vou interferir em nada, prometo, não irei usar os meus poderes e não irei mostrar minha natureza celestial, meu desejo é ser um humano, Pai, por favor – disse Izacael empolgado para ter seu desejo concedido –

       O Eterno fica olhando para Izacael e então se afasta da sacada, caminha para dentro da Sala, Izacael o segue então o Eterno senta em seu Trono e olhando para ele diz:

       - Vou conceder o seu desejo filho, será um humano, mas lembre os seus poderes não posso tirar, então haja naturalmente com um humano, você passará a ser um deles hoje só vou lhe dar algumas restrições para que vivas sem interferir no mundo celestial e nem o mundo celestial interferira com a Terra e nenhuma das outras Dimensões.

       Izacael estava muito feliz então ali mesmo antes da reunião com os outros Arcanjos na Sala do Trono das Dimensões o Eterno concedeu a Izacael tornar-se humano com seus próprios poderes, mas o Eterno deu algumas restrições importantíssimas a ele restrições essas que Izacael deveria cumprir para que pudesse ser um humano, tocou o Eterno na cabeça de Izacael e uma luz misteriosa cobriu a Sala das Dimensões naquele dia Izacael tinha ali seu desejo atendido.

       Viveu então Izacael na Terra como um humano normal, mas nunca seria um humano normal, afinal ele ainda tinha os seus poderes de Arcanjo, era uma espécie de Arcanjo Humano ou Humano Arcanjo não se sabe ao certo.

       O Eterno não parou ou mudou o seu pensamento, de usar a Terra para a manifestação do Seu poder e continuou usando o Homem para manifestar o Seu poder divino. Usou o Eterno o Homem para ação do Seu poder, usou os profetas, e todo o curso da história seria como se o Eterno estivesse presente, usou os seus Objetos de Emanação Divina para mostrar o Seu poder ao Homem e também para as Dimensões, os Objetos seriam a manifestação do Eterno para todas as Dimensões, Céu e Inferno.

       Em toda a história Izacael mesmo com os seus poderes de Arcanjo, não interferiu e nem deu as caras nos planos do Eterno, pra falar a verdade Izacael nem sequer apareceu através dos séculos foi como se tivesse desaparecido completamente da Terra, foi como se estivesse deixado de existir em algum ponto da história.

       O grande Izacael nunca aparecera na história da humanidade viveu a sua vida como um humano qualquer em algum lugar da Terra. Mais até quando Izacael ficará de fora?

        

               O DESAPARECIMENTO DO ETERNO

        O Eterno sempre reinou entre as Dimensões como Deus Absoluto Acima de Tudo, todos tinham muita reverencia a Sua Pessoa, tanto o Céu quanto o Inferno, depois do sumiço de Izacael o Eterno reuniu os seus Arcanjos para as grandes mudanças repentinas que iriam ocorrer desde a rebelião causada por Lúcifer e agora com o desejo de Izacael em se tornar humano do qual teve o seu desejo concedido todos os Sete Arcanjos aparecem para a grande reunião convocada pelo Eterno na Sala do Trono das Dimensões.

       - Meus filhos; vamos começar a nossa reunião – disse Ele sentado em seu Trono –

       Os Arcanjos estavam todos presentes até o momento nenhum deles sabia do que havia acontecido com Izacael quando Miguel o mais próximo de Izacael estava sentindo falta do seu Irmão então o Arcanjo pergunta:

       - Pai, está faltando Izacael ele ainda não chegou – disse Miguel –

       - Izacael não participará dessa reunião, meus filhos – disse o Eterno com grande certeza –

       Todos ficam estagnados, perplexos com o que o Eterno havia dito. Como Izacael não participaria da reunião pensavam os Arcanjos olhando um para o outro em silêncio, todos pensavam que após a queda de Lúcifer, Izacael iria assumir como o braço direito do Eterno, pois Izacael era o Segundo já Criado, era mais do que justo que assumiria o lugar que era de Lúcifer, mas ainda com dúvidas e não sabendo do que havia ocorrido o Arcanjo Gabriel disse ao Eterno:

       - Pai; podemos saber a causa de que Izacael não foi convocado para essa reunião?

       - Ele foi convocado – disse o Eterno para os Arcanjos –

       - Se foi convocado Pai, então porque não está presente? Já que foi uma ordem sua – disse Raphael com muita dúvida –

       O Eterno olha para os Arcanjos, e rapidamente olha para a sacada observando as Dimensões criadas, sorri e diz com os olhos fixos para a sacada:

       - Ele não é mais um de vocês.

       - Como disse? – falou Joquiel assustado –

       - O que quer dizer Pai? – disse Jadson olhando para o Pai –

       O Eterno olha para os Arcanjos e com muita alegria diz:

       - Izacael não é mais um Anjo, ele resolveu virar um humano – e olhando novamente para a sacada diz com um tom de muita alegria – e eu concedi tal desejo.

       Os Arcanjos ficaram espantados um olhando um para o outro em total silêncio naquela sala, como pode um Anjo de uma Classe poderosa virar humano, como isso é possível ninguém naquela Sala ousou falar nada para o Eterno que olhava para a sacada com um semblante muito alegre, a Sala do Trono das Dimensões permanecia em silêncio.

       Miguel era o mais espantado de todos ali, afinal Izacael foi até ele para se despedir, Miguel pensou que era brincadeira ou alguma semelhante e não havia dado ouvido o que Izacael estava falando havia lembrado o abraço de Izacael para com Miguel que se lembrava de tudo e não se contendo de curiosidade disse ao Eterno:

       - Pai, desculpe perguntar mas pode dizer por que ele fez isso?

       - Miguel, meu filho isso é um desejo do coração dele, ele foi despedir de você não é? – disse o Eterno sorrindo para Miguel – creio que Izacael sentiu vontade de se tornar um humano, e eu permiti isso, ele veio aqui antes da reunião começar veio com esse desejo, de se transformar em humano.

       - E os seus poderes Pai? – disse Ezequiel –

       - Ele não irá usá-los, Izacael entendeu o que falei para ele, creio que ele por enquanto não irá usá-los – disse o Eterno –

       - Por enquanto? Porque por enquanto? – perguntou Jadson em tom de dúvida-

       - O Eterno sorri e diz – Izacael nunca deixará de ser um Anjo, mais por enquanto ele experimentara todos os desejos de um humano, segundo ele e confio no que diz ele não vai interferir em nada, e também não quero que ninguém o procure enquanto estiver aqui, aquele que o procurar será punido, deixe-o viver em paz no tempo certo vocês irão ter que procurá-lo. Confiem em mim, e nesse tempo tudo será diferente - termina o Eterno olhando nitidamente nos olhos dos Arcanjos –

       Os presentes na reunião ficam um olhando para o outro não entendendo o que o Eterno estava querendo dizer com aquilo mas mesmo com o seu coração apertado e principalmente Miguel que era o mais próximo de Izacael na Eternidade obedeceram às ordens do Eterno, mesmo não entendendo o que queria dizer literalmente então “tentando” esquecer o fato que ocorrera com Izacael Miguel pergunta:

       - Pai, qual o motivo da reunião aqui na Sala do Trono das Dimensões?

       - Meus filhos; trouxe vocês aqui porque quero que saibam que serão nomeados com meus representantes entre as Dimensões.

       - O que fizer será bem feito Pai – disse Raphael –

       O Eterno olha pra Raphael sorri e continua:

       - Você Miguel – aponta para Miguel – será meu braço direito, será o mais poderoso do Céu nesse momento, será o Arcanjo de guerra terá um exercito de Anjos que deixarei você escolher como bem desejar, terá toda a autoridade depois de mim, tanto no Céu como entre as Dimensões e todos os Anjos, Querubins, Serafins e Arcanjos deverão temer quando for referir a você, será o mais forte em todas as Dimensões depois de mim – disse o Eterno na Sala do Trono das Dimensões –

       - Eu, estou muito grato Pai aceitarei o convite de coração – disse Miguel se ajoelhando para o Eterno que balança a cabeça e continua –

       - Você Gabriel, será o mensageiro entre as Dimensões, não vou mais visitar as Dimensões, ficarei aqui na Sala do Trono, entretanto você será o meu mensageiro direto, a mensagem que você der para qualquer um terá validade, você será a minha boca entre as Dimensões, Céu e Inferno.

       Raphael meu filho você terá a minha cura, curará todos os feridos entre as Dimensões, e principalmente na Terra, terás o meu poder de curar segundo a minha ordem, serás importante para o equilíbrio das Dimensões mas serás mais importante para o equilíbrio da Terra, você levará cura para os humanos em meu nome. Uriel meu filho, você será a destruição entre as Dimensões e agirá segundo a minha ordem lembre-se que ás vezes que você cria talvez não possa ter sido a coisa certa então é necessário que você destrua para reconstruir, estou te ungindo como meu destruidor entre as Dimensões, mas lembre-se muito bem dessas palavras, agirá somente sob minha ordem, não deixe que essa destruição tome conta do seu interior, pois o dia em que ela tomar conta dentro de si mesmo, você sofrerá serias conseqüências mais cedo ou mais tarde e verá que não adiantou desobedecer as minhas palavras. Joquiel e Jadson tenho uma tarefa de grande importância para vocês meus filhos, vocês serão o lacre de profecia das Dimensões serão os protetores da arma profética, não se assustem com o que eu estou falando, vocês podem não entender por enquanto mais tarde no decorrer do tempo entenderão, protejam o lacre e não deixe ele cair em mãos erradas, mesmo que ás vezes vocês tenham que proteger com a própria vida, sei que não podem morrer mais estou dizendo que fiquem em alerta o tempo pode mudar de repente.

       Meus filhos cada um de vocês terão grande importância para mim cada um terá uma tarefa – termina de dizer o Eterno –

       - E eu Pai, esqueceu de mim? – disse Ezequiel –

       - De maneira nenhuma meu filho Ezequiel, você será importante para mim, usarei você agora, andará todo o tempo comigo, terei que fazer algumas coisas em breve e você virá e analisará as coisas que farei, saberá de tudo o que eu fizer você já poderá ficar comigo aqui na Sala do Trono das Dimensões os outros, por favor, se retirem e cumpram os seus papéis que ordenei, essa é a minha ordem a vocês – termina de dizer o Eterno –

       Os Arcanjos com muita reverência ao Eterno saem de Sua Presença e começam a obedecê-lo os Querubins tomavam conta de todas as Dimensões com exceção de Hunatel o Líder dos Querubins e mais alguns Querubins escolhidos por ele tomavam conta do Portal das Dimensões que dava acesso a Sala do Trono das Dimensões o lugar majestoso que estava o Eterno.

       Em toda a eternidade Ele regia todas as Dimensões, os Arcanjos obedeciam às ordens do Eterno, o momento era de perfeita tranqüilidade em toda a Dimensão, o Eterno manifestando o seu poder ao homem, como ele mesmo havia decidido, o tempo passa, as coisas em perfeita harmonia, quando o Eterno de uma hora para outra dá uma ordem um quanto esquisita para Ezequiel que sempre ficava com ele:

       - Ezequiel.

       - Sim, Pai o que deseja?

       - Mande um recado para Gabriel, diga para ele avisar a Hunatel para retirar imediatamente os Querubins da guarda das Dimensões, mande também avisar a Hunatel para se retirar do Portal do Trono das Dimensões, creio que não será mais preciso guardá-lo, por favor, vá e faça isso meu filho, rápido.

       Ezequiel percebe que havia algo diferente com o Eterno isso foi de uma hora para outra, então sem dizer nada Ezequiel se retira rapidamente da presença do Eterno, e dá a mensagem para Gabriel que a repassa rapidamente para Hunatel que obedece imediatamente, os Arcanjos acham estranho a atitude de retirar a guarda das Dimensões, então enquanto todos estavam querendo saber do que se tratava, acontecesse uma coisa inusitada o Portal das Dimensões é mudado de lugar pelo Eterno, todas as Dimensões menos a Terra é fechada, e quando os Anjos vão procurar o Eterno para saber o que estava ocorrendo, a presença do Eterno desaparece repentinamente diante de todos. Abalados pelos acontecimentos os Anjos do Céu ficam sem chão e muito atemorizados não sabem o que fazer, ficam como se tivessem perdidos, as únicas Dimensões abertas, eram o Céu, Terra e Inferno, assim como o Céu o Inferno também sente a falta da presença do Eterno e ambas as Dimensões ficam sem saber o que acontecera.

       Enfim não se sabia o que havia ocorrido a única certeza que tinham era o medo que pairava sobre o Céu, e uma dúvida sobre o porquê o Eterno deixou tudo e sumiu repentinamente, com certeza algo iria acontecer ou melhor algo já estava acontecendo.

        

                      O ARCANJO HUMANO

A vida de Izacael era como um humano normal, até ele sentir que algo estava fora do controle, pois creio que como não era um humano por completo, mas sim um humano com seus poderes de Arcanjo, Izacael logo percebeu que a presença de seu Pai O Eterno havia sumido, tentando esconder quem era e não havendo pra onde fugir de uma catástrofe Celestial, Izacael se afasta das pessoas que mais ama, e tenta fazer o que todo homem faz: buscar ajuda divina. Mesmo em seu coração sabendo que não havia a quem recorrer e que a qualquer momento a Terra poderia ser atacada pelos anjos ou demônios, Izacael tem em seu coração de humano rezar pela intervenção divina.

       Na pacata Cidade de Dracena, na Igreja Central daquela pequena Cidade, Izacael se aproxima numa tarde cinzenta de sexta feira, e sobe as escadarias daquela igreja e entra com seu coração de humano abatido, naquele momento havia poucas pessoas ali presentes, não havia missa nem tampouco havia sacerdotes no interior da igreja, Izacael anda pelo corredor central com passos curtos, olhando toda a igreja e em seu coração sentindo um aperto muito grande, andando até o altar e olhando por todo lado vendo as estatuas de vários santos.O lugar era agradável para uma reflexão, mas em seu interior Izacael sentia que a presença do seu Pai havia desaparecido completamente - por um momento Izacael levou a pensar - Como estariam os seus “irmãos”? Os outros anjos e arcanjos como estariam se comportando? Como estariam agindo depois desse desaparecimento do Eterno?- Foi a primeira vez depois de milênios que Izacael pensava como arcanjo e pensava em seus “irmãos” os outros anjos –Izacael ainda levou seu pensamento mais além pensou quando era um Arcanjo e seu Pai pediu para ser seu braço direito logo após a queda de Lúcifer, pensou exatamente como fora aquele dia em que seu irmão Lúcifer foi expulso do céu por querer ser igual ao Eterno seu pensamento se elevou ainda mais vendo toda a história passar pela sua cabeça foi como se Izacael, tivesse sentindo um grande aperto, foi a primeira vez que pensou em usar seus poderes e encontrar com seus irmãos e abraçá-los e dizer – Eu estou aqui, estou vivo vamos procurar nosso Pai, vamos nos acalmar – Que tolice repensou Izacael, eu escolhi isso falava consigo mesmo, eu sou um humano não um anjo, eu devo pensar e agir como um humano, repensou Izacael.

       E no meio do corredor daquela Igreja, Izacael olha o altar, olha a imagem de Jesus no centro do altar seu coração fica apertado angustiado e Izacael, logo se aproxima do altar e ali reza pedindo a orientação do Eterno, mesmo sabendo que Ele tinha desaparecido com seu coração angustiado o Arcanjo Humano diz:

       - Meu Pai, aqui é o seu filho meio anjo e meio humano, ou Arcanjo, eu não sei como me referir a Ti, eu me escondi de tudo e todos, mas estou com o meu coração angustiado, escuta-me, sou eu Izacael seu filho, por favor, apareça para mim, preste atenção ao que estou dizendo, vem em meu auxilio e alivia o meu coração.

       Izacael estava totalmente angustiado, como pode um Arcanjo, ou um Querubim Ungido do Eterno rezar ao invés procurar com seus poderes o Eterno?

       Mas Izacael havia colocado uma coisa em seu coração desde que caiu na Terra como um humano, ele colocou em seu coração que jamais usara seus poderes, afinal ele quis ser um humano.

       Estando rezando e em total concentração, sente um toque em seus ombros olhando pra trás um homem bem alto, meio magro, de barba branca, vestido com roupas religiosas, aquele homem diz a Izacael: - Ninguém pode ser o que não é por muito tempo. - Quem é você - Respondeu Izacael Eu sou o Frei desta igreja e senti que você tem algo pra confessar, sinto que você está com um fardo muito grande em seus ombros, sinto que está a ponto de explodir.

       Eu não - questionou Izacael- Simplesmente vim até aqui pra me achar com Deus, buscar a Ele se é que Ele ainda se importa comigo respondeu Izacael com uma profunda angustia.

       Em meio a risos o Frei responde é claro que ele se importa com você filho, Deus se importa comigo também, e mais Ele se importa com todos que Ele Criou, às vezes temos que fazer coisas que não queremos. Não escolhemos ser o que somos – disse o Frei olhando nitidamente nos olhos de Izacael - Deus escolheu para nós ser o que somos, pois ele é o Dono de tudo, siga o seu destino filho, os seus segredos Ele sabe, mas o que interessa é que você é escolhido por Ele - disse o Frei em tom de autoridade e olhando firmemente nos olhos de Izacael que estava ajoelhado de frente ao altar e continuando olhando em seus olhos o Frei termina - Agora com licença tenho q me preparar para a missa de logo mais – E virando pra trás e dando um passo para se retirar Izacael diz:

       - Qual é o seu nome?

       - Eu? Disse o Frei parado de costas para Izacael.- Em meio a risos o Frei da meia volta olhando novamente para Izacael ele responde em tom manso mais firme:

       – Filho você não sabe que é uma tremenda falta de respeito saber o nome de um escolhido de Deus? - Nesse mesmo momento Izacael olha para o Frei e seu pensamento simultaneamente é - E você sabe quem sou eu? Pensou Izacael. Eu era um Arcanjo, eu vi o próprio Deus, toquei Nele conversei com Ele, você somente o conhece de nome de fama, de fé, eu assisti sua presença na eternidade – pensara Izacael -aquilo veio na língua de Izacael, mas ele engoliu a seco e antes mesmo de responder de volta, o Frei disse:

       - Eu sou somente um sacerdote de Deus dessa velha Igreja, disse o Frei com uma voz de cansado.

       - O Senhor é esquisito. Insistiu Izacael.

       - Eu? Eu não - apelou o Frei - Já vi e ouvi muitas coisas e também já guardei muitas coisas.

       - O Senhor é cheio de segredos - continuou Izacael querendo tirar alguma coisa daquele estranho Frei.

       - Não sou eu que escondo segredos não é filho? - Disse o Frei olhando novamente no fundo dos olhos de Izacael.

       -Creio que você também tem os seus segredos, e isso te incomoda e muito. Disse o Frei esperando a reação de Izacael.

       Izacael ficou um bom tempo em silêncio parecia como se aquele estranho Frei tivesse amarrado a sua boca, então dado alguns segundos, Izacael se levanta e olha profundamente nos olhos daquele Frei e diz:

       - O Senhor tem razão eu tenho os meus segredos, preciso me esconder mas aonde?Eu passei a vida inteira me escondendo, cometi erros que não podia ter cometido mas agora já é tarde o que fiz; fiz.

       - Aquele Frei colocou a mão sobre os ombros de Izacael e disse - Você é um humano filho! Um humano, peça perdão a Deus e Ele ti perdoará afinal Ele perdoa todos os humanos que se arrependem de coração, a não ser que você não seja humano - disse o Frei a Izacael -Você é humano filho? Continuou o Frei.

       - Claro que sim - disse Izacael assustado e rapidamente pergunta ao Frei – Por quê? Pareço não ser? Questionou Izacael

       - Que pergunta mais tola, foi a minha, me desculpe filho, a natureza humana está sobre você; você é um humano então lute contra tudo o que vier e proteja todos os seus erros filho, eles serão a chave para o fim desse medo que hoje você está sentindo – Disse o Frei olhando firmemente para Izacael-.

       - Agora com licença tenho que ir preparar a missa de logo mais.

       Gostei muito de falar com o Senhor - Disse Izacael -Posso vim aqui mais vezes?

       - Filho! - Disse o frei - Aqui você pode vim quantas vezes quiser, mas receio que não virá me ver, eu quero que quando vier aqui venha para ver e conversar com Deus, mas pode conversar com Ele onde você estiver afinal. Ele está em qualquer lugar - Disse o frei.

       - Eu já não posso afirmar isso - Indagou Izacael - Não o senti aqui e também não o sinto em nenhum lugar.

       - Eu o sinto - Disse o Frei com tom de autoridade - Ele se faz presente aqui, e pede para que você proteja os seus erros, pois, torno a repetir eles serão o destino final de tudo isso, uma tempestade se aproxima filho e você está bem no meio dela, proteja com todas as garras os seus erros- O Frei ri e continua - Ninguém pode ser o que não é por muito tempo. Finalizou o Frei.

       Izacael fica calado e pensativo por algum tempo, como um Frei ou humano pode ser tão sábio?

       - O Senhor tem muita sabedoria para um simples...

       Humano? Disse o frei. Não! Eu não sou tão sábio assim digamos que eu simplesmente falo aquilo que eu sinto, é um Dom de Deus que foi dado para mim, agora já fiquei muito tempo aqui, tenho que me retirar. Adeus filho - Disse o Frei andando apressado no corredor da igreja.

       - Voltarei aqui se precisar de um conselho do Senhor - Disse Izacael.

       - Filho! – Disse o Frei no meio do corredor da Igreja e ainda de costas para Izacael. Não precisa vir creio que nos veremos em breve, muito em breve, só uma última coisa – O Frei virando novamente para Izacael fala - Aproxime de Deus e Ele se aproximará de você.

       Izacael então absorve aquelas palavras pra si em Silêncio e o Frei apressado diz:

       - Se cuida filho.

       - Porque nos veremos em breve? - Quis saber Izacael.

       Por quê? - Disse o Frei rindo novamente para Izacael- Porque o nosso destino é nos encontrarmos em breve, leve isso com você– disse o Frei tirando um crucifixo do seu pescoço entregou nas mãos de Izacael e terminou:

       - Servirá pra proteger o seu segredo, se cuida filho- Piscando um dos olhos para Izacael aquele estranho Frei se retira. O Silêncio toma conta na igreja naquela tarde cinzenta de sexta feira.

       Izacael saiu dali com duas coisas em mente a primeira era que aquele Frei havia deixado mais calmo em relação à guerra que possivelmente iria se iniciar e a segunda é que aquele crucifixo que Izacael acabara de pendurar em seu pescoço não era feita por mãos humanas.

       Mas Izacael tinha em seu coração continuar a guardar o segredo a qualquer custo, tudo o que faria era apenas esperar, o momento.

        

         O BRAÇO DIREITO DE LÚCIFER E A CHEFE DA SEDUÇÃO

       Após o sumiço do Eterno, o Inferno continuou a fazer o que sempre fazia, tentar desviar os humanos do caminho da Salvação, mas um pouco antes de desaparecer o Eterno desce até o Inferno e conversa a sós com Lúcifer; foi uma conversa rápida, e logo após essa conversa Lúcifer havia mudado radicalmente após o sumiço de Deus, as correntes divinas, colocadas pelo Arcanjo Miguel no dia da queda de Lúcifer do Céu para o Inferno perderam o efeito se tornaram correntes como uma outra qualquer. Mas agora que Lúcifer estava livre, parecia que ele não estava interessado na guerra, ele não chama os seus demônios e nem os chefes para conversar sobre um plano para tomar o Trono das Dimensões, já que se tornara o mais forte após o sumiço do Eterno. Até o Céu temia essa reviravolta do Inferno liderado por Lúcifer, mas não foi isso que aconteceu. Lúcifer não se movera do Inferno, e muito Lúcifer levantou do seu trono.

       Abdon, o braço direito de Lúcifer e Chefe da encruzilhada, acha estranho a atitude do seu mestre, afinal ele sempre quis ocupar o lugar do Eterno e agora que se tornara mais forte depois do seu desaparecimento, Lúcifer não estava interessado.

       Abdon era um chefe de demônio um anjo caído, ele andava pela Terra, procurando pessoas para fazer pactos, se tinha alguém que era respeitado no Inferno era Abdon, um demônio muito poderoso e o chefe de toda a hierarquia do Inferno, nos dias anteriores a guerra liderada por Lúcifer, foi o primeiro demônio que se aliou a ele, apoiando nessa guerra, Lúcifer perdera a guerra, e depois de cair junto com Abdon e com os outros, Lúcifer honrou Abdon colocando-o como braço direito dele, e chefe de todos os outros chefes de demônios. Abdon trabalhava sozinho não tinha um exército como os outros, selava pactos pelas necessidades de cada pessoa que iam procurá-lo era destemido, um demônio de classe, sempre conseguia o que queria dos humanos que iam procurá-lo, suas almas por alguns anos de fama, celebridade, dinheiro, ou amor, Abdon dava o que os humanos pediam naquela noite na encruzilhada, mas depois de passado o tempo do pacto estabelecido na própria encruzilhada Abdon possuía as almas dessas pessoas, ali mesmo na encruzilhada Abdon depois do pacto selado, ele trancava todos os quatro caminhos da pessoa, norte, sul, leste, oeste, Abdon tinha a chave da alma dessas pessoas, a coisa mais importante que um humano pode ter, enquanto os outros chefes com seus exercito destruíam com seus vícios, Abdon destruía com uma arma muito poderosa o “pacto”, e por esse motivo era o mais poderoso e respeitado por todos. Abdon sempre respeitava Lúcifer, pra falar a verdade era muito puxa saco de Lúcifer não fazia nada sem antes consultar o seu mestre, sempre estava com ele, sempre entregava tudo o que conseguia na Terra para ele.

       Mas após o sumiço do Eterno Abdon percebeu que Lúcifer, havia mudado parecia que estava com medo ou parecia que havia desistido, mas Abdon estava como sempre fazendo o seu trabalho conseguindo pessoas que estavam passando por necessidade para fazerem um pacto com elas, em troca de suas almas, foi quando Lúcifer convoca uma reunião com todos os chefes inclusive Abdon.

       O Inferno estava ansioso e ao mesmo tempo surpreso com a demora e Lúcifer querer agora depois de vários dias do sumiço do Eterno, atacar os Céus e tomar o trono das dimensões e reinar como Deus Absoluto de Tudo. Havia muita ansiedade no que Lúcifer iria falar como iria reagir, qual era o plano, como faria isso, quais seriam as recompensas.

       Chegara o grande momento, chegara o momento máximo da grande conversa de Lúcifer com os chefes de demônios foi quando o grande e poderoso Líder do Inferno começa a se pronunciar:

       - Olha meus filhos –Disse Lúcifer – Chamei vocês aqui para poder dizer que nós faremos algumas mudanças.

       Os chefes estavam ansiosos para atacar os Céus sob o comando de Lúcifer e todos os chefes inclusive o braço direito Dele, Abdon estava totalmente feliz que seu mestre havia acordado e que havia enxergado que ele era o grande poderoso naquele momento em todas as dimensões. Mas para a surpresa de todos Lúcifer começa a falar o motivo da reunião.

       - A partir de hoje todos os chefes de demônios não serão mais enviados na Terra peço para que vocês se retirem totalmente da Terra junto com todos os exércitos de vocês, todos os demônios tanto os mais inferiores quanto os mais superiores, eu não quero que ataquem os humanos, agora não faremos mais isso – disse Lúcifer num tom de autoridade.

       - Quando começamos? – cortou Abdon a conversa com emoção

       - Começamos o que? – disse Lúcifer

       - O plano para atacar os Céus, Senhor – disse Abdon – Para que o Senhor tome o Trono das Dimensões e reine como Deus Absoluto acima de Todo – terminou -

       - Ninguém vai atacar nada – disse Lúcifer

       O Inferno naquele instante ficou com que estivesse vazio em silêncio todos os chefes olhando fixamente para os olhos de Lúcifer como se não estivessem entendendo o que estava se passando. Foi quando Lúcifer terminara.

       - Eu estou mandado que todos vocês evacuem a Terra deixe os humanos viverem em paz a partir de agora, ficaremos aqui no Inferno, todos, isso é uma ordem retire todas as tropas agora da Terra, ninguém vai atacar nada, o tempo que iremos ter agora será de descanso aqui no Inferno nenhum demônio está autorizado a fazer nada com os humanos. Disse Lúcifer com autoridade.

       - Desde a queda fizemos isso, desde a antiga rebelião tentamos acabar com os humanos, Senhor – Disse Abdon perplexo -

       - Então a partir de hoje não iremos mais atacar – disse Lúcifer

       - O que aconteceu para o Senhor mudar assim – disse Lilith a chefe da sedução.

       - Nada, somente não iremos fazer mais, isso estou ordenando a todos vocês, não iremos mais atacar ninguém, nem fazer mal aos humanos.

       - Pela primeira vez eu discordo com o Senhor. Você está com medo? Podemos vencer agora e fazer a rebelião – disse Abdon como quem não estava querendo engolir aquela atitude de Lúcifer.

       - Abdon, e todos os Chefes, eu mando aqui ainda e se vocês me respeitam obedeçam as minhas ordens não iram fazer nada com os humanos e vocês irão a partir de hoje retirar todas as tropas de demônios da Terra, eu tenho dito,vão e façam isso – Encerrou Lúcifer e despedindo todos disse – Façam o que falei agora.

       Os chefes sem entender um por um começaram a sair daquela sala, mas respeitando a autoridade do seu “Líder”, afinal de contas temia a Lúcifer já que era o mais poderoso agora em todas as dimensões.

       Abdon se retirava da presença de Lúcifer, com desprezo, foi a primeira vez em muitos milênios que olhava Lúcifer com nojo, que olhava o seu mestre como um fraco e como um insignificante, poderia acabar facilmente com os anjos e tomar o lugar do Eterno, o que estava acontecendo. Foi quando dentro de Abdon ele queria iniciar uma revolta no Inferno, matar Lúcifer? Não nenhum demônio jamais poderia ser morto nem um anjo quanto mais um Arcanjo ou Querubim Ungido, quanto mais alguém como Lúcifer que fora criado primeiro de tudo, e que era o mais poderoso de todos. Abdon queria saber agora o que aconteceu com o Eterno, porque desaparecera, quem tomaria conta, como estava os céus, Abdon começa a pensar a um montar um exército para que possa tomar o Trono das Dimensões, já que esse estava sem um Deus, pensou que ele pudesse ser o novo Deus de Tudo. Quando saia da presença de Lúcifer, Lilith a chefe da sedução diz:

       - Você também não concordou com a atitude dele não é? – Falou Lilith em seu ouvido

       - Acho que poderíamos fazer diferente – Disse Abdon

       - Creio que podemos fazer diferente, “Senhor” - indagou Lilith com respeito

       Aquela foi a melhor coisa que Abdon poderia ouvir, uma certa ganância e um certo extinto de conquista tomou conta do seu coração naquele momento Abdon viu que o primeiro soldado para o seu exercito está ali pronto para obedecer as suas ordens e tentar mudar o que pra Abdon achava que estava errado.

       - Esta mesmo comigo Lilith? Disse Abdon

       - E ficar aqui mofando nesse lugar?

       - Acha que podemos governar Lilith?

       - Podemos tentar Abdon, creio que quando o Eterno desapareceu, ele levou consigo alguns paradigmas que não podiam quebrar o que posso dizer é que o desaparecimento do Eterno fez com que muitos mistérios surgissem acho que podemos investigar e ver o que pode estar acontecendo nos Céus e se existe uma possibilidade de assumirmos O Trono das Dimensões – Disse Lilith.

       - Vamos nos unir, pois creio que não haverá guerra, pelo que pude perceber, não terá rebelião, todos os outros chefes não estão interessados em lutar, nós faremos a guerra, vamos iniciar a guerra Lilith, vamos procurar anjos que não concordam também em ninguém assumir O Trono das Dimensões, vamos iniciar uma guerra, pesquisar sobre esse estranho sumiço formaremos um exercito, está comigo? Disse Abdon.

       - Era isso que queria ouvir hoje aqui nessa reunião, estou com você meu novo Senhor, pode contar comigo pra tudo, me entrego para o Senhor hoje, eu posso ver o Senhor subindo no Trono das Dimensões e governando com Deus Absoluto de Tudo, meu Senhor Abdon, “deus” Abdon estou com você– Disse Lilith estendendo a mão para Abdon num pacto de lealdade.

       - Esse Pacto que se sela hoje, será muito lembrado por toda a Eternidade, serás meu braço direito Lilith, vamos formar um exercito.

       Abdon, e Lilith estavam pronto a um plano totalmente perverso, tomar o Lugar que um dia fora do Eterno, estavam motivados a pesquisarem do seu desaparecimento e iniciar algo que visivelmente Lúcifer não queria uma guerra, uma grande guerra. Eles fazem um pacto ali na saída da reunião de Lúcifer, mais ambos com uma certeza a guerra não era com os humanos a guerra era com o Céu e o Inferno, a guerra pelo trono do Eterno. O braço direito de Lúcifer, Abdon não era bobo não ousou ir de frente com seu mestre e como Abdon sabia que Lúcifer não podia ler seus pensamentos, fingiu naquele exato momento que era totalmente ainda leal a Lúcifer, mesmo tendo naquele momento o desejo de se assentar no trono do Inferno, Abdon se tornara naquele momento um grande rebelado, mas diferente de Lúcifer nos Céus ele havia se tornado um rebelado dentro de si mesmo até chegar o momento certo. Então Abdon e Lilith saem da presença de Lúcifer e tentam de alguma maneira saber como fora o desaparecimento do Eterno.

        

                   A REUNIÃO NO CÉU

        Enquanto os chefes de demônios pela ordem de Lúcifer retiravam pouco a pouco as suas tropas de demônios da Terra, o Céu também fez uma reunião.

       Logo após o Eterno desaparecer o Céu ficou sem saber o que fazer e nem pra onde ir, pois o Céu obedecia às ordens dadas pelo Eterno, e cuidavam dos humanos numa batalha chamada “batalha espiritual”.

       Mas agora com o desaparecimento do Eterno o Céu estava perdido.

       Pouco antes de o Eterno desaparecer, Ele ordena que todos os Querubins saísse das Dimensões, o Eterno fechou todas as dimensões e fechou também o lugar do Trono das Dimensões, mudou o portal que dava acesso ao Mundo das Dimensões e algum tempo depois desapareceu completamente, os anjos do Céu e também todos no Inferno deixaram de sentir Sua Presença.

       O Céu passou por um momento delicado nesse tempo os anjos passaram então a se perguntarem entre si: Como ficariam agora?

       Sarakus o Líder dos Serafins vai conversar com o Arcanjo Miguel: - Miguel temos, que convocar uma reunião, algo pode acontecer a qualquer momento.

       - Eu sei Sarakus mais como iremos fazer?Ou melhor, o que vamos fazer? O que se pode mudar? - Disse Miguel com um tom de temor enquanto olhava as tropas de demônios saindo da Terra do alto do Céu.

       Sarakus se aproximando de Miguel observa junto com ele a Terra e diz:

       - O que será que estão planejando?

       - Eu não sei Sarakus, só sei que pode acontecer uma guerra a qualquer momento. – Disse Miguel, enquanto inclinava a sua cabeça e pensava com ele mesmo-.

Você tem que tomar a frente do Céu Miguel, governar todos os Anjos, Serafins, Querubins e Arcanjos, antes que uma guerra comece. Responde Sarakus olhando firmemente para Miguel. - Eu não posso governar como posso fazer isso? - Disse Miguel totalmente assustado com a conversa de Sarakus-

       - O Céu entrará em grande desordem se alguém não tomar uma posição. - Finalizou o Líder dos Serafins –

       Isso preocupou demais a Miguel, ele sabia a gravidade do problema em deixar o Céu sem um Líder principal não era pra reinar como Deus Absoluto, pois o Eterno mudou o portal do Trono das Dimensões antes de desaparecer, nenhum anjo ou demônio sabia qual era sua intenção, então Miguel o mais poderoso do Céu, decide convocar uma reunião mesmo não querendo governar o Céu, sabia do risco que podia correr se não convocasse logo uma reunião, então depois daquela conversa com Sarakus ordenou rapidamente que todos os Anjos, Serafins, Querubins e Arcanjos fossem convocados imediatamente ao Céu para uma grande reunião.

       Pouco a pouco os Anjos, Serafins, Querubins e Arcanjos foram chegando para essa importante reunião, todos muito ansiosos para ouvir o mais poderoso do Céu naquele momento, o Arcanjo Miguel o braço direito do Eterno que se prepara para dar a palavra:

       - Irmãos! -Disse Miguel quando todos os Anjos estavam esperando para a reunião começar –

       -Sei que o momento é crítico, mas chamei vocês aqui para entrarmos num acordo, e vermos o que vamos fazer a partir de agora. Como vamos fazer? Nosso pai sumiu. - Disse o Arcanjo Joquiel com tom de preocupação - - Temos que manter a calma - alertou Sarakus – Temos, que nos unirmos para esse momento de grande dificuldade que estamos passando. - A guerra não é conosco e nem entre os humanos - disse Gabriel a todos - Lúcifer não está interessado nem em uma guerra conosco e nem com os humanos, fui informado que já houve uma reunião no Inferno e nessa reunião, Lúcifer mandou retirar as tropas de demônios da Terra e ainda disse para todos os demônios permanecerem no Inferno. Terminou Gabriel.

       -Por isso as tropas estão saindo pouco a pouco? Como soube disso Gabriel! – Disse Sarakus -

       - Lúcifer mandou que lhes informassem isso e ainda disse que ele não está interessado em uma guerra. – Disse Gabriel a Sarakus e aos demais da reunião-.

       - Porque faria uma coisa dessas? Ele é o mais poderoso agora -Disse o Arcanjo Jadson perplexo com a reposta de Gabriel – - Acha que uma guerra pode começar? Em Gabriel? Digo uma estratégia do Inferno?- Disse Sarakus com grande temor a Gabriel- - Creio que não Irmão; acho que Lúcifer sabe de alguma coisa - afirmou Gabriel- Ele simplesmente disse para que possamos nos guardar porque grandes coisas virão e não será do Inferno. - Terminou o Arcanjo-.

       Naquele momento o Arcanjo Uriel se levanta naquela importante reunião e começa a falar:

       - Como vamos ficar quietos, Irmãos? Não sabemos o que aconteceu com nosso Pai, vamos simplesmente deixar esse mistério todo? Simplesmente nem ao menos vamos nos unirmos para que possamos procurar ao Pai ou ao menos procurar pista sobre o seu desaparecimento? Em toda a nossa Eternidade servimos a nosso Pai pra que?- Indagou Uriel revoltado pelas coisas que haviam acontecido e continuou a falar - Alguém tem que assumir o Céu o mais indicado seria você Irmão Miguel, assuma o controle, governe o Céu e reine como Deus Absoluto acima de Tudo - Terminou Uriel e sentando no seu lugar deixou Miguel falar - Nesse momento todos os Anjos e todas as hierarquias olham para Miguel que está de cabeça baixa pensativo com o que Uriel dissera e levantando a cabeça olha para todos e diz: - Eu não posso governar vocês Irmãos. – Diz Miguel abaixando sua cabeça novamente totalmente apreensivo -

       Todos ficam em silêncio quando Hunatel, Líder dos Querubins levanta e toma a palavra. - Creio que governar como Deus Absoluto acima de Tudo é impossível.

       - Por quê? - Disse Uriel irritado- Alguém tem que governar.

       - Isso não é possível Irmão – Disse Hunatel a Uriel -pois creio que você conhece muito bem as regras, para governar como Deus Absoluto acima de Tudo, primeiro que ter o controle de todas as dimensões, e como todos sabem o Pai ordenou para que todos os Querubins saíssem da guarda de cada dimensão e depois disso mudou o portal do Trono das Dimensões da qual eu guardei por toda a minha eternidade, acho que todos perceberam que o Pai estava meio estranho ultimamente sem muitas palavras, Ele simplesmente me disse para sair da guarda do Portal do Trono das Dimensões e me disse para ordenar que todos os Querubins saíssem da guarda das outras dimensões urgentemente, e após isso fechou todas as dimensões como todos aqui sabem, confesso que particularmente eu não entendo porque o nosso Pai teve uma atitude dessas, parece que foi a mesma atitude que Lúcifer teve de tirar todos os demônios da Terra eu ainda estou sem entender, eu só quero terminar e perguntar pra vocês Irmãos, alguém daqui sabe alguma coisa do nosso Pai?     -Perguntou Hunatel a todo o Céu - Um silêncio permaneceu no Céu ninguém soube explicar nada sobre desaparecimento do Pai, foi como se todos nunca o tivesse visto foi como Ele tivesse morrido ou como nunca tivesse existido.

       - Nosso Pai nos abandonou. - Voltou a dizer Uriel revoltado - Assuma o Céu Miguel faça a sua parte.

       -Essa não é a minha parte Irmão, o Pai não morreu só desapareceu – Disse Miguel angustiado –

       - Como sabemos isso Miguel? Ninguém sabe o que aconteceu, O Pai pode ter morrido – Terminou Uriel –

       - Ele não pode morrer Ele é o Criador Único de Tudo assim como nós não podemos morrer somos espíritos Imortais - Disse Sarakus – - Como você pode ter certeza disso Irmão? - Disse Uriel em tom de mistério - Como pode ter certeza que o Pai ou nós somos Imortais? Ninguém sabe disso, como ninguém sabe onde o Pai se encontra. E a Terra? Foi a única dimensão não fechada por nosso Pai alguém daqui sabe o motivo? - Disse Uriel apontando para todos no centro da reunião.

       - Todos daqui sabem que o Pai teve muito carinho pela Terra, afinal foi o lugar onde Ele mostrou seu poder - Disse Gabriel –

        - Isso não importa tem que ter algum segredo, nós não sabemos o que fazer nessa reunião essa é a verdade. Alguém tem que assumir - Voltou a dizer Uriel naquela reunião olhando nitidamente para Miguel –

       - Assuma você então! Disse Miguel nervoso –

       - Se eu fosse criado antes de você assumiria com todo o prazer da minha Eternidade, o Pai errou em ter criado um Irmão tão medroso como você, se eu fosse o mais poderoso do Céu eu iria governar e fazer umas faxinas nesse lugar - Disse Uriel olhando no fundo os olhos de Miguel –

       - Esta me desafiando Uriel? - Disse Miguel levantando da cadeira principal, e dando mais ou menos dois passos rumo a Uriel e dizendo mais uma vez - Eu perguntei se esta me desafiando Uriel responda.

       Nesse instante o Céu inteiro se cala e um temor muito grande toma conta de todos, Uriel encara Miguel no olhar ambos olham um para o outro.

       - Responda agora Irmão. Volta a perguntar Miguel.

       - O que você acha? - Disse Uriel levantando do seu lugar –

       Miguel parte para cima de Uriel com sua espada quando Sarakus se coloca no meio entre Miguel e Uriel e diz:

       - Calma Irmãos, não vamos nos descontrolar, o momento é de grande tensão eu sei, mais vamos manter a calma, temos que resolver o que vamos fazer, essa briga não nós levará a nada somente discórdia, por favor, vamos manter a calma – Termina Sarakus olhando firmemente nos olhos de Miguel e Uriel -

       Miguel abaixa a espada e fica parado ainda encarando Uriel que olhando para Miguel diz para todos.

       - Não; não estamos resolvendo nada aqui, vamos passar mais quanto tempo aqui, todos compareceram nessa reunião? Em? Onde estão os nossos Irmãos Raphael e Ezequiel, eles não estão aqui por quê? - Terminou Uriel –

       - Eu convoquei todo mundo aqui por algum motivo eles não vieram Irmão - diz Miguel com ironia a Uriel –

       - Como não vieram? Voltou a dizer Uriel o que estão fazendo? Ezequiel era o mais próximo do Pai, ele podia nos dizer se sabe alguma coisa – Disse Uriel quase que gritando –

       - Isso é verdade tenho que concordar com Uriel Irmãos o nosso Irmão Ezequiel servia o Pai em todas as coisas, alguém por um acaso teve alguma noticia de Ezequiel? Terminou Hunatel –

       - Ninguém sabe nada de Ezequiel o que sabemos é que ele se encontra na Sala que era do Pai ele simplesmente me disse quando fui chamar para reunião, que não iria sair de lá enquanto não achasse um motivo o porquê o Pai sumiu - Disse Gabriel e ainda continuando - Nosso Irmão Raphael como todos sabem sempre ficava mais na Terra curando as pessoas pela ordem do Pai mais até agora não deu as caras no Céu desde que o Pai desapareceu como todos aqui sentimos a sua presença mais não sabemos onde o nosso Irmão se encontra - Terminou Gabriel –

       - O que vamos fazer então que precauções vamos tomar Irmão Miguel? - Disse Hunatel Líder dos Querubins –

       A realidade era uma só, aquele era um momento critico e pelo jeito ninguém sabia de nada nem no Céu nem no Inferno, o Arcanjo Miguel então se levanta da cadeira e diz:

       - Creio que todos nós temos que nos manter unidos, peço que todos permaneçam aqui no Céu - Disse Miguel olhando para todos naquela reunião –

       - Eu não sou obrigado a fazer isso caso eu não queira - Disse Uriel levantando da cadeira e olhando para Miguel que ficara sentado na cadeira principal - Eu não vou ficar aceitando ordens de ninguém aqui nem de Arcanjo, nem de Querubim ou Serafim, eu só aceitarei ordens se nessa reunião você Irmão Miguel aceitar governar o Céu já que é o mais poderoso de todos aqui presente - Terminou Uriel olhando nitidamente para Miguel –

       - Eu já disse Uriel não vou governar ninguém, creio que todos nós podemos aceitar ordens de todos isso se chama união e comunhão, iremos esperar o Pai voltar - Disse Miguel –

       - Eu não concordo com isso alguém tem que assumir o Céu e depois o Trono das Dimensões, quem concorda com isso Irmãos? - Disse Uriel a todos naquela reunião –

       Todos permanecem em silêncio até que o Arcanjo Jadson toma a palavra:

       - Concordo com Miguel, iremos esperar o Pai voltar.

       - Ele não irá voltar Irmãos, Ele nos abandonou, Ele não é digno de se assentar mais no Trono, Ele deixou de ser nosso Pai quando nos abandonou- Quando Uriel disse aquilo todos no Céu o encara até que Miguel diz:

       - Quem não é digno é você Uriel, faça o que bem entender. Terminou Miguel falando com desprezo a Uriel –

       - E olhando para todos no Céu que permanecia em silêncio olhando firmemente para Uriel o Arcanjo dirigi os seus olhos para Miguel e diz em um tom seco:

       - É claro que farei afinal eu tomo as minhas decisões, é muito melhor ao invés de ficar aqui no Céu mofando e esperando o Pai voltar coisa que nunca vai acontecer.

       - Está querendo causar uma rebelião Irmão Uriel?- Disse o Arcanjo Joquiel-

       - Não Irmão! Duas coisas tenho a dizer primeira que eu não sou tolo de me levantar contra o todo poderoso do Céu – Olha para Miguel– Sei dos meus limites Irmão – Desvia o olhar de Miguel e olha para todos os anjos já que permanecia no centro da reunião – E segundo, eu não sou como Lúcifer; não pretendo causar nenhuma rebelião, afinal de contas eu simplesmente em toda a minha Eternidade fui leal ao Pai, leal até você Miguel – Aponta para o Arcanjo e continua dizendo – e também leal a todos aqui mais prestem atenção o Pai sumiu e fechou todas as dimensões menos a Terra, por quê? Tem que ter algum motivo, motivo esse que eu acho um mistério, como ninguém quer procurar quer saber da verdade eu irei procurar e vou encontrar nem que para isso eu passe em cima de todo mundo, não me levem a mal, mas Irmãos ficar aqui não resolvera nada, absolutamente nada. Adeus meus Irmãos estou me retirando dessa reunião - Termina Uriel que desaparece completamente do Céu –

       Uriel não estava totalmente errado, estava certo afinal de contas não iria adiantar ficar batendo boca em uma coisa que não iria resolver nada, alguém tinha que fazer alguma coisa.

       - Ele está certo - Disse Joquiel -

       - Num certo ponto sim - Disse Miguel –mas temos que ir com cautela proponho que façamos assim Eu, Sarakus e Hunatel daremos as ordens, todos devem nos obedecer, o que acham? – Termina Miguel –

       Todos no Céu concordam com a decisão de Miguel quando Jadson diz:

       - Miguel caso o Pai não volte alguém tem que tomar conta - Disse Jadson–

       Todos no Céu ficam apreensivos com aquela resposta de Jadson realmente e se o Pai não voltar? Como iria ser? Realmente alguém teria que governar no Trono das Dimensões.

       - Para que isso ocorra temos que primeiramente abrir o Trono das Dimensões é claro depois que descobrirmos onde está o portal que foi mudado pelo Pai -Disse Miguel –

       - Miguel! Disse Hunatel. Uriel em certo ponto tem razão temos que procurar pistas sobre o desaparecimento do Pai, digo você não acha estranho que só a Terra o Pai deixou aberta? E o sumiço de Raphael se ele não está no Inferno só pode estar na Terra. Temos também o caso do nosso Irmão Ezequiel que se trancou naquela sala depois do desaparecimento do Pai, varias coisas precisam ser respondidas você não acha Irmão - Finalizou Hunatel deixando um tom de grande mistério no Céu –

       - Façamos assim então conversaremos com Ezequiel já que era o mais próximo do Pai, nosso Irmão Raphael será procurado por você Gabriel tente mandar alguma mensagem pra ele para que o nosso Irmão possa ver se sabe alguma coisa, iremos investigar sobre o desaparecimento do nosso Pai aqui no Céu, tem que ter alguma coisa - Disse Miguel apreensivo –

       - E se surgir uma rebelião do inferno? Ou de alguém? Temos que estar preparados - Disse Gabriel em tom de suspense –

       - Você disse Gabriel que o Pai conversou com Lúcifer antes de desaparecer e depois desse feito Lúcifer deu a ordem para todos os demônios saírem da Terra - Perguntou Sarakus -

       - Sim Irmão foi isso que fui informado - Afirmou Gabriel –

       - Sarakus pensativo vira para Miguel e diz - Miguel e Izacael?

       - O Arcanjo Humano? - Disse Miguel assustado –

       Não só Miguel ficara assustado como o Céu inteiro fica apreensivo quando Sarakus continua a falar:

       - Creio que Izacael, é muito mais poderoso que você e qualquer um de nós aqui, talvez se alguém causar uma rebelião ele e você podem dar um basta nisso ou até mesmo se Lúcifer tentar alguma coisa - Terminou Sarakus –

       - Izacael nunca foi visto - Disse Miguel - depois da sua conversa com o Pai após a queda de Lúcifer, em nenhum momento da historia Izacael apareceu, ele nunca clamou o Pai nenhuma vez, nem sabemos se ele está vivo já que se tornou um humano, o Pai nunca mais tocou no nome dele - Disse Miguel com grande tristeza.

       Um dos Serafins chama a atenção quando diz:

       - Irmãos no mesmo dia em que o Pai desapareceu e todos estavam tensos um dos humanos foi o que mais me chamou atenção, parecia que ele estava preocupado com o Pai e sabia que ele tinha desaparecido, eu recebi a sua oração já que era o único que ficara na Sala do Pai naquele dia - Terminou o Serafim –

       - Só pode ser Izacael - Disse Sarakus olhando para Miguel – Qual humano poderia saber do desaparecimento do Pai? - Continuou Sarakus - Nenhum humano sabe disso, a não ser o Céu e Inferno, ou um Ex-Arcanjo, tenho certeza de que aquele era Izacael Irmãos, vamos encontrá-lo - Disse Sarakus motivado –

       - Eu vou para Terra então, para achar nosso Irmão, vocês Hunatel e Sarakus ficarão aqui no Céu com os outros - Disse Miguel mais motivado como nunca –

        - Então vá Irmão e traga Izacael para que possamos ter reforço caso precisarmos, vamos tentar encontrar alguma coisa aqui - Continuou a dizer Hunatel - vamos todos nos esforçar para que possamos encontrar o nosso Pai. - Terminou Hunatel –

       - Miguel! - Disse Sarakus tocando nos seus ombros - Lembre-se nenhum demônio deve saber que estamos procurando Izacael, a propósito o Inferno não deve saber de nada, tome cuidado meu Irmão - Terminou Sarakus apertando mais intensamente os ombros de Miguel –

       - Miguel sorri a Sarakus e diz - Trarei boas noticias e também trarei nosso Irmão de volta até mais Irmãos vocês todos estão dispensados. Termina o mais poderoso do Céu.

       E desaparecendo Miguel que fora encontrar Izacael, a reunião no Céu termina, todos estavam apreensivos e encabulados sobre o desaparecimento do Eterno mas estavam dispostos a investigar e encontrar o Pai. O que é mais importante na reunião era a primeira vez que Miguel iria pisar na Terra, e não seria pela ordem do Eterno, mas sim com uma missão de encontrar Izacael seu Irmão. Afinal os anjos também dentro de cada um, queria saber o porquê as Dimensões estavam fechadas e porque o Eterno havia sumido dentro de muitas perguntas o Céu começa por Miguel uma caçada ao seu Irmão Izacael.

 

               URIEL, O ARCANJO DA DESTRUIÇÃO

        Uriel, não concordava com o que fora dito no Céu. Na realidade Uriel queria que alguém governasse o Céu, depois do desaparecimento de seu Pai, isso não era por mal, Uriel sempre amou os seus Irmãos sempre fez tudo o que o Eterno ordenava, mas agora ele estava perdido, depois de sair daquela reunião no Céu e pior ainda é sair brigado com seus Irmãos e principalmente com seu Irmão Miguel o mais Poderoso do Céu naquele momento, Uriel vai até a Terra procurar alguma pista. Enquanto anda pela Terra observa as obras grandiosas que seu Pai fez, dentro de si mesmo, observa os humanos, a Imagem e Semelhança do Eterno, como o Pai sempre os amou, - pensava Uriel -, porque tanto amor assim? - Pensava ele mais forte-

       Também tinha várias perguntas dentro de si mesmo para responder e uma delas que era a principal:

       -Onde está você Pai? - Era o que pensava fortemente e pensava mais-

       Porque só a Terra o Senhor deixou aberta. A realidade era uma só, Uriel não sabia o que iria fazer voltar, para o Céu seria aceitar o que foi dito naquela reunião, e também voltar era se rebaixar demais aos seus Irmãos. Uriel em toda a história sempre foi um Arcanjo importante, ele era o Arcanjo da Destruição, foi ordenado pelo Eterno a destruir Sodoma e Gomorra, e todos em todos os tempos em que o Eterno ordenava a destruição da Terra e não somente na Terra mais também em todas as Dimensões, era interessante pois os Arcanjos tinham cada um uma qualidade do Eterno, e Uriel era o Arcanjo da Destruição, Uriel nunca havia desobedecido uma ordem de seu Pai, e também nunca havia brigado com nenhum do seus Irmãos, o Céu só tivera uma briga e essa foi com Lúcifer no tempo de sua queda de lá pra cá, não houve mais rebeliões, os anjos haviam entendido que o Eterno era Único e ninguém poderia derrubá-lo.

       Mas dessa vez o tempo era diferente, o Eterno havia desaparecido e ninguém sabia de nada absolutamente nada, e para Uriel Ele havia abandonado a todos. Uriel queria pista sobre o que acontecera andava sobre a Terra para ver se encontrava alguma pista. Abgor, o Chefe de Demônio de Guerra de Lúcifer, retirava os seus demônios da Terra, quando Uriel vai conversar com Ele.

       - Abgor? - Disse Uriel chamando-o para conversar –

       - Posso lhe fazer uma pergunta?

       - Uriel? O que faz aqui Arcanjo? - Disse Abgor surpreso –

       - Posso saber por que estão tirando todos os demônios da Terra? Digo por que estão fazendo uma coisa dessas? - Perguntou Uriel a Abgor perplexo com o que estava acontecendo -

       - Eu somente estou obedecendo a uma ordem de Lúcifer, Uriel, pois ele é o "deus do Inferno", eu não posso desobedecer a uma ordem do meu Líder – E mudando de conversa rapidamente Abgor continua - E como está o Céu depois do desaparecimento de Deus?  Terminou como quem quisesse saber de alguma coisa. Aquele momento fora de revolta dentro do próprio Uriel, ele sabia o que estava acontecendo no Céu, e para ele era uma piada, era como se os seus Irmãos não quisessem saber de nada sobre o desaparecimento do Eterno, e pensando o que iria falar para Abgor e temendo o que ele poderia responder; porque afinal os anjos do Céu querendo ou não sempre foram respeitados em todas as Dimensões principalmente no Inferno, pois o Eterno era Único e ninguém jamais ousaria desafiar era O Único capaz de poder fazer o que bem entendesse, e refletindo tudo isso Uriel responde com toda a calma para Abgor. - Estamos procurando aqui na Terra Abgor procurando alguma coisa sobre o desaparecimento do nosso Pai.

       - Na Terra? Porque Arcanjo. Acha que aqui teria alguma coisa? - Responde Abgor meio sem entender nada –

       - Não acha estranho Abgor? Só a Terra ser a única Dimensão fechada pelo Pai? Lúcifer não falou nada a respeito disso? - Disse Uriel a Abgor querendo tirar alguma coisa do Chefe de Guerra de Lúcifer –

       - Você foi enviado para a Terra pelo Céu? - Perguntou Abgor a Uriel - Pensando um pouco para responder Uriel sempre fora um Arcanjo e como tal nunca deviria mentir, mas aquela era a oportunidade de mentir para tirar proveito, e também dizer a verdade naquela hora no que iria adiantar? Afinal o Eterno já não estava ali e falar uma mentira não iria puni-lo, pois afinal de contas agora todos podiam fazer o que bem entendessem, pensando um pouco Uriel disse com toda a certeza a Abgor. - Sim Abgor. O Céu me enviou pra cá na missão de procurar alguma coisa na Terra já que foi a única Dimensão aberta, nós achamos isso muito estranho, já que foi a única coisa que o Pai não fechou nas Dimensões, Lúcifer não falou nada em relação a isso? - Disse Uriel a Abgor olhando nos seus olhos - Abgor sempre foi o único demônio que era mais próximo de Lúcifer, pois era o Chefe de Guerra do Inferno, sempre tinha total acesso a Lúcifer para receber as suas ordens e planejar estratégias contra os humanos digo até que Abgor por ser o Chefe de Guerra do Inferno conversava com Lúcifer até mais que Abdon o braço direito do "deus do Inferno". Então, Abgor responde para o Arcanjo da Destruição. - Olha pra falar a verdade Uriel, Lúcifer ficou muito estranho depois de uma visita de Deus pouco antes Dele desaparecer - Respondeu Abgor –

       - Visita de Deus? - Perguntou Uriel perplexo –

       - Sim Uriel visita de Deus, estava lá quando o próprio Deus desceu até o Inferno e conversou com Lúcifer.

       - E você? Escutou alguma coisa? -Quis saber Uriel aguçado com o que Abgor acabara de falar -

       - Uriel. – Disse Abgor - Não sabe que um anjo jamais deve conversar com um demônio? Nós depois da queda passamos a nos odiarmos e somente guerreamos com uns aos outros de lá pra cá; nem éramos para estar conversando sobre isso não é? - Respondeu com tom seco para Uriel.

       Uriel olhando para Abgor ri e diz:

       - Abgor isso é passado meu Irmão, um dia já fomos do mesmo time jogamos do mesmo lado me entende?

       - Onde quer chegar Uriel? - Perguntou Abgor meio sem entender –

       - Preste atenção Abgor se até os nossos governantes conversaram sem haver briga, porque um Arcanjo não pode conversa com um Chefe de demônio? Digo meu Irmão tudo está diferente Lúcifer seu Líder o anda meio estranho como você mesmo disse não é? Acha que alguma coisa aconteceu? - Disse Uriel a Abgor que fica em silêncio por algum tempo. Abgor também achou estranho aquela visita do Eterno, descer ao Inferno e conversar com Lúcifer, achou estranho também a maneira com o que Lúcifer regia as coisas no Inferno, Abgor pensava tudo isso quando Uriel disse mais a Abgor. - Você bem sabe que se Lúcifer quisesse ele poderia causar uma nova rebelião para se assentar no Trono das Dimensões e reinar como Deus Absoluto, e porque não o fez? Por algum motivo não acha?Pois você sabe que Lúcifer é mais poderoso do que todos nós, sabe que ele é muito mais poderoso do que qualquer Arcanjo já criado Irmão Abgor, somente estou dizendo isso porque essa rixa que nós temos desde a antiga rebelião tem que acabar – E voltando ao que realmente interessava Uriel diz - Você me disse que o Pai desceu para conversar com Lúcifer? Você sabe o que eles conversaram? - Disse Uriel a Abgor querendo tirar alguma coisa de qualquer maneira foi quando Abgor diz – - Você tem razão Uriel, creio que não podemos também fazer rixa, mas entre a gente já que a guerra não é mais com vocês, nem com humanos, já que o tempo é de descanso - Disse Abgor a Uriel –

       - Não é mais guerra conosco? Nem com os humanos? Como sabe disse Abgor? - Disse Uriel Assustado –

       - Lúcifer disse isso, ele disse que o tempo é de descanso e que não vai mais haver guerra entre anjos nem demônios e muito menos com os humanos. Também ouvi Uriel, parte da conversa de Deus com Lúcifer - Disse Abgor a Uriel –

       O que eles conversaram - Disse Uriel a Abgor quase que cortando a conversa. - Abgor olhou para Uriel e disse –

       - Ouvi Deus dizendo para Lúcifer que o momento de guerra entre os anjos e os Humanos chegou ao fim, confesso a você Arcanjo que fiquei surpreso com isso, Deus disse a Lúcifer ainda que o “Apocalipse” não iria acontecer e que agora iríamos viver um momento de pós-apocalíptico onde o futuro é totalmente incerto, e que não há nada escrito - Disse Abgor a Uriel em tom de autoridade mas também muito pensativo e com muito medo do que pode acontecer -

       Você escutou isso? Um momento onde o futuro é incerto? Escutou mais alguma coisa da conversa Abgor? -Disse Uriel puxando mais assunto –

       Sim! - Respondeu Abgor e continuando a falar –

       - Deus disse para que Lúcifer tomasse todo o cuidado, pois ele é o Alfa das Dimensões, eu só escutei isso Uriel, o Céu sabia disso? - Perguntou a Uriel.

       - Eu não sabia disso meu Irmão, estou tão surpreso quanto você, acha que foi por esse motivo que Lúcifer ordenara que vocês retirassem os demônios da Terra? Acha que está com medo? - Disse Uriel a Abgor, fazendo essa pergunta cabulosa.

       - Eu não sei de nada Uriel, a única coisa que eu sei é que devo retirar as minhas tropas da Terra, tenho que obedecer Lúcifer quanto a isso - Terminou Abgor, colocando o seu último demônio no portal que dava acesso da Terra ao Inferno - E disse mais a Uriel – Pronto esse aqui é o último demônio, agora já obedeci ao meu mestre Lúcifer, creio que já posso me retirar daqui não é mesmo Uriel, até um dia Arcanjo.

       E virando para ir embora disse Uriel perplexo.

       - Não quer vir comigo para procurarmos alguma coisa sobre esse sumiço? Alguma pista do que você me disse em que Deus falou para Lúcifer tomar cuidado, e o porquê ele é o Alfa das Dimensões, vamos procurar juntos isso - Disse Uriel a Abgor.

       Abgor ficou olhando Uriel de cima até em baixo como se quisesse dizer alguma coisa para o Arcanjo, e tomando coragem disse a Uriel.

       - Você não está em missão do Céu não é Uriel? Você está querendo causar uma rebelião não é? Diga-me não concordou com alguma coisa? - Disse Abgor a Uriel totalmente sarcástico e rude com o Arcanjo que desviando os olhos de Abgor e abaixando a sua cabeça diz em tom de orgulho – - Eu não concordo que o Pai tenha nos abandonado e não avisado o Céu ou os Arcanjos e fico mais revoltado ainda agora depois de ter ouvido de um demônio que o Pai conversou somente com Lúcifer, e depois desapareceu não acha estranho isso Abgor? Eu não estou em missão do Céu, não sou o enviado dos meus Irmãos na Terra, eu estou procurando alguma coisa por conta própria quero saber se consigo encontrar alguma coisa - Disse Uriel a Abgor - Aquilo deixou Abgor pensativo com o que acontecera afinal ele também achava estranho tudo que aconteceu nos últimos tempos, ele também ficou surpreso com a conversa de Lúcifer com o Eterno, ao fundo ele também queria saber, creio que ao fundo todos os anjos e todos os demônios, menos "Lúcifer" queria saber alguma coisa como, o porquê do desaparecimento; alguma pista, alguma satisfação, mas Abgor olha para Uriel e fala pra ele outra coisa que ouvira da conversa do Eterno com o Lúcifer.

       - Uriel, ouvi também outra coisa que Deus disse a Lúcifer ele disse que Ezequiel iria guardar alguma coisa. Guardar o que Abgor? - Disse Uriel querendo saber do que se tratava –

       - Isso eu não faço a menor idéia. - Disse Abgor balançando a cabeça em sentido de mais confuso do que Uriel. – E então Uriel diz a Abgor como quem estivesse encaixando a primeira peça do quebra cabeça.

       - Será que foi por isso que Ezequiel não participou da reunião do Céu?

       -Ele não participou? – Perguntou Abgor – Bom isso eu já não sei - Disse Agbor a Uriel em tom de sarcástico e terminou –

       - Eu não participo dessas reuniões há muito tempo - E ainda completou - Estou me retirando daqui.

       -Por que Abgor? Venha comigo e vamos tentar descobrir alguma coisa sobre isso, que está começando a ficar mais misterioso e confuso - Disse Uriel a Abgor chamando-o para procurar alguma coisa –

       - Olha Uriel eu até iria, mas preste muita atenção, eu prefiro muito mais obedecer ao mais poderoso hoje das Dimensões que é o meu Líder, que me ajuntar á você e talvez sofrer alguma punição, prefiro obedecer a Lúcifer - Disse Abgor olhando para Uriel que sem hesitar diz –

       - Nós podemos fazer diferente Abgor, vamos tentar achar alguma coisa, tentar fazer uma rebelião, clamar por justiça - Disse Uriel com emoção insistindo Abgor a vir com ele - E naquele portal que dava acesso ao Inferno, Abgor olha no fundo dos olhos de Uriel, encara-o no olhar mais uma vez, olha novamente para o portal, olha para Uriel de novo, encara-o novamente, da um largo sorriso e diz:

       - Não Uriel, muito obrigado pelo grande convite, mais um dia de minha eternidade fizeram um convite semelhante e eu aceitei e ajudei na antiga rebelião, e não ganhamos nada com isso, pois o mestre continuou a ser quem era. Eu sei o preço de uma punição Arcanjo e preste bem atenção não adianta se rebelar, eu aprendi isso Uriel, e não quero que aconteça alguma coisa comigo novamente. Boa sorte na sua caçada Arcanjo creio que você irá precisar. Eu, particularmente não pretendo sair de onde estou. Até um dia Uriel e boa sorte, você irá precisar, tome cuidado Arcanjo.

        E virando as costas Abgor desaparece perante os olhos de Uriel naquele portal que dava acesso ao Inferno, Uriel achava aquilo ridículo, afinal essa rebelião não seria contra o Eterno, mas dessa vez seria diferente, seria uma rebelião para clamarmos por justiça e soberania, pensava ele.

      Abgor é um idiota pensou Uriel consigo mesmo, hoje o tempo é diferente, hoje o tempo é outro. Mas Uriel tinha já um começo do sumiço do Eterno o que Abgor falara pra ele em que o Eterno desceu no Inferno e falou com Lúcifer, e disse para ele tomar cuidado já era uma grande pista. Passou sobre a cabeça de Uriel naquele momento - Será que realmente somos Imortais? Será que podemos realmente morrer? - Pensou Uriel - Isso é tolice -Repensou ele - Nós somos Imortais, ninguém nunca morreu o Pai quando Lúcifer ocasionou á revolta foi punido e não morto por algum motivo, e esse motivo era simples a morte não podia penetrar num Anjo, somente em Humanos pensou Uriel.

       Uriel queria investigar essas coisas, isso sempre aumentava cada vez dentro de si, foi quando ele sente a presença de Dois demônios. Uriel fecha os olhos e diz:

       - Abdon e Lilith? - Uriel abre os olhos e pensa –

       - O que fazem aqui Dois Chefes de demônios porque não estão no Inferno descansando com Lúcifer como falara Abgor? - Uriel pensa em chamá-los, pensa em aparecer ali pra eles, mas Uriel tinha que tomar cuidado afinal e se eles estivessem a mando de Lúcifer? Já que Lúcifer não estava a fim de investigar ou causar uma nova rebelião; mas por outro lado e se os Dois estivessem com o mesmo pensamento de Uriel, também não concordavam com isso de ficar sem procurar alguma coisa q ocasionou o desaparecimento do Eterno.

       Uriel tinha que arriscar, afinal quem entra na chuva é pra se molhar, era dar um tiro no escuro, era tudo ou nada pensou Uriel naquele momento de grande importância pra eles foi quando sem se hesitar Uriel desaparece onde estava e aparece onde Abdon e Lilith se encontravam, e aparecendo para eles diz:

       - Abdon? Lilith? O que estão fazendo aqui? - Uriel? - Diz Abdon assustado enquanto Lilith diz –

       - O que você faz aqui Uriel. Uriel sorri e diz: Por um acaso vocês estão a procura de alguma pista do sumiço do Pai?

       - De Deus? - Diz Lilith –

       - Sim Lilith de Deus - Responde Uriel –

       - É claro que estamos Arcanjo, não concordamos com algumas coisas - Diz Abdon quase cortando Uriel-

       - Então estamos no mesmo time - Sorriu Uriel –

       - Posso me unir a vocês?

       - Trabalhar com um Arcanjo? - Disse Lilith –

       - Qual o problema? - Respondeu Uriel- Tenho muitas informações que podem dar início a uma busca desse estranho mistério, já que o Líder de vocês não quis causar uma nova rebelião e me parece que vocês não aceitaram essa ordem, por isso estão aqui na Terra procurando alguma coisa não é? - Disse Uriel como se já estivesse sabendo de tudo.

       - Como sabe essas coisas? - Quis saber Abdon –

       - Digamos que alguém me contou, sei de algumas coisas, o essencial para começarmos uma grande busca nesse mistério, e então posso me unir a vocês? - Terminou Uriel –

       Abdon e Lilith olham um para o outro como se estivessem se comunicando entre si, Lilith balança a cabeça em sentido de afirmação, então Abdon vira para Uriel e diz:

       - Tudo bem Uriel, vamos nos unir mas você vai ter que me obedecer eu serei o Líder desse grupo - Disse Abdon meio revoltado –

       - Uriel engole seco aquilo e diz -

       - Assim seja Abdon, só quero saber o que aconteceu.

       - Pois bem Uriel o que você sabe - Perguntou Lilith –

       - Bem eu fiquei sabendo que...

       Naquele momento quando Uriel iria falar o que sabia os Três sentem uma grande presença e Abdon diz a todos:

       - Alguém se aproxima da Terra.

       - É Miguel? - Disse Uriel assustado –

       - O que ele faz aqui? - Disse Lilith também muito assustada.

       - Você sabia disso Uriel? – Disse Abdon virando rapidamente e olhando surpreso e com muito medo para Uriel –

       - Não Abdon. O que será que Miguel veio fazer aqui? - Respondeu Uriel com grande temor –

       - Será que também se revoltou? - Disse Lilith –

       - Não sem chance Miguel é o "queridinho" de lá, creio que ele veio pra cá com uma missão -

       - Não podemos deixar Miguel nos sentir aqui, temos que sair daqui imediatamente o quanto antes, senão podemos ser descobertos. - Disse Abdon –

       - Então, vamos sair daqui agora conversamos depois. - Disse Lilith –

       E Abdon, Uriel e Lilith se retiram da Terra para não serem sentidos por Miguel que acabara de pisar na Terra. Eles se retiram da Terra com muito medo de serem visto pelo mais Poderoso do Céu, O Arcanjo Miguel, O Anjo de Guerra do Eterno, O Seu Braço Direito.

        

             MIGUEL PROCURA POR IZACAEL

O Arcanjo Miguel, o terceiro já criado o mais poderoso do Céu, vem na Terra com uma missão; a missão de procurar por Izacael, seu Irmão que já foi um Arcanjo mas que pela sua própria vontade e permissão do Eterno, se tornou humano com os seus poderes de Arcanjo. Em toda a história Izacael nunca interferiu ou nem sequer apareceu desde que veio para a Terra.

       Miguel nunca pisou na Terra, ele sempre ficara no Céu junto com o Eterno, dando ordens a outros anjos para guerrear com os demônios a favor dos humanos. Braço Direito do Eterno, Miguel sempre foi respeitado em toda a historia foi ele quem por intermédio do Eterno organizou a guerra que, pois fim a rebelião de Lúcifer e os seus “anjos caídos” de usurpar o Trono das Dimensões, logo após a ordem para que todos os anjos rendessem louvor e adoração ao homem.

       Miguel apesar de ser mais fraco do que Lúcifer era temido por todos os demônios, pois sempre foi muito Poderoso no Céu.

        Havia uma cidade muito grande, o trânsito estava muito movimentado como costume de toda a Cidade grande, muitas pessoas andando apressadas para trabalhar, comprar, vender, alugar, quando de repente os Céus ficam preto, uma nuvem surge naquele dia ensolarado na Cidade sem previsão de mudança de tempo, os Céus escurecem como se fosse o começo de noite bem no meio da tarde, de repente raios, trovões começam a soar as pessoas ficam espantadas e olham com muito medo aquele “fenômeno” que nunca acontecera, quando uma nuvem bem no centro da avenida principal da Cidade começa a ficar branca repentinamente uma luz azul desce daquela nuvem, todos da Cidade ficam apavorados quando Miguel desce na Terra, Todo poderoso, com sua espada que sempre carregava junto com ele, logo que toca a Terra, no centro da avenida daquela movimentada Cidade, acontece um pequeno terremoto, já que pisara na Terra com todo seu poder, ele desce no centro da movimentada avenida fazendo com que os carros desviassem dele. Bem no centro da avenida Miguel olha para as pessoas que estão correndo de um lado para o outro, totalmente apavoradas, quando escolhe uma pessoa que esta escondida em meio aquele alvoroço que ocasionou, quando pousou ao descer do Céu e causou tudo aquilo então rapidamente sai voando e para de frente aquele Humano, que estava tremendo de medo e diz:

       - Você, sabe onde está Izacael?

       O humano quase não conseguindo parar de pé olhando para Miguel que estava na forma literal de Arcanjo, ele brilhava intensamente, sua espada brilhava como nunca e seus olhos eram azuis, então olhando o Humano que estava quase desmaiando diz para Miguel.

       - Q... Quem é você?

       - Meu nome é Miguel, eu sou o Todo Poderoso do Altíssimo, o seu Braço Direito, fiz uma pergunta e quero uma resposta, você sabe onde está Izacael? - Disse Miguel olhando atentamente para aquele humano –

       Nesse momento a policia local chega várias viaturas da cidade cercam Miguel:

       - Mãos para o alto agora coloque a espada no chão, você está preso em nome da lei.- Diz a policia a Miguel - Miguel olha para a policia e rapidamente olha para aquele humano em que estava conversando e diz:

       - Onde está Izacael?

       A policia diz novamente:

       - Coloque a espada no chão, e erga as mãos, o senhor está preso em nome da Lei.

       Aquele humano ainda tremendo muito diz a Miguel:

       - Eu não sei quem é esse Se...Senhor, mas acho que o Senhor devia se entregar a policia - Diz a Miguel que olha para as viaturas de policias e para o Humano e diz:

       - Só quero saber onde está Izacael o Arcanjo Humano que está entre vocês aqui na Terra.

       Enquanto conversa isso com aquele humano a policia fala de novo.

       - Se entregue ou teremos que atirar, não vou repetir abaixe a arma e se entregue o senhor está preso em nome da Lei.

       -Por quê? Disse Miguel virando para a policia enquanto aquele humano sai correndo. Quando Miguel o solta e olha para a policia e diz, andando sentido aos policias, com a sua espada em punho, na forma literal de Arcanjo dizendo: - Por Favor, sabe onde está Izacael? Onde se encontra Izacael?

       Então o capitão dá uma ordem rapidamente para todos policias:

       - Atirem agora.

       E a policia começa sem dó nem piedade á atirar em Miguel.

       Miguel recebe os tiros que são muitos e com a sua espada colocada no seu rosto, Miguel recebe os tiros e enquanto os policias atiram Miguel diz:

       - Eu estou procurando por Izacaeeeeeeeeeeeeeeeelllllllllllll.

       Quando diz isso ele levanta a sua espada e uma grande explosão de dentro do seu corpo emana para fora rapidamente onde acontece naquela avenida da grande Cidade, Miguel leva como se fosse um grande furação, os carros, os policias as pessoas que estavam assistindo aquela cena inusitada, leva todos como se fossem brinquedos jogados pelo poder de Miguel.

       Quando Miguel dá alguns passos, ele vai rumo a um policial totalmente ferido em meio daquela destruição toda diz:

       - Você sabe onde posso encontrar Izacael?

       Totalmente ferido aquele guarda diz:

       - Q... Quem é Izacael? E... eu não sei que... quem é essa pessoa diz aquele policial ferido e tremendo de medo do mais Poderoso do Céu.

       - O Ex-Arcanjo meu Irmão que anda entre vocês, preciso conversar com ele para que possa nos ajudar, onde ele está? - Diz Miguel olhando em forma de literal de Arcanjo para o policial que temera de medo –

       - Eu ñ sei Senhor. Por favor, nos deixe em paz, eu não sei quem é você nem quem é Izacael - Disse o policial –

       Miguel olha no fundo dos olhos daquele policial e diz:

       - Como não sabe quem sou eu? Eu sou o mais Poderoso do Céu, sou um Arcanjo, e Izacael é meu Irmão Humano e Arcanjo que anda entre vocês, estou procurando por ele onde posso encontrá-lo - Diz Miguel ainda em forma literal de Arcanjo –

       - Eu... eu nunca ouvi desse nome Se... Senhor não... Não nos mate por... Por... Por favor - Após isso o policial desmaia por estar muito ferido –

       Miguel olha para todos os feridos e com sua voz de Arcanjo diz:

       - Onde está Izacael Humanos? O Arcanjo que anda entre vocês.

       O barulho é tão alto que ás ondas sonoras da voz de Miguel começam a destruir os vidros dos prédios, os Humanos que estão ao redor quando escutam aquilo colocam a sua mão no ouvido, pois o barulho é muito insuportável não só no lugar onde Miguel pisou e depois destruiu com o seu poder as cidades vizinhas também escutam a Voz do Arcanjo que é muito poderosa até que Hunatel o Líder dos Querubins pousa na Terra e fala:

       - Pare Irmão, pare agora com isso, por favor, não é assim que deve conversar com os Humanos - disse Hunatel tocando em Miguel que estava na Sua Forma Literal de um Arcanjo –

       Miguel para e diz:

       - Porque Irmão estou somente pedindo uma informação - Disse Miguel não entendendo o porquê de Hunatel descer na Terra –

       - Porque veio aqui Irmão? Você e Sarakus eram para ficar no Céu procurando alguma coisa sobre o desaparecimento do Pai e eu na Terra procurando Izacael - termina de dizer Miguel –

       - Olhe ao seu redor Miguel, desse jeito vai destruir toda a cidade e também a Terra não é assim que se deve comportar - disse Hunatel em tom de autoridade –

       Miguel olha ao seu redor e vê a destruição que causou todos os feridos, os carros jogados, a cidade em pânico, e os Humanos olhando para Miguel com muito medo, Miguel olha para si mesmo e vê como brilhava, pois estava na Forma Literal de um Arcanjo, ele olha para as pessoas em sua volta e diz:

       - Me perdoem Humanos, não era essa a minha intenção, me perdoem eu não sou assim - Diz Miguel com grande remorso e totalmente arrependido –

       - Os humanos não são como nós Irmão, olhem para eles são totalmente vulneráveis, morrem facilmente, também não são como os demônios nós somos muito diferente do que eles Miguel; eles são fracos, Irmão por isso que o Pai sempre mandava que nós tomássemos conta deles.

       Miguel olha de novo e diz de cabeça baixa:

       - Me perdoem.

       O lugar da cidade onde Miguel descera estava em ruínas e Miguel fala mais uma vez:

       - Me perdoe, eu não sei o que fazer. Será que alguém morreu? - disse Miguel na Forma Literal de um Arcanjo.

       - Provavelmente sim - disse Hunatel olhando a destruição e os feridos que ali estavam, mas vamos sair daqui eu te explico melhor, vamos para um lugar onde não tem ninguém.

       E Hunatel tocando em Miguel faz com que ambos desapareçam dali e aparecem em um monte alto da qual dava para se avistar toda a cidade.

       Miguel estava totalmente arrasado até que diz:

       - Eu nunca devia vim para a Terra Irmão procure Izacael você, essa será a única missão que falharei em toda a minha Eternidade - diz Miguel cabisbaixo para Hunatel –

       - Ei. Ei, Irmão pare com isso, vamos lá,auto estima, nós é que deveríamos ter avisado você como funciona as coisas já que nunca pisara na Terra, pois sempre ficou no Céu - termina Hunatel olhando para Miguel que permanecia de cabeça baixa –

       - Procure nosso Irmão você Hunatel eu vou voltar para o Céu -diz Miguel levantando a cabeça triste e pensativo –

       -Não Irmão, você é a pessoa mais indicada a procurar Izacael, você e Izacael sempre foram muito próximos lembro na antiga rebelião que causou Lúcifer, Izacael sempre teve um carinho muito grande por você Miguel, então creio que você deve ser o escolhido na missão para encontrar Izacael - termina de dizer Hunatel olhando para Miguel que permanecia de costas pensativo. Miguel e Izacael sempre foram próximos na Eternidade, na guerra causada por Lúcifer na antiga rebelião para tomar o lugar do Eterno, Izacael foi convidado por Lúcifer a se juntar a ele, mas recusou imediatamente isso, e como Miguel era o Anjo da Guerra, foi chamado pelo Eterno na guerra contra Lúcifer e os Anjos Caídos, Izacael ficou do lado de Miguel na guerra e Lúcifer foi facilmente derrotado pelo poder dos Dois Arcanjos, e mesmo depois que Izacael pede a permissão de virar Humano e permanecer na Terra, Izacael faz questão de ir até a presença de Miguel e se despedir dele, aquilo sempre foi lembrado no pensamento de Miguel, mas Izacael havia desaparecido depois que descera na Terra foi como que aquela proximidade de ambos nunca houvesse existido, Izacael havia desaparecido e nunca dera noticia.

       - Pois bem Hunatel eu aceito essa missão, me ensine como devo me comportar na Terra - diz Miguel olhando para Hunatel. - Irmão primeiro os Humanos não podem ver você na Forma Literal de um Arcanjo, eles são fracos, não têm poderes, são vulneráveis, somente são a Imagem e Semelhança do Pai, então saia da Forma Literal de Arcanjo com essa forma você pode até destruir toda Terra - disse Hunatel olhando para os olhos de Miguel enquanto falava essas palavras -

       - Mude a forma para a Imagem e Semelhança do Pai, como um mensageiro de Deus na Terra assim você poderá andar livremente pela Terra sem ser conhecido pelos demônios e nem irá alarmar os humanos – terminou o Líder dos Querubins –

       - Como fazer isso Hunatel - Indagou Miguel –

       Com certeza Miguel estava em duvida, pois isso era muito para ele, Miguel sempre andou na Sua Forma de Arcanjo todo o tempo e agora mudar assim de repente era como se fosse uma coisa de outro mundo, bom mas pensando bem era mesmo, Miguel estava na Terra em outra Dimensão e outro povo e muito mais do que isso a única Dimensão que o Pai amava muito.

       - Faça isso Miguel vire como um deles, e procure por Izacael, Gabriel está a procura de Raphael na Terra chame Gabriel para lhe dar umas dicas, pois o nosso Irmão sabe andar na Terra sem ser reconhecido, já que varias vezes enviou mensagens para os Humanos e foi chamado pelo Pai como o “Arcanjo Mensageiro das Dimensões”, boa sorte nessa sua missão Irmão -terminou Hunatel –

       Nesse mesmo momento Miguel sai da Sua Forma Literal de Arcanjo e se transforma como qualquer outro Humano quando Hunatel diz:

       - Isso mesmo Irmão nessa forma você poderá usar seus poderes livremente sem alarmar ninguém daqui. Ah mais uma coisa se desfaça da espada não ande com ela aqui, senão continuara com os mesmos problemas, só use se for realmente necessário Miguel.

       - Sim Hunatel, irei fazer isso não irei usá-la aqui na Terra - disse Miguel que faz com que a espada desapareça e termina de dizer - Só usarei quando necessária, desculpe o transtorno - finaliza Miguel falando a respeito do que fez quando assim que posou na Terra –

       - Fique em paz Irmão só aja como um Humano e procure o nosso Irmão Izacael, chame por Gabriel e veja como esta á procura por Raphael, torço por você Miguel, adeus.

       E Hunatel desaparece deixando Miguel naquele monte alto que dava vista a cidade que Miguel havia pousado quando descera do Céu e causado aquela grande confusão, Miguel olha para a cidade e ainda pode ver a confusão que causara e então desaparece dali e vai para outra cidade qualquer, e ali já com a forma de humano aparece em uma rua deserta, seria a maneira mais fácil de chamar por seu Irmão Gabriel para tirar duvidas a respeito da procura de Raphael, e assim Miguel diz:

       - Meu Irmão Gabriel. Venha até aqui preciso da sua ajuda - e terminando de falar, Gabriel aparece a Miguel quase que instantaneamente para Miguel e diz: - O que deseja Irmão?

       - Como esta a busca por Raphael? - diz Miguel –

       - Eu não encontrei nenhum vestígio dele Miguel, o que sei é que está tendo um aumento de cura muito fácil nos hospitais de toda a Terra.

       - Como assim? -disse Miguel assustado –

       - Na minha investigação pude perceber que as pessoas estão se curando facilmente, nos hospitais como se isso fosse "intervenção divina".

       - Acha que pode ser Raphael; Gabriel? - disse Miguel –

       -Olha eu poderia afirmar a você Miguel com toda a certeza se não fosse um pequeno e único detalhe, dessa investigação que eu fiz - disse Gabriel como se estivesse com medo –

       - O que você descobriu Gabriel? -pergunta Miguel muito tenso com o suspense que deixava Gabriel –

       - As pessoas não estão morrendo Miguel, e estão se curando muito rápido - respondeu Gabriel olhando nitidamente para Miguel –

       - Não estão morrendo? Como assim isso é uma ordem natural dos Humanos - responde Miguel perplexo com o que falara Gabriel –

       - Não estão morrendo como de costume, parece que estão se curando quase que instantaneamente aqui na Terra, estive reparando Miguel que as pessoas morrem somente por velhice, mas nunca por doenças e nem pelo destino delas, até mesmo se procurarem a morte como sempre aconteceu elas não morrem se é que me entende - diz Gabriel muito preocupado com o ocorrido –

       - São todos os casos Irmão? Então isso deve ser interferência do Cavaleiro da Morte na Terra. Acha que ele esta por trás disso. Será que ele não esta mais atuando na ordem natural da Terra? - diz Miguel a Gabriel enquanto coçava a cabeça muito tenso com o que estava acontecendo, quando diz a Gabriel –

       - E as curas? Acha que Raphael está curando? Acha que o Cavaleiro da Morte não esta mais matando as pessoas como se deveria?

       - Ai que está o problema Irmão eu não consegui montar esse quebra-cabeça, não consegui localizar Raphael quando há uma cura em alguém, Raphael não está lá já investiguei isso Miguel, o que eu estou quase afirmando, é que está havendo um desequilíbrio aqui na Terra, acho que Raphael não está curando e nem o cavaleiro da Morte está por trás desses “bloqueios de mortes na Terra”, acho que tudo isso tem haver com esse desequilíbrio que está afetando a Terra. Miguel tudo está fora de lugar, á ordem natural não está agindo como de costume, Lúcifer retirou as tropas, o Cavaleiro da Morte não está interessado na ordem creio eu, essas coisas acarretou um possível desequilíbrio - diz Gabriel a Miguel com um tom de muito medo – Miguel abaixava a cabeça e estava muito apreensivo com isso, afinal o que Gabriel falara podia fazer uma grande coincidência, talvez não teria nada a ver com Raphael e o cavaleiro da Morte, talvez a retirada das tropas de demônios e principalmente o desaparecimento do Eterno fez que esse grande desequilíbrio acontecesse, ninguém estava fazendo o seu papel, e não fazendo seu papel um desequilíbrio com certeza poderia acontecer, grandes coisas pareciam que estavam surgindo e dessa vez nem o Céu e nem o Inferno sabia de nada, não havia nada escrito, não era uma Ordem do Eterno, pois sempre na Eternidade era o Eterno que falara como as coisas iriam acontecer, era Ele que regia as coisas, mas agora Ele não estava ali pra falar o porque isso estava acontecendo ou que iria acontecer.

       Miguel estava apreensivo, quando então ele diz a Gabriel:

       - Volte para o Céu Irmão, e avise os outros, sobre o que me falou, veja se já descobriram alguma coisa - diz Miguel a Gabriel.

       - Mas Miguel e Raphael? Não vamos mais encontrá-lo?

       - Irmão, vamos deixar Raphael de lado um pouco, creio que o que me falou realmente não tem nada a ver com ele, os Anjos precisam saber dessas coisas, junte-se a eles e veja como estão às coisas por lá se Raphael aparecer, terá q responder o motivo da sua ausência e o porquê não voltou para o Céu -disse Miguel a Gabriel com tom de autoridade –

       - Miguel mais uma coisa o Cavaleiro da Morte também não encontrei nada dele na Terra, foi como se estivesse desaparecido - tornou a dizer Gabriel –

       - Sim! Compreendo Irmão, mas primeiro acho que temos que tomar conhecimento sobre o desaparecimento do nosso Pai, acho que mais do que nunca chegou a hora de procurarmos alguma coisa sobre esse sumiço - disse Miguel a Gabriel com muita preocupação –

       Miguel estava mudando de idéia, ou estava com medo, pois era a primeira vez depois do sumiço do Eterno que tinha dentro de si procurar alguma coisa.

       - Acho que mais do que nunca Miguel temos que encontrar nosso Irmão Izacael, por precaução não é?

       - Sim Irmão; Izacael será de extrema importância - disse Miguel –

       - Miguel? E se for Izacael que está causando esse desequilíbrio? E se Izacael esta por trás disso o que vamos fazer? - pergunta Gabriel –

       Miguel olhou nos olhos de Gabriel e ficou um tanto confuso com a sua pergunta.

       Miguel sabia que Izacael era mais poderoso do que ele, mas Izacael se ausentou na historia nunca interferiu em nada, mas e se fosse realmente verdade? O que iria fazer? Porém Miguel tinha em seu coração a seguir em frente, ele sabia que Izacael estava fora desse jogo, e continuando olhando nos olhos de Gabriel, disse:

       - Vamos apenas procurá-lo e chamá-lo para se unir conosco nessa guerra, ai sim veremos qual é a sua intenção, mas creio que Izacael não tem nada haver com esse desequilíbrio. Vou procurar ele - disse Miguel a Gabriel que o abraçou e disse:

       - Eu sei que dará certo e que encontrara nosso Irmão, vou voltar para o Céu e falar sobre essas coisas, se cuida Irmão e boa sorte nessa sua missão.

       - Vá em Paz Irmão qualquer coisa eu chamo por vocês, avise aos outros que encontrarei Izacael o mais rápido possível - termina de dizer Miguel –

       - Até Irmão. Boa sorte.

       E Gabriel volta aos Céus levando a noticia que vira na Terra e também para ajudar seus Irmãos a encontrar alguma coisa sobre o desaparecimento do Eterno.

       Miguel então começa a procurar Izacael, mas encontrá-lo não seria uma tarefa tão simples assim, pois Izacael era um humano, mas Miguel começa a chamá-lo:

       - Izacael meu Irmão, ouça a minha voz preciso de você aqui.

       Enquanto isso Izacael como sempre, costumava a fugir desde que o Eterno havia desaparecido ele havia se hospedado em um hotel de beira de estrada, ali em seu quarto via o noticiário deitado na sua cama, sobre o que acontecera na Terra e vê que Miguel estava na Terra.

       - O que ele faz aqui pensou Izacael? Quando de repente sente Miguel lhe chamando. O coração de Izacael arde como nunca, Miguel estava lhe chamando, mas Izacael se mantém firme não podia aparecer, pois tinha que saber primeiro de algumas coisas. Então mais uma vez Miguel volta a chamar por Izacael que estava no seu quarto deitado e com o seu coração apertado se mantém paralisado e pensativo.

       - Desculpe Miguel, mas nosso Pai sumiu creio que por minha causa - pensava ele - Não irei aparecer enquanto não ter um sinal de que você e os anjos não querem me punir por causa disso - pensava Izacael que pegando seu cobertor se cobria escondendo de si mesmo –

       - Como irei encontrá-lo - diz Miguel para si mesmo –

       E passando pela cabeça de Miguel, tentou chamar seu Irmão pelo “ritual de invocação” que sempre era usado por alguns Anjos nas Dimensões, o ritual de invocação, seria a última tentativa de Miguel de procurar Izacael, depois disso só vasculhando por toda Terra. E então Miguel começa a invocar Izacael:

 

       "Izacael frater meus te invoco possis videri et necessito tuum auxilium fratris cari cælo indiget auxilio tuo".

         

       Um vento impetuoso sopra no hotel em que estava hospedado Izacael, que escutando a invocação de Miguel, seu medo aumenta, quando o presente que Izacael ganhou do Frei, o crucifixo começa a brilhar intensamente no lado da cama na cômoda do quarto em que Izacael havia deixado, e quando Izacael olha para o crucifixo ele ouve uma voz de dentro do presente do Frei, toque aqui.

       Morrendo de medo e sabendo que Miguel vai encontrá-lo depois da invocação Izacael fica atentamente olhando para o crucifixo.

        

      UM ANJO E DOIS DEMÔNIOS JUNTOS NUM PLANO PERVERSO

        Uriel, Lilith e Abdon não concordavam o que a liderança do Céu e do Inferno havia decretado depois do sumiço do Eterno nas Dimensões, isso fez com que eles se revoltassem e brotassem dentro de si um desejo de descobrir mais sobre esse misterioso desaparecimento.

       Na realidade, nasceu dentro de Um Anjo e Dois Demônios a ganância de reinar como Deus Absoluto Acima de Tudo já que esse cargo estava vazio agora isso faz com que ambos não concordem com o Céu e nem com o Inferno.

       E por si próprios começam á procurar pelo sumiço misterioso do Eterno, essa procura por si própria vai mudar toda a historia, pois ambos vão se encontrar e será a primeira vez na Eternidade, que haverá uma amizade de Anjos e Demônios na historia da Eternidade, e não seria um Anjo qualquer mas sim seria um Arcanjo na Hierarquia divina o mais poderoso da Hierarquia, esse plano irá mudar toda a história desse misterioso sumiço do Eterno, pois nossos rebeldes Uriel, Lilith e principalmente Abdon vão ao fundo dessa investigação. Depois de Uriel conversar com Abgor e saber de algumas coisas ele encontra Abdon e Lilith que também estavam procurando alguma coisa, pois também não concordavam com a ordem de Lúcifer de ficar "mofando" no Inferno segundo Lilith e Abdon.

       E assim Uriel encontra Abdon e Lilith, e isso faz com que surja uma amizade. Mas antes que Uriel falasse alguma coisa para os Dois Demônios, Miguel o mais poderoso do Céu estava vindo para a Terra fazendo com que Uriel, Lilith e Abdon saíssem da Terra para não ser visto pelo Braço Direito do Eterno. Mas depois de tudo o que aconteceu na Terra, quando Miguel pisou nela e as coisas absurdas que o mais Poderoso do Céu fez pela falta de sabedoria já que nunca pisou na Terra em sua Eternidade.

       Uriel, Lilith e Abdon conversam sobre o que cada um pensava, quando voltaram para a Terra depois das coisas que acontecera. Os três estavam começando a conversar.

       O que estava dizendo Uriel sobre Lúcifer? - disse Abdon todo curioso para saber –

       - Eu descobri que Lúcifer é o Alfa das Dimensões - disse Uriel –

       - Alfa das Dimensões? O que é isso? - perguntou Lilith –

       - Eu nunca ouvi isso - completou Abdon –

       - Eu não faço a mínima idéia que seria isso, somente fiquei sabendo de que Deus desceu no Inferno especialmente para conversar com Lúcifer antes de sumir complemente e nessa conversa com o primeiro já Criado, Deus disse para ele tomar cuidado, pois ele era o Alfa das Dimensões, eu fiquei tentando saber o que isso significava mas não consegui descobrir nada - terminou Uriel olhando para Abdon que estava prestando total atenção no que ele falava quando ele disse a Uriel –

       - Como descobriu isso Uriel, Deus disse á vocês no Céu ou especificamente para alguém de lá? – perguntou Abdon -

       Nem uma coisa ou outra quem me disse foi um de vocês – respondeu o Arcanjo –

       - Um de nós? - perguntou Lilith assustada –

       - Sim Lilith, um de vocês e ainda um foi um Chefe de Demônio.

       - Como você o encontrou desceu até o Inferno? - disse Abdon –

       - Não; o encontrei assim que desci aqui na Terra ele estava recolhendo seus demônios para o Inferno, a mando de Lúcifer - terminou Uriel com tom de que estava por dentro dos acontecimentos do Inferno –

       - Quem era ele Arcanjo - disse Abdon cortando Uriel, pois estava meio revoltado por não saber dessas coisas –

       - Foi Abgor que me disse isso Abdon, por quê?Você e Lilith não ficaram sabendo?

       - Nós não ficamos sabendo disso - respondeu Lilith espantada –

       - Como ele ficou sabendo disso? - voltou a dizer Abdon com raiva –

       - Uriel ri e diz em tom sarcástico para Abdon - Eu é que sei! Você que é o braço direito de Lúcifer devia saber não é Abdon, eu não vivo no Inferno.

       Uriel ainda continuou a rir deixando Abdon muito nervoso, pois Abdon devia saber essas coisas afinal ele era "o cara" depois de Lúcifer no Inferno, como outro demônio qualquer iria ficar sabendo e ele não, era como se Lúcifer havia o traído, mas como o desejo de Abdon era um dia tomar o lugar do deus do Inferno e depois o Trono das Dimensões, ele se segurou para falar alguma a Uriel, pois naquele momento era vulnerável no Reino Celestial, e estava diante de um Arcanjo a Classe mais poderosa já Criada em todas as Dimensões, ele teria que usar Uriel de qualquer maneira, foi então que disse a Uriel:

       - Não, eu já não estou nem ai pra coisas que andam acontecendo no Inferno, o que eu quero saber é porque Deus desapareceu, e porque fechou as Dimensões e deixou somente a Terra aberta, nada parece fazer sentido.

       - É exatamente o que quero saber Abdon o porquê dessas coisas tem que ter um motivo - disse Uriel a Abdon -

       - Vocês acham que Lúcifer está por trás disso - disse Lilith para ambos –

       - Creio que não Lúcifer não tem poder suficiente para aprisionar Deus - disse Abdon para Lilith pensativo, quando Uriel corta outra vez em tom sarcástico –

       - Está de brincadeira não é Abdon?

       - O que? O que eu falei Arcanjo? - disse Abdon não gostando nem um pouco do jeito em que Uriel falara, quando o Arcanjo continua –

       - Você acha que Lúcifer pode aprisionar ou acabar com Deus Abdon está de brincadeira, Deus sempre foi intocável, ri em voz alta e continua, até mesmo se todos os Arcanjos reunissem suas forças podiam facilmente acabar com Lúcifer e com o Inferno inteiro e você sabe muito bem disso, vocês são poderosos mas não páreo para o Céu, - continua rindo e diz - vocês são uma piada, - disse Uriel rindo sem parar –

       - Porque está rindo assim Uriel? – perguntou Lilith não entendo nada a respeito da pergunta de Abdon em pensar em que Lúcifer pode ter aprisionado ou até encontrado uma forma de matar Deus –

       - Ué porque não? - disse Abdon nervoso –

       - Abdon faça-me o favor, pare com isso, você sabe que Lúcifer já tentou isso lembra? Da rebelião que ambos participaram? – disse Uriel nitidamente nos olhos de Abdon e Lilith e continua – vocês e principalmente Lúcifer o Líder da rebelião hoje o "deus" de vocês foram punidos facilmente por Miguel que conduziu aquela guerra, naquele dia em que Deus puniu vocês por tentarem tomar o lugar Dele - termina Uriel com autoridade encarando no olhar a Abdon e Lilith –

       - Foi só uma pergunta Arcanjo - disse Abdon já nervoso

       - Uma pergunta muito imbecil Abdon – disse Uriel –

       Abdon ficou olhando para Uriel e não disse uma só palavra engoliu a seco, pois era tudo a mais pura verdade, mas Abdon não podia causar inimizade ainda mais com alguém mais poderoso do que ele, muito mais quando se tratava de um Arcanjo os mais poderosos depois do desaparecimento do Eterno; foi quando Abdon disse:

       - Isso é verdade Uriel, mas isso é passado aconteceram muitas coisas depois disso, creio que você está aqui porque pensa igual a nós não é Uriel? Tem duvidas porque Deus sumiu e deixou tudo a mercê não é? Então vamos deixar as ofensas e histórias passadas de lado e vamos nos unir, tudo bem? – disse Abdon olhando para Uriel –

       Abdon era muito esperto não tinha nada a perder muito pelo contrario queria ganhar e ganhar também o respeito ali no momento e quem sabe mais tarde o Trono das Dimensões, Uriel ficou olhando para Abdon de cima a baixo sem falar absolutamente nada e dentro de si pensava: “ele estava certo”, afinal de contas ninguém estava querendo saber coisa alguma sobre esse sumiço estava todos acomodados esperando Deus voltar “pensava Uriel”, e havia ali Dois demônios na sua frente que pensavam a mesma coisa que ele, que estava disposto a passar por tudo e todos para acharem alguma coisa, Uriel não podia perder a oportunidade; realmente Abdon tinha razão o que passou ficou para trás, os tempos eram outros as coisas não andavam mais como deveriam andar, foi como se a história que já estava escrita foi queimada ou esquecida e foi como se outra história estava sendo escrita mas sem a interferência do Eterno, agora era se juntar a Abdon e Lilith e procurar alguma pista e ver o que realmente aconteceu, foi quando depois do que Abdon falava, Uriel que continuava olhando fixamente para ele sorri para Abdon e diz:

       - Claro que sim Abdon, estamos do mesmo lado, creio que agora temos que nos unirmos para juntos procurarmos alguma coisa sobre as eventuais coisas que acontecera.

       - Como vamos procurar isso, não sabemos de nada - disse Lilith deixando Uriel e Abdon com todas as duvidas de novo, como se estivesse voltado á estaca zero, por um lado Lilith tinha razão não adianta ficar falando um do outro, e muito menos ficarem ali batendo papo, eles não sabiam de nada, não foram alertados de nada, não tinham nada, estavam conversando e aquela conversa não levaria a nada, foi quando o Arcanjo ali presente diz:

       - Lilith e Abdon, qual será a nossa missão o que realmente vamos fazer?

       - Qual é a sua missão Uriel o que você realmente quer? - perguntou Abdon rapidamente para Uriel que responde na maior simplicidade –

       - O que eu quero é procurar pistas sobre o desaparecimento do meu Pai, quero descobrir o porquê Ele sumiu.

       Depois da resposta de Uriel a Abdon o demônio não se contém e começa a rir sua risada é quase um incomodo para Uriel que não entende e diz meio nervoso com aquela atitude de Abdon.

       - Porque está rindo Abdon? Posso saber o motivo?

       - Não me leve a mal Uriel - diz Abdon ainda rindo descontroladamente - Mas vai passar por cima dos seus Irmãos e do Inferno, só por isso? Vai enfrentar Lúcifer e Miguel se for preciso somente para procurar o porquê Deus sumiu misteriosamente? É isso mesmo que eu estou entendendo?

       - Sim, Abdon com certeza, mas porque está falando assim? – disse Uriel

       - Uriel - diz Abdon com um tom de sarcástico - Vocês Anjos são tão tontos, pensam tão pequeno, se você se juntar a nós não irá somente procurar o porquê Deus sumiu, não é mesmo Lilith?

       Abdon olha para Lilith que entende na hora e começa a rir também junto com Abdon, ambos olhando para Uriel que fica sem entender nada.

       - Como assim? A missão é procurar o porquê o Pai sumiu não é? Ou não? - pergunta Uriel com duvida –

       - Arcanjo, iremos conquistar o Trono das Dimensões – disse Abdon –

       - O Trono das Dimensões? – disse Uriel olhando espantado para Abdon e Lilith que pareciam vidrados nessa idéia quando Uriel começa a rir olhado para Abdon e Lilith que estava somente o observando então parando de rir, diz com um tom de duvida – Isso é mentira não é? – olhando ainda sem resposta dos demônios torna a responder – Isso é mentira?

       - Lógico que não Arcanjo, o Trono está vazio não existe ninguém governando nada entre as Dimensões – disse Abdon eufórico para Uriel –

       - Abdon caia na real, assumir o controle do Céu e do Inferno tudo bem – disse Uriel com muita firmeza – Mas assumir o Trono das Dimensões, isso é muito vulgar, não existe essa possibilidade, Deus rege tudo, está tudo registrado e escrito nas profecias – termina Uriel –

       - Uriel - disse Lilith - O que está escrito não tem mais nenhum valor para nenhuma Dimensão –

       - Sim, mas se for verdade e daí? - diz Uriel olhando para Lilith e Abdon que estavam encarando firmemente ele no olhar com os olhos baixos quando Abdon diz -

       - O que Deus, seu Pai escreveu não faz nenhum sentido, mas escute Ele simplesmente deixou o destino escrever a historia.

       - O destino escrever a historia o que está dizendo Abdon - diz Uriel com duvida-

       - Abdon em tom de riso diz - Vocês estiveram com Deus o tempo todo e nunca perceberam isso? Mas são lerdos mesmo. Soberania Arcanjo, nunca notaram a Soberania de Deus?

       Em toda á historia Deus mudou o seu plano e a sua estratégia por quê? Porque Ele é Único, mas agora sumiu Uriel.

       - Sim, mas e daí - disse Uriel –

       - E daí Arcanjo que sempre ouve uma regra única dada pelo próprio Deus que o Trono das Dimensões não poderia ficar vazio por muito tempo, e também a mesma regra diz que quem se assentar no Trono das Dimensões poderá reinar como Deus Absoluto Acima de Tudo, e teria poder o suficiente para acabar com qualquer coisa que cruzar o seu caminho - Termina Abdon motivado com o que falara –

       - Eu sei dessa regra Abdon, mas como vamos chegar ao Trono? Você bem sabe que Deus fechou e também mudou o Portal que dava acesso ao Trono das Dimensões - disse Uriel - É por isso que vamos ter que achar algumas pistas Uriel, é bem provável que Deus não iria desaparecer assim do nada, com certeza aconteceu alguma coisa - disse Lilith para Uriel –

       O que Abdon falava com certeza era verdadeiro, o Eterno era Soberano seu poder e maneira de reger as coisas era única e soberana, Ele não estava preso no Céu, nem no Inferno e muito menos preso em alguma das Dimensões sua visão era totalmente diferenciada, Ele simplesmente escolheu a Terra porque sempre foi apaixonado pela obra que fizera na criação de Sua Imagem e Semelhança, foi simplesmente um desejo Soberano do Eterno, Ele usou e conduziu o homem; e junto com os Humanos Ele mostrou todo o seu Poder e manifestou através do Homem seu plano, Sua Vontade.

       Mas o Eterno havia agora desaparecido por algum motivo, era isso que estava deixando não só os "rebeldes" assustados, mas sim todo o Céu e Inferno, e o fato de o Eterno ter fechado todas as Dimensões e ter escondido o Portal que dava acesso ao Trono das Dimensões deixava um mistério muito grande no ar celestial, mas o que deixava muito mais misterioso era em meio a todas essas coisas o Eterno haver deixado somente a Terra aberta, alguma coisa realmente havia acontecido.

       Por isso Uriel julgava que o Céu não estava interessado em procurar nada sobre o tal fato, e também Abdon e Lilith falavam que Lúcifer não estava interessado em causar uma rebelião para se tornar um possível "deus", esses fatos fazem com que brotassem nos corações de Uriel, Lilith e Abdon a procurar incansavelmente alguma coisa sobre o real motivo de o Eterno ter desaparecido. Foi quando Abdon disse:

       - Alguma coisa realmente forçou Deus a sair do Trono das Dimensões.

       - Vamos então procurar pistas e encontrá-lo para restabelecer o equilíbrio - disse Uriel –

       Nesse momento Abdon e Lilith voltam a rir novamente numa risada muito diabólica, então o Chefe da Encruzilhada, Abdon diz:

       - Acha mesmo que vamos procurar Deus, Uriel? Nossa missão não é procurar Deus.

       - Não? Então qual é a missão de vocês? - respondeu Uriel assustado –

      - Usurpar o Trono das Dimensões Arcanjo - respondeu rapidamente Lilith.

       - Tomar o lugar de Deus? Isso é possível? - responde Uriel surpreso.

       - Segundo a regra única das Dimensões com certeza; primeiro vamos procurar o porquê Deus desapareceu e depois procurar onde está o Portal para depois, meu caro Irmão Arcanjo, iremos assumir o controle das Dimensões e nem o Céu ou muito menos o Inferno irão conseguir nos deter - termina Abdon de falar com tom de autoridade e grande auto-estima –

       - Mas e Deus? - pergunta Uriel –

       - Ora, ora Uriel depois que controlarmos as Dimensões teremos o seu Poder, e assim poderemos destruí-lo.

       - Não se pode matar um Ser Celestial, Abdon ainda mais o Nosso Criador - disse Uriel com grande certeza do que falara –

       - Podemos tentar Arcanjo, Deus parece não estar interessado mais em assumir o Trono então alguém tem que assumir não é? Podemos tentar - disse Abdon muito convicto do que estava falando.

       - Eu nunca me rebelei Abdon - disse Uriel –

       - Lilith rindo diz - Você já é considerado um rebelde Uriel, se Deus aparecer Ele irá te punir, então vamos procurar uma maneira de contornarmos a situação está conosco Arcanjo?

       Uriel já tinha dentro de si o desejo de assumir o controle do Céu, mas apesar de ser um Arcanjo era muito fraco comparado aos outros, mas assumir o Trono das Dimensões isso era demais. Então naquele momento surge dentro de Uriel um desejo de reinar tudo, o desejo de ser não um simples Arcanjo, e sim um "deus" quando rapidamente Uriel responde:

       - Estou com vocês nessa, vamos reinar como Deus Absoluto Acima de Tudo.

       - É assim que se diz Arcanjo, iremos mostrar para todos um novo tempo um tempo, de novos governantes - terminou de dizer Abdon –

       - Mas quem será líder dessa missão? - Quis saber Uriel

       - Eu irei ser o líder da missão Uriel, afinal a idéia foi minha - disse Abdon rapidamente a Uriel e ainda termina - Todos concordam?

       - Eu concordo - disse Lilith –

       - E você Arcanjo? - disse Abdon a Uriel –

       Uriel estava certo em ir até o fim nessa historia, porém aceitar as ordens de um simples demônio? Isso era demais, mas Uriel era um Arcanjo o mais poderoso entre eles ali, se Abdon ou Lilith tentasse fazer algo contra ele, Uriel podia puni-los por ser o mais forte, Abdon ainda estava esperando a resposta de Uriel que estava olhando firmemente para ambos quando ele responde:

       - Eu concordo Abdon, ou melhor, líder Abdon - finalizou Uriel –

       - Ótimo Uriel, precisaremos e muito de você – disse Abdon batendo nos ombros de Uriel –

       - Quando chegarmos ao Trono das Dimensões quem se assentará como Deus Absoluto - quis saber Uriel –

       - Quando chegarmos lá veremos, mas todos nós, teremos respeito, poder e honra em todas as Dimensões - disse Abdon Uriel –

       Aquele era um momento único na história; Anjos e demônios trabalhando juntos, se unindo, sendo amigos. Em meio a todas essas coisas Abdon toma a palavra: - Cavaleiros. Creio que isso é motivo de alegria para nós hoje, nos unirmos para trabalharmos juntos, como uma família que sempre fomos, mas por algum motivo na nossa Eternidade fomos separados, mas agora estamos novamente juntos - disse Abdon para ambos - Creio que o grande motivo dessa união é que todos aqui discordaram da atitude dos nossos Irmãos, algo aconteceu para que Deus sumisse assim tão de repente - disse Abdon –

       - Concordo plenamente - disse o Arcanjo Uriel -

       - Só que uma coisa eu estou certo, você Uriel é o mais rebelde entre nos aqui, pois você é um Anjo e Anjos não podem fazer o mal - disse Abdon querendo fazer uma graça com Uriel, que responde rapidamente –

       - Hahahaha, você tem razão Abdon, Anjos não podem cometer o mal, mas quem disse que procurar a Deus é mal? Porém tenho que concordar com você estamos fazendo o "mal", pois vamos se assentar e reinar as Dimensões no lugar daquele que nos abandonou e não deu importância para ninguém, seremos os novos "deuses das Dimensões" - disse Uriel com tom de soberba e com a sua cabeça totalmente mudada –

       - É assim que se fala Arcanjo, vamos fazer história e mostrar para todo mundo quem é que manda aqui - disse Abdon motivado –

       - Sabe de uma coisa Uriel? É muito engraçado ver um Arcanjo ter mudado de idéia, assim de uma hora pra outra, alguém que sempre esteve a favor do bem e de seus Irmãos mudar do nada - falou Lilith –

       - Minha querida Irmã qual é o problema de se rebelar ás vezes, hoje todos nós somos como os humanos temos o "livre arbítrio", podemos fazer tudo o que quisermos não é mesmo? Futuro incerto Lilith, não existe nada escrito, um futuro que nós vamos escrever - disse Uriel a Abdon e Lilith –

       Aquilo alegrou os Dois demônios, e era a mais profunda verdade no fundo, era uma verdade que ninguém queria admitir "um futuro incerto sem nada escrito". Um silêncio predominou o lugar, com aquela resposta de Uriel.

       Abdon, Lilith e Uriel ficaram um olhando para o outro e todos pensando a mesma coisa; conquistar todas as Dimensões, em meio ao silêncio Abdon diz:

       - Vamos começar a procurar pistas sobre o desaparecimento de Deus tem que haver alguma coisa vamos encontrar o porquê Deus sumiu e como chegar ao Trono das Dimensões.

       - Vocês não sabem como isso me enche de alegria e o quanto estou emocionada de participar desse evento fantástico que vai ocorrer - disse Lilith –

       Os Três estavam totalmente confiante, em suas mentes os rebeldes já se enxergavam como "deus de Todas as Dimensões", e estavam com o propósito de trabalharem juntos até conseguir conquistar o que queriam, mas para isso era preciso procurar o porque o Eterno sumiu e depois onde estava o Portal do Trono das Dimensões, era a hora mais esperada para eles. Uriel então muito confiante diz:

       - O que estamos esperando? Vamos em busca de pistas?

       - Vamos procurar o que o Céu e o Inferno parecem não querem pistas sobre o porquê Deus sumiu – disse Abdon –

       - Concordo totalmente, vamos fazer historia – disse Lilith empolgada –

       - Usurparemos o Trono das Dimensões e teremos poder o suficiente para reinar sobre tudo o que existe, todos nos respeitarão, vamos então atrás de pistas Uriel e Lilith - disse Abdon e finalizando diz –

       - Temos aqui um Anjo e dois demônios juntos num único plano, o plano de conquistar o Trono das Dimensões, o Céu e o Inferno que nos aguardem e todas as outras Dimensões se prostrarão a todos nós.

       Todos riem, e ali fazem um pacto de trabalhar juntos por um único motivo, e eles partem em busca de pistas para esse grande plano perverso, que podem mudar toda a Eternidade e história de todas as Dimensões um momento único, um momento raro e dentro de dos corações de um Anjo e dois demônios ambos partem juntos para executar esse plano totalmente perverso.  

               O PRESENTE DO ESTRANHO FREI

        Izacael estava num hotel na beira de uma estrada fugindo do segredo que sempre o atormentava do qual julgava ser esse segredo que fez com que o Eterno desaparecesse isso sempre deixava Izacael muito atribulado.

       Quando o Arcanjo Miguel chama Izacael sem retorno algum, Miguel usa uma poderosa arma que todos os Anjos faziam para procurar qualquer pessoa ou ser celestial em qualquer Dimensão, "O Ritual de Invocação"; a invocação era usada pelos Anjos que devia ser falada na "língua original dos Anjos", tanto do Céu como do Inferno, não importando onde um Anjo de qualquer "Classe Celestial" estivesse, pois sempre seria encontrado depois dessa invocação, sendo para procurá-lo ou sendo para puní-lo, pois existia também "O Ritual de Punição", que funcionava da seguinte forma:

       “Se um Anjo fosse inferior a outro ele podia ser punido para a sua “casa” e ficava lá sem os seus poderes até que o Eterno resolvesse libertá-lo ou outro Anjo superior a ele o libertasse, dessa maneira ele poderia sair de onde estava, e seus poderes voltariam ao normal, às ordens para a Hierarquia eram os demônios ou Anjos Caídos, a classe menor, qualquer Anjo podia punir um Anjo Caído não interessasse a classe que era, no Céu funcionava da seguinte forma, os Anjos podiam ser punidos por qualquer classe hierárquica do Céu; os Serafins eram Inferiores aos Querubins, portanto um Serafim podia ser punido por um Querubim, e os Arcanjos ou Querubins Ungidos eram a primeira classe do Céu podiam punir qualquer um menos Lúcifer que era o primeiro já Criado, mas para os Arcanjos eles podiam punir outro Arcanjo desde que fossem mais forte, por exemplo; Miguel podia punir Gabriel, mas Gabriel não podia punir Miguel, pois Miguel foi criado primeiro que Gabriel e assim por diante, o Eterno que era superior a qualquer coisa, se desse uma Ordem para algum Anjo punir alguém superior a ele então isso seria possível, pois era uma Ordem superior a qualquer coisa, foi o que aconteceu na antiga rebelião liderada por Lúcifer.

       Miguel sendo mais fraco do que ele, o vence facilmente, pois se tratava de uma Ordem do Criador e Deus Absoluto de Tudo, “O Eterno”.

       Os Anjos até aquele momento usavam esses "Rituais" segundo a ordem do Eterno, mas agora que Ele havia desaparecido os Anjos podiam usar isso como bem entendesse era interessante porque depois que o Eterno havia desaparecido esse ritual foi esquecidos mas como sempre os Anjos agora tinham a plena liberdade de usá-lo. Miguel usa o Ritual de Invocação para encontrar Izacael que estava no seu quarto de hotel com medo e vendo na televisão as noticias que rodavam o mundo, de que Miguel fizera quando desceu na Terra.

       Depois da Invocação de Miguel para procurar o Arcanjo Humano, um “Vento Impetuoso” sopra tremendamente no hotel, e dentro do quarto de Izacael, ele sente a energia de Miguel chamando-o dentro de si a vontade de Miguel o encontrar, um pouco de saudade se mistura com o medo, Izacael ao mesmo tempo quer ser procurado por Miguel mas ao mesmo tempo também tem receio que Miguel queira puní-lo.

       Izacael não tinha saída, o medo invadia o seu coração quando ele deitado na cama se cobre tentando se esconder de Miguel, assim como todo Humano faz quando está com medo: se cobrir de seus medos e pesadelos.

       Antes mesmo de completar o Ritual de Invocação, Izacael sente uma voz no quarto e não era a voz de Miguel mas outra voz totalmente desconhecida, quando ele tira metade da coberta do seu rosto, vê que o crucifixo que ele havia ganhado daquele Frei no dia em que o Eterno desapareceu na Igreja em Dracena, Izacael vê que o crucifixo começa a brilhar intensamente o forte vento que assoprava no hotel era o sinal de que Miguel apareceria a qualquer momento, então Izacael ouve uma voz daquele crucifixo que havia deixado em cima da cômoda, uma voz soava de dentro do crucifixo que dizia: “toque aqui Izacael, toque aqui e fuja da invocação”.

       - O que está acontecendo? Quem é que está ai, Miguel é você? – disse Izacael muito assustado –

      E enquanto Miguel vai terminando a Invocação o vento começa a cessar, isso era o sinal de que Miguel estava terminando e assim que terminasse Miguel iria aparecer justamente na frente de Izacael.

       Izacael estava tremendo de medo deitado olhando para o crucifixo que estava brilhando então escuta mais uma vez o eco da voz de Miguel invocando-o, quando a voz do crucifixo diz novamente: “Miguel não vai encontrá-lo, se você tocar aqui”.

       - Quem é que está ai? - disse Izacael assustado –

       A voz de Miguel era Insuportável dentro da sua cabeça.

       “Toque aqui Arcanjo, toque aqui Humano, toque aqui - disse a voz que vinha do crucifixo”.

       E a voz de Miguel da invocação vai ficando mais forte.

       "Izacael mihi videor applellationem frater, te invoco possumus loqui potes adiuva me et fratem meum intende voci deprecationis imprtuoso venti esse potest, ubi ego te invoco, invoco"

        O vento cessa. Uma luz bem forte começa a surgir em frente de Izacael o ritual de invocação estava terminando, a voz do crucifixo diz a Izacael: “Toque aqui Arcanjo, vai deixar Miguel te encontrar sem estar preparado, e sem saber das coisas que aconteceram?”.

       E Izacael fica sem saber onde escolher e não tendo opção, sabendo que Miguel já o havia localizado, o Arcanjo Humano então escolhe em tocar naquele estranho crucifixo que brilhava intensamente e quando toca é sugado imediatamente para dentro do crucifixo sumindo do quarto, e assim que é sugado o Arcanjo Miguel chega ao quarto do hotel onde estava hospedado Izacael e olha ao redor, a televisão estava ligada, a camisa de Izacael pendurada no roupeiro, a mala de roupas jogada no canto esquerdo do quarto, Miguel anda pelo quarto procurando por Izacael:

       - Irmão? Irmão?

       Miguel fica sem entender o que estava se passando, vai até o banheiro, e não encontra ninguém:

       - Izacael? Izacael? Onde está você? Vê o crucifixo jogado em cima da cama onde Izacael fora sugado, pega o crucifixo analisa de cima a baixo quando vê o noticiário na televisão; aquilo lhe chama a atenção, Miguel então segurando o crucifixo diz:

       - Vou esperar você aqui Irmão, não sei o que aconteceu, mas você esta perto eu posso sentir.

       E Miguel, abre o frigobar daquele hotel pega um pacote de amendoim que tinha ali dentro, deita na cama coloca o crucifixo em cima do seu peito e começa assistir ao noticiário de TV sobre a sua vinda na Terra, a confusão que causara, Miguel vendo aquilo diz:

       - Não quero assistir isso e colocando em um canal qualquer, Miguel assiste tranquilamente esperando Izacael aparecer a ele.

       Enquanto isso Izacael, aparece num lugar todo nebuloso, uma nevoa vermelha encobre o lugar que é semelhante a uma floresta, onde Izacael dá de cara com uma escadaria alta, muito, muito alta o lugar é silencioso, parecia que não havia ninguém no local, á nevoa vermelha encobre o que havia no fim daquela enorme escadaria, Izacael olhando ao redor da floresta diz:

       - Tem alguém ai? – o eco de Izacael se repete naquela silenciosa floresta - Tem alguém ai? Quem me trouxe aqui? - o eco de Izacael se repete novamente naquele estranha floresta - Deve ser outra Dimensão - diz Izacael para si mesmo - Nunca vi esse lugar antes, com certeza não é a Terra –

       Começa a ventar naquele lugar tenebroso, o vento vem das costas de Izacael e começa levar aquela nevoa vermelha embora, fazendo com que ele veja o que há no alto daquela alta escadaria. Izacael olha e vê que no alto da escadaria há um templo dourado com uma torre alta e na ponta dessa torre um crucifixo semelhante ao que o Frei deu para ele na Igreja, esse crucifixo brilhava muito, quando Izacael diz:

       - Que lugar é esse? Fui trazido dentro do crucifixo, onde eu estou - diz Izacael que resolve gritar novamente para chamar a atenção de alguém naquele estranho lugar:

       - Tem alguémmmm aiiiiiiiiiiiii.

       Do alto da torre a mesma voz que o chamava pra tocar no crucifixo enquanto ainda estivera no quarto diz:

       - Quem é você?

       - Meu nome é Izacael.

       Izacael? – pergunta a voz misteriosa - Izacael do que?

       - Izacael; Izacael Arcanjo – responde Izacael –

       - Izacael Arcanjo? – pergunta novamente a voz que vinha do templo –

       A voz misteriosa de dentro do templo começa a rir até que Izacael diz:

       - E você quem é? Qual é o seu nome?

       Naquele momento a risada cessa e um silêncio predomina novamente o local um vento novamente dessa vez na frente Izacael sopra muito forte, Izacael coloca a mão em seu rosto, a nevoa vermelha volta novamente fazendo com que Izacael não enxergue mais nada e então diz:

       - Eu perguntei quem é você? E que lugar é esse.

       - Você saberá Izacael Arcanjo. Ou melhor, Arcanjo Izacael diz á voz que volta a cair na gargalhada novamente o vento é insuportável e a nevoa vermelha predominava aquele local, passos de cavalo começam a ser ouvidos atrás de Izacael, o vento diminui um pouco, Izacael vira para trás assustado tinha alguém vindo em sua direção, com o braço em seu rosto encobre a poeira que fazia o vento ali naquele lugar, vê no meio daquela nevoa vermelha alguém montado num cavalo, esse alguém vem para cima de Izacael que se joga para o cavalo não passar em cima dele, quando esse cavalo passa absorve a nevoa vermelha para si, subindo nas escadarias e entrando para dentro do templo, o vento cessa totalmente e a voz se repete no templo:

       - Suba aqui Izacael, suba aqui Arcanjo – disse a voz misteriosa -

       Izacael olha em cima das escadarias, bate em sua roupa para tirar a poeira do seu corpo, tosse várias vezes a poeira que ingeriu na ventania, e lentamente com muito medo sobe nas escadarias, cada passo o seu coração apertava e o medo aumentava afinal ele nunca tinha visto coisa semelhante. No meio das escadarias conforme vai subindo Izacael percebe que seria impossível voltar para floresta, pois as escadas conforme vai subindo vão desaparecendo, e bem lá em baixo ele podia ver a floresta que se tornava tenebrosa por causa da escuridão, ele olha para cima e vê que faltava poucos degraus para chegar ao templo e que permanecia silencioso como se não houvesse ninguém lá dentro, Izacael diz novamente para si mesmo:

       - Que Dimensão é essa? De quem é essa voz?

       Izacael vai caminhando lentamente dizendo: Estou chegando, quem é e onde você está?

       Sem resposta Izacael para olha para baixo e vê que cada degrau continua desaparecendo então ele para olha para a floresta que quase não dá para enxergar e olha novamente o templo, abaixa a cabeça, quando a voz de dentro do templo volta a falar:

       - Izacael, não pare venha logo, não tenha medo, entre aqui no templo, venha Arcanjo, venha Humano.

       A Voz que vinha do templo não era nem um pouco conhecida para o Arcanjo, e o coração de Izacael estava apertado e, além disso, com muito medo de prosseguir adiante, mas como não tinha como voltar a floresta, ele resolveu continuar, e subindo o ultimo degrau daquela grande escadaria bem devagar Izacael entra no templo, com muito medo e diz:

       - Tem alguém ai? Quem está ai?

       Os passos de Izacael eram bem devagar, ele entra na porta principal daquele templo, assim que entra as velas colocadas na paredes do templo se acende uma a uma, a porta do templo se fecha assustando Izacael que dando passos lentos diz:

       - Oláááááá. Tem alguém ai?

       Não havia ninguém naquele templo era o que parecia, Izacael pensa que estava em um sonho, mas não. O que ele estava vendo era real.

       Aquele templo era gigantesco muito grande pra falar a verdade, era dourado e o teto e as paredes eram em forma de cruz que podia ser como as janelas do templo Izacael nunca vira algo tão lindo desde que saiu do Céu e dos acessos as outras Dimensões, as cruzes que pareciam janelas eram semelhante ao crucifixo dado por aquele estranho Frei na Igreja, Izacael vai caminhando observando a beleza do lugar quando a Voz misteriosa que lhe chamava diz:

       - Arcanjo? Que bom que você veio.

       - Eu não sou Arcanjo – Diz Izacael - Quem é você e onde você está? – Diz com medo –

       - Estou bem aqui.

       Izacael olha por todos os lados naquela sala principal do templo não havia ninguém e a Voz torna a lhe dizer:

       - Se você não é um Arcanjo? O que você é então?

       - Sou um Humano, Izacael é o meu nome.

       A Voz volta a soltar uma grande gargalhada, e Izacael procura em todos os cantos, vai até a janela em forma de cruz olha pra fora e vê que a floresta já havia desaparecido e estava tudo preto lá fora, a risada continua sem cessar quando Izacael diz em meio aqueles risos:

       - Porque a graça quem é você?

       Um barulho de cavalo parece que está vindo novamente a sentido de Izacael, nos corredores do grande templo que dão acesso ao salão principal são escutados passos e relinchos de cavalos; uma Voz se mistura junto com a do cavalo como se alguém estivesse dando ordem para o cavalo seguir, era alguém que estava em cima do cavalo que se aproximava, Izacael fica bem no meio do salão principal do templo em forma de cruz olhando para todos os corredores, Izacael não sabia aonde viria àquele que estava sentado no cavalo e que parecia vir em direção a ele, enquanto ouvia o som ensurdecedor do cavalo misturado como alguém motivando a vir em direção do salão principal do templo, Izacael ouve a Voz misteriosa novamente:

       - Izacael, O Humano hahahahahahahahaha, O Humano hahahahahahahahaha.

       Aquela voz era misturada junto com o som do cavalo, quando de repente num dos corredores do salão principal o cavalo pula na direção das costas de Izacael dessa vez o cavaleiro toca nos seus braços e joga-o para bem longe Izacael bate na parede do templo e rapidamente se levanta um pouco ficando ajoelhado, coloca as suas mãos no rosto e observa o cavalo; a cor do cavalo é preta com os acessórios de cavaleira colocados no cavalo são vermelho e preto misturado, Izacael observa também o cavaleiro suas vestimentas são pretas, e dele não dá para ver, pois ele usa um capaz com seu rosto encoberto nas costas do cavaleiro ele levava uma espada, e um arco com algumas flechas, numa das suas mãos ele segura as cordas do cavalo e na outra segura uma corrente bem grossa, Izacael ainda no chão meio ajoelhado observa que o cavaleiro desce do cavalo, e vem em sua direção, com passos largos e firmes e então estende a mão para Izacael se oferecendo para o ajudar a se levantar, Izacael segura a mão daquele estranho e se levanta, o cavaleiro vai de novo perto do cavalo, Izacael fica encarando ele, tentando descobrir quem sem dizer alguma coisa, o cavaleiro também não diz nada fica só acariciando o seu cavalo, Izacael fica esperando alguma resposta pois tentando descobrir que impossível já que o capuz encobria o cavaleiro, Izacael diz com receio aquele estranho:

       - Quem é você?

       O cavaleiro para do lado esquerdo do cavalo e olha para Izacael que estava a alguns metros de distância só observando aquele cavaleiro que passa na frente do cavalo e encara Izacael ainda com o capuz em sua cabeça quando Izacael diz novamente:

       - Quem é você? Porque me trouxe aqui? Que lugar é esse?

       O cavaleiro encara mais um pouco Izacael e faz um sinal para Izacael o seguir, Izacael diz:

       - Não entendi

       O cavaleiro faz um gesto novamente para ele o seguir, ainda sem entender Izacael fica olhando o cavaleiro que rapidamente sobe no cavalo e dá um sinal para o cavalo sair andando e entra num daqueles corredores do templo, Izacael sai correndo atrás do cavaleiro naquele extenso corredor dourado, gritando:

       - Me espere, onde você vai, me espere.

       O cavaleiro vira e diz a ele:

       - Me siga Humano Izacael.

       De repente o cavaleiro entra em uma das portas do lado direito do corredor que estava correndo, Izacael para rapidamente e olha o que há por trás da porta parecia ser uma sala real gigantesca toda dourada com um brilho que chegava quase a cegar os olhos de Izacael o lugar era estrondoso as janelas continuavam ser em forma de cruz no centro da sala tinha uma altar com um trono bem no meio do altar os olhos de Izacael se movem para o altar e dando alguns passos chega em baixo do altar quando Izacael sobe alguns degraus para ver o trono que estava no altar aquele cavalo preto com vestimentas vermelha e preta aparece de trás do altar já que aquele trono estava de costas para Izacael; Izacael leva um susto com o cavalo que estava frente para o altar, Izacael olha e vê que há alguém no altar e uma das mãos aparece do lado em que o cavalo estava e sinalizando para Izacael subir até lá ele fica parado olhando a mão sinalizando para subir e o cavalo olhando nos olhos de Izacael, quando a quem estava sentado no trono diz:

       - Venha Izacael não tenha medo.

       Izacael sobe até o altar lugar onde estava o trono e vê o cavaleiro que estava sentado no altar ainda com capuz, e com um copo de vinho na mão, Izacael com medo diz:

       - Q... quem é você?

       - Eu? A pergunta seria quem é você?

       - Já disse meu nome é Izacael. E o seu?

       Aquele estranho se levanta do trono e diz:

       - Eu? – ri um pouco dá dois passos fica de costas para Izacael a segura com uma mão o copo de vinho e com a outra retira o capuz e diz – Meu nome é Guerra. O cavaleiro da Guerra.

       - Guerra? – Diz Izacael assustado –

       Guerra que estava de costas para Izacael tinha seus cabelos vermelhos era um corpo muito musculoso e em sua cabeça várias cicatrizes, Guerra vai tirando pouco a pouco suas vestimentas pretas e ficava agora com uma roupa de soldado preto com vermelho em suas pernas e braços as partes que davam para ver as cicatrizes continuavam quando o seu cabelo era de cor vermelha o estilo de corte era curto e arrepiado quando Guerra vira para Izacael seus olhos eram pretos e uma cicatriz no queixo chamava a atenção já frente para Izacael, Guerra diz:

       - Sim, Guerra sou o cavaleiro da Guerra.

       Meio sem entender nada Izacael olhando nitidamente para Guerra diz:

       - Posso saber onde estou, porque me trouxe aqui e o que deseja?

       Guerra então diz a Izacael:

       - As perguntas serão respondidas conforme a nossa conversa está com fome Izacael você chegou justo na hora da minha refeição – E estendendo a mão uma mesa gigantesca aparece com vários pratos de diferentes tipos, varias bebidas e frutas, quando Guerra diz a Izacael:

       - Vamos Izacael sente-se aqui comigo?

       - Eu não quero comer nada só quero saber onde eu estou.

       - Se não quer comer então quer um vinho? É do melhor vinho, creio que você nunca experimentou -Diz Guerra enchendo mais um copo num barril dourado em cima da mesa de comida, Izacael diz:

       - Obrigado Guerra, agora não porque me trouxe aqui que Dimensão é essa?

       - Dimensão? – Diz Guerra – Aqui não é nenhuma Dimensão Izacael?

       - O que é então? Onde é esse lugar?

       - Aqui? – E Guerra chamando o cavalo e dando comida para ele e também água diz – Aqui é dentro do crucifixo.

       - Dentro do crucifixo? Como é possível que crucifixo é esse?

       - O crucifixo carrega uma Dimensão isolada das outras é digamos um lugar de refugio a qualquer pessoa – Diz Guerra -

       - Guerra porque me chamou aqui? – Diz Izacael apreensivo –

       - Só te chamei porque você estava em apuros, e também porque não era a hora de Miguel encontrar você não depois de saber algumas coisas pra não fazer nenhuma coisa errada – Termina de dizer Guerra a Izacael.

       Izacael estava com medo, ainda mais depois que Miguel havia vindo para Terra, estava com medo que o Céu e também talvez o Inferno achasse que ele era o principal culpado pelo desaparecimento do Eterno, e querer puní-lo, então não queria que Miguel o visse pra não ter que lutar, pois colocou no seu coração depois que foi concedido o desejo de se tornar Humano a nunca mais usar os seus poderes de Arcanjos. Izacael então diz a Guerra:

       - Ganhei esse crucifixo de um estranho Frei, você o conhece – Quis saber Izacael, já que nem sabia quem era aquele Frei da Igreja –

       Guerra fica um bom tempo parado olhando para Izacael em silêncio e Izacael fica olhando para Guerra, quando o cavaleiro diz:

       - Não faço a mínima idéia Izacael, eu não sei de nada – Diz Guerra com um tom baixo, Izacael não convencido diz –

       - Você sabe de alguma coisa não é? Isso não me convenceu quem é o Frei?

       - Izacael, deixe o destino uní-los novamente cada tempo em seu lugar, hoje o tempo é de conversar comigo.

       Aquilo cala Izacael e ele fica um bom tempo em silêncio quando olha para Guerra e diz:

       - O que quer falar comigo?

       - Izacael, primeira coisa que deve fazer é deixar Miguel te encontrar.

       - Miguel? Não ele quer me punir.

       - Não Izacael. Miguel e o Céu estão mais perdidos do que você; você deve se unir a eles nessa batalha.

       - Que batalha? Não existe uma batalha. Ou existe? – disse Izacael –

       - A batalha vai começar, quando descobrirem algumas coisas.

       - Que coisas? – disse Izacael assustado –

       - Izacael, preste atenção existe muitas coisas entre o desaparecimento de Deus.

       - Muito mais coisas? O que está dizendo Guerra.

       - Estou dizendo que quero que avise Miguel para não tentar encontrar Deus, pois ninguém vai achá-lo, quero que vocês se preparem para uma batalha que possivelmente irá começar em breve.

        

       Izacael fica olhando para Guerra parecia que ele sabia de muita coisa, ou somente estava tentando enganá-lo, Guerra fora criado na antiga rebelião quando Lúcifer e os seus anjos caídos fizeram guerra para tirar o Eterno do Trono das Dimensões, então Lúcifer na batalha contra Miguel sendo o representante do Eterno na batalha contra o Céu vence a guerra, mas daquela batalha surge o Cavaleiro da Guerra que tinha por papel sair causando guerras entre as Dimensões como sempre tudo era por Ordem do Deus Absoluto Acima de Tudo, O Eterno, mas agora que Ele havia desaparecido Guerra poderia muito bem estar tramando alguma coisa já que tinha esse poder de persuasão, Izacael olhando ainda para Guerra diz:

       - Como sei que está falando a verdade, e não quer assumir o Trono das Dimensões depois desse “sumiço” de Deus?

       - Primeiramente eu não seria louco de assumir uma coisa que não é minha e de uma coisa que sei que é impossível segundo estou “morto” Izacael não tem o poder de assumir nada.

       - Morto? – disse Izacael – Você não pode morrer Guerra.

       - Estou morto Izacael, não existe guerra mais entre anjos, Humanos e nem em todas as Dimensões então estou morto, pois foi pra isso que eu fui criado para produzir guerra e sem guerra eu estou morto.

       - Eu não estou te entendendo – disse Izacael – Você está falando de uma batalha que vai se iniciar e ao mesmo tempo fala que morreu? Está me deixando confuso.

       - Essa batalha não será mais de anjos e demônios e muito menos com os Humanos.

       - Será pelo que então? – disse Izacael –

       - Poder – respondeu Guerra num tom baixo mais convicto –

       - Poder?– disse Izacael sem entender –

       - Sim, poder, aquele que tiver poder, poderá encontrar o Portal do Trono das Dimensões, abri-lo e reinar com Deus Absoluto Acima de Tudo.

       - Espera um pouco Guerra – disse Izacael cortando-o – Ninguém pode tomar o lugar de Deus, Ele é Único, todos sabem disso.

       - Ele é Único Izacael, mas também é Justo, e coisas que Ele disse se porventura acontecerem podem dar inicio a Um Novo Deus das Dimensões.

       - Justiça de Deus o que isso tem a ver? Como pode alguém pode se tornar um Deus das Dimensões e reinar no lugar do Criador de Tudo? – disse Izacael muito intrigado com aquilo –

       - Depois do sumiço de Deus, pedaços do Seu Poder foram distribuídos em objetos Izacael.

       - Objetos Guerra? Que Objetos?

       - Objetos de emanação divina através do Homem – respondeu Guerra –

       - Objetos de emanação divina? Quais? Eu não compreendo.

       - Izacael, meu menino, preste atenção você viveu tanto tempo aqui na Terra, e não sabe o que Deus fez nessa Dimensão? Arcanjo, os objetos que Deus usou para mostrar a Sua Manifestação para o Homem.

       Izacael abaixa a cabeça e fica pensativo, lembra-se de alguns fatos isolados na história divina, o Eterno sempre se comunicou com o Homem, pois Ele sempre o amava, mas Izacael nunca interferiu ou nunca nem sequer apareceu na história nunca ao menos presenciou algum fato isolado sempre foi um Humano qualquer sem querer provar a manifestação do Eterno, pois não tinha como provar afinal de contas Izacael continuava com seus poderes sem usá-los, mas tinha poderes, então pra que provar ou presenciar a manifestação do Eterno para o Homem? –pensava Izacael – Afinal de contas Izacael já tinha provado muito disso na Eternidade agora era hora de ser Humano. Izacael fica pensando essas coisas quando Guerra diz:

        - Esses objetos são poderosíssimos e eu nem quero pensar se cair em mãos erradas.

       - Guerra – disse Izacael – Esses objetos só tiveram poder ao menos uma vez, na manifestação de Deus ao Homem depois disso voltaram a ser objetos normais.

       - É ai que você se engana Arcanjo Humano – Guerra e termina – Eles eram simples Objetos até Deus desaparecer depois do desaparecimento esses Objetos voltou com seus poderes originais. Porque acha que só a Terra foi a Única Dimensão que ficou aberta?

       - A Terra é a Única Dimensão aberta? O que aconteceu com as outras? – disse Izacael assustado com grande medo do que Guerra falara –

       - Não sabia? Ah claro você não é um Anjo mais é um Humano, Deus fechou todas as Dimensões e deixou somente a Terra aberta, algo vai acontecer se cair em mãos erradas esses Objetos.

       - Você sabe onde eles estão Guerra? – disse Izacael –

       - Infelizmente eu não sei Izacael, mas de uma coisa eu sei, vocês correm perigo, avise a Miguel o mais rápido possível, trabalhe junto com ele, quanto antes recuperarem os Objetos melhor.

       - E de que adianta procurar os Objetos? Quando eu tiver eles na minha mão o que vou fazer? – disse Izacael –

       - Você saberá Izacael – diz Guerra colocando as mãos nos ombros dele - Agora volte para a Terra e apareça para Miguel, diga essas coisas a ele e procure-o antes que mais alguém que tem segundas intenções o ache e governe no Trono das Dimensões – termina Guerra –

       - Essa guerra não é minha eu não vou procurar nada, eu nunca almejei nada Guerra, quero continuar como sempre na minha natureza Humana.

       - Isso é impossível Izacael, pois foi você mesmo que iniciou isso tudo. Não é mesmo Arcanjo?

        Guerra ficou encarando nitidamente Izacael, seu olhar era como se culpasse Izacael, pelo desaparecimento do Eterno, sentando-se a mesa das refeições naquele gigantesco templo.

        

       - O seu segredo fez com que Deus desaparece deixando Céu, Terra e Inferno a mercê de uma Guerra catastrófica, e você sabe disso.

       - Como sabe essas coisas Guerra – diz Izacael sentando na cadeira muito assustado com o que acabara de ouvir –

       - Sei o necessário Izacael, mas seu segredo será a chave para o fim disso, saberá quando chegar a hora.

        A cabeça de Izacael vai a mil por um minuto ele havia se arrependido de ter tocado naquele crucifixo, como o Cavaleiro da Guerra sabia essa coisas, como Guerra sabia desse segredo e muito atribulado e com muita vergonha de estar olhando para Izacael já que no fundo era a grande verdade então abaixa a cabeça para desviar o olhar de Guerra e termina:

        - Eu sei que não devia fazer isso, mas eu fiz; fiz e não me arrependo.

       - Guerra ri levanta a cabeça de Izacael e diz – Você fez o que devia ter feito não me arrependeria também se estivesse no seu lugar, ninguém se arrependeria Izacael, mas não pense nisso agora, você deve se aliar a Miguel para encontrar esses Objetos e depois você irá saber o que fazer com eles no momento certo, na hora certa. Coma um pouco Izacael preparei esse banquete especialmente para sua chegada.

       - Eu vou aceitar Guerra, mas ainda estou pensando no que fiz.

       - Ora Izacael – diz Guerra – Você me conta enquanto vamos comendo, tudo bem? Sente-se; coma fique a vontade.

       E ambos ali dentro daquele crucifixo naquela Dimensão isolada no templo dourado conversam do segredo de Izacael enquanto comem, riem de algumas coisas que lembram na Eternidade, Izacael percebe que Guerra não estava com segundas intenções, estava simplesmente falando a verdade, depois de ambos comerem Izacael se levanta da mesa e muito satisfeito diz a Guerra:

        - Muito obrigado, agora tenho que ir para a Terra.

       - Foi muito bom revê-lo Izacael não esqueça alie-se a Miguel, e tente encontrar pistas sobre esses Objetos recolha-os e depois saberão o que fazer.

       - Sim Guerra; verei o que posso fazer, posso te dizer mais uma coisa?

       - Sim claro diga.

       - O Frei que me deu esse crucifixo não era um Frei não é?

       - Guerra ri e diz – Quem sabe não é Izacael – ri de novo e diz – Quem sabe.

       - Quem é ele? Quis saber Izacael –

       - Izacael, não vamos pular as coisas quando chegar a hora de reencontrar com ele você saberá se ele é um Frei ou não – Guerra ri novamente –

       - Como volto para a Terra Guerra?

       - Sinto que já aprendeu que você faz parte dessa batalha você querendo ou não.

        Guerra bate ambas as mãos atrás de Izacael abre-se um portal onde ele já consegue enxergar o quarto do hotel na Terra, Izacael perto do portal olha para Guerra e diz:

        

       - Você não quer vir? Vamos procurar juntos?

       - Eu morri Izacael lembra? O destino é para você não pra mim – diz Guerra olhando nitidamente para Izacael -

       - Vamos nos reencontrar novamente?

       - Guerra dá um sorriso e diz – Estarei aqui quando precisar, é só vir me visitar.

       - Como farei isso? – disse Izacael de frente para o portal.

       - Aperte o crucifixo com força e você virá para cá instantaneamente, e eu estarei te esperando se precisar de algo – e dando alguns passos até Izacael, Guerra completa – Creio Arcanjo que não precisará de mim, pois o destino escolheu você para a batalha que certamente se iniciará.

       - Eu ajudarei como um Humano que sempre quis ser – disse Izacael –

       - Faça como for; mas ajude, e creio que mais cedo ou mais tarde você terá que aceitar que não é um Humano somente Izacael, mas um Anjo, e simplesmente ajude, somente ajude e faça o que falei.

        Izacael vira sentido ao portal e fica parado olhando o outro lado, fica olhando para o quarto de onde sairá Miguel, que estava a sua espera, respirando fundo Izacael levanta a sua cabeça encara o portal respira mais uma vez e quando vai passar para o outro lado Guerra toca no seu ombro e diz:

        - Izacael - e então ele vira novamente para Guerra, quando termina de falar –

       - Guarde com sua própria vida o seu segredo, sei que fará isso, mas se porventura esquecer guarde-o, pois ele é o fim para isso, vá em paz Arcanjo e boa sorte.

       - Guerra. Aquele Frei me deu esse crucifixo só para conversar com você? – disse Izacael virando o pescoço e olhando nitidamente nos olhos de Guerra –

       - Não! Esse crucifixo serve para bloquear qualquer invocação e punição de anjos ou demônios, ninguém pode senti-lo se você estiver usando-o.

       - Izacael ri e diz – Porque não o usei no momento de invocação de Miguel.

       - Porque é simples, você e Miguel tem uma missão e o destino de vocês é se encontrar, agora vá em paz Izacael Arcanjo.

        Izacael então, se despede de Guerra balançando a cabeça e parte para a Terra, levando dentro de si um alivio ele não estava sozinho, mas também levando em sua cabeça que foi ele que fez com que o Eterno desaparecesse isso incomodava demais Izacael ainda mais sabendo que Guerra saberia passou pela cabeça de Izacael quem mais sabia disso? Izacael estava disposto a se unir junto com seu Irmão Miguel e fazer o que Guerra falou, sem mais nem menos Izacael parte para a Terra para encontrar seu Irmão Miguel que não via há muito tempo.

        

             MIGUEL PROCURA POR IZACAEL

        Izacael volta para a Terra depois da conversa que teve com Guerra naquela Dimensão isolada dentro do crucifixo, em seu coração estava vibrando de alegria porque fazia milênios que não via o seu Irmão Miguel.

       Algumas coisas atormentavam Izacael e também o deixava muito preocupado, pois ouvira de Guerra que o seu segredo era o fim de tudo isso, Izacael sempre fugiu depois do desaparecimento do Eterno, mas depois da conversa com Guerra, Izacael entendeu que fugir não adiantava, pois onde ele estivesse mais cedo ou mais tarde iria ser encontrado e que o seu destino era proteger o seu segredo.

       Miguel permanecia no quarto do hotel de Izacael depois do ritual de invocação, estava ali, não entendia porque não encontrou Izacael, porém sabia que alguma coisa havia acontecido e resolveu esperar Izacael voltar, afinal um ritual de invocação não costuma falhar pensava Miguel, que permanecia deitado na cama do hotel assistindo televisão, estava vidrado num programa de TV, afinal Miguel nunca havia assistido televisão, ele ficava mesmo era intrigado e achava o máximo ver a reportagem do que ele mesmo fizera na Terra já que essa noticia estava percorrendo o mundo inteiro, achava o máximo ver ele na televisão, o crucifixo que Miguel achou jogado na cama do hotel assim que chegou depois do ritual de invocação no quarto de Izacael, permanecia em cima do seu peito, como Izacael demorava pra voltar, Miguel já estava cansado de esperar, e então ele levanta da cama e diz consigo mesmo:

       - Onde está você Izacael? Onde se meteu Irmão?

       Izacael estava vindo para a Terra, a qualquer momento iria aparecer no quarto. Miguel da uma nova vasculhada no quarto, e mais uma vez não acha nada, dá uma olhada na mala que Izacael havia deixado, só tinha roupa lá dentro. O crucifixo que Miguel havia deixado quando levantou da cama começa a brilhar intensamente, aquilo chama muito a sua atenção, Miguel para imediatamente de vasculhar a mala de Izacael e observa aquele crucifixo, o Arcanjo dá uns passos e pega o crucifixo que estava jogado na cama e fica olhando nitidamente para o objeto, não estava entendendo nada, vira o crucifixo de ponta cabeça balança o mesmo, pra ver se acontecia alguma coisa, então de repente um vento muito forte assopra misteriosamente no quarto inteiro, Miguel então olha para ao seu redor com muito medo pensando que havia alguém ali, quando o crucifixo começa a tremer rapidamente ele solta o crucifixo que esse fica no ar como se alguém “invisível” tivesse segurando o objeto, não havia ninguém ali, rapidamente Miguel se transforma em sua forma Literal de Arcanjo e com sua espada começa a atacar o crucifixo com vários golpes e nada acontece, ele grita chamando a atenção do hotel inteiro, o forte vento continua no quarto vindo do crucifixo que brilhava intensamente, a luz é tão forte que Miguel mesmo na forma Literal de Arcanjo tem que tapar o rosto, pois não consegue enxergar absolutamente nada e com a mão em seu rosto ajoelha na frente do crucifixo e diz:

       - O que é isso? O que está acontecendo?

       Um grande raio começa a emanar do centro do crucifixo, era Izacael vindo para a Terra, Miguel mal consegue enxergar e vê de relance uma luz azul saindo do crucifixo, os lençóis de cama, cobertor e colchão começam a se revirar todos, o vento é muito forte, Miguel diz mais uma vez:

       - Tem alguém ai?

       E não obtendo resposta Miguel parte para cima do crucifixo com todo o seu poder de Arcanjo em sua forma Literal, mas antes mesmo de tocar no crucifixo recebe um choque do próprio objeto e bate na parede do quarto caindo no chão, a luz então se torna mais incessante e um flash muito grande acontece fazendo um barulho novamente, Miguel vira o rosto depois do flash e o vento cessa, e a luz acaba, o crucifixo que cai no chão e fica imóvel terminado num objeto como qualquer, terminado aquilo Miguel lentamente retira a sua mão, e observa Izacael de cabeça baixa em cima da cama, Miguel o reconhece e rapidamente sai da sua forma Literal de Arcanjo olha novamente para Izacael que continua de cabeça baixa, Miguel estava emocionado e paralisado ao mesmo tempo mexendo a boca no sentido de riso pela emoção de está vendo seu Irmão, antes que Miguel ou Izacael pudesse falar alguma coisa um para o outro alguém bate na porta do quarto.

       - Senhor, aqui é da recepção. O senhor está ai, senhor Izacael?

       Rapidamente Izacael olha ao seu redor tudo está de pernas pro ar, então olhando para Miguel diz:

       - Se esconda rápido.

       - Por quê? – diz Miguel –

      - Senhor, por favor, tem alguém ai? – diz a recepção do hotel novamente.

       - Sim, espere só um pouco, por favor, já vou atender – e indo em direção a Miguel o pega pelo braço e o leva em direção ao banheiro e diz a ele – Espere aqui, Miguel não fale nada por favor.

       - Senhor; quero lhe falar uma coisa abra essa porta, por favor – bate outra vez o rapaz da recepção do hotel –

       Izacael pega os lençóis e arruma o quarto como pode, retira todas as roupas, lençóis que estava jogados no chão e os coloca tudo em cima da cama, e diz outra vez para Miguel que estava entre o banheiro e o quarto olhando sem entender aquilo:

      - Se esconda já vamos conversar, por favor, ninguém pode ver você aqui.

       Miguel fecha a porta do banheiro e Izacael abre metade da porta olha para o rapaz da recepção e diz:

       - Sim, senhor? Aconteceu alguma coisa?

       O rapaz olha por cima de Izacael que estava com a porta metade dela aberta, ele olha e vê de relance a bagunça e diz para Izacael:

       - Senhor, pode me dizer que barulho era esse no seu quarto?

       - Barulho? – respondeu Izacael – Não estou fazendo barulho nenhum, por que está dizendo isso?

       - O barulho veio daqui – diz o rapaz meio confuso olhando ainda o quarto de Izacael e vendo a bagunça que estava disse a ele – Precisa de alguma coisa?

       - Não! Se eu precisasse eu ligaria para a recepção – respondeu Izacael –

       - Estranho Senhor, recebemos um telefonema do quarto ao lado que disse que alguém bateu com força na parede e que neste quarto estava muito barulho, o senhor está sozinho aqui não é? – disse o rapaz da recepção –

      - Sim, tem só eu aqui, creio que foi a televisão que esta estava muito alta, vou baixá-la tudo bem, de qualquer forma desculpe – disse Izacael quase fechando a porta na cara do rapaz da recepção –

       - Tudo bem senhor – disse o rapaz que outra vez olhava a bagunça do quarto meio de relance intrigado com alguma coisa, e disse mais – O senhor quer que eu mande a camareira limpar o seu quarto senhor?

       - Não! Não é preciso já estou de saída – disse Izacael olhando para trás e vendo a bagunça que estava o quarto, estou me preparando para ir embora pode fechar o meu quarto já passo na recepção para pagar a conta – terminou Izacael –

       - Tudo bem senhor, espero o senhor na recepção então, me desculpe pelo incômodo, tenha uma boa noite – disse o rapaz da recepção –

       - Imagina – respondeu Izacael – Me desculpe alguma coisa você também até mais.

       Izacael fecha a porta do quarto, respirando fundo como sinal de alivio de ninguém ter visto Miguel, olha a bagunça e diz:

       - Pode sair Miguel, onde está você.

       Miguel não sai do banheiro e Izacael diz:

       - Miguel? Miguel? – e indo em direção ao banheiro e abrindo a porta diz – Você está ai? – não encontra ninguém e saindo do banheiro diz para si mesmo – Onde será que se meteu.

        E indo para o quarto novamente, vê Miguel perto da porta que dava acesso a saída para o corredor do hotel, Miguel permanecia de cabeça baixa virado em direção a Izacael. Izacael sente seu coração arder como nunca, e se arrepia por inteiro, olhando para Miguel, um flash passa pela sua cabeça, e lembra-se de Miguel na Eternidade, lembra também na batalha contra Lúcifer naquele dia em que ambos expulsaram Lúcifer e seus anjos caídos do Céu, em meio a tudo isso, Izacael olha novamente para Miguel que permanecia de cabeça baixa ainda, Izacael sorri e diz:

        - Irmão? Miguel? A quanto tempo.

        Miguel levanta a cabaça e olha com um sinal de alegria para Izacael fica encarando ele no olhar e diz:

       - Izacael, é você mesmo meu Irmão?

        Izacael nesse momento começa a chorar de alegria, como ele gostava de Miguel, como queria vê-lo novamente e enfim esse dia tão esperado finalmente havia chegado Izacael rapidamente sai correndo até onde estava Miguel e abraça-o e beija-o como Irmão e diz:

        - Miguel, meu Irmão que saudades.

       - Porque sumiu Irmão? – diz Miguel a Izacael – Porque não deu noticias todo esse tempo, sentimos muito a sua falta e continua abraçado com Izacael que diz –

       - Eu; eu não tenho como explicar Miguel, mas estamos aqui agora não é?

       - Izacael – diz Miguel pegando o seu rosto e olhando para ele que estava com lagrimas nos olhos - Eu senti muito a sua falta, eu não acredito que está aqui.

        - Eu também – diz Izacael abraçando Miguel outra vez –

       Ambos ficam abraçados por algum tempo sentindo o calor um pelo outro, um calor de Irmãos, pois fazia milênios que não se viam, eram tão ligados na Eternidade mais por um acaso do destino foram separados, mas agora estavam ali juntos e unidos, Miguel diz a Izacael depois daquele comovente reencontro dos Dois Irmãos.

       - Izacael, Irmão, algo está muito errado, o nosso Pai sumiu e estamos muito assustados com isso.

       Izacael permanece olhando para Miguel e diz:

       - Eu sei Irmão, deixei de sentir a Sua Presença por algum tempo.

       - Izacael, quando eu te invoquei, cheguei aqui e você não estava. Onde esteve? – disse Miguel muito intrigado com aquilo –

       - Eu, estava numa Dimensão isolada – diz Izacael –

       - Dimensão? Todas elas foram fechadas pelo nosso Pai, como isso é possível?

      - Eu não sei Irmão quando me vi estava sendo sugado por esse crucifixo, eu particularmente não sei de nada.

       - Pra onde você foi Irmão – disse Miguel assustado com o que Izacael estava falando –

       - Eu fui conversar com Guerra, Miguel.

       - Guerra? O Cavaleiro?

       - Sim, o cavaleiro da Guerra, o que você sabe Miguel.

       - Eu sei muito pouca coisa, o Pai sumiu e não disse pra onde iria, ninguém sabe de nada.

       - Como está o Céu, Irmão? – quis saber Izacael –

       - O Céu está bem, mas todos confusos, muito confuso, estamos perdidos o Pai fechou todas as Dimensões.

       - Fechou todas as Dimensões? – disse Izacael muito assustado com o que falara Miguel –

       - Sim; fechou todas e não somente isso mas também, retirou o Portal que dá Acesso ao Trono das Dimensões e mudou de lugar que ninguém sabe onde Irmão, enfim não sabemos de nada.

       - Puxa Miguel muito esquisito isso.

       - Esquisito até demais Izacael, eu só queria saber, o porquê desse desaparecimento repentino do Pai, eu só queria saber o porquê ele desapareceu sem avisar ninguém pelo motivo que seria. Por um acaso você sabe o motivo do desaparecimento do Pai? Irmão? – perguntou Miguel.

        Izacael fica um bom tempo em silêncio, por um momento passou em sua cabeça contar o seu segredo como Guerra mandou que fizesse, mas temendo a reação de Miguel viu que não era o momento agora, não iria esconder isso de Miguel, porém àquela hora não era o motivo de contar nada, já que tudo indicava que fora esse segredo de Izacael que fez com que o Eterno desaparecesse, deixando tudo em perfeita desordem, e Izacael olhando para Miguel diz:

        - Não! Eu não sei o motivo Irmão, mas é muito estranho não é.

       - Estranho até demais. Mas diga-me Izacael – diz Miguel mudando de assunto – O que fez na Terra esse tempo todo?

       - Eu fui um simples humano Miguel, essa era a minha vontade e foi por isso que eu não dei noticias.

       - Senti muito a sua falta Izacael.

       - Sorrindo Izacael diz – Eu também Miguel, eu também.

       - Irmão; precisamos de você em nosso meio, precisamos de você junto com a gente.

       - Miguel, eu estou aqui para ajudar.

       - Miguel sorrindo diz – Ótimo Irmão, você não sabe como estou contente em ouvir isso de você, a minha missão era te encontrar e creio que eu te encontrei, agora posso avisar os Céus que eu o encontrei e assim podemos voltar para a nossa casa e você pode viver conosco de novo.

       - Miguel! Pare! – disse Izacael cortando totalmente Miguel –

       - O que Irmão? O que houve?

       - Não! O meu lugar não é no Céu, o meu lugar é aqui na Terra.

       - O que está dizendo Izacael? – diz Miguel meio sem graça – O que está dizendo? Você é um anjo, é um Arcanjo chegou a hora de voltarmos.

       - Não, eu não vou; vou permanecer aqui, a minha casa a Terra.

        Miguel ficou encarando Izacael, que maneira de pensar era essa, afinal Izacael era um anjo tinha a natureza humana por algum motivo Izacael não queria voltar para casa parecia que alguma coisa o prendia aqui; alguma coisa motivava Izacael a permanecer na Terra, e ainda não se conformando Miguel diz:

        - Izacael, o seu lugar é no Céu conosco.

       - Não Irmão!O meu lugar é aqui eu sou um humano.

       - Você não é um humano Izacael – insistiu Miguel – Você é um Anjo.

       - Não, eu sou um Humano, Deus permitiu que eu virasse Humano.

       - Mas não um Humano completo Izacael você é mais Anjo tem seus poderes de Arcanjo, vejo isso em você.

       - Mas desde a antiga rebelião nunca os usei Miguel, os tenho dentro de mim, e nunca usei meus poderes, sempre vivi como um Humano normal, e quero morrer assim.

       - Você não é Humano coloca isso na sua cabeça Irmão, você não pode morrer, a morte não pode penetrar em você, olhe para você; você está vivo como um Humano todo esse tempo, por quê? Por um motivo simples, você é um Anjo, você é Imortal – terminou Miguel –

        

       Realmente Izacael não era um humano cem por cento, ele era uma metade Humano e Metade Anjo, o que Miguel havia falado era certo Izacael passou Eras e Períodos da Humanidade e nunca havia morrido parecia que a morte não podia encostar-se a Izacael, por um motivo simples seus poderes de Arcanjos corria misturado junto com o seu sangue Humano, era muita coisa para Izacael pensar, mas Miguel não estava errado, foi quando Izacael disse:

        

       - Você tem razão Irmão, eu não sou um Humano por completo – disse Izacael triste com a cabeça abaixada, quando Miguel diz –

       - Está vendo, você é um de nós, você é um Arcanjo se desfaça dessa forma e aceite o que você realmente é, vamos para casa – disse Miguel pegando nos braços de Izacael, pronto para voltar para o Céu –

       - Não, eu não posso voltar – diz Izacael tirando as mãos de Miguel do seu braço –

       - Por que, não Irmão qual é o motivo?

       - Isso não importa Miguel, eu quero ficar aqui – disse Izacael confuso –

       - Como isso não importa? – disse Miguel sem entender o que realmente estava se passando na cabeça de Izacael – Fiz uma pergunta Irmão? Como isso não importa? – termina Miguel olhando nitidamente nos olhos de Izacael que diz –

       - Eu simplesmente não posso. Por favor, me entenda Miguel, eu não posso voltar a ser cem por cento um Arcanjo, me desculpe.

       Ainda sem se conformar Miguel ainda responde para Izacael:

       - Por quê? Você sempre foi um Arcanjo Irmão, por favor, confie em mim fale o motivo, o que aconteceu. O que você fez Izacael? Está escondendo alguma coisa de mim? Isso tem haver com o desaparecimento do nosso Pai?

       Por um grande tempo depois das palavras de Miguel, Izacael permaneceu por um momento de cabeça baixa em grande silêncio, pensando consigo mesmo, não se podia perceber o que Izacael estava pensando naquele momento, possivelmente devia estar pensando em seu segredo que tudo indicava era ser o motivo pelo desaparecimento do Eterno, Miguel espera uma resposta de Izacael, que senta na cama e começa a chorar naquele momento bem baixo, Miguel então respira fundo e se comove com a atitude do seu Irmão, e sentando do lado dele o abraça e Izacael nessa hora se desaba de chorar nos ombros do Arcanjo Miguel, ambos ficam em silêncio naquele quarto só dá pra escutar o choro de Izacael bem baixo acariciando a sua cabeça, Miguel, permanece por um longo período de tempo consolando o seu Irmão, quando Izacael cessa seu choro e levanta bem devagar vai até o banheiro limpa as lagrimas do seu rosto, enquanto faz isso Miguel o aguarda sentado na cama, Izacael volta ainda em silêncio ambos sem trocar uma palavra, Izacael senta-se ao lado oposto de Miguel e diz para ele escutar:

        

       - Me dê um tempo, para eu contar o que me prende aqui na Terra, Irmão, por favor, eu vou contar para você.

       - Tudo bem Izacael – diz Miguel indo em direção a ele e tocando em seus ombros termina – Não vou te forçar a nada, mas você sabe que não pode ser um Humano a todo tempo não é? Creio que o tempo ensinará a você o que fazer, a situação vai te fazer usar os seus poderes mais cedo ou mais tarde, mas só te peço uma coisa Irmão eu e o Céu precisamos de você.

       - Guerra me disse que vocês não sabem nada do sumiço do Pai. Isso é verdade Miguel?

       - Sim – diz Miguel abaixando a cabeça – Estamos muito perdidos quanto a isso de uma hora pra outra o Pai sumiu.

       - Eu irei ajudar vocês da minha maneira, estou disposto a ajudar.

       - Izacael, se porventura acontecer uma guerra entre Céu e Inferno vamos precisar de você, não desse Izacael – aponta Miguel para ele – Mas sim do Izacael que era eterno, na forma Literal de Arcanjo precisaremos do seu poder a nosso favor.

       - Compreendo – disse Izacael – Mas enquanto a guerra não acontecer eu não quero ser um Arcanjo, quero continuar sendo Humano como sempre fui.

       - Miguel sorri e diz – Vejo que você leva a sério essa natureza sua, vou querer saber o motivo Irmão – tocando os ombros de Izacael que sorri e diz –

       - Me dê um tempo e você saberá tudo o que tem que saber, mas vamos por partes.

       - Vou te respeitar quanto a isso Izacael, hoje simplesmente eu estou alegre por ter encontrado você, vou avisar o Céu que você voltou.

       - Não faça isso – disse Izacael preocupado –

       - Porque não Irmão todos estão a sua procura.

       - Não agora Miguel te peço, por favor, deixe o Céu continuar sabendo que eu desapareci, por favor, eu te imploro Irmão.

       - Mas porque Izacael? Porque essa atitude.

       - Escute o que eu estou falando, por favor, vamos deixar eu de lado no Céu, irei te ajudar no que precisar, como Humano, não vou fugir porque também afinal eu não posso, vou te ajudar aqui na Terra Miguel.

        

       Miguel achava estranha aquela atitude de Izacael, de não querer voltar para o Céu era uma coisa agora não querer, deixar que os seus outros Irmãos o vissem era outra totalmente diferente e Miguel já tinha o que precisava e afinal estava muito feliz depois de milênios ter encontrado seu Irmão que amava tanto. Pra falar a verdade até Izacael estava mais calmo, afinal Miguel parecia que havia entendido o que havia Izacael estava passando e queria ajudar, Izacael tinha total confiança em Miguel quando ele diz a Izacael:

       - Como vai impedir que o Céu e o Inferno te procurem caso eles queiram te achar?

       - Simples meu Irmão, com isso. Izacael pega o crucifixo que estava na cama e o pendura no seu pescoço e diz – Isso aqui impede que o ritual de invocação seja completado, ninguém pode me encontrar com poderes divinos se eu estiver usando isso.

       - Que objeto é esse? Onde conseguiu, nunca vi nada parecido – diz Miguel pegando na mão e analisando o crucifixo pendurado no pescoço de Izacael –

       - Um Frei me deu numa igreja no dia em que deixei de sentir a Presença de Deus, não sabia pra que servia até Guerra me dizer a que realmente servia.

       - Izacael acha que existe alguma pista sobre o desaparecimento do nosso Pai?

       - Miguel, sente-se aqui tenho que te contar uma longa história que Guerra me contou, e que pode mudar e muito o destino de tudo.

        

       E ambos sentando na cama Izacael conta pra Miguel o que Guerra havia contado para ele, sobre os Objetos de Emanação Divina que são não simplesmente Objetos mas pedaços do Poder do Eterno, Miguel vai escutando tudo, ficando muito assustado e ali naquele quarto do hotel de beira de estrada Miguel diz:

        

       - Temos que procurar esses Objetos será que alguém está sabendo disso?

       - Guerra me garantiu que não, disse para avisar você, e me disse para procurarmos alguma coisa aqui na Terra sobre o sumiço de Deus, porque Guerra me disse que não são todos os Objetos de Emanação Divina que são Pedaços do Poder de Deus, mas sim alguns, temos que procurar pistas sobre o desaparecimento de Deus, meu Irmão.

       - Sim, claro – diz Miguel preocupado – Eu vou avisar o Céu sobre isso – e virando para Izacael diz – Mas fique tranqüilo Irmão não vou avisar que encontrei você, voltarei a qualquer momento, enquanto isso procure alguma coisa aqui.

       - Pode deixar Irmão, avise o pessoal lá de cima estarei te esperando.

       - Sim, sim eu voltarei o quanto antes – e abraçando Izacael, Miguel diz – Até daqui a pouco Irmão, se cuida.

       - Vá em paz Miguel.

       E Miguel desaparece voltando ao Céu completamente preocupado com o que Izacael tinha lhe falado, ali no quarto arruma as suas coisas paga a hospedagem, e com o crucifixo pendurado em seu pescoço, parte para algum lugar longe dali cheio de alegria de ter Miguel junto contigo e também muito atribulado por imaginar o que aconteceria se alguém juntasse todos esses Objetos que Guerra lhe havia falado naquela Dimensão Isolada, mas estava esperançoso que iria encontrar alguma coisa, estava confiante de que ele e Miguel dariam um belo time, e iriam procurar alguma coisa sobre esse sumiço, já estava até mais calmo de contar o seu segredo para Miguel, afinal Miguel era muito Poderoso era o “cara” do Céu e podia muito bem ajudar Izacael a esconder esse segredo que tanto o atribulou desde que o Eterno havia sumido, o que Izacael estava pensando era onde começar a procurar pistas não sabia, não queria usar seus poderes para aparecer em diversos lugares, então ele pensava constantemente onde procurar sobre o sumiço do Eterno, enquanto Miguel não voltava do Céu.

        

         PISTAS SOBRE O DESAPARECIMENTO DO ETERNO

        As coisas estavam começando a se encaixar, as peças do quebra-cabeça estavam começando a fazer sentido, por um lado o Ex-Arcanjo Izacael estava com a intenção de ajudar como Humano sem usar os seus poderes, procurar sobre o desaparecimento de Deus depois da conversa com Guerra na Dimensão Isolada no crucifixo, Izacael só queria ajudar pois se achava culpado, julgava que era o principal culpado dessa "bagunça" nas Dimensões, juntamente com Miguel ambos ficam sabendo que não é o desaparecimento do Eterno que eles devem temer, eles deviam tomar cuidado era com os Objetos de Emanação Divina eles deviam resgatar esses Objetos que depois do sumiço do Eterno voltaram com os seus poderes atuais e não somente isso mais alguns desses Objetos segundo Guerra eram pedaços do Poder de Deus, isso podia ser uma tragédia se caísse em mãos erradas, Miguel volta para o Céu rapidamente para dar as novas noticias e depois voltaria para junto de Izacael para ambos procurar esses Objetos, se por um lado os "mocinhos dessa história" queriam reunir os “Pedaços do Poder de Deus” para não deixar que os tais Objetos caíssem em mãos erradas, do outro lado tinha um outro grupo que estava disposto a causar uma nova rebelião se fosse preciso para assumir o lugar do Eterno já que eles acreditavam que Ele havia os abandonado, Uriel, Abdon e Lilith estavam disposto a procurar o porque sobre o desaparecimento do Eterno o porque Ele, desapareceu e onde estava o Trono das Dimensões, a intenção desses "rebeldes", era saber onde estava o Trono das Dimensões e como assumir ele, tinham em suas mentes e em seus corações a passar em cima de tudo e de todos para obter esse poder e conquistar tudo. Era a batalha que Guerra havia falado para Izacael que possivelmente iria ocorrer e que não seria entre Céu, Inferno e Terra, mas a guerra iria ser por poder. Depois do desaparecimento do Eterno ficou difícil para os Anjos no Céu e também os Anjos do Inferno, ninguém entendia a atitude dramática de Lúcifer de retirar todas as tropas e fechar o Inferno; Abdon e Lilith discordavam totalmente dessa atitude, no Céu ninguém sabia de nada, Raphael havia desaparecido, Ezequiel permanecia trancado na sala em que o Eterno costumava a passar o tempo a reunião que houve no Céu foi digamos a gota d' água para Uriel que não concordava com o que haviam resolvido no Céu, Miguel o mais poderoso não querendo assumir o controle e ainda todos querendo ficar no Céu e não se importando com o real motivo de procurar o porque o Eterno desapareceu, isso brotou em seu coração uma revolta que fez com que saísse de lá descordando totalmente dos seus Irmãos e também brigado com Miguel, essa atitude de sair e tentar encontrar sozinho o Eterno fez com que encontrasse outros rebeldes Abdon e Lilith, e no coração daquele Arcanjo nasceu não só encontrar o Eterno mas agora assumir o Trono das Dimensões, agora para Uriel, pouco se importava se Miguel ia assumir o Céu ou não, agora para Uriel era procurar alguma forma de neutralizar o poder do Eterno e assumir o Trono das Dimensões, justamente quando encontrou Abdon e Lilith, nesse novo tempo não se sabiam quem era bom e mal mas era como se nesse tempo o mal e bem tivesse sido exterminado e todos estavam perdidos.

       Bom se nessa nova era, futuro era incerto e não havia nada escrito, então tudo o que iria acontecer seria novo para todas as partes, tanto para o Céu, quanto para o Inferno e também para os Humanos que estavam na Terra já que foi a única Dimensão não fechada pelo Eterno.

       Izacael que saíra do hotel estava esperando seu Irmão Miguel voltar do Céu, Miguel havia jurado para Izacael a não contar para os seus Irmãos que Miguel havia encontrado ele, Miguel aceitou isso contanto que Izacael contasse a ele o seu segredo, enquanto Miguel fora contar as novidades para os seus Irmãos, Izacael ficou aguardando ele voltar.

       Enquanto isso "os rebeldes" Abdon, Lilith, e Uriel, também estavam na Terra para procurar alguma coisa sobre o desaparecimento do Eterno, mas onde procurar e o que fazer, essas respostas eram difíceis de ser respondida afinal ninguém sabia de absolutamente nada sobre o assunto, os rebeldes conversavam uma maneira de procurar alguma coisa.

       Como vamos procurar - disse Lilith agitada –

       - Não sabemos de nada, onde vamos procurar? - disse Uriel –

       - Temos algumas informações, certo? - afirmou Lilith –

       - E se nos pensássemos um pouco, porque não voltamos para as nossas casas e vemos como nossos Irmãos estão reagindo a respeito das coisas – disse Abdon -

       - Voltar para casa? Nunca farei isso jamais vou me rebaixar aos meus Irmãos - disse Uriel nervoso com o que dissera Abdon –

       Por um ponto Uriel tem razão eu não tenho coragem de olhar para Lúcifer aquele covarde - disse Lilith –

       - Vocês são tão bobos e tolos, ainda bem que eu sou o líder desse grupo senão já fugiria do controle, meus amigos - disse Abdon com toda a calma - Vamos "fingir" que vamos voltar, Uriel você não foi expulso do Céu, somente saiu de lá, e eu e Lilith somente continuamos na Terra depois da ordem de Lúcifer de retirar as tropas de demônios deste lugar, voltaremos e veremos como anda as coisas por lá porque não sabemos onde começarmos e não vamos a lugar algum de ficarmos aqui na Terra.

       - Eu não irei me rebaixar aos meus Irmãos, Abdon - disse Uriel mais uma vez estressado –

       - Uriel, pela ultima vez não é se rebaixar é para sabermos das coisas parece que nos três somos os únicos que não concordamos com as decisões tomadas pelos nossos Irmãos, e não queremos achar Deus, mas sim queremos reinar no lugar Dele, faça o que estou te dizendo Uriel, volte para o Céu e finja que nada aconteceu finja que não sabe de nada, de um de “besta” com seus Irmãos no Céu, perdoe Miguel, seja bonzinho Arcanjo deixe todos pensarem que você está do lado deles e quando souber de alguma coisa importante, voltamos a nos encontrar e juntos poderemos saber de algo que nos levarão a alguma revelação que pode mudar o rumo das coisas - disse Abdon cheio de convicção - Vamos voltar para nossas casas com as nossas bocas fechadas e totalmente entregue aos lideres que estão reinando lá deixe todos pensarem que estamos concordando com eles, eu tenho certeza que o Céu e o Inferno sabe de alguma coisa - terminou Abdon –

       - Uriel - disse Lilith - Você disse que Ezequiel não estava na reunião que fora feita no Céu não é?

       - Sim, Lilith ele sempre foi o Arcanjo mais próximo de Deus, era uma espécie de mordomo de Deus.

       - Mordomo de Deus? Em que sentido, isso você não havia me falado - disse Abdon a Uriel –

       - Você não presta atenção nas coisas Abdon, pois bem sim, Ezequiel era o Mordomo de Deus fazia tudo com a ordem de Deus, sabem pra fala a verdade algo se encaixa em algumas coisas, os dias que antecederam o desaparecimento de Deus, Ele e Ezequiel sumiram e ninguém sabia onde se encontravam e depois de repente Deus desapareceu, Ezequiel ficou em estado de choque se trancou na sala em que o Pai sempre costumava a ficar e não saiu de lá segundo Sarakus na reunião, Ezequiel só sairia de lá quando achasse onde estava Deus - terminou Uriel –

       - Volte para o Céu, meu Irmão, veja o que está se passando e traga Ezequiel aqui na Terra para podemos interrogá-lo, com certeza sabe de alguma coisa - disse Abdon –

       - Está de brincadeira Abdon, como irei trazer Ezequiel pra Terra, sendo que nem Miguel conseguiu tira-lo de dentro da sala - indagou Uriel –

       - Simples, diga que achou Deus - disse Lilith - E depois o traga para a Terra e iremos interrogá-lo.

       - Sim, Uriel, traga-o para cá, você é mais poderoso do que ele podemos interrogá-lo numa boa e vamos ver se ele sabe de alguma, antes de trazê-lo finge que se redimiu e voltou veja o que sabem e depois trocaremos informações, traga o Mordomo de Deus e vamos interrogá-lo ver o que sabe, faça isso Uriel, volte para o Céu isso é muito importante - disse Abdon –

       A idéia de Abdon era muita boa afinal Ezequiel era o mais próximo do Eterno do que todos os Anjos era uma forma dos rebeldes saberem de alguma coisa e começar o que queriam um jeito de chegar ao Trono das Dimensões era a grande oportunidade nada podia ser encontrado aqui na Terra, porque ninguém sabia de nada, e para Abdon, Ezequiel guardava alguma coisa, que podia ser o começo de uma oportunidade única, Uriel diz a Abdon:

       - Voltar para o Céu, tomara que não seja uma perda de tempo, você sabe que depois que conversarmos com Ezequiel, vou ser procurado pelo Céu por ser punido por ter amizade com demônios - disse Uriel a Abdon preocupado com o que podia acontecer –

       - Você não será procurado pelo Céu, Uriel, será um dos donos das Dimensões todos irão ajoelhar perante você, é um tiro no escuro, as vezes é preciso ser bonzinho para conseguir as coisas, e no futuro todos irão nos parabenizarmos por esse grande êxito. Estamos entrando nesse jogo para vencer Uriel, volte para o Céu com um "cachorrinho" que volta para casa, e traga Ezequiel e noticias sobre esse misterioso desaparecimento - disse Abdon a Uriel –

       - Tudo bem mas que essa idéia absurda possa dar certo, vou tentar trazer Ezequiel, Abdon.

       - Vá Uriel enquanto isso vamos para o Inferno ver se conseguimos alguma coisa, vá Uriel -diz Lilith com grande emoção –

       - Então nos encontramos aqui depois vamos contar a cada um sabe o que se passa no Céu e no Inferno, vou para o Céu, até breve nos encontraremos aqui – diz Uriel –

       - Sim, sim vá Arcanjo e veja o que se passa lá, ah... Não se esqueça de trazer Ezequiel pra cá, ele é muito importante - alertou Abdon.

       - Tudo bem, Irmãos até breve.

       Disse Uriel que desaparecendo vai para o Céu tentando encontrar alguma pista e ter a missão de trazer Ezequiel que era o mais próximo de Deus, Abdon e Lilith continuavam ali conversavam entre si.

       - Vamos então Abdon para o Inferno saber de alguma coisa? – disse Lilith a Abdon que começa a rir e diz –

       - Não Lilith, vamos cheirar o que lá, vamos simplesmente falar com Lúcifer pra que? Não consigo olhar na cara daquele covarde, só quero pisar os meus pés naquele lugar novamente quando tomar o lugar dele, ou avisá-lo que sou o novo “deus das Dimensões”, creio que o Céu sabe mais sobre o desaparecimento do Eterno, acho que Ezequiel sabe alguma coisa - termina Abdon –

       - Acha que Uriel vai conseguir trazer Ezequiel pra cá? -disse Lilith –

       - Quer saber realmente a verdade? Eu não faço a mínima idéia mas vamos orar, rezar e torcer para que isso aconteça, afinal Ezequiel é uma peça fundamental sobre o desaparecimento de Deus vamos torcer minha querida Lilith, vamos torcer – disse falando bem perto de Lilith –

       - E o que vamos fazer enquanto Uriel não vem, Abdon?

       - Vamos aproveitar um pouco minha princesa, vamos andar por aí vendo como está o mundo - disse Abdon estendendo a mão para Lilith fazendo sinal para que ambos pudessem curtir pela Terra –

       Lilith rapidamente estende a mão para Abdon e ambos vagam pela Terra. Lilith sempre se ofereceu para Lúcifer, pois era o demônio da sensualidade e era muito linda, tinha uma beleza que invejava o Inferno inteiro, Lúcifer sempre teve Lilith com muito carinho, mas agora parecia que ela estava se oferecendo para Abdon, bom, mas isso veremos no decorrer da história.

       Enquanto os Dois vagam pela Terra, Uriel chega ao Céu para surpresa de todos chega no momento em que Miguel estava falando a respeito das coisas que aconteceram.

       - Uriel? Disse Sarakus no meio de uma nova reunião do Céu junto com Miguel.

       Todos olham muito surpresos para Uriel que diz:

       Meus Irmãos tudo bem? - Virando e caminhando sentido á Miguel o abraça e diz - Miguel meu Irmão me perdoe, eu não sei onde estava com a cabeça - e dizendo para todos - Estou aqui perante vocês para me redimir eu não devia ter ido contra vocês e muito menos brigado contra você Miguel, me perdoem, por favor.

       Os Anjos ficam olhando para Uriel, aquilo era uma surpresa, e Uriel estava “arrependido”, bom era o que parecia, mas dentro dele estava com muito nojo de fazer aquilo, afinal não interessava mais o que se passava no Céu, Uriel queria mesmo era reinar não só no Céu, mas em todas as Dimensões, mas para isso tinha que se fazer amigos de todos, afinal não tinha nada ainda para causar uma rebelião, não tinha ainda nem sequer poderes o suficiente para reinar em nenhum lugar nas Dimensões.

       - Uriel; vamos deixar isso de lado tudo bem? - disse Miguel estendendo a mão para Uriel sinalizando uma reconciliação com o “rebelde” –

       Uriel estende a mão para Miguel e todos no Céu se alegram com aquele feito. Como eram tolos - pensava Uriel - enquanto apertava firme a mão de Miguel, - “um dia governarei vocês todos e nesse dia será um dia negro para você Arcanjo mais Poderoso hoje daqui pensava Uriel” – enquanto continuava apertando a mão de Miguel ali na reunião do Céu - bom mas por enquanto era hora de aceitar tudo o que seus Irmãos iriam fazer.

       - Então o time está completo? - disse o rebelde Uriel - Acharam alguma pista? Como esta as coisas por aqui o que pretendem fazer meus Irmãos - terminou Uriel –

       Miguel estava falando naquele momento sobre o que havia presenciado na Terra quando Hunatel, o Líder dos Querubins diz a Miguel:

       - Achou Izacael, Miguel? -disse Hunatel –

       - Não o encontrei - disse Miguel - Não sei onde se encontra o nosso Irmão Izacael não o senti em nenhum lugar.

       - Mas Irmão e o ritual de invocação? - disse Gabriel –

       - Eu não o encontrei pelo ritual Irmão; creio que Izacael achou um modo de bloquear o ritual, pois eu o invoquei, porém não deu certo - terminou Miguel –

       Para Miguel era muito difícil mentir para os seus Irmãos mas como prometeu para Izacael e viu naquele hotel que Izacael estava meio atribulado não tinha outra escolha ele teria que "omitir" para os seus Irmãos que havia encontrado Izacael, pelo menos por enquanto, afinal Izacael usava aquele crucifixo qualquer um que tentasse invocá-lo não iria achá-lo, pois aquele crucifixo bloqueava qualquer invocação e neutralizava a presença de quem encontrá-lo.

       - Miguel, Gabriel nos disse sobre o possível desequilíbrio na Terra e você sabe mais alguma coisa sobre isso? - disse Sarakus –

       - Sim, eu sei sim - disse Miguel –

       Naquele momento Miguel explicava o que sabia para os seus Irmãos que ficavam surpresos com aquilo explicava o que Izacael havia lhe contado, sobre os Objetos de Emanação Divina, e sobre os Quatro Objetos que são Pedaços do Poder do Eterno, Uriel o rebelde ouvia aquilo com grande emoção e era a primeira vez que dava credito a Abdon, com certeza havia muito coisa além do desaparecimento do Eterno, havia muito mas coisas para se preocupar, bem havia uma preocupação para os Anjos, porque para Uriel crescia a cada palavra de Miguel sobre aquilo que era totalmente novo e também um possível começo para a sua ganância, tomar o Trono das Dimensões, pela primeira vez Uriel via um possível jeito de assumir como Deus Absoluto Acima de Tudo, e conforme Miguel ia falando sobre os Objetos, Uriel pensava como era se ele tivesse os Objetos que continham o Poder do Eterno, como iria ser, como seria poderoso se tivesse todo o Poder do Eterno dentro de si, nada nem ninguém poderia pará-lo seria o mais poderoso e reinaria Acima de Todos.

       Quando Miguel terminara de falar sobre os Objetos Joquiel disse:

       - Temos que encontrar esses Objetos antes que caia em mãos erradas. Miguel! Mas alguém além de nos sabe sobre esses Objetos?

       - Creio que não por isso estou passando para vocês o que fiquei sabendo, vamos procurar esses Objetos ou pelo menos ficar de olho na Terra se acontecer alguma coisa iremos descer imediatamente e interferir não podemos deixar que nada aconteça e muito menos deixar esses Objetos caírem nas mãos de nenhum demônio ou pior não podemos permitir que esses Objetos caíam nas mãos de Lúcifer – termina de dizer Miguel para todos ali –

       - Miguel! - disse Hunatel no meio da conversa - Temos que estar vigilantes, vou deixar meus Querubins de Guarda na Terra se alguma coisa acontecer, eu vou interferir, podemos talvez fazer diferente podemos pelo menos ficar de olho na Terra já que é lá que estão os Objetos, melhor só vigiarmos a Terra, nem sabemos onde estão essas Relíquias, se ninguém sabe disso então deixe-os onde estão até o Pai voltar.

       - E se ele não voltar - disse Jadson –

       - Esse é o meu medo vamos atrás de cada Objeto e trazê-los para o Céu - disse Miguel –

       - Irmãos - indagou Uriel - Concordo totalmente com Hunatel, pra que mexer sendo que estão guardados? Vamos deixá-los onde estão; Hunatel juntamente com os outros Querubins vão cuidar da Terra, vamos juntos procurarmos o Pai, o que acham? – terminou Uriel tentando tirar a idéia do Céu procurar os Objetos de Emanação –

       - Eu concordo com Uriel a idéia é boa afinal nem sabemos quais são os Objetos que contém o Poder de Deus, vamos deixá-lo guardados, se acontecer alguma coisa vamos interferir colocarei os querubins na Terra - disse Hunatel –

       Assim seja então Hunatel faça isso creio que sabe o que fazer fique de olho na Terra se alguma coisa estranha acontecer interfira - terminou Miguel –

       Uriel estava manipulando os seus Irmãos, deixando eles de fora da procura dos Objetos de Emanação principalmente os que eram “Pedaços do Poder do Eterno”, estava louco para contar as novidades para Abdon e Lilith agora com a plena certeza de que era possível fazer o que Abdon tinha em mente, Uriel só precisava de um último detalhe conversar com Ezequiel e levá-lo para a Terra, quando Uriel pergunta para os seus Irmãos.

       - E Ezequiel? - disse Uriel –

       - Ezequiel não quer conversar somente quer saber onde está o Pai, não quer saber de conversa se não for noticias de onde está o Pai - disse Sarakus –

       - Temos que conversar com o nosso Irmão, todos vocês, ao menos tentaram conversar com ele? - Disse Uriel aos seus Irmãos -

       - Sim Irmão todos nós já tentamos falar com ele, mas sem êxito, Ezequiel não quer saber de nada, e disse que não vai sair de lá - respondeu Jadson –

       - Tentarei conversar com Ezequiel se vocês permitirem acho que posso tirá-lo de lá - disse Uriel a todos ali -

       - Claro, Uriel, claro que sim, veja se consegue tirar Ezequiel de lá tente ver o que está acontecendo Irmão - disse Hunatel muito preocupado com Ezequiel -

       - Acham que Ezequiel sabe de alguma coisa Irmãos? - Quis saber Uriel –

       - Creio que sim, mas não vamos pressioná-lo, pois Ezequiel era o mais próximo do Pai vamos respeitá-lo, vamos aguardar ele se pronunciar, mas tente Uriel conversar com você quem sabe você não consegue – disse Miguel-

       - Vou tentar conversar com ele Irmãos vou entrar naquela sala e vou tentar tira-lo de lá, com licença Irmãos –

        

       Uriel despede dos seus Irmãos e caminha rumo até a sala em que o Eterno costumava ficar e também Ezequiel costumava ficar, enquanto caminhava ria bem discretamente, sempre pensando como seus Irmãos eram tolos, pensavam pequenos, pensavam simplesmente em quatro paredes, já tinha tudo em mente iria dizer a Ezequiel, que havia encontrado o Eterno na Terra, mas que só queria encontrar Ezequiel primeiro, e assim levaria ele até Abdon e Lilith na Terra e o interrogaria com certeza ele sabia de alguma coisa, Uriel o rebelde havia se desviado totalmente da maneira de um Anjo, tinha se transformado num ganancioso que queria poder somente poder, creio que o Guerra havia falado para Izacael na Dimensão Isolada poderia começar a Guerra com certeza iria ser de Poder, Uriel poderia estar entrando em um mundo sem volta, “quando maior a altura maior a queda”, estava com um pensamento totalmente diferente agora e estava disposto a passar em cima de tudo e de todos para conseguir o seu objetivo caminhando até a sala no lugar em que Ezequiel estava Uriel estava pronto para enganar o próprio Irmão.

        

             EZEQUIEL, O MORDOMO DE DEUS

        Ezequiel, sempre fora ligado muito ao Eterno, cada Arcanjo que o Eterno criou tinha uma especialidade, e para Ezequiel, o Eterno, não deu nenhuma, Ezequiel nunca saiu do Céu, Ezequiel nunca guerreou em nada enfim Ezequiel sempre ficara no Céu a conseqüência disso foi que o Eterno o chamouele para ser uma espécie de “mordomo”, isso mesmo Ezequiel fazia tudo o que o Eterno, mandava, servia o Eterno literalmente ali no Céu, aonde o Eterno ia Ezequiel ia atrás, sempre foi muito respeitado pelos Anjos, por isso essa espécie de “mordomo” lhe causou tanta fama que enquanto o Eterno permaneceu reinando nas Dimensões nenhum ser Celestial jamais ousou tramar ou tentar alguma coisa contra Ezequiel, nem mesmo na antiga rebelião, Lúcifer nem ninguém ousaram fazer mal a Ezequiel, o Eterno também passou a ter um carinho muito grande por Ezequiel, que sempre servia o Eterno no Céu, Ezequiel sempre servia de todas as maneiras o Eterno, mais depois do seu desaparecimento, Ezequiel se trancou na sala que costumava a passar a Eternidade com seu o Pai e não quis saber de conversa nenhuma, creio que foi “um tapa” na sua cara e uma facada em seu coração. Saber que o Eterno havia desaparecido repentinamente, isso foi um golpe muito grande para Ezequiel, aquele que sempre serviu ao Eterno, Ezequiel o Arcanjo, o sétimo já criado se tranca na sala que costumava ficar com o Pai em grande silêncio sem dizer absolutamente nada, os Arcanjos, vinham conversar com Ezequiel, mas ele respondia que não sabia de nada, e que não iria sair de lá a não ser por ordem do Pai.

       Ezequiel dias antes de o Pai sumir saiu com Ele, estava todo feliz com isso afinal nunca o Pai havia convidado Ezequiel para sair e depois de algum tempo o Eterno desapareceu deixando Ezequiel arrasado e totalmente triste, a sala em que estava Ezequiel era a sala em que o Pai costumava passar o tempo. Uriel então vai tentar conversar com Ezequiel, em sua cabeça já havia premeditado tudo, estava louco para contar as novidades para Abdon e Lilith, e também levar Ezequiel para a Terra para interrogá-lo dentro de Uriel um só desejo o de reinar não só no Céu mais em todas as Dimensões, Uriel chega até a sala em que Ezequiel estava e do lado de fora da sala o Arcanjo bate na porta.

       - Ezequiel? - disse Uriel - Sou eu Irmão; Uriel podemos conversar?

       Do lado de dentro da sala ouve-se a voz de Ezequiel falando para Uriel em tom seco:

       - Se for para eu sair daqui sem chance já disse e repito para vocês não irei sair daqui, até o Pai voltar - respondeu Ezequiel de dentro da sala –

       - Eu sei Irmão eu também fiquei muito abalado com tudo isso, mas tenho algumas coisas para lhe falar, por favor, deixe-me entrar - terminou Uriel –

       - O que tiver para falar diga ai mesmo – retrucou Ezequiel –

       - Não posso Irmão isso é confidencial é só você que posso saber, eu sei onde está... - Uriel abaixa a voz e diz bem perto da porta do lado fora – Eu sei onde está o nosso Pai.

       - Ezequiel fica em silêncio não responde mais nada, foi como tivesse desaparecido da sala, Uriel fica aguardando alguma resposta e nada acontece, quando Uriel volta a falar:

       - Irmão? Você está aí?

       Ezequiel abre a porta para Uriel e diz:

       - Você está dizendo a verdade Irmão?

       - Claro e você acha que eu iria mentir? Nós somos seres Celestiais, não podemos mentir - diz Uriel –

       - Entre, Irmão, por favor, entre.

       Uriel entra na sala deixando perplexos e surpresos todos os Anjos que observavam de longe, afinal Ezequiel nunca abriu a porta da sala pra ninguém desde que o Pai sumiu, Sarakus que observava junto com os outros diz:

       - Como Uriel conseguiu entrar, Ezequiel não abriu para ninguém.

       - Isso é muito estranho mas enfim vamos esperar alguma coisa, fiquem de olho naquela sala - disse Miguel achando muito estranho o que estava acontecendo –

       - Acha que pode ser alguma armadilha de Uriel? - disse Hunatel-

       - Eu não sei Hunatel só peço que fiquem de olho, infelizmente não confio muito na atitude de Uriel, estou partindo para a Terra, continuarei as buscas por Izacael, olho nele Irmãos - terminou Miguel desaparecendo imediatamente –

       - Pode deixar Irmão vou ficar de olho sim - disse Sarakus - Hunatel mande os querubins vigiar a Terra, por favor.

       - Com certeza estou enviando e indo agora -disse Hunatel –

       O Céu achava muito estranho Ezequiel abrir a porta para Uriel, mas não podiam interferir, deviam deixar Uriel e Ezequiel conversar a vontade afinal Uriel poderia saber o que realmente aconteceu com Ezequiel e se realmente ele sabia de alguma coisa.

       Coitados! Mal sabiam eles que a intenção de Uriel era outra, Uriel passaria em cima de todos para ter poder e reinar Acima de Tudo Uriel somente queria saber se Ezequiel sabia de alguma coisa, mal sabiam os seus Irmãos que Uriel já tinha se rebelado perante todos e pouco importava o que iriam fazer, pois se esse plano desse certo; e Uriel já sentia que poderia dar todos seus Irmãos iriam se ajoelhar perante ele, Uriel tinha essa ambição em seu coração.

       Uriel entra na sala e Ezequiel caminha de costas até o centro da sala, a Sala em que o Eterno costumava ficar era gigantesco de altura mal dava para ver o teto, era uma biblioteca onde tinha diversos livros, todos a respeito da história da Dimensão, o que o Eterno, fez como criou como tudo foi formado, Ezequiel caminha até a única mesa de leitura da sala liga a luz e diz para Uriel:

       - O que você sabe do Pai? Onde ele está?

       - Eu irei falar onde ele está mas antes quero saber de algumas coisas Irmão -disse Uriel –

       - Não, não irei responder nada, só quero saber onde está o Pai – disse Ezequiel em tom seco a Uriel que diz –

       - Seria um abuso de sua parte Irmão afinal eu quero saber de algumas coisas e você deve me ajudar, vamos dizer... Bom eu coço as suas costas e você coça as minhas, mas do que justo, fique tranqüilo Irmão você irá conversar com o Pai, falarei onde ele está mais quero saber de algumas coisas antes tudo bem? - disse Uriel –

       Ezequiel ficou um bom tempo olhando para Uriel, e disse:

       - Você não esta mentindo mesmo não é Irmão? Sabe onde está o nosso Pai não é?

       - Porque faria isso Ezequiel? - disse Uriel olhando nitidamente para Ezequiel e termina - Eu nunca mentiria para você Irmão pode confiar em mim.

       - Ezequiel respira fundo e diz - O que quer saber Irmão?

       - Quero saber sobre os Objetos de Emanação Divina, você sabe de alguma coisa? - disse Uriel –

       - Vocês já sabem disso? – disse Ezequiel assustado –

       - Sabemos muito mais do que isso sabemos que alguns desses Objetos são “Pedaços do Poder do Pai” por quê? E quais são? - disse Uriel curioso –

       - Você não viu o Pai? Porque não perguntou isso a ele? – respondeu Ezequiel –

       Uriel pensou muito para responder e disse:

       - Eu não ousei perguntar isso a ele, e outra o Pai me pediu para te chamar porque ele quer conversar com você, mas antes, por favor, Ezequiel me diga o que sabe - disse Uriel enganando totalmente o coitado do Ezequiel –

       - Que são Pedaços do Poder eu não sei, mas que são muito poderosos isso o Pai me disse numa conversa – pequena pausa - Vejamos – disse Ezequiel olhando para os lados procurando alguma coisa – Aqui – disse Ezequiel - Olhe isso aqui –

       Ezequiel caminhando até a gaveta pega uma corrente muito grossa que parecia uma corrente comum, ele traz aquela corrente e diz a Uriel:

       - Reconhece-a? Veja isso Irmão, desde que o Pai sumiu estive avaliando esse Objeto, e percebi que ele se tornou em Objeto da qual foi usado um dia pelo Pai.

       - Como assim? -disse Uriel - Que objeto é esse?

       - Essas correntes apreenderam Lúcifer na antiga rebelião, foram usadas por Miguel, como sabemos Lúcifer ficou apreendida por ela até eu descer no Inferno com o Pai - disse Ezequiel –

       - Você desceu no Inferno com o Pai, Ezequiel? Por isso pegou as correntes? - disse Uriel assustado –

       - Se me permite, deixe eu lhe contar uma historia - disse Ezequiel –

       - Claro Irmão por... por favor – disse Uriel empolgado –

       - O Pai estava regendo as Dimensões, no Trono das Dimensões como fazia em toda a sua Eternidade e aqui nessa sala, um dia Uriel, lembro que estávamos nessa sala; eu estava lendo alguns livros quando o Pai que estava sentado bem na cadeira do meio escrevendo um livro de porte pequeno sente um aperto no coração, cheguei até Ele e disse: “Pai, tudo bem, Ele olhou para mim e disse: Não, creio que não, venha comigo para me ajudar, - disse o Pai” –eu e Ele descemos até o Inferno e lá o Pai foi conversar com Lúcifer quando o Pai chegou lá Ele libertou Lúcifer, achei estranho a atitude do Pai, pra falar a verdade até Lúcifer achou esquisito, o Pai disse pra mim levar aquelas correntes até a sala e esconder elas lá, enquanto iria ficar conversando com Lúcifer.

       - E o que fez você ouviu a conversa Ezequiel? - disse Uriel curioso com aquela história –

       - Não eu simplesmente voltei para o Céu pensando como o Pai havia feito uma coisa daquelas, depois de algum tempo ele desapareceu, essas correntes antes do Pai desaparecer tinham perdido os poderes é só depois do seu desaparecimento voltaram com seus poderes originais.

       - Como ficou sabendo que as correntes voltaram com os poderes originais? - disse Uriel –

       - O Pai me disse assim que voltou para o Céu, lembro muito bem aquele dia que perguntei para Ele o porquê que Ele fez aquilo com Lúcifer, Ele me disse “que o futuro iria tomar outro rumo”, e me disse para esconder essas correntes porque ela poderia prender qualquer Anjo, e neutralizar os seus poderes, qualquer Anjo menos Lúcifer, eu estou muito impressionado até agora por tudo o que aconteceu.

       - Quais são os Objetos de Emanação Divina? -disse Uriel –

       - Uriel, eu já lhe disse o essencial só vou dizer o restante depois que encontrarmos o Pai, agora onde ele está? – disse Ezequiel a Uriel –

       Aquela era a hora da verdade Uriel estava mentindo pra Ezequiel mas também o mordomo sabia de alguma coisa era à hora de levá-lo para a Terra, foi quando Uriel teve uma brilhante idéia, levaria Ezequiel para a Terra e o prenderia com essa corrente e assim neutralizaria Ezequiel que contaria tudo, era uma brilhante idéia, uma brilhante não, isso era uma grande idéia - pensava Uriel - e foi quando o rebelde Arcanjo disse para o Mordomo:

       - O Pai está na Terra Ezequiel, e ele quer conversar com você.

       Os olhos de Ezequiel se voltaram radiante para Uriel, e Ezequiel disse:

       - Quero vê-lo Irmão, como o encontro Uriel porque Ele não apareceu aqui no Céu - disse Ezequiel –

       - Venha comigo Ezequiel, e irá entender o que se passa, irá entender o porque dessa atitude do Pai, venha comigo.

       Ezequiel, rapidamente aceita o convite de Uriel, estava ansioso, e logo desaparece rumo a Terra, Uriel pega a corrente e leva junto com ele também para a Terra, logo aparecem num lugar em que não havia ninguém o lugar era uma espécie de uma casa abandonada no centro de uma grande floresta, a casa era muito suja, Ezequiel apareceu na sala dessa casa, olhando para os lados não havia ninguém; a casa realmente era abandonada, no canto esquerdo da casa uma cadeira, Ezequiel diz:

       - Uriel? Onde você está Irmão? O Pai está aqui? Pai? Pai? Você está ai? Tem alguém aqui?

        Não havia ninguém ali, Ezequiel fica bastante atribulado no meio daquela sala, pensava que Uriel o havia enganado, dá alguns passos em direção a cadeira bem devagar o medo toma conta de si, quando de repente a lareira da casa acende como passe de mágica, despertando e assustando muito Ezequiel que diz novamente:

       - Oi? Te... Tem alguém ai? Oláááááááááá Uriel? Pai?

       Ezequiel vai até perto da cadeira quando de repente alguém aparece repentinamente e o empurra, Ezequiel logo cai na cadeira quando um vulto o aprisiona, não dá pra ver quem é, quando Ezequiel enxerga vê que Uriel havia o aprisionado com a corrente que Ezequiel mostrava para Uriel ainda no Céu, o Mordomo fica olhando para Uriel, que para em sua frente de cabeça baixa e coloca alguns livros que havia pegado da Sala no Céu e coloca na mesa da sala daquela casa, Ezequiel muito assustado e ao mesmo tempo não entendendo absolutamente nada diz:

      - Irmão? O que está fazendo? Solte-me, Uriel? Solte-me. Onde está o Pai.

       Ainda de cabeça baixa Uriel diz:

       - Eu tive que mentir pra você Irmão não sei onde o Pai se encontra e também nem quero saber - diz Uriel ainda permanecendo com sua cabeça baixa.

       - Irmão! Você mentiu pra mim? O que está pensando Uriel, o que está tramando sabe que será punido pelos nossos Irmãos, me solte agora e não direi nada pra ninguém.

       - Eu não posso solta-lo Ezequiel, não até saber de tudo – disse Uriel olhando para Ezequiel.

       - Me solte agora Irmão – disse Ezequiel agitado.

       Ezequiel começa a gritar, e tenta se transformar em Sua forma Literal de Arcanjo, mas seus poderes não são ativados, pois a corrente impede isso, ele começa a se agitar de um lado e do outro, mas tudo é em vão sempre, gritando e pedindo por socorro, quando diz:

       - Me solte, você vai se arrepender Irmão. Socorrooooo – grita Ezequiel.

       - Pode gritar Irmão, ninguém vai te escutar aqui, e você está sem os seus poderes de Arcanjo não vai conseguir nada, ninguém pode escutá-lo aqui – disse Uriel caminhando até lá fora.

       Enquanto Ezequiel gritava como um “louco”, Uriel caminha até a varanda da casa, e lá faz chama por Abdon e Lilith, rapidamente Abdon e Lilith aparecem na casa onde está Uriel.

       - Abdon, Lilith, consegui – diz Uriel rindo para ambos

       - Conseguiu alguma informação? – disse Lilith curiosa –

       - Muita coisa, e podemos conseguir mais, trouxe Ezequiel.

       - Ezequiel, é esse que está gritando e urrando dentro da casa, Uriel?

       - Sim Abdon, Ezequiel era uma espécie de Mordomo de Deus, e sabe muitas coisas.

       - Como conseguiu aprisioná-lo? – disse Lilith a Uriel –

       - Com um Objeto que descobri justamente dele, a propósito apreendi Ezequiel como esse mesmo Objeto, um Objeto de Emanação Divina, Ezequiel está preso com as correntes que apreenderam Lúcifer na antiga rebelião – disse Uriel –

       - Objetos de Emanação Divina? Explique-me melhor Uriel – disse Abdon muito curioso para saber do que se tratava –

       - Ezequiel me contou que depois do desaparecimento de Deus, os Objetos que ele usou para Emanação do seu Poder ao Homem, voltaram com seus poderes novamente – explicou Uriel a Abdon e Lilith –

       - Os Objetos estão com os seus poderes? – perguntou Lilith –

       - Sim. Os Objetos são poderosos, mas fiquei sabendo que mais poderosos ainda eram os Objetos que contém os Pedaços do Poder de Deus – respondeu Uriel fascinado com o que falava –

       - Pedaços do Poder de Deus? Quais são? – perguntou Abdon muito aguçado –

       - Eu não sei Abdon, no Céu ninguém sabe mas receio que com esses Objetos possamos conquistar o Trono das Dimensões, o Céu está de olho na Terra, pois também não sabem onde está os Objetos e nem que Objetos são somente vão ficar de olho na Terra para qualquer coisa eles atacarem.

       - Acha que a donzela ali de dentro sabe de alguma coisa? – respondeu Abdon em tom de deboche se referindo a Ezequiel –

       - Acho – respondeu Uriel – E creio que sabe de muito mais coisas que não queria me contar.

       - Então, o que estamos esperando amigos vamos interrogá-lo – disse Abdon todo feliz andando em direção pra dentro da casa onde estava Ezequiel quando Uriel pega em seu braço e diz:

       - Sabe que já assinei a minha sentença, não é Abdon quando o Céu ficar sabendo da minha traição irei ser procurado – disse Uriel com muito medo para Abdon –

       - Fique tranqüilo Irmão, todos nós assinamos as nossas sentenças de morte, e posso lhe assegurar que vão te procurar sim, mas somente quando forem ajoelhar perante você perante nós, vamos atrás do nosso prêmio Uriel, tudo o que fizermos requerem alguns sacrifícios, e esse é um deles – diz Abdon a Uriel com toda a convicção – Vamos interrogar Ezequiel.

       Abdon, Lilith e Uriel, entram na casa e caminhando até a sala lugar onde está Ezequiel, que já estava cansado de gritar, pois havia notado que ninguém estava escutando, os rebeldes entram então na sala e ficam olhando para Ezequiel, que fica assustado com a presença de Abdon e Lilith, quando rapidamente assim que entra na sala Abdon diz a Uriel:

       - Ezequiel, meu Irmão, há quanto tempo.

       Ezequiel fica assustado com o que estava vendo, olha para Lilith que permanecia sentada naquele sofá velho com cara de riso, e olha para Uriel que estava olhando para Ezequiel e diz:

       - Fez um pacto com demônios Uriel? Está ajudando demônios? O que deseja fazer? – disse Ezequiel não entendendo e também não querendo aceitar o que estava vendo ali –

       - Irmão preste atenção, venha e junte-se a nós, podemos ser poderosos – disse Uriel a Ezequiel –

       - O que está dizendo Irmão, está louco? Você será punido com toda certeza, punido para sempre – respondeu o Mordomo a Uriel –

       Lilith levantando do sofá e caminhando até onde estava Ezequiel dá uma volta observando Ezequiel que a segue no olhar, então Lilith diz:

       - Esse é um Objeto de Emanação Divina? Muito bom, ele está sem os seus poderes de Arcanjo? – disse Lilith virando para Uriel –

       - Sim, essa corrente neutraliza todos os seus poderes, Ezequiel é digamos um “humano” totalmente vulnerável.

       - Ótimo, então vamos interrogar a cadela – disse Abdon feliz com o que estava acontecendo –

       - Eu não digo nada para demônios, muito mais para traidores – disse Ezequiel olhando para Uriel –

       - Vamos lá Irmão colabore vai ser melhor para você – disse Uriel em tom baixo tentando fazer Ezequiel contar tudo o que sabe –

       - Você sabe o que vai acontecer quando os Anjos entrar naquela sala depois de perceberem que não há ninguém lá dentro não é Uriel, fico imaginando assim que eles souberem que você me aprisionou, e está trabalhando com demônios, será punido por toda a Eternidade – disse Ezequiel em tom firme –

       Abdon chega até perto do Mordomo pega entre suas bochechas aperta levanta a sua cabeça e diz:

       - Por isso vamos arrancar de você tudo o que queremos saber – diz Abdon a Ezequiel com toda calma e soltando dá um saco com sua outra mão na cara do mordomo –

       Ezequiel retomando entre si diz:

       - Sem chance nunca vou dizer nada a vocês

       - O que sabe? Você era o mais próximo de Deus, deve saber alguma coisa – disse Abdon interrogando Ezequiel –

       - Eu já disse Abdon não irei dizer nada a vocês.

       Abdon aperta o pescoço de Ezequiel e diz:

       - Sabe que está vulnerável não é Arcanjo maldito, sabe que podemos fazer qualquer coisa contra você, eu não cheguei até aqui para ser punido, eu cheguei até aqui para ir mais além para reinar no Trono das Dimensões, então comece a contar o que sabe maldito Mordomo de Deus – diz Abdon que para de apertar o pescoço de Ezequiel –

       Ezequiel fica um bom tempo olhando para Abdon, Lilith e Uriel que ficam esperando uma resposta dele, mas Ezequiel depois de encará-los no olhar diz:

       - Mesmo se vocês me matarem não irei contar nada – disse Ezequiel em tom seco falando para os rebeldes –

       - Está querendo me tirar do serio seu maldito – diz Abdon com muita fúria para Ezequiel, partindo pra cima e dando vários tapas, murros em Ezequiel, que recebe os golpes conforme Abdon bate em Ezequiel, ele fica calado e se machuca muito com golpes que Abdon dá sem dó nem piedade, depois de bater muito Abdon diz –

       - Está vendo seu maldito, você não é um Arcanjo com essas correntes me diga o que sabe desses Objetos, me diga o que sabe sobre o Portal do Trono das Dimensões me diga o que sabe sobre como reinar como Deus Absoluto Acima de Tudo – diz Abdon tremendo de raiva para Ezequiel, que estava muito ferido-

       - Ezequiel muito machucado diz – Eu sei pouca coisa a respeito do desaparecimento de Deus, mas sei que os Objetos de Emanação Divina voltaram com os seus poderes – disse Ezequiel de cabeça baixa –

       - Existem os Objetos que são Pedaços do Poder de Deus, quais são eles – diz Uriel a Ezequiel –

       - Eu nunca diria a um traidor – diz Ezequiel em tom seco olhando nos olhos de Uriel –

       - Diga maldito – diz Abdon levantando o braço para bater em Ezequiel novamente quando Uriel pega o seu braço e diz.

      - Não Abdon, deixe comigo agora, me deixe interrogar o meu “Irmãozinho” –

       Abdon abaixa a mão e dá alguns passos para trás deixando Uriel passar a frente ficando de perto com Ezequiel que permanecia sentado acorrentado e muito machucado olhando para Uriel.

       - Traidor, seu traidor – diz Ezequiel falando pausadamente olhando para Uriel –

       - O único traidor aqui é você de ter omitido a verdade para o Céu, vou repetir bem pausadamente para que entenda. Quais são os Objetos que contém o Poder de Deus, Irmãoooo – diz Uriel a Ezequiel falando bem em seu ouvido –

       - Ezequiel chama Uriel perto dele e fala em seu ouvido – Eu não vou dizer para um traidor – termina Ezequiel –

       - Uriel ri e diz – Eu não estou brincando Irmão, lembre-se que eu sou o Arcanjo da Destruição, e em toda a história eu sempre causei destruições por Ordem de Deus, mas se não me dizer irei torturar você, quais são os Objetos de Emanação que contem o Pedaços do Poder de Deus – diz Uriel falando calmamente a Ezequiel –

       - Eu já disse que não vou dizer – diz Ezequiel gritando –

       - Maldito, eu te avisei toma isso – diz Uriel colocando suas mãos na cabeça de Ezequiel, que começa a gritar muito como se dentro de sua cabeça estivesse recebendo choques–

       Uriel começa a torturar Ezequiel que grita naquela sala sem parar, grandes raios parecem imergirem da cabeça Ezequiel, quando Uriel solta a mão da cabeça de Ezequiel, o “Mordomo de Deus”, fica sentindo as dores gemendo muito e todo machucado, olhando para Uriel que está na frente e Abdon e Lilith que estão atrás de Uriel, encarando Uriel no olhar com os seus gemidos, o Arcanjo da Destruição diz:

       - Quais são os Pedaços de Deus.

       - A Vara de Moisés, A Arca da Aliança, A Lança de Jesus, O Anel Papal – diz Ezequiel chorando de dor e gemendo conforme vai falando –

       - Esses Objetos cada um tem uma especialidade? – diz Uriel a Ezequiel –

       - De cabeça baixa com muita dor Ezequiel responde – Eu não sei Uriel procure-os e veja.

       Uriel aperta a sua mão direita rumo a Ezequiel que começa a gritar a de novo como se estivesse sendo apertado com a mão esquerda começa a dar vários golpes em Ezequiel, que grita de dor amarrado ali depois de golpear e apertar várias vezes mesmo não tocando em Ezequiel, Uriel com o seu poder de Arcanjo abaixa as mãos libertando Ezequiel daquela tortura e diz:

       - Esses Objetos têm alguma especialidade Irmão – tornou a dizer Uriel -

       - Por favor, - diz Ezequiel muito machucado, gemendo e com a voz tremula quase chorando – Eu não sei Irmão, só sei de um que o Pai me falou –

       - Qual? – diz Uriel curioso –

       - A Lança de Jesus.

       - A Lança de Jesus? O que tem de especial nesse Objeto – perguntou Abdon- Não estou entendendo muito bem –

       - Foi o único Objeto que feriu gravemente o Pai – disse Ezequiel –

       - Ninguém pode ferir Deus, Ele é imortal, invulnerável – perguntou outra vez Abdon a Ezequiel –

       - Não demônio – disse Ezequiel a Abdon – O Pai me disse que houve um dia em que foi ferido gravemente.

       - Tudo bem conhecemos essa história – disse Uriel- Eu não quero saber de detalhes quero saber o que a Lança faz –

       - Ela mata qualquer coisa – disse Ezequiel assustado –

       - Mata qualquer coisa? Qualquer coisa mesmo? – disse Abdon ansioso –

       - Sim, o Pai só me disse entre todos os Objetos de Emanação Divina me disse que entre todos os Objetos, A Lança é a mais poderosa, o Pai disse com toda certeza que a Lança mata qualquer coisa inclusive pode ferir Deus – termina Ezequiel –

       - Podemos morrer? Não somos imortais assim? – disse Lilith-

       - Depois do sumiço do Pai deixamos de ser imortais, podemos morrer – disse Ezequiel triste aos rebeldes –

       - Como ficou sabendo disso, Ezequiel? – disse Uriel ao “Mordomo” –

       - O Pai me disse quando estava escrevendo – respondeu Ezequiel –

       - Escrevendo? Escrevendo o que? – disse Uriel –

       - O Pai antes de sumir escreveu coisas relacionadas ao futuro, escreveu tudo num Diário – disse Ezequiel –

       - Um Diário? – disse Lilith assustada –

       - Sim, um Diário.

       - O Diário de Deus? Disse Abdon feliz com o que estava escutando –

       - O que estava escrito nesse Diário? Perguntou Uriel a Ezequiel –

       - O Pai escreveu um Diário nos dias em que antecederam o seu sumiço, estava muito atribulado já havia dado Ordens para que todos saíssem das Dimensões, me disse que coisas estranhas e mistérios iriam acontecer me disse a história da Lança, confesso a vocês que fiquei muito preocupado com o Pai, ele passava muito tempo escrevendo naquele Diário. Disse Ezequiel –

       - Acha que escreveu o futuro, ali? – disse Abdon –

       - Não creio que não ali naquele Diário, Ele escreveu sobre os Objetos e mais alguma coisa que Ele próprio não me falou – terminou Ezequiel –

       - Onde está o Diário? Naquela sala em que estávamos? – disse Uriel –

       - É louco Uriel, o Pai não queria que ninguém lesse o que estava escrito, nem eu li pra fala a verdade, eu e Ele escondemos esse Diário – disse Ezequiel –

       - Onde está o Diário, Arcanjo? – disse Abdon a Ezequiel –

       - Ezequiel olhando para Uriel disse – O Pai não queria que ninguém lesse o Diário, vamos respeitá-lo não é Irmão, pelo nosso Pai.

       - Uriel ri e diz – Seu Pai, seu Pai, onde está o Diário, Ezequiel.

       - Não, ninguém vai tocar no Diário – disse Ezequiel com medo –

       Uriel bate outra vez em Ezequiel e diz:

       - Onde está o Diário Ezequiel?

       - Não; me mate, mas não vou dizer nunca, nunca – disse Ezequiel com muito medo –

       - Maldito - diz Uriel relando no peito de Ezequiel e o torturando como se estivesse dando um grande choque no seu próprio Irmão que começa a gritar novamente depois de algum tempo tira a mão do peito de Ezequiel e diz –

       - Onde está o Diário em Irmãozinho?

       Ezequiel tremendo e gemendo novamente, diz:

       - Me mate é melhor Uriel, mas não vou dizer.

       Uriel olha para Abdon e Lilith, parece que não havia jeito Ezequiel parecia estar certo não iria contar sobre o lugar exato do Diário, ninguém sabia onde encontrá-lo apesar de muito machucado Ezequiel parecia estar firme de sua decisão, mas Uriel caminha até a mesa, pega um livro meio velho e diz:

       - Sabe “Mordomo”, eu estava analisando alguns livros que peguei naquela sala do Céu que você se trancou, e aqui há alguns relatos do que você escreveu de Deus, é até bonito o que você escreveu, essas crônicas, poemas de amor, enfim se você não me contar sobre o lugar exato do maldito Diário diga adeus ao seu livrinho de poemas – disse Uriel segurando o Diário de cabeça para baixo com uma mão e com a outra mão acendendo um fogo para queimá-lo –

       - Não faça isso, por favor - disse Ezequiel desesperado tentando sair das correntes sem êxito –

       - Então me diga onde está o Diário – falou Uriel se aproximando de Ezequiel ainda com o fogo numa mão e o Diário em outra –

       - Não vou dizer, por favor, me solte.

       - Diga onde está o Diário – disse Uriel relando a mão em chamas em Ezequiel que novamente é torturado e grita de dor –

       Uriel se aproxima para começar a queimar “o livro de poemas” em que Ezequiel escreveu do Eterno, gemendo muito volta em si e vê Uriel queimando o Diário, desesperado na cadeira diz alto:

       - O Vale de Aijalom, o Vale de Aijalom, o Diário está no Vale de Aijalom.

       - O Vale de Aijalom? O lugar onde o tempo parou? – disse Lilith

       - Sim Lilith, o Vale onde o Sol e a Lua pararam no tempo – afirmou Ezequiel –

       - Não precisa contar a história já sabemos como foi, mas a propósito, porque Deus esconderia no Vale, Ezequiel? – disse Uriel –

       - Não me pergunte por que isso eu não sei – disse Ezequiel ainda falando muito devagar por causa dos golpes que havia levado – O que sei é que dias antes do Pai desaparecer, Ele passava a maior parte do tempo escrevendo naquele Diário, quando perguntei o que Ele estava escrevendo Ele me disse que era coisas relacionadas ao futuro, logo depois, o Pai desceu até a Terra, na forma de viajante e ficou no Vale de Aijalom num Mosteiro que existe bem no meio do Vale, o Pai permaneceu ali com aqueles Monges por alguns dias e entregou a mão do Líder daquele Mosteiro o Diário.

       - E entregou o Diário assim sem mais nem menos – disse Abdon cortando Ezequiel-

       - Ele disse que o Diário continha o “futuro da humanidade”, e disse ainda para os Monges esconder o Diário e se fossem preciso proteger com a sua própria vida – terminou Ezequiel –

       - E os Monges de Aijalom aceitaram numa boa essa proposta? – disse Uriel –

       - Sim, eles viram que aquele “Viajante”, tinha um semblante diferente, que dizia a verdade e o Líder dos Monges prometeu que esconderia e que não entregaria o Diário para ninguém – disse Ezequiel amarrado e vulnerável de cabeça baixa –

       - Então o Diário não é lacrado com nenhuma “magia divina”, somente está sob proteção dos Monges de Aijalom? – disse Lilith –

       Ezequiel fica calado um bom tempo, os rebeldes ficam olhando para ele esperando uma resposta, o Mordomo de Deus, fica um bom tempo calado, sem resposta quando Abdon fala:

       - Responda Ezequiel, o Diário está sob efeito de algum tipo de magia de Deus?

       - Ezequiel respira alto de cabeça baixa e diz – Vão até o Vale, entrem no Mosteiro e peguem o Diário, já disse tudo o que eu sabia.

       - Uriel ri e diz – Você não entendeu a nossa pergunta, então vou repetir novamente – Uriel aumenta a voz e diz - O Diário está sob efeito de alguma magia Ezequiel, responda.

       - Porque não vão até o Mosteiro em Aijalom e conferiram vocês mesmo – diz Ezequiel olhando para os rebeldes e abaixando a cabeça novamente –

       Uriel então usa seu poder e aperta as suas mãos rumo a Ezequiel que começa a gritar novamente de dor, enquanto Ezequiel é torturado e grita muito Uriel diz bem alto:

       - O Diário está liberto de magia divina seu maldito Arcanjo, responda estou perdendo a paciência – diz Uriel nervoso enquanto usa o seu poder de destruição em Ezequiel –

       Ezequiel gritando muito de dor diz bem alto enquanto grita:

       - Não existe magia no Diário em Aijalom.

       Uriel abaixa as mãos na mesma hora e Ezequiel se desmonta, como se alguém estivesse soltado e geme muito alto olhando para Uriel que estava sua frente então Uriel diz:

       - Então é só pegar o Diário dos Monges em Aijalom e pronto? – disse Uriel –

       - Ezequiel ainda gemendo ri e diz – Acha que Deus iria facilitar as coisas assim? Não é tão fácil abrir o Diário, os Monges tentaram e não conseguiram abri-lo.

       - Os Monges de Aijalom não sabem o que está escrito no Diário? – disse Abdon –

       - Não, nem eu sei o que está escrito – diz Ezequiel –

       - Como o Diário é aberto? Disse Uriel á Ezequiel –

       - Eu não sei – responde Ezequiel abaixando a cabeça –

       Uriel novamente aperta Ezequiel que grita sem parar, enquanto grita Ezequiel diz varias vezes que não sabe como abrir o Diário e implora para que Uriel pare com aquela tortura, Uriel fica o torturando e Ezequiel continua gritando, vendo que o Mordomo de Deus não iria falar nada Uriel para a tortura e diz:

       - Diga logo Ezequiel como abre o Diário não irá dizer?

       - Gemendo mais alto ainda e quase sem respiração o Mordomo de Deus olha para Uriel e diz – Não, vou dizer mais nada.

       Abdon que estava do lado esquerdo vendo aquela cena que se tornava muito melancólica para ele, aproxima com muita raiva e diz para Ezequiel:

       - Diga Anjo maldito – disse Abdon batendo na cara de Ezequiel varias vezes – Diga seu imbecil, como se abre o Diário.

       Parando de bater Abdon espera Ezequiel voltar em si então o Mordomo olha para os rebeldes e diz:

       - Me matem é melhor.

       Abdon e Lilith ficam sem mais saber o que fazer e Uriel calmamente pega o “livro de poema” de Ezequiel e começa a queimá-lo na frente do Mordomo e conforme vai queimando diz:

       - Como se abre o Diário?

       O fogo começa a consumir o livro de Ezequiel que rapidamente fala:

       - A Chave do Inferno.

       - Como? – diz Uriel continuando a queimar o livro –

       - A Chave do Inferno – grita Ezequiel – O Diário do Pai é aberto com a Chave do Inferno, pare, por favor – se desespera Ezequiel chorando -

       Uriel apaga o fogo rapidamente, e olha para Abdon e Lilith então Abdon diz:

       - Onde está a Chave do Inferno?

       - Com Lúcifer – diz Ezequiel –

       - Mentira. Todos sabem que a Chave foi tomada por Deus – diz Lilith –

       - Não! O Pai entregou a Lúcifer, pouco antes de desaparecer, a Chave está com Lúcifer e é a única coisa que pode abrir o Diário, pronto já disse tudo o que sei agora me deixe em paz – termina Ezequiel –

       - Como vamos pegar a Chave de Lúcifer? – diz Uriel para Abdon e Lilith –

       - Você irá pegar com Lúcifer a Chave Lilith – diz Abdon olhando para Lilith –

       - Eu? - Diz Lilith assustada – Como irei fazer isso Abdon?

       - Eu não sei, só sei que Lúcifer te enxerga como uma amante, engane-o no Inferno pegue a Chave, e traga para nós é a única chance que eu vejo – responde Abdon para Lilith –

       - Sabe que se eu conseguir a Chave e se Lúcifer ficar sabendo serei punida não é? Disse Lilith –

       - Minha querida Lilith, quando Lúcifer descobrir para que serve a tal Chave já estaremos com a Lança e iremos matá-lo se interferir em nosso caminho, vá minha menina e pegue a Chave – termina Abdon –

       - Pensando em pouco em silêncio Lilith olha para Abdon e diz – Sim, vou pegar a Chave com Lúcifer, estarei aqui o mais rápido possível – diz Lilith –

       E dando alguns passos para desaparecer até o Inferno, Abdon pega em um dos seus braços e a beija por um bom tempo e diz –

       - Boa Sorte, minha menina vá e volte com a Chave –

       Lilith ri como se quem estive gostando daquilo e retribui a Abdon com um novo beijo e diz:

       - Vou mas voltarei, nos encontramos em Aijalom.

       - Sim, em Aijalom – diz Abdon com cara de quem estava apaixonado –

       Lilith desaparece da sala Uriel e Abdon estavam com os seus corações de pura ganância e não viam a hora de colocar a mão no Diário, ou melhor não viam a hora de ler o Diário, planejam então ir até o Mosteiro em Aijalom, nesse ponto Uriel diz a Abdon ali naquela casa, que eles tinham que tomar cuidado já que os Querubins sob a proteção de Hunatel estavam observando qualquer coisa estranha na Terra, e Uriel diz para Abdon ir até Aijalom sozinho se alguma acontecer Uriel iria inferir, já que era um Arcanjo, Uriel apesar de tudo tinha medo do que podia acontecer, Abdon concorda afinal dentro dele, ele queria era ser o líder do grupo e estava disposto a passar por todo o sacrifício para conquistar o Trono das Dimensões, estava ansiando colocar a mão na Lança de Jesus ou o Cetro do Destino, e assim ninguém poderia se levantar contra ele, mas Abdon sabia que tinha que ir por partes, e achar, abrir e ler o Diário de Deus era uma delas, era o essencial por enquanto Lilith já tinha ido até o Inferno, buscar a Chave para abrir o Diário bastava agora Abdon ir até o Vale de Aijalom buscar o Diário de Deus para começar a batalha pelo tão sonhado Trono das Dimensões.

       - Vou para Aijalom, fique aqui com Ezequiel mantenha-o preso aqui, fique de olho em mim, qualquer coisa vá até Aijalom e me dê cobertura – diz Abdon a Uriel –

       - Vá Abdon, fique tranqüilo busque o Diário.

       - Ezequiel que permanecia na cadeira amarrado com as correntes diz – Não mexa nas coisas de Deus, rebeldes, Deus costuma castiga e punir severamente os que mexem em suas coisas sem a sua permissão– diz Ezequiel de cabeça baixa –

       - Abdon ri e diz – Deus sumiu Ezequiel, Ele não irá punir ninguém, pois terão “novos deuses” que governarão as Dimensões. Você perdeu você ainda se curvará perante a mim – Olha para Uriel e diz – Cuida dele e mantenha os olhos em mim em Aijalom.

       Uriel balança a cabeça afirmando o que Abdon acabara de dizer então Abdon desaparece sentido ao Vale de Aijalom, naquele Mosteiro começa ali o inicio de uma batalha pelo poder, começa ali uma ambição que não teria fim, aqueles rebeldes realmente estavam disposto a fazer guerras e a passar em cima de todos para reinar sobre Todas as Coisas, aquele era realmente o momento mais critico da história.

        

                   A CHAVE DO INFERNO

        Os rebeldes estavam convictos de que era capaz sim de assumir o Trono das Dimensões, com a certeza de que isso era possível surgia em seus corações mais ganância de reinar como Deus Absoluto Acima de Tudo.

       Quando Ezequiel disse que o Diário continha o futuro da humanidade, os três rebeldes não pensaram duas vezes se dividiram em três, Lilith desceu até o Inferno para pegar a Chave do Inferno com Lúcifer já que segundo Ezequiel era a única coisa que abria aquele Diário; Abdon se preparava para ir rumo ao Vale de Aijalom, no Mosteiro que havia no centro do Vale lugar onde estava escondido o “Diário de Deus”, enquanto Uriel ficaria vigiando o "refém" Ezequiel, e a qualquer momento se algo desse errado no Vale, Uriel iria dar toda a cobertura a Abdon.

       De uma coisa era certeza os três rebeldes já tinham entrado em um caminho sem volta, era uma questão de tempo até o Céu e o Inferno descobrirem as coisas que estavam planejando, e sabendo disso os rebeldes então tinham que agir rápido, para abrir e ler o que estava escrito no Diário, principalmente dentro de Abdon estava a ganância de possuir o maior de todos os Objetos de Emanação segundo Ezequiel, a Lança de Jesus, porque possivelmente a Lança poderia matar qualquer coisa inclusive ferir Deus. Dos três rebeldes, Abdon era o mais cobiçador pensava que assim que possuísse a Lança para si ninguém poderia paralisá-lo, enquanto acontecia tudo isso, Miguel volta para a Terra para procurar alguma coisa com seu Irmão Izacael.

       Izacael já havia saído do hotel em que havia se hospedado e se dirigia para a próxima cidade, quando Miguel aparece repentinamente no carro em que Izacael dirigia: - Irmão – diz Miguel aparecendo de repente - Izacael leva um baita de um susto e quase bate o carro com outro que vinha atrás, depois de passado o susto Izacael diz a Miguel. - Olá Miguel, não me apareça mais assim de surpresa não vê que pode ser perigoso? - Diz Izacael nervoso com o irmão. - Mas Irmão? Você não sabia que eu viria? - Como Miguel você nem me avisou, nunca apareça assim do nada para um Humano não estamos acostumados com isso – disse Izacael depois do susto –

       Miguel começa a rir descontroladamente olha para Izacael e continua rindo, Izacael enquanto dirigia diz:

       - Qual é a graça Miguel?

       - Estou rindo pelo o que você disse, não precisa mentir Irmão, você não é um Humano é um Anjo, ou metade de ambos, mas é um Anjo devia estar acostumado com isso – disse Miguel ainda rindo –

       - Você é engraçadinho em Miguel, não vou discutir essas coisas com você.

       - Mas que é engraçado; ah isso é – diz Miguel rindo sem parar -

       Miguel fica um bom tempo tirando o sarro de Izacael, que não gostava, mas também não cortava, afinal no fundo bem no fundo de si mesmo Izacael estava com saudade dessa irmandade que não tinha há milênios, ainda mais vindo de seu Irmão mais próximo no Céu, Izacael tinha muitas saudades daquela convivência apesar de não dar o braço a torcer e muito parecer na frente de Miguel, com aquele clima agradável ambos vão rumo a cidade mais próxima.

       Enquanto isso Lilith, a rebelde chega até o Inferno, ela chega ali como se nada tivesse acontecido como se não sabia de nada, como quem acabara de sair para obedecer ao que fora dito na reunião que todo Inferno teve com Lúcifer, chegando ao Inferno Abgor vem para conversar com Lilith.

       - Lilith! Estávamos sentindo a sua falta por onde estava?

       - Abgor – disse Lilith - Estava vendo se não tinha nenhuma tropa minha na Terra, vasculhei tudo com muito cuidado.

       - Mas suas tropas? Todas disseram que você não as procurou, eles ficaram sabendo pelo intermédio de outros chefes, estão todas aqui Lilith, todas estão aqui no Inferno a propósito onde está Abdon?

       Lilith fica parada sem dizer uma só palavra, ela precisava manter a calma e enganar a todos, tinha que entrar como quem não soubesse de nada e sair com a Chave do Inferno para abrir o Diário que estava sendo procurado por Abdon, era muito arriscado o que Lilith estava fazendo, mas precisava fazer, depois de algum tempo parada em silêncio Lilith diz para Abgor:

       - Eu não sei onde está Abdon, Abgor não está aqui? Pensei que estivesse aqui com Lúcifer, e também pensei que o Mestre soubesse onde estava já que Abdon era o seu braço direito – disse Lilith com muita calma se mostrando tão inocente quanto todos ali –

       Abgor fica olhando no fundo dos olhos de Lilith e diz:

       - Não! O Mestre não sabe onde ele está, mas está furioso com ele.

       - Porque não manda procurá-lo? – respondeu Lilith para tentar saber como estavam pensando a respeito de Abdon e dela própria –

       - Lúcifer não quer que ninguém saia do Inferno, nem ele se moveu de seu trono- responde Abgor –

       Naquele momento Lilith havia percebido que o Inferno inteiro inclusive o Líder dali continuava na mesma monotonia e pensavam muito pouco, dentro de si dava graças em ter saído dali, porém agora era uma hora em que tinha que mostrar que era “amiga” de todos ali.

       - Onde estão todos? – disse Lilith –

       - Estão na parte de baixo do Inferno, em festa – responde Abgor –

       - Em festa? Porque em festa?

       - Lúcifer está fazendo uma festa no Inferno, para o descanso eterno de todos aqui, confesso que estou com duvidas a respeito disso, mas também pouco importa a festa está muito boa, quer ir lá conferir – disse Abgor convidando Lilith para participar junto –

       - Onde está o Mestre, Abgor?

       - Está na festa seu trono está no centro da festa, vamos lá ai você já conversa com ele.

       - Vamos – disse Lilith para Abgor –

       Ambos vão até a festa na parte debaixo do Inferno, onde todos estavam.

       Enquanto Lilith ia até a grande festa que estava tendo no Inferno, Uriel ficava tomando conta de Ezequiel, em algum lugar isolado na Terra, Ezequiel permanecia acorrentado estava se recuperando aos poucos da tortura, Uriel estava lendo o livro de poemas que Ezequiel havia escrito sobre o eterno não só o livro de poema, mas também outros livros que havia pegado da biblioteca, Uriel estava sentado na frente de Ezequiel lendo os livros.

       - Porque resolveu ser o traidor Uriel? – disse Ezequiel –

       Uriel para de ler o livro e diz:

       - Não sou traidor Ezequiel, somente sou realista Deus sumiu e tudo indica que não vai voltar alguém precisa reinar, então que sege ao menos eu.

       - Sabe que irá pagar caro por essa traição não é Irmão.

       - Não, não irei pagar nada muito pelo contrario só irei ganhar e ganhar muito – disse Uriel que coloca o livro que estava lendo na mesa de centro daquela e olha para Ezequiel –

       - Você está trabalhando com demônios eles são nossos inimigos, sabem que eles são traiçoeiros.

       - Uriel com um sorriso no rosto diz – Eu sei, mas se eles tentarem me trair eu mesmo irei puni-los e castigá-los eu sou o mais forte do grupo, sou um Arcanjo e eles têm que me respeitar.

       - Como pode se vender por algo tão baixo Uriel.

       - Por algo baixo? Não Irmão, eu não me vendi, somente estou me preparando para ganhar.

       - Sabe que no fim não irá dar certo Uriel você sabe disso, saia enquanto há tempo, me solte e eu volto para o Céu e não irei contar o que se passou, vamos estou te dando uma oportunidade – terminou Ezequiel suplicando para Uriel o soltar dali –

       - Pra que? Pra você me trair? Não só irei te soltar quando achar o que quero.

       - O que você realmente quer Uriel, o Diário, a Lança em? O que quer? Vejo que não sabe o que quer Uriel.

       - Claro que sei, quero assumir o Trono das Dimensões, é o que anseio, Irmão.

       - Sabe que isso é impossível, não é Irmão, ninguém pode assumir o Trono sem ser o Pai.

       - É o que veremos Ezequiel, é o que veremos.

       - Ninguém pode assumir o Trono das Dimensões – disse Ezequiel se esforçando para sair da cadeira –

       - É o que veremos - disse Uriel - Enquanto isso, Miguel e Izacael haviam chegado até a cidade, quando chegam à cidade vão até um shopping para comer, pois Izacael estava com muita fome, Miguel como sempre desde que chegara à Terra ficava fascinado com tudo o que via principalmente com o shopping em que ambos estavam, o movimento as lojas enfeitadas, Izacael e Miguel vão em um restaurante e Izacael pede dois lanches um para ele e um para Miguel.

       Enquanto comem Izacael diz a Miguel:

       - E no Céu como estão as coisas, está tudo sob controle? – pergunta Izacael –

       - Nossos Irmãos continuam lá – explicou Miguel - Os Querubins estão sob a liderança de Hunatel estão guardando toda a Terra, se acontecer alguma coisa de anormal eles vão interferir, creio que nada pode dar errado Izacael, agora é só esperar o nosso Pai voltar - diz Miguel a Izacael –

       - Ezequiel falou alguma coisa? Não! – disse Miguel - A propósito Uriel conseguiu entrar na sala onde Ezequiel estava mas até o momento em que estava lá Uriel não havia saído da sala.

       - Você não havia dito que Uriel não havia se concordado das decisões tomadas na reunião em que vocês fizeram?

       - Sim, mas ele voltou e não podíamos enxotá-lo do Céu, Izacael. - Mandei ficar de olho nele, qualquer coisa os nossos Irmãos vão interferir não sei se Uriel realmente está do nosso lado.

       Izacael havia ficado preocupado com o que Uriel estava planejando apesar de nunca ter o visto desde que saia do Céu, mas sentia algo estranho a atitude do Arcanjo, Izacael sabia que alguma coisa iria acontecer, então diz a Miguel: - Miguel converse com os nossos Irmãos no Céu e veja como está Uriel com a conversa com Ezequiel.

       - Acha que isso é necessário?

       - Sim! - afirmou Izacael - Faça isso.

       - Então Miguel conversa por "telepatia" com Sarakus que informa que Uriel não havia saído de lá ainda, Miguel manda Sarakus investigar aquilo, pois acha muito estranho, Sarakus diz que iria investigar. E Sarakus então vai até a porta da sala onde Ezequiel havia permanecido desde o sumiço do Pai, e diz: - Uriel? Ezequiel? Abra a porta, vocês estão bem? Sem retorno algum Sarakus diz novamente: - Uriel? Ezequiel? Tem alguém aí? Novamente nenhuma voz, Sarakus então resolve entrar, pois acaba achando aquilo muito estranho, quando Sarakus entra a sala encontra-a vazia, entra da uma volta pela sala observa cada canto e sai rapidamente gritando para que todo o Céu ouça:

- Ezequiel e Uriel desapareceram.

       - Como desapareceram - disse Gabriel –

       Após ouvir Sarakus saindo desesperado da sala, Gabriel foi conferir ele mesmo, pois ele próprio não estava acreditando.

       - O que será que houve - disse Gabriel –

       - Eu não sei Gabriel, não acha muito estranho? - respondeu Sarakus –

       - Estranho demais, não existe outro lugar onde possam estar a não ser na Terra, Sarakus.

       - Então vamos deixar por conta de Hunatel, já que está na Terra com os Querubins.

       - Avisaremos ele? - disse Gabriel –

       - Não! Deixe Hunatel sem ser avisado do desaparecimento de Ezequiel e Uriel se acontecer qualquer coisa na Terra saberemos por ele, onde quer que estejam, terão que aparecer mais cedo ou mais tarde, somente avise Miguel sobre o desaparecimento de ambos, ele está esperando uma resposta – terminou Sarakus –

       Gabriel avisa Miguel por telepatia que Uriel e Ezequiel haviam desaparecido, Miguel conversa com Izacael sobre isso e ambos ficam sem saber o que fazer, algo estava para acontecer, as coisas já não estavam mais em seu devido lugar, tudo estava fora de lugar, todos deviam estar preparados para a grande batalha que possivelmente iria começar.

       Enquanto tudo isso acontecia Lilith junto com Abgor haviam chegado na parte debaixo do Inferno, onde segundo Abgor estava acontecendo uma festa, o Inferno inteiro estava vazio todos permaneciam na parte debaixo do Inferno, quando Lilith estava chegando era possível ver o som de festa, o coração de Lilith fica apertado ela estava com muito medo do que poderia acontecer, sabia que Lúcifer podia prende-la ali, na realidade Lilith não queria vim para o Inferno mas era a única chance de pegar a Chave do Inferno com Lúcifer, tinha que jogar todas as suas armas inclusive a de sedução já que entre todos ali ela era mais bela e sensual.

       Lilith chega junto com Abgor na parte debaixo do Inferno, o Inferno estava lotado, todos os “filhos de Lúcifer” estavam presentes, os chefes e os demônios em uma festa que parecia que não teria fim, como de costume o Inferno estava prazeroso, uma festa com muita comida, bebida, sexo, enfim tudo o que o Inferno sabia fazer de bom; e como sabia afinal foram eles que implantaram isso na Terra, ao som de uma musica muito alta, os demônios se divertiam como nunca, Lilith começa a andar no meio do povo e todos os demônios começam a cumprimentá-la, Lilith era muito bem requisitada no Inferno, todos tinham um respeito muito grande por ela, no centro da festa estava o Trono de Lúcifer que ficava bem no meio da festa, alguém avisa ao “deus do Inferno” que Lilith havia chegado, quando Lúcifer é informado, ele levanta a mão então instantaneamente a musica que estava rolando para, todos olham atentamente para o deus do Inferno e um silêncio predomina o Inferno, Lilith fica bem no meio dos demônios olhando e querendo entender o que estava acontecendo, enquanto todos olham para Lúcifer, o deus do Inferno grita para todos escutarem: - Lilith. De cima do trono no meio da festa, Lúcifer olha para o seu redor os demônios começam a fazer um corredor todos em silêncio até chegar em Lilith, Lúcifer olha para o corredor formado e vê Lilith de cabeça baixa, o silêncio prevalece no Inferno, Lilith levanta a cabeça e enxerga Lúcifer naquele extenso corredor, o deus do Inferno tinha três demônios da sensualidade uma sentada do lado e esquerdo a outra do lado direito e a ultima sentada no seu colo, todo o Inferno estava olhando para Lilith, Lúcifer pede para os demônios da sensualidade que estavam sentadas ao seu lado e no seu colo se retirar, e então rapidamente elas fazem isso, e com a mão faz um sinal para Lilith vir até a sua presença, Lilith então começa a caminhar no meio do corredor aberto pelos demônios, o Inferno permanecia em total silêncio todos olhando fixamente para Lilith que chegava até a presença de Lúcifer. Lúcifer era muito imprevisível se tornava o mais poderoso das Dimensões depois do sumiço do Eterno, já que era o segundo já criado, não queria saber de atacar nem de fazer uma nova rebelião apesar de ser à hora certa agora já que o Eterno não estava mais no controle era só atacar e reinar no Céu, mas preferiu ficar ali no Inferno, Lúcifer perguntou onde estava Lilith e Abdon, depois que todos os chefes de demônios chegaram com as suas tropas na Terra, agora que Lilith havia aparecido Lúcifer queria conversar com ela, ninguém sabia o que o deus do Inferno iria fazer com Lilith. Lilith sabia do perigo que corria quando veio no Inferno, mas tinha que arriscar, Lilith chega até o trono de Lúcifer que estava bem no meio da festa, Lúcifer olha para Lilith e pede para ela subir até o trono subindo as escadas do trono Lúcifer olha para Lilith e diz:

       - Por onde andava Lilith? – diz em tom muito seco olhando dentro dos olhos de Lilith –

       - Eu... Eu fiquei na Terra um pouco – diz Lilith gaguejando e tremendo de medo-

       - Fazendo o que.

       - Vendo se acontecia alguma coisa meu “mestre”, para falar para o senhor.

       - Sabe onde está Abdon? Viu ele na Terra?

       - Abdon? Eu não vi Abdon, creio que não está na Terra, pois o mundo dos Humanos está em perfeita ordem – diz Lilith tentando enganar o deus do Inferno –

       Lúcifer olha para Lilith, o Inferno permanece em silêncio, os olhares de todos se voltam para cima do palco, Lúcifer olha para Lilith e diz:

       - Tudo bem, venha pra cá minha menina, pra falar a verdade estava com saudade- diz Lúcifer –

       Lilith chega até Lúcifer que o abraça e dá um tremendo beijo em Lilith, e diz para todos:

       - Podem continuar a festa, vamos, estão esperando o que?

       Depois dessa ordem de Lúcifer o Inferno volta com a música alta e os demônios continuam a festa, em que haviam parado, Lilith abraçava e beijava Lúcifer deitada em seu colo no trono que permanecia bem no meio da festa do Inferno, o deus do Inferno gostava muito de Lilith, pois era a mais bela do Inferno por isso depois da antiga rebelião ficou sendo a “chefe da sedução”, enquanto Lúcifer beijava e abraçava Lilith que se oferecia para ele, como sempre fazia dentro de Lilith ela pensava consigo mesmo, que havia escapado de ser punida; Lúcifer nem podia sonhar que estavam tentando traí-lo, e tomar o lugar no Trono das Dimensões, mas Lilith dava brados de alegria por não ter acontecido nada de grave com ela no Inferno, muito pelo contrario agora Lilith estava nos braços de Lúcifer, apesar de não querer aquilo, tinha que fazer sacrifício para ganhar a confiança de seu “mestre”, era um momento único era um momento em que ela tinha que se fazer de soldado do deus do Inferno para ganhar o que queria, e enquanto a festa continuava Lilith ainda nos braços de Lúcifer pensava um modo de enganar o deus do Inferno, e conseguir a Chave da qual Lúcifer usava em seu pescoço como se fosse um colar.

       A Chave do Inferno teve esse nome no dia da antiga rebelião no Céu, quando Lúcifer e seus Anjos Caídos haviam sido derrotados pelas tropas de Miguel sob comando do Eterno, Miguel e os seus Anjos derrotam facilmente os Anjos Caídos de Lúcifer e depois o prendeu com uma corrente depois de feito isso o Eterno simplesmente trancou essa corrente com uma Chave que ficou sob o domínio do Eterno e depois disso expulsou os Anjos Caídos e Lúcifer e os colocou no Inferno, os Anjos Caídos tinham liberdade para vagar livremente na Terra, mas Lúcifer não podia sair do Inferno, pois estava preso ali, Lúcifer mesmo preso era muito poderoso sempre enganou os Humanos que eram Imagem e Semelhança do Eterno e seu plano era destruir e enganar todas as coisas que o Eterno havia Criado, essa era a vingança que Lúcifer achou para se vingar do Eterno, por mandavam seu demônios (Anjos Caídos), saírem e vagarem entre as Dimensões e principalmente a Terra para causar destruição e discórdia entre as coisas Criada pelo Eterno.

       Mas antes do desaparecimento do Eterno, Ele desceu no Inferno e conversou com Lúcifer secretamente e deu ao deus do Inferno a Chave que ficou conhecida com a “Chave do Inferno”, Lúcifer estava livre, o próprio Eterno havia o libertado e tirado as correntes que o apreendiam desde que perdeu a batalha na antiga rebelião, mas depois de estar livre como sempre Lúcifer quis, ele não se moveu do Inferno, o Eterno sumiu e Lúcifer não estava interessado em fazer guerra, muito pelo contrario chama todos para ficarem no Inferno para passarem por um período de “descanso”, como ele mesmo julgava ser para os seus demônios. Bom como já vimos e percebemos Lilith e Abdon pareciam ser os únicos do Inferno a não concordarem com essa atitude de seu “mestre”, e isso causou uma aliança entre ambos não só contra Lúcifer mas sim contra o Céu com a ajuda de Uriel que havia entrado nesse time de “rebeldes”, para tomar o que pra maioria era impossível o “Trono das Dimensões”.

       Lilith achava um modo de tirar a Chave possuir a Chave, enquanto Lúcifer alisava o seu corpo, ela diz para ele:

       - Vamos para um lugar mais reservado “Meu Amo”?

       - Porque podemos fazer aqui mesmo o que quisermos ninguém vai notar você não acha?

       - Mas gostaria de ficar somente eu e você a sós – diz Lilith se oferecendo toda a Lúcifer –

       Lúcifer estava caidinho por Lilith na realidade estava com saudade do “chefe da sedução”, então obedecendo ao comando de Lilith, Lúcifer se retira junto com Lilith para um lugar isolado ali no Inferno, e ali Lilith se oferece “por inteira”a Lúcifer, um amor muito grande toma conta de Lúcifer que como sempre ficava encantado com Lilith, eles passam muito tempo ali, Lilith no meio daquela “orgia” junto com o deus do Inferno diz:

       - Lúcifer.

       - Sim, minha rainha – diz Lúcifer abraçado e alisando Lilith ali num lugar isolado no Inferno –

       - Porque quer ficar aqui no Inferno, porque não quer fazer guerra contra os Anjos? – diz Lilith querendo achar um modo de enganar o deus do Inferno –

       - Pra que, creio que isso não tem mais importância, pra que atacar vamos ficar aqui mesmo onde estamos.

       - Eu não entendo “meu amor” – diz Lilith acariciando Lúcifer naquela “orgia” – porque não atacamos você é o mais poderoso é o “pai” de todos agora tanto daqui quando do Céu.

       - Por isso mesmo minha rainha, eu sou o mais poderoso agora, quem passar por cima de mim pagará com a própria vida.

       Lilith para de acariciar Lúcifer e desgruda dele um pouco e diz:

       - Estava pensando, você me ama de verdade?

       - Olha Lilith pra fala a verdade eu te amo mais do que tudo aqui nesse Inferno, você é a minha “safadinha”, minha preferida – disse Lúcifer beijando-a novamente–

       - Vi que você não confiou em muito em mim quando cheguei até o Inferno.

       - Não me leve a mal, minha menina, dei uma ordem que todos respeitaram menos você e Abdon, mas você respeitou porque está aqui; agora Abdon, eu não sei onde está. Não vamos pensar nisso vem aqui minha princesinha – disse Lúcifer abraçando Lilith –

       - Entendo, mas todos do Inferno perceberam seu modo estranho comigo, você não confia em mim – respondeu Lilith tirando com a mão de Lúcifer do seu pescoço-

       - Pare com isso Lilith, sabe que eu tenho uma atenção especial em você, sabe que você é a preferida.

       - Então prove – disse Lilith olhando para Lúcifer ao perceber que ele estava “caidinho” por ela –

       - Claro minha rainha por você faço qualquer coisa minha menina – disse Lúcifer –

       - Faz qualquer coisa mesmo meu “mestre”?

       - Claro que sim minha boneca, já te disse que faço qualquer coisa.

       - Quero duas coisas de você.

       - Sim diga se estiver no meu alcance farei com todo prazer, se bem que tudo está no meu alcance agora que sou o mais poderoso entre tudo não é – disse Lúcifer olhando para Lilith –

       - Me deixe procurar Abdon, quero ver onde ele está trazê-lo até aqui.

       - Mas porque quer ir atrás de Abdon? – disse Lúcifer sem entender nada –

       - Quero ver onde ele está e se está te traindo porque se está te traindo você deve puni-lo, ninguém pode tentar contra o senhor nem passar a perna no mais poderoso nas Dimensões não é mesmo? – disse Lilith tentando enganar o deus do Inferno -

       - Mas se ele tentar fazer alguma coisa contra você? – disse Lúcifer a Lilith –

       - É ai que vem a segunda coisa meu mestre, quero uma proteção.

       - Proteção? Qual?

       - Quero a Chave que está no seu pescoço ela prende qualquer demônio do senhor não é? Quero levá-la na procura de Abdon– disse Lilith a Lúcifer querendo pegar a chave –

       A Chave do Inferno neutralizava qualquer poder dos Anjos Caídos, mas isso era uma lenda criada na Eternidade depois da apreensão de Lúcifer nunca foi usada para isso, pois sempre ficou em posse do Eterno.

       Lúcifer deitado ali junto com Lilith se levanta rapidamente olha para a Chave que estava pendurada em seu pescoço e olha para Lilith que aguardava uma resposta, sem dizer uma palavra Lilith completa:

       - Entendo não confia em mim – diz Lilith se levantando totalmente arrasada quando Lúcifer pega em seu braço e a puxa pra junto de si novamente e diz –

       - Claro que eu confio minha rainha – dá um beijo nela e continua – Aqui está – tira a Chave e pendura no pescoço de Lilith - Procure Abdon e traga-o para mim, e se ele não quiser vim, prenda-o, traga-o a força para o Inferno e ele será punido por mim – termina Lúcifer –

       - Muito feliz Lilith diz a Lúcifer – Obrigado por confiar em mim meu senhor, pode fazer o que quiser comigo, o que quiser sou tua serva – diz Lilith a Lúcifer-

       - Mas vá rápido, minha princesinha e volte para terminarmos o que começamos.

       - Claro que sim com todo prazer meu senhor – diz Lilith com a Chave do Inferno pendurada em seu pescoço –

       Lúcifer beija Lilith mais uma vez que se oferece a Lúcifer, depois de algum tempo Lilith sai e vai até o lugar onde estava acontecendo festa do Inferno, Lilith se despede de Lúcifer, que vota a sentar em seu trono bem no centro da festa e caminha para fora do Inferno, desce as escadas e todos notam que Lilith usava a Chave do Inferno em seu pescoço desce poderosa olhando para os demônios que ficam com os olhares voltados para ela que passeia por meio deles desfilando, se sentindo a tal, quando já está na porta do salão onde acontecia a festa olha para o trono de Lúcifer que estava a observando e ela manda um beijo com a sua palma da mão para Lúcifer que sorri e balança a cabeça em sentido de afirmação, e ela sai do salão de festas e vai rumo a saída do Inferno.

       Como foi fácil pensava ela enquanto andava para fora do Inferno, aquilo havia sido mais fácil do que tirar doce da boca de criança, agora era só encontrar Abdon e Uriel no Vale de Aijalom e abrir o Diário já que estava com a Chave do Inferno em suas mãos, parecia que tudo corria bem para os rebeldes parecia que Abdon, Lilith e Uriel já os viam no reinando no Trono das Dimensões, quando Lilith havia chegado até o portão do Inferno olhou para trás seu coração apertou desta vez de medo; medo daquilo não der certo não queria nem pensar o que podia acontecer quando Lúcifer descobrisse a traição, por um momento passou em sua cabeça a desistir e voltar pra lá, mas a ganância e cobiça falou mais forte dentro de si, e mesmo sabendo que havia ali assinado a sua sentença de morte caminhou para fora convicta de tudo ia dar certo, com a Chave na mão Lilith se dirigia até a Terra e depois ao Vale de Aijalom para abrir e ler o Diário e ganhar poder para reinar no Trono das Dimensões. Por enquanto parecia que para os rebeldes tudo estava dando totalmente certo.

       Então sem hesitar Lilith vai até a Terra e depois para o Vale de Aijalom. 

        

                 O VALE DE AIJALOM

        O Vale de Aijalom era o começo de uma nova fase entre as Dimensões, pois tudo indicava que era possível tomar o Trono das Dimensões depois do sumiço de Deus, era como se um novo tempo para os rebeldes que ansiavam em ganhar poder. Pois chegaria o dia, em que todos se prostrariam diante de Abdon, Lilith e Uriel.

       O Vale de Aijalom foi o lugar registrado na história onde o Sol e a Lua se deteve por quase um dia inteiro na batalha liderada pelo Profeta Josué contra os amorreus, situado na região de Sefelá no centro Sul de Israel. Possui 18 km de extensão por 9 km de largura, lugar que já foi o centro de guerras com “interferência divina”, agora seria palco de um evento que nunca seria escrito, pois no Vale de Aijalom, bem no centro havia um Mosteiro antigo e isolado do mundo o “Mosteiro de Aijalom”, onde segundo o Mordomo de Deus, Ezequiel se encontrava o Diário de Deus, os escritos do Eterno sobre um futuro incerto, os escritos sobre os Objetos de Emanação Divina, e o escrito sobre um desses Objetos de Emanação que poderia ser capaz de matar qualquer coisa inclusive ferir Deus, isso causou uma ganância muito forte dentro dos três rebeldes, Abdon, Lilith e Uriel, Ezequiel já havia alertado que o Eterno não queria que ninguém lesse o Diário muito menos alguém que estivesse com segundas intenções, mas depois sabendo que o Diário não era protegido por nenhum poder divino, os rebeldes resolvem atacar secretamente o Mosteiro sem serem vistos por Hunatel e os Querubins que vigiavam a Terra, para inferir sobre qualquer coisa que poderia acontecer, já que o Céu soube por intermédio de Miguel a existência dos Objetos de Emanação Divina, então os Querubins partiram para vigiar a Terra, pois se alguma coisa acontecesse; eles interfeririam sobre essa ameaça.

       Abdon, Lilith e Uriel teriam que agir bem discretamente inclusive na Terra para não chamar a atenção dos Querubins, Uriel ficaria vigiando Ezequiel que estava em poder dos rebeldes sem os seus poderes de Arcanjo estava sobre o efeito de um Objeto de Emanação Divina as Correntes que apreenderam Lúcifer no dia da antiga rebelião poderia prender qualquer Anjo e deixar sem os poderes depois do sumiço do Eterno, menos Lúcifer que já teria sido preso com ela no dia da antiga rebelião, sendo que o resto dos Anjos sem nenhuma classificação de Hierarquia poderiam ser presos e ter os seus poderes neutralizados.

       Enquanto Uriel vigiava Ezequiel, Lilith estaria no Inferno tentando pegar á Chave do Inferno, a única coisa entre as Dimensões que poderia abrir o Diário de Deus e que segundo o Mordomo de Deus foi entregue a Lúcifer pelo Eterno um pouco antes de sumir definitivamente, Abdon descia até o Vale de Aijalom no Mosteiro para tentar pegar o Diário de Deus que estava em poder dos Monges daquele lugar, era o fim de não saber nada e o começo de saber de tudo, aqueles dias de conversar sem chegar a lugar nenhum por saber de nada estavam com os dias contados, pois o Eterno havia escondido um Diário que Ele próprio havia escrito, então se Ele escondeu era porque Ele não queria que ninguém lesse e também porque tinha algo ali muito revelador para quem lesse aquele Diário, com certeza era a oportunidade perfeita para os rebeldes, era a oportunidade perfeita para saber de todo o mistério das coisas que acontecerão e com certeza o que estivesse escrito ali seria revelador.

       Abdon havia chegado até o Vale de Aijalom, que era um lugar grande e deserto só não seria tão deserto porque havia um Mosteiro, que estava isolado de tudo e de todos; o Mosteiro havia sido construído na Idade Media para lugar de refúgio de viajantes que pousariam ali para se alimentar espiritualmente e para terem alguns dias de isolamento do mundo para buscar somente ao Eterno, mas Abdon não queria saber disso simplesmente ele queria saber onde estava o Diário de Deus, e para pegar essa jóia de grande valor para os rebeldes, eles primeiramente tinham que analisar o lugar, e também Abdon tinha que ser cauteloso, pois segundo Uriel os Querubins estavam tomando conta da Terra para interferir sobre qualquer coisa estranha que podia acontecer.

       Abdon gostaria de chegar, torturar, matar e acabar com aqueles Monges e interrogar o Líder do Mosteiro e dizer onde estava o Diário que um viajante havia deixado ali há algum tempo, mas ele tinha que ser cauteloso com certeza tinha que entrar ali sem chamar muito a atenção dos Monges e principalmente dos Querubins que até não sabiam de nada.

       Abdon avista o Mosteiro de uma montanha, e Abdon se disfarça de viajante e descendo chega até o portão principal do Mosteiro de Aijalom, o Mosteiro era realmente enorme muito grande e parado observando o gigantesco portão tinha duas colunas uma com a estátua de um Anjo e a outra de um Demônio, onde os olhos de Abdon conseguiam enxergar podia ver que o Mosteiro havia varias torres, um pátio muito grande e uns três ou quatro andares, Abdon pensou como seria difícil encontrar o Diário como um simples viajante, e olhava de frente aquele portão do Mosteiro e disse para si mesmo:

        - Então esse é o Mosteiro que abriga o Diário de Deus? – Abdon ri parado de frente ao portão principal e diz novamente para si mesmo –

       Ótimo! Bem vamos nos unir aos Monges – disse Abdon –

        Que olhando para o portão via que qualquer um tinha livre acesso ao lugar, então Abdon entra naquele Mosteiro disfarçado de um viajante, passando pelo portão principal pode reparar que o Mosteiro estava vazio, pelo menos ali fora não havia ninguém no pátio do grande Mosteiro, o calor era imenso ali em Aijalom a poeira que vinha do deserto tornava o lugar bastante seco, parecia que não chovia há dias ou até meses, Abdon estava concentrado no meio do pátio do Mosteiro de Aijalom, e disfarçado de viajante coloca as suas bagagens que carregara ali no chão de dentro de uma daquelas salas um Monge aparece e vem ao seu encontro, Abdon não podia dar na cara que não era um viajante, tinha que parecer um Humano querendo se isolar do mundo e buscar a vida espiritual, típico de todo Humano que ia a busca de um Mosteiro totalmente isolado, principalmente na Idade média, mas isso não vem ao caso.

       Aquele Monge chegara até Abdon e muito simpático diz:

       - Olá filho qual é o teu nome?

       - Meu nome é Abdon, senhor.

       - Abdon? - disse o Monge bastante surpreso - Abdon quer dizer “servo de Deus”, uma escolha de nome muito bonito de sua família, meus parabéns filho – terminou o Monge sorridente para ele no centro do pátio do Mosteiro –

       Abdon riu naquela hora em que o Monge havia dito o significado do seu nome para ele, com certeza era uma desonra para quem queria ser “Deus” e não servo Dele, mas o nome de Abdon tinha esse real significado era “servo de Deus”, para Abdon era como se fosse quase que um xingamento chamá-lo de servo de Deus, afinal de contas um dia todos das Dimensões e isso incluindo a Terra teriam que se ajoelhar e render louvor e adoração a Abdon pensava o próprio, e quando Abdon pensava essas coisas o Monge disse:

       - O que veio procurar aqui nesse Mosteiro filho?

       - Eu? Eu vim me isolar um pouco do mundo, vim buscar renovar meu interior – disse Abdon se segurando para não fazer o que vinha em sua cabeça “que era torturá-lo para entregar o Diário de Deus” –

       - Veio no lugar certo – disse o simpático Monge – Venha filho vou mostrar-lhe o seu quarto, por favor, me siga.

       - E as malas perguntou Abdon –

       - Deixe-as ai que levaremos até o seu quarto, venha comigo.

       Abdon e aquele Monge caminham para dentro do Mosteiro, e saindo do templo Abdon entra no gigantesco Mosteiro realmente tinha quase quatro andares muito interessante era a construção, muito antiga mas muito bem conservada. O Monge sobe junto com Abdon uma escadaria que parecia não ter fim e enquanto subiam conversa com Abdon:

       - Você é de onde Abdon?

       - Eu sou de Roma – respondeu –

       - Roma? Bonita cidade, e ainda uma Cidade Santa, já visitou o Vaticano?

       - Não, não tive tempo ainda.

       - Mora em Roma e nunca visitou o Vaticano? Trabalha em que filho?

       - Sou arqueólogo.

       - Arqueólogo e veio se isolar justamente aqui? Tem alguma coisa que te trouxe nesse lugar?

       - Sim – respondeu Abdon – A paz de Espírito, quero buscar a Deus.

       - Então você veio no lugar certo – disse o Monge –

       O Monge guiando Abdon depois que ambos haviam subido as escadarias e andado por um extenso corredor cheios de quartos que pareciam estar a maioria vazios, o Monge para no quarto de nº 19 do terceiro andar do Mosteiro e diz para ele:

       - Filho, por favor, entre e fique á vontade – disse abrindo o quarto –

       O quarto de Abdon não era grande coisa era um quarto não muito grande com uma cama uma estátua de um Anjo do lado direito do quarto, com alguns livros sobre uma mesa central e uma cama bem pequena, Abdon olha aquele quarto e diz para o Monge:

       - Obrigado, existe só eu aqui? Alguém mais está aqui nesse Mosteiro?

       - Temos várias pessoas aqui no Mosteiro que também querem buscar a paz de Espírito, estão na parte mais alta do Mosteiro estão com os outros Monges na oração da manhã, você chegou agora se quiser suba até para participar conosco é edificante e limpa bem a alma – terminou o Monge sempre sorridente –

       - Irei sim, muito obrigado, o Líder de vocês está aqui no Mosteiro? – disse Abdon –

       - Nosso líder? Sim, sim claro ele se encontra na oração da manhã sempre é possível vê-lo passeando pelo Mosteiro, vai conhecê-lo pessoalmente, filho.

       - Sim, é o que mais quero – disse Abdon com um sorriso meio diabólico – Agora com licença – disse Abdon ao Monge –

       - Tem toda filho, os Monges irão trazer daqui a pouco a sua bagagem, nesse tempo ore, reze e limpe o seu Espírito de todos os demônios que possam entrar em sua alma – disse o Monge –

       - Demônios? – disse Abdon – Ah é claro sim farei isso agora, até mais e muito obrigado – disse Abdon fechando a porta e ficando sozinho no quarto –

       Era até engraçado pensava Abdon, pois ele era um demônio, o Mosteiro havia hospedado um demônio era como se o mal estivesse entrado naquele Mosteiro. Abdon não queria saber de outra coisa a não ser de pegar o Diário e sair dali logo, ansiando ler o que estava escrito naquele Diário, sem poder conversar com Lilith com medo de alguns dos Querubins que pairavam a Terra escutasse ou sentissem sua presença Abdon torcia pela sua “amiga” para que conseguisse tirar a Chave do Inferno de Lúcifer senão seria em vão a sua ida em Aijalom não iria adiantar nada ter o Diário e não conseguir abrí-lo, Abdon acreditava na esperteza de Lilith e sabia que ela viria com a Chave. Tudo o que ele tinha que fazer era encontrar um jeito de saber onde estava esse misterioso Diário. Abdon observava da janela aquele Mosteiro e pensava em alguma estratégia, algo que pudesse fazer para saber do Diário, quando de repente alguém bate na porta do quarto.

       - Senhor? – disse alguém batendo na porta –

       Abdon que estava olhando a paisagem na única janela que havia no quarto, então vira sentido á porta, e vai em direção até a mesma e a abre, e vê era um Monge. Ele era baixo e seu rosto era de alguém muito jovem, Abdon notou uma diferença naquele Monge não era velho, era um moço, um jovem, Abdon viu na cara daquele “menino”, uma maneira de poder se aproveitar dele e tudo o que tinha a fazer e o que mais sabia “enganar”,  o Monge Jovem olhava para ele e em suas mãos as suas bagagens e Abdon diz:

       - Olá, pode entrar, por favor, coloque-as ali no canto.

       O Monge entra no quarto e vai colocar as bagagens de Abdon quando ele pergunta:

       - Qual é o seu nome?

       - Meu nome é Davi, senhor – disse o Monge colocando as bagagens no chão –

       - Davi, prazer Davi eu sou Abdon – disse ele estendendo a mão para o Monge O monge fica olhando a Abdon que estava com a sua mão estendida e simplesmente se curva rapidamente a Abdon e diz:

       - Prazer, senhor, aproveite seus dias aqui no nosso Mosteiro – diz o Monge com quem estivesse se despedindo de Abdon – e dando alguns passos para ir embora Abdon pergunta:

       - Desculpe. Posso lhe fazer uma pergunta?

       - O Monge parado entre a porta e o corredor do quarto de Abdon diz – Sim, pode.

       - Quantos anos você tem?

       - Eu tenho dezoito, senhor.

       - Dezoito? Dezoito anos e já é Monge, um Monge bem novo.

       - Sim, eu me dediquei a isso, depois da morte da minha mãe – disse Davi –

       - Nossa – disse Abdon como se estivesse com muita pena – Não é da minha alçada perguntar isso mas o que houve com a sua mãe garoto? Usando de toda educação – querendo encontrar algo para agir –

       - Minha mãe sofria de uma doença e acabou falecendo senhor – disse Davi cabisbaixo –

       - Nossa! Garoto, que coisa e foi por isso que resolveu ser Monge?

       - Eu só tinha minha mãe no mundo e ela me disse que quando ela partisse, ela queria ver eu no caminho certo, e que era para encontrar a paz de Espírito.

       - E foi ai que resolveu ser Monge?

       - Eu nunca quis ser Monge senhor, simplesmente depois que fiquei sabendo da morte dela, fugi e fiquei muito sentido com aquilo, com vergonha do que meus amigos iriam pensar, de como a sociedade iria me olhar, eu sai e acabei entrando num navio como clandestino, e o pior aconteceu.

       - O quê? – disse Abdon gostando da história –

       - Me descobriram nesse navio e me jogaram no Mar perto já de uma ilha e eu não sei como vim parar aqui,  mas acordei vários dias depois já nesse Mosteiro. Os Monges me disseram que me encontraram inconsciente na praia de Aijalom, e me trouxeram para cá, foi ai que resolvi aprender com ele, os Monges são os meus pais agora, e eu sou um aprendiz deles, devo minha vida a eles – disse o pequeno Monge Davi, de cabeça baixa –

       Abdon vê que uma lagrima escorre em seu rosto, o Jovem Monge estava sentido com aquilo, Abdon vê que era a oportunidade perfeita para agir ou simplesmente tentar. Queria saber ao fundo sobre esse menino e foi então que teve uma grande idéia, Abdon iria usar um pouco do seu poder, era pouco tinha que fazer isso talvez os Querubins não percebessem. Iria ver o que aquele garoto havia passado e dali tirar algum proveito. Jovem Davi permanecia com a sua cabeça baixa e agora com vários pingos de lagrimas caindo no chão, quando ele olha para Abdon e diz:

      - Desculpe senhor, mas isso é recente pra mim, desculpe estar chorando, vou deixá-lo em paz – disse Davi andando quando Abdon diz –

       - Espere garoto – o Jovem Monge para e olha para Abdon que diz – Se isso te confortar quero dar um abraço de consolação.

       Abdon abraça o garoto e nessa hora usando o seu poder coloca a mão na cabeça do Jovem Monge que recebe uma espécie de “choque”, Abdon começa a enxergar o que aquele pequeno Jovem passou, a doença da sua mãe havia sido um câncer de mama que havia levado a morte, aquele Jovem havia perdido o seu Pai num acidente de carro quando tinha sete anos de idade, e a mãe de Davi era uma religiosa e se chamava Elvira, uma freira que se envolveu com um moço e foi expulso do convento grávida de Davi; Davi ainda sentia a perda da morte de sua mãe, tudo isso é visto como um flash enquanto Abdon estava impondo as mãos em Davi que parecia imóvel e também pode perceber que Davi não conseguiu ver sua mãe sendo enterrada, e que viu o enterro de longe, quando Abdon já tinha visto tudo o que precisava  para tirar proveito, ele retira as suas mãos da cabeça de Davi que cai em seus braços desacordado, Abdon rapidamente fecha a porta para que ninguém veja aquele Jovem desacordado, e coloca-o na cama, pega uma cadeira e fica bem na sua frente, esperando-o acordar, depois de um breve tempo Davi acorda meio sonolento, efeito do poder de Abdon e com uma tremenda dor de cabeça, ainda “bobo”, abre lentamente os olhos e diz:

       - Ai, ai, minha cabeça, onde estou – olhando para Abdon –Senhor? O que estou fazendo aqui – diz o Jovem Monge levantando da cama e ficando sentado –

       - Calma; calma, garoto você teve um surto, desmaiou de repente, pode ficar tranqüilo, coloquei você aqui na cama até acordar.

       - Preciso ir senhor, minha cabeça está doendo muito – diz Davi com a mão na cabeça –

       - Elvira. A sua mãe se chamava Elvira, não é?

       - Como sabe disso senhor? – disse Davi assustado –

       - Eu sei de algumas coisas – cochichou Abdon –

       - Estou sem entender ainda.

       - Garoto eu... Eu sei tudo sobre você, na realidade posso enxergar tudo dentro de você, sei que não teve coragem de ver sua mãe sendo enterrada e de como veio parar até aqui – disse Abdon olhando para Davi que estava assustado –

       - Quem é você? Quem é você? – disse Davi –

       - Se eu lhe falar garoto, você promete guardar segredo?

       - Depende, por favor, diga logo senão vou ter que avisar os Monges – disse Davi –

       - Não, por favor, não faça isso, você disse que está com uma tremenda dor de cabeça não é?

       - Sim, está doendo muito.

       - Preste atenção garoto, vou lhe curar – Abdon toca a mão na cabeça do Jovem Monge–

       O garoto assim que é tocado a sua dor passa que quase instantaneamente, olhando muito assustado para Abdon, o Monge Davi diz:

       - Minha dor passou. Quem é você?

       - Eu sou o fim dos seus problemas Davi, posso lhe ajudar, vejo que está precisando de ajuda.

       - Não senhor, está enganado eu quero ficar aqui, tenho tudo aqui – disse Davi ainda meio perturbado com o que estava presenciando – Você é um ilusionista ou algo parecido?

       - Nem uma coisa nem outra, digo que não sou desse mundo – disse Abdon olhando para o Jovem que ficava de pé recuando a cada palavra sua rumo a porta –

       - O que você é, por favor, e o que faz aqui senhor – perguntou o Jovem com muito medo –

       - Sou um ser divino, e preciso de algo que está aqui nesse Mosteiro.

       - Você é um Anjo? – disse o Jovem –

       - Anjo – ri Abdon – Bom, sim; sim eu sou um Anjo – disse Abdon sarcástico – Se me ajudar irei te dar tudo o que mais quer.

       O Jovem fica olhando para Abdon com seu olhar baixo, seu coração pulsa bastante, Davi sabia o que queira e como sabia olhando para Abdon que permanecia em silêncio, olhando para o Jovem; Davi diz:

       - Eu posso pedir qualquer coisa?

       - Claro, posso te dar qualquer coisa, vamos peça o que mais você quer garoto – diz Abdon levantando da cadeira e indo até o garoto que estava encostado na porta – Peça qualquer coisa, qualquer coisa.

       A lágrimas do rosto do Jovem começam a escorrer bem pouco, quase que impercebíveis, o Jovem olha para Abdon com o seu coração disparado, começa agora a chorar mais intensamente Abdon que já estava perto do Jovem Monge, coloca o seu dedo no rosto dele e enxuga as suas lagrimas e diz:

       - Não chore Jovem, somente peça o que está no seu coração, que será realizado.

       - Eu... Eu... Eu não posso senhor, não sei quem o senhor é direito, não sei se fala a verdade, por favor, vou embora é melhor, com licença.

       O Jovem abre a porta de supetão e vira as costas para ir embora e saindo com muito atribulado do quarto n° 19 do terceiro andar do Mosteiro quando ouve a voz da sua mãe lhe chamando, o Jovem para no meio do corredor de costas para o quarto de Abdon, e abaixa a cabeça, quando sua mãe lhe chama pelo nome novamente, o Jovem fica parado escutando quando pela terceira vez a voz de sua mãe lhe chama novamente ele vira e vê a imagem dela bem do lado de Abdon era semelhante a um Espírito o Jovem no meio do corredor olha dos lados rapidamente pra ver se não havia ninguém ali o observando sem perder o foco da imagem de sua mãe e diz:

       - Mãe – com voz de choro –

       - Filho – diz o “Espírito” – Venha cá dê um abraço em sua mãe.

       O Jovem vai correndo para abraçá-la e ambos se abraçam, o Jovem chorando muito beija a sua “mãe” que também beija ele quando o “Espírito” diz:

       - Aceite a oferta do moço, Davi diga o que quer vamos novamente nos reencontrar.

       - Mãe – diz Davi chorando muito –

       Abdon fica do lado com um sorriso forçado como quem estivesse gostando daquela cena fica ali no canto sem falar absolutamente nada quando o “Espírito” diz:

       - Filho, tenho que ir, por favor, me tire daqui, vamos ficar juntos pra sempre, adeus filho - diz o “Espírito” se afastando como se alguém o tivesse puxando - Davi se desespera e começa a dizer enquanto o “Espírito” está subindo:

       - Mãe, Mamãe fique aqui comigo, preciso de você, por favor – diz o Jovem correndo atrás do “Espírito da sua Mãe” –

       - Você pode isso Davi peça isso, não perca a oportunidade – diz o “Espírito” já alguns metros do chão dando um beijo na testa de Davi, ali desaparece –

       Davi olhava para cima e não via mais nada Abdon rapidamente fecha a porta do quarto enquanto o Jovem Monge limpava as suas lagrimas, então Davi olha para Abdon que estava na porta o encara ainda com seus olhos vermelhos cheios de lágrimas e então antes que pudesse dizer alguma coisa Abdon diz a ele:

       - Confesso que até me emocionei, nem é preciso dizer qual é o seu desejo não é? Poderei realizá-lo e trazer sua mãe de volta; claro meu querido garoto se você me ajudar a encontrar o que estou procurando – diz Abdon perto da porta olhando nitidamente para o Jovem Monge –

       O Jovem estava com uma oportunidade única “ isso era o que ele pensava”, creio que qualquer um na pele dele faria o mesmo, afinal de contas aquele Jovem havia perdido a mãe muito cedo, e sofria com aquilo, queria simplesmente ter ela de volta, queria que a sua mãe estivesse ali, junto com ele, não podia perder, e ficando em silêncio por um breve tempo, aquele Jovem diz a Abdon:

       - Se puder ressuscitar a minha mãe ressuscite então, por favor – disse, triste e esperançoso –

       Abdon chegando até o Jovem olha para ele e diz em tom baixo, bastante firme olhando no fundo dos seus olhos

       - Eu posso ressuscitá-la garoto, você somente deve confiar em mim.

       - Eu confio, eu confio senhor – disse o Jovem quase que cortando Abdon –

       - Então vou ressuscitá-la depois que me ajudar, esse é o trato ok? – disse Abdon estendendo sua mão ao Jovem Monge –

       O Jovem olha no fundo dos olhos de Abdon que está com a mão estendida esperando ser tocada pelo Jovem Monge que olhando ainda para Abdon diz:

       - Primeiro ressuscite a minha mãe então o ajudarei.

       - Abdon ri discretamente e abaixa a sua mão – Garoto, eu preciso de ajuda, o que tem a perder? Eu farei o trato e te “levarei até a sua mãe”, assim que me ajudar; tem a minha palavra.

       O Jovem Monge fica em silêncio realmente o que mais queria era ter a sua mãe ali do seu lado, então olha para Abdon e diz:

       - Tudo bem; tudo bem eu aceito o trato irei ajudá-lo.

       Isso era tudo o que Abdon queria ouvir, afinal iria ser fácil encontrar o Diário sem que os Querubins interferissem, Abdon estende a mão para Davi e diz:

       - Temos um trato então? Ou melhor, um “pacto”, você me ajuda a encontrar o que quero e eu “levo você a sua mãe”, ok?

       E Davi, apertando a mão de Abdon no quarto nº 19 do terceiro andar do Mosteiro de Aijalom firma um pacto, o Jovem diz “sim temos um pacto”, nisso um arrepio é sentido pelo Jovem e Abdon abre bem os seus olhos recebendo o pacto daquele Jovem, Abdon fazia pactos e isso o fortalecia mais ainda, e esse pacto seria o mais importante que ele já fizera e com certeza Abdon nunca iria esquecer o primeiro pacto para assumir o Trono das Dimensões, Abdon via que a missão estava cumprida realmente aquele iria fazer o que bem entendesse. O Jovem pensava que Abdon era um Anjo e se fosse ver era mesmo, mas não um Anjo que o Jovem pensasse, isso era preocupante, Abdon fez o que mais sabia fazer “enganar” o Jovem Monge Davi havia sido enganado pelo grande “Chefe da Encruzilhada” ali em Aijalom, e ambos estando com a suas mãos apertadas, Abdon retira sua mão quando o Jovem todo feliz como se quem houvesse recebido um prêmio diz:

       - O que procura aqui senhor? Posso te chamar de senhor não é?

       - Ah! Garoto pode me chama do que você quiser desde que me ajude – disse Abdon todo feliz de ter feito um pacto –

       - Então o que procura aqui? – disse o Jovem outra vez a Abdon –

       - Estou procurando um Diário aqui no Mosteiro.

       - Um Diário? Nunca vi um Diário aqui.

       - Um livro que algum viajante entregou uma vez aqui, em que os Monges tentaram abrir e não conseguiram, sabe de algo semelhante assim Garoto? - perguntou Abdon –

       O Jovem Monge coçava a cabeça e Abdon via que ele se esforçava para lembrar, até que diz:

       - Olha existe uma biblioteca no Mosteiro quem sabe o Diário não está lá, o senhor pode dar uma conferida – disse o Jovem muito prestativo e sempre com o seu coração apertado para receber o seu prêmio –

       - Quem é o Líder daqui – insistiu Abdon –

      - O nosso Líder é o Ancião Tomás ele fica na parte mais alta do Mosteiro.

       - Garoto! Leve-me até ele, você tem acesso até lá não é?

       - Sim senhor tenho, eu levo, eu sou encarregado de cuidar do Líder levo comida a ele todos os dias, nosso Líder já está velho e cansado, ele não anda muito por esse Mosteiro, mas é muito respeitado por aqui – terminou o Jovem Monge –

       - Tente se lembrar, não sabe de ninguém que veio aqui com uma sabedoria extrema há alguns meses que doou uma espécie de Diário ou livro pro Mosteiro?

       O Jovem tenta se lembrar, e diz:

       - Não! Senhor passa por aqui muitos viajantes e me lembro de um homem que chamou a atenção do Líder Tomás, nosso Líder sofria de uma cegueira e após a ida desse homem nosso Líder se curou – espanta-se o Jovem o olha para Abdon – Assim como o senhor curou a minha dor de cabeça e fez minha mãe aparecer pra mim – dando alguns passos pra trás o Jovem diz – Quem era aquele homem? –

       Abdon fica olhando para o Jovem e diz a verdade mas não toda:

       - Aquele homem era Deus, e eu simplesmente quero o que ele entregou para o seu Líder - disse Abdon olhando para o Jovem –

       - E porque o senhor quer esse livro.

       - Sem mais perguntas – disse Abdon nervoso – Irei pagar o trato que fiz com você se você me ajudar, você fez um pacto comigo tem que cumprir.

       - Sim; sim senhor, veja está na hora de levar a comida para o Líder Tomás, se quiser podemos conversar com ele, me encontre daqui uma hora no ultimo andar do Mosteiro perto do único quarto do ultimo andar, lá se encontra o Líder e já que eu vou entregar a comida dele você irá conversar com ele – e se apressando rumo á porta terminou – Desculpe senhor estou atrasado, se quiser me encontre daqui uma hora.

       O Jovem sai apressado pelo corredor por dizer que estava atrasado, mas Abdon estava feliz com aquilo como havia enganado aquele Jovem Monge pensava Abdon rindo sozinho, e trocando de roupa apressa para encontrar o Jovem Monge no lugar combinado, antes iria dar uma pequena analisada naquele Mosteiro.

       Abdon sai do seu quarto e passeia pelo extenso Mosteiro com seus gigantescos corredores e percebe que realmente havia muita gente buscando o que os Humanos chamavam de “Paz de Espírito”, repletos de imagens de santos e principalmente de Demônios o Mosteiro fazia com quem vinha ali olhasse para aquelas estatuas de Demônios e ficasse com medo e limpasse suas almas de todo o mal. Era sinistro porque agora no Mosteiro existia um Demônio que andava na forma de viajante no Mosteiro e que iria fazer de tudo para botar as mãos do Diário de Deus, para um dia poder se sentar no Trono das Dimensões, Abdon estava no pátio do terceiro andar, era um lugar de oração ali havia algumas pessoas e estavam ajoelhadas, outras lendo alguns livros naquele pátio do lado direito havia uma biblioteca, seria a biblioteca que o Jovem Monge havia falado dando uma volta pelo pátio Abdon observa cada um naquele Mosteiro e era algo diferente para ele, nunca havia parado para pensar com os Humanos eram “trouxas”, oravam para o Eterno que havia desaparecido, grande perda de tempo pensava Abdon.

       O vento quente e seco vindo deserto não facilitava nada; ficar ajoelhado ali por horas e horas, com certeza pensava mais fortemente Abdon “era uma perda de tempo”, como Abdon gostaria de gritar que o Eterno havia sumido e como aquelas orações não estariam valendo de nada, dessa vez não estava ali para fazer discórdia, mas sim estava para pegar algo. Abdon entra na biblioteca do Mosteiro de Aijalom a biblioteca não era muito larga, mas de altura era enorme e na forma oval com vários livros de todos os lados havia escadas para subir para pegar os livros mais altos, escadas que seguiam a forma oval, qualquer um podia entrar a pegar livros, Abdon andava pela biblioteca a fim de ver que tipos de livros tinham ali, vai que achava o Diário sem querer pensava ele, e subindo uma pouco ali vasculhava os livros. Os livros que havia ali simplesmente falavam de auto-ajuda, espiritualidade, Abdon olhava aqueles livros que estava vasculhando e dizia para si bem baixo, “perda de tempo”, quando um Monge se aproxima e diz a Abdon:

       - Procura algum livro especifico filho?

       - Eu? – disse Abdon tomando um baita de um susto – Estou procurando algum livro relacionado a profecia, coisas do futuro.

       - Em que especificamente.

       - Um Diário, um livro a respeito de coisa que vão acontecer no futuro – disse Abdon tentando jogar um “verde pra colher maduro” – Tem alguma coisa parecida aqui?

       - Olha temos vários livros de vários profetas; venha filho comigo é aqui perto.

       O Monge leva Abdon na próxima escada e vai mostrando o livro de vários profetas, para Abdon aquilo era uma falta de tempo, estava procurando algo que não serviria para Abdon, aquele Monge estava sendo atencioso demais a Abdon típico de todos os Monges mostrando para ele os livros que tinha sobre profecia, Abdon colocando a mão em sua testa já se irritando com aquele Monge que estava mostrando sem parar vários livros de profecias, diz:

       - Senhor – diz Abdon devolvendo alguns livros – Não estou procurando livros, estou procurando especificamente um livro ou uma espécie de Diário que um viajante entregou aqui há alguns meses, parece que ele veio com mais um individuo, e disse que o livro ou Diário não sei direito era uma espécie de segredo da Humanidade algo assim sabe alguma coisa parecida.

       O Monge fica parado pensativo parecia que sabia de alguma coisa então o Monge diz a Abdon:

       - Eu não sei filho, mas porque você quer saber?

       - Estou procurando esse livro, e se não sabe tudo bem.

       - O que veio fazer necessariamente aqui? – disse o Monge desconfiado de Abdon –

       - Estou procurando especificamente esse livro, mas tudo bem, até mais - disse Abdon descendo as escadas rapidamente –

       O Monge fica olhando Abdon descer rapidamente e sair da biblioteca, muito desconfiado aquele Monge viu em Abdon alguma coisa estranha, e sem que Abdon perceba aquele Monge começa a persegui-lo a longa distancia queria ver o que aquele “viajante” estava fazendo.

       Abdon desce da biblioteca e sobe sentido ao ultimo andar conforme combinado com o Jovem Monge Davi, subindo as escadas Abdon chega até o topo do Mosteiro ali tinha uma sacada que dava de vista a topo Vale de cima dava pra ver o Vale de Aijalom inteiro e ainda um pedaço do deserto que ficava á oeste do Vale, naquele ultimo andar tinha uma sala muito grande que era a sala do Líder do Mosteiro de Aijalom, ali existiam vários viajantes todos querendo pedir uma orientação para o Líder do Mosteiro, na fila havia umas vinte pessoas, Abdon ficava aguardando o Jovem Monge aparecer, foi quando o Monge que ficara na porta principal do quarto do Líder disse aquele povo que esperava ali na fila:

       - O nosso Líder irá se alimentar agora, depois nós voltamos atender, muito obrigado – diz o Monge se despedindo das pessoas e entrando na sala –

       As pessoas ficam ali na fila e Abdon ficara em pé esperando-o. Quando o Jovem Monge aparece na cortina que separava o pátio da sala e observando a sacada, Abdon avista o Jovem que faz com um sinal com a cabeça dizendo para Abdon vir com ele e mais do que depressa Abdon caminha até a sala atrás dele vem o Monge na biblioteca avistando Abdon de longe, quando o vê que Abdon havia entrado na sala do Líder, o Monge chama outro Monge e ambos ficam conversando alguma coisa.

       Já dentro da sala Abdon diz ao Jovem Monge:

       - Onde está o Líder.

       - Ali senhor – aponta o Jovem para uma porta e termina – O nosso Líder está na hora da refeição pode entrar ali agora, rápido antes que alguém veja.

       Abdon caminha até o quarto do Líder abre a porta e vê o Líder dos Monges, era um senhor meio gordo com barba branca muito grande, ele usava uma roupa igual de um frei, azul escuro com um capuz, estava sentado, numa mesa gigante almoçando, naquele quarto que era enorme preparado especialmente para acomodar o Líder, o Líder Tomas vê Abdon e fica encarando então diz:

       - O que deseja filho, quem é você?

       - Quero lhe perguntar algo.

       - Bem creio que foi avisado que falarei assim que terminar de comer, portanto, por favor, espere lá fora que já atendo – disse o Monge voltando a comer –

       - Não, quero saber agora senhor.

       O Líder dos Monges para de comer e olha para Abdon que também olhava fixamente para ele, Abdon já estava tenso querendo saber onde estava o Diário, e olhando para a cômoda ao lado da cama, vê um livro pequeno que lhe chama a sua atenção com paginas douradas Abdon olhando para o livro diz:

       - Que livro é aquele? – diz Abdon apontando para o objeto –

       - O Líder olha para o objeto em cima da cômoda e diz – Não é um livro é o meu Diário, quem é você?

       - Diário? – disse Abdon curioso com um sorriso largo – É algo seu ou alguém lhe deu?

       - Qual é o seu nome filho? – disse o Líder dos Monges levantando –

       - Me dê o Diário ele não é seu.

       - Quem é você – disse o Monge correndo até o Diário e segurando ele em suas mãos –

       - Ele não é seu não é, foi entregue por um viajante há alguns meses atrás, me dê esse Diário – disse Abdon caminhando até o Líder dos Monges–

       - Saía daqui agora senhor.

       - Me dê o Diário agora.

       O Líder dos Monges se encolhe todo para proteger o Diário, Abdon chega perto do Líder e tenta tirar o Diário a força, quando alguns Monges chegam na hora.

       - O que está fazendo com o nosso Líder saia agora.

       - Calma; calma – diz Abdon se afastando –

       - Quem é você? Sinto que não é um Humano quem é você? – disse o Líder correndo para perto dos Monges –

       - Não lhe interessa somente me de o maldito Diário, agora – disse Abdon nervoso –

       O Líder olha para o Diário e olha de relance para Abdon e diz:

       - Quem é você.

       - Ele é um anjo – grita o Jovem Monge entrando apressado na sala –

       O Líder olha imediatamente para Abdon e diz:

       - Não! Você não é um anjo seu olhar, é frio é calculista quem realmente é você-

       - Eu – ri Abdon – O garoto tem razão eu sou um Anjo, me dê o Diário – termina de falar não se contendo de raiva –

       - Não iremos dar nada a você, vamos sair daqui meus filhos – disse o Líder caminhando com os Monges sentido a porta–

       A porta se fecha de repente e Abdon que estava perto da cômoda ao lado da cama diz:

       - Vocês não vão a lugar nenhum enquanto não me derem esse Diário.

       Os Monges olham uns para os outros espantados enquanto Abdon fica de cabeça baixa e lentamente levanta a mão direita, quando o Líder toma a frente dos Monges que nessa altura estavam tentando abrir a porta que estava emperrada então o Líder dos Monges pergunta mais uma vez a Abdon que ainda permanecia com a mão direita levantada e de cabeça baixa.

       - Quem... Quem é você? Um Anjo?

       - Sim! Um Anjo; Caído. Abdon o Chefe da Encruzilhada – disse abaixando a mão fazendo com que a porta se abra imediatamente –

       Os Monges ficam paralisados de medos com a porta aberta ninguém consegue fugir Abdon fica olhando para os Monges e o Líder que estava com o Diário em suas mãos quando Abdon fixando o olhar neles.

       - Fujam.

       Os Monges saem correndo do quarto e Abdon levanta os braços travando-os no ar, quando no corredor em que fugira os Monges as paredes trincam e os Monges caem com o impacto do poder de Abdon que estava no quarto e caminha pelo corredor até os Monges que estavam no chão tremendo de medo, Abdon se aproxima e diz do Líder que estava no chão segurando o Diário, agacha pra ficar bem perto dele e diz com toda a calma:

       - Um Anjo Caído, me de o Diário preciso dele para saber de algumas coisas vamos me dê – disse Abdon fazendo sinal com a mão para o Líder dos Monges entregar o Diário –

       O Líder do Mosteiro entrega o Diário para Abdon e diz:

       - Aqui está senhor, não conseguimos abri-lo que Diário é esse?

       - Esse é o Diário de Deus foi entregue pelo próprio Deus a vocês só abre com a Chave do Inferno – disse Abdon segurando o Diário –

       Nisso um grande barulho é ouvido por todos no corredor parte do teto desaba, alguém tinha pousado ali, todos ficam com medo principalmente Abdon, quando todos olham era Lilith que havia chegado trazendo em seu pescoço a Chave do Inferno, Abdon se levanta e diz:

       - Lilith, conseguiu a Chave do Inferno, ótimo.

       - Sim, sem problemas.

       - Vocês nunca vão se dar bem nisso – disse o Líder do Monges no chão –

       - Quem é? – disse Lilith –

       - O Líder desse Mosteiro – perguntou Abdon –

       Lilith aproxima do Líder dos Monges e coloca a mão em sua cabeça o Líder começa a gritar e a se contorcer todo e com a outra mão começa a arrancar os seus olhos, Abdon diz para Lilith parar com aquilo, mas Lilith parece estar obcecada arrancando os olhos do Líder dos Monges quando o Líder para de gritar e se contorcer estava morto, Lilith se levanta e vai para o próximo Monge quando Abdon diz:

       - Pare Lilith.

       - Porque – disse Lilith levitando no ar com os seus olhos vermelhos pegando um dos Monges que estava no chão e começando a torturá-lo.

       - Vai chamar a atenção dos Querubins – disse Abdon gritando com Lilith –

       Os céus ensolarados de Aijalom são lugar a nuvens com trovoadas quase que instantaneamente com um barulho ensurdecedor, Lilith escutando isso para de torturar o Monge que cai no chão e diz para Abdon:

       - O que é isso?

       Raios começam a cair em todo o Vale, e perto do Mosteiro, Lilith olha assustada para Abdon que diz:

       - Os Querubins; vamos sair daqui – disse Abdon enquanto os raios estavam ficando cada vez mais forte em Aijalom–

        

                   O DIÁRIO DE DEUS

        Os céus de Aijalom ficavam cada vez mais escuros os raios estavam aumentando cada vez mais principalmente perto do Mosteiro, Abdon e Lilith estavam prontos para sair dali afinal eles já tinham tudo o que queriam para começar a ansiar pelo Trono das Dimensões.

       Tinham em poder o Diário de Deus, e a Chave do Inferno e podiam ler o que estava escrito naquele Diário que fora os escritos do Eterno pouco antes de desaparecer, e segundo o Mordomo de Deus o Arcanjo Ezequiel, era os escritos para um futuro incerto, Abdon e Lilith tentam sair do Mosteiro, mas não conseguem, realmente eram as tropas de Querubins chegando à Terra, os Querubins tinham essa façanha quando estavam chegando em um determinado lugar nas Dimensões todos os que estavam ali tinham os seus poderes de tele transporte bloqueados, ninguém podia sair dali até terem ordem direta do Líder dos Querubins Hunatel.

       Abdon vendo que não podia sair dali diz para Lilith:

       - Não podemos sair daqui, os Querubins bloquearam os poderes de tele transporte, merda.

       - O que vamos fazer? – disse Lilith assustada –

       - Vamos tentar sair do Mosteiro sem sermos pegos, vamos para as montanhas fora da vista dos poderes dos Querubins, vamos nos separar para não chamarmos a atenção e quando nos encontrarmos nas montanhas sairemos e então vamos abrir esse Diário e ver o que está escrito aqui de tão misterioso – disse Abdon segurando o Diário nas mãos –

       - Vocês nunca irão sair daqui ilesos – disse um dos Monges gemendo no chão enquanto os raios caíram no pátio do Mosteiro, já chamando a atenção de todos ali–

       - Ele tem razão o que vamos fazer sem sermos pegos pelos Querubins – disse Lilith –

       - Uriel virá se a coisa apertar creio eu – disse Abdon pensativo –

       Temos que sair daqui por conta própria, se cuide minha linda – diz Abdon chegando perto de Lilith e dando um beijo na Chefa da Sedução e terminando diz – Vá com cuidado minha amada, vá agora, se cuide.

       Lilith não fala nada e sai correndo do Mosteiro sem usar nada dos seus poderes, pois os Querubins estavam chegando deixando Abdon com o Diário nas mãos, ele esconde o Diário no casaco e observa do ultimo andar do Mosteiro, o pátio onde os raios estavam caindo cada vez mais intensamente quando de repente bolas de fogo começam a cair do Céu, os Monges no chão saem correndo dali o Mosteiro entra em pânico varias pessoas saem correndo de um lado para o outras totalmente perdidas, as bolas de fogo quando tocam em diversas partes do pátio do Mosteiro não acontece uma explosão eram os Querubins que pousavam ajoelhados com as suas espadas flamejantes seus corpos cobertos com um brilho dourado e vários deles no pátio do Mosteiro, e também ao redor do Mosteiro de Aijalom, Abdon estava olhando no ultimo andar do Mosteiro, quando de repente um barulho se ouve no Céu de cima para baixo Hunatel o Líder dos Querubins pousa no pátio de Aijalom causando uma força sobrenatural mudando o tempo no Vale uma grande chuva e trovoadas caia sobre todo o Vale, os céus em Aijalom acabam de escurecer de uma vez, Hunatel se levanta e vê os Querubins ajoelhados esperando a sua ordem então Hunatel diz:

       - Procurem os demônios que estão aqui – diz Hunatel do pátio apontando para o Mosteiro os Querubins levantam e saem caminhando para dentro do Mosteiro, Abdon observa de cima do Mosteiro e diz:

       - Merda, vai ser mais difícil do que eu pensava – disse, andando para sair dali o mais rápido possível -

       Os Querubins andam até o Mosteiro que nessa altura estava em pânico, os viajantes estavam atemorizados com aquela presença sobrenatural que havia ali, os Querubins tocam nas pessoas para ver se elas são humanos ou se são demônios já que a ordem foi para capturar os demônios, os Querubins vasculham todos os quartos de todos os andares do Mosteiro.

       Lilith se escondia como podia com a Chave do Inferno no pescoço Lilith guarda-a no seu bolso, Lilith não podia deixar ser vista, pois era a única mulher no Mosteiro naquele momento, Lilith entra num quarto e se esconde dentro do armário para se esconder dos Querubins quando entra um homem que também estava ali no quarto com medo do que houvera no mosteiro, Lilith sai de supetão e o homem que via pelo buraco da fechadura se apavora, quando ela entra o homem dá um grito e Lilith tapa a boca do homem e faz um sinal para o ele ficar quieto os Querubins estavam entrando quarto por quarto até que Lilith diz:

       - Fique quieto, depois te dou um prêmio – disse mostrando seu corpo e muito apavorada para não ser presa pelos Querubins –

       Lilith entra no guarda – roupa e se esconde rapidamente, o humano fica olhando para ela e desejando-a no fundo do seu coração.

       Miguel sente uma forte presença quando estava no shopping com Izacael e diz:

       - Há batalha aqui na Terra posso sentir.

       - Alguém interferiu? – disse Izacael –

       - Sim. Os Querubins; tenho que ir ver o que está acontecendo, eles estão usando os seus poderes e estão na forma literal, num Mosteiro em Aijalom – disse Miguel enquanto fechava os olhos e via toda a cena que estava se passando em Aijalom e termina – Preciso ir lá.

       - Não – disse Izacael – Fique aqui se for demônio irá ser pego pelos Querubins afinal eles são mais fortes, Irmão fique aqui, não quero que ninguém me veja ainda, coma a sua comida e se acontecer alguma coisa você parte para lá – disse Izacael a Miguel –

       Miguel obedece a Izacael, era a primeira vez que não enfrentaria uma batalha, mas no fundo Izacael tinha razão afinal estavam procurando um demônio e qualquer Anjo do Céu tinha a permissão de punir qualquer demônio era a lei, ambos continuam comendo como se nada tivesse acontecido, Miguel e Izacael estavam cada vez mais próximos.

       Abdon escutando os gritos no Mosteiro começa a descer devagar as escadarias apertando bem forte o casaco do lado esquerdo para segurar o Diário, segurava nas paredes seca do Mosteiro, ouvia os gritos e os passos dos Querubins, quando um viajante subia até o ultimo andar com medo dos Querubins, Abdon diz aquele viajante:

       - O que está acontecendo?

       - Não sei veja essas criaturas que estão atacando – disseram os viajantes em pânico-

       Abdon tem uma idéia e então rapidamente diz ao viajante:

       - Ali não há saída; essas criaturas vão nos matar estão por toda a parte.

       - Aonde iremos eu não sei.

       - Veja atrás de você – disse Abdon apontando para o viajante que estava bem no meio das escadarias em que ambos estavam –

       - O que? Onde? – disse o viajante olhando para trás –

       Nisso Abdon toca na cabeça dele e simplesmente toma o corpo daquele viajante para si transformando em viajante, e então coloca o Diário em sua mão e parte tenta sair sem ser descoberto.

       Chega até o penúltimo andar, no meio daquele corredor observa Dois Querubins interrogando um dos Monges que fugia dali, os Querubins disseram:

       - Onde está os demônios notou algo de diferente aqui Humano?

       - Lá em cima no ultimo andar - gritou o Monge – Ele matou nosso Líder, senhor.

       Abdon em forma do viajante passava entre os Querubins e o Monge, torcendo para não ser notado estava de cabeça baixa pra não ser reconhecido quando passa pelos Querubins que ainda estava interrogando o Monge, quando Abdon passa apressado quase que correndo um dos Querubins pega no braço dele e diz:

       - Você viu alguma coisa?

       - Eu? Não senhor, eu sou só um viajante – disse Abdon –

       - Certeza que não viu nada de estranho? – perguntou o outro Querubim –

       - Não – respondeu Abdon – Estava dormindo e ouvi gritaria então via o caos que isso virou, estou com medo deixe-me ir não vi nada –

       O Querubim que segurava o braço de Abdon olha para o outro que balança a cabeça em sentido de afirmação então o Querubim diz:

       - Vocês estão livres, desculpe alguma coisa, podem ir.

       Os Querubins soltam Abdon e o Monge; o Monge ficava olhando Abdon com o Diário e diz:

       - Espere um pouco – disse o Monge apontando para o diário que segurava Abdon -

       Abdon engole a seco, para e diz:

       - Vamos, deixe “os rapazes” trabalhar – disse Abdon com medo virando para o Monge e atrás os Querubins que olhavam para ambos –

       - Esse Diário, esse livro é do Líder – disse o Monge apontando para o Diário que estava com Abdon –

       Abdon fica atemorizado seus olhos abrem e começa a gaguejar:

       - Eu... Eu não sei que... que está... fa... falando esse livro é meu.

       - Esse Diário era do nosso Líder – olha o Monge para Abdon e depois de um silêncio diz- Ele matou nosso Líder – aponta o Monge para Abdon que diz:

       - Merda! – Abdon sai correndo quando os Querubins voam atrás dele, Abdon diz:

       - Pare.

       Os Querubins param e Abdon volta à forma em que era e diz:

       - Olá Irmãos.

       Com o seu poder arremessa os Querubins contra a parede do corredor do Mosteiro fazendo com que a mesma se quebre jogando os Querubins para fora, nisso Abdon sai correndo, do pátio Hunatel vê os Querubins sendo jogados pelo poder de Abdon, nisso Hunatel sai voando e quebrando as paredes Hunatel fica de frente com Abdon que para de uma vez ambos ficam se encarando quando o Líder dos Querubins diz:

       - Abdon.

       - Hunatel? – diz Abdon rindo –

       Abdon lança um poder em Hunatel que cai no chão, Abdon levita no ar e fica em cima dele para dar outro golpe em Hunatel e no segundo golpe Hunatel defende e ambos lutam no corredor em diversos sentidos no ar no chão, destroem paredes e lutam em diversas do Mosteiro em todos os andares do grande templo dando golpes e poderes um no outro, quando descem na sala central do Mosteiro onde ficavam os viajantes, ali Hunatel libera um grande poder e Abdon paralisa no ar, Hunatel havia liberado o poder para apreender Abdon que estava um pouco machucado e Hunatel paralisando-o no ar disse a Abdon:

       - Chega; Abdon o que faz aqui, diga agora – enforcando Abdon na parede que estava segurando o Diário –

       - Não lhe interessa me solte agora, Hunatel – responde Abdon se contorcendo todo para tentar sair –

       - O que é isso? – diz Hunatel olhando fixamente para o Diário que estava nas mãos de Abdon –

       - Isso? – diz Abdon colocando atrás das suas costas – Não é nada Hunatel é apenas alguns escritos.

       - Escritos?

       Hunatel para de enforcar Abdon e movimenta a sua mão em sentido ao sofá que havia na sala quando faz isso Abdon senta no sofá e fica como se estivesse amarrado Hunatel pega o Diário das mãos de Abdon e observa-o tenta abrir e diz:

       - Está trancado como que abre Abdon,e que espécie de livro é esse, isso não é da Terra – disse Hunatel ainda analisando o Diário –

       - Isso é um Diário, Hunatel o Diário de Deus.

       - Diário de Deus? Como assim?

       - Deus escreveu um Diário pouco antes de desaparecer falando a respeito do futuro, eu só sei que esse Diário é a chave para saber das coisas misteriosas que estão acontecendo.

       - Como sabe disso Abdon como encontrou isso, quem falou isso pra você – disse Hunatel –

       - Não é da sua conta Hunatel deixe-me ir agora – grita Abdon se chacoalhando todo para sair do sofá –

       Hunatel aperta mais Abdon que para de se chacoalhar e fica preso se fazer nenhum movimento, Hunatel olhando para o Diário analisando-o de cima em baixo diz a Abdon:

       - Lúcifer te mandou pra cá? Abdon? Ele mandou você pegar o Diário?

       Abdon ri preso no sofá da sala central do Mosteiro de Aijalom, Abdon solta uma risada maléfica, com uma raiva misturada e responde para Hunatel:

       - Lúcifer? Não me faça rir Hunatel, aquele idiota, cretino não quis saber de fazer guerra já que se tornara o mais poderoso, simplesmente retirou as tropas da Terra e quis que todos ficassem no Inferno mofando – Abdon ri mais uma vez e termina – Eu não podia ficar ali, não diante das coisas misteriosas que aconteceram, então resolvi investigar.

       - Lúcifer não está sabendo de nada então?

       - Não de nada e nem deve saber, me solte agora Hunatel deixe-me ir me dê o Diário – disse Abdon totalmente imóvel no sofá –

       - Porque faria isso – disse Hunatel olhando para Diário em sua mão - Como abre esse Diário, Abdon me diga.

       - Com uma chave, a única coisa que abre o Diário é uma única chave entre as Dimensões.

       - Chave? Qual chave Abdon?

       - A Chave do Inferno – respondeu Abdon de cabeça baixa não escondendo o ódio que estava sentindo de Hunatel que deixara ele preso ali –

       - A Chave do Inferno está conosco no Céu.

       - Abdon ri ainda de cabeça e diz - Não sabe de nada mesmo em Hunatel, a Chave foi dada a Lúcifer antes de Deus desaparecer, Ele desceu no Inferno e entregou a Lúcifer.

       Hunatel fica em silêncio absorvendo a resposta de Abdon realmente ele não sabia de nada, e tudo o que Abdon disse com certeza se encaixa o fato de Lúcifer está solto era pelo fato de ser liberto pela Chave, realmente Hunatel e nem o Céu sabia de nada quando ainda em silêncio Hunatel pergunta para Abdon:

       - Porque Lúcifer não causou uma rebelião Abdon?

       - Não me pergunte Hunatel eu quis saber o motivo, parece que depois do desaparecimento de Deus, Lúcifer não quer saber de guerra, isso é muito estranho por isso me rebelei.

       - E vai desafiar Lúcifer se for preciso para poder saber das coisas? – disse Hunatel a Abdon –

       - Não Querubim; não quero saber das coisas, somente quero assumir o controle.

       - Assumir? Assumir o que Abdon? – disse Hunatel –

       - O Trono das Dimensões; assumirei o lugar de Deus eu serei o novo “Deus”.

       - Hunatel não se controla e ri – “Deus”? Abdon como tomar o lugar de Deus?Isso é impossível.

       - Eu também achava isso Hunatel até descobrir sobre esse Diário e os Objetos de Emanação Divina, isso me fez ver que é possível assumir o Trono das Dimensões – disse Abdon certo do que estava falando –

       Hunatel assim como todo o Céu já haviam descoberto sobre os Objetos de Emanação Divina, e alguns deles sendo Pedaços do Poder de Deus, Hunatel fica encarando Abdon que estava totalmente certo sobre o que estava falando quando Hunatel ia continuar o interrogatório de Abdon um Querubim entra na sala e diz para Hunatel:

       - Hunatel, encontramos Lilith em um dos quartos do Mosteiro.

       Hunatel nesse momento olha para Abdon que estava espantado e com muito medo de terem achado Lilith, Hunatel olhando ainda para Abdon ri e diz para o Querubim:

       - Traga-a aqui, agora – virando para Abdon diz – Você e Lilith estão juntos nisso não é, espere até Lúcifer saber dessas coisas.

       Abdon fica em silêncio quando os Querubins entram trazendo Lilith, ela estava sendo seguradas por Dois Querubins cada um de um lado, Lilith entra na sala e olha para Abdon que estava desiludido então o Líder dos Querubins diz:

       - Coloque-a do lado de Abdon.

       Lilith é colocada perto de Abdon ambos ficam sentados olhando um para outro sem dizer nenhuma palavra, após isso ambos olham para Hunatel que lhes chama a atenção dizendo:

       - O que irei fazer com vocês, me diga – Hunatel fica em silêncio esperando uma resposta dos demônios, mas Abdon e Lilith permanecem em silêncio e Hunatel diz – Ambos traíram Lúcifer, que não irá ficar nada contente de saber da traição, e ainda querem tomar o lugar de meu Pai, idéia patética muito patética.

       - Não é patética, isso pode ocorrer – disse Abdon cortando a Hunatel que diz rapidamente –

       - Quieto, fique quieto – disse Hunatel apertando com o seu poder o corpo de Abdon e andando ao redor de ambos falando – Ainda não terminei, vieram aqui, mataram pessoas inocentes atrás de um Diário que o meu Pai escondeu, fizeram-nos aparecer com essa forma Literal de Querubim aos Humanos, o que devo fazer com vocês é isso que eu quero saber. Onde está a Chave demônios – disse Hunatel –

       - Hunatel – disse um dos Querubins mostrando uma Chave – Essa Chave foi encontrada com Lilith no momento de sua captura.

       - Chave? – diz Hunatel espantado andando em direção até o Querubim que estava com a Chave e tomando-a para si observa, vira para os demônios e diz –

       É o que eu estou pensando?

       Abdon e Lilith ficam surpresos ambos olham um para o outro com se estivessem perdidos, e com muito medo, não falam nada para Hunatel permanecem em silêncio sentados naquele sofá do Mosteiro, Hunatel com a Chave em uma mão e o Diário na outra diz:

       - Por um acaso é a Chave do Inferno? A única coisa que abre o Diário heim? – disse Hunatel rindo para Abdon e Lilith que permanecem em silêncio olhando com os olhos esbugalhados e com muito medo para Hunatel que diz – Pela cara de “idiota” de vocês com certeza é a Chave do Inferno não é?

       - Me dê o Diário Hunatel – disse Abdon para Hunatel gaguejando ao falar –

       Hunatel muito sarcástico diz a Abdon e Lilith, andando sentido a ambos:

       - O que será que o meu Pai escreveu de tão misterioso aqui em? Vamos descobrir?

       - Iremos fazer um pacto, Hunatel, vamos trabalhar juntos – disse Abdon desesperado vendo Hunatel com o Diário e a Chave do Inferno –

       Hunatel fica frente a frente com Abdon e diz rindo da sua cara:

       - Eu não faço pacto com demônios, nunca faria isso você perdeu Abdon nunca iria fazer uma coisa tão baixa dessa – rindo e se afastando diz – Vou abrir o Diário agora e levá-lo para o Céu o que acha? – disse olhando para ambos principalmente para Abdon que estava indefeso naquele momento –

       - Não faça isso Hunatel senão vou acabar com você – disse Abdon com muita raiva e tentando chamar a atenção de Uriel que não respondia –

       Os Querubins que estavam presente com Hunatel naquela sala riem com o que falara Abdon, todos ali naquela sala não seguram a risada e Hunatel ri e chega perto de Abdon e diz:

       - Vai fazer o que?  Acha que um Chefe de Encruzilhada medíocre vai conseguir acabar com alguém? – ri mais um pouco e diz – Me poupe Abdon – olha para o Diário e diz – Bem vamos abrir o Diário?

       Abdon não podia fazer nada Lilith estava quieta não falava nada somente observava Hunatel desprezando-os chamava em seu pensamento Uriel mas Uriel não vinha ali, estavam sozinhos e não podiam fazer nada para reverter a situação, eram fracos e insignificantes para os poderoso Querubins e principalmente Hunatel o Líder de todos eles, os Monges observavam de longe tudo o que estava acontecendo no pátio do Mosteiro e ao redor de todo ele, estavam os Querubins guardando o local, para que não acontecesse imprevistos, Hunatel olha muito sarcasticamente para os demônios e diz com muita autoridade:

       - Bem vejamos! O Diário do meu Pai, e a Chave do Inferno, para abri-lo, vamos ver o que está escrito de tão interessante aqui.

       Abdon olha com o coração muito apertado para Hunatel, Lilith estava totalmente quieta os Querubins na sala estavam ansiosos para Hunatel abrir o Diário; o Diário tinha uma fechadura bem no meio, Hunatel depois de muito fazer suspense e olhando principalmente para Abdon, coloca o Diário na mesa que estava bem na frente de Abdon e Lilith olha para ambos com semblante sarcástico, coloca a Chave no Diário e diz:

       - Vamos ver os escritos do meu Pai.

       Hunatel destranca o Diário com a Chave do Inferno, rodando a Chave o Diário podia ser aberto, Hunatel então abre o Diário quando ele faz isso um vento muito forte saí do Diário sinal de que havia poder ali, Hunatel sorri abrindo o Diário Abdon se esforçava para ler o que estava escrito quando Hunatel coloca mão impedindo impedindo-o a sua leitura, Abdon olha para Hunatel que estava mais sarcástico do que nunca Hunatel olhando para Abdon retira o Diário e se levanta, os olhos de Abdon e Lilith seguem fixamente Hunatel que com o Diário nas mãos começa a analisá-lo, todos ali na sala estavam com os olhos fixos no Diário olhando para Hunatel que diz:

       - É a letra do Pai.

       Abdon fica quieto esperando alguma resposta de Hunatel que folheava aquele Diário e dizia:

       - Os Objetos de Emanação, alguns escritos do futuro, o Profeta das Dimensões, existem muita coisa aqui que é muito interessante sabia demônios – disse Hunatel atiçando a curiosidade de Abdon e Lilith -

       - Eu encontrei o Diário ele é nosso – disse Abdon entristecido mas sem perder a pose –

       - O que Lúcifer vai pensar quando souber que dois dos seus demônios mais poderosos do Inferno o traiu, será que ele vai aprovar a traição de vocês? Será que ele vai deixá-los impune? – disse Hunatel –

       - Nos liberte, por favor, Hunatel te peço encarecidamente, deixe-nos ir – disse Lilith já perdendo as esperanças de sair dali com o Diário e também dentro de si com muito medo de Lúcifer já que o havia enganado –

       - Libertar demônio? – Hunatel ri e continua – Eu não liberto, eu puno – disse Hunatel olhando com o semblante sério para Lilith –

       Abdon e Lilith ficam quietos e todo tempo tentam chamar Uriel, que nada responde ambos já perdendo as esperanças, Abdon não se conformava com o que estava acontecendo iria perder sem nem antes ter começado, não via mais nenhum modo de poder sair daquela situação, estava sozinho e se fosse enviado para o Inferno com certeza seria punido eternamente por Lúcifer e o sonho de conquistar o Trono das Dimensões teria caído por água a baixo, infelizmente Abdon não podia fazer nada, ficava em silêncio de cabeça baixa quando Hunatel diz:

       - Vou levá-los para casa demônios, e depois levarei para os meus Irmãos esse Diário e vamos analisar o que está escrito aqui.

       - Te peço, por favor, Hunatel eu te suplico não nos mande para o Inferno – disse Abdon atemorizado –

      - Porque não? Vou mandá-los para onde vocês nunca deveriam ter saído, vou punir vocês e enviá-los diretamente a presença de Lúcifer que será informado da traição de vocês, seus demônios sujos e imundos, vou começar a punição agora para que possamos voltar para o Céu e vocês para o Inferno.

       Abdon não concordava com aquilo não podia perder o jogo sem nem antes de ter acabado o primeiro tempo, sem antes ter feito nenhum um gol, sem nem antes de ter ao menos tocado na bola, e pedindo humildemente para que Hunatel o soltasse sem nenhuma resposta, Abdon abaixa a cabeça abraça a Lilith que já estava com sua cabeça baixa e diz para ela:

       - Desculpe Lilith juro que eu tentei – disse Abdon quando Hunatel começa o “Ritual de Punição” –

        

                                                 (Hunatel começa a punição)

       Ego Hunatel princeps Cherubim, et Abdon Lami agraviter punire obtemperareimperiomeaut veniat, et faciat infernuma pudutriusque cherubim apparent Humanum puno Lucifer...

 

       Hunatel começa a dizer essas palavras de punição Abdon e Lilith começam a queimar, e a gritar, era típico de uma punição que quando dava inicio quem estava sendo punido começa arder em chamas, todas as suas vestimentas e todos os poderes eram neutralizados, Hunatel começa a dizer essas palavras punindo Abdon e Lilith quando Hunatel estava terminando de punir os demônios ao Inferno até a presença de Lúcifer, um raio azul muito forte cai até o Vale de Aijalom bem no meio da sala em que estava Hunatel e os outros, Hunatel sentindo o poder para rapidamente o Ritual de Punição fazendo com que Abdon e Lilith parem de queimar e os demônios ficam imóveis no sofá gemendo de dor, a sala inteira fica apreensiva e Hunatel olha para ver quem é que vinha repentinamente até o Mosteiro quando diz:

       - Irmão Uriel?

       Uriel estava entre Hunatel e os demônios; pousou de costas para Hunatel e de frente para Abdon e Lilith que o olhavam com um olhar de assustados, os demônios ficam mais aliviados quando vêem que era Uriel sem deixar a demonstrar nada para os Querubins, Uriel com uma cara fechada olhava para Abdon e Lilith que ficavam encarando ele, quando Hunatel diz novamente:

       - Irmão Uriel? O que faz aqui?

       - Gabriel me mandou aqui Hunatel.

       - Que bom Irmão - disse Hunatel – Esses demônios acharam um Diário que o nosso Pai, escreveu eu vi que aqui tem varias revelações sobre o futuro escreveu, creio que esses demônios queriam o Diário para ver se há possibilidade de assumir o Trono das Dimensões – ri - vê se pode – diz Hunatel com um humor a Uriel –

       - Diário? Deixe-me ver – diz Uriel pedindo para Hunatel lhe entregar o Diário –

       Hunatel entrega o Diário nas mãos de Uriel, que começa a folhear e vendo meio por cima o que estava escrito e dando uma de que não sabia de nada, disse a Hunatel:

      - Interessante há muita coisa aqui Irmão, e esses demônios queriam isso, para assumir o Trono das Dimensões? – perguntou Uriel a Hunatel enquanto folheava o Diário e olhava de relance para Abdon e Lilith que estavam totalmente indefesos naquele sofá na sala do Mosteiro em Aijalom –

       - Sim, Irmão estava punindo-os até a presença de Lúcifer no Inferno já que ambos o traíram, querendo pegar a Chave do Inferno, com certeza mentiram para Lúcifer para que pudessem obter a Chave, você quer ter a honra de puni-los já que é mais forte do que todos nós? – disse Hunatel humildemente a Uriel –

       Uriel sorri e fica olhando para Abdon e Lilith que estavam olhando para Uriel que fica pensativo com a oferta de punir os demônios, então ele olha para Hunatel e todos os Querubins que estavam na sala e diz:

       - Puni-los? Claro, afinal em questão de hierarquia, eu sou o mais poderoso e o mais forte que todos vocês juntos não é? – pergunta Uriel para Hunatel –

       - Sim, Irmão você é um Arcanjo a Primeira Classe já Criada, o Sexto já Criado pra ser mais preciso, é o mais poderoso do que todos nós – disse Hunatel meio sem entender a resposta de Uriel - 

       - Sim. Eu sei – disse Uriel com toda a autoridade – Sabe Hunatel, você conhece bem as regras do Ritual de Punição? – pergunta Uriel andando com toda soberania naquela sala –

       - Claro, Irmão, mas... Porque está falando isso? – respondeu sem entender –

       - Sabe que o Ritual tem uma lei que deve ser respeitada a qualquer custo, a lei do Ritual de Punição diz que se deve punir um demônio a Classe de Hierarquia mais poderosa presente, e creio que eu sou essa pessoa não é? Não vejo ninguém mais poderoso aqui presente – disse Uriel caminhando com passos curtos pela sala –

       - Eu não estou entendendo aonde quer chegar, Irmão Uriel porque está falando isso? – disse Hunatel sem graça e não entendendo absolutamente nada –

       - Hunatel! – disse Uriel chegando perto do Líder dos Querubins, e ficando frente a frente com ele disse – Esse Diário pode ser a chave para conhecermos tudo o que não sabermos; digo o Céu não pode saber nada o que está escrito aqui, nem você – termina Uriel bem sarcástico para Hunatel –

       Hunatel fica meio sem entender o que estava se passando, os Querubins estavam observando aquela cena sem falar nada, Hunatel acha estranha a atitude de Uriel, e fica um bom tempo calado, olhando para Uriel que segurava o Diário e a Chave do Inferno em suas mãos, Uriel estava olhando para Hunatel com um semblante de superior, Abdon e Lilith sentados no sofá do Mosteiro quietos ambos olhando para Hunatel e rindo, Hunatel olha para Abdon e Lilith e olha para Uriel que estava de pé ao lado de Abdon e Lilith olhando fixamente para ele então Hunatel diz mais uma vez a Uriel:

       - Puna esses demônios Irmão Uriel, por favor.

       - Eu não irei fazer isso Irmão – disse Uriel a Hunatel desprezando o que ele falava com um tom seco –

       - Se não irá fazer isso, então eu faço com licença – disse Hunatel se aproximando até Abdon e Lilith e reiniciando o Ritual de Punição –

 

       ( Hunatel recomeça a punição de Abdon e Lilith)

        Lamia Abdon et nunce tiamad inferos

        Poenas coram Lucifer...

 

       Quando Hunatel volta o Ritual de Punição, e diz essas palavras Abdon e Lilith voltam a queimar novamente e gritarem quando Uriel usa seu poder acertando Hunatel que estava punindo os demônios, Hunatel recebe o impacto do poder de Uriel voa até bater na parede, o Ritual de Punição mais uma vez é interrompido, os Querubins vendo aquela cena ficam olhando para Uriel sem entender, Hunatel se levanta depois daquele golpe e diz a Uriel:

       - O que você fez Irmão?

       - Chega! Chega! Não vai puni-los, enquanto eu estiver aqui – disse Uriel se transformando em sua Forma Literal de Arcanjo –

       Hunatel fica olhando para Uriel e com muito medo mais ainda sem entender diz:

       - Por quê? – Hunatel observa Abdon e Lilith rindo então caindo à ficha diz a Uriel – Vocês – aponta para Uriel e os demônios – Estão juntos nisso?– diz Hunatel com muito medo da resposta de Uriel –

       - Uriel ri e diz – Acho que já estava na hora de alguém investigar de verdade esse sumiço de Deus não é Hunatel.

       Hunatel fica com muito medo de Uriel e diz:

       - Se corrompeu Uriel, você não está somente investigando o desaparecimento do Pai, mas está querendo assumir o Trono das Dimensões junto com demônios?

       - Uriel sorri e diz sarcasticamente – É um dia vocês se ajoelharam diante de nós – disse Uriel olhando para Abdon e Lilith que estavam rindo –

       - O Céu terá que saber disso – Hunatel olha para um dos Querubins e diz – Avise-os – dando sinal para o Querubim ir até o Céu –

       Quando o Querubim retorna o sinal de que entendeu para Hunatel e vai se preparar para desaparecer Uriel pisa com o seu pé direito no chão firme dizendo:

       - Nenhum de vocês sairá de Aijalom – disse com os seus olhos azuis –

       Quando Uriel fala isso e pisa com seu pé o chão o Querubim não consegue sair do lugar, ninguém consegue sair do lugar foi como se todos os Querubins inclusive Hunatel tivessem seus poderes interrompidos, Hunatel fica olhando atemorizado para Uriel que olhava nitidamente para ele com o rosto fechado e com o semblante de ódio até que Hunatel diz:

       - Vai nos trocar por esses demônios Irmão? – disse Hunatel apavorado olhando para Uriel –

       - Sim, e vocês serão nossos súditos um dia, quando estivermos reinando no Trono das Dimensões.

       - Isso não será possível Uriel, sabe muito bem disso.

       - Cale-se, vou punir você e todos os Querubins de Aijalom.

       - Vai punir um Irmão seu? Um Anjo? – disse Hunatel não acreditando naquilo –

       Os Querubins que estavam na sala e no Mosteiro de Aijalom, estavam apavorados com a atitude de Uriel, realmente aquilo era um absurdo nenhum Anjo de nenhuma Classe Hierárquica jamais havia sido punido, somente Lúcifer e os Anjos Caídos mais foram punidos eternamente pelo Eterno, na antiga rebelião, Hunatel não conseguia acreditar na aliança que Uriel tinha feito com Abdon e Lilith, Uriel olhava fixamente para Hunatel que o encara e diz:

       - Sabe que se fizer isso vai assinar a sua sentença não é Uriel.

       - Uriel ri e diz – Eu assinei a minha sentença antes de sair daquela maldita reunião no Céu, Irmão – termina Uriel falando com desprezo para Hunatel –

       -Fingiu ser um de nós depois que voltou novamente para o Céu porque? Porque queria ir atrás de Ezequiel – Hunatel esbugalha os olhos e diz olhando para Uriel – Ezequiel também está por trás disso?

       - Aquele idiota não me faça rir – diz Uriel muito sarcástico – Ezequiel não tem nem capacidade de fazer mal a uma mosca, ele era o único que sabia do Diário, então tive que enganá-lo e prendê-lo – termina de dizer Uriel –

       - Vai pagar caro quando o Céu souber disso, Arcanjo rebelde – disse Hunatel com raiva –

       - Você é que vai pagar caro, perdeu, quando chegar ao Céu sem os poderes diga, que todos irão se curvar a mim um dia, adeus Hunatel – disse Uriel estendendo as mãos para Hunatel e iniciando o Ritual de Punição –

 

       ( Uriel inicia a Punição de Hunatel e todos os Querubins presentes no Vale de Aijalom)

        “Sextus Archangelum Uriel creatasum, potentissimumordinemcæli, ti puno Hunatel dux Cherubim ...”

 

       Quando Uriel inicia o Ritual de Punição a Hunatel um vento fortíssimo começa a acontecer sobre o Vale inteiro de Aljalom, Abdon e Lilith olham atentamente para Hunatel que estava amarrado os Querubins que permaneciam na sala, no pátio e também sobre os arredores do Mosteiro, sentem o poder da punição e ficam atemorizados com o efeito, Hunatel começa a queimar e gritar as seguintes palavras para Uriel:

       - Urieeeeelllll, pare, por favor, você é meu Irmão, não se corrompa eu te peço isso, não se deixe levar para o caminho do mal.

       Uriel parece não dar ouvidos as palavras de Hunatel que estava queimando num fogo de cor azul, pois se tratava de um punição de anjo, a primeira a ser feita por um Anjo, Uriel o Arcanjo da Destruição punia o seu próprio Irmão. Enquanto Hunatel clamava clemência a Uriel ele continuava o seu Ritual sem se importar o que estava acontecendo.

        

       “...tenon solum exercitus cuius quemaxi mediscedere nunc Aialon, et ego mitto vosde terra iubeo...”

 

       A gritaria e o fogo azul de Hunatel se espalham para todos os Querubins que estavam presentes em Aijalom, todos começam a queimar, um grande terremoto começa a chacoalhar o Mosteiro junto com forte vento que começava os Monges e todos os viajantes que viam aquela cena começam a entrar em pânico, Uriel estava em sua Forma Literal de Arcanjo com os seus olhos brilhando totalmente fora de si, enquanto todas essas coisas aconteciam, Abdon e Lilith tentavam chamar a atenção de Uriel, pois os demônios estavam com medo do que podia acontecer, pois quando um Arcanjo estava fora de si em alguma Dimensão, ele poderia destruí-la inteira com o seu poder, sem contar que o medo de Abdon era que algum Arcanjo maior do que Uriel pudesse interferir no Ritual fazendo com que eles fossem punidos, enquanto Abdon e Lilith chamavam a atenção de Uriel que estava fora de si, e Hunatel e os Querubins queimando, Uriel continuava o seu Ritual de Punição:

        

       “...sine viribus caelum venturi, ita ut cherubim extota societate Lider nunciam timebissex tum creatus, potestatem habeo quoddominari inteomnes dimensiones ineo quod bene dixeritdatuma Patre meoetvosin mequamquaeinte est, etomnis exercitus ejus,in omniametoboedieritismihi,sineAliquampotentiatantumutreseratacaeliet sirevertaminiad me,etipsequisuprametuumvirtutemtuamclaudere, et inter homineset terrae, hodie prorsusimpeditis, tuipse me reprehendo, etego repellamdetestoregotepuno, egoiudicabo, etsaturatus inliciar ad negandum, negorelinquoegopuno, Hunatel dux cherubim et universa agminacherubim, deAhialonterraeextra, perdidit viresest,utsitordoipse me reprehendo, etego repellamdetestor ego nunc puno”

 

       Hunatel dá um ultimo grito e o fogo azul que queimava sobre ele e os Querubins os consumem por completo uma forte explosão acontece no Mosteiro de Aijalom e uma fumaça azul rapidamente sobe ao Céu fazendo com que desapareça Hunatel e todos os Querubins instantaneamente do Mosteiro de Aijalom, Uriel volta em si rapidamente, estava segurando o Diário e a Chave que Hunatel humildemente tinha dado a ele, Abdon e Lilith ainda estavam sentados no sofá amarrados até que Uriel olha para eles e Abdon diz:

       - Que bom que você voltou em si, os Querubins e o maldito Hunatel já eram, solte-nos agora Irmão.

       Uriel simplesmente estrala os dedos fazendo com que o poder que amarra Abdon e Lilith se desfaça rapidamente Abdon e Lilith se levantam felizes por ter dado tudo certo quando Uriel diz dá para Lilith a Chave do Inferno e diz:

      - Isso é seu Lilith, não precisaremos mais da Chave, o Diário já foi aberto.

       - Sim. Respondeu Lilith essa Chave pode ser útil para apreendermos os demônios caso precisamos.

       - O Diário de Deus; temos o Diário deixe segura-lo Uriel, por favor – disse Abdon a Uriel –

       Uriel balança a cabeça em sentido de afirmação para Abdon e Lilith, e entrega o Diário para Abdon que o segura como se fosse um troféu alguns Monges estavam observando de longe totalmente assustados, nunca haviam presenciados esse tipo de evento, creio que nenhum Humano da face da Terra havia presenciado um fenômeno desse tipo em nenhum lugar. Uriel diz com um tom de muito medo para Abdon e Lilith:

       - Vamos sair daqui agora, antes que Gabriel ou Miguel encontre Hunatel e venha até o Mosteiro.

       - Vamos, vamos até onde está Ezequiel para analisarmos o Diário – disse Abdon, segurando o Diário nas mãos –

       Eles estavam prestes a sair quando o Jovem Monge Davi totalmente assustado com o que vira no Mosteiro pega o braço de Abdon e diz:

       - E o meu trato, senhor?

       Abdon vira até o Jovem Monge e ri quando Uriel diz:

       - Quem é ele, Abdon?

       - Abdon ainda rindo olhando fixamente nos olhos do Jovem Monge disse para Uriel – É um garoto que me ajudou a encontrar o Diário, fiz um “pacto” com ele – e dizendo para o Jovem – Claro garoto, claro a recompensa, o trato era fazer a sua mãe ressuscitar dentre os mortos, vou fazer melhor do que isso.

       - Serio? – disse o Jovem Monge muito feliz –

       - Sim – disse Abdon –

       - Não interessa o que vai fazer só quero vê-la de novo, senhor.

       - Sim, iria fazer você vê-la novamente – disse Abdon com um olhar de maldade para o Jovem Monge –

       Abdon olhou para a parede da sala central do Mosteiro e viu um jogo de espadas pendurados na parede em cima lareira, então movimentando os olhos para lareira fez com essa acendesse o fogo o Jovem Monge olha para trás vendo a lareira em chamas olha assustado para Abdon que olhando com um olhar de maldade disse para o garoto que ia se afastando lentamente de Abdon:

       - Encontre a sua Mãe, una-se a ela – disse Abdon em tom firme, nisso o Jovem Monge fica com medo e sai correndo, Abdon faz um sinal com a mão e a espada que estava pendurada em acima da lareira sai dali e perfura o coração do Jovem Monge os outros Monges que observavam ficam em silêncio com muito ódio do que fizera Abdon, mas infelizmente não podiam fazer nada o Jovem Monge agonizava com a espada perfurada em seu coração Abdon fica frente a frente ao Jovem que se ajoelha na frente de Abdon que se aproxima perto do ouvido do Jovem e diz:

       - Pacto pago, encontre a sua Mãe.

       O Jovem gemendo fica olhando para Abdon que puxa a espada que estava perfurada no coração do Jovem que cai no chão o sangue escorre no lugar onde ele estava Abdon vira para Lilith e Uriel que estavam observando tudo e caminhando em direção a eles diz:

       - Bem pronto tudo está resolvido, simples não.

       Uriel ri e Lilith não diz nada, os rebeldes desaparecem do Mosteiro de Aijalom nisso os Monges entram gritando desesperados e um dos Monges coloca o Jovem no seu colo o Jovem estava gemendo muito e estava sofrendo de uma hemorragia, os Monges estavam desesperados quando o Jovem olha para todos que estavam ali e diz:

       - Me perdoem – o Jovem abaixa a cabeça morrendo nos braços daquele Monge, que grita de profunda tristeza com aquele Jovem Monge já morto, que somente queria ver sua Mãe novamente, era motivo de tristeza ali no Mosteiro pelas mortes que haviam acontecido, fato que ficaria na memória de todos ali realmente o Mosteiro de Aijalom nunca mais seria o mesmo –

       Um barulho de repente é ouvido no Céu, Hunatel e os Querubins aparecem no Céu sem seus poderes, sem suas vestimentas de guerras, e com a sua forma de Querubins envelhecidas quase não davam pra reconhecê-los isso acontecia sempre com os demônios que eram punidos pelos Anjos, os Querubins aparecem todos nesse estado acorrentados jogados em algum canto do Céu, Sarakus vê aquela cena e diz para Hunatel que estava preso sem seus poderes, e suas vestimentas:

       - Irmão? Hunatel o que aconteceu?

       Hunatel com uma voz fraca – disse para Sarakus –

       - Chame Gabriel ou Miguel, por favor.

       Gabriel é chamado rapidamente e ao ver o estado dos Querubins fica espantado, e como era o mais forte dali no momento na ausência de Miguel, Gabriel faz Hunatel e os Querubins voltarem ao normal, com os seus poderes novamente, o Céu inteiro estavam ali presente todos espantados presenciando aquela cena então Gabriel diz para Hunatel:

       - O que aconteceu, foi Lúcifer que fez isso com você Irmão?

       Hunatel olha para todos e diz com muita raiva dentro de si:

       - Não! Foi Uriel, o Traidor.

       Todos se espantam e Hunatel diz para todos o que se passou em Aijalom diz sobre o Diário, sobre Abdon e Lilith da aliança que Uriel tinha feito com os demônios, e da prisão de Ezequiel, enfim conta sobre a punição de Uriel, isso causa espanto e revolta nos Anjos do Céu todos não conseguiam acreditar no que Hunatel estava falando e não conseguiam ingerir sobre a traição de Uriel. Realmente a partir daquele momento Uriel havia assinado a sua sentença, os seus Irmãos não iriam sossegar enquanto não o encontrasse, Hunatel termina de falar tudo o que acontecera quando Sarakus diz:

       - Temos que avisar Miguel.

       - Sim! – disse Gabriel – Mas temos que avisar a Lúcifer sobre a traição de Abdon e Lilith creio que ele deve ficar sabendo não é?

       - Claro que sim Gabriel, afinal de contas Lúcifer não está pensando em uma guerra – disse Sarakus –

       - Se me permitem Irmãos eu quero avisar Miguel da traição de Uriel, creio que você Gabriel deve ir até o Inferno já que é o mensageiro e avisar Lúcifer da traição de Abdon e Lilith – disse Hunatel cabisbaixo –

       - Sim! Avise Miguel da traição Hunatel. Gabriel desça ao Inferno e avise Lúcifer, o Inferno também merece saber quem é o inimigo a partir de agora, nós ficamos aqui para prepararmos estratégias para punir Uriel, libertar Ezequiel e pegar o Diário de nosso Pai – terminou Sarakus com muita autoridade –

       O Céu realmente havia entendido tudo Lúcifer não queria causar uma rebelião, mas entretanto, havia três rebeldes, um Anjo e dois Demônios que iriam tentar usurpar o Trono das Dimensões, realmente uma grande guerra estava para acontecer, por enquanto não sabíamos como iria ser, os rebeldes estavam totalmente confiantes de que era possível assumir o Trono do Eterno e governar como Deus Absoluto Acima de Tudo, era o momento em que as partes de uma nova história de um futuro incerto iria começar, então depois dessa grande conversa no Céu, Hunatel ia até a Terra avisar a Miguel e Gabriel se preparava para descer no Inferno para avisar Lúcifer que estava em festa com os seus demônios.

       Rapidamente Hunatel aparece de repente sem avisar sem mais nem menos para Miguel que estava com Izacael, no shopping ambos se preparavam para sair quando ali na área de alimentação do shopping Hunatel aparece em frente a Miguel, com a sua forma humana surpreendendo Miguel como Izacael:

       - Miguel, olá Irmão.

       Izacael estava do lado de Miguel ambos estavam conversando e batendo papo, Miguel se assusta ao ver Hunatel aparecer repentinamente, Hunatel olha para Miguel que estava assustado e Miguel ficando sem reação olha para Izacael que também olha muito assustado para Miguel e Hunatel quando o Líder dos Querubins diz:

       - Quem é esse, Irmão?

       Miguel sem ter como mentir disse:

       - Esse é Izacael, o Arcanjo Humano.

       Hunatel rapidamente olha para Izacael, muito feliz e não deixando Izacael dizer nada Hunatel o abraça e diz:

       - Izacael, Irmão há quanto tempo.

       Izacael abraçado com Hunatel olha para Miguel que balança a cabeça como de quem não sabia dessa vinda repentina de Hunatel, então Izacael ainda abraçado com Hunatel sorri e diz:

       - Olá Irmão.

       Hunatel depois de abraçar Izacael diz:

       - Porque não nos avisou que havia encontrado nosso Irmão, Miguel?

       Miguel sem reação diz:

       - Isso é uma longa história Irmão; uma longa história vamos sentar.

       Os três sentam novamente na mesa do shopping em que antes estavam sentados Miguel e Izacael, e Hunatel conversava sobre tudo o que aconteceu, Miguel e Izacael escutavam apreensivos, Izacael dentro de si estava inquieto, seu medo de descobrir o seu segredo aumentava, pois para ele crescia mais e mais a certeza de que foi ele que havia causado esse sumiço do Eterno, Izacael escutava cada palavra de Hunatel com muito medo, até que Hunatel diz a Izacael e Miguel:

       - Temos que voltar para o Céu, agora.

       - Não! – indagou Izacael – Eu não irei voltar.

       - Porque, Irmão?

       - É Hunatel – disse Miguel tomando a palavra – Diga a nossos Irmãos que encontrei Izacael, entretanto eu e Izacael não iremos voltar, diga para que todos respeitem esse desejo de Izacael, se precisarem de alguma coisa eu e Izacael estaremos dispostos a ajudar, por enquanto ficarei aqui com Izacael, fique tranqüilo estaremos com vocês, avise a nossos Irmãos que tenho que resolver algumas coisas com Izacael primeiro, tudo bem? Pode fazer isso, diga que em breve estaremos ao Céu para nos unirmos com vocês, pelo menos por enquanto, por favor, Hunatel faça isso, já encontramos quem queríamos agora nosso foco é contra Uriel, temos que achá-lo e temos que libertar Ezequiel – termina Miguel –

       Hunatel olha para Izacael que olhava fixamente para Hunatel, que sorri e balança a cabeça em silêncio em sentido de afirmação afinal estava diante dos dois mais poderosos depois de Lúcifer e também Miguel tinha grande respeito dos seus Irmãos e também grande respeito em todo o Céu, Hunatel só não entendia sobre o porquê Izacael não queria voltar para o Céu, estava com duvida, mas tinha que obedecer a Miguel, primeiro porque Miguel era o mais poderoso, segundo porque o momento era critico e terceiro porque toda a ajuda da parte de Izacael seria bem vinda, sem mais nem menos Hunatel se despede de Miguel e Izacael naquele shopping e desaparece da mesa onde estavam sentados, Izacael estava muito apreensivo, preocupado com o que podia ocorrer quando Miguel diz a Izacael:

       - Creio que não poderá mais haver segredos, não é Irmão? O que você esconde?

       Izacael olha com um semblante de total preocupação para Miguel e diz:

       - Vamos sair daqui primeiro.

       E ambos saindo daquele shopping vão em direção ao carro que estava no estacionamento do shopping e sentando ali, naquele dia nublado, ali mesmo no estacionamento do shopping dentro do carro, Izacael começa a desabafar para Miguel e começa a revelar o seu segredo, contando desde a sua conversa com o Eterno até o seu repentino desaparecimento, Miguel ficava intrigado com o que Izacael falara e balançando a cabeça em sentido de afirmação, ingeria com dificuldade o que Izacael lhe revelara, e muito surpreso colocava a mão na boca com muita preocupação olhando fixamente para os olhos de Izacael, assim o segredo de Izacael é revelado para Miguel, no estacionamento do shopping numa tarde nublada qualquer, Izacael ia falando, chorando, gesticulando e ao mesmo tempo compartilhando o que o estava pressionando, Miguel escutava o segredo de Izacael em silêncio.

       Enquanto isso Gabriel chegava até os portões do Inferno, de longe ouve a música alta, a festa no Inferno estava comendo solta, Gabriel entra até o Inferno quando um demônio que tomava conta na entrada do Inferno diz:

       - O que faz aqui Arcanjo?

       - Tenho uma mensagem a Lúcifer, chame-o agora.

       - Pode passar pra mim o recado que repasso para ele, me diga – disse o demônio muito sem educação para Gabriel –

       - Quero falar pessoalmente para Lúcifer é um recado importante para o seu Mestre.

       - Sobre o que seria? – disse o demônio –

       - Traição – disse Gabriel em tom de superioridade para o demônio –

       O demônio que guardava o Inferno fica olhando para Gabriel, o Arcanjo estava sem reação e muito serio, parecia que não queria saber de muita conversa a não ser com Lúcifer, o demônio então rapidamente diz:

       - Me acompanhe Gabriel, por favor.

       Ambos descem até a parte debaixo do Inferno, conforme iam se aproximando era comum escutar a música alta e o ritmo de festa no Inferno, o demônio juntamente com Gabriel chega até a porta do salão de festa, quando o demônio a abre, todos sentem a presença de Gabriel, a música para repentinamente e os olhos de todo o Inferno vão até a porta em que estavam o demônio e Gabriel, Lúcifer sentado em seu Trono que permanecia bem no meio do salão de festa se levanta todo o Inferno se silencia olhando para Gabriel quando o demônio dá um passo à frente e diz:

       - Gabriel o mensageiro tem um recado muito importante para o Senhor.

       - Porque ele não disse a você? – perguntou Lúcifer desprezando a presença de Gabriel –

       - Ele insistiu que o recado fosse repassado para o Senhor – respondeu o demônio –

       - Lúcifer faz um sinal com a mão chamando Gabriel e diz – Aproxime-se até aqui Gabriel, venha até mim – e virando para todos diz – Continuem a festa –

       A Música volta novamente os demônios continuam a festa Lúcifer senta-se à mesa perto do seu Trono e esperava Gabriel se achegar até ele, Gabriel passava no meio dos demônios vendo a orgias, as bebedices enfim aquela festa no Inferno, os demônios olhando pra ele convidando a participar também daquela festa e Gabriel com um semblante neutro chegava até o meio do salão onde estava Lúcifer, chegara entre a festa e o palco onde em cima estava o Trono de Lúcifer que estava sentado numa mesa improvisada ali em cima esperando Gabriel, então o deus do Inferno diz:

       - Vamos suba aqui Arcanjo, venha Gabriel.

       Gabriel sobe até onde estava Lúcifer, Gabriel percebe que Lúcifer estava totalmente despreocupado, e de que não sabia de nada, Gabriel senta-se à mesa que havia somente dois lugares preparada especialmente para aquela conversa na mesa já estava sentado Lúcifer quando vem um demônio e serve Lúcifer e Gabriel com um vinho, Lúcifer totalmente despreocupado diz para Gabriel:

       - Beba Gabriel, beber um pouco não vai matar ninguém. A propósito veio fazer o que aqui Gabriel. Se juntar a mim? – pergunta Lúcifer com ironia e logo após rindo da sua pergunta -

       Gabriel sentado, segurando a taça de vinho bebe um pouco e diz a Lúcifer:

       - Não, sabe que eu jamais me rebaixaria, com todo respeito Lúcifer, vim aqui para lhe mandar um recado.

       - Lúcifer ri e diz – Ora Gabriel isso eu sei afinal você é o mensageiro, me diz rápido qual é o recado importante para me dar?

       - Lúcifer você sabe que estamos passando por um momento delicado não é depois do sumiço do Pai.

       - E, eu com isso Gabriel, o Céu pode estar passando por um momento difícil, nós aqui não.

       - Porque Lúcifer, eu não entendo, porque recuou, digo por que não causou uma rebelião?

       - Lúcifer tomando todo o copo de vinho e enchendo novamente diz – Gabriel? Por favor, eu não preciso disso, afinal eu sou o mais poderoso das Dimensões depois desse sumiço, eu sou o único, Arcanjo da Mensagem.

       - Foi encontrado um Diário que o Pai escreveu sabia disso? – perguntou Gabriel, esticando o assunto pra saber até onde Lúcifer sabia das coisas –

       - Diário? Um Diário? Porque Deus escreveria um Diário Gabriel? – disse Lúcifer sem entender nada a respeito do mesmo –

       A música no Inferno era alta e a conversa quase que não dava para ouvir entre Lúcifer e Gabriel, o Inferno realmente estava em festa, e parecia que ninguém sabia de absolutamente nada, Gabriel então pergunta a Lúcifer:

       - Todos os demônios estão aqui no Inferno?

       - Sim, porque pergunta Gabriel?

       - Por nada Lúcifer – Gabriel fica um pouco em silêncio, bebe mais um pouco de vinho e diz – Abdon e Lilith estão aqui?

       Lúcifer nessa hora fica olhando para Gabriel com a taça de vinho na sua boca e colocando a taça de volta a mesa diz:

       - Porque a pergunta Gabriel?

       - Por nada parece que eles não estão aqui não é? – diz Gabriel olhando dos lados –

       - O que veio fazer aqui Gabriel? – disse Lúcifer serio para o Arcanjo -

       - Aonde quer chegar Lúcifer, porque está mentindo? – disse Gabriel –

       - O que está dizendo Gabriel? Mentindo sobre o que?

       - Sobre os seus capangas em Aijalom, sobre o Diário do Pai, sobre o seqüestro de Ezequiel, quer causar uma rebelião Lúcifer? – disse Gabriel se levantando da mesa e ficando acima de Lúcifer –

       Lúcifer não estava entendendo nada e Gabriel somente queria saber até onde Lúcifer sabia das coisas, mas Lúcifer se ira levanta da mesa rapidamente e grita chamando a atenção de todo o Inferno:

       - Eu não sei do que está falando Arcanjo, maldito.

       O Inferno inteiro se vira para onde estava Gabriel e Lúcifer, todos ficam olhando para ambos ali, quando Gabriel diz:

       - Então abra os seus olhos Lúcifer, acha que está tudo sob controle, mas não está – disse Gabriel falando bem baixo vendo que Lúcifer realmente não sabia de nada –

       - Do que está falando Gabriel? – disse Lúcifer enfurecido –

       - No Vale Aijalom, num Mosteiro no centro do Vale estava escondido o Diário de Deus, isso fez com que vários monges e viajantes fossem mortos; simplesmente porque o Diário estava lá, os Querubins foram mandados para o Mosteiro, pois uma força sobrenatural foi sentida ali, sob o comando de Hunatel, todos os Querubins foram facilmente punidos; todos eles que estavam no Mosteiro, não está nada sob controle Lúcifer.

       O Inferno estava escutando a conversa de ambos a música estava baixa e todos estavam com ouvidos atentos para escutar o que Gabriel falava com Lúcifer, mas depois de Gabriel falar sobre os eventos que acontecera no Mosteiro em Aijalom, Lúcifer muito sarcástico diz:

       - E o que eu tenho haver com isso Gabriel? Disse punição? Ninguém pode punir a não ser eu, nenhum dos meus demônios ou chefe deles tem o poder de punir nada e você sabe disso Gabriel, eu não estava em Aijalom, a não ser que um de vocês puniu os Querubins, ai é diferente – Lúcifer fica pensativo e diz – Algum Arcanjo puniu os Querubins? – termina Lúcifer –

       - Sim, Lúcifer. Uriel nos traiu – disse Gabriel num tom seco olhando fixamente para os olhos do rei do Inferno –

       - Lúcifer não se contém e ri – Então Uriel, o Arcanjo, um de vocês os traiu, é muito engraçado isso tudo Gabriel, está descontrolado sim tenho que concordar com você, o Céu está descontrolado, o Inferno está tudo em perfeita ordem – Lúcifer olhando para todos os demônios diz – Vocês ouviram há um traidor no Céu – diz Lúcifer muito sarcástico e rindo diz – O que veio fazer aqui Gabriel arrume o Céu, procure Uriel e o puna, veio aqui para nós tirarmos sarro de vocês. Vejam demônios – disse Lúcifer chamando a atenção de todo inferno que olha para Gabriel, quando Lúcifer continua - Ele quer que caçoamos deles, então caçoem.

       O Inferno inteiro ri de Gabriel, que permanece serio olhando para Lúcifer que também ri descontroladamente tirando sarro de Gabriel a respeito dos Querubins em Aijalom que foram punidos por Uriel, enquanto o Inferno ri Gabriel diz alto para Lúcifer que estava rindo junto com todos:

       - Engraçado Lúcifer, eu não vim aqui para vocês rirem de nós.

       - Lúcifer e o Inferno rindo diz – Então porque está aqui Arcanjo? – termina de dizer ainda rindo de Gabriel –

       - Gabriel diz alto para todos escutarem – Estou aqui para dizer que Abdon e Lilith fizeram uma espécie de aliança com Uriel e ambos aprisionaram Ezequiel, e roubaram o Diário de Deus e pretendem assumir o Trono das Dimensões, Lúcifer.

       As risadas de Lúcifer e do Inferno se cessam na hora da resposta seca de Gabriel, Lúcifer não entende e pergunta para Gabriel sem entender ou sem querer entender:

       - Como? O que disse?

       - O que ouviu. Abdon, Lilith e Uriel estão numa aliança, preste atenção Lúcifer no que vou dizer talvez seja possível assumir o Trono das Dimensões, afinal Deus sumiu e não sabemos nada a respeito, Abdon, Lilith e Uriel, estão com o Diário de Deus, pense um pouco Lúcifer se Deus escreveu um Diário e o escondeu foi para que nenhum de nós o encontrasse, por um único motivo tem alguma coisa de muito reveladora naquele Diário; tanto o Céu como o Inferno correm perigo, os rebeldes são fracos hoje, mas com o Diário se tornam fortes em sabedoria por saberem mais do que nós nesse exato momento, preste atenção, não sei o que está escrito no Diário, mas o que sei é que não devemos ficar de braços cruzados esperando que algo de ruim para ambas as partes aconteça, temos que procurá-los, poderia procurá-los sem avisar você, mas pensamos que você tinha o direito de saber dessa traição, a única coisa que abria o Diário que estava em Aijalom era a Chave do Inferno que foi roubada de você por Lilith, porque acha que ela desceu aqui, estava tudo esquematizado Lúcifer, eu sei o que você está sentindo creio que está sentindo o que o Pai sentiu na antiga rebelião liderada por você, o gosto de ser traído, ainda mais pelo seu braço direito, acho que é o certo que nós procuremos por Uriel e você por Abdon e Lilith, você vai punir do seu jeito e nós vamos punir Uriel do nosso jeito, era isso que eu tinha para falar para você aqui no Inferno, espero que faça alguma coisa, por enquanto é isso – disse Gabriel descendo do palco onde estava Lúcifer, o Inferno estava em grande silêncio, ninguém falava nada quando Gabriel descia todo o inferno olhava novamente para Lúcifer que estava quieto olhando novamente para Gabriel que ele diz:

       - Pode continuar a festa Lúcifer se conseguir, desculpe estragar alguma coisa, adeus, Irmão.

       Disse Gabriel andando no meio do corredor que estava aberto pelos demônios que estavam todos quietos olhando para Lúcifer que estava em cima do palco de cabeça baixa sem dizer uma palavra, Gabriel sai da sala deixando o Inferno em silêncio, os demônios todos estavam com muito medo de dizer algo para Lúcifer que permanecia paralisado de cabeça baixa, o Inferno sem dizer uma palavra, quando Abgor se aproxima de Lúcifer naquele momento de apreensão e diz:

       - Se... Senhor – disse Abgor com muito receio –

       - A festa acabou – disse Lúcifer de cabeça baixa com um tom de ódio –

       - E nós? Pra onde vamos? – indagou Abgor com muito medo –

       - Para qualquer lugar no Inferno, menos na minha presença – Lúcifer levanta a cabeça e diz – A festa acabou, sumam todos da minha presença agora – disse Lúcifer de pé com os olhos baixos olhando para todos no Inferno.

       Os demônios vão saindo rapidamente da presença de Lúcifer que estava com muito ódio, a dor que Lúcifer estava sentindo não havia como descrever era uma dor que só ele poderia falar, todos os demônios começam a sair daquele local deixando Lúcifer sozinho, quando Lúcifer diz:

       - Abgor, você fica aqui.

       Lúcifer não conseguia se conter de tanto ódio, sentado no seu Trono e colocando a mão na cabeça gemia de raiva e de ódio.

       Farei minhas as palavras de Gabriel, “o que Lúcifer estava sentindo foi o mesmo que o Eterno havia sentido no dia da antiga rebelião, a traição havia chegado ao prato de Lúcifer”, com certeza Abdon, Lilith e Uriel haviam decretado guerra ao Céu e o Inferno, a guerra celestial com certeza iria começar era o Céu e o Inferno juntos contra Um Anjo e Dois Demônios, as coisas iam tomando forma e o desenho para esse novo futuro ia finalmente ficando pronto, o Céu e o Inferno haviam descoberto quem eram os futuros inimigos desse futuro totalmente incerto, mesmo que fosse muito doloroso para alguns.

        

             A LANÇA DE JESUS

        99,9% era certeza, os rebeldes tinham nas mãos o que ninguém jamais tinha ou havia visto; o Diário de Deus, os escritos do próprio Eterno sobre o futuro que com certeza era totalmente incerto, os rebeldes sabiam que mais cedo ou mais tarde seriam procurados pelos Anjos e Demônios, sabiam que seriam alvo principal do Céu e Inferno depois do ocorrido em Aijalom, mas dentro de cada um deles tinham a esperança de que aquele Diário continha a chave para assumir definitivamente o Trono das Dimensões e sabiam também que se porventura conseguissem essa façanha todos do Céu e do Inferno se ajoelhariam perante eles e eles seriam respeitados não só por seus Irmãos, mas sim por todas as Dimensões e governariam da maneira que bem quisessem com certeza mexeriam em muitas coisas. Depois de punirem todos os Querubins no Mosteiro de Aijalom e conseguirem tomar posse no Diário os rebeldes vão até onde estava Ezequiel, o Mordomo de Deus que estava reféns de ambos, Abdon, Lilith e Uriel aparecem na casa que estava Ezequiel que permanecia amarrado com as correntes que neutralizavam os poderes de qualquer Anjo ou demônio era o primeiro Objeto de Emanação Divina que foi revelado pelo próprio Ezequiel a Uriel quando todos inclusive Ezequiel pensavam que Uriel fosse amigo. Os rebeldes haviam chegado à casa que estava refém o Mordomo de Deus, Ezequiel olha espantado para eles e diz:

       - O que fazem aqui?

       - Notícias fresquinhas – disse Abdon todo contente – Encontramos o Diário do Papai.

       - Ezequiel assustado diz – Primeiramente ele não é o seu Pai – Ezequiel dá uma pausa olhando para Abdon e continua – Conseguiram sem interferência de ninguém?

       - Tivemos alguns contratempos, mas nada que atrapalhasse a procura, Irmão – disse Uriel –

       - O que aconteceu? – disse Ezequiel –

       - Não é da sua conta Arcanjo idiota – retrucou Abdon –

       - Os Querubins apareceram no Mosteiro, mas Uriel foi nos socorrer punindo todos eles para o Céu – disse Lilith rindo a Ezequiel -

       - Puniu os Querubins Uriel? – disse Ezequiel espantando falando com um tom de desprezo – Por isso saiu de repente Uriel. Sabe o que fez não é? Assinou a sua sentença seu tolo, sabe que o Céu irá vir atrás de vocês e irão pagar o preço de trair tanto o Céu quanto o Inferno, me puna também Uriel não quero ficar aqui, me puna agora – disse Ezequiel com grande raiva tentando se soltar das correntes enquanto falava, mas sem êxito –

       - Está louco, pra que punir você pra revelar o lugar onde nós estamos não, fique aqui não tem nenhuma serventia, mas pelo menos não pode fazer nada que nos atrapalhe – disse Uriel –

       Abdon estava com o Diário em suas mãos ouvindo toda aquela conversa com Ezequiel e vendo que aquilo não ia dar em nada foi direito ao ponto, colocando o Diário sobre a mesa chamou a atenção de Uriel e Lilith e disse:

       - Que tal lermos o que está escrito aqui? Em seria mais interessante acho que não podemos perder tempo, não é cavaleiros?

       Uriel e Lilith olham para Abdon com muita curiosidade para saber o que estava no escrito no Diário ambos caminham até aquela velha mesa na casa, com um lampião aceso desde que Ezequiel fora aprisionado ali, os rebeldes voltam os seus olhos para o Diário seus corações pulsam como nunca, todos torciam para que estivesse escrito algo que os ajudariam e que pudessem ter poder para enfrentar o Céu e o Inferno que iriam procurá-los a qualquer momento, quando Uriel e Lilith chegam perto de Abdon o Chefe da Encruzilhada diz:

       - Vamos ler algo que me chamou a atenção desde que ele – aponta para Ezequiel – Disse, quero ler sobre um Objeto de Emanação chamado a Lança de Jesus, que pode matar qualquer coisa, podemos procurar esse Objeto que me chamou muito a atenção.

       - Não interessa o que vamos procurar primeiro, vamos ler o que está escrito aqui, e depois veremos o que fazer – disse Uriel todo curioso e apressado para ver o tal Diário -

       Ezequiel permanecia preso a distância de mais ou menos três metros de onde estavam os rebeldes com o Diário, estava com o seu coração apertado para ver o que estava escrito ali, e se esticava o quanto podia para tentar ouvir o que rebeldes diziam.

       - Abra Abdon, abra o Diário – disse Lilith curiosíssima –

       Abdon abre o Diário e quando faz isso os olhos dos rebeldes se fixam totalmente aos Escritos do Eterno, Abdon comandava a leitura e também ditava o que estava escrito no tal Diário de Deus, sem hesitar Abdon começa e folheá-lo virando pagina por pagina o Diário era bem escrito, fácil de entender, era mais um testamento do que um Diário, Abdon vai folheando e lendo os títulos que o Eterno havia escrito, cada titulo era uma revelação surpreendente para todos ali:

       - Vejam – diz Abdon intrigado – Aqui diz sobre varias coisas: O Alfa e o Ômega das Dimensões.

       - Sim! Ouvi Abgor dizer sobre o Alfa parece que seria Lúcifer alguma coisa assim – cortou Uriel –

       - Vamos descobrir tudo aqui Uriel, veja cada titulo escrito, Deus revela tudo veja olhem– diz Abdon mostrando para ambos que ficam com os olhos fixados no Diário – O Profeta das Dimensões, o que será isso, interessante.

       - Profeta das Dimensões? Leia isso Abdon – disse Lilith impressionada com o que via no Diário –

       - Calma Lilith, temos o Diário só para nós, vamos ver aqui – Abdon folheia o Diário e parando o dedo numa pagina diz – Aqui! Achei os Objetos de Emanação, Deus só destaca os principais, olhem aqui diz “Pedaços do meu Poder”: A Vara de Moisés, A Arca da Aliança, A Lança de Jesus e o Anel Papal, aqui ainda diz, que se juntarmos os quatro Objetos teremos todo o poder de Deus – disse Abdon pausadamente e não acreditando que estava lendo aquilo –

       - É possível assumir o Trono das Dimensões então – disse Uriel feliz e surpreso –

       - Sim! Vamos conseguir isso. Bem cavaleiros vamos ver a arma que me chamou a atenção, veja o que diz aqui – disse Abdon a todos – A Lança de Jesus, olhem o que Deus escreveu como subtítulo, “Aquilo que pode matar o que é Imortal e ferir aquele que é Eterno” fascinante – disse Abdon –

       - Leia, Abdon leia em voz alta esse escrito – disse Uriel não se contendo de tamanha curiosidade –

       Abdon então como estava muito curioso desde que estivera em Aijalom para ler e saber sobre a tal Lança, sentia que essa arma poderia ser muito útil para ele assumir o que estava em seu coração depois das eventuais coisas que acontecera reinar no Trono das Dimensões, então sem perder mais tempo Abdon começa a ler naquela casa que ficara escura com o pôr-do-sol, mas com aquele lampião aceso sobre a mesa, Abdon começa a ler em voz alta para que todos ali na casa escutassem sobre o que o Eterno falara sobre um dos Objetos de Emanação Divina, aquilo que podia matar o que era Imortal sem perder tempo Abdon começa a ler o escrito do próprio Criador, o Eterno.

       - Bem vou dizer o que Deus escreveu na integra:

       Assim que Abdon começa a ler sobre a Lança de Jesus todos vão lembrando a história que o Eterno falara acerca desse Objeto de Emanação Divino.

        

       ( Palavras do próprio Diário escrito pelo Eterno)

        A LANÇA DE JESUS

        “Aquilo que pode matar o que é Imortal e ferir aquele que é Eterno”

 

       “Falarei acerca desse Objeto de Emanação Divina, que para mim é o mais poderoso dentre todos, eu nunca tinha em mente criar nenhum dos Objetos, mas no decorrer da história da Humanidade eu vi a necessidade de mostrar o Meu poder ao Homem, sem que ele Me visse, pois se isso acontecer certamente morreria. Como Criador de Tudo, pensei em um modo para que o Homem provasse de Mim, sem que visse a minha face literalmente.

        Criei então os Objetos de Emanação descritos nesse Diário, cada Objeto foi usado para uma solução de um povo ou de um Humano que estivesse passando problema ou lutas numa certa ocasião, foram criados por Mim, para ajudar naquele momento de tribulação, mais Escolhi entre todos os Objetos Criados, Quatro que representariam o meu Poder a partir do meu desaparecimento, preste muita atenção: “Após o meu desaparecimento que é necessário que eu desapareça, pois sou também o Deus de Promessa e todas as minhas promessas que faço para alguém deve se cumprir e eu como Pai devo realizar, quando desaparecer, todos os Objetos de Emanação voltarão com os seus poderes atuais sejam onde estiverem escondidos em qualquer parte da Terra que é o único lugar das Dimensões que os Objetos foram usados”, quatro desses Objetos são Pedaços do Meu Poder, aquele que obter todos os meus Objetos de Emanação terá o Poder de se assentar no Trono das Dimensões e reinar para Todo o Sempre como Deus Absoluto Acima de Tudo, o Trono das Dimensões foi fechado por mim, mas quem conseguir juntar os Quatro Objetos de Emanação saberá onde se encontra o Trono das Dimensões e saberá também como abrir o Portal, lembre-se de que cada Objeto tem um Poder diferente, quero lhe falar de um Objeto de Emanação, vou lhe falar sobre a Lança do Destino, mais conhecido como a Lança de Jesus:

        “Esse Objeto de Emanação representa “O Poder”, dentre os Quatros Objetos os outros Três Objetos também tem as suas representações, porém a Lança de Jesus representa o Poder, com ela é possível mostrar o Meu poder sem Eu estar presente, com ela todos temerão e verão que o Meu poder está nitidamente nas mãos daquele que a possuir.

       Coloquei a Lança representando o Meu poder por um motivo simples, naquele dia em que ela foi usada pela primeira vez eu sofri muito, foi a primeira vez como Deus das Dimensões que chorei amargamente pelo evento realizado, naquele dia em que a Lança de Jesus foi usada, eu fui gravemente ferido, foi a única vez que senti que algo entre todas as coisas das Dimensões pudesse me ferir, confesso que eu sempre pensava e sempre afirmava que nenhuma arma pudesse ser usada contra Mim, mas me enganei; e me enganei literalmente, pois naquele dia a arma feriu o Meu Espírito gravemente foi a primeira vez que vi a morte de perto, foi a primeira vez que pensei que estivesse chegado o Meu fim, certamente a Lança foi usada para me atingir, não morri, mas fiquei gravemente ferido, pois essa Lança atravessou o Meu Espírito como uma espada que dissipa e corta literalmente alguma coisa, senti a dor pela primeira vez, com certeza muito pior do que uma simples punição de demônio ou coisa semelhante, Eu fui gravemente ferido naquele evento da Terra, percebi que era a única arma que me feria, então depois daquele evento eu tentei tirar o poder da Lança de Jesus mas tudo foi em vão parecia que a Lança tinha se juntado com o Meu poder, foi quando percebi que a arma era muito poderosa, era como se fosse um clone do Meu poder, então como ninguém sabia da existência desse poder deixei a Lança na Terra para que o próprio Homem a escondesse e por séculos e séculos depois do evento que Me causou o grave ferimento Eu acompanhei a trajetória da Lança de Jesus nas mãos do Homem, lembro perfeitamente quando a Lança foi encontrada na Antioquia pelo Monge chamado Pedro Bartomeu, que acompanhava a Primeira Cruzada na Idade Média com aquela Lança dada por Bartomeu ao Príncipe da Antioquia ele marchou com o seu exercito para a Cruzada e o exercito de Antioquia venceu milagrosamente aquela Cruzada, a Lança foi passada, por varias mãos Humanas e sempre que alguém a possuísse tinha uma autoridade invejável, principalmente se a Lança fosse usada em guerra, percebi então que a Lança era muito poder para os Humanos então resolvi esconde-la, e simplesmente a ungi como sendo o Meu poder entre as Dimensões, a Lança certamente podia matar não só o que era Mortal, mas a Lança poderia matar o que era Imortal percebi que a Lança poderia não somente punir Anjos ou demônios, mas a Lança poderia simplesmente matá-los, sendo qual fosse a sua Classe Hierárquica Divina, percebi que a Morte poderia penetrar nos seres Imortais, sendo Anjo, demônio, Querubins, Serafins ou Arcanjo todos poderiam morrer com um único golpe da Lança nada poderia ficar vivo com a Lança nem mesmo a Morte seria páreo para esse Objeto, pois ela mesmo teria uma morte fácil se alguém a ferisse com a Lança e até Eu o Deus Eterno Criador de Todas as Dimensões poderia ser gravemente ferido ao ser golpeado pela Lança, quando eu desaparecer essa Relíquia será Meu único poder existente e aquele que a tiver terá a Honra de ter esse Poder Eterno e a Glória de ser Invencível.

       A Lança de Jesus terá somente um Dono o primeiro que tocar na Lança depois do Meu desaparecimento será o Dono dela e terá o Meu poder, com o tempo verás como pode ter o Meu poder, e certamente todos temerão quando ficar de frente com o Dono da Lança, a Lança terá o Meu poder, terá simplesmente o poder de todas as coisas Criadas por Mim, só existe uma coisa que a Lança de Jesus não pode ter o poder de um “Pacto”, repito, ela pode ter todo o Poder de Tudo Criado entre as Dimensões menos aquilo que for feito em “Pacto” isso a Lança jamais poderá ter, creio que no decorrer do tempo o Dono da Lança irá entender essas coisas, e também as demais, dos “Quatro Pedaços do Meu Poder”, a Lança representa o Poder sobre Tudo, aquele que a possuir simplesmente poderá se sentir como um Deus, lembrando que a Lança a partir do momento que for tocado por alguém não funcionará nas mãos de outro, pois se o Dono dela ainda estiver vivo, ela simplesmente se tornará uma Lança qualquer sem poder algum, pois a Lança de Jesus somente obedecerá ao seu Dono, mas lembre-se de que para assumir o Trono das Dimensões é preciso possuir os “Quatro Pedaços do Meu Poder” descritos nesse Diário essas coisas é literalmente verdade após o Meu desaparecimento, tudo escrito sobre a Lança de Jesus é a mais pura verdade, pois o que escrevi; escrevi

       Assinado: DEUS

        Assim que Abdon terminara de ler sobre a parte dos escritos do Eterno sobre a Lança de Jesus, todos ali na sala estavam como se estivessem hipnotizados e felizes ao mesmo tempo, afinal era possível sim assumir o Trono das Dimensões, então diz Abdon muito confiante:

       - Podemos morrer, não somos Imortais – pausa olha para Uriel e Lilith e diz – Vocês entenderam o que eu falei; podemos mudar a história.

       - Sim – afirmou Uriel – Podemos assumir o Trono das Dimensões.

       - Sim meu amigo Uriel, vamos procurar a Lança de Jesus, ela será muito útil se alguém quiser pelejar algo contra nós – disse Abdon ainda confiante –

       - Mas a Lança de Jesus poderá ter somente um Dono, segundo o que acabamos de ler nesse Diário – disse Lilith confusa –

       - Sim, temos que ver quem será o Dono dela – disse Uriel rapidamente num tom meio seco e duvidoso –

       - Não importa quem será o Dono o que importa é procurarmos a Lança de Jesus para ficarmos totalmente seguros – disse Abdon num tom de confiança –

      Todos estavam eufóricos afinal com toda a certeza eles poderiam afirmar, estavam na frente de todos, tinham o Diário e mais do que isso ficaram sabendo que existia uma arma capaz de matar qualquer coisa inclusive ferir o Eterno, o Mordomo de Deus Ezequiel que ouvia tudo o que fora dito a respeito da Lança disse para os rebeldes:

       - Ai diz onde se encontra cada um dos Quatro Objetos que são os Pedaços Poder de Deus?

       - Abdon olha para Ezequiel e diz – Não! Aqui não diz onde se encontra só diz quais são e o que representam.

       - Continue a leitura – disse Lilith curvada na mesa perto de Abdon e Uriel louca para saber mais coisas reveladoras contida no Diário –

       Era o momento mais raro para os rebeldes eles não se continham de tamanha alegria, usurpar do Trono das Dimensões era o único anseio no momento.

       Enquanto isso Miguel que permanecia dentro carro no estacionamento do shopping acabava de ouvir todo o segredo do Arcanjo Humano.

       - Não devemos falar isso pra ninguém Izacael, pelo menos por enquanto – disse Miguel estagnado com o segredo de Izacael –

       - Eu sei só estou contando pra você, porque precisava compartilhar com alguém – disse Izacael no segurando as mãos no volante no carro em que estavam no estacionamento daquele shopping –

       - Izacael? – chamou Miguel –

       - Sim, Irmão – disse Izacael olhando para Miguel –

       - O crucifixo, ele pode nos ajudar por enquanto, lembra do seu poder?

       - Poder Miguel? – disse Izacael que faz uma pausa e lembra-se do poder do crucifixo e diz para Miguel sem entender aonde queria chegar – Ah sim, o crucifixo que impede de ser achado por um ritual de invocação, o que tem ele?

       - Izacael, pense o crucifixo pode ajudar e muito, pelo menos para ganharmos tempo, me entende – disse Miguel olhando no fundo os olhos de Izacael –

       Izacael fica encarando Miguel no olhar, e Miguel fica apontando com o olhar para o peito de Izacael fazendo sinal para entender do que estava falando Izacael não entendia ainda quando Miguel vai até o ouvido de Izacael e cochicha algo então Izacael entendendo diz:

       - Claro como não pensei nisso antes, agora entendo o que aquele estranho Frei disse na Igreja de Dracena, ele disse que esse crucifixo serviria para proteger o meu segredo, com certeza o crucifixo pode ajudar como não pensei nisso antes – disse Izacael essas palavras enquanto apertava o crucifixo no pendurado no seu peito –

       - Vamos sair daqui Izacael, vamos para um lugar onde não tenha varias pessoas, preciso fazer contato com os meus Irmãos para ver como estão as coisas por lá, e como vamos encontrar Uriel, afinal se você não quer ir para o Céu, eles com certeza vão querer ver você.

       - Acho que eu não estou preparado – disse Izacael –

       - Você não deve fugir disso Izacael, afinal você fez parte disso, você pode ser um Humano, mas; lembre-se que nunca poderá fugir de ser um de nós, depois do que fez – disse Miguel num tom serio e termina - Creio que o destino nos uniu Irmão e os outros também fazem parte dele, e digo mais sabe que mais pra frente os nossos Irmãos também poderão ajudar você a proteger o seu segredo, vamos sair daqui – termina de dizer Miguel a Izacael –

       Izacael mesmo contra a sua própria vontade liga o carro e sai do shopping com Miguel, mas afinal de contas Miguel tinha a razão o Céu poderia ajudar e muito no segredo de Izacael. O Céu se preparava para começar a caçada de Uriel aquele que se tornava o traidor do Céu, todos os Anjos estavam esperando Sarakus e Hunatel se pronunciar sobre como seria a caçada para pegar Uriel; Hunatel assim que chegou com as boas novas contando para todos que Miguel encontrou Izacael, todos ficaram muito felizes, mas foram surpreendidos quando Hunatel disse que Izacael não queria vir para o Céu, mas ficaram aliviados sabendo que Miguel permanecia com Izacael, e isso fez com o Céu deixasse Miguel tomar conta do caso de Izacael por dois simples motivo; primeiro porque desde antes da antiga rebelião Miguel sempre foi o mais próximo de Izacael, segundo porque Miguel querendo ou não era o mais poderoso do Céu e sempre fora muito respeitado antes e depois do desaparecimento do Eterno.

       - Como vamos libertar Ezequiel das garras do traidor – disse o Arcanjo Jadson para todos que ali estavam –

       - Temos que mandar alguém mais poderoso que Uriel senão será tudo em vão – disse Sarakus –

       - Sim! Os únicos mais poderosos do que Uriel são Raphael que está desaparecido, Gabriel e Miguel – disse Hunatel aos Anjos –

       - Vamos enviar a Terra os Anjos de guerra de Miguel; creio que assim que Uriel perceber que os Anjos de guerra de Miguel estiverem na Terra com certeza vai temer de medo, não só Uriel, mas Abdon e Lilith que estão com ele – disse o Arcanjo Joquiel para todos ali –

       - Não é uma má idéia, mas de nada adianta tem que ir alguém mais poderoso que Uriel para comandar os Anjos de guerra de Miguel senão a ida terá sido em vão – disse Sarakus –

       - Vá você Gabriel, comande os exércitos de Miguel e encontre Uriel e traga-o para cá – disse Hunatel a Gabriel que diz –

       - Posso comandar, mas temos que pedir autorização para Miguel vocês não acham?

       - Sim! Claro, vamos consultar Miguel, mas acho que não terá nenhum impedimento quanto a isso – disse Hunatel –

       - Então vamos procurar o traidor – disse Gabriel firme olhando para todos ali do Céu com um olhar que almejava uma raiva pela traição de Uriel –

       Não só Gabriel estava com essa raiva, mas também todo o Céu tinham isso dentro de si, Uriel havia os traído, havia assinado a sua sentença, e ainda estava fazendo refém Ezequiel, e isso era inadmissível para os Anjos.

       - O que Lúcifer falou Gabriel? – disse Sarakus –

       - Não sei eu dei o recado para ele e sai do Inferno que estava em festa, mas vi que ele ficou sem reação não me respondeu nada, creio que Lúcifer irá procurar Abdon e Lilith, afinal ele os traiu – disse Gabriel com grande certeza –

       - Engraçado, gostaria de saber como reagiu Lúcifer quando ficou sabendo da traição de Abdon e Lilith, ele provou do próprio remédio quando fez isso com o Pai – disse Hunatel num tom sarcástico, mas falando firme –

       Os Anjos ficam ali conversando e montando as estratégias para libertar Ezequiel e punir Uriel, todos unidos no Céu com esse único propósito. Mas enquanto isso no Inferno:

       - Si... Sim mestre o que quer de mim? – disse Abgor no Inferno com muito medo da reação de Lúcifer que estava paralisado desde que Gabriel havia dado a noticia da traição de Abdon e Lilith –

       Todos os demônios do Inferno haviam saído da presença de Lúcifer, a festa que estava acontecendo no Inferno havia acabado repentinamente depois que Gabriel falara da traição de seus demônios, o deus do Inferno ficou paralisado parecia que não estava querendo engolir a traição de Abdon e principalmente de Lilith que havia acabado de enganá-lo roubando a Chave do Inferno para abrir o Diário de Deus, quando Lúcifer havia falado para Abgor ficar, o Chefe de guerra do Inferno ficara com muito medo da reação que pudesse ter Lúcifer, pois ele sempre teve reações inusitadas, mas Abgor estava ali de frente a Lúcifer que estava sentado na cadeira com as duas mãos sobre a mesa em que havia discursado com Gabriel, Lúcifer se levantando sem dizer nenhuma palavra para Abgor caminha em direção ao seu trono, senta ali e fica de cabeça baixa e calado quando Abgor diz novamente:

       - Mestre, o que quer de mim? – tornou a dizer Abgor a Lúcifer –

       - Encontre Abdon e Lilith e traga-os para mim – disse Lúcifer em tom baixo sem fazer nenhum tipo de reação, estava ainda no seu trono com a mão no queixo olhando para baixo –

       - Preciso de demônios para ir comigo nessa procura – disse Abgor com receio de alguma coisa –

       - Lúcifer olha para Abgor com os olhos sem se mover e diz – Chame quem você quiser Abgor, desde que traga Abdon e principalmente Lilith aquela traidora até a minha presença – termina Lúcifer –

       - Mas mestre como vou trazê-los até aqui?

       - Isso não me interessa, traga principalmente Lilith até a minha presença, eu nem quero ver Abdon prenda-o no calabouço do Inferno por toda Eternidade, agora Lilith essa eu quero puni-la olhando nos seus malditos olhos, faça isso Abgor, traga Lilith até mim, vá reúna quem quiser, mas traga os traidores até minha presença – disse Lúcifer escondendo o seu rosto com a mão –

       Abgor olhava para Lúcifer e estava ainda com muito medo, ele sabia que Abdon era mais forte do que ele, pois era o braço direito de Lúcifer, sabia que Abdon não viria assim do nada, Abgor não tinha o poder de punir nenhum demônio como foi dado a Abdon então Abgor ainda olhando para Lúcifer que permanecia estagnado disse:

       - Mestre! Desculpe, mas sabe que eu não tenho poder nenhum, sou apenas um Chefe de guerra enquanto Abdon tem o poder de me punir qualquer demônio para o Inferno se eu for será em vão, Abdon não virá por livre e espontânea vontade, sabe que sou mais fraco do que ele – disse Abgor olhando para Lúcifer e esperando uma resposta –

       Lúcifer depois dessas palavras fica pensativo e rapidamente olha para Abgor e o encara no olhar e diz:

       - Aproxime-se meu filho Abgor.

       Abgor se aproxima lentamente de Lúcifer com muito medo quando Lúcifer se levanta do seu trono e fica frente a frente com Abgor então o rei do Inferno diz:

       - Não tenha medo Abgor, ajoelhe-se perante mim.

       Abgor ajoelha perante Lúcifer ainda temendo do que o rei do Inferno pudesse fazer com Abgor, quando Lúcifer coloca a mão na cabeça de Abgor que rapidamente começa a gritar, então Lúcifer aperta a cabeça de Abgor fazendo que o demônio abra a sua boca e Lúcifer simplesmente o levanta ficando perto de seu queixo quando um poder dos olhos de Lúcifer começa a emanar para dentro da boca de Abgor que grita desesperadamente, só que esse poder vai dando uma nova forma para Abgor enquanto ele grita vai criando músculos, uma nova vestimenta com uma espada e uma capa bem longa, então o poder que emana dos olhos de Lúcifer cessa e Lúcifer solta Abgor que cai no chão e o rei do Inferno senta novamente ao seu trono olhando para Abgor que estava gemendo no chão, então Abgor se levanta lentamente olhando para si o seu corpo totalmente modificado, a sua nova roupa logo percebe uma espada atrás da suas costas então pega a espada e fica segurando ela com suas mãos, olha para Lúcifer que o encara sentado no seu trono e diz:

       - O que fez comigo Majestade? – disse Abgor olhando para si mesmo -

       - Eu te dei uma pequena ajuda Abgor, te escolho ti ungi como príncipe do Inferno, hoje você será o meu braço direito, tirei o poder de príncipe do Inferno de Abdon, você tem o poder de punir qualquer demônio Abgor e tem autoridade sobre tudo no Inferno depois de mim, mas lembre-se – disse Lúcifer fazendo um sinal com a mão e trazendo Abgor bem perto de si – Não sege trouxa como Abdon, tem o poder sobre todo e qualquer demônio inclusive Abdon e Lilith, traga-os para mim, custe o que custar – Lúcifer solta o poder –

       Abgor cai ajoelhado não caiu no chão porque segurava o seu corpo com uma de suas mãos, então se levantando com toda a autoconfiança olha para o deus do Inferno e diz:

       - E Uriel?

       - Uriel é problema do Céu, fique tranqüilo quanto a isso os Anjos com certeza irão atrás dele e puni-lo, se concentre em Abdon e principalmente na maldita Lilith, traga-os pra mim, vá Abgor junte seus demônios e traga os traidores até mim, vá príncipe do Inferno.

       - Não te decepcionarei meu Senhor, Abdon e Lilith estarão aos teus pés mais rápido do que o Senhor possa imaginar – disse Abgor se prostrando aos pés de Lúcifer que diz –

       - Sei que não irei me arrepender agora vá.

       Abgor se levanta rindo para Lúcifer se despede de seu Mestre e sai da sala em que estava Lúcifer, o príncipe do Inferno Abgor estava confiante e se sentia muito poderoso, com o poder que Lúcifer tinha dado para ele, Abgor escolhe alguns demônios entre eles alguns Chefes e se prepara para capturar Abdon e Lilith na Terra, os traidores do Inferno seriam capturados pela ordem do primeiro já Criado entre as Dimensões, Lúcifer o rei do Inferno.

       - Continue lendo o Diário Abdon – disse Lilith toda ansiosa –

       - Onde quer que eu comece a ler. Os próximos Objetos de Emanação que são Pedaços do Poder de Deus? O Profeta das Dimensões? O Alfa e Omega das Dimensões? Onde quer que eu leia – disse Abdon pensando na Lança e não sabendo por onde começar –

       - Leia tudo, leia folha por folha, vamos saber de tudo Abdon, vamos leia – disse Uriel querendo saber de todo o escrito do Eterno contido no Diário –

       E Abdon mais do que depressa continua lendo em voz alta naquela sala o restante dos Pedaços do Poder de Deus, e o Profeta das Dimensões, enquanto Abdon lia os corações de Uriel, Lilith e Ezequiel que se esforçava para escutar tudo o que diziam queimavam como nunca, a cada palavra de Abdon naquela casa sitiada em algum lugar na Terra trazia para os rebeldes a certeza de que ser o Deus das Dimensões podia ser uma grande realidade.

       O Céu se preparava para procurar Uriel, o Inferno se preparava para procurar Abdon e Lilith, Izacael e Miguel permaneciam juntos para tentar de alguma forma proteger o misterioso segredo que guardava o Ex – Arcanjo Izacael, vários mistérios, iam se formando, as intrigas iam aparecendo, e a guerra que muitos temiam após o desaparecimento do Eterno ia começar; certamente uma grande saga estava em meio a traições, mistérios, e intrigas iam começando a se formar, muita coisa certamente ia aparecer, muitas revelações iam acontecer, era o começo de tudo, o começo de um novo tempo, o começo uma nova vida, O COMEÇO DE UMA SAGA. 

 

                                                                                Bruno Gomes 

 

 

                                         

O melhor da literatura para todos os gostos e idades

 

 

              Biblio"SEBO"